• sr_generico Senhor Genérico
    2022-09-18 00:51:24 -0300 Thumb picture

    Jedi Fallen Order é INACREDITÁVEL

    Esse ano eu zerei Jedi Fallen Order e ainda fico maravilhado com o quão bacana e incrível esse jogo consegue ser e a experiência que ele proporciona. Se quiserem ver eu falando com extensão acerca desse jogo, dá uma conferida na review, prometo que não vão se arrepender!

    Star Wars Jedi: Fallen Order

    Platform: PC
    116 Players
    32 Check-ins

    2
  • anduzerandu Anderson Alves
    2022-05-29 00:59:39 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Army of Two: The 40th Day

    Zerado dia 28/05/22

    Jogo de número 7 da minha lista! Só mais 6!

    Que loucura esse dia! Acordei meio tarde e fiquei de preguiça na cama, depois peguei o Switch e fiz as últimas fases de Doom 64. Levantei, peguei o café da manhã e sentei em frente ao computador para escrever dois textos no Alvanista: um sobre o Doom e outro sobre o King of the Monsters (levo cerca de 1 hora para cada). Depois fiz umas coisinhas e comecei a jogar Army of Two: The 40th Day e assim o fiz por um tempo até almoçar um pouco tarde. Dei uma descansada e a tarde saí para correr no parque e gastei um total de 2 horas e meia desde que saí até a hora que voltei. Em casa, comi e voltei pro AoT e o terminei. Tanta coisa em tão pouco tempo!

    E eu definitivamente esperava jogar esse jogo por uns dias. Nem parece que o iniciei ainda hoje. Que doidera essa sensação!

    A verdade é que conheço esse jogo há muitos anos, e é por isso que ele está aqui na lista de pendências. Eu o conheci na casa de um amigo que nem tenho mais contato graças aos desvios da vida. Jogamos bastante lá para 2010 ou 2011, época que saíamos da faculdade e íamos para a casa dele, muitas vezes com mais um ou mais amigos, já com a intenção de ir para jogar muito, comer besteira, ficar acordado e quem sabe até encarar um cinema no meio do caminho.

    O Xbox 360 era o console do momento e ele tinha um bocado de jogos (piratas, claro) e o AoT teve uma temporada em alta pelo motivo de ter campanha cooperativa. Lembro que jogávamos muitas horas até cansar e o deixar de lado até uma próxima vez. Muitas vezes uma pessoa ia lá para a casa dele e se interessava em jogar, então começávamos outro save desde o início da campanha.

    Acredito ainda que posso ter jogado esse título com pelo menos mais uma pessoa por fora desse grupo. Em resumo: eu já o joguei demaaaais, mas bizarramente nunca havia o terminado.

    Mas ao mesmo tempo não é de se espantar tanto já que Army of Two: The 40th Day é só mais um jogo de tiro com poucas cores, se esconder atrás de obstáculos, atirar, recarregar e esperar a vida regenerar. O jogo se resume a atirar em hordas e mais hordas de inimigos, se mover até a próxima área e repetir o processo.

    A verdade é que a fórmula é mesmo um pouco repetitiva e cansativa, sobretudo quando tipos mais fortes de oponentes começam a aparecer e você começa a cair pelo dano a todo momento e tem que esperar seu amigo te ressuscitar, além de que a morte de um dos dois significa missão falhada para ambos e os checkpoints as vezes são meio cruéis e requerem que você reiniciei combates longos já terminados previamente.

    Uma jogatina de horas assim era comum acabar sempre por volta do mesmo ponto, que agora sei que era a penúltima fase. Basicamente chega um momento que fica tenso e você avança para o próximo estágio, onde sabe que terá que fazer o mesmo tipo de coisa e possivelmente com desafio maior.

    Para quem não conhece o jogo (não vou dizer a série porque só conheço esse), ele é uma espécie de Gears of War third party, e isso é muito legal! Você joga com os machões Rios e Salem em terceira pessoa e faz basicamente o mesmo que o Marcus Fenix faz com os alienígenas: atira escondido, caça mais munição, levanta seu amigo caído e até a corridinha é idêntica.

    A diferença aqui é que AoT tem um teor um pouco menos sério mesmo tendo esse lado mais "Call of Duty" de jogos mais americanos.

    A campanha consiste em seguir a lógica e ir avançando pelos cenário, de vez em quando parando para a trocação de chumbo, se posicionar atrás das barricadas e se preparar para derrotar os mais durões e quem sabe pegar uma arma diferente? Muitos inimigos derrubam ainda dinheiro que pode ser usado para comprar armas melhores ou melhorias para as mesmas.

    No espírito cooperativo, é comum que um tenha que dar pezinho ao outro para alcançar locais mais altos e muitos combates são mais fáceis quando trabalhamos em equipe. Um exemplo disso é que há inimigos especiais que tem como fraqueza equipamentos nas costas. Você pode chamar a atenção do inimigo para que seu amigo atire no ponto fraco e vice-versa ao invés de ambos ficarem atirando de frente.

    Aqui um sistema de "Aggro" criado para o jogo entra em jogo e faz toda a diferença: quando mais você atira e mata inimigos, mas a barrinha brilha para o seu lado e menos pro lado do seu companheiro. Quando mais Aggro você tiver, mais os inimigos miram em você, o que também permite que ele aproveite e se posicione melhor enquanto ninguém o percebe.

    Dessa vez eu joguei sozinho (até porque os servidores online dele foram desativados e ninguém liga mais para aquela geração), mas posso dizer com toda a certeza que a maior graça dessa aventura é a compartilhar com um amigo no famoso "couch co-op", ou simplesmente multiplayer de sofá (lembram quando isso existia?).

    Apesar de jogar com um bot e tela só para mim (ao invés de dividida), o jogo fluiu muito bem e meu parceiro parecia mesmo ser alguém jogando online comigo. Definitivamente é uma IA muito bem feita, apesar de que houveram raros momentos que o personagem parecia não saber o que fazer e acabava ficando parado tomando tiros.

    Você ainda pode dar ordens ao coleguinha como andar com você ou avançar de forma independente. Algumas ações também, como abrir uma porta ou dar o pezinho para você subir. O ruim de jogar com o bot é que algumas vezes a campanha nos faz ir por caminhos diferentes e numa tela única não dá para saber o que passa com nosso amigo.

    Diferente disso é a IA dos oponentes, que são 99% das vezes estúpidos e só fazem algo por estarem em grande número e no "instinto animal" ao qual foram programados. E isso no nível Normal. Imagina no Easy! Mas não se engane! Houveram partes desafiadoras aqui e ali e cheguei a perder muito na penúltima fase, que é quase um tormento.

    Para ser sincero, esse é um jogo bem tranquilo e mais rápido do que eu imaginava, mesmo com eventuais falhas. Eu realmente esperava uma experiência mais pesada de memória, mas tudo correu super rápido!

    Agora se tem uma cosia que não gostei são as partes com gameplay e objetivos diferentes do comum, como jogar em stealth e tentar salvar reféns dos bandidos. É estranho porque mesmo pegando um cara na surdina, os outros eram alertados. Mas pegar os caras de surpresa e os amarrar ao invés de matar significa ganhar pontos positivos de bom samaritano, o que não sei se traz algum benefício.

    Já uma coisa que achei legal são as decisões que temos que tomar em certas partes, como matar alguém que pode ou não ser do mal. Após tomar a decisão o jogo passa um filme mostrando no que a sua decisão resultou no futuro, e quase sempre é algo cruel ou triste, mesmo nas boas escolhas que preferi fazer!

    Como eu salvei poucos reféns por ser muito difícil entender o que fazer para os salvar a tempo, o jogo no final deu a entender que se eu tivesse um número mínimo dele salvos, eles me ajudariam. Mas só vou saber como era isso se pesquisar na internet mesmo.

    O final da campanha foi como de qualquer fase, mas com uma escolha interessante. E ficou no ar a dúvida de como seria se eu tivesse escolhido todos os outros lados das moedas. Sinceramente, eu até jogaria novamente se algum amigo topasse.

    O mais legal de terminar a história é que foi liberado um menu de trapaças onde eu podia ativar munição infinita e até o modo de cabeças gigantes ao maior estilo 007 Goldeneye! O jogo tinha meu respeito, mas ver o bom trabalho dos desenvolvedores me empolgou mais ainda! 

    Resumindo: Army of Two: The 40th Day envelheceu muito bem e foi uma experiência que entregou tudo o que a proposta prometia, mesmo jogando sozinho. Eu realmente esperava algo tedioso e genérico, mas curti bastante voltar ao jogo depois de muitos anos e o terminar! Já até cogito jogar os demais da franquia.

    De bom: bons visuais e animações. Gameplay fluído graças aos bons controles (só acho estranho que não há um botão de se escorar e é difícil se acostumar com isso). Muitas armas e upgrades para comprar e ficar ainda mais forte. Modo co-op muito legal, mas funciona bem sozinho também. Adoro as escolhas e resultados delas.

    De ruim: tudo relacionado ao online não funciona mais. Jogo sem a linguagem Português do Brasil. Pouquíssimas opções no menu de configuração e há problemas que poderiam ser resolvidos lá, como o fato das vozes serem baixas demais e os tiros muitos altos. Sem opção nem de legenda, eu não ouvi nada do enredo e tive que deduzir o que acontecia, o que não deu certo (mas jogar a noite com o volume normal estava impossível graças a barulheira dos tiros). Alguns problemas com frames. No final fica um pouco difícil demais e a penalidade é re-jogar seções grandes.

    No geral, gostei bastante do que vi e joguei e essa é uma bela pedida para passar o tempo com um amigo localmente. Infelizmente a série não viu caminho para as gerações seguintes nem mesmo com ports, Jogo bom!

    Army of Two: The 40th Day

    Platform: XBOX 360
    699 Players
    9 Check-ins

    7
  • renegadoomgames RenegaDoom Games
    2021-11-15 12:28:37 -0200 Thumb picture

    Dead Space - FINAL - LEG PT-BR

    O jogador assume o papel de Isaac Clarke, um engenheiro que deve sobreviver em uma nave de mineração infestada com monstros hostis conhecidos como Necromorfos, que são corpos humanos transformados e reanimados por um organismo alienígena. #DeadSpace#SurvivalHorror#PCGame 

    Broadcasted live on Twitch -- Watch live at https://www.twitch.tv/renegadoomgames

    Dead Space

    Platform: PC
    6084 Players
    150 Check-ins

    0
  • renegadoomgames RenegaDoom Games
    2021-11-11 11:12:04 -0200 Thumb picture

    Dead Space - #4 - LEG PT-BR

    O jogador assume o papel de Isaac Clarke, um engenheiro que deve sobreviver em uma nave de mineração infestada com monstros hostis conhecidos como Necromorfos, que são corpos humanos transformados e reanimados por um organismo alienígena. #DeadSpace#SurvivalHorror#PCGame 

    Broadcasted live on Twitch -- Watch live at https://www.twitch.tv/renegadoomgames

    Dead Space

    Platform: PC
    6084 Players
    150 Check-ins

    0
  • renegadoomgames RenegaDoom Games
    2021-11-03 10:45:06 -0200 Thumb picture

    Dead Space - #2 - LEG PT-BR

    O jogador assume o papel de Isaac Clarke, um engenheiro que deve sobreviver em uma nave de mineração infestada com monstros hostis conhecidos como Necromorfos, que são corpos humanos transformados e reanimados por um organismo alienígena. #DeadSpace#SurvivalHorror#PCGame

    Broadcasted live on Twitch -- Watch live at https://www.twitch.tv/renegadoomgames

    Dead Space

    Platform: PC
    6084 Players
    150 Check-ins

    1
  • anduzerandu Anderson Alves
    2021-07-24 20:12:47 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Apex Legends

    Terminado dia 24/07/21

    Hoje eu "terminei" dois jogos um pouco diferentes do habitual. O primeiro foi aquele joguinho de navegador da Google que celebra as olimpíadas. Legalzinho e tal, mas sequer tem nome! 

    O segundo foi Apex Legends, um Battle Royale que sequer tem um modo solo ou campanha. Nesse caso eu nem postaria sobre um jogo que não há um final, como muitos outros que jogo volta e meia, incluindo outros do gênero, como Fortnite, Rogue Company ou Spellbreak. Mas no caso do AL, o jogo tem troféus. Troféus esses que eu dei duro para conseguir jogando uma vez ou outra por semana com amigos.

    O motivo de eu ter ido atrás dessas conquistas foi justamente o fato de eu ter curtido muito o jogo e postar aqui depois, além de ser uma ótima motivação para continuar jogando e experimentando enquanto os amigos se acostumavam com o nosso novo "jogo do momento".

    Eu conheci Apex há bastante tempo, na época que era ainda uma novidade e que meu grupo principal online jogava fortemente Fortnite, inclusive eu mesmo. Como a onda era jogar no Nintendo Switch, eu nem me animei tanto com AL, mas cheguei a dar uma chance uma vez com meu primo, já que ambos tínhamos Playstation 4 e os demais amigos não, e também dificilmente se animariam.

    Jogamos um dia e largamos. AL era bem Call of Duty e eu não conseguia nem ver os inimigos direito naqueles visuais realistas e cheios de detalhes.

    O ânimo só voltou quando resolveram portar o jogo para o Switch e agora poderia experimentá-lo com pessoas que se animavam de verdade a entender esse tipo de experiência. Meus amigos então já compraram um Series X e graças à magia do crossplay, eu posso me juntar a eles com meu PS4.

    Para quem não conhece Apex, ele é facilmente um dos melhores e mais populares battle royales já criados. Algo como um Overwatch battle royale, mas extraindo o melhor de cada.

    Há vários personagens com habilidades únicas para se escolher e usar em combate. Alguns focados em habilidades ofensivas, outros defensivas, médicos, assistência etc.

    Alguns dos meus favoritos incluem:

    -Bloodhound e sua habilidade de escâner que encontra oponentes próximos e permite os ver através das paredes;

    -Lifeline, que larga um robô que cura a vida de todos que estiverem próximos ou ainda levanta animados caídos sem que você tenha que perder tempo com a animação do personagem fazendo isso; 

    -Octane e seus poderes de corrida que o fazem chegar a qualquer lugar ou escapar de batalhas num piscar de olhos;

    -Mirage, que pode criar clones que obedecem às suas ordens e confundem os inimigos;

    -Revenant, que tem um ataque especial (também chamado de ULT na maioria dos jogos) que permite que você tenha uma "segunda vida".

    No lobby do jogo é possível fazer as mesmas coisas que todo jogo do tipo: acessar a loja, comprar skins (roupas) para suas lendas e armas, desbloquear outros personagens (apenas uns 6 são desbloqueados por padrão, mas eu gosto de quase todos eles, enquanto me desapontei com vários dos que comprei) e até ler umas histórias em quadrinho que contam o enredo por trás de cada lenda e do jogo no geral.

    É possível ainda editar o banner do seu personagem, algo como uma bandeira que é mostrada em determinadas ocasiões, inclusive quando você é o que mais matou na partida ou foi destaque na partida anterior. Tudo isso aparece em telões pelos cenários.

    Além do lance de escolher personagens à la Overwatch, as diferenças vão além, começando pelo início da partida quando um dos três membros do time é escolhido aleatoriamente para definir o local de pouso.

    Além disso, são apenas 20 times de 3 pessoas, deixando a coisa mais dinâmica, menos bagunçada e rápida de encontrar partidas.

    Em campo o jogo se comporta de uma forma que mistura loot de raridades diferentes, grande diversidade de armas, granadas ao estilo do Fortnite/Borderlands com apetrechos diversos para cada arma, como diferentes miras, aumento de cartucho de balas, itens que melhoram a estabilidade dos tiros das armas e recuo afins estilo PUBG.

    Para o seu personagem há diferentes capacetes que reduzem dano na cabeça e peitorais que reduzem o dano recebido em geral. No caso do peitoral, ele ainda sobe naturalmente de raridade (cinza > azul > roxo > dourado/vermelho) conforme você causa dano nos outros. Isso é bem legal pois dá a oportunidade de todos chegarem no final da partida com escudos bons e ainda incentiva o combate ao invés de o evitar.

    O jogo ainda conta com veículos, torres que te fazem voar, lojas no mapa que vendem melhorias e munição, marcação de oponentes e equipamentos na tela para seu time poder pegar e locais que podemos suar para renascer aliados mortos e que você tenha coletado seus cartões. Muitos desses foram copiados por outros jogos do gênero, assim como uma bomba que protege uma área da tempestade.

    Por falar em velocidade, AL é um jogo RÁPIDO! As partidas se iniciam rapidamente, logo você estará no chão correndo como um louco, abrindo mil e um baús e coletando armas, equipamentos e demais tipos de loot. Muitas vezes antes de pousar em qualquer um dos pequenos mapas disponíveis, alguns jogadores já terão morrido.

    A movimentação, como um FPS, é também muito veloz, coisa que demorou um pouco pro meu time do Fortnite se acostumar. Também é possível correr, usar habilidades de movimentação, pular de grandes alturas sem tomar dano, descer ladeiras escorregando com o botão de agachar e alguns personagens chegam a voar e afins. 

    Quando você tá terminando de se equipar a tempestade já começa a fechar e você deve correr para a área a salvo, também conhecida como safe. Preste muito atenção nisso em Apex pois a tempestade desse jogo é CRUEL.

    É muito comum morrer no primeiro embate, ou no segundo, ou no próximo, ou no último. É um battle royale e todos querem ser os melhores. As vezes você joga bem, as vezes dá sorte, as vezes se dá mal. Tudo depende do seu empenho em continuar tentando e aprendendo a jogar. Felizmente tenho um time de amigos para me ajudar e para aprendermos juntos e assim fomos de completos inúteis para bons jogadores.

    Agora tenho orgulho do meu time! Para se ter uma noção, no início jogávamos pouco porque éramos péssimos e ficávamos frustrados e logo a galera queria voltar pro Fortnite. AL então lançou um modo de arena em que você compra equipamentos ao invés de procurar e é apenas um time contra o outro, estilo Counter-Strike. Curtimos demais esse modo (e inclusive estou recomendando a todos os amigos, inclusive àqueles que não curtem battle royale) e ficamos apenas nele, tentando uma vez ou outra o modo normal apenas para ficarmos frustrados e voltarmos pro Arenas. Mas com o tempo fomos migrando de vez pro jogo principal, ganhando uma na semana, as vezes duas. 

    Só ontem ganhamos 5 partidas de battle royale!

    As conquistas do jogo, que não tem platina, são até fáceis, mas muito antes de você as completar, já terá entendido completamente o jogo.

    Algumas conquistas envolvem:

    -Se tornar o Kill Master uma vez, ou seja, o jogador que mais matou na partida a qualquer momento (coisa que fiz na sorte);

    -Vencer a partida com determinada classe de lenda, como médico ou defensor, independente de seu uma lenda em específico. Nesse caso o modo Arenas ajudou muito pois as partidas eram rapidíssimas;

    -Equipar um peitoral e capacete dourados ao mesmo tempo;

    -Preencher todos os espaços de melhorias de uma arma.

    As que eu mais demorei para fazer foram duas em específico:

    -Vencer com 8 lendas diferentes, já que vencer por si só já é um desafio, mas também sou péssimo com alguns personagens, como Gibraltar e Pathfinder, e as vitórias só contavam no battle royale. Isso ainda demandará que você jogue até conseguir mais lendas, pois você não terá 8 no início;

    -Causar pelo menos 5000 de dano com 8 lendas diferentes no battle royale. Coisa que demanda mais tempo do que esforço.

    Resumindo: Apex Legends é sensacional e meu jogo favorito do gênero. Ele simplesmente combina tudo o que há de melhor em outros jogos semelhantes e adiciona muitas melhorias de "quality of life", além de somar um grande carisma, batalhas justas, bom nível de desafio, mecânicas bacanas e sem parecer infantil ou idiota.

    De bom: jogo muito bonito, embora eu só recomende a versão de Switch em último caso. Personagens únicos e carismáticos. Sistema de loot muito intuitivo. Junta o melhor dos battle royales com o melhor do Overwatch. Comunidade muito bacana. Partidas rápidas não vão consumir meia hora da sua vida para morrer no final ou seu dia inteiro jogando online.

    De ruim: os personagens adiantam muita informação útil automaticamente (como distância da safe ou itens marcados), mas o jogo não é dublado em português, apenas em várias outras linguagens. Recentemente o jogo estava com problemas horríveis, como derrubar os jogadores do nada das partidas e estava impossível jogar, além de que outras cosias do tipo já assolaram AL. 

    No geral, curti demais tudo o que joguei até o momento e é o único jogo online que tem me animado, além do Knockout City, que infelizmente se tornou pago. Super recomendo se você tiver pelo menos um amigo pra jogar online e se você quer conhecer o mundo do battle royale, inclusive sem o lance chato de construções do Fortnite. Eu mesmo vou jogar por um bom tempo apesar de estar querendo experimentar o Call of Duty: Warzone, já que ainda tenho lendas a desbloquear, inclusive uma nova que sai em breve com a nova temporada. Jogão!

    Apex Legends

    Platform: Playstation 4
    81 Players
    34 Check-ins

    10
  • topogigio999 Fernando
    2020-12-01 19:06:36 -0200 Thumb picture
    Post by topogigio999: <p>Código conseguido com assinatura da Twitch Prime

    Código conseguido com assinatura da Twitch Prime:

    -Pessoal como não posso jogar FPS e muito menos gosto do client da Origin, estou deixando abaixo código de resgate de uma cópia do jogo Battlefield 3, ganhei como benefício da Twicth Prime, quem quiser pode pegar... só entrar no client da origin e resgatar o código,

    3BTK-6TK7-PDFU-RUFS-ZLNS

    Battlefield 3

    Platform: PC
    9108 Players
    403 Check-ins

    22
  • 2020-11-07 19:10:37 -0200 Thumb picture

    EA confirma Mass Effect: Legendary Edition

    Medium 745272 3309110367

    Após uma série de rumores, a Electronic Arts finalmente confirmou uma coletânea de jogos da série Mass Effect da Bioware. O anuncio coincidiu com o chamado "N7 Day", data comemorativa criada pelos fãs da franquia em referência ao grupo de elite que protagoniza a trilogia.

    Trailer: 

    Mass Effect é a quarta IP da EA que recebe uma versão remasterizada, se juntando ao Burnout Paradise, Need For Speed: Hot Pursuit e Command & Conquer.

    Mass Effect: Legendary Edition será lançado em 2021 para Playstation 4, Playstation 5, Xbox One, Xbox Series X/S e PC.

    Fonte: https://www.theenemy.com.br/playstation/ea-anuncia-coletanea-mass-effect-legendary-edition

    Mass Effect Trilogy

    Platform: Playstation 3
    448 Players
    31 Check-ins

    3
  • 2020-11-05 23:01:10 -0200 Thumb picture

    Efeméride Gamer #55

    Medium 745051 3309110367

    5 de Novembro de 2001

    Há 19 anos atrás, SSX Tricky era lançado na América do Norte para Playstation 2. Desenvolvido e publicado pela Electronic Arts.

    SSX Tricky

    Platform: Playstation 2
    36 Players

    3
  • tiagotrigger Tiago Prado Oliveira
    2020-10-09 15:00:21 -0300 Thumb picture
    24
    • Micro picture
      le · almost 2 years ago · 4 pontos

      Melhor comentário de todos os tempos:

      Tamoor Hussain
      @tamoorh
      ·
      1h
      Replying to
      @IGNUK
      Can’t believe you didn’t tweet this with “EA Ports, they’re all the the same”

    • Micro picture
      jcelove · almost 2 years ago · 2 pontos

      O pior é que vende mermo U_U pra que fazer jogo novo se só mudar o titulo ja resolve?

      Essas capas são surreais veo, nem eu faria assim.hehe

      5 replies
    • Micro picture
      vante · almost 2 years ago · 2 pontos

      Lol kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...