• lendaryo Solivan Martins
    2023-03-22 18:07:48 -0300 Thumb picture
  • lendaryo Solivan Martins
    2023-03-20 11:43:45 -0300 Thumb picture
    11
    • Micro picture
      manoelnsn · 7 days ago · 1 ponto

      O desenho da idol de hong kong

      2 replies
    • Micro picture
      danilodlaker · 7 days ago · 1 ponto

      To doido pra pegar um game desses de Digimon de DS pra jogar depois rs. Lembro quando esse saiu eu tava no hype de estudar japonês, tenho até uma v-jump falando desse game kk.

      1 reply
  • lendaryo Solivan Martins
    2023-03-16 20:35:01 -0300 Thumb picture

    A procura pela Salvação do Digimundo

    Esse foi o primeiro jogo que zerei esse ano, por conta de algumas coincidências:

    -O enredo do jogo começa na virada do ano

    - A tradução em inglês saiu na virada do ano

    Me pareceu uma boa oportunidade de rejoga-lo kkkkk

    E cara.. não me recordava de absolutamente nada, mas ele até que tem uma história bem da boa. Supera com uma margem modesta os novos jogos de Digimon, que em questão de história meio que deixa a desejar...

    Um resumo do resumo:

    O digimundo está passando por um processo de reformulação, ou quase como uma "tela azul" no sistema do digimundo. A linha evolutiva e até alguns digimons foram apagados do sistema, e todos aqueles que ainda vivem no digimundo agora não podem mais evoluir, pois o sistema central (Yggdrazil) foi danificado/destruído. Agora misteriosamente vc e seus amigos vão parar neste digimundo ao se encontrar com um trio muito suspeitos, junto com um Agumon que diz ter vindo ao seu mundo em busca de um Humano que possa torna-lo forte para restaurar Yggdrazil e salvar o Digimundo de uma organização secreta.

    A história desse game possui muitos pontos interessantes pelo fato que ela meio que tenta "simular" o digimundo antigo, bloqueando o acesso a evolução dos Digimons como se elas ainda não tivessem sido descobertas, e assim impedindo que você consiga acesso as formas definitivas até que você recupere o sistema.

    Claro, não é explorado com perfeição, mas mesmo assim é uma ideia muito boa e que de certa forma no fim deixa você satisfeito.

    E uma curiosidade legal, é que Imperialdramon DM é um dos poucos, se não o único Digimon Mega que você pode consegui no "inicio", pois o acesso a essa Mega forma não foi apagado do servidor. Por tanto se vc jogar o game direitinho, é bem capaz que seu primeiro mega seja um Imperialdramon. E nem preciso dizer que ele é um excelente Mega pra se ter, pois sua arvore evolutiva lhe dá acesso a muitas habilidades poderosas, além do que sua Passiva aumenta O XP recebido em combate (dês de ele esteja na luta)

    Toquei no assunto do Imperial, porq recentemente vi um vídeo no youtube falando a respeito dele, e como o Digimundo antigo tem forte ligação com esse Digimon, e que nesses tempos antigos ele era considerado o governante supremo, até que sua raça foi "instinta" por uma batalha entre a sua própria espécie (parece q as novas cartas do cardgame de Digimon tmb retrata essa história em suas ilustrações).

    Esse game segui com êxito a linha dos digimons de DS com uma dificuldade padronizada bem amigável pra qualquer iniciante em RPG's; Porém seu post-game pode ser bem desafiador ao ponto de chegar a um nível absurdo de dificuldade.

    Meus Digimons que usei pra percorrer o game, logico que nem todos foram acessados logo de cara (infelizmente...) pois os Ancients, assim como Culumon e Imperial PM só podem ser conseguidos no post-game (Culumon tem uma trolada extrema, que 90% das condições dele podem ser atendidas no main game, exceto uma evolução especifica que fica presa a uma sidequest do post game...). Imperial PM só pode ser adquirido ao vencer o Torneio Lendário do jogo, ao qual requer quase todas as sidequest concluídas, OU, vc consegui pontos suficiente restaurando linhas evolutivas para ter acesso ao torneio.. Mas não foi nada ruim percorrer o jogo com o Imperial preso ao modo Dragão. Agumon e Gabumon chegaram a virar Omegamon várias vezes, principalmente para ter o requisito do Paladin mode, então não se engane, todos esses Digimons evoluíram & Desvoluiram várias e várias vezes kkkk... 

    Fiquei bem surpreso com a quantidade de conteúdo que esse game oferece (Sidequest, Super boss's e etc), é um jogo que se vc desejar fazer tudo, pode tomar um bom tempo seu ou até mesmo chegar a desistir por está além do que você busca de um desafio.

    Digimon Story: Lost Evolution

    Platform: Nintendo DS
    81 Players
    5 Check-ins

    14
  • rafa9000 Rafael Gazola Ghedini
    2023-02-28 19:27:49 -0300 Thumb picture

    Sobre segundas chances....e oque eu estou jogado atualmente.

    Resolvi dar uma segunda chance pro jogo Xenoblade Chronicles: Definitive Edition(Switch), da primeira vez que joguei eu até gostei da historia, do visu e tudo mais MAS não conseguir me acostumar com o sistema de batalha que achei muito hã....boring por assim dizer. Vamos ver se dessa vez eu mudo de ideia, da primeira vez que joguei só cheguei a jogar 5 horinhas do jogo, agora vou tentar no minimo ter 10 horas, ja comecei fazendo varias side quests para o povo da Colonia 09. Vamos ver até aonde vai essa minha vontade de jogar ele.

    Esse ano vai ser O ano dos RPG's/JRPG's pra min, ainda tenho que zerar Star Ocean: First Departure R(Switch), Tales of Vesperia(Switch) esses dois tambem coincidentimente vão ser segunda chances e eu não deixei de jogar eles porque eu não gostei de algo(na verdade adorei os jogos, amei o Vesperia), mas eu com minha mania de jogar varias coisas ao mesmo tempo acabei não conseguindo encontrar tempo pra jogar eles devidamente bem e acabei deixando eles de lado.

    Alem desses dois JRPG's, ainda pretendo jogar(ou rejogar no caso de alguns) esse ano Persona 3 Portable(Switch), Eiyuden Chronicle: Hundred Heroes(Xbox Series S), Soul Hackers 2(Xbox Series S), Fire Emblem(Switch Online),  Paper Mario(Switch Online),  SD Gundam Battle Alliance(Switch), The Legend of Dragoon(PS5), jogos da série Kingdom Hearts( BBS, DDD, etc...), Chrono Cross(Switch), Persona 5 Royal(PS5), Mega Man Battle Network Legacy Collection(Switch), Ni No Kuni I e II,(PS5/Switch), etc...

    Atualmete estou jogando  alem do citado acima, Hogwarts Legacy(PS5), Mario & Luigi: Superstar Saga(Switch Online).

    Na lista de proximos da fila para jogar estão: Persona 3 Portable(Switch), The Legend of Zelda: A Link To The Past(Switch Online), Cadence of Hyrule(Switch), Tales of Vesperia(Switch), Star Ocean: First Departure R(Switch).

    Dropado momentaneamente:  Metroid Prime Remastered(Switch), estou preso num chefão que já morri umas 20 vezes. Eu AMEI o jogo, ja to com quase 12 horas de jogo, mas não consigo passar desse maldito chefão! Resolvi deixar de lado por enquanto doque passar dor de cabeça, lá por meio/fim do ano(ou até antes) eu volto a jogar ele e começo tudo de novo dessa vez sem medo de ir na dificuldade casual pra ver se passo do chefão, pq sinceramente não to com paciencia de começar tudo de novo agora. Esse inclusive é o mesmo motivo do qual dropei Metroid Dreadd(Switch), cheguei no ultimo cefão e só morria, desisti dele e agora que ele tem um modo casual é bem capaz que eu pegue ele pra jogar de novo até o fim do ano já que ele se tornou meu Metroid favorito.

    Xenoblade Chronicles: Definitive Edition

    Platform: Nintendo Switch
    87 Players
    165 Check-ins

    15
  • rafa9000 Rafael Gazola Ghedini
    2023-01-30 12:40:42 -0200 Thumb picture

    Os Ecos Encadeados

    Nem Biomutant(PS5) e nem Eastward(Xbox Series S), comecei no fim das contas a jogar Chained Echoes(Xbox Series S) um RPG que pelo que vi tem 20 a 25 horas de gameplay. Já tava de olho nesse jogo faz um tempinho(alem de Eyiuden Chronciles Rising me deixar pilhado pra jogar mais RPG's) visto que ele é quase um sucessor espiritual de Chrono Trigger, do meu amado Xenogears e JRPG's classicos da era SNES, sempre fui fã desse tipo de RPG, Chrono Cross esta entre os meus jogos favoritos de todos os tempos, Final Fantasy VI(apesar de não ter zerado) tambem é um dos meus favoritos, sem falar do crássico Chrono Trigger que tambem não cheguei a zerar quando era mais novo mas amei. Sempre ouvi falar bem pra caralho desse jogo e o visual dele me encantou(como não se encantar com pixel art 16 bits?), por enquanto só joguei 2 horinhas e a historia parece ser bem legal(tem uma reviravolta logo no inicio que me deixaram surpreso até), os personagens parecem ser carismaticos principalmente o Ser Victor e a Sienna, e a trilha sonora até onde joguei é boa. Enfim....espero chegar ao fim desse JRPG e me divertir com ele. TALVEZ quando eu acabar Hi-Fi Rush(Xbox Series S) eu começe Eastward mas não é certeza.

    PS: Como é possivel que não tenha cadastrado no alvanista a versão de Xbox? Tsc...tsc...

    Chained Echoes

    Platform: PC
    11 Players
    10 Check-ins

    10
  • 2023-01-25 19:12:24 -0200 Thumb picture

    Soul Hackers 2: Abra seu coração, resgate sua alma!

    Medium 3950978 featured image

    Quantos anos eu não entro aqui! Pensei que o Alvanista tinha sido desativado. Muito bom saber que apesar de anos, o sentimento acolhedor e nostalgico dessa rede social ainda vive. 

    Aproveitando esse pequeno ímpeto - momentâneo ? -  hoje escrevo sobre um jogo que me cativou na ausência de jogos de uma das franquias que eu mais amo.

    Soul Hackers 2 pode ser descrito como um spin-off da franquia Shin Megami Tensei. É o quinto jogo da franquia Devil Summoner e por mais que aparente ser o sucessor direto de Devil Summoner: Soul Hackers, podemos dizer que se trata de uma nova aventura que fez uso de um nome já existente na história. Eu gosto de pensar que Soul Hackers 2 se trata de um soft reboot e se preocupou bastante em atrair novos jogadores. 

    *Vale ressaltar que NÃO irei fazer uma review ou análise completa, detalhada e técnica do jogo. Meu objetivo aqui é apenas dissertar um pouco sobre a minha experiência com o título, então mesmo que eu passe por alguns aspectos do jogo e esqueça de outros, essa é a intenção! 

    Então pega um café e aproveite a leitura, que deve levar de 3 a 5 minutos em média...


    I. E aí, por onde começamos?

    A narrativa de Soul Hackers 2 se passa no século XXI, onde vários avanços tecnológicos foram alcançados pela humanidade. 

    • Um detalhe importante aqui é que estamos no mesmo universo de Devil Summoner, logo, eles  (os invocadores ou summoners) marcam presença. 
    Para quem não esta familizarizado
    os Devil Summoners são pessoas capazes de interagir com os demônios. Mais precisamente, são pessoas com habilidades espirituais natas ou desenvolvidas que lhes permitem formar contratos com demônios em troca de favores, empréstimos de poder, entre outras possibilidades.

    Aion é uma forma de vida senciente que transcende a inteligência humana e vigia o mundo dos humanos, nascido dos dados ambientais coletados nas redes digitais do mundo. A existência de Aion é formada basicamente por duas partes iguais de dados e essência: a parte eletrônica e a parte espiritual. 

    Apesar de manter uma rígida política de não interferência no mundo humano, ao prever o fim do mundo, Aion decide enviar seus agentes recém-nascidos para evitar tal destruição, que segundo os cálculos de Aion, será causado por um efeito borboleta de decisões humanas e intereferências sobrenaturais. 

    Para que tal efeito não ocorra, as agentes Ringo e Figue guiados por um intermediador de Aion chamado Flamma precisam proteger três summoners cruciais para o plano de salvar o planeta: Arrow, Milady e Saizo.  

    Muito prazer, lhes apresento os protagonistas do jogo!

                  Da esquerda para direita: Milady, Arrow, Ringo, Figue e Saizo.


    II. Você deve estar se perguntado: Soul Hackers 2 é um bom Shin Megami Tensei ou um bom Persona?

    Nenhum dos dois! Mas calma, eu explico...

    Um dos critérios mais equivocados que li em diversas reviews e análises é justamente esse caráter comparativo com as séries "principais" dos jogos. Por mais enraízada que sejam as mecânicas de gameplay, Soul Hackers 2 - e a franquia Devil Summoner - tenta apropriar essas características de forma diferente, em uma tentativa, que eu consiedero bem sucecida, para formar uma identidade própria. 

    Soul Hackers 2 pega diversos elementos de Shin Megami Tensei como a temática mais obscura e ocultista dos demônios e seus contatos com os humanos. Ao mesmo tempo que resgata um pouco da interação social que Persona faz - com maestria - sente-se a preseça dessa dicotomia que imerge no encontro de uma atmosfera própria.

    Por um lado temos traços instrísecos e inseparáveis da franquia como o combate em turno, os demônios e seus sistemas de fusões, assim como o desenvolvimento de personagens caricatos e cativantes, ainda que não tão originais.

    III. Então Soul Hackers 2 é um jogo diferente? Como é o ritmo dele?

    Inovador? Nem tanto. 

    O jogo segue um pequeno ritmo linear de progressão. Podemos separar o jogo em dois polos: sua história principal e literal (no mundo real) e sua história paralela (dentro do subconsciente espirtual dos personagens, num mundo figurado).

    O jogo tem uma dificuldade relativamente fácil se comparada aos demais jogos da série principal. Durante os dias no jogo, o jogador fica a vontade para executar diversos planos. Temos uma linha de progressão através da história principal do jogo, seguindos os eventos narrativos dos protagonsitas. Ou seguir por uma rota paralela conhecendo e desenvolvendo mais a narrativa sobre cada personagem, isso acontece em suas respectivas dungeons que existem imersas dentro do Axis. 

    Através do Axis, cada personagem pode desbravar sua Soul Matrix, que é basicamente um emaranhado de dados, sentimentos, lembranças e memórias de cada personagem que se personificou num extenso e expandível calabouço digital. A exploração da Soul Matrix possibilita um avanço de poder e permite conhecermos mais sobre as aspirações e objetivos de cada personagem. 

    Continuando os eventos principais do game, o jogador pode variar entre: seguir a investigação para parar o fim do mundo a risca, se aventurar nos poucos mas muito bonitos pontos das cidades, fazendo requests, fortalecendo os laçoes com os demais membros da equipe através de "hangout events", se fortalecendo cada vez mais através das clásicas fusões de demônios e fazendo upgrades em suas COMPs (armas exclusivas pertencentes aos devil summoners) e outros demais eventos clássicos de um J-RPG do gênero. 

      Alguns pontos da cidade como: o Bar para encontros e Karakucho um centro comercial.


    IV. Quais os pontos fortes de Soul Hackers 2?

    Sua história? Sua músicas? Não, nem tanto.

    Seus personagens? Não no plural. 

    Eu considero que Soul Hackers 2 tem dois pontos fortes: A Ringo (que nao chega a ser A protagonista se fomos analisar bem a fundo o jogo. Não é o caso aqui) e sua estética. Vamos lá...

    Confesso que a minha reação com o anuncio do jogos foi a de surpresa. E uma das caracteristicas que mais me assustou foi a "tal protago". Nos trailers do jogo, eu tive uma impressão de que a Ringo seria mais um desses protagonistas genéricos. Um personagem "bad ass", sem pontos fracos, "sabedor" de tudo, o mais fod#, o típico protagonista de JRPG. E para minha surpresa, a Ringo não é nada disso.

    Logo no início do jogo, somos apresentados a uma personagem carismática, bem escrita e estilosa. Estamos falando de um "organismo sinstético" recém -nascido. Apesar de não humano a atuação e escrita da personagem também não soa de forma robótica e clichê. Ringo vai aprendendo mais do mundo humano conforme vai conhecendo mais sobre as inspirações e desejos de seus colegas de equipe. Tudo é feito de uma forma leve e cativante que torna todas cenas divertidas e interessantes. Dignas de serem lidas.

    E os demais personagens, são ruins? Não, porém nada originais. Temos aqui a configuração padrão e classica de toda "JRPG party": 

    - Arrow o personagem sério e maduro que quer mudar o mundo através da justiça; 

    - Milady a personagem em busca de vingança, que quer acabar com o mundo pois não há justiça nele; 

    - Por fim, Saizo, o alívio cômico da equipe, o personagem que leva a vida na brincadeira, sem responsabilidades fixas. 

    - E a Figue? Pra ela eu dou um pouco de crédito, podemos considerar a Figue como uma irmã mais velha de Ringo, que também transborda esse ar de inocência em estar descobrindo o mundo aos poucos, mas com uma escrita mais responsável e séria. 

    Pronto, garanto que não preciso mais dizer nada sobre os personagens para você entender o que eu quis dizer!                                                    

    E o segundo ponto? Ah sim, sua estética. Aaaaah que lindo...
    A temática "neonpunk", futurista é algo que sempre me chamou a atenção. Todo esse viés tecnológico que anda completamente fundido as pessoas em um futuro distópico (na maioria das vezes) é sempre muito poético. 

    Porém, reconheço que pode causar um certo desconforto visual. Cores vibrantes, neon, luzes mirabolantes e etc. Não é o caso em Soul Hackers 2. Sua paleta de cores, assim como todo seu visual estético passou por uma supervisão muito caprichosa e balanceada. Apesar das cores vibrantes, nenhuma chega a machucar os olhos, todo visual dos personagens convie em harmonia com o ambiente. 

    O HUD, os menus, as falas e textos do jogos, são aconchegantes e muito bonitos. Você lê durante minutos e não se cansa. Por isso dou um mérito pessoal em cima desse aspecto. Não é algo fácil de se fazer! 

                                                Um pouquinho do visual do jogo.


    V. E aí, vale a pena?

    Na minha opinião,  vale a pena para os entusiastas e curtidores do gênero. Desde que o jogo esteja em uma promoção boa. Não é um jogo que eu pagaria full price, (tanto que eu não paguei).
    Soul Hackers apesar de um visual bacana e personagens cativantes não possui uma história original tão menos um nível de desafio que te motive a jogar várias e várias vezes. Você vai querer terminar o jogo duas vezes, pois ele oferece dois finais completamente diferentes e o recurso do New Game Plus para continuar progredindo, porém tudo isso vem de uma forma muito fácil e rápida. Não quero aqui, romantizar dificuldade (ja basta a vida), mas se é para direcionar uma grana (e não é pouco, afinal, os jogos no Brasil estão absurdamente caros) que seja num jogo um pouco mais complexo e duradouro. Mas se você esta buscando um JRPG numa atmosfera futuristica, de combate por turnos e não tão longo, essa pedida pode vir a calhar!  


    Outras informações e Curiosidades

    Qual é a minha versão do jogo? Soul Hackers 2 - Deluxe Ediiton (PS4)

    Comprou por quanto? Paguei R$ 120,00 numa promoção de fim de ano, na Playstation Plus.

    Demorou quantas horas para completar o game pela primeira vez? Minha primeira run foi de 70 horas, completando todos os conteúdos extras, farmando, grindando, buildando os personagens e seus demônios para a segunda run. 

    Platinei o game na segunda run, através do New Game Plus em 10 horinhas. Logo, meu tempo total de jogo foi de 80 horas. Ou seja, o game pode ser cortado pela metade, caso queira apenas completar o jogo pela história. 

    Alguma dica? Pelo fato do jogo não ser tão difícil, eu acho um pouco relativo essa questão das dicas. Mas lá vai algumas: 

    1. Use seus itens durante as explorações das dungeons. O jogo te dá MUITO item, você não vai usar 20% da variedade de itens que o game disponibiliza, então use-os e torne seu gameplay ainda mais tranquilo.

    2. Coma antes de epxlorar as dungeons. Assim que você abrir a opção de cozinhar, cozinhe! Sempre que você entrar e sair de uma dunegon o efeito da sua comida termina, então, dê um pulo na safehouse e cozinhe outra vez.

    3. Use o "demon-recon". Essa mecânica é explicada logo nos primeiros minutos de jogo. Sempre troque uma ideia com os demônios espalhados pelo mapa, eles sempre te darão itens, dinheiro e materiais. Inclusive, quanto mais demônios em seu stock, mais vezes eles aparcerão para você! 

    4. Quer um desafio maior? Coloque o jogo no "Hard" e builde seus demônios. Jogar o jogo no "Difícil" não é tão difícil, mas aumenta consideravelmente a força dos inimigos, mas isso é facilmente contornado se você montar uma build estratégica, focando nos principais atributos da sua COMP (arma), elementos e afinidades de cada personagem. 

    Abaixo eu deixo as minhas builds. Fiz elas no end game da minha primeira jogada. Minha segunda run foi no "Very Hard", um passeio no parque.

    Ringo & Zeus


    Arrow & Lilith

    Saizo & Seth

    https://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/2...(img)

    https://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/2...(img)

    Milady & Amon

    https://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/2...(img)

    https://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/2...(img)

    • Trailer de Anuncio do jogo:

    Se você leu até aqui, muito obrigado. Viu alguns errinhos de português ou digitação? Sem problemas, um dia eu dou uma revisada. Juro que sei escrever, mas a preguiça me vence as vezes!

    Até algum dia, espero que em breve. Quero muito voltar a compartilhar minhas experiências nos vastos mundos e dimensões dos jogos que ainda são minha paixão, porém cresci, como todos nós, tenho rotinas e responsabilidades, infelizmente e isso me tirou muito do mtempo e disposição que eu tinha. Espero muito que o Alvanista ainda continue aqui quando vier a inspiração e vontade de escrever novamente, haha. Beijão!  

    Soul Hackers 2

    Platform: Playstation 4
    4 Players

    12
  • gigahertz gigahertz
    2023-01-02 01:43:30 -0200 Thumb picture

    Finalizado!!!

    Sinceramente, nem sei por onde começar a falar. Acabei de finalizar o Tales of Arise e foi uma experiência realmente memorável. Que jogão, meus amigos! Personagens, jogabilidade, visuais gráficos, trilha sonora, roteiro, ritmo de narrativa... Adorei absolutamente TUDO no jogo! Pra mim, foi um daqueles jogos que você termina 100% satisfeito, que te entrega tudo o que você esperava e mais um pouco. 57 horas de gameplay muitíssimo bem gastas. Se você curte RPGs da melhor qualidade, pode ir sem medo nesse aqui.

    Primeiro jogo finalizado em 2023! O plano era terminar ele antes da virada de ano, mas acabou ficando pras últimas horas do dia 01 de janeiro. Agora eu provavelmente vou mirar em alguns jogos mais curtos, antes de voltar a jogar algo maior novamente.

    Tales of Arise

    Platform: PC
    32 Players
    41 Check-ins

    16
    • Micro picture
      ersatzgott · 3 months ago · 2 pontos

      Você não achou o ritmo da segunda metade ruim, não? Tem uma parte que tem uma exposição de 3 horas e uma dungeon gigantesca com inimigos bullet sponge

      4 replies
  • gigahertz gigahertz
    2022-12-23 00:39:02 -0200 Thumb picture

    Alva de volta! E seguindo em frente no Tales of Arise!

    Fazia um bom tempo que eu não tomava um porre de RPG como tomei hoje, joguei até cansar e consegui dar uma boa avançada na história. Coisa maravilhosa, poder jogar sossegado nas férias sem se preocupar com o Mestrado (que finalmente terminou!). Devo estar chegando mais ou menos na metade do jogo, agora que engrenou devo conseguir jogar por mais tempo e dar uma acelerada. Sobre o jogo até agora? JRPG da melhor qualidade, com uma jogabilidade deliciosa e um visual gráfico espetacular!

    OBS: Que bom que o Alva voltou! Já tava com saudades!

    Tales of Arise

    Platform: PC
    32 Players
    41 Check-ins

    21
  • gigahertz gigahertz
    2022-11-24 22:48:29 -0200 Thumb picture

    Joguinho da Black Friday!

    Ainda estava com a versão piratona dele instalada no PC e já tinha jogado umas boas horas do início do jogo. Mas curti tanto o Tales of Arise que resolvi comprar o original na promoção da Nuuvem. Vai ser o único jogo que vou pegar nessa Black Friday.

    Ainda sim, acho que vou continuar jogando o Assassin's Creed Valhalla por algum tempo, antes de voltar pro Tales of Arise. Devo começar a ter um pouquinho mais de tempo pra jogar de agora em diante.

    Tales of Arise

    Platform: PC
    32 Players
    41 Check-ins

    18
    • Micro picture
      supermarkosbros · 4 months ago · 3 pontos

      Jogão, gostei demais

    • Micro picture
      santz · 4 months ago · 2 pontos

      Esse tem no Game Pass. Devo dar uma testada lá primeiro antes de comprar.

    • Micro picture
      ersatzgott · 4 months ago · 0 pontos

      Tomara que você goste da segunda metade pro seu dinheiro valer a pena

  • renegadoomgames RenegaDoom Games
    2022-08-11 11:00:29 -0300 Thumb picture

    27 anos de Chrono Trigger no ocidente

    Há exatos 27 anos, Chrono Trigger era lançado no ocidente. O jogo foi desenvolvido pela Squaresoft com um time de desenvolvedores que ficaram conhecidos como 'Dream Team'. Vamos relembrar esse clássico do J-RPG! #chornotrigger#jrpg#snes#16bits

    Chrono Trigger

    Platform: SNES
    14082 Players
    484 Check-ins

    6

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...