• 2022-10-08 21:35:38 -0300 Thumb picture

    Kunihiko Tanaka e seus olhos grandes e expressivos

    Tava dando uma pesquisada sobre Xenosaga aqui (o jogo que acabei de zerar) e pesquisei o nome do character designer do primeiro jogo da série, Kunihiko Tanaka... E a minha surpresa foi que, além dele ter feito também o design de Xenogears, ele fez um anime bem interessante que tem muito em comum com essa série de RPGs com mechas, androides de futurismo: Key the Metal Idol.

    A história é sobre uma guria de nome Key, que age como se fosse um robô, e pensa ser um, e tem uma pegada meio pinóquio, já que alguém disse pra ela que, se ela conseguir 30000 amigos ela se tornaria uma pessoa de verdade. O anime é de 1994 (anterior a Xenogears e Xenosaga) e eu já comentei sobre ele aqui no Arco (ele pode ser conferido aqui), porém o mais curioso é essa similaridade da protagonista com a androide KOS-MOS de Xenosaga (e inclusive no post, eu até comento a semelhança de ambas, mesmo não sabendo do character designer ser o mesmo), com ambas inclusive tendo dupla personalidade, e mudando a cor dos olhos quando isso acontece.

    Kunihiko Tanaka também fez a arte de outros jogos, como Sands of Destruction, Xenoblade X, Popful Mail, porém de anime mesmo foi só Key the Metal idol, então pra quem gostar da arte do cara, e de animes curtos e com a pegada mais scifi, não deixem de conferir! Pra terminar, mais algumas artes do cara pra embelezarem o post:

    Xenosaga Episode I: Der Wille zur Macht

    Platform: Playstation 2
    641 Players
    44 Check-ins

    24
    • Micro picture
      mateusfv · about 2 months ago · 3 pontos

      E apesar de tudo isso, de alguma forma incrível ele tbm fez aquele redesign horrível do Shulk, e da Fiora pro Xeno 2 kk

      Mas não sou muito fã do design do Xeno X, e o saga eu acho a arte conceitual dele bonita, mas acho os model do jogo em si bem estranhos.

      2 replies
  • 2022-10-06 19:51:23 -0300 Thumb picture

    Notícias da Velha #8 - Alvejante no Mickey, CGI porca e... Gatos?

    Boa noite, está começando mais um post de Notícias da Velha! Bem, é difícil ter algo interessante a respeito de desenhos japas sendo noticiado, mas vou sempre tentar trazer coisas minimamente interessantes aqui pra vocês aqui do alvanista. E rumo aos 400 seguidores da nossa véia!

    A Disney, de olho no recente hype de Bleach (que vai ter seu último arco animado) decidiu comprar os direitos da série, e irá colocar a mesma em seu catálogo do Disney +, com as transmissões começando a partir do dia 10 de outubro. Mesmo em outros streammings, que tinham episódios de Bleach, eles foram retirados do ar, portanto podemos pressupor que a série inteira vai ficar disponível por lá. Eu não acharia ruim se redublassem os primeiros arcos, que são excelentes, mas acredito que só vai depender do quão esse último arco vai render e, tendo em vista a bagunça que eu vi no mangá antes de dropar ele anos atrás (lembrando que nessa época eu lia Fairy Tail, e tava melhor que ele), eu tenho minhas sérias dúvidas...

    Berserk é uma das obras japonesas mais icônicas que têm e o arco da Golden Age, que conta o passado de Guts e de Griffth é disparado o melhor de toda a obra, e ele ainda é dono da melhor adaptação animada que temos da obra prima do Miura até hoje, que é aquele anime lindão dos anos 90. E como Berserk vende pra cacete (talvez até mais depois que o autor morreu), trataram de anunciar uma versão animada desse arco, porém seguindo a pegada dos filmes e da série de TV mais recente, ou seja: com toneladas de CGI de baixo custo!

    Os episódios estão sendo postados no Crunchyrola (já tem o primeiro até), e como é uma obra popular, certeza que alguém deve estar disponibilizando de graça. Eu adoro esse arco de Berserk, mas essas CGIs porcas não dá, então dispenso com força.

    E falando em CGI, só que desta vez de alto custo, Makoto Shinkai vai ter um novo longa metragem animado, Suzume no Tojimari (Suzumi Door- Locking), e pelo visto vai seguir a pegada mais estudantil, colorida e positivista do seu maior sucesso, Kimi no Nawa, um dos frutos da indústria moderna de animação nipônica mais lamentáveis que já tive o desprazer de ver. Não sei dizer se vai ser pior ou melhor do que ele (ele lançou mais algumas coisas nesse meio tempo, mas ignorei todas elas), porém duvido que ele faça algo na pegada do 5cm per Second ou do Kotonoha no Niwa, já que o que manda é a grana, né...

    E bem, parece que finalmente teremos uma animação legal de Super Mario! É CGI? É, mas parece que tá bem feitinha e tudo o mais, e como tem supervisão da Nintendo, duvido que façam merda com o encanador, que é o Mickey dela. Espero que dê bastante retorno, e que talvez tenhamos uma série de Zelda também... Animada do jeito tradicional, preferencialmente XD

    E por último, mas não menos importante, um easter egg genial que teve no último episódio de Ricky & Morty, da temporada atual sendo transmitida vida HBO MAX, onde o Ricky faz piada com a transformação reutilizável de Sailor Moon, ahuahauhauahuahauhauahuahauha

    Bem, por hoje é isso. Assim que eu souber de mais alguma coisa, postarei as novidades aqui, mas digam aí: estão acompanhando algum anime recentemente? No mais, até a próxima!

    18
    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · about 2 months ago · 2 pontos

      Caracoles, Bleach na Disney mais aleatório que isso seria GTA de Pokemón.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · about 2 months ago · 2 pontos

      Filme do Zelda dá para fazer live action, mas Mario tem que ser 3D mesmo.

      1 reply
  • 2022-09-29 20:07:51 -0300 Thumb picture

    Prints aleatórios da Velha #9

    Rapaz, já vi catgirls feias, mas igual essa dona do Yugioh Zexal, tá pra nascer, ahauhauha

    18
    • Micro picture
      zefie · 2 months ago · 2 pontos

      Se formos ser justos, a maioria dos personagens em todos os YGO são feios ahuauhahuha.

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Já viu catgirls feias? Onde?

      2 replies
  • 2022-09-28 21:53:48 -0300 Thumb picture

    Prints aleatórios da Velha #8

    Cortesia dos Omakes de Blue Seed, ahuahauhauahua

    25
  • 2022-09-27 22:06:40 -0300 Thumb picture
    24
  • 2022-09-26 19:55:55 -0300 Thumb picture

    Notícias da Velha #7 - Alvejantes, traseiros mecanizados, CGI e afins

    E a Velha ainda não caducou, meus amigos! Infelizmente ando vendo pouca coisa recentemente (a última foi o Wild Arms TV), e mesmo os animes que ando acompanhando da temporada (Digimon Ghost Game e Dai no Daibouken remake) estou vendo devagar, quase parando. Mas vi umas notícias interessantes hoje, e vou compartilhar aqui com os senhores, usuários da nossa querida, estimada e bugada rede social azul!

    E tivemos mais notícias do futuro anime de Nier Automata, de nome NieR:Automata Ver1.1a, tal como trailers curtos mostrando ambos protagonistas, a 2B e o 9S:

    Rapaz, sei não se isso vai dar certo. O estúdio responsável pela animação será o A-1 Pictures, e ele tem uma cervo bem grandinho, mas... Pra fazer jus à arte linda do Akihiko Yoshida, teria que ser um Madhouse pelo menos... Mas, esperemos pelo lançamento pra ver qual vai ser dessa adaptação, ao menos a trilha sonora vai ser boa... Isso se manterem a do jogo também.

    Ah, um trailer do arco final de Bleach... Ainda não sei se pego pra ver esse último arco, já que acompanho essa série desde o começo, e só dropei após chutarem a bunda do vilão mais enrolado dos battle shounens, o Aizen , com a trama iniciando um arco do Sensui de Yuyu Hakusho genérico (e esse arco do Sensui é uma grande porcaria). Não sei ainda, já sei que a série termina mal, então se eu não tiver nada melhor pra ver, quem sabe...

    Ah, também teremos uma adaptação da série de jogos Onimusha, que sairá pelo Netflix. Não tivemos trailers, mas pelas imagens teremos um uso de CGI, então sei lá se vai dar bom, já que não conheço a série...

    E outra série desenhada pela Hiromu Arakawa, a criadora de Fullmetal Alchemist, foi anunciada para o Netflix... Em 2024. Vai se chamar o Nascer da Lua... Bem, a última obra com dedo da Arakawa que eu vi foi a mais recente adaptação de Arslan Senki, e não ficou uma coisa muito boa, então não sei o que pensar daqui... Mas só sairá ano que vem que vem, então deixa rolar e depois vemos o que vai dar...

    E o anime de Legend of Mana, Teardrop Crystal, também ganhou outro trailer, e esse está mais próximo, em outubro desse ano. Esse eu não devo acompanhar por hora, Legend of Mana está na minha lista de revisionismo histórico, e esse ano já estou ocupado demais com os xenos da vida, hauhauha. Mas quando eu rejogar o spin off de Seiken Densetsu, dou uma conferida no anime... Acho...

    Eita, ficou parecendo post da bom dia rpgeiro, hauahuahua. Não posso prometer posts diários, já que notícia interessante de desenho japa não saem todo dia, mas tentarei trazer mais novidades por aqui! Enfim, é isso e até a próxima!

    25
    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · 2 months ago · 2 pontos

      Parte final de Bleach não é brain damage só ficou com feeling de rushado, talvez não ter a crunch do mangá nas costas possa deixar o arco com explicações melhores que o mangá.

      1 reply
    • Micro picture
      vante · 2 months ago · 2 pontos

      Eu vou voltar a ver anime por causa de Bleach kkkkkkkkk.

      Essa semana eu acabei revendo o Lost Canvas, e ainda não perdôo o universo por não ter uma continuação animada pra ele. O mangá é maravilhoso tho

      3 replies
    • Micro picture
      ersatzgott · 2 months ago · 2 pontos

      Nem tava sabendo desse Legend of Mana. Odeio o jogo, mas quem sabe funcione em anime. Pena que dificilmente vou ver. Não consigo acompanhar anime e já tem um outro Gundam lá

      9 replies
  • 2022-09-09 20:18:27 -0300 Thumb picture

    Wild Arms - Twilight Venom

    Ano - 1999

    Número de episódios - 22

    Disponível em streammings - Não

    Disponível dublado - Não

    Disponível legendado - Sim (Link Sakura Animes)

    Sinopse: Wild Arms conta a história de Sheyenne Rainstorm, um pistoleiro mortífero, aprisionado em um corpo de um garoto de 10 anos. Junto do cientista Kiel Aronakus, uma feiticeira que usa cartas, Loretta Oratio e uma vampira chamada Mirabelle Graceland , além de duas criaturas chamadas Isaac e Jerusha, Sheyenne embarca em uma longa jornada para encontrar quem o aprisionou no corpo de garoto e descobrir o mistério do seu corpo desaparecido.

    _____________________________________________________________________________

    Wild Arms é uma das franquias de RPG surgidas no PS1 mais icônicas da época, misturando elementos de faroeste com a clássica fantasia medieval (com toques de tecnologia) típica dos role playing games japoneses, e chegou a entregar 5 jogos (além de um spin off de PSP e um remake do primeiro jogo, pra PS2) antes de morrer, assim como várias outras séries no PS2. E por ter feito um certo sucesso, chegou a ganhar uma série de TV, com esta vindo juntamente com o segundo jogo da franquia, Wild Arms 2, intitulado de Wild Arms Twilight Venom, ou simplesmente Wild Arms TV.

    O setting continua o mesmo dos jogos, se passando no mundo de Filgaia, um lugar devastado por um conflito e repleto de desertos e localidades típicas de histórias western. O protagonista se chama Sheyenne Rainstorm, e era um pistoleiro excelente, usuário de ARMs (as armas mágicas da série), além de um galanteador de mão cheia, mas, por algum motivo, foi morto e acaba tendo seu cérebro transplantado num garotinho de 10 anos!

    Assim, juntamente com o grandalhão Kiel (um cientista que estava preso e, por algum motivo, decide ajudá-lo) e uma espécie de rato falante chamado Isaac ele sai por Filgaia afora procurando seu corpo, e sempre acaba topando com o trio de pilantras (que estão sempre procurando algum tesouro pra roubar), a crest mage (a classe de magos da série) Loretta, a crimson noble (os vampiros de wild arms) Mirabelle e a também espécie de rato falante Jerusha (que aliás é ex-mulher do Isaac que anda com Sheyenne).

    O cast é incrivelmente carismático, todos eles são excelentes, tendo um bom design e cheios de ótimas piadas (seria muito legal se tivessem feito um jogo de Wild Arms com eles), porém o anime acabou tendo apenas 22 episódios, e o final acabou ficando meio rushado. Não sei se isso é devido ao fato da série de RPG não ter feito um sucesso absurdo no segundo game (Wild Arms 2 é show, mas na época a concorrência era grande no PS1) ou se é devido ao fato da animação sofrer daquilo que chamo de "Síndrome de Cowboy Bebop", que é quando uma série animada japonesa possui cast excelente, setting incrível e uma boa problemática, mas comete a gafe de ser 99% episódica.

    E esse acaba sendo o calcanhar de aquiles de Wild Arms Twilight Venom. No final tudo é decidido e temos episódios muito bons (como um do pintor que tinha um caso ou o do sequestro do trem), porém foi realmente um desperdício com um cast tão duca resumir todos eles a aventuras episódicas, de fato. Enfim, ainda é um anime que vale a pena conferir, ESPECIALMENTE para os fãs da série de RPG original, afinal o que não faltam são referências à mesma, seja no nome das magias e até mesmo com alguns personagens aparecendo (com versões diferentes, claro), como o Irving e a Kanon.

    Por fim, a Velha recomenda Wild Arms Twilight Venom! E desculpem a demora nos posts, mas verei mais desenhos japas para comentar aqui pra vocês (até assinei o crunchyrola pra isso), e até a próxima!

    Wild ARMs 2

    Platform: Playstation
    641 Players
    34 Check-ins

    20
    • Micro picture
      mateusfv · 3 months ago · 3 pontos

      Não sei se o crunchyrola é o melhor lugar pra achar anime recomendável, ao menos da ultima vez que o vi o catalogo tava foda kk

      2 replies
    • Micro picture
      raiden · 3 months ago · 2 pontos

      Não sabia da existência desse.

      1 reply
    • Micro picture
      mysticquestgames · 3 months ago · 2 pontos

      Muito bom!

      1 reply
  • 2022-08-11 21:44:38 -0300 Thumb picture

    Primeiras impressões da Velha #1

    E aqui estamos, com mais um post do Arco da Velha! Desculpem a demora mastodôntica para postar, fiquei agarrado em jogar RPG feito um animal nas minhas férias e quando voltei, além do trampo, tive academia (a qual aumentei mais um dia), mais RPG e até consegui um Kindle, para me obrigar a recriar meu hábito de leitura (e como os posts da Velha costumam ser um pouco grandes, acabei optando por não fazer nada ao invés de fazer algo merda). Mas a nossa idosa não parou de ver desenhos japas enquanto isso, aliás ela até adquiriu acesso ao antro de streamming da modernidade de animações nipônicas: o Crunchrola, quero dizer, Crunchyroll...

    O acervo de animes desse streamming é gigantesco, mas a variedade é um tanto pobre, no que diz respeito a obras antigas. Basicamente só temos coisas modernas, e algo de 2010 pra baixo só se for bem popular mesmo, ou se a galera pedir bastante. Achei algumas coisinhas aqui que devo acabar vendo, como os Gundams e Flame no Recca, mas no momento peguei 2 desenhos pra acompanhar, e vou deixar alguns pitacos sobre o que ando achando deles até o momento, vai que alguém anime a ver também... Ou pare de ver, sei lá... Enfim, sem spoilers, como é de costume da persona!

    Dai no Daibouken, como eu disse recentemente em um post comparando as duas adaptações da obra, foi uma ótima pedida pra um remake e no momento ele está no episódio 89, saindo um novo capítulo toda sexta-feira (por volta das 7 da noite), e tá se saindo muito bem, se encontrando no momento nos últimos momentos do mangá. Não cheguei a ler o material original inteiro, mas pelo que sei, e pelo que vi dele, não falta muito pra acabar mesmo, acredito que acabemos com uns 100 episódios por aí... E certamente que continuarei acompanhando!

    Também comecei a acompanhar a nova temporada de Digimon, o Ghost Game. Depois de dropar com todas as forças do meu ser aquele reboot/remake/whatever do Digimon 1, resolvi dar uma chance pra essa nova temporada já que, uma coisa que sempre gostei dessa série é que sempre tentam fazer algo diferente... Que nem sempre dá certo (quase nunca dá certo, aliás), mas não deixa de ser um baita ponto positivo (chupa pokémon, seu anime de merda!). A trama dessa vez fala sobre um mundo bem contemporâneo onde os digimons começam a aparecer no mundo humano, e como o mundo está bem digitalizado, acabam sendo vistos como fantasmas, por isso o nome Ghost Game e talz.

    A trama tá seguindo o ritmo episódico comum no começo de todas as temporadas da série, porém o ritmo aqui está um tanto mais lento em comparação com as demais... Ainda não apareceu um vilão de arco, não está se desenvolvendo um mistério direito, o foco no protagonista e seu digimon tricerátrops retardado é absurdo (ele teve duas evoluções até onde vi, o episódio 10, e dos outros 2 só um que conseguiu evoluir) e sequer temos digimons morrendo até agora, é sempre um combate e todos ficam bonzinhos e saem pra viver suas vidas floridas e cor-de-rosa, sem consequências no mundo real, sem nada. A arte também é bem fraquinha, bem genérico moderno mesmo...

    Porém, ainda vou continuar vendo. Primeiro porque vi todas as temporadas da série até então (e só dropei uma, o reboot do digimon 1, por motivos óbvios) e segundo porque aqui tem uma das digimons mais geniais que já apareceram na série: Jellymon. Ela ficava assustando o parceiro dela, fazendo coisas levitarem no quarto dele e tudo o mais apenas pra se divertir porque ele era muito otário, e depois que firmaram parceria, ela fez o cara chamá-la de Jellymon-sama (senhora jellymon) e fica chamando ele de Darling (querido). 

    O cara é otaco ainda por cima, voltou pro japão pra estudar só porque via anime... Tem mais é que ser bulinado mesmo, ahauhauhaua

    Se isso é indício de um possível relacionamento digimon/humano eu não sei (provavelmente não), mas é simplesmente hilário ela pentelhando o cara, é raro ver digimons com personalidade nessa série (mesmo os outros dois, o dinossauro retardado do protagonista e o coelho obeso da guria são dois jacus), então só a Jellymon compensa ver essa temporada... Ao menos por hora.

    E por último, um anime baixado do jeito tradicional: Wild Arms Twilight Venom. Como eu maratonei a franquia de RPGs recentemente acabei pegando o anime pra ver (foi difícil de achar ele, até) e vi uns 2 episódios. A trama é bem diferente dos jogos, mas também se passa em Filgaia e tem elementos western misturados com tecnologia. 

    O protagonista era um atirador galante e famoso, mas por algum motivo foi colocado num corpo de um fedelho, e esse é o mistério principal até o momento. Também temos uma dona peituda que joga cartas mágicas, um médico grandalhão caolho e uma Crimson Noble, os vampiros da série, com roupa branca, todos bem carismáticos, o que deixou esse começo bem legal. Como são poucos episódios, e já estou acompanhando outras duas séries, devo acabar maratonando tudo assim que acabar o Xenoblade 3, e talvez faça um post dele aqui no arco, se valer a pena, claro.

    Enfim, por hoje é isso, pessoal. Desculpem a demora nos posts novamente, tentarei me regrar pra trazer ao menos 1 por semana, mas digam aí: estão acompanhando algum desenho japa no momento? No mais até a próxima!

    13
    • Micro picture
      shadowstriker · 4 months ago · 2 pontos

      Já que tá com acesso à Crunchy aproveita pra ver o Kaguya-sama: Love is War, quero ver o que vai achar aheuaeaheuaehae

      9 replies
    • Micro picture
      bobramber · 4 months ago · 2 pontos

      Dai me interessa só para saldar a dívida da infância, hauahauajau

      1 reply
    • Micro picture
      ersatzgott · 4 months ago · 1 ponto

      Opa, hora de ler mangá no Kindle
      Leia Dragon Ball e esqueça que o anime existe

      E Digimon Ghost Game é horrível, dropa essa porra e volta pro Adventure:
      Não está episódico como início de toda temporada, essa porcaria É episódica sem roteiro até hoje. 37 episódios de absolutamente nada, só não é pior que o Appmon e o Adventure tri.

      10 replies
  • 2022-07-16 23:51:30 -0300 Thumb picture

    Diazepam da Velha #6 - Yu-Gi-Oh GX

    E continuando com os posts sobre as temporadas animadas de Yu-Gi-Oh, chegamos à segunda delas, e a última que passou na TV  aberta: Yu-Gi-Oh GX que, como podem bem ver, não está nos posts comuns de indicações da persona e sim naqueles que falam sobre obras medíocres, que podem servir muito bem para tirar um cochilo depois do almoço, do tão monótonas que são. 

    Mas afinal, o que há de errado com essa segunda temporada da série? Bem, ela se passa alguns anos após o término da primeira, após as aventuras de Yugi e cia chegarem ao fim. Kaiba acabou criando uma academia para ensinar às novas gerações como duelar (por que, se antes eles aprendiam essa merda sozinhos, você está pensando? Simples: pra ganhar dinheiro, hauhaua), dividindo os dormitórios dos alunos conforme os 3 deuses egípcios: Obelisco Azul para os melhores, Rá Amarelo para os medianos e Slifer (Ossiris, no original) Vermelho para a ralé, os piores dos piores. 

    E assim a trama começa, com o protagonista, Jaden Yuki (Judai Yuki, no original japa) topando com o Yugi no caminho para o exame de admissão na Academia, e com isso ele acaba ganhando a carta do Winged Kuriboh (um Kuriboh com asas), um monstro que consegue se comunicar com o seu duelista. Porém, o encontro só fez Jaden chegar ainda mais atrasado no seu duelo, e ele acaba tendo que duelar com um dos professores do lugar, um cara arrogante chamado Crowler (Chronos, no original), que usa um baralho bem roubado de Ancient Gear Golem contra ele. 

    Mas o protagonista estraçalha o professor com seu deck de Elemental Hero, focado em fusões (essa temporada é bem focada nisso, aliás) e, com isso, seria de se esperar que Jaden fosse catapultado para o melhor dormitório, certo? Mas não, ele vai parar no pior, no Slifer Vermelho, e a trama a partir daí começa com a pegada episódica, mostrando os diferentes personagens da Academia, o dia-a-dia do Jaden e seus colegas de quarto, praticamente um slice of life de escolinha, só que com duelos...

    E obviamente que isso é muito chato, e por mais que no decorrer dos episódios comecem a surgir ameaças globais e tudo o mais, tal como as velhas capirotagens da série, a tensão praticamente não existe na trama, ainda mais se compararmos com a temporada anterior, onde toda hora tinha um maluco querendo roubar a alma de alguém, as trevas dominando o mundo, almas queimando no inferno, mães religiosas arrancando os cabelos, esse tipo de coisa. Yugioh GX é tão boring que até a minha sobrinha, de 9 anos, que estava vendo a série ano passado, não conseguiu assistir nem a primeira temporada, que está disponível de graça no Youtube até.

    Mas se ele é tão chato assim, por que não está nos posts do limbo da persona, a Bengalada da Velha? Simples: é porque, por ser uma animação de um TCG, os duelos contam muito e eles estão longe de serem ruins. O protagonista é quem duela a maioria das vezes, mas o Jaden (ou Judai, se você assistir no original japonês) é um ótimo personagem, sendo bem carismático e um duelista de mão cheia (aliás ele é um dos únicos protagonistas da série animada que não duela com a ajuda de algum espírito super sábio, ou que usa alguma roubalheira no meio dos embates), e também temos outros personagens muito bons, como o Chazz Princeton (Manjoume Jun, no original), um cara maluco que anda com um crocodilo de nome Shirley nas costas, entre outras coisas que se espera de uma temporada de Yugioh.

    Aqui também tivemos uma aproximação maior do anime com o TCG (ainda estava longe de ser ao menos parecido, mas já estava melhor do que a primeira temporada, que era uma bagunça só), isso sem contar que aqui também mostra a popularização das invocações especiais (Fusões, principalmente), que foram começando a ficar mais fáceis de serem feitas, com coisas como Power Bond, Cyber Stein, Miracle Fusion, entre outras coisas. Aliás, essa é a temporada onde se passa um dos melhores jogos de videogame da série, o Yugioh GX Tag Force, disponível tanto pra PS2 quanto pra PSP.

    Então, se vale a pena ver Yugioh GX? Bem, são 180 episódios, divididos em 4 temporadas (com a última sendo bem menor do que as outras 3), e como existe coisa bem melhor pra se ver na franquia (como o arco anterior por exemplo), a Velha se mantêm neutra, como é de praxe dos posts do Diazepan, afinal são todos obras medíocres mesmo. 

    Só que, tal como foi dito com a primeira temporada, tome cuidado com as versões dubladas, já que elas sofreram censura pesada da 4Kids (e nosso amigo Yugioh Extremo tem todos os episódios legendadinhos também: https://yugioh-extremo.net/gx). Enfim, por hoje é só, até o próximo post!

    Lista com todos os soníferos comentados aqui!

    Yu-Gi-Oh! GX Tag Force

    Platform: PSP
    215 Players
    35 Check-ins

    20
    • Micro picture
      vante · 5 months ago · 3 pontos

      Eu gostava quando era mais novo, hoje em dia não sei se iria gostar

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 3 pontos

      Eu odiava pegar aquele monte de cartas de Elemental Hero. Só no desenho mesmo para um deck desses dá certo. Não para usar nada sem ter que sacrificar cartas específicas.

      3 replies
    • Micro picture
      oferreira · 5 months ago · 2 pontos

      Caraca, eu odiava a abertura desse anime, agora voltou a grudar a música na minha cabeça kibeleza

      4 replies
  • 2022-07-10 20:53:12 -0300 Thumb picture

    Yu-Gi-Oh!

    Ano - 2000

    Número de episódios - 224

    Disponível em streamings - Sim (Netflix, mas só as duas primeiras temporadas)

    Disponível dublado - Sim

    Disponível legendado em ptbr - Sim (download aqui: https://yugioh-extremo.net/dm)

    Sinopse: Yugi Mutou é um jovem introvertido de baixa estatura, que foi presenteado com um enigmático quebra cabeça de origem egípcia pelo seu avô. Fazendo um pedido para conseguir amigos, Yugi consegue montar o estranho objeto, cujo nome era Enigma do Milênio, porém ele não esperava que, a partir dali, um espírito destemido e poderoso fosse tomar conta do seu corpo em momentos de perigo, fazendo-o se transformar em um verdadeiro "Rei dos Jogos" e que isso atrairia várias forças além da sua compreensão.

    _____________________________________________________________________________________

    É hora do duelo! Dando início aos posts sobre a franquia, comecemos pelo começo (ao menos o começo pra maioria das pessoas, já que o Yugioh Zero veio antes)! Yugioh é um dos desenhos japas que mais fizeram sucesso por aqui, lembro como se fosse ontem de uma onda de misticismo, ação, monstros gigantescos e jogo de cartas invadindo as manhãs da Globo, advinda de cartinhas dos mais diversos tamanhos sendo vendidas em todo o lugar, além de programas televisivos e pais religiosos surtados com as capirotagens egípcias que Yugi e cia faziam, o que gerou muita audiência para apresentadores sensacionalistas com o nome de grandes felinos, ahuahauhaua

    Yugioh é uma série que se originou de um mangá criado pelo recém falecido Kazuki Takahashi, uma história focada em um protagonista que jogava vários tipos de jogos (como pode-se ver no Yugioh Zero, o yugioh do kaiba verde), porém o jogo de cartas acabou se popularizando e com isso chamaram o estúdio Gallop pra fazer uma série focada apenas nele, de modo a fazer uma propaganda do novo produto... E o resultado foi avassalador, tanto que hoje o TCG de Yugioh é o maior do mundo em número de cartas facilmente.

    Quanto à história, Yugi, o protagonista, já começa no primeiro episódio com o Enigma do Milênio e podendo se transformar em sua versão badass mais alta e com cara de mau (e, tal como se fosse Sailor Moon, ninguém percebe que ele muda de aparência quando vai duelar), e logo no segundo episódio temos o vilão carismático as hell Maxilillian Pegasus roubando a alma do avô do protagonista, instigando ele a participar do campeonato de duelos na sua ilha particular, o Reino dos Duelistas.

    A partir daí Yugi e seus amigos ficam lidando com os antigos jogos das trevas, onde pessoas que perdem o duelo de cartas têm a alma enviada para o inferno. Sim, para o inferno, aquilo de "reino das sombras" que escutamos quando vimos os episódios dublados é uma das censuras que a série sofreu por aqui (e existem várias, especialmente de artwork das cartas), fico imaginando se tivessem passado tudo sem o filtro da extinta 4Kids (que já foi tarde) como seria a reação dos religiosos malucos na época...

    O anime possui 3 arcos principais: o Reino dos Duelistas é a primeira (e mais famosa), seguida da Batalha da Cidade (onde aparecem as 3 cartas dos deuses egípcios) e o das Memórias do Faraó (onde mostra o passado do espírito que habita o enigma do milênio do Yugi), com cada um deles contando com um vilão excelente: Pegasus, Marik e, o melhor deles: Bakura. Também tem outros 3 arcos que a série de TV inventou para tampar buraco (os famosos fillers): o do Noah, o do Lacre de Orichalcos e o do torneio de duelo que o Kaiba fez, e todos são beem descartáveis, dando pra pular eles de boa, caso se interesse em ver a série.

    Nos primeiros arcos as regras do TCG ainda estavam engatinhando, por isso os duelos são uma bagunça dos infernos (os caras inventam efeitos malucos e tudo o mais), porém ainda dá pra divertir com a ambientação bem única, vilões memoráveis, monstros com desing duca e protagonistas legais, então vale a pena dar uma conferida, se você não se importar com o pacing meio lento da série, e com o fato dela ser apenas sobre jogos de cartas, afinal foi criada especificamente para fazer propaganda de um (e serviu de estopim para vários outros animes de TCG, como Cardfight Vanguard e o recente Wixoss).

    Só tome cuidado com as versões dubladas, devido à censura pesada da 4kids (apesar do cast de dubladores ser excelente, como a voz do Marik feita pelo saudoso José Parisi Jr), que não mudou apenas nomes e atributos físicos das moças como também alterou momentos da narrativa e até a trilha sonora! Fico pensando em por que não redublam essa série igual estão fazendo com One Piece atualmente, afinal público Yugioh tem de sobra. Enfim, fica a indicação da Velha para a primeira (na verdade, segunda) temporada de Yugioh, mas e quanto às outras? Como se saíram? Vemos isso num próximo post, por hora, até mais!

    Lista com todas as indicações do Arco aqui!

    Yu-Gi-Oh! Power of Chaos - Yugi the Destiny

    Platform: PC
    279 Players
    3 Check-ins

    14
    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 2 pontos

      Yu-Gi-Oh é um anime que funcionou muito bem na época, que vendia as cartinhas na banca e tals, mas hoje em dia, acho que nem as versões modernas desce (não vi as outras versões, fora a clássica TV Globinho).

      6 replies
    • Micro picture
      ersatzgott · 5 months ago · 2 pontos

      One Piece tem licenciador sério pro ocidente, a Funimation. Yu-Gi-Oh! ainda tá preso na 4Kids 2.0, a 4K Media. E, bem, quando os EUA tentaram dublar uncut, fizeram somente 12 episódios (com 9 sendo lançados em DVD), pois o Shunsuke Kazama, o péssimo ator de voz do Yugi que não deveria ter substituído a Megumi Ogata, entrou com processo pra ganhar mais $$ em cima do uso da voz dele no áudio original incluído no DVD

      1 reply

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...