• 2022-12-10 21:04:24 -0200 Thumb picture

    Série Xeno - Uma Grande e Conturbada Família

    Medium 3946021 featured image

    A palavra “série” vem do latim series (que significa “cadeia, fila, conjunto em linha”), do verbo serere (“colocar junto, unir, atar”), sendo comumente usada para definir um conjunto ordenado de fatos, coisas, objetos análogos e, no caso de RPGs eletrônicos ou jogos no geral, para alguma sequência de títulos que possuem elementos em comum, como o nome, a empresa que os fez, algumas características definidoras, e exemplos não nos faltam, como as séries Final Fantasy, Mana, Breath of Fire, Tales of , entre outras.

    Porém, dentro dessa infinidade de séries e franquias de RPGs disponíveis nas mais diversas plataformas e formatos, uma acaba sendo alvo de muita confusão, seja por seus títulos estarem dispostos em diferentes gerações, seja pelo próprio fandom da mesma estar dividido em nichos específicos ou até mesmo por muita desinformação a respeito da mesma estar espalhada pela internet afora. Me refiro à série Xeno, surgida no final dos anos 90 com Xenogears e estando na ativa até hoje, com o mais recente Xenoblade Chronicles 3 e que, até o exato momento da edição desse artigo, conta com 7 títulos principais, diversos spin offs, além de participações dos seus personagens nos mais diversos crossovers, seja o popular Super Smash Bros ou mesmo com o insano Project X Zone.

    A série Xeno pode ser dividida em 3 arcos, cada um lançado por uma empresa diferente (Square Enix, Bandai Namco e Nintendo) e exclusivamente para consoles diferentes (PlayStation, PlayStation 2 e Wii/3DS/Nintendo Switch), isso além de mudanças gráficas e de gameplay, portanto fica difícil pensar que tudo isso faz parte do mesmo balaio de gato. Porém, antes de esmiuçarmos melhor os elementos em comum que todos os jogos possuem, que tal darmos uma olhada em cada um desses arcos, separadamente?

    Xenogears - O idolatrado irmão mais velho

    Ano de lançamento1997

    Plataforma – PlayStation

    Review do siteUma Filosófica e Erudita Falta de Organização

    Artigos diversos5 lições de vida de xenogears

    Podcast – Em breve

    Tetsuya Takahashi era um desenvolvedor de jogos que já havia participado de diversos trabalhos dentro da então Squaresoft e, aproveitando-se da liberdade criativa presente naquele final dos anos 90, onde o RPG eletrônico havia se tornado mainstream, conseguiu solidificar o seu primeiro projeto, intitulado de Xenogears. Misturando filosofia e psicologia com mechas (os famosos robôs gigantes), de forma bem similar à que a famosa animação da época, Neon Genesis Evangelion, fez, Xenogears foi extremamente bem recebido pelo público na época e, mesmo com seus problemas técnicos na sua segunda metade (justificados pelos produtores como “falta de tempo e de dinheiro”), foi elevado ao status de cult por inúmeros jogadores ao redor do globo e é, até os dias de hoje, um dos jogos mais famosos da série.

     Porém, mesmo com suas boas vendas (em torno de 1 milhão de unidades vendidas), a Squaresoft não quis investir na ideia de Takahashi (que originalmente teria mais 5 jogos), levando seus produtores a saírem da empresa e criarem a Monolith Soft, cujo nome é uma referência ao monolito do filme 2001: Uma Odisseia no Espaço, e também a um elemento importante presente em Xenogears: o Zohar (que posteriormente iria se tornar recorrente em toda a série), na esperança de que, agora com mais liberdade, pudessem dar continuidade à sua série.

    Xenosaga - O pouco conhecido irmão do meio

    Ano de lançamento – 2002 (Episode I), 2004 (Episode II), 2006 (Episode III)

    Plataforma – PlayStation 2

    Reviews do siteA Vontade de Poder, Além do Bem e do Mal e Assim Falou Zaratustra

    Artigos diversos5 lições de vida de Xenosaga

    Podcast – Sem previsão, por hora

    Após a criação da Monolith Soft, Tetsuya Takahashi e sua equipe (que incluía a sua esposa, Soraya Saga) encontraram abrigo na Namco, a famosa empresa criadora do Pacman e da série Tales of, e com isso ganharam o aval para darem continuidade às suas ideias. Como os direitos de Xenogears estavam com a Square (que a esse altura já havia se fundido com a Enix), eles não poderiam usar os personagens de lá, porém nada impedia que eles criassem versões idênticas só que com nomes diferentes, além de reutilizar conceitos e elementos, e assim surgiu Xenosaga. De cara o primeiro jogo, Xenosaga Episode I: Der Wille zur Macht (a Vontade de Poder, em alemão, já fazendo referência à filosofia de Nietzsche) veio em um DVD9 (o DVD dual-layer, de 8 GB de armazenamento, ao invés do tradicional de 4 GB), algo raro para um jogo de PlayStation 2 na época.

    Xenosaga mostra uma ambientação mais Space Opera, focado em uma invasão alienígena protagonizada pela cientista Shion, a androide KOS-MOS, dentre vários outros companheiros com seus problemas pessoais, todos se unindo em um objetivo em comum. O primeiro jogo vendeu relativamente bem (em torno de 450 mil unidades), dando aval para a Monolith Soft criar sua continuação, Xenosaga Episode II: Jenseits von Gut und Böse. Porém novamente surgiram problemas para a equipe, o que resultou em jogo repleto de problemas técnicos, que acabou não vendendo tão bem assim (vendendo por volta de 250 mil unidades), o que resultou novamente uma mudança de planos, e o que era para ser uma sextalogia terminou como uma trilogia, com o terceiro, e último, jogo desse arco, o Xenosaga Episode III: Also sprach Zarathustra saindo pouco tempo depois, finalizando esse capítulo da série e deixando Takahashi e cia com uma moral bem abalada.

    Xenoblade - O volúvel irmão mais novo

    Ano de lançamento – 2010 (Xenoblade Chronicles), 2015 (Xenoblade Chronicles 3D), 2017 (Xenoblade Chronicles 2), 2020 (Xenoblade Chronicles Definitive Edition), 2022 (Xenoblade Chronicles 3)

    Plataformas – Nintendo Wii, Nintendo New 3DS e Nintendo Switch

    Reviews do siteAs Crônicas de uma Obra-Prima, Nessa Curta Estrada da Vida

    Artigos diversos5 lições de vida de Xenoblade Chronicles

    PodcastsXenoblade Chronicles, RPGs que Amamos

    Depois de Xenogears e Xenosaga serem considerados fracassos por suas respectivas empresas, estaria Takahashi equivocado e errado durante todos esses anos ao tentar conceber uma série de jogos para explorar suas ideias tão únicas e características no mundo dos role playing games eletrônicos? A situação não tava muito boa para a série, porém isso veio a mudar, quando a Monoltih Soft foi adquirida pela Nintendo, e baseando-se em um novo conceito do Takahashi (onde um mundo seria formado nas costas de dois titãs derrotados há muito tempo em um embate colossal), surgia Xenoblade Chronicles, saindo para o Nintendo Wii (e exclusivo das plataformas da Nintendo até hoje), porém desta vez sem grandes pretensões, tendo uma narrativa única, mais organizada, mas ainda mantendo os elementos filosóficos e de ficção científica tão característicos de outrora, resultando em uma das narrativas mais bem elogiadas dos RPGs japoneses até os dias de hoje.

    Xenoblade Chronicles posteriormente ganhou uma versão para New 3DS, além de um spin off para WiiU, o Xenoblade Chronicles X… Porém a continuidade da série só iria aparecer anos depois, com o advento do novo console da empresa, o Nintendo Switch, e com isso surgiu Xenoblade Chronicles 2, que foi um sucesso absurdo de vendas (mais de 1 milhão e meio de unidades vendidas) e é, até o momento da redação desse artigo, o jogo mais rentável de toda a série. Porém essa rentabilidade teve um preço, e a pegada mais séria e filosófica praticamente sumiu e no lugar o título decidiu abraçar vários elementos comuns da cultura pop japonesa, além de uma mecânica bem comum de jogos para celular, o gacha (onde o jogador gasta itens – ou dinheiro real – para tentar conseguir certos personagens na sorte).

    Com o sucesso de Xenoblade Chronicles 2, a moral da Monolith Soft aumentou bastante, chegando ao ponto de lançarem uma terceira versão do primeiro Xenoblade Chronicles, o Xenoblade Chronicles: Definitive Edition, para Nintendo Switch, que acabou se tornando a versão mais vendida do título. Contudo o destino da série, iniciado ainda na década de 90, ainda estava incerto… Será que voltariam a ter a pegada mais séria de outrora? Ou abraçariam de vez o doce sabor do produto mais agradável para o grande público? Não haveria, por acaso, uma maneira de agradar ambos os lados?

    Assim surgiu Xenoblade Chronicles 3, o último título da série (até a redação desse artigo). Apesar de, claramente manter algumas escolhas artísticas mais agradáveis para um público maior, Xenoblade 3 também recuperou o lado filosófico e sério que a série possuía nos seus 5 primeiros jogos (trazendo uma temática um tanto existencialista), e acabou sendo extremamente bem recebido, mostrando que Tetsuya Takahashi ainda possui muita lenha para queimar, e que essa série ainda pode ter muito a nos oferecer no futuro.

    Mas afinal, Xeno pode ser considerada uma série?

    A resposta é: sim. Apesar dos seus jogos estarem espalhados em diferentes empresas (e todos os seus 3 arcos ainda limitados pela exclusividade), a série possui vários elementos em comum :

    1 - Referências filosóficas, psicológicas e religiosas;

    2 - O aspecto de ficção científica, como os robôs gigantes – os mechas – estando quase sempre presentes;

    3 - Magia no geral denominada como Ether;

    4 - A existência do Zohar – em Xenoblade chamado de Conduit e, por mais que sua funcionalidade varie entre os xenos, ele continua sendo um objeto de muito poder e que pode alterar a realidade em todas as suas aparições;

    5 - Ideias e conceitos reaproveitados, como o espadachim veterano e misterioso (visto na figura de Citan e Jin Uzuki), a androide com dupla personalidade (através de KOS-MOS e Fiora), manifestações de uma entidade superior (através da Wave of Existence e do U-DO), designs similares (como os Consuls que lembram bastante o Grahf) e até mesmo referências diretas (como Noah, que é o nome inicial do projeto que veio a se tornar Xenogears);

    6 - Suas narrativas, por mais que não sejam diretamente relacionadas (com exceção dos Xenoblades) podem ser concatenadas em uma linha do tempo bem lógica (com os Xenoblades vindo primeiro, Xenosaga em segundo e Xenogears em terceiro);

    7 - E também todos os jogos foram idealizados e criados por Tetsuya Takahashi e sua companhia

    O prefixo “Xeno” no nome de algum RPG japonês acabou se tornando um sinônimo dessas características (mesmo Xenoblade Chronicles 2, sendo uma bola fora da curva, possui boa parte deles), portanto acaba se encaixando perfeitamente no conceito de série anteriormente comentado, mesmo que o lançamento do seus arcos não sejam muito bem organizados.

    Enxergar Xenogears, Xenosaga e Xenoblade como 3 partes de um mesmo todo é importante para não só vermos como ideias e conceitos podem se modificar e alterar com o passar dos anos (mas que nem por isso deixam de perder sua essência), como também revela o etnorme potencial que série possui. Para àqueles que têm a possibilidade de conferir os jogos mais antigos (Xenogears e Xenosaga), tal como os mais recentes (os Xenoblades) vale muito a pena jogar cada um desses arcos, ao invés de ficar preso na bolha de um deles, e ignorar totalmente a existência dos outros (que é como comumente os fãs de Xenoblade – que costumam ser Nintendistas – fazem). 

    No decorrer da história dos RPGs eletrônicos certamente tivemos várias séries incríveis disponíveis, porém vai ser difícil encontrar uma como essa que, apesar dos seus problemas de produção, mudança constante de empresas, eventualidades com o número 2 (CD2 de Xenogears, Xenosaga EP 2, Xenoblade 2), conseguiu se manter firme em seu meio século de existência, nos encantando com seus personagens, suas tramas exóticas e seu misterioso prefixo, que simboliza não apenas os trabalhos de uma única pessoa, como também toda essa grande, e um tanto conturbada, família.

    Xenoblade Chronicles: Definitive Edition

    Platform: Nintendo Switch
    86 Players
    163 Check-ins

    23
    • Micro picture
      santz · about 2 months ago · 2 pontos

      Estou jogando Xenogears para ouvir o cast bem preparado, mas ainda estou bem no comecinho. Entrei na vila do deserto. Tô curtindo, mas jogo bem pouco dele, pois Dark Souls 2 não me deixa desfrutar outros jogos.

      2 replies
    • Micro picture
      artoriasblack · about 2 months ago · 2 pontos

      Como o proprio texto já mostra, tirando o nome "Xeno" e um ou outro detalhe, não consigo enxergar os Xenosaga e Xenoblade no mesmo universo ou realidade de Xenogears. Mas ansioso pelo Grindingcast de Fei, Eileen e Weltall

      1 reply
  • fonsaca Fonsaca
    2022-11-06 14:32:25 -0200 Thumb picture

    Trilha da tarde

    *Antes eu tinha colocado um vídeo de uma apresentação orquestrada da trilha do Xenogears, mas a Square vive derrubando esses vídeos. Agora coloco a trilha normal só para não perder a postagem:

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    19
  • 2022-10-08 21:35:38 -0300 Thumb picture

    Kunihiko Tanaka e seus olhos grandes e expressivos

    Tava dando uma pesquisada sobre Xenosaga aqui (o jogo que acabei de zerar) e pesquisei o nome do character designer do primeiro jogo da série, Kunihiko Tanaka... E a minha surpresa foi que, além dele ter feito também o design de Xenogears, ele fez um anime bem interessante que tem muito em comum com essa série de RPGs com mechas, androides de futurismo: Key the Metal Idol.

    A história é sobre uma guria de nome Key, que age como se fosse um robô, e pensa ser um, e tem uma pegada meio pinóquio, já que alguém disse pra ela que, se ela conseguir 30000 amigos ela se tornaria uma pessoa de verdade. O anime é de 1994 (anterior a Xenogears e Xenosaga) e eu já comentei sobre ele aqui no Arco (ele pode ser conferido aqui), porém o mais curioso é essa similaridade da protagonista com a androide KOS-MOS de Xenosaga (e inclusive no post, eu até comento a semelhança de ambas, mesmo não sabendo do character designer ser o mesmo), com ambas inclusive tendo dupla personalidade, e mudando a cor dos olhos quando isso acontece.

    Kunihiko Tanaka também fez a arte de outros jogos, como Sands of Destruction, Xenoblade X, Popful Mail, porém de anime mesmo foi só Key the Metal idol, então pra quem gostar da arte do cara, e de animes curtos e com a pegada mais scifi, não deixem de conferir! Pra terminar, mais algumas artes do cara pra embelezarem o post:

    Xenosaga Episode I: Der Wille zur Macht

    Platform: Playstation 2
    643 Players
    44 Check-ins

    24
    • Micro picture
      mateusfv · 4 months ago · 3 pontos

      E apesar de tudo isso, de alguma forma incrível ele tbm fez aquele redesign horrível do Shulk, e da Fiora pro Xeno 2 kk

      Mas não sou muito fã do design do Xeno X, e o saga eu acho a arte conceitual dele bonita, mas acho os model do jogo em si bem estranhos.

      2 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-09-19 19:23:09 -0300 Thumb picture

    5 lições de vida que aprendi com Xenogears!

    Medium 3934492 featured image

    Enquanto eu voltava do meu treino de braço na academia, todo dolorido, no extenso caminho para minha humilde residência no extremo norte da cidade onde eu moro, eu fiquei pensando em como essa experiência de Xenogears, jogo que terminei hoje (cujos relatos podem ser vistos na página do jogo aqui na rede), foi edificante para a minha existência. As pessoas vivem dizendo que a trama é filosófica, complexa e tudo o mais, mas elas não se atentam às entrelinhas, às idiossincrasias presentes na narrativa, que não estão ali simplesmente de enfeite e sim servem de exemplo para a vida, algo tão construtivo que, uma vez que você perceba, levará esses ensinamentos para sempre dentro do íntimo do seu ser.

    E é claro que irei dividir isso com os senhores, meus caros usuários do Alvanista e de toda a internet, e citarei 5 lições de vida que aprendi com Xenogears! E sim, terão alguns spoilers do jogo em questão abaixo, porém isso é um preço pequeno a pagar, tendo em vista o quão edificante isso será para a sua existência!

    1 - Se cunhado fosse bom, não começava com cu

    Você aí, com sua namorada, ou namorado, esposa, esposo, peguete, seu relacionamento amoroso que seja, e seu parceiro tem um irmão. Desconfie. Nunca dê brechas, pois na primeira oportunidade, ele irá fazer merda e botará a culpa em você, e depois ficará te perseguindo por todo o lugar, a ponto de soltar lasers e vir rir da sua cara quando você estiver congelado em um cubo de gelo igual o Hyoga de Cisne! E se ele ainda tiver problemas capilares, mesmo em tenra idade, e for mais feio que bater em mãe na sexta feira santa por causa de um pedaço de carne, desconfie em dobro! Veja a semântica da palavra, por que acha que ela começa com essa sílaba tão específica? Isso é um presságio, não devemos ignorá-lo!

    2 - Não use drogas

    OK, você pode pensar que essa lição de vida o Proerd e outras instituições já lhe deram, mas nenhuma a desenvolve de uma maneira tão incrível quanto Xenogears, pois nele podemos ver a história de uma viciada: Elehayym Van Houten, ou simplesmente Elly. Essa moça ruiva é usuária de drogas pesadas, tem surtos psicóticos, já matou várias pessoas na sua abstinência e mesmo depois que arrumou um namorado, o jovem Fei Fong Wong, e prometeu para ele que iria largar do vício, continuou tendo sequelas mentais durante toda a sua vida, a ponto dos médicos não saberem ao certo se ela teve uma recaída ou não, como achar que ela e seu parceiro se conhecem de vidas passadas, de se tornar uma espécie de bem feitora de uma instituição religiosa achando que está curando as pessoas (as quais ela jurava estarem deformadas por algum tipo de tecnologia) e até mesmo querer que um genocida maluco que queria destruir o mundo fosse perdoado porque amava a humanidade. Não sejam como a Elly, não usem drogas.

    3 - Coloque uma senha no seu PC

    Você está aí, jogando seu Fortnite, navegando pela internet, fazendo um trabalho da faculdade, quando de repente precisa sair de casa rapidamente e deixa o seu computador pessoal desligado, sem nenhum tipo de proteção, achando que nada irá acontecer. Porém, quando estava saindo, um conhecido seu surge, pede pra usar o banheiro, e quando tu menos espera ele abre seu PC e deleta a system 32 do seu Windows 10 (ou apaga alguma pasta do diretório raiz, se você usar Linux) do nada, e você perde vários documentos importantes, e talvez coisa pior, se o dito cujo estiver com abstinência de entorpecentes (como nossa querida Elehayym do exemplo anterior), afinal ele pode pegar seu hardware e trocar por pedra na esquina! Portanto, se proteja: coloque uma senha no seu computador, e evite esse tipo de problema!

    4 - Robôs e torres não combinam

    A tecnologia avança, temos curas pra doenças nunca antes imaginadas anos atrás, gadgets cada vez mais funcionais, carros elétricos que não poluem o meio ambiente, casas inteligentes controladas pela assistente de voz, projetos de colonização de Marte... Porém ainda temos uma barreira intransponível, que é a situação dos robôs gigantes, que têm problemas em escalar torres. Por algum motivo, mesmo eles sendo poderosos, lançando magias e lasers, tendo propulsores (que impedem que um encouraçado voador caia em uma usina nuclear de uma metrópole) ou até mesmo conseguindo voar em altíssimas velocidades (mudando de cor no processo e quebrando telhados alheios), algo acontece com estas maravilhas da ciência, impossibilitando-as de subirem essas construções tão antigas da história da humanidade! Não importa se você tem o robô gigante mais poderoso do mundo, que derrote deuses no soco, ele não irá conseguir dar um mísero pulo minimamente decente em uma torre decadente, e ainda poderá ter de pular em cebolonas flutuantes ou mesmo se balançar em correntes suspensas feito o Tarzan. Esperemos que no futuro as coisas melhorem, mas por enquanto, fica essa lição.

    5 - Se tudo der errado... Faça slides!

    Você está aí, preocupado porque procrastinou o final de semana inteiro e tem um relatório super complexo pra entregar no escritório, ou mesmo você, que passou o mês inteiro maratonando séries de cunho questionável no Netflix e tem um TCC enorme para entregar na sexta feira... Qual seria a solução? Existiria por acaso, uma forma rápida e prática para resolver seus problemas? Mas é claro que sim: FAÇA SLIDES! Pegue todo o seu trabalho, abra o Power Point (ou qualquer editor de slides de sua preferência), e jogue tudo ali. Não se preocupe com legibilidade, lógica e muito menos bom senso, faça um slide enorme, com vários blocos de texto, nem se preocupe muito com efeitos visuais, se quiser coloque no máximo algum pingente balançando no fundo e a foto de alguém sentado numa cadeira, para que quem estiver lendo se sinta confortável em acompanhar o seu árduo esforço! Acha que isso é vergonhoso e que será demitido/não será aprovado? Que nada! Xenogears fez o mesmo, vendeu muito bem e  é elogiado ao extremo, sem contar que ele teve duas séries que o sucederam, e uma delas continua vendendo até hoje, portanto confie!

    Bem, essas são as lições de vida que tirei dessa obra prima narrativa que é Xenogears! Mas e vocês, têm alguma outra lição de vida retirada desse maravilhoso título? Conhecem a palavra do Padre Gato? Se, um dia tiverem um surto psicótico e matarem todos da vizinhança, colocariam o nome da arma do crime de Juquinha? Não deixem de relatar suas experiências também, e até mais!

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    40
    • Micro picture
      thiones · 5 months ago · 4 pontos

      Bicho, você tem um amor enrustido por esse jogo e esta negando as aparências, disfarçando as evidências.

      6 replies
    • Micro picture
      kalini · 5 months ago · 3 pontos

      eu quero voce pro podcast de xenogears no grindingcast, se tiver, seria ouro puro essa sua zoera.

      1 reply
    • Micro picture
      mateusfv · 5 months ago · 2 pontos

      Obrigado por esse post, finalmente consigo enxergar a toda a complexidade que este enredo trás, com certeza um dos jogos de todos os tempos, quando o Fei na batalha final me disse "It's Gearing Time", confesso que as lagrimas correram.

      Confesso que se um dia matasse a vizinhança com um robô gigante, ficaria tentando a manter ele, e colocar o nome de CBT-69, afinal de contas não é todo dia que se encontra um mecha de bobeira.

      3 replies
  • thiones Sebá Oliveira
    2018-05-29 20:16:14 -0300 Thumb picture

    Enredo de Xenogears - Parte V (Agora começa a história do jogo)

    E finalmente o Vini lançou mais uma parte da saga. Os relatos de agora em diante reportam a história do jogo em si, quando você assume o destino amaldiçoado do rapaz sem memória. 

    Como sempre eu digo, dá uma passada lá no canal do fera e dá uma moral. Dá um trampo entender essa bagaça de história e ainda mais explicar em PT-BR, já que esse é o único canal brazuca que já explicou esse jogo. 

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    25
    • Micro picture
      raulgage · over 4 years ago · 2 pontos

      marcando pra assistir os vídeos depois que eu finalizar o game, pq acredito que tem um pouquiiiiiinho de spoilers hahahaha

      1 reply
  • thiones Sebá Oliveira
    2018-04-16 23:14:39 -0300 Thumb picture

    MEU melhor jogo de 1998

    Medium 541940 3309110367

    Nosso amigo @fredson postou isso no FB e resolvi trazer isso pra cá (mesmo sabendo que provavelmente alguém já o fez, mas como estou morrendo de sono, não vou rolar a timeline pra confirmar, mas eu sei que sim hehe) 

    1998 foi um ano pesadíssimo em grandes lançamentos e confesso que nas oitavas de final já estava sofrendo pra escolher um entre os dois da chave... Nas quartas então... Anyway, a disposição dos jogos nos grupos dificultou a escolha, mas desde o começo já sabia qual levaria o ouro. 

    Vou deixar o link caso alguém queira fazer essa proposta massa dos caras da @jogabilidade

    Segue:  http://jogabilida.de/brackets/1998.html

    65
    • Micro picture
      anduzerandu · almost 5 years ago · 4 pontos

      Meu deus! Me diga que essa boa alma que criou essa vai criar de outros anos também! :O

      2 replies
    • Micro picture
      jcelove · almost 5 years ago · 3 pontos

      Puxa, bem bacana. A dispposição dos jogos deixou alguns em situação bem desfavorável mas ja sabia quem seria meu campeão desde o começo tbm: http://jogabilida.de/brackets/1998.html

      5 replies
    • Micro picture
      avmnetto · almost 5 years ago · 3 pontos

      De 1994 a 1998, a humanidade esteve de parabéns pela criação de bons jogos. Verdadeiras obras de arte. É um período que considero fora do comum.

      1 reply
  • thiones Sebá Oliveira
    2018-03-13 20:55:29 -0300 Thumb picture

    Enredo de Xenogears - Parte 5(Penúltima parte da guerra de Solaris)

    Antes tarde do que nunca, então segue mais um episódio da interminável saga de Xenogears. 

    Se possível, deem uma passada lá no vídeo pra dar uma moral pro cara. Como já disse, ele é o primeiro BR a fazer esse trampo aí, merece um reconhecimento hehe

    @ether_source

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    24
    • Micro picture
      jefffvoigt · almost 5 years ago · 2 pontos

      Muito legal o trabalho, dias atrás assisti o primeiro episódio e gostei bastante, assim que sobrar um tempinho verei os outros.

      1 reply
  • thiones Sebá Oliveira
    2017-12-14 10:27:38 -0200 Thumb picture

    Enredo de Xenogears - Parte 2

    Saiu a parte dois galerinha hehe 

    Como já dito anteriormente, o Vini é o primeiro br que tá fazendo o enredo de Xenogears e se o cara desanimar do projeto, só lendo a versão EN do perfect works mesmo pra entender essa bagaça, então se você gosta aí da série, deixa lá um incentivo no vídeo do cara, não custa nada ^_^

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    15
    • Micro picture
      jomarmello · about 5 years ago · 3 pontos

      Eu tento vê coisas relacionados a jrpg antigos mas a maioria é tudo ingles, fico feliz pelo gamerules está trazendo vídeos assim...

      1 reply
  • thiones Sebá Oliveira
    2017-10-28 08:14:14 -0200 Thumb picture

    Stars of Tears: Material escondido ou deletado por falta de recursos?

    Medium 3557275 featured image

    Me lembro quando adquiri meu Action Replay e um dia quando não tinha nada pra fazer, e entre menu e outro, descobri que através do "game shark", era possível acessar informações escondidas no disco como filmes, cenas em CGI e músicas. Descoberto isso, resolvi testar isso com todos meus jogos e eis que tive uma surpresa ao fazer isso com a mídia de Xenogears... Havia uma música, ou melhor, um vídeo clipe com um compilado de cenas em CGI/anime que estavam presentes no jogo e para minha surpresa maior, algumas eu nunca tinha visto! Fiquei muito surpreso, já que apesar de ter terminado o jogo mais de uma vez, tanto a versão japonesa, quanto a americana, não tinha assistido aquelas cenas ou ouvido aquela música e claro que fiquei muito curioso.

    Infelizmente estávamos em 1999 e sem Internet, as informações eram muito escassas e era pouco provável que as revistas da época procurassem explanar o que poderia ser aquilo.

    Muitos, muitos e muitos anos depois, ao fazer download da OST do jogo, percebi que a primeira música do compilado era Stars of Tears (Opening Theme), e era aquela música escondida que tocava no vídeo clipe!

    Logo comecei a bolar minhas teorias do porque tudo aquilo e agora, já na época da inclusão digital, tinha recursos(ou quase) para me informar melhor.

    Quem conhece Xenogears sabe que no mesmo ano de seu lançamento, um outro jogo da mesma softhouse estava em produção acelerada e este era Final Fantasy VIII. Mas onde quero chegar com isso?

    Todos sabemos que fazer jogos, custa grana, muita no caso de jogos como os citados. Quem jogou Xenogears, sabe o quanto o "trabalho" empregado no disco 2 do jogo é de baixa qualidade. Você termina o primeiro disco e coloca o segundo na maior expectativa de continuar toda aquela exploração e tal e percebe que está basicamente jogando uma graphic novel com eventuais lutas. São horas e horas de dialog boxes e lutas com inimigos chatos e alguns bosses... De fato, são diálogos deveras importantes para o entendimento do enredo, porém são enfiados "goela a baixo" de forma grosseira, como se o jogo te dissesse: "cara, entende a história logo aí que eu preciso acabar logo!". Mas porque a qualidade de produção caiu tanto do disco 1 para o disco 2, você me pergunta? Lembram que Xenogears estava sendo produzido ao mesmo tempo que FFVIIl?

    Não resta outra alternativa além de acreditar que parte dos gastos com a produção de Xenogears foi revertido para o desenvolvimento de FFVIII, sobrando poucos recursos para o jogo de Fei e seus amigos e eles tiveram que cortar gastos e material no meio da produção e bem, provavelmente Stars of Tears e as cenas mostradas no vídeo estariam na versão final do game. Aliás, penso o que mais nos foi tirado da versão final do game?

    Até onde sei e minha pesquisa não confirma isso, a então na época,  Square Soft, não confirmou tal informação , porém juntando A + B, podemos chegar à este resultado.

    De maneira alguma estou dizendo que Xenogears é um game ruim, muito pelo contrário! Apesar deste deslize por parte do desenvolvimento, o jogo conseguiu ganhar seu lugar de destaque no hall dos melhores RPGs do Playstation, para alguns é considerado o melhor RPG já feito devido ao seu enredo complexo.

    Xenogears poderia ter sido melhor do que foi, mas infelizmente isso nunca saberemos, neste caso nos cabe dizer "God Only Knows..." 

    Stars of Tears (Opening Theme):

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    40
    • Micro picture
      mastershadow · over 5 years ago · 5 pontos

      Ja disse isso várias vezes aqui no alva e sempre repito....Eu particularmente,adoro o estilo narrativo do Disco 2,pra min caiu perfeitamente esse modo de contar o enredo complexo e gigante do game, da todo um charme e um descanso do ritmo frenético do disco 1, na verdade quem chega no disco 2, de fato, já ta meio cansado de tanta exploração e batalha aleatória, realmente ta querendo saber o rumo do enredo e entender todos os enigmas do jogo.

      2 replies
    • Micro picture
      fabianoreng · over 5 years ago · 2 pontos

      Recentemente Tstsuya Takahashi, diretor de Xenogears falou sobre o assunto. http://www.centraldosgamers.com/2017/06/diretor-de-xenogears-conta-o-que.html?m=1

      3 replies
    • Micro picture
      artigos · over 5 years ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

      1 reply
  • 2017-07-24 14:52:27 -0300 Thumb picture

    XENOGEARS

    ...SQUARE ENIX LANÇARÁ ACTION FIGURE EM COMEMORAÇÃO AOS 20 ANOS DO JOGO

    Xenogears foi lançado pela Square Enix em 11 de fevereiro de 1998. Para celebrar os 20 anos do jogo no ano que vem, a companhia pretende lançar uma action figure.

    O anúncio foi feito na San Diego Comic-Con 2017. Será uma action figure criada com um novo design de Junya Ishigaki, que também criou os mechas originais.

    Infelizmente, mais detalhes não foram revelados, além dos rascunhos iniciais do próprio Ishigaki. Além disso, o projeto começou recentemente, então não significa necessariamente que o lançamento será na data de aniversário do jogo.

    Nos rascunhos é possível ver os mechas (Gears) de Fei Fong Wong (Weltall) em diferentes formas e o de Elly Van Houten (Vierge).

    =========================

    FONTE: DUALSHOCKERS I PSXBRASIL

    =========================

    Xenogears

    Platform: Playstation
    2042 Players
    318 Check-ins

    31
    • Micro picture
      carlospenajr · over 5 years ago · 2 pontos

      Eu queria que lançassem modelos plasticos deles, pq geralmente são maiores que as figuras normais :S
      Do mais, se realmente lançarem o Weltall-ID, vendo um rim mas compro ele, é o que tem o melhor design do jogo (prefiro mais ele do que o Xenogear mesmo XD)

      2 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · over 5 years ago · 3 pontos

      O jogo é uma desgraça, mas os mechas são legais, vão dar boas action figures

      3 replies

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...