• carlospenajr Carlos Pena
    2021-03-04 08:48:10 -0300 Thumb picture

    Review / Tutorial do jogo

    Medium 764303 3309110367

    Review feito com o código do PS4 / PS5, mas como não vou jogar ele tão cedo, não vou criar o perfil dele aqui no alvanista, então vai no do NSW mesmo :P
    Link do review: https://wp.me/pa1cHt-3Fb

    More Dark

    Platform: Nintendo Switch
    Players

    3
  • anikabonny Anika Bonny
    2021-01-11 02:45:18 -0200 Thumb picture

    Astrovity (PC)

    Viaje com Astra pelo espaço para ajudá-lo a encontrar seus pais.

    Astrovity é um jogo de puzzle e plataforma, que utiliza a gravidade como sua principal mecânica e possui mais de 200 fases.

    Análise completa: https://nerdtrash.com.br/astrovity-pc/

    10
  • onai_onai Cristiano Santos
    2020-12-13 02:14:40 -0200 Thumb picture

    Lose My Way

    Terminei dia desses jogando com minha filha e acho essa a música mais bonita do jogo. Interessante que quando joguei pela primeira vez, por volta de 1996, demorava bastante nos puzzles, jogando agora não levava mais do que dez minutos. Definitivamente um dos jogos mais divertidos do Super Nintendo!

    Goof Troop

    Platform: SNES
    9232 Players
    83 Check-ins

    30
    • Micro picture
      fagnerale · 5 months ago · 1 ponto

      Essa música é boa mesmo, mas tem uma outra que enjoa e leva um tempo pra sair da cabeça depois de jogar

    • Micro picture
      tiagotrigger · 5 months ago · 1 ponto

      O que dava trabalho era aquele puzzle final, perdia horas naquilo. xD

      2 replies
  • onai_onai Cristiano Santos
    2020-10-30 22:39:14 -0200 Thumb picture
    18
    • Micro picture
      santosmurilo · 6 months ago · 2 pontos

      pensei q fosse Outlast

    • Micro picture
      santz · 6 months ago · 2 pontos

      SUS

    • Micro picture
      fredson · 6 months ago · 2 pontos

      Tenta jogar o Outlast algum dia, hehehe.

  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-08-31 11:50:46 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Baba is You

    Zerado dia 31/08/20

    Há um bom tempo atrás, vi que esse jogo, Baba is You, foi lançado na eshop do Nintendo Switch. Que diabos de nome era aquele? Baba is You? "Semana de lançamentos fracos pro console", pensei.

    Lembro que vi esse nome mais umas vezes em diferentes notícias e pensei que eles não tinham nada melhor pra noticiar. Isso até que um Youtuber que sigo, o Vinesauce, começar uma série jogando ele. Fiquei curioso.

    Meus amigos, quando eu assisti ao primeiro vídeo dele jogando e com a audiência o ajudando a completar os puzzles, eu fiquei apaixonado! Que jogo incrivelmente criativo e inteligente! Adicionei Baba is You (BiY) automaticamente à minha lista de desejos e aguardei eternamente por uma boa promoção, que um dia finalmente veio.

    Numa visita de um amigo, ele ficou bem feliz em saber que eu tinha o jogo e começou a jogar, e assim fizemos por vários encontros, casualmente até que veio a pandemia e eu cansei de esperar e o terminei logo sozinho mesmo.

    Nesse jogo de quebra-cabeças seu objetivo é mover a Baba (geralmente é ela) e empurrar as palavras no mapa para que se façam sentenças (geralmente de 3 palavras). Essas sentenças serão regras do jogo.

    Veja na imagem acima. Não há condições de vencer na fase, então eu tenho que fazer algo ser "Is Win". Eu posso andar reto e empurrar a pedra já que há a condição "Rock is Push" e logo em seguida empurrar as palavras Crab e Flag pra direita (palavras sempre podem ser movidas), porém, se assim eu fizer, embora eu tenha criado a condição de vitória "Flag is Win" e só basta eu tocar na bandeira para vencer, eu também criei "Crab is Defeat" e a Baba morre apenas de encostar nos caranguejos.

    Já aqui do meu lado há as condições "Wall is Stop", que faz com que as paredes hajam como paredes e impeçam minha movimentação, mas são há o que fazer sobre isso já que as palavras estão encostadas nos limites do mapa, impedindo que eu as empurre para fora da frase. Há ainda a clássica "Baba is You" e se eu tirar qualquer palavra dessa frase, eu não controlo nada e perco automaticamente (eu tenho sempre que ser alguma coisa). É possível mover a palavra Rock até lá, formar "Rock is You" e tomar controle da pedra!

    Agora, se tem um jogo que não para se surpreender é esse. Uau! Nas primeiras fases, que servem como um fácil tutorial, logo você vai perceber como as possibilidades em BiY vão muito além do esperado. Quer dizer, há fases mais simples e que envolvem apenas um bom posicionamento das palavras e pensar à frente, mas também há cenários que vão te fazer pensar (muito) fora da caixa.

    Eu nunca vou esquecer de um cenário que passei ao criar a frase "Wall is You" e movendo todas as paredes da tela ao mesmo tempo até encostar na bandeira! E muitas outras situações do tipo que continuaram a me surpreender por tantas vezes em mais de 30 horas de jogo!

    Até ontem eu ainda me pegava rindo ao passar de algumas fases pois a solução era tão inusitada e lógica, até com leves pitadas de humor que mal dava para acreditar! Uma mistura de felicidade em ver uma ideia tão bem explorada com o fato de algo que você testou dar certo!

    Nas jogatinas com meu(s) amigo(s), a gente sempre acaba jogando uma horinha ou outra e fazendo várias fases. Isso até o jogo ir subindo em dificuldade. Logo, ao invés de fazer diversos estágios em meia hora, a gente completava apenas um!

    A dificuldade as vezes era tão cruel que logo a gente cansava  e ia pro próximo jogo. Em alguns encontros eles me convidavam pra jogar BiY mas eu simplesmente não conseguia me animar. Eu não queria passar tanto tempo olhando para uma tela e chegar a lugar nenhum. Tudo isso por conta de puzzles mais complicados, fases maiores e muito mais variações de palavras e regras. As possibilidades estavam cada vez mais bizarras!

    Por outro lado eu me lembro que um dia abri o jogo e fiquei mais de uma hora numa fase, pensando muito a frente e explorando todas as possibilidade e olha só, mesmo depois de fazer tanta coisa, eu não cheguei a lugar nenhum. Daí veio meu amigo e passou rapidinho! Eu não havia explorado o óbvio!

    O mais engraçado e frustrante do jogo é justamente isso. Você se mata numa fase pra ver que a solução era bem mais óbvia e simples do que imaginava. Eu comecei a ter certeza disso quando travava em um estágio por muito tempo e ao menos via uma dica no Youtube.

    Eu estava dificultando o jogo mais do que ele já é difícil. Inclusive ele é famoso por ser o "Dark Souls dos jogos de puzzle". E vou dizer, amo o gênero de quebra-cabeças mas BiY pode realmente ser cruel.

    Depois de meses de jogo (e grandes pausas na esperança de jogar com os amigos), eu estava no mundo 4. Meus deus, que mundo tenso! Até me desmotivou com o jogo, mas finalmente passei e olha só, do mundo 5 em diante o jogo voltou a ser uma belezura, com puzzles bacanas e com mais sentido e justamente o que eu esperava da experiência. Quem diabos pôs o mundo 4 ali?

    Mas nem tudo é como eu esperava.

    Depois de pouco tempo de jogo, se abriu uma fase no mapa com diversas soluções. Quer dizer, o jogo permite que muitas fases sejam terminadas de formas diferentes (embora muitas vezes você nem perceba isso), mas há alguns estágios que vão além disso, como essa fase aí.

    Nela, bastava chegar na bandeira e você a concluía, mas também era possível criar algo como "Flag is End", o que meio que terminava o jogo!

    O mais estranho é que ainda haviam diversos mundos (mais um monte opcional que eu nem imaginava), mas vi que a comunidade speedrun jogava até ali.

    Mais tarde as coisas ficam ainda mais tensas e as possibilidades vão muito além. Um dos mundos mesmo, secreto, só pode ser aberto se você fizer "Level is Baba" em uma das fases, que te tira dela e transforma a fase na Baba no mapa. Na outra fase faça "Level is Flag" e no mapa mova a Baba até a bandeira para chegar à nova área.

    A partir daí eu tive que olhar várias soluções na internet até porque os próprios mundos agora eram estágios e as possibilidades são muitas. Tem coisas que eu nunca sonharia em fazer de tão incrivelmente complexas as coisas podem ser nesse jogo. A minha dica é ficar atento a toda e qualquer fase que tiver a palavra "Level", pois tem uma grande chance dessa fase ser útil no mapa a se tornar outro elemento.

    Fiquei um pouco decepcionado ao ir seguindo a ordem dos mundos, fazendo tudo, liberando novos e finalmente abrir o décimo deles e ao finalizá-lo, nada acontecer. Nada!

    Foi aí que tive que ir atrás de mundos secretos, mundos dentro de mundos e fazer mais um zilhão de estágios. Alguns eu fiz e nem entendi a lógica por trás. Cheguei a mandar um vídeo para um amigo pra ver se ele conseguia me explicar como eu tinha passado de um cenário.

    A lógica das fases havia se tornado uma coisa quase zoada com tantas regras. Eu basicamente tinha que achar uma "falha" nelas e tentar usar o que eu tinha com tanta limitação para criar algo que eu não imaginava que poderia ser útil, como quando você começa a desatar um nó super complexo. Eu estava cada vez menos interessado em me dedicar ao jogo e cada vez mais usando ajuda da internet enquanto odiava o fato de que o jogo poderia ter acabado ao invés de me fazer tantas fases que poderiam ser extras/opcionais. Um grande vacilo da parte dos desenvolvedores.

    Resumindo: Baba is You é um jogo sensacional. Não há nada igual! Se você gosta de jogos de puzzle ou mesmo deseja conhecer algo totalmente criativo e carismático, eu não vou cansar de recomendar essa experiência. Mesmo tendo tanta dificuldade em fase mais avançadas e sabendo que existe uma chance de você largar antes de chegar onde eu cheguei, jogue isso! Se passar dos 10 mundos comuns, tá ótimo! Embora tenham havido más decisões de design do jogo, isso aqui é um baita título!

    De bom: visual clean muito simpático. Jogabilidade simples (dá até pra jogar só com uma mão. Mecânica original muito bem pensada. A maioria das fases é bem recompensadora de passar.

    De ruim: algumas fases são difíceis ou longas demais e poderiam ser tratadas como opcionais/extras. O jogo poderia sinalizar o fim ao passar dos 10 mundos principais ao invés de dar uma fase que o acaba tão cedo ou ter obrigar a ir até os mundos mais profundos e escondidos pra terminar.

    No geral, eu acho que já deixei claro o meu ponto. Se não fossem os perrengues no final e dificuldade meio zoada, Baba is You não só seria um dos melhores jogos que joguei esse ano, mas um dos melhores da minha vida. Ainda assim, recomendo demais!

    Baba is You

    Platform: Nintendo Switch
    7 Players
    2 Check-ins

    20
    • Micro picture
      xch_choram · 8 months ago · 2 pontos

      Baba is You dos que eu joguei é o que melhor representa a frustação e a alegria da programação, ta tudo ali é só passa algumas horas tentando, pesquisando, pensando...
      Parei no 3° mundo um dia eu termino kkk

  • 2020-08-21 16:38:48 -0300 Blank user

    Chinese Plays - E02S01 - The Room

    Esse foi o segundo video postado no canal, onde estava fazendo uns teste de cortes, inserindo outros elementos, sons e logo acabei curtindo mexer nos software de edição.

    Quem curtiu, espalhe a palavra e vamos para a postagem da semana passada! :DD

    The Room

    Platform: PC
    99 Players
    11 Check-ins

    0
  • onai_onai Cristiano Santos
    2020-08-19 19:06:28 -0300 Thumb picture
    21
    • Micro picture
      jcelove · 9 months ago · 2 pontos

      CARACA, saiu a versão de PC que ninguém lembra. O port do megavirou um dos meus jogos favoritos evar.

      7 replies
  • onai_onai Cristiano Santos
    2020-08-12 11:25:09 -0300 Thumb picture

    Imagens aleatórias de jogos aleatórios

    Essa é pra você que sempre sonhou com a engenharia civil mas nunca teve coragem de estudar. Sim! Bridge Constructor é um simulador de construção de pontes, por mais estranho que isso possa parecer!

    Bridge Constructor

    Platform: PC
    45 Players
    3 Check-ins

    11
  • kahmundongo Karla Pinheiro
    2020-06-18 13:56:41 -0300 Thumb picture

    Um Dia/Um Game - Jogos Curtos, Porém Memoráveis

    Medium 3806966 featured image

    E se te restasse somente um dia para jogar qualquer coisa? Seja porque você vai ficar um tempo longe dos consoles devido alguma viagem, estudos ou por.. sei lá… o fim do mundo talvez? Er.. Nunca se sabe. De qualquer forma, você só pode escolher um game, mas entre tantos bons títulos disponíveis, seria muito provável que você começasse algum jogo mas não conseguisse terminá-lo, não usufruindo da experiência completa, entretanto, alguns games podem ser terminados em apenas um dia, alguns até em uma tarde, são games curtos porém com alguma história (ou intenção dela), para os aprofundar satisfatoriamente e com um bom uso da jogabilidade em prol da mesma.

    Pegue uns snacks, aquela água ou suco para matar a sede durante a jornada, se aconchegue bem no sofá e aproveite a experiência.

    Brothers: A Tale of Two Sons

    O game tem como subtítulo “Um Conto de Dois Filhos” não por acaso, nele jogamos com esses dois personagem e temos que nos reimaginar a cada instante, levando em conta com quem estamos jogando e o cenário em qual estamos no momento, pois se jogamos com o irmão mais velho somos mais fortes e hábeis para desafios físicos, já com o menor, nos tornamos mais úteis para puzzles, abrindo passagens para ambos ao se utilizar do nosso peso ou estatura. E o visual do game é realmente charmoso, apelando para um tom mais sóbrio e fantasioso.

    Prometendo a época uma jogabilidade um tanto incomum, ao nos fazer controlar durante todo o game, ambos os protagonistas ao mesmo tempo, Brothers, surpreende também entregando uma narrativa solida sobre perdas e amadurecimento durante o tempo que nos é oferecido por ele, entregando uma junção muito coesa e em determinado momento do jogo, genial, de como usar a jogabilidade proposta, em prol da sua história e do sentimento que se quer passar.

    Disponível para PC, Xbox 360 e One, Playstation 3 e 4, IOS, Android e Windows Phone.

    Trailer:

    Rime

    Pra quem gosta de direção de arte colorida e minimalista, Rime, se torna um prato cheio. O game é visualmente muito bonito, só devendo bastante na sua versão de Nintendo Switch onde não foi muito bem portado. E não é só de beleza que é feito Rime, em sua jornada cheia de exploração e puzzles, há espaço para uma interessante e tocante narrativa da qual é possível ir juntando as peças conforme nos aproximamos do seu fim, teorizando o que teria acontecido e sobre o que o game se trata.

    Rime tem em sua essência, beleza similar a seus visuais e design. Sua arte é minimalista, sua mensagem e história são minimalistas, mas como dizem, as vezes menos é mais e o jogo consegue trazer na delicadeza de pequenos grandes momentos, um bom exemplo desse feito.

    Disponível para PC, Xbox One, Playstation 4 e Nintendo Switch.

    Trailer:

    Inside

    Também minimalista, porém mais sombrio e introspectivo. Tem uma história e atmosfera única, mantendo sempre a tensão e a sua curiosidade e se mostrando cada vez mais bizarro conforme se avança ao nos entregar diversos momentos mind blowing, deixando a seu cargo interpretar o que está sendo mostrado em tela. Somado a isso, o jogo possui ótimos efeitos sonoros e uma das melhores coisas animadas em games do tipo em sua reta final.

    Inside, consegue ser muito bonito dentro do que lhe é proposto, sendo bem brutal quando quer, tanto pelas suas animações muito bem polidas quanto pelo seu visual macabro. Algo que é de bom tom ressaltar, pois o game no geral não poupa nas mortes, que são até bem gráficas, podendo causar desconforto para aqueles que são mais sensíveis a isso, para todos os outros, apenas joguem!

    Disponível para PC, Xbox One, Playstation 4 e Nintendo Switch.

    Trailer:

    What Remains of Edith Finch

    Ganhador da melhor narrativa no The Game Awards de 2017, What Remains of Edith Finch é um jogo de aventura em primeira pessoa, tendo a condução dos acontecimentos e a inserção dos textos em suas telas como um diferencial.

    O game é composto por mini histórias, cada uma contada de uma maneira diferente, tanto narrativamente quanto visualmente, cabendo alternar até a estética artística empregada, tendo o significado e a interpretação das coisas muitas vezes cabendo a você, pois cada história é abordada de um jeito. Podendo ser direto, lúdico, metafórico e até, poético.

    Atualmente disponível para PC, Playstation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

    Trailer:

    Sayonara Wild Hearts

    Sayonara Wild Hearts, trás no cerne da sua belíssima direção artística, uma coletânea de referencias da cultura pop como Sailor Moon, F-Zero, Punch Out e tantas outras inspirações perceptíveis. O game tem a proposta de ser como um álbum de música Pop interativo, em que nós não só podemos escutá-lo como jogá-lo, sendo quase como se o nosso gameplay fosse a sua coreografia e com uma narrativa sutil, nos oferece a experiência de mergulhar no subconsciente para enfrentarmos o medo de lidar com a dor de se ter o coração partido.

    O jogo oferece uma mescla de mecânicas diferentes que mudam o tempo todo, para exigir novas habilidades logo em seguida, nunca ficando cansativo ou deixando diminuir seu ritmo. Somado a um excelente level design, que te faz experimentar diversos tipos de intensidades a todo instante. Sayonara Wild Hearts se torna um jogo neon psicodélico, mecanicamente eletrizante, artisticamente estonteante e surpreendentemente, tocante.

    Disponível para PC, Xbox One, Playstation 4, Nintendo Switch e IOS.

    Trailer:

    Todos os jogos acima, cada um à sua maneira, cumprem o requisito de ser fechado em si mesmo, oferecendo poucas, mas boas horas de jogatina, tanto em mecânicas quanto em narrativa, junto a um level design quase sempre bem equilibrado e de acordo com o tempo oferecido. Experiências únicas e completas, podendo ainda ficar na sua memória, por bastante tempo.

    Brothers: A Tale of Two Sons

    Platform: PC
    963 Players
    97 Check-ins

    50
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 11 months ago · 2 pontos

      Brothers e Rime...obras de arte ❤️

      1 reply
    • Micro picture
      artigos · 11 months ago · 1 ponto

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      arakisan · 11 months ago · 1 ponto

      Brothers: A Tale of Two Sons é um jogo dos que mais gostei de jogar. Sua simplicidade e gameplay condizem muito

  • onai_onai Cristiano Santos
    2020-05-14 21:23:50 -0300 Thumb picture

    FINALIZADO!!!

    Dia de tristezas e alegrias, a iniciar pelas tristezas, minha placa mãe terá que ser substituída, como já falei em uma postagem anterior e um amigo meu que não vejo a tempos mas que considerava gente fina acabou falecendo. Ele estava a alguns dias na UTI e não resistiu ao Covid.

    Esse meu amigo se chamava Anderson, vulgo Anderson Pancinha, e o conheci quando houve o boom dos RPGs de livros na Barra do Ceará, um bairro que eu morava em Fortaleza. Nessa época conheci muita, mas muita gente legal.

    Tá certo que já faz um bom tempo que não jogo Vampiro, a Máscara, mas as divertidas tardes de sábado que a galera se reunia ficará para sempre em minha memória. E agora a alegria! Finalmente terminei as Aventuras de Lolo! Que jogo difícil, eu já estava ficando doido! Haha...

    Parei de contar quando já estava pirando mas creio que foram umas cinquenta fases. Algumas fáceis mas outras extremamente difíceis. Eu achei que haveria uma batalha final mas o Lolo deu apenas um chega pra lá no último desafio! Hehe...

    O legal é que para o Nintendo ainda há o Adventures of Lolo II e III, então ainda haverá muitos puzzles para eu resolver. Hoho...

    Adventures of Lolo

    Platform: NES
    118 Players
    6 Check-ins

    33
    • Micro picture
      andre_hirosaki · 12 months ago · 2 pontos

      F

    • Micro picture
      sophos · 12 months ago · 2 pontos

      minhas condolencias.

    • Micro picture
      volstag · 12 months ago · 2 pontos

      Recomendo a versão do Game Boy também, tem fases diferentes e tals, então conta como um outro jogo.

      1 reply

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...