• anikabonny Anika Bonny
    2022-01-10 01:26:02 -0200 Thumb picture

    How Buddy's Parents Met (PC)

    Um jogo de quebra-cabeça, no qual cada ilustração mostra como os pais de Buddy (o gatinho) se conheceram.Análise: https://www.bit.ly/3Fan3Qi
    7
  • anikabonny Anika Bonny
    2021-10-08 01:12:51 -0300 Thumb picture

    Neon Depth (PC)

    Mais um jogo brasileiro para vocês conhecerem!

    Neon Depth mistura puzzle com plataforma e deixa explicitamente claro que o erro é necessário para a progressão.

    E é na tentativa e erro que você vai explorando as fases e entendendo as macânicas para passar de fase.

    Análise completa: https://nerdtrash.com.br/neon-depth-pc/

    14
  • anikabonny Anika Bonny
    2021-06-29 22:51:10 -0300 Thumb picture

    Chicken Holmes (PC)

    Um point and click que traz uma curta e cômica experiência, no qual você é pinto detetive e deve entrar em uma casa para investigar o desaparecimento de Rubens, o açougueiro.

    Análise completa: https://nerdtrash.com.br/chicken-holmes-pc/

    10
  • anikabonny Anika Bonny
    2021-06-27 23:08:03 -0300 Thumb picture

    Cartomante (PC)

    Como o próprio nome sugere, esse jogo é uma visual novel na qual você é uma cartomante e utiliza o tarot para aconselhar seus clientes.
    O jogo ocorre numa tarde qualquer, próximo ao final do expediente.

    Análise completa: https://nerdtrash.com.br/cartomante-pc/

    6
  • anduzerandu Anderson Alves
    2021-03-06 16:49:14 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Dininho Adventures

    Zerado dia 06/03/21

    Tenho jogado um jogo meio grande e lento há um tempo e infelizmente não tenho gostado muito dele como todo mundo parece o adorar. Talvez eu precise de mais tempo investido nele, mas graças a ele eu andei meio desmotivado a jogar video games recentemente. Sem saco pra voltar ainda, resolvi começar esse tal de Dininho Adventures, um jogo brasileiro de plataforma sidescrolling e aparentemente mais casual. E adivinha só? Eu também não curti e isso me fez arrastar o joguinho por muitos dias.

    Eu conheci DA há uns meses, quando foi lançado para o Switch e um pessoal do grupo do console no Facebook fez uma certa propaganda. Achei o jogo bem "whatever", mas ser feito por brasileiro acaba me deixando levemente curioso, fora que parecia ser fácil e barato.

    Logo houve uma promoção bem bacana e eu peguei o jogo com algumas moedas de ouro da minha conta Nintendo.

    Como já mencionado, DA é um jogo de plataforma sidescrolling, daqueles que você só tem que chegar até o final enquanto lida com diversos inimigos, mecânicas e armadilhas no caminho.

    O protagonista, o próprio Dininho, pode pular com B e correr ao segurar o botão Y. Apenas apertar Y ainda faz com que ele ataque com sua cauda, movimento raramente usando senão em inimigos iniciais e em determinadas partes em que devemos rebater algo.

    Há coletáveis pelas fases, mas nenhum deles é obrigatório. Um desses coletáveis são os ovos, que basicamente funcionam como moedas no Mario (mas não dão vidas) e desaparecem assim que os coletar (não retornam caso você morra). O outro é uma chave escondida em todas as 20 fases principais que desbloqueiam um mundo extra.

    Na minha primeira jogatina eu joguei como jogava Super Mario Maker 2 pois o tempo de término de cada estágio fica demarcado em um ranking entre você e seus amigos. Resultado: alguém tinha terminado o primeiro estágio em 34 segundos e eu me empenhei em bater esse tempo (e nunca consegui). Adorava fazer isso no Mario Maker, que ainda notifica os amigos que os tempos deles foram batidos.

    Depois voltei a jogar sério. Mas o jogo nunca deslanchou pra mim. É tudo bem simples e basta correr por aí. O level design não me pareceu nada interessante e, bem, é isso. Aparentemente o jogo veio da Steam e celulares.

    Eu estava jogando por jogar e não estava me divertindo, mesmo "tentando". Percebi também que meus amigos iam largando o jogo pois logo os rankings foram se esvaziando conforme eu progredia pela campanha enquanto os que sobravam terminavam cada fase com tempos altos.

    O jogo não tem um sistema de vidas, você pode morrer a vontade sem medo e das duas, uma: voltará para o início da fase ou voltará à bandeira de checkpoint, que fica mais ou menos na metade de cada fase. Inclusive, esse é um dos pontos mais baixos desse título: a falta de checkpoints adicionais. 

    Algumas fases são bem longas e com desafios bem chatos e voltar tudo porque não chegou à bandeira (e muitas vezes por conta de mini-bugs, jogabilidade falha e armadilhas difíceis de evitar) é bem frustrante.

    Volto a reiterar que o level design deixa a desejar, assim como a disposição de inimigos e desafios dos cenários e que parecem terem sido feitos pra você morrer mesmo muitas vezes e continuar tentando até aprender e memorizar tudo.

    A bandeira é um grande alívio no final da aventura, que se torna bem difícil. BEM DIFÍCIL! Completamente o oposto de como o jogo começa.

    São poucos mundos (4 com 5 fases ou 5 com 4 fases, não me lembro) e cada um com sua temática própria. O jogo até tem uma boa variedade de inimigos e mecânicas únicas de certas fases, mas nada muito memorável ou bem explorado, ao meu ver. Tanto que só lembrei da maioria dessas coisas quando fui pesquisar imagens do jogo no Google.

    No final de cada mundo há um chefe, que é sempre o mesmo monstro, como se fosse o Bowser do mundo do Dininho. Esse inimigo sempre tem mecânicas de batalha diferentes e condizentes com coisas que você fez pelo mundo atual, o que é bacana.

    Avançando, logo fui deixando a neura de coletar todos os ovos de lado e esqueci de buscar as chaves secretas. Os tempos eu nem via mais quem fazia melhor (lembrei na última, um único amigo tinha chegado lá e a terminado em 20 minutos, achei bizarra a demora mas terminei em 23+).

    Já no final do jogo, eu estava com os nervos à flor da pele. DA estava exigindo comandos rápidos e precisos, coisa que nem ele mesmo fornece e mesmo sabendo o que fazer, eu tinha resultados diferentes a cada vida.

    Definitivamente o jogo estava exigindo um empenho muito grande confiando que alguém estivesse curtindo o bastante pra se esforçar. Na minha opinião, o jogo simplesmente ficou mal feito e até quebrado nos últimos mundos.  Foi de um jogo completamente besta e infantil para um daqueles jogos zoados que a gente alugava ne infância e se arrependia por não conseguir fazer muita coisa.

    Eu não conseguia parar de me perguntar o motivo de estar jogando esse jogo. Ou a quem eu recomendaria. Ou quem jogaria. Mas eu e minha coisa de ir até o final.

    Agora, não me entenda mal! Dininho Adventures não é péssimo e talvez nem sequer ruim, mas não é um título que faz diferença, existindo ou não. Nem algo a ser orgulhar por ser do mesmo país que eu.

    Resumindo: Dininho Adventures é um jogo "tanto faz", mas as coisas complicam um pouco quando eu tenho tanto jogo mais relevante pra jogar, ou se eu estivesse tentando voltar a animar com video games (se estivesse cansado). O jogo não é ruim, apenas fraco e simplório e um pouco apelativo de uma forma negativa. Vale o preço quase dado das promoções? Porque não? Mas não é um jogo divertido.

    De bom: visual pixelado colorido legalzinho (não é nostálgico). Mecânicas diferentes em diversas fases (apesar de mal exploradas e esquecidas). Sistema de ranking entre amigos (como o jogo é baratinho, há uma chance de muitos terem, apesar que o povo larga bem no início). É possível voltar nas fases anteriores, pegar o segredo e já sair sem perder o coletável, bem útil pra quem gosta de fazer 100%.

    De ruim: física zoada. Muitas mortes "gratuitas" e tentativa e erro é o termo mandatório da experiência. Level design fraco. Jogabilidade ruim, ainda mais correndo e tentando se manter em plataformas (sendo que momentum muitas vezes é mandatório). Um checkpoint por estágio, mesmo com diversas "seções" difíceis seguidas. Estressante e frustrante por motivos nada legais.

    No geral, curto apoiar a iniciativa brasileira no mundo dos jogos sempre que o jogo parece no mínimo bom e já até terminei um bocado no Switch e publiquei aqui no Alvanista. DA não é o pior deles e na verdade chega bem perto de ser um jogo muito legal, mas falta uma polida maior. Totalmente passável.

    Dininho Adventures

    Platform: Nintendo Switch
    1 Players

    13
  • anikabonny Anika Bonny
    2020-08-04 12:06:17 -0300 Thumb picture

    Wind Peaks (PC)

    Wind Peaks é um jogo brasileiro de objetos ocultos que conta de forma bem descontraída a história de um grupo de estudantes que está caçando um tesouro.

    Análise completa: https://nerdtrash.com.br/wind-peaks-pc/

    21
    • Micro picture
      topogigio999 · about 2 years ago · 2 pontos

      Gosto de jogos assim, já ate coloquei na minha wishlist

      1 reply
  • andre_luiz André Luiz Alvares
    2020-06-27 16:17:35 -0300 Thumb picture
  • anikabonny Anika Bonny
    2020-03-10 14:24:22 -0300 Thumb picture

    Lucie (PC)

    JOGO GRATUITO NO STEAM

    JOGO BRASILEIRO

    Lucie é um jogo feito em RPG Maker, cujo o objetivo é explorar os cenários e tentar escapar de dentro de um sonho (que na verdade é um pesadelo).

    Review completo: https://nerdtrash.com.br/lucie-pc/

    21
    • Micro picture
      lgd · over 2 years ago · 2 pontos

      Saudades do RPG Maker

    • Micro picture
      noblenexus · over 2 years ago · 2 pontos

      Legal ver projetos terminados em RPG Maker, a maior parte morre na praia.

      4 replies
  • anikabonny Anika Bonny
    2020-02-29 00:03:41 -0300 Thumb picture

    Alpacapaca Double Dash (PC)

    JOGO BRASILEIRO

    Uma maldição caiu sobre os livros da garota mágica Emily e agora cada história é contada por duas perspectivas diferentes. Controle as alpacas de Sophie e Elise, seja absorvido pelos livros, extraia os cristais mágicos de dentro deles e escolha qual versão da história é a correta!

    Diferente do Alpacapaca Dash, esse é um jogo de plataforma com pitadas de puzzle e rico em história.

    Review completo: https://nerdtrash.com.br/alpacapaca-double-dash-pc/

    15
  • anikabonny Anika Bonny
    2020-02-17 10:43:11 -0300 Thumb picture

    Sky Racket (PC)

    Mais um ótimo jogo brasileiro para vcs conhecerem!

    Sky Racket é um jogo que mescla shmup com Arkanoid.

    Controle a RacketGirl ou o RacketBoy e salve a galáxia do terrível Korrg! Sua missão é rebate os tiros dos inimigos, fazendo com que eles voltem e os derrube.


    Review completo: https://nerdtrash.com.br/sky-racket-pc/

    17

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...