• 2022-10-02 13:05:46 -0300 Thumb picture
    Post by clubeludum: <p>Hoje é dia de eleição! Hoje é a festa da democra

    Medium 843458 3309110367

    Hoje é dia de eleição! Hoje é a festa da democracia!!

    Aliás, você conhece o jogo Democracy 3?

    O jogador assume um governo como presidente ou primeiro-ministro e deve administrar o país. É um jogo simples de estratégia e simulação, mas bastante interessante. Recomendo! 😁

    Democracy 3

    Platform: PC
    50 Players
    2 Check-ins

    4
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2022-10-02 10:24:06 -0300 Thumb picture
    Post by luchta: <p><strong>[OFF]</strong> Nada como passar vergonha

    [OFF] Nada como passar vergonha internacionalmente, obrigado MBL!

    O caras fazem tudo por voto mesmo... E falando nisso hoje é o dia de eleição... Voto obrigatório é um saco... Enfim, geral, tá zoando a gente por conta dessas bizarrices, a pior parte é que não duvido que esse tipo de coisa fisgue eleitores jovens. Ok, eu quebrei minha regra de não falar de política diretamente aqui, mas isso foi vergonha alheia demais, foi mal!

    9
    • Micro picture
      tecnologgamer · about 4 hours ago · 1 ponto

      Santinho dele era uma carta de Yu-Gi-Oh com 12 estrelas e 4433 pontos, sei número dele, mas pqp que usa um monstro de 12 estrelas com esse lixo de ataque.

      1 reply
    • Micro picture
      ersatzgott · about 4 hours ago · 1 ponto

      Fisga sim. Infelizmente.

    • Micro picture
      grey_hawk · about 3 hours ago · 1 ponto

      Pior que comigo foi o contrário do que ele esperava: eu já não ia votar nele de forma alguma, essas propagandas com paródia de anime me deram uma surra de vergonha alheia tão grande que me fizeram ter certeza que não vou.

  • 2022-09-24 18:54:36 -0300 Thumb picture

    O MAJOR DO BRASIL ESTÁ CHEGANDO...

    Medium 842523 3309110367

    De 31 de outubro a 13 de novembro de 2022, o tão esperado IEM Rio Major Championship finalmente acontecerá no coração da América do Sul: o Rio de Janeiro! 24 equipes competirão pela chance única de ser o vencedor do primeiro CS:GO Major na América do Sul.

    https://pro.eslgaming.com/tour/csgo/rio/

    Counter-Strike: Global Offensive

    Platform: Playstation 3
    282 Players
    17 Check-ins

    11
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2022-05-06 23:17:13 -0300 Thumb picture
    Post by luchta: <p><strong>171</strong>, <strong>Rio</strong>, <str

    171, Rio, Trajes Fatais, entre outros, são os projetos que fizeram o cenário de desenvolvimento independente perder a credibilidade de forma absurda, de um modo que dificilmente um jogo nacional que precisa de financiamento coletivo hoje em dia, vai ter sucesso ou alguma credibilidade.

    171

    Platform: PC
    2 Players

    8
    • Micro picture
      tecnologgamer · 5 months ago · 2 pontos

      171 tá desde 2013 sendo feito
      Rio eram basicamente dois caras comuns sonhando alto demais, conseguiram, mas bateram a cara feio qnd entregaram o projeto
      Trajes Fatais a ideia foi ruim desde o começo.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 1 ponto

      Esse Rio eu nunca ouvi falar.

      2 replies
    • Micro picture
      reasel · 5 months ago · 1 ponto

      tinha um site de mod de gta que meteu o pau no 171 com razao ahsusahu

      2 replies
  • anduzerandu Anderson Alves
    2021-12-17 17:40:50 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Missing Features: 2D

    Zerado dia 17/12/21

    Olha eu aqui terminando mais um jogo que ninguém liga ou conhece! Mas até tem um lado bom: apesar de eu priorizar a qualidade de jogos que começo e vou até o final, acredito que um pouco de quantidade pode balancear um pouco as minhas experiências anuais. Digo isso pois esse ano eu joguei bastante, como normalmente faço, mas nos últimos meses tenho zerado poucos títulos, fora que os meus planos de dar uma adiantada e aumentar esses números meio que foram por água abaixo se você olhar na quantidade de terminados nos últimos meses, sobretudo Dezembro, quando planejava pegar uns jogos mais curtos. A última vez que contei tinha cerca de 80 terminados e eu gosto do número 100.

    O motivo mesmo de eu jogar Missing Features: 2D é que eu o ganhei diretamente da desenvolvedora QUByte Games pelo Instagram! Já tinha jogado coisas piores, inclusive deles mesmo, então porque não?

    Bom, esse é um daqueles jogos com proposta de evolução conforme você avança. Me lembrou um pouco a ideia do Life of Pixel e Evoland.

    A proposta aqui é meio que acompanhar um jogo sendo criado, desde o básico do básico até se tornar uma aventura completa e divertida.

    No início é tudo bem simples: quadrados e retângulos estilo Atari 2600 representam o seu personagem, o chão e armadilhas mortais. A evolução vai se dando conforme você encontra e "coleta" um tipo de monitor de computador (me lembra um pouco aquelas telinhas do Sonic the Hedgehog) que desbloqueiam um elemento novo para o jogo cada.

    Um exemplo disso é que logo nesse começo você encontra uma que abre a habilidade de pular, depois outra de morrer.

    Logo você estará desbloqueando o sprite do seu personagem, depois o de algum tipo de inimigo, o das plataformas, depois a habilidade das plataformas se moverem, animação para os movimentos do seu personagem, pulo duplo etc etc etc.

    Ok, a ideia é bacana e chega a ser bem interessante até para ensinar o princípio da programação de games para pessoas leigas, que sabem ao menos jogar (ou mesmo apenas assistindo).

    Mas uma coisa que vou dizer é...o jogo é chatinho. Tedioso. Quer dizer, ele se agarra muito à essa ideia de ir adicionando suas características e mecânicas, mas o gameplay é bem sem graça. O que você enxerga é constantemente feio e repetitivo, algumas cores, e com sorte você vai ter desbloqueado algum som para os seus ouvidos antes de desistir completamente da experiência.

    Eu tinha jogando Missing Features: 2D algumas vezes desde que o adquiri, mas fiquei o tempo todo nos dois primeiros estágios. Zero motivação.

    Agora que voltei, fui até o final de uma vez, mas isso porque ele fica sim melhor conforme você avança. A questão é que ele demora demais para realmente chegar em algum lugar.

    Enfim, avançando eu consegui deixar o personagem completamente animado, sons de pulo, um ataque de dash, pulo duplo, escalando as paredes estilo Mega Man X, trilha sonora, background, variedade de inimigos, efeito parallax. O jogo foi se completando e ficando mais interessante, ao mesmo passo que foi perdendo um pouco da sua própria lógica.

    Com tudo desbloqueado, o que restou foi um jogo bem medíocre. Nada diferente dos muitos Alfred Knights e Dininho Adventures disponíveis pela Eshop e Steam. A dificuldade subiu um bocado com armadilhas que exigiam muita precisão/timing e checkpoints distantes que me obrigavam a refazer diversas seções só para morrer naquele mesmo local novamente.

    MF: 2D foi de um jogo tedioso para um jogo tedioso e frustrante. Tudo o que eu desbloqueei para completá-lo foi quase que em vão.

    E a lógica de desbloqueio das coisas? Você desbloqueia coisas só por desbloquear, tipo certos inimigos ou os espinhos. Se soubesse teria simplesmente ignorado seus "monitores", mas aí o jogo não me deixa terminar a fase. Algumas coisas demoraram demais para aparecer, sem motivo algum, como a animação de uns inimigos voadores que ficaram grande parte da aventura como sprites estáticos e feios a ponto de eu achar que poderia ter terminado algum estágio sem o ter coletado.

    Você ainda terá que coletar a música e o background de todas as fases. Porque quando peguei da primeira não liberou logo todas? O resultado: eu jogando em fases silenciosas por tempo demais até encontrar seus discos LP.

    A coisa toda ficou mais estranha ainda quando a própria ideia pareceu ter sido deixada de lado: os cenários seguiram diferentes temáticas com o avançar da campanha e novos elementos foram sendo introduzidos sem eu os "ativar", como tornados que nos jogam para cima e o próprio chefe final (e o único do jogo).

    Ainda assim eu estava curtindo mais o jogo do que nunca. Os visuais são bonitos e bem trabalhados (mais do que qualquer imagem que eu postei aqui), fora que eu consegui desativar o filtro de TV antiga que estava me matando por dentro pouco a pouco.

    Fiquei bem contente quando na fase 15 apareceu o nome "Final Boss" e eu já estava acabando. Mais um pouco e teria sido demais, o que infelizmente tem sido comum em muitos jogos indies de plataforma assim (DIninho, Save Me Mr Tako etc).

    Resumindo: Missing Features: 2D parte de uma boa ideia, mas a executa de forma duvidosa. Acredito que os elementos a serem desbloqueados poderiam ter uma lógica maior inclusive para os coletarmos, mas o máximo que nos faz é aparentemente nos obrigar a encontrá-los para conseguir sair do estágio e progredir para o próximo. Como jogo, achei bobo e irritante, mas pode se ruma boa ideia para entendermos um pouco da lógica da programação de games.

    De bom: completo, ele é bem agradável aos olhos. Alguns desafios são legais. Boa duração da campanha. Gosto do estilo meio Mega Drive.

    De ruim: bugs. Completar o jogo não segue uma lógica nem usa disso como mecânica para motivação de gameplay. Level design chato e gameplay tedioso. Checkpoints muito distantes e punitivos. O jogo deixa de "evoluir" quando chega basicamente ao estágio básico de um platformer qualquer.

    No geral, a experiência valeu pela pouca duração e pela ideia, mas eu não o recomendaria senão em casos bem específicos, como mostrar a alguém essas adições de elementos aos jogos. Pode até ser um ponto interessante para saber onde começar e continuar a criar um jogo (embora ele não ensine programação em si). De graça, foi bacana. Barato, tá ok. Além disso, nada que compense.

    Missing Features: 2D

    Platform: Nintendo Switch
    3 Players

    13
    • Micro picture
      bobramber · 10 months ago · 1 ponto

      Esses jogos que você ganha. É só por ganhar ou dá algum feedback à empresa?

      2 replies
  • felipe_turesso Felipe Turesso
    2021-12-01 16:39:42 -0200 Thumb picture

    Jogos em domínio público?

    Por quanto tempo um game é protegido pela legislação brasileira? 20 anos? 30 anos? Decidi fazer um vídeo abordando este assunto em meu canal "Bomba Jurídica".

    Realmente não são muitos games que já estão em domínio público no Brasil e, infelizmente, demorará bastante. Por exemplo, Super Mario World só cairá em domínio público em 2041.

    Enfim, quem se interessar pelo tema faço um convite para assistir ao vídeo. Muito ôxi!

    Super Mario World

    Platform: SNES
    27635 Players
    400 Check-ins

    26
    • Micro picture
      sophos · 10 months ago · 3 pontos

      como o primeiro jogo (Pong (1970)) ainda não entrou em dominio publico, não há jogos em dominio publico no Brasil.
      Existem no entanto jogos que foram criados com o codigo aberto, jogos livres ou similares. mas nãos e trata de dominio publico já que há regras pra o uso (como citar o original).
      No caso de videos há controversias acerca da utilização da obra, isso por que embora o codigo é um programa de computador podendo ser replicado, o personagem, a logo, o design das coisas, a identidade visual, as musicas, os dialogos, etc. não são softwares. Nesse caso isso pode subir pra 70 (ou 80 anos... não sei ao certo) e não apenas 50.

      6 replies
  • marcelokiss487 Marcelo Kiss
    2021-08-11 10:20:19 -0300 Thumb picture

    Em 2020, um Brasilerio criou um beat'em up de Caverna do Dragão

    Medium 3877748 featured image

    Soube por um amigo no facebook que esse jogo existia, fui baixar na hora e curti bastante, é bem legal e tem muitas referências do desenho.
    Tive uma certa dificuldade pra baixar, mas foi, o game é bem pequeno.
    Recomendo pra quem ainda não jogou, tem o link na mátéria:

    https://www.pensandorpg.com.br/2021/08/brasileiro-...

    Sigam o canal do cara também, o cara merece:

    Dungeons and Dragons: Daggerdale

    Platform: PC
    46 Players

    25
  • 2021-07-22 12:50:19 -0300 Thumb picture

    Switch Lite chega oficialmente ao Brasil em setembro

    A Nintendo aproveitou o anúncio do Switch OLED para anunciar que o Switch Lite desembarca oficialmente por aqui em setembro deste ano por um preço sugerido de R$ 1.899. Os brasileiros terão acesso às versões amarelo, coral e turquesa do console.

    A versão não tem acesso ao dock e só pode ser jogada no formato portátil. O produto tem 5,5 polegadas, resolução 720p, 32 GB de armazenamento interno (expansível com cartão de memória microSDHC ou microSDXC até 2 TB) e uma bateria mais eficiente do que o 1° modelo do Switch padrão. O modelo ainda tem 1 entrada USB-C (para carregamento), Wi-Fi e Bluetooth.

    Mais informações

    3
  • bmark B - Mark
    2021-07-08 00:22:09 -0300 Thumb picture

    Pista em Campo Grande-MS

    Hoje estava jogando no emulador Dolphin o jogo Shin Seiki GPX Cyber Formula: Road to the Evolution para Gamecube que é baseado em uma animação japonesa de mesmo nome que saiu apenas no Japão.

    Escolhi o modo Arcade e na hora de selecionar uma das pistas eu vi escrito Campo Grande e justamente escolhi a pista e vi a bandeira do Brasil.

    O jogo se trata de uma corrida de carros futurista e achei ele bem legal.

    Future GPX Cyber Formula: Road to the EVOLUTION

    Platform: Gamecube
    2 Players

    9
  • 2021-06-19 22:08:49 -0300 Thumb picture

    Olho de Vidro (Áudio Jogo)

    “Após um terrível conflito, o país se dividiu em duas nações diferentes: o Brasil do Norte e o Brasil do Sul. Enquanto o Brasil do Norte prosperou, com políticas mistas de produção de alimento e preservação da natureza, o Brasil do Sul tornou-se uma região extremamente urbanizada e com condições de vida insuportáveis.”

    Esta é a sinopse de Olho de Vidro, podcast no formato de áudio jogo, funciona como um áudio drama onde você escolhe por qual caminho a história que você ouve vai caminhar. Serão 9 fases (episódios) com até 11 finais diferentes.

    O podcast, no melhor estilo cyberpunk, traz um time de vozes profissionais e conhecidas como o cantor Thaíde, João Gordo e a atriz Mel Lisboa, criação e roteiro por Raphael Fernandes. O jogo terá 9 fases, possibilitará até 11 finais diferentes e será disponibilizado gratuitamente em breve. 

    Você já pode conferir o trailer na sua plataforma de podcasts preferida, procure por "Áudio Jogo" ou pelos links no site oficial.

    OLHO DE VIDRO - MANGUETOWN

    O quadrinho em campanha no Catarse (já financiada em 200%) é um grande prólogo do podcast, Raphael Fernandes roteiriza e Vitor Wiedergrün desenha e a Editora Draco publica
    Se você quiser conhecer mais dos dois projetos e apoiar, segue o link: https://www.catarse.me/olhoOlho de Vidro - Manguetown Catarse

    3

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...