• pedradagamer Pedrada Gamer
    2022-11-05 12:12:53 -0200 Thumb picture

    It Takes Two | Parte 04

    Neste vídeo apresento para vocês a continuação da nossa série em gameplay jogando It Takes Two no PC. O game foi lançado em 25 de março de 2021 pela EA Originals e desenvolvido pela Hazelight Studios para as plataformas Microsoft Windows, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series X/S. Gravamos o vídeo deste passo a passo parte 00 sem comentários via XCloud (Xbox Cloud Gaming) para valorizar a narrativa do game.

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    2
  • 2022-09-15 13:12:26 -0300 Thumb picture
    Post by clubeludum: <p>Hoje temos um pequeno vídeo especial! Eu e meu a

    Hoje temos um pequeno vídeo especial! Eu e meu amigo, Rodrigo Mazurk, fizemos comentários breves sobre o que achamos do jogo It Takes Two. O que você achou do game?

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    3
  • 2022-09-14 13:40:09 -0300 Thumb picture
    Post by clubeludum: <p>Vencedor do prêmio de Melhor Jogo de 2021 no Gam

    Vencedor do prêmio de Melhor Jogo de 2021 no Game Awards, It Takes Two é o próximo jogo a ser analisado no Clube Ludum. Como sempre, uma análise breve e objetiva.

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    10
  • pedradagamer Pedrada Gamer
    2022-08-13 01:00:45 -0300 Thumb picture

    It Takes Two | Parte 02

    Neste vídeo continuamos a nossa saga com o jogo It Takes Two. O game foi lançado em 23 de outubro de 2020 pela Electronic Arts e desenvolvido pela Hazelight. Jogamos via Xbox Cloud Gaming e como apresentado o jogo rodou muito bem no PC.

    Você conhece o jogo It Takes Two? Embarque na jornada mais maluca da sua vida em It Takes Two, uma aventura de plataforma totalmente inovadora criada exclusivamente para o jogo cooperativo. Convide um amigo para se juntar de graça com o Passe de Amigo* e trabalhem juntos em uma enorme variedade de desafios deliciosamente perturbadores. Jogue no papel do conflituoso casal Cody e May, dois humanos transformados em bonecos por um feitiço.

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    3
  • gamesbr Games BR
    2022-07-28 06:14:19 -0300 Thumb picture

    Os 5 últimos jogos que venceram o The Game Awards

    Medium 3926732 featured image

    O The Game Awards é o principal evento de premiação de games do mundo, sendo responsável por atrair as atenções de todos os fãs de games ao redor do planeta. O evento acontece nos mesmos moldes do “Oscar” para os filmes, tendo categorias diferentes e com o prêmio “Game of The Year” (GOTY), que é considerada a categoria principal, entregue ao final da noite.

    Os vencedores são determinados por uma votação mista entre o júri eleito pelo evento e o público, com uma relação de 90% para os especialistas e 10% para o público geral. Os fãs podem votar em seus jogos favoritos pelo site do evento The Game Awards, e mídias sociais em algumas categorias selecionadas. A votação dos fãs encerra às 18h, horário do pacífico, algo próximo das 21h de Brasília do dia que antecede o evento.

    O evento é assistido por muitos fãs ao redor do mundo, a edição de 2021 foi vista por 85 milhões de espectadores, o que é considerado um “recorde” em eventos do gênero. Toda essa quantidade de espectadores mostra como o segmento de games ocupa uma parcela relevante no mercado do entretenimento.

    O engajamento é impulsionado também por grandes plataformas, como Twitch e Youtube e o mercado não se limita apenas aos grandes projetos de jogos por empresas imensas e centenas de funcionários, mas também envolve milhares de jogos lançados anualmente, uns muito lucrativos, que pequenos grupos indies ou apenas uma pessoa criam e se tornam grandes sucessos, dentre todos os segmentos, temos Undertale como um exemplo já muito conhecido, Candy Crush que cresceu com os anos em jogos casuais mobile, Gonzos Quest em apostas e até empresas grandes contratando grupos de fãs, como foi o caso de Sonic Mania com a SEGA.

    No mais, vejam a seguir os 5 últimos vencedores da categoria GOTY do evento The Game Awards. Você concorda com eles? Confira:

    2017 - The Legend of Zelda: Breath of the Wild

    O ano de 2017, foi dominado pela Nintendo, principalmente por conta do lançamento do Nintendo Switch. O console portátil veio acompanhado de The Legend of Zelda: Breath of the Wild e Mario Odyssey, os dois principais concorrentes ao prêmio no ano. O primeiro ganhou com muito mérito, sendo considerado um dos principais mundos abertos já lançados.

    2018 – God of War

    God Of War foi, sem dúvida, um dos lançamentos mais aclamados de toda a franquia. O jogo faz uma revolução quanto ao enredo, saindo da mitologia grega e migrando para a mitologia nórdica. Vários elementos de jogabilidade também foram alterados, além da introdução do personagem Atreus, que é filho de Kratos e possui muitas interações marcantes com o personagem principal.

    2019 – Sekiro: Shadows Die Twice

    O game fez a FromSoftware ser finalmente agraciada com o grande prêmio do TGA em 2019, após muitos anos batendo na trave. Sekiro: Shadows Die Twice, com toda sua qualidade, serviu para premiar todo o histórico de grandes lançamentos do estúdio com Dark Souls e Bloodborne.

    2020 – The Last of Us Part II

    O game da Naughty Dog marcou a sequência de uma das franquias mais aclamadas da história dos games. Esperava-se no início de 2020, que Cyberpunk 2077 fosse rivalizar com The Last of Us Part II, mas não foi o que aconteceu, o game da Naughty Dog venceu com bastante facilidade, enquanto o RPG futurístico nem chegou a ser lançado no prazo do evento.

    2021 – It Takes Two

    It Takes Two foi coroado como o “Melhor Jogo do Ano” no The Game Awards 2021 e superou concorrentes como Deathloop, Resident Evil Village e Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão. O prêmio foi a coroação do diretor Josef Fares, com um gameplay cooperativo extremamente divertido e diversificado.

    37
    • Micro picture
      artigos · 4 months ago · 1 ponto

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      kess · 4 months ago · 1 ponto

      It Takes Two mostra que está a começar uma virada nos modelos de GOTY, que antes eram trabalhos advindos das grandes produtoras, os chamados AAA, agora ideias mais simples ganham uma chance.
      Por um tempo era esperado que Elden Ring levasse o título esse ano, mas o simples e simpático Stray ganha cada vez mais espaço.

    • Blank user
      soniyasharma · about 1 month ago · 1 ponto

      the explanation I make it my standard blog of visit to change into my seeing constantly, https://www.modelescortsindelhi.com/ appreciation for clearly sharing obliging and befuddling data

  • pedradagamer Pedrada Gamer
    2022-07-22 19:17:40 -0300 Thumb picture

    It Takes Two

    Você conhece o jogo It Takes Two? Domine habilidades de personagem únicas e interconectadas a cada nível. Ajudem um ao outro em diversos obstáculos inesperados e momentos hilários. Derrote esquilos mafiosos, pilote um par de cuecas, toque música em uma boate animada e deslize em um globo de neve mágico.

    Neste vídeo conferimos o início da gameplay do jogo It Takes Two, lançado em 23 de outubro de 2020 pela Electronic Arts e desenvolvido pela Hazelight. Jogamos o game via Xbox Cloud Gaming.

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    3
  • pedradagamer Pedrada Gamer
    2022-06-18 00:14:24 -0300 Thumb picture

    It Takes Two

    Jogamos It Takes Two | Embarque na jornada mais maluca da sua vida em It Takes Two. Convide um amigo ou amiga para se juntar de graça com o Passe de Amigo* e trabalhem juntos em uma variedade de desafios deliciosamente perturbadores.

    Neste vídeo conferimos o início da gameplay do jogo It Takes Two, lançado em 26 de março de 2021 pela Electronic Arts e desenvolvido pela Hazelight. Jogamos via Xbox Cloud Gaming no PC Dell G5 via Wi-Fi.

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    5
  • 2022-02-17 22:11:50 -0200 Thumb picture

    JOGO DE GRAÇA NA EPIC: Brothers - A Tale Of Two Sons

    Medium 810546 3309110367

    Brothers: A Tale Of Two Sons é o jogo gratuito dessa semana na Epic Games Store, começando nesta quinta-feira (17/Fev).

    De autoria de Josef Fares, responsável pelos jogos A Way Out e It Takes Two (Jogo do Ano da TGA 2021), Brothers: A Tale Of Two Sons é um jogo totalmente cooperativo, onde dois jogadores controlam dois irmãos que partem para uma jornada em busca por um cura para o pai deles, que está doente.

    Brothers: A Tale Of Two Sons fica de graça até o dia 24 de Fevereiro. O próximo jogo será CrisTales.

    Visite: PortalGameBoxBR

    Brothers: A Tale of Two Sons

    Platform: PC
    1006 Players
    98 Check-ins

    11
  • anduzerandu Anderson Alves
    2021-12-19 23:54:10 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: It Takes Two

    Zerado dia 18/12/21

    Dois amigos e eu sempre jogamos umas coisas juntos e adicionamos outros à lista de jogos multiplayer pro futuro. A grande maioria dessas experiências acabam sendo fracas ou mesmo ruins, mas meio que já temos consciência disso ou mantemos as expectativas baixas, como foi com o recentemente terminado ibb & obb.

    Como agora eles moram bem mais perto agora, eles me convidaram para jogar o It Takes Two que, para a minha surpresa, já está disponível no EA Access (isso umas duas ou três semanas antes dele levar o título de Jogo do Ano no The Video Game Awards).

    Estava curioso com esse título desde que soube da sua existência, até porque curti os outros do mesmo estúdio.

    Bom, tiramos o sábado para jogar. Imaginei que não daria tempo de ir até o final, mas acabou dando sim! Mas nos custou o dia todo, da hora do almoço até umas duas horas da manhã (mas nem vimos o tempo passar e fizemos pausas para comer etc).

    De início o jogo já era meio o que eu esperava mesmo, mas tive algumas surpresas. Primeiro que o enredo gira em torno de pessoas realistas. Como eu não vi nada sobre ITT, eu realmente não esperava ver esse tipo de coisas.

    Em segundo lugar, e já relacionado, é que a história acontece graças ao drama de uma família em que os pais resolvem se divorciar e a filha sente o impacto dessa decisão. Para ser sincero, o enredo é bem coisa da Globo Filmes e deu para imaginar que seria o tipo de animação dublada pelo Fábio Porchat e Ingrid Guimarães. Brincamos muito com isso, até porque filmes como Se Eu Fosse Você são piadas recorrentes entre nós e é bem isso mesmo.

    Os pais, sempre muito ocupados, não dão muito atenção à filha, que pede aos seus únicos amigos, seus brinquedos, que seus pais continuem juntos.

    Em seguida os pais acordam como bonecos e, assustados, passam por diversas situações afim de chamar a atenção da filha e voltarem aos seus corpos originais. É aí que entra um tema MUITO recorrente no jogo: reconciliação de casal. Você já assistiu aquele programa "Love School" da Rede Record? Pois é...

    Bom, a temática não me conquistou de primeira, apesar de ser um bom ponto de partida para a história de ITT, e nem me conquistou depois. Situações e discussões se repetem por toda a duração da aventura e fica bem repetitivo. Isso e os personagens que insistem em voltar o tempo todo, como um livro que serve de tutor para unir os dois que as vezes vem, fala um monte de coisas de união, cooperação e amor, some e volta em sei lá, 1 ou 2 minutos para falar mais do mesmo em cutscenes.

    Na verdade esse lado positivo e racional da experiência chegou a ser meio "cringy" e eu comecei a me questionar se eu não era o público do jogo se eu não estivesse jogando com uma esposa.

    Porém, JOGO DO ANO

    Não conseguíamos ignorar os defeitos de ITT, então acabávamos fazendo piadinhas com o GOTY com alguma frequência.

    Mas o fato é que a graça dele era a jogabilidade, não o enredo que chegou a se tornar chato.

    Cada fase acontece numa parte da casa. A primeira é naquelas cabanas que os americanos guardam ferramentas e tralhas. Aprendemos a correr, pular, pulo duplo, dash (inclusive no ar) e os demais movimentos. Não vou mentir que estranhei um pouco essa alta mobilidade e quantidade de movimentos no início pois os personagens são bonecos, mas a verdade é que você tem que interpretar a cosia toda como um sonho ou viagem da imaginação pois os desenvolvedores puderam e tomaram muitas liberdades na aventura. Basicamente, não é algo realista e tudo é permitido.

    Nesse primeiro estágio aprendemos a primeira habilidade dos protagonistas: ele atira pregos e ela usa uma ponta de martelo para se pendurar neles quando presos nas paredes. Todas as fases do jogo tem temáticas diferentes e mecânicas/habilidade diferentes, e isso é muito divertido!

    E falando nessas habilidades, elas costumam funcionar de forma complementar: eu interajo com um objeto com o meu poder para que você possa usar o seu e vice-versa. É importante saber disso pois ITT é completamente focado no trabalho cooperativo de duas pessoas e não tem como ser jogado sozinho. 

    Ou são duas pessoas localmente, ou são duas online (não testei se é possível jogar de dois online com apenas uma cópia como no A Way Out, mas chuto que sim). Não há modo Single Player e não há como avançar mesmo tendo dois controles e deixando um deles parado (talvez alternando, mas há ações a serem feitas simultaneamente).

    A dica do dia é baixar e usar o programa de PC chamado Parsec, que faz com que as pessoas joguem ou assistam jogos como se estivessem usando um único computador. Esse programa gratuito permite que um host faça stream da sua máquina online e os outros possam logar e o delay é quase imperceptível. Funciona bem mesmo em máquinas mais fracas e It Takes Two provavelmente está mais forte agora por lá mais do que nunca!

    Uma das partes legais do jogo é que os cenários costumam ser grandes em diversas partes e ele é splitscreen o tempo inteiro, mesmo estando um ao lado do outro. Assim como o A Way Out, é possível se separar para muito longe e há caminhos exclusivos para um ou outro certos momentos.

    Uma das partes chatas é que as fases são um pouco longas demais. O uso das temáticas e mecânicas acaba ficando muito repetitivo do tanto que a coisa se arrasta e fazemos puzzles parecidos uns com os outros. Eu ficava cansado e passava o controle pro outro amigo sempre que terminava um estágio, então a dica é mesmo jogar um cenário por vez e já que são 7 no total, fazer com que a experiência dure no mínimo uma semana. Talvez metade disso para os mais apressados. Houve um momento que um dos amigos imaginou que estivéssemos na metade da aventura pela forma como as coisas estavam se desenvolvendo. Pesquisei online e estávamos na segunda fase. Eu realmente achei o jogo meio arrastado.

    Fora isso, as fases são meio lineares, com exceção dos puzzles. O fato é que se há um caminho na sua frente, é para lá que você vai seguir e seguir sem olhar para trás. Não há motivos para explorar, segredos ou coletáveis, então nem perca seu tempo. Uma pena. Como jogamos no PC pela EA, não haviam conquistas também.

    Para sair da mesmice e linearidade, a liberdade dos criadores permitiu diversos tipos de variações mesmo em cada fase e muitas referências engraçadinhas.

    Houve um momento de luta estilo Street Fighter, voos estilo Star Fox, patins no gelo ou Bobsled pela diversão e inúmeros minigames opcionais e competitivos em que era eu contra o meu amigo. Legal! E esses minigames são adicionados ao menu principal de ITT e podem ser acessados a qualquer momento posteriormente para dar uma sobrevida bacana a ele.

    Gostei de uma seção de uma fase em que o jogo se tornou um clone de Diablo. Uma pena que foi um momento relativamente curto. Rimos muito quando derrotamos um chefe que caiu na lava se derretendo e eu fiz o "joinha" do Exterminador do Futuro e o boss fez o mesmo dois segundos depois, haha.

    Mas eu enjoei, e enjoei muito conforme jogávamos. Quer dizer, o jogo deslanchou e deixou a mega simplicidade do início de lado e se tornou algo melhor e mais bem pensado, sobretudo com alguns puzzles surpreendentes, mas algumas coisas me cansaram muito:

    -Os personagens. Jesus. O personagem masculino, Cody, é meio babaca e chato. Eu realmente odiei o personagem.

    -O lado hollywoodiano do jogo, que é bem forte. Parecia um daqueles filmes que passam no Domingo a tarde na TV. As personalidades e como o enredo é contado. Isso geralmente é bem pop e dá certo para a maioria das pessoas, mas não é o caso comigo, infelizmente.

    -Pequenos furos ou falta de lógica na história. Isso é coisa minha, mas eu tive dificuldade de conseguir dividir até onde o jogo era pé no chão e até onde tudo era permitido.

    -As cutscenes, muito recorrentes, com os mesmos personagens, mesmos tons de voz e situações, lições e pensamentos parecidos.

    -Os personagens cometem atos completamente babacas para conseguir algo, inclusive torturando outros personagens de forma bizarra e cruel. Coisa sem noção mesmo e não deu pra ficar do lado deles nisso.

    Resumindo: It Takes Two é um jogo muito bacana e que frequentemente inova em seu gameplay, além de trazer uma mensagem positiva para os jogadores. Me perguntei do início ao fim de esse jogo merecia o título de Jogo do Ano 2021, e ainda não tenho certeza sobre a resposta. Acho que ele merece por sua simplicidade de gameplay, sua mensagem e variedade que servem para qualquer jogador, além de ser mais Pop. Mas eu ainda ficarei devendo um certeza que ele é melhor do que um Metroid Dread ou mesmo Ratchet & Clank: Rift Apart. Um dos amigos desgostou de ITT e mencionou que o jogo não chegou aos pés do Psychonauts 2.

    De bom: jogo muito bonito. Legendas e textos em Português brasileiro. Co-op local ou online muito bacana para duas pessoas. Simples para qualquer um conseguir terminar. A experiência é quase uma terapia para casais ou livro de autoajuda. Muita variedade de gameplay e mecânicas de fase para fase. Total autonomia no splitscreen. Umas referências bacanas, como um áudio que achei do criador falando mal da premiação do Oscar há alguns anos na E3.

    De ruim: fases que se alongam demais e repetem demais seus puzzles e usos da habilidade. Acredito que a falta de uma dublagem em Português infelizmente afeta um pouco da experiência para algumas pessoas, inclusive filhos que possam estar assistindo os pais jogar. Os protagonistas agem de forma babaca e cruel em alguns momentos. O final da história é horrível. O lado hollywoodiano e o personagem masculino são um pouco irritantes.

    No geral, curti a experiência e definitivamente é o melhor jogo da produtora (gosto bastante do A Way Out e seu lado mais realista) e não só recomendo para os leitores do Alvanista como recomendarei para amigos específicos, sobretudo casais que jogam casualmente. Mas não senti que a experiência foi forte ou marcante para mim. Foi como ver um filme de animação 3D, bonito e divertido, mas não o que eu consideraria uma obra de arte ou "masterpiece". Valeu o GOTY? Talvez. Variedade e diversão versus uma concorrência duvidosa. Pra mim, apenas mais um jogo.

    It Takes Two

    Platform: PC
    55 Players
    9 Check-ins

    16

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...