• anduzerandu Anderson Alves
    2021-10-06 19:11:01 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Castlevania Legends

    Zerado dia 06/10/21

    Bom, eu não planejava jogar o terceiro Castlevania do Game Boy tão cedo, mas fiquei curioso depois de ter gostado do segundo e a sua sequência dividir opiniões internet afora. Além disso, estava querendo algo para terminar rápido e o seu estilo foi o mais chamativo.

    Curioso também notar que os jogos da série estão chegando ao fim para mim, e olha que são muitos! O que ainda está na lista? Castlevania II (que jogarei uma versão consertada por fãs pois o jogo veio para o ocidente completamente zoado) e Castlevania III de NES, Adventure Rebirth do WiiWare e versão do Nintendo do Kid Dracula. Na lista de incertezas (mas quase certo que jogarei) estão os de PS2 e os Lords of Shadow originais de PS360. Ou seja, tenho apenas 4 ou 5 jogos na série para a terminar, mas não devo os jogar tão cedo.

    Um título que está fora da lista por enquanto é o Chronicles, de PS1, que é algo como um remake ou coisa do tipo do primeirão. Não sei se vale a pena ou se animo.

    Iniciando Castlevania Legends, a primeira coisa legal foi ver as CORES da tela título. Muito bonitas e tal. Fiquei bem animado até ver que o restante do jogo passa longe de ser colorido e o que ele faz é colocar cores diferentes de um estágio pro outro. Já é alguma coisa.

    Depois tive que escolher entre modo normal e modo "light".  Achei que fosse algo a ver com os visuais para a tela sem luz do portátil e que seriam diferentes modos de visualizar a tela e tal, mas aparentemente isso é na verdade a dificuldade da aventura. Bom, já adianto que Legends é super tranquilo e piedoso já no Normal, imagina nesse Easy...

    Há uma cutscene de abertura com um pouco de texto e uma imagem bem detalhada da protagonista, a Sonia Belmont.

    O jogo é bem parecido com os anteriores: travado, pegando upgrades pro chicote, matando inimigos, pulando plataformas para no fim da fase enfrentar um chefe.

    Obviamente o sprite masculino e fortão deu lugar à figura feminina e esbelta da protagonista. O gameplay é um pouco mais suave também e você se sente no controle, sendo inclusive possível mudar de direção enquanto estiver pulando ou caindo.

    Bem, no início estava legal, mas um pouco fácil demais. Há pouca variedade de inimigos e eles são fracotes e o chicote no nível 3 é capaz de atirar projéteis a cada ataque e mesmo eles sendo mais fracos que o toque do próprio chicote, facilitam muito em diversos momentos.

    Apesar de fácil, eu achei as primeiras fases bem longas e meio tediosas. Quase não há desafios de plataforma e o level design é bem simples e só te faz andar, andar, andar, pular um buraco, andar, matar um inimigo aqui e ali, andar...

    É curioso que Legends saiu após Symphony of the Night, então aparentemente tentaram aplicar um pouco do elemento "Metroidvania" nele, incluindo caminhos alternativos pelos cenários ao invés de eles serem apenas corredores lineares. Apesar da ideia ser legal, ela mal funciona.

    Quando eu estava numa sala com mais de uma saída, escolhia a que parecia mais interessante e muitas vezes nem via no que as outras davam. Em determinados momentos peguei caminhos diferentes do principal e o resultado? Nada! As vezes umas velas com mais corações ou coisa assim. Sabe aquela sensação de perda de tempo e de terem colocado isso sem a menor utilidade? De qualquer forma, estava curtindo pois mesmo os melhores jogos dessa franquia tem disso de chegar em caminhos sem saída.

    Falando em corações, eles aqui funcionam como sempre, ou mais ou menos isso. Não achei outros itens a serem coletados e nem sempre conseguia usar uma habilidade apertando pra cima e B, mas quando conseguia o efeito era aquele do relógio de bolso clássico, parando o tempo para os inimigos por uns instantes.

    A Sonia ainda tem uma habilidade legal mas bem roubada ao apertar A e B juntos que a deixa invencível e super rápida por cerca de 10 segundos. Use isso em todos os chefes e você não vai perder uma única luta!

    Sobre perder, apesar de o jogo ficar até monótono de tão fácil nas primeiras missões, ele chegou a apresentar novos inimigos e armadilhas com o tempo e eu cheguei a perder cada vez mais vidas e até dar Game Over!

    Felizmente perder uma vida te leva de volta ao último checkpoint alcançado, assim como no jogo anterior e não há a opção de ficar sem Continues e voltar para a tela título. Acabou todas as vidas? Você volta para o início da última seção.

    Não vou mentir que apesar do nível de desafio não ser muito alto em 80% da campanha, o jogo cansa um pouco para ser jogado numa única sentada. Nas duas últimas fases eu estava dando Game Over a todo momento (parte por conta do sono de ontem) e sem paciência de lidar com certas armadilhas, então deixei para terminar hoje. No meu caso um savestate bastou, mas Legends conta com sistema de password.

    Em sumo, você vai terminar esse jogo de uma forma ou outra.

    Ao terminar o chefe final de cada estágio você ganha um poder novo, como esse de parar o tempo, mas a maioria eu nem consegui ver o que fazia pois até esquecia deles e de mais essa facilidade.

    As vezes juntava vários corações e não saía nada! As vezes morria  e perdia todos os corações e desistia.

    No final eu aprendi um que era um projétil grande e forte e que atravessava as paredes muito útil contra uns inimigos que demorava para morrer e que Legends insistia em colocar em espaços pequenos para lutar. Bem chato!

    O bacana é que é possível escolher qual poder usar ao apertar Select, abrindo assim um menu que até lembra um pouco os do Mega Man.

    Resumindo: Castlevania Legends é um bom jogo de plataforma de Game Boy, mas um Castlevania fraco, genérico e que não traz anda de relevante à série. Ainda assim fico dividido entre ele e o anterior, sendo que ambos tem seus altos e baixos. Entretanto reitero que o jogo geralmente não tem muito cara de Castlevania.

    De bom: nível de dificuldade tranquilo e fácil de terminar (melhor do que frustrante). Diversos poderes para serem usados. Ceninhas legais e diferentes do que a série fazia anteriormente no portátil. Sistema de password ajuda num jogo sem Save. Chefes até legais, ao contrário, por exemplo, do último boss do Belmont's Revenge. Cenários com alguma cor. Modo apelão da protagonista destrói a galera fácil.

    De ruim: poucos inimigos e todos bem bestas, com exceção dos morcegos que são muito chatos e comuns. Trilha sonora sem graça, à exceção de duas faixas clássicas da franquia. Final ruim, como os dos demais. Faltou maior descrição das habilidades e seus custos para uso. Sem replay. Jogo com timer (embora eu nem lembrasse dele)

    No geral, é difícil falar desse jogo. Ele é ok, mas depois de outros dois ele parece ser apenas mais do mesmo e até redundante. E puxa, olha os jogos da franquia que já existiam nessa época! Há Castlevanias melhores e títulos muito melhores (mas piores também) no Game Boy clássico. Ainda assim acho válido jogá-lo caso você queira conhecer a franquia no GB mas sem jogar todos. Para ser sincero, Castlevania no Game Boy é fraco demais e todos completamente passáveis. Quer portátil? Vá de GBA!

    Castlevania Legends

    Platform: Gameboy
    432 Players
    16 Check-ins

    18
    • Micro picture
      luis_f · 9 months ago · 2 pontos

      Timer em Castlevania (e muitos outros jogos) acho absurdo, costumo rwmovê-lo com cheats, podendo apreciar melhor o game.

      2 replies
    • Micro picture
      fgamesplayer65 · 9 months ago · 2 pontos

      Boa!

    • Micro picture
      santz · 9 months ago · 1 ponto

      É fraco demais, não? Considerando que ele saiu praticamente no fim da vida do GameBoy, ele não entrega muita coisa, sendo que o Belmont's Revenge é muito melhor.

      1 reply

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...