• anduzerandu Anderson Alves
    2021-04-12 15:30:39 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Gris

    Zerado dia 12/04/21

    -Não encontrei a versão de Android-

    Desde que esse jogo foi lançado, a comunidade do Nintendo Switch não para de o recomendar. "Lindo", "incrível" e "uma experiência única" são alguns dos comentários que mais vejo quando o título vem a tona.

    Não passou muito tempo para eu descobrir que essa era uma daquelas experiências artísticas, mais voltadas pro audiovisual do que o gameplay em si. Um daqueles jogos mais filosofais. Bem, o povo adora por algum motivo.

    Fiquei à espreita em busca de uma promoção no console, mas mesmo quando ela vinha, não era lá essas coisas, cerca de R$35, e eu acaba sempre dando prioridade para comprar outras coisas. Eu sempre mantive o pé atrás. Há algum tempo dei uma pesquisada em Gris e vi que ele havia saído para outras plataformas, incluindo Android, o que é muito bom! Mesmo odiando jogar no touchscreen, resolvi dar uma chance à ele visto que provavelmente seria um jogo tranquilo de jogar.

    Ao abrir o jogo é mostrada uma mensagem que recomenda o uso de fones para curtir a experiência corretamente. Como estava jogando Gris em filas, consultório do dentista e afins, eu não estava respeitando a regra e achando o jogo bem sem sal, mas ao jogar a sério em casa, eu recomendo demais os fones! Além da imersão, a trilha sonora é provavelmente o ponto mais alto da aventura.

    Iniciando a campanha, é perceptível de cara o visual cartum super bonito e que parece ter sido pintado com aquarela. A arte me remeteu muito àquela de animações mais sérias (ou adultas) antigas, do final dos anos 70 e 80. Há um quê de Disney e a elegância das ilustrações de Gerald Scarfe no filme The Wall (Pink Floyd).

    E como qualquer animação de respeito, esses desenhos não envelhecem nunca! Eu senti que é o tipo de coisa que tem um apelo para quem curte essas animações desde as antigas, mas que parece tão atual que até o mais jovem jogador acharia deslumbrante!

    Já no quesito gameplay, Gris é o que eu já esperava: um "walking simulator". Você anda pra cá, pra lá, de vez em quando até tem que dar umas voltas por um cenário enquanto muitas vezes só segue o caminho óbvio. É daquele tipo de jogo "aprecie o cenário".

    Além de andar e pular, há uns puzzles aqui e ali que exigem exploração do mapa atual, pular plataformas, usar das mecânicas dos cenários e alcançar determinados pontos para a coleta de esferas de luz. Com o número necessário delas, serão criadas rotas para dar prosseguimento na aventura.

    Cada área nova que você jogar acaba garantindo um novo power-up, obrigatório para terminar o jogo e que ainda ajuda um pouco na mobilidade (seria legal poder rejogar tudo já come eles desbloqueados). Um desses poderes te transforma num cubo que resiste a ação de ventos forte, faz peso e quebra chãos quebrados. Outro é o pulo duplo + poder planar. Há um power-up que te faz nadar (e rápido como um peixe) e por aí vai.

    Depois de um tempo de jogo eu percebi que ele é como um Journey 2D. Definitivamente um jogo para quem curte aquele tipo de experiência. O início até parece um pouco, no deserto e com sua capa voando e a música calma tocando.

    A protagonista é a Gris, uma garota meio deprê e tal (já falo sobre isso). O design dela é bem...curioso, pois seu corpo é uma capa com dois bracinhos fininhos e pretos e uma cabeça normal humana, meio destoante, meio bonito. É quase como se pegássemos um daqueles demoniozinhos pretos do ICO, Shadow of the Colossus ou The Last Guardian e colocássemos a cabeça do protagonista. Enfim, escolhas de design.

    É legal conhecer a Gris conforme avançamos e graças Às eventuais cinemáticas que a mostram bem animadas em close-ups. Eu quase queria apenas assistir esse jogo ou uma adaptação em curta-metragem.

    Já na parte da história, bem, tudo fica bem aberto a interpretações

    Vi muita gente falando sobre depressão ou como o jogo ajudou com casos pessoais da mesma, mas, fora umas viajadas bem grandes, eu acho que você pode tirar a informação que quiser do jogo.

    Superação? Procura por respostas? Busca de um ente querido? Uma metáfora a vida do nascimento à morte e os problemas recorrentes? Você escolhe.

    Só acho que depressão é um assunto muito fácil para ser mencionado (e diagnosticado sobre si mesmo) atualmente. Mas enfim, se você viu um jogo sobre isso, tá valendo! Se você viu um jogo sobre nada, também tá valendo.

    O que posso dizer é que eu não sou muito fã desse tipo de experiência, mas curti Gris. A trilha sonora e algumas partes de gameplay e cenários me cativaram bem. Ser um jogo de apenas 2 horinhas também ajudou bastante com isso.

    Resumindo: Gris é um desses jogos artísticos com mil e uma interpretações. O gameplay é simples e dá pra qualquer um curtir do início ao fim. Eu mesmo empaquei uma vez ou outra! A forma mais fácil que posso descrevê-lo é como um "Journey 2D".

    De bom: arte muito bonita e animações vivas, muitas vezes como um desenho animado. Trilha sonora espetacular. Cada mapa trás novidades e ajuda um pouco o jogo não cair na mesmice. Amo as cinemáticas. Deu pra jogar no celular tranquilamente (mas eu recomendaria numa tela maior e com um controle mesmo).

    De ruim: um bocado "walking simulator". O gameplay as vezes é meio sem sal demais, só andando ou pulando e os puzzles são quase sempre "meh". Muitos cenários são muito parados, nem a vegetação se mexe. Eu não sabia se desgostava mais de ficar andando mas jogando numa boa ou ter que parar nos templos e ficar explorando atrás de bolinhas de luz para terminar puzzles. Acho que o jogo roda a no máximo 30 fps, o que é bem estranho visto que meu celular é bem bom (mais um ponto para levar em consideração outras plataformas).

    No geral, o jogo é legal. Exatamente o que eu já esperava e não faz o meu gosto, mas ao menos é bem breve. Não chorei, nem sorri. Mas fiquei feliz em tê-lo terminado pois no final já estava cansado. Bacana!

    Gris

    Platform: Nintendo Switch
    58 Players
    11 Check-ins

    16
    • Micro picture
      msvalle · 24 days ago · 2 pontos

      Se não me engano, no final tem uma cena escondida que remete à perda.

      1 reply
  • lordlight Matheus Eduardo Light
    2020-12-13 20:47:27 -0200 Thumb picture
    Post by lordlight: <p>Mais uma obra de arte digital, uma inspiração ;<

    Medium 750405 3309110367

    Mais uma obra de arte digital, uma inspiração ;

    A perda, a depressão, as fases do luto, tudo retratado sem palavras, sem escrita, somente pelo semblante da personagem, as cores e o som.
    Um game que mostra que um "jogo" pode ser muito mais que terapia, pode trazer uma mensagem sublime.

    Gris

    Platform: PC
    164 Players
    29 Check-ins

    1
  • clovisalmeida Clóvis Almeida
    2020-09-08 16:53:30 -0300 Thumb picture

    A expressão da perda em forma de cores

    Medium 3825485 featured image

    Gris significa cinza e é como somos apresentados a este universo. Na perspectiva da misteriosa garota, que se vê em um mundo opaco, sem cor e sem vida onde é difícil até mesmo se manter de pé ou seguir em frente. Embora possa ser adaptado a outros tipos de traumas, Gris se mostra uma jornada profunda pelas cinco fases do luto. Sendo necessário transformar a dor em força para seguir em frente e encarar o destino.

    Ser desafiador não é proposta em Gris. Não há inimigo, não há falha, não há novas perdas. Falho é apenas o ato de não seguir em frente, fazer com que a personagem fique estagnada naquele ponto do processo de superação. A dor da perda é um monstro sem forma que a impede de seguir em frente, sendo necessário tornar-se firme e inabalável.

    Conforme a personagem avança, o mundo ganha cor de acordo com o sentimento trabalhado no processo de superação, trazendo uma mistura desses sentimentos e os transforma em algo novo, algo belo. É tirar esses sentimentos do abstrato e adicionar mecânicas condizentes com o necessário a ser feito.

    Andar, correr, cair, mergulhar, flutuar, enrijecer, imergir... nenhuma ação é aleatória. É um convite a olhar para dentro dessas ações e enxergar como elas superam as barreiras impostas pela mente da personagem. Transformando isso numa gameplay simples e tão convidativa, que não se vê necessário a presença de um hud para o usuário.

    Gris é uma experiência contemplativa, propositalmente aberta as dores da personagem em um mundo imerso em simplicidade e beleza. Cada área com suas particularidades, mecânicas e tom. Consegue alinhar uma trilha sonora extremamente sensorial a seus elementos artísticos e a proposta emocional. É olhar pra dentro desses sentimentos e até mesmo quem sabe, supera-los.

    Tão impactante que é admirável ser o primeiro jogo do estúdio.

    Ouça a trilha de Gris.

    Gris

    Platform: Playstation 4
    20 Players
    10 Check-ins

    22
  • sorensenxd Rafael Sorensen
    2020-07-14 10:15:22 -0300 Thumb picture

    Momento para apreciar a beleza desse jogo

    Uma das coisas que mais me marcou no GRIS foi a beleza desse jogo, então acabei ficando o jogo inteiro tirando screenshots

    Gris

    Platform: PC
    164 Players
    29 Check-ins

    10
  • sorensenxd Rafael Sorensen
    2020-07-13 20:24:27 -0300 Thumb picture
    sorensenxd checked-in to:
    Post by sorensenxd: <p><strong style="background-color: initial;">#24 J
    Gris

    Platform: PC
    164 Players
    29 Check-ins

    #24 Jogo zerado de 2020 - PC

    Se eu não me engano a primeira vez que ouvi falar desse jogo foi no 99Vidas, onde o Evandro trouxe ele no 2Pak e em algumas outras vezes ele foi citado em outros podcasts e fiquei curioso pelo jogo

     aproveitei a Steam Summer Sale para adquirir ele por R$12, e posso dizer que foram os R$12 mais bem gastos

    Eu tenho uma dificuldade em jogar no PC, sempre acabo preferindo jogar nos consoles, mas como era a única maneira, dei uma chance, acordei bem cedo um dia e comecei a jogar ele e joguei cerca de 50 minutos e já estava apaixonado pelo jogo, ficar jogando ele foi quase que uma meditação, decidi parar de jogar para não terminar ele muito rápido, já sabia que era curto, mas na hora do almoço dei mais uma jogada e antes de dormir acabei zerando ele kkkk

    A experiência de ter jogado ele foi incrível, é um bem imersivo no mundo dele e cada cor que você vai adquirindo vai deixando ele mais bonito ainda, eu achei ele muito bem feito, o jogo não possuí nenhuma HUD, mas ele meio que te induz a aprender o que tem que ser feito muito automaticamente, tirando o trecho que te congela, todo o jogo eu fui entendendo sozinho o que tinha que fazer e na grande maioria de primeira.

    O jogo é bem curto, porém foi muito bom ter jogado ele, pretendo jogar mais algumas vezes, não sei se quero fazer os coletáveis por que ultimamente isso acabou estragando a minha experiência com outros jogos, mas quero jogar ele novamente, e vai ser aquele jogo que sempre que alguém vier aqui em casa (se um dia isso poder voltar a acontecer né), GRIS vai ser o jogo que eu vou querer mostrar kkkk

    9
  • sorensenxd Rafael Sorensen
    2020-07-12 08:52:46 -0300 Thumb picture
    sorensenxd checked-in to:
    Post by sorensenxd: <p>Como finalizei o Persona 5, fui escolher o novo
    Gris

    Platform: PC
    164 Players
    29 Check-ins

    Como finalizei o Persona 5, fui escolher o novo jogo para jogar, porém, é tanta coisa na backlog, que fiquei em dúvida

    E a bad por ter zerado o Persona 5 (e a bad por ter zerado o The Last of Us 2 continua ainda) não ajuda tanto para decidir qual é o próximo jogo, ainda mais que eu to com uma sequência muito boa de jogos (Yakuza 0, The Last of Us 2 e Persona 5)

    Até que decidi (não o jogo, mas como decidir)

    Legenda dos nomes dos jogos kkkkk:

    1 - Far Cry 3/2 - Watch Dogs 2/ 3 - Ni No Kuni/ 4 - Yakuza Kiwami/ 5 - GRIS/ 6 - Celeste/ 7 - Thronebreaker/ 8 - Kingdom Hearts: Birth by Sleep

    E já comecei a jogar o GRIS e com apenas 50 minutos de jogo, eu já estou adorando o jogo e foi muito bom poder jogar ele logo de manhã, por ser um jogo curto, eu não pretendo ir muito rápido nele, pretendo dar uma jogada assim que eu acordo e antes de dormir, mesmo assim acredito que termino bem rápido

    9
    • Micro picture
      igor_park · 10 months ago · 2 pontos

      Esse é muito bom e vai ter o ápice lá no final

      1 reply
  • diogo_paixao Diogo Louzada Paixão
    2020-05-20 17:50:24 -0300 Thumb picture

    83° Platina =D

    Jogo de respeito e qualidade, foi indicação do @99vidas

    Ficou em promo, comprei, amei.

    Uma experiência sensacional, ótimo jogo de plataforma.

    @platinadores

    Gris

    Platform: Playstation 4
    20 Players
    10 Check-ins

    24
    • Micro picture
      msvalle · 12 months ago · 2 pontos

      Também comprei na promoção, acho que vou jogar logo antes de pegar o próximo jogo grande.

      1 reply
    • Micro picture
      juninhonash · 12 months ago · 2 pontos

      Seu cu quer jogar FF7.

      1 reply
  • rodrigoarkade Rodrigo Pscheidt
    2018-12-13 16:07:55 -0200 Thumb picture

    Análise Arkade: GRIS

    Sem dúvida um dos games mais bonitos dessa geração - quiçá de todos os tempos.

    LINK NA IMAGEM

    Parabéns à Devolver Digital por estar expandindo seu acervo com games deste calibre. <3

    Recomendo fortemente! ;)

    Gris

    Platform: Nintendo Switch
    58 Players
    11 Check-ins

    5
    • Micro picture
      msvalle · over 2 years ago · 1 ponto

      Me interessei muito, pena que só saiu para Switch e PC.

  • supermarkosbros マルコス・アントニオ
    2018-09-08 17:07:22 -0300 Thumb picture
    Post by supermarkosbros: <p>#img#[583650]</p><p>https://www.youtube.com/watc

    Gris

    Platform: Nintendo Switch
    58 Players
    11 Check-ins

    17
    • Micro picture
      rafaelseiji · over 2 years ago · 2 pontos

      Arte bonita

    • Micro picture
      gus_sander · over 2 years ago · 2 pontos

      Linda! A imagem me lembrou vagamente a Max hahaha, acho que por causa do cabelo.

    • Micro picture
      mattfenrir · over 2 years ago · 2 pontos

      Que dahora esse jogo ser espanhol!

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...