• 2022-05-15 20:10:11 -0300 Thumb picture
    chandekosan checked-in to:
    Post by chandekosan: <p>Começando uma run solo, enquanto eu e amigos mig
    Valheim

    Platform: PC
    23 Players
    43 Check-ins

    Começando uma run solo, enquanto eu e amigos migramos de host (pago), devido ao atual estar fechando as portas semana que vem (este).

    Jogo há mais de três meses em um mundo com outros 4 amigos, no modo roleplay mesmo, sem rush.

    Aí enquanto escolhemos um novo host para importarmos o backup de nosso mundo, vou me aventurando solo com alguns MODS que aperfeiçoam aspectos do jogo.

    6
  • 2022-05-12 19:31:39 -0300 Thumb picture
    chandekosan checked-in to:
    Post by chandekosan: <p>#img#[822331]</p><p>Atualmente batendo o&nbsp;di
    Valheim

    Platform: PC
    23 Players
    43 Check-ins

    Atualmente batendo o dia 947 no jogo, entrei basicamente para três funções:

    1) alimentar minha criação de javalis;

    2) caçar alguns Lox nas planícies;

    3) cozinhar um pouco.

    Ainda restando o Yagluth para matar, sigo no roleplay básico. Provavelmente o farei final de semana com o grupo que jogo junto (5 pessoas no mesmo mundo).

    12
  • renegadoomgames RenegaDoom Games
    2022-04-27 10:00:49 -0300 Thumb picture

    Maid of Sker -#2 - LEG PT-BR

    A trama do game se passa em 1898 no "notoriamente macabro Hotel Sker", possuindo fortes inspirações no folclore galês. O foco principal foi o conto folclórico de Elisabeth Williams, que conta sobre uma mulher cujo pai a trancou em uma sala para “morrer de desgosto” durante o século XIX. #MaidOfSker #terror #PCgame

    Maid of Sker

    Platform: PC
    5 Players
    2 Check-ins

    0
  • anebarone Ane
    2021-11-30 09:23:04 -0200 Thumb picture

    Melhor experiência multiplayer que tive em muitos anos

    Medium 3891227 featured image

    Alerta: Não colocarei imagens de muitos inimigos e dos bosses aqui

    Enquanto preparo este artigo, estou com umas 150+ horas nele. Mais da metade deve ter sido no multiplayer.

    Valheim é um RPG survival de ação com esquiva, e um belíssimo jogo p/ quem curte survival, craft e exploração. 

    Você abre um mundo com seeds, tipo minecraft mesmo, e pode tanto deixar fechado quanto abrir para até 10 jogadores, com ou sem senha. O multiplayer com amigos é uma experiência inigualável, e joguei com umas 5-6 pessoas.

    O desenvolvimento não está finalizado ainda, mas por ora temos 5 grandes bosses que são apresentados ao jogador no início do mapa, e aí cabe a você caçá-los (ou ignorar tudo e ficar só brincando de casinha). Matamos todos os bosses, por enquanto.

    • O preço do early access é ótimo;
    • Ouço as músicas em looping mesmo com 100h+ de jogo. São muito bonitas;
    • O combate em todas as áreas exige certo domínio de escudo e rolamento, independente do quão bem equipado ou forte esteja seu personagem;

    • Há biomas com tipos diferentes de estética, inimigos e loot;
    • Multiplayer sincroniza bem com o que todo mundo está fazendo, não notamos lag;
    • TUDO tem uma estratégia, um jeitinho de fazer, um esqueminha pra facilitar. Desde farm de itens até estratégia para bosses. Gosto disso;
    • Roda bem na resolução mínima no meu PC de 2010 que é um giga potato


    ♦ Cons ♦


    • O corvo é chato. Você vai saber quem é o corvo assim que começar seu mapa. :(


    O mapa do jogo é grande e você pode fazer portais para servirem de waypoynts. Isso é bom. Mas alguns itens como minérios não passam pelos portais, então você precisa fazer o transporte dessas coisas ou andando, ou de barco, (ou trapacear).

    Por um lado, passar minérios pelo portal tornaria o grind deles muito rápido e "quebrar" o jogo, por outro, contornar isso pode demorar demais, em um jogo que já é longo se você não souber o que está fazendo. 


    Eu gerei meu mundo com uma seed só de ilhas pequenas e com os minérios que eu preciso bem longe da área inicial, então meu jogo se moldou em volta de fazer novas bases e tomar mais tempo planejando essas coisas.

    Um jeito de lidar com isso seria um segundo tipo de portal, mais complexo e dificil de fazer, que permite transporte de minerios?

    Isso não é exatamente um defeito do early access, mas acho um ponto importante para ter em mente.

    Quem quiser só crafting e não se preocupar com essas paradas pode simplesmente ativar o modo cheat, que é tipo o modo criativo.

    Jogão.

    ~♦~♦~♦~

    As fotos em potato mode são minhas, e alguma das screens daqui são do @kiliano. O @stockermann2 tb foi um dos valentes vikings companheiros de aventura uehuehe ♥

    Valheim

    Platform: PC
    23 Players
    43 Check-ins

    22
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 9 months ago · 4 pontos

      Adorei essa galera na banheira...vou jogar também!

      2 replies
    • Micro picture
      sweet_lorelei · 9 months ago · 3 pontos

      esse jogo é bom demais ^^ to com 130 horas nele e ja enfrentei todos os chefes 2 vezes uma pro altar e uma vez pra decorar o salão com o troveu, mas ainda não consegui fazer a banheira :( , já testou pescar nesse jogo? é viciante .
      confesso que usei mods pra transportar minerios rsrs, não curto literalmente quebrar o jogo então tento pegar mods mais de boa, mas se tivesse um portal em um tier mais alto eu desinstalava o mod

      1 reply
    • Micro picture
      xch_choram · 9 months ago · 2 pontos

      Joguei só uma 40 horas com uma amigo, também gostei bastante, mas nossa é bem punitivo e demorado algumas coisas né, eu acho legal, tem que pensar em formas eficientes de levar recursos sem usar o portal mas travou bastante a gente quando fomos explorar e perdemos uns 3 barcos contras os mosquitos superpoderosos kkkk

      1 reply
  • marcel_reis_777 Marcel Reis
    2021-05-19 19:56:16 -0300 Thumb picture
  • onai_onai Cristiano Santos
    2020-11-07 15:19:32 -0200 Thumb picture
    15
    • Micro picture
      thiones · almost 2 years ago · 1 ponto

      Esse jogo aí muito bom. Recomendo.

      1 reply
    • Micro picture
      fredson · almost 2 years ago · 1 ponto

      Mas essa frase é do Fallout, hehehe.

      1 reply
  • 2020-04-07 18:09:05 -0300 Thumb picture
  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2020-01-17 11:01:16 -0200 Thumb picture

    10 Indies para ficar de olho em 2020 : City Builder, Survival e Sims

    Parte 1 Adventures

    Parte 2 RTS e Derivados

    Parte 3 Metroidvanias

    Parte 4 RPGS 1 e RPGS 2

    Parte 5 Shooters

    ++

    Na parte 6, simuladores , games de sobrevivência e games de gerenciamento/construção (de cidades, bases, etc)

    ===================================================

    Evil Genius 2: World Domination

    Developer: Rebellion

    Plataforma: Windows PC

    Como no jogo anterior, Evil Genius 2 tem tudo a ver com construir seu próprio esconderijo secreto como um supervilão cartunesco no melhor estilo James Bond. Recrute e treine lacaios para defender seu covil e envia-los em missões, e projete armas do dia do juízo final para trazer os governos do mundo de joelhos. 

    Evil Genius 2: World Domination ainda não tem uma data de lançamento.

    =====================================================

    DYSMANTLE

    Developer: 10tons Ltd

    Plataformas: Windows PC, Linux, Mac

    O apocalipse chegou e a civilização está completamente destruída. Felizmente, felizmente você era um paranóico e tinha um abrigo pronto para essa ocasião. DYSMANTLE é o próximo jogo da 10ton Ltd, e é um RPG de sobrevivência onde o jogador explora os restos do mundo da superfície. Os ambientes também são quase 100% destrutíveis, desde que você tenha as ferramentas certas.

    DYSMANTLE ainda não tem uma data de lançamento.

    ===================================================

    Distant Kingdoms

    Publisher: Kasedo Games

    Developer: Orthrus Studios

    Plataforma: Windows PC

    Distant Kingdoms é um jogo de construção de vilarejos com alguns elementos de RPG. Construa cidades prósperas, onde humanos, anões, elfos e orcs vivem juntos em relativa harmonia, enquanto tentam satisfazer suas necessidades e desejos únicos. Envie grupos de aventureiros para o deserto para lidar com monstros e outros perigos para sua cidade.

    No momento, Distant Kingdoms não tem uma data de lançamento.

    ====================================================

    Aircraft Carrier Survival

    Developer: CreativeForge Games

    Plataforma: Windows PC

    Talvez você prefira navios da Segunda Guerra Mundial em vez de calmos vilarejos da idade média. Nesse caso, confira Aircraft Carrier Survival, um simulador de estratégia que coloca você no comando de um porta-aviões no palco do pacífico da Segunda Guerra Mundial. Complete missões e gerencie seu navio e sua tripulação durante desastres, como ataques de torpedos, violações de cascos e ataques aéreos.

    A Aircraft Carrier Survival tem como alvo a janela Q2 de 2020.

    =================================================

    Builders of Egypt

    Publisher: PlayWay S.A., CreativeForge Games

    Developer: Strategy Labs

    Plataforma: Windows PC

    Anteriormente conhecido como Hard Ancient Life, Builders of Egypt é um construtor de cidades situado no vale do Nilo. O jogo cobrirá os períodos entre o início da era protodinástica e a morte de Cleópatra. Builders of Egypt é fortemente focado na estratégia econômica e no planejamento urbano, mas os jogadores também poderão mergulhar na política, nas práticas religiosas e até na guerra da época.

    Builders of Egypt ainda não têm uma data de lançamento.

    =====================================================

    Dieselpunk Wars

    Publisher: Image Power S.A., PlayWay S.A.

    Developer: Roasted Games

    Plataformaa: Windows PC

    Dieselpunk Wars é um simulador de combate veicular sandbox, onde os jogadores têm a liberdade de criar quaisquer máquinas de guerra, o mais exageradas que possam imaginar. Aeronaves, tanques gigantes, hovercraft e submarinos são apenas alguns dos tipos de veículos que você pode construir no robusto mecanismo de construção do jogo.

    No momento, o Dieselpunk Wars não tem uma data de lançamento.

    =================================================

    Contraband Police

    Publisher: PlayWay S.A.

    Developer: Crazy Rocks

    Plataforma: Windows PC

    Já pensou em bancar o fiscal de fronteira ? Contraband Police permite que você jogue como um guarda de fronteira sem escrúpulos em um país corrupto do terceiro mundo. Inspecione os carros que cruzam a fronteira em busca de contrabando e opte por fazer uma prisão ou procure o outro lado por um pouco de dinheiro.

    Contraband Police ainda não tem uma data de lançamento.

    ===================================================

    Last Oasis

    Developer: Donkey Crew

    Plataforma: Windows PC

    Last Oasis, um MMO de sobrevivência pós-apocalíptico, onde os jogadores podem se unir para construir bases/máquinas de caminhada gigantescas e complexas. Os jogadores podem formar tribos e cooperar enquanto avançam para o leste, tentando ficar à frente do sol escaldante que está queimando seu caminho através de uma Terra desolada.

    Last Oasis tem como alvo uma data de lançamento do primeiro trimestre.

    ===================================================

    Spacebase Startopia

    Publisher: Kalypso Media Digital

    Developer: Realmforge Studios

    Plataformas: Windows PC, Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One

    Spaceebase Startopia espera trazer um construtor de estação espacial colorido e bem-humorado para uma nova geração de jogadores, o jogo ainda trará um Skirmish estilo RTS contra invasores alienígenas hostis.

    Startopia da Spacebase está visando a data de lançamento do terceiro trimestre de 2020.

    ==================================================

    Starmancer

    Publisher: Chucklefish

    Developer: Ominux Games

    Plataformas: Windows PC, Linux, Mac

    Outro sim de gerenciamento de base estelar que será lançado em breve é o Starmancer. Você desempenha o papel de um Starmancer titular, uma IA avançada projetada para supervisionar e auxiliar colônias espaciais humanas. Como alternativa, você pode abraçar seu lado sádico e realizar experimentos eticamente questionáveis em seus colonos para ver até que ponto eles podem ser levados antes que eles se corrompam.

    Starmancer ainda não tem uma data de lançamento.

    =================================================

    29
  • ridan Ridan Gitahy Ramalho
    2019-09-14 17:21:38 -0300 Thumb picture

    Bleak Faith: Forsaken

    Não me lembro de já ter postado sobre esse jogo por aqui então lá vai...



    Esse vídeo, com essa música... delicia. 

    9
  • bobz Bruno Janini
    2019-05-19 18:19:11 -0300 Thumb picture

    QUAL FOI A DO DAYZ?

    Medium 3722452 featured image

     Você acorda na costa de um estranho país soviético infestado de zumbis com nada mais que uma mochila vazia, uma pistola e um sinalizador. Você não tem comida, água ou sequer um mapa para se orientar. E a busca por recursos revela que o pior inimigo daquele lugar não são os mortos. É dessa forma que começa sua jornada em DayZ e seu único objetivo é sobreviver.

    Criado pelo neozelandês Dean “Rocket” Hall, DayZ foi lançado em 2012 como um mod do simulador militar ArmA II (2009) da modesta empresa tcheca Bohemia Interactive. O sucesso do mod foi imediato ultrapassando a marca de 1 milhão de jogadores em poucos meses e alavancando as vendas de ArmA II exponencialmente, com o jogo a ficar na primeira posição dos mais vendidos da Steam durante vários meses. Com isso, “Rocket” foi convidado pela própria Bohemia Interactive para desenvolver uma versão independente do jogo. Que viria a ser lançado tempos depois como DayZ Standalone.

                                                                    Dean Hall 

    O ano de 2012 foi marcado pelo lançamento de grandes jogos. A Ubisoft investia pesado em Far Cry 3 e Assassins Creed III, enquanto a EA Games dividia opiniões com o RPG Mass Effect 3 e o remake do classico Need for Speed:Most Wanted, finalmente a Rockstar lançava Max Payne 3 depois anos de desenvolvimento parado, a Gearbox lançava a continuação de Borderlands, Dishonored era a nova grande produção da Bethesda, a TellTale surpreendia com o drama interativo The Walking Dead e os queridinhos Diablo e CS ganhavam suas novas versões por Blizzard e Valve, respectivamente. E no meio de tantas grandes produções surgiu um mod que marcaria a indústria dos jogos como a vemos hoje, o fato é que DayZ fez tanto sucesso que colocou o já “velho” e não tão conhecido ArmA II durante meses entre os mais vendidos da Steam e se tornou um dos jogos mais vistos do Youtube numa época que quem comandava a plataforma ainda era o Minecraft.

    Dean Hall, o seu criador, sempre foi um aficionado por games e teve sua inspiração para desenvolver o DayZ a partir de suas experiências no duro treinamento militar em sobrevivência na selva durante o tempo  que serviu no exército da Nova Zelândia. Segundo ele, a ideia era criar um jogo de sobrevivência em que o jogador fosse obrigado a tomar decisões difíceis baseado em diferentes contextos emocionais. Você tem que ficar sempre atento a fome, sede, temperatura corporal e doenças, a ideia não é ser um jogo de zumbis, eles são apenas um elemento a mais que pode influenciar nas tomadas de decisões do jogador e dificultar a coleta de recursos que vão te auxiliar a sobreviver. A sobrevivência é o único objetivo do jogo, não existe respawn e se você morrer vai perder todos os itens que coletou no mapa. A partir do momento que nasce, você é livre para fazer o seu próprio caminho, a não linearidade do jogo é um dos maiores pontos positivos para a imersão de DayZ. Não existem quests ou NPCs, toda a interação do jogo é feita diretamente com outros jogadores reais. E essas interações que podem ser amistosas ou não que exercem maior influência nas tomadas de decisões dentro do jogo, e deixam o jogador sempre com os nervos a flor da pele. Você pode encontrar outro jogador pelo mapa e formar um time, ou você pode simplesmente matá-lo para roubar o “loot”. Você é livre para tomar as decisões e sofrer as consequências delas. Para tudo isso funcionar o jogo conta com um ótimo recurso de servidores persistent, isso é, você pode se desconectar de um servidor e quando voltar todo o seu progresso continuara intacto e você voltara a jogar do lugar exato de onde parou.

    Enquanto os pontos positivos são a interação entre os players e o sistema de sobrevivência que impede o jogo de ficar enjoativo te obrigando a sempre estar constantemente em alerta e em busca de recursos. Os pontos negativos ficam quase que totalmente ao seu jogo base ArmA II. É fato que o simulador da Bohemia Interactive apresenta uma jogabilidade bem mais complexa voltado para um publico de nicho mas é inegável que o jogo tinha graves problemas principalmente em combates close quarters e com falta de otimização do jogo. Por vezes, é possível sentir seu personagem “agarrado” seja pela jogabilidade “travada” ou por stuttering de processamento de vídeo.

                              Os "desonrados" ganhavam a skin dos "bandits". 

    Com o aumento das vendas do ArmA II e a extrema popularidade de DayZ, uma versão oficial do jogo logo foi confirmada pela própria Bohemia Interactive com Dean Hall liderando a equipe de desenvolvimento do jogo, que ia desde da reformulação do mapa Chernarus do ArmA II até uma nova engine para melhor se adaptar ao estilo survival. DayZ tinha se tornado uma tendência e com muita gente disposta a surfar na mesma onda. O mais notório deles foi o jogo WarZ, que poucas semanas depois do seu lançamento e com uma enxurrada de críticas e alguns processos por propaganda enganosa foi removido da Steam e só voltaria tempos depois sob o nome de Infestation Stories. Em 2012, a Valve tinha acabado de lançar a plataforma Greenlight, um espaço dentro da loja Steam para que os produtores independentes pudessem divulgar seus jogos e o publico escolheria aqueles que gostariam que fossem adicionados a loja. O grande problema do Greenlight é que ele era totalmente vulnerável aos asset flip, jogos “falsos” que abusavam da compra ou roubo de modelos, objetos gráficos ou efeitos sonoros de terceiros para criar um jogo genérico de qualidade “questionável” apenas com intuito de obter lucro vendendo jogos a preços muito baixos e abusando do sistema de troca de cartas, que foi implementado pela Steam em 2013. Também em 2013, a Valve seguindo a tendência de Minecraft começou a comercializar jogos em fase de desenvolvimento, os chamados Early Access. Um sistema que consiste basicamente na confiança dos jogadores em depositar seu dinheiro em um jogo que não está pronto, e em troca a produtora libera seu acesso em fase alpha ou beta com os jogadores participando do processo de desenvolvimento do jogo por meio dos feedbacks. O problema disso é que não existia nenhuma garantia de realmente a produtora terminar o jogo, e o que infelizmente na maioria das vezes não era isso que acontecia. Se só com o Greenlight já tava ruim, com o sistema de Early Access a Steam teve um “boom” tão grande que os nomes SURVIVAL – ZOMBIE – EARLY ACCESS já tinha virado meme e muita gente nem se dava mais ao trabalho de abrir a página principal da loja da Steam. Jogos como H1Z1, Rust, Unturned, 7 Days to Die e Ark surgiram exatamente nessa época, navegaram na onda do DayZ e conseguiram ter também um pedacinho do seu lugar ao Sol.

    O grande problema é que enquanto o DayZ “mod” servia como um parâmetro de qualidade para os novos jogos do gênero, o DayZ “jogo” teve o lançamento do seu early access um tanto quanto desapontante, com bem menos recurso que seu idealizador. O jogo teve ótimas vendas no seu lançamento com mais de 1 milhão de cópias vendidas no primeiro mês e a própria Bohemia Interactive Studio tinha lançado meses antes justamente ArmA 3 que conseguiu angariar uma parcela dos fãs de DayZ para si. Tendo tido relativo sucesso em seus dois lançamentos parecia só uma questão de tempo para que a BIS lançasse atualizações para ai sim ser o jogo que tanta gente aguardava. Contudo, não foi isso que aconteceu e as coisas pioraram ainda mais quando Dean Hall deixou o time de desenvolvimento do jogo para abrir sua própria produtora na Nova Zelândia. DayZ tinha tanto problemas com o ritmo de desenvolvimento que era normal existir meses entre um update e outro. O que mais incomodava os fãs eram a falta de transparência no processo de desenvolvimento do jogo e decisões estranhas da equipe, como por exemplo, priorizar atualização que permitia você criar uma plantação de tomate ou pescar ao contrário de priorizar transportar os recursos já consolidados do mod para o jogo. A comunidade do jogo pedia aos desenvolvedores para liberar as ferramentas de criação de mods para ajudar no processo criativo e de novos conteúdos, como é muito comum em ArmA. Os devs não só negaram a ferramenta como passaram a banir no fórum do jogo pessoas que faziam críticas ao estado visivelmente abandonado do jogo.

                                                                  Por que Deus?

    Apesar de equipes distintas cuidarem dos jogos da produtora, causava uma grande estranheza a Bohemia ser tão apática com DayZ Standalone. Enquanto isso, Brendan “PlayerUnknown” Greene tinha elevado ArmA de novo para outro nível com o lançamento do modo Battle Royale como um submod de ArmA II:DayZ e um modo de jogo em ArmA3. Uma curiosidade é que Brendan desenvolveu Battle Royale enquanto morava no Brasil, o modo de jogo fez tanto sucesso que ele foi convidado para também ajudar implementar o modo de jogo no H1Z1, um dos considerados “clones” de DayZ. O modo de jogo ficou tão popular, que o H1Z1 virou um dos jogos mais assistidos da Twitch e seu modo survival foi praticamente descontinuado. Brendan Greene virou umas  das principais personalidades da história dos videogames quando a Bluehole o convidou para comandar o desenvolvimento de Battlegrounds e ainda registrar seu nickname no nome do jogo. PlayerUnknown's Battlegrounds virou um sucesso tão absoluto que conseguiu alcançar a marca de 3 milhões de jogadores online simultâneos e vendeu mais de 30 milhões de cópias no mundo. PUBG só conseguiu ser superado por Fortnite, um jogo free-to-play que também nasceu como survival zombie e encontrou no modo battle royale sua mina de ouro. Depois do sucesso de Brendan Greene a grandes produtoras investiram trouxeram o modo de jogo para os Triple A com os modos Blackout no Call of Duty e Danger Zone no Battlefield, além claro do recente Apex Legends.

    E entre Apex e o lançamento de DayZ existe pouco mais de 5 anos de diferença entre eles. Esse foi exatamente o tempo em que DayZ permaneceu em Early Acess. Foi só em dezembro de 2018 que DayZ Standalone finalmente ganhou sua versão 1.0, e apesar das grandes mudanças benéficas que a engine sofreu durante esse tempo a impressão em termos de conteúdo é que a versão independente ainda fica devendo e muito para o mod. Contudo, os desenvolvedores finalmente liberaram as ferramentas de mod do jogo, e agora os fãs podem desfrutar da variedade de conteúdos feitos pela própria comunidade e quem sabe ainda ter a esperança de que a era de ouro de DayZ um dia volte. Segundo os números, DayZ tem conseguido atrair de volta uma parcela dos seus jogadores, por exemplo, em outubro do ano passado teve um pico de apenas 3 mil jogadores online considerado praticamente um jogo morto, depois do lançamento da versão 1.0 conseguiu atingir o pico de 30 mil jogadores. Um número que significa que os fãs do jogo ainda não desistiram de lhe dar uma segunda chance, se é tarde demais para correr atrás do prejuízo não dá para saber. O que dá pra dizer é que DayZ foi um marco no mundo dos games, é fato que não foi DayZ que criou o gênero já que S.T.A.L.K.E.R támbém já te entregava desde 2007 um jogo survival não linear, porém DayZ soube recriar tudo isso em um ambiente MMO da forma mais imersiva e divertida possivel, e as obras que vieram depois dele são exemplos claros de sua influência e importância dentro da história da industria, principalmente para os jogos de PC.

    DayZ

    Platform: PC
    386 Players
    16 Check-ins

    27
    • Micro picture
      bebessauro · about 3 years ago · 3 pontos

      Joguei muito Dayz SA, quando lançou até uns 2 anos depois, o jogo era muito largado as traças, porém eu particularmente amo essa temática de sobreviver sem ter rumo. Tinha um clan fazíamos bases e os tiroteios no centro da cidade organizados eram muitos estratégicos e ótimos. O bom dele era isso não adiantava ir rushar, a questão de ser um simulador de guerra dava um outro rumo para o jogo. Não era aquela coisa de ir atirando construindo um prédio e ir pulando igual uma gazela. Muita coisa demorou a ser arrumada até o jogo "morrer".

      1 reply
    • Micro picture
      melkorbelegurth · about 3 years ago · 3 pontos

      Quem escreveu esse artigo?! o @onrutos ou você?!
      https://medium.com/@onrutos
      Visto que comparando seu rosto com o dele não se parecem nem um pouco...

      @le

      https://www.facebook.com/mitodocerrado

      10 replies
    • Micro picture
      artigos · about 3 years ago · 1 ponto

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...