• salvianosilva Salviano Silva
    2022-10-29 21:43:59 -0200 Thumb picture
    Post by salvianosilva: <p>Acho que alguém em breve vai começar a franquia

    Acho que alguém em breve vai começar a franquia Castlevania pra valer xD. Vi que tava em promoção na Steam (R$23,00) e peguei essa versão Anniversary, tomara que seja boa.

    Chega de ficar pulando os jogos dessa saga...

    Konami 50th Anniversary Collection: Castlevania Anniversary Collection

    Platform: PC
    6 Players
    6 Check-ins

    12
    • Micro picture
      murileza · about 1 month ago · 2 pontos

      Tô esperando a Advance Collection ficar num preço mais acessível. Tomara que eu consiga comprar nos próximos meses...

      2 replies
  • 2022-09-27 20:22:36 -0300 Thumb picture
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2022-09-19 23:50:34 -0300 Thumb picture

    FFG - Castlevania 64

    Não sei por que alguns youtubers começaram a defender esses Castlevanias do Nintendo 64, eu considero eles horrendos, mas né, gosto é gosto...

    "Review do infame Castevania de Nintendo 64"

    Castlevania

    Platform: N64
    2041 Players
    12 Check-ins

    10
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 1 ponto

      Acabei de ver o video e cheguei a conclusão que o jogo nem é tão ruim assim. Na epoca que joguei ele, travei na primeira fase nas plataformas e parti pra outro jogo. E foi exatamente o que ele disse no video, "os controles precisam que você se acostume, se jogar 10 minutos e desistir, vai ser o pior jogo do mundo". E realmente eu fiz isso hahahahaha. A parte da bomba realmente parece ser frustrante, mas o resto deu mta vontade de jogar.
      O 2 de N64 tem a versão do 1 melhorada como bônus, talvez seja melhor começar por ele.

  • luchta Ewerton Ribeiro
    2022-09-11 21:35:43 -0300 Thumb picture

    Castlevania: Circo da Lua

    Castlevania: Circle of the Moon tem seus defeitos, principalmente o grind excessivo e cansativo, mas ainda é um jogo divertido pelo menos para mim. Nesse vídeo tem uma análise bem detalhada desse jogo.

    "Pela última vez, Circle of the Moon."

    Castlevania: Circle of the Moon

    Platform: Gameboy Advance
    1771 Players
    171 Check-ins

    10
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 1 ponto

      Por mais que os videos tragam informações interessantes, não ando tendo paciência de ver videos de mais de uma hora. Acaba que fica demorando demais nos assuntos.

    • Micro picture
      querempaz · 3 months ago · 1 ponto

      jogo ruim da porra

    • Micro picture
      avmnetto · 3 months ago · 0 pontos

      Um jogo sobrestimado no lançamento, e subestimado depois.

      4 replies
  • 2022-08-29 19:47:15 -0300 Thumb picture
    13
    • Micro picture
      vante · 3 months ago · 2 pontos

      Eu quero MUITO jogar esse jogo

      1 reply
    • Micro picture
      dantlast · 3 months ago · 2 pontos

      Bicho, esse é um dos meus jogos preferidos...Essa trilha sonora acho que eu escuto todo dia.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 3 months ago · 2 pontos

      Demorei reconhecer essa música.

      2 replies
  • 2022-08-27 23:13:19 -0300 Thumb picture
  • anduzerandu Anderson Alves
    2022-07-15 23:11:51 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Blasphemous

    Zerado dia 15/07/22

    No final do ano passado tinha dito que queria jogar Blasphemous em 2022, assim como outros que nem sei se vou conseguir (tipo o Dark Souls 2), e aqui estamos nós!

    A verdade desse tipo de dúvida é que jogos com dificuldade mais alta parecem necessitar de uma maior atenção, maior cuidado. Veja bem, um jogo como Bayonetta, mesmo se eu não curtir, há a possibilidade de sair atropelando tudo numa boa e terminar em poucas horas. Já essa onda de Soulslike demanda que você aprenda as mecânicas, os timings, que explore os cenários, que vá e volte, que insista depois das mortes. E ainda tem um dos meus maiores medo que é ter muitos controles e mecânicas, eu cansar e ficar uma semana ou mais sem jogar e voltar sem lembrar de nada!

    Mas a vez de Blasphemous chegaria em breve com a minha ideia de terminar todos os jogos que tenho no Nintendo Switch. Sei lá, olhei aqui para as possibilidades e finalmente percebi que era a hora de mergulhar de cabeça e com o howlongtobeat.com indicando 12 horas, acho que daria para curtir numa boa. Fora que a possibilidade da portabilidade e jogar a qualquer momento e em qualquer lugar ainda ajuda demais (e por isso jogar Blasphemous nessa plataforma é a melhor escolha). Quem me dera poder jogar todos os títulos da From Software que me restam assim!

    Esse jogo ainda é um caso especial, sendo fruto dos Gift Cards que o PayPal deu há uns meses no valor de 50 reais. Na época eu fiquei na dúvida de como gastar esse dinheiro no PS4 ou Switch e na plataforma da Nintendo estava tendo uma promoção sensacional e com muitos jogos bons. Acabou que fiquei por lá mesmo e peguei esse jogo e Undermine de graça!

    Sobre Blasphemous em si, conheci o jogo quando ainda estava em campanha de arrecadação de dinheiro (crowdfunding). Lembro de tê-lo visto em anúncios no Facebook (que nem o tal do Dusk Diver) e parecia bom demais para ser verdade! Até duvidei que o jogaria pois parecia ser algo caro e exclusivo de PC. Quem diria que o jogaria sem pagar e no Switch?

    Enfim, as imagens era incríveis!

    Agora confortável com jogos mais "brutais" e que exigem mais do jogador, comecei a aventura numa boa e duvidei que pudesse ser tão difícil assim. Poxa, eu manjo de Castlevanias e depois do Order of Ecclesia nada pode ser tão pesado assim. Além do mais, Celeste é outro título muito conhecido pela dificuldade e achei que deu para terminar sem muita dor de cabeça (apesar de não ter ido tão a fundo nos desafios).

    O início da campanha me surpreendeu positivamente com os lindos visuais das cutscenes. A direção de arte é de ótimo gosto e remete um pouco às cinemáticas de jogos adventure antigos de PC, mas com aquela temática mais sombria e medieval. Gostei demais!

    Além disso todos os textos estão em Pt-BR, o que ajuda a todos curtirem 100% de seu enredo, menus e tutoriais.

    A primeira parte te ensina umas coisinhas básicas e logo se segue com um chefe, que é bem tranquilo. Até o Asylum Demon é mais difícil!

    Aqui vou aproveitar e adiantar o que sendo a minha impressão final: eu não achei que Blasphemous fosse um Dark Souls 2D fora a temática e ainda achei a aventura tranquila (com algumas exceções). No final das contas ele é mais um Castlevania mesmo, com algumas vantagens e desvantagens em relação ao clássico da Konami.

    Castlevania tem aquela temática renascentista/Transilvânia com um pouco de Conan, o Bárbaro e filmes da era de ouro de Hollywood (Franskenstein, Múmia etc) e o principal: a trilha sonora, que deixa a jogatina bem animada e até pop, mas de uma forma bacana. Quem não adora sair metendo a chibatada nos monstros ouvindo Vampire Killer ou Bloody Tears?

    Já no caso de Blasphemous, a experiência tem um teor mais sério, silencioso e com muitos detalhes até melancólicos nos cenários. E falando em cenários, não há lá uma grande variação de inimigos pelo jogo todo e seus diferentes mapas. Mas isso até faz sentido visto que cada batalha pode demorar um tempinho contra qualquer Zé e há sempre a sensação de que você pode morrer a qualquer momento. Sendo assim, não daria para encher se monstro como Castlevania as vezes faz e abusa e felizmente os criadores sabiam disso e deixaram as fases mais "vazias".

    A navegação do jogo também é tranquila e você não fica perdido, mesmo quando o mapa vai se abrindo. O que eu fazia era explorar todas as salas de cada seção, abrir seus atalhos dentro delas mesmo ou para outras áreas e enfrentar o chefe, que é sempre o maior desafio do jogo. Até achei a ideia boa também pois as vezes você morre aqui e ali e ninguém merece ficar procurando destino e morrendo toda hora durante o processo.

    Ainda no início da aventura um NPC menciona o seu objetivo de visitar 3 lugares e derrotar os chefes deles e fica meio óbvio onde esses três mapas se cruzam. Faça um, volte e lá e vá para outro e depois para outro. O seu desafio é mesmo sobreviver.

    E esse desafio pode ser tenso pois durante as primeiras horas você é fraco e lento, limitado sem habilidades e os pontos de save são escassos. Sendo assim você morre conhecendo novos inimigos das áreas e ficando sem frascos de cura, que também só se renovam no ponto de save.

    Uma coisa bacana do jogo é que você não perde suas "almas" ao morrer, mas vale a pena ir lá buscar seu "corpo" de qualquer forma pois quanto mais corpos seus você deixar abandonados, mais sua vida e mana são diminuídos do total. Bacana esse sistema! É ainda possível pagar para umas estátuas recuperarem todos os seus restos de uma vez, mas custa caro e é melhor melhorar seus atributos com ele.

    A minha escolha inicial foi a área de gelo por sorte depois que escolhi um dos caminhos que chegou lá, mas como era o primeiro mapa que o NPC tinha citado como objetivo, achei uma boa. Mas, poxa, como eu sofri nesse mapa, no mapa conectado a ele em seguida e finalmente no chefe. Acho que foi onde mais morri no jogo e o chefe apelava demais de uma forma até injusta quando estava com 1/3 da vida. Imaginei que os chefes das duas outras áreas seriam piores mas foram bem mais fáceis...

    O combate nesse jogo é mesmo estilo Castlevania, com espadas horizontais (mas você pode atacar para cima ou abaixado ou ainda para baixo caindo). A diferença é que o protagonista é meio engessado. Não chega a ser lentão como o Simon Belmont dos anos 80 nem tão ágil quanto o Alucard, mas apenas o bastante para confundir seu cérebro com seus delays.

    O jogo tem umas dificuldades meio forçadas nesse quesito, de forma que chega a ser meio frustrante, como como você é lançado para trás girando ao tomar dano ou o HP monstro que você perde ao tomar qualquer dano besta (como encostar num cara qualquer). Muitas batalhas, como contra os chefes das DLC (já inclusas aqui, para a minha surpresa - mas eu não sabia o que era conteúdo adicional ou não) acabam se beneficiando muito das limitações do seu personagem e fica meio chato (tipo tomar dano, cair no chão, o personagem se levanta e já toma outro dano e morre) e senti que muita coisa depende da sorte de ter se posicionado no lugar certa na hora certa.

    Mas vale a pena também explorar bem os mapas e coletar melhorias para agilizar e facilitar mais a sua vida. E são muitas abas no menu de upgrades e habilidades!

    Resumindo: Blasphemous é um jogo bacana e muito belo. Me deixou viciado por uns 3 dias pois eu sempre queria ver mais, conseguir mais dinheiro, entregar os itens da sidequest ou matar aquele boss super chato. Sua dificuldade é acima da média, mas nada exagerado no nível normal e isso foi até meio decepcionante pois dificilmente tive aquela sensação recompensadora de ganhar um duelo difícil. Também esperava um pouco mais me diversos quesitos, mas é sim um bom jogo.

    De bom: visuais lindos. Adorei o seu estilo visual Dark Souls e suas lindas cinemáticas. Muito conteúdo, inclusive eu não fiz tudo nas minhas pouco mais de 12 horas e ainda há mais coisa exclusiva no modo New Game+. Sistema de troféus ingame, sendo que achievements nesse estilo de jogo são bacanas e ajudam a acompanhar o seu progresso por diversos modos e dificuldades, fora que o Switch não tem isso em seu sistema. Jogo em Pt-BR.

    De ruim: achei muitos dos poucos chefes pouco inspirados, como aqueles que são simplesmente outros humanos, ou muito fáceis e previsíveis. Level design bem simples e pouco desafiador, dependendo muito apenas da parte visual. Gameplay as vezes não tão responsivo. Algumas chefes, como a tal da Isidora, tem golpes que mudam as "clues" e fica quase impossível não tomar dano ou ainda resulta em mortes injustas. Há poucas habilidades desbloqueadas pela história e muitas delas estão mais escondidas ou em sidequests e acaba que aquela ideia de "no futuro em volto aqui" pode nunca chegar.

    No geral, gostei bastante da experiência, mas ela não é perfeita como eu esperava. É um bom metroidvania com pitadas de soulslike e, ao meu ver, muito superior ao Hollow Knight, mas o recém jogado e mais curto Steamworld Dig 2 é mais divertido. Bom jogo se você curte algo mais difícil nessa geração de molezas. Bom jogo se você curte a temática. Não é o mais divertido do gênero mas ainda assim é muito bom. Recomendo!

    Blasphemous

    Platform: Nintendo Switch
    26 Players
    4 Check-ins

    12
  • 2022-07-14 12:12:35 -0300 Thumb picture

    Obrigado aos quase 600 views nesse Vídeo!

    O vídeo mais visto do Canal, com a História Completa de Lançamentos de Castlevania (em 2 Partes), que foi produzido com muito carinho e dedicação para expor da melhor maneira possível nosso amor por essa franquia! Revendo esses vídeos antigos do Canal (em meio a uma crise existencial) tomei uma decisão: VOLTAREI! A editar vídeos como esse, seguindo as edições e modelos de vídeos que o pessoal gostava no YouTube. Um forte abraço a todos e muito obrigado! ;)

    Castlevania: The Dracula X Chronicles

    Platform: PSP
    1235 Players
    126 Check-ins

    4
  • 2022-07-11 20:26:47 -0300 Thumb picture
  • luis_carlosblj Luis Carlos Bernardes
    2022-07-09 21:31:32 -0300 Thumb picture
    30
    • Micro picture
      vante · 5 months ago · 3 pontos

      Eu já, tentei matar eles, mas eles fogem

    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 2 pontos

      Acho que não deve ter mais nenhum segredo desse game que ainda é obscuro.

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...