• 2021-08-21 01:31:09 -0300 Thumb picture
    Post by clubeludum: <p>Bem-vindo a Rapture!</p>

    Bem-vindo a Rapture!

    BioShock

    Platform: PC
    4804 Players
    371 Check-ins

    13
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 month ago · 3 pontos

      A utópica RAPTURE... criada para ser perfeita...e tornou-se o lixo da sociedade...

      Esse jogo é incrível.

      4 replies
  • misterpumpkin Renato Moura Jr.
    2014-10-17 22:51:42 -0300 Thumb picture

    O Sonho de Rapture

    Medium 2872118 featured image

    Todo mundo que jogou Bioshock sabe que o enredo do jogo é magnífico, e parte disso é por causa de sua ambientação, a cidade submersa de Rapture! Tal cidade e toda sua história por trás do enredo principal, assim como todos os personagens envolvidos, é realmente incrível, tanto que esses personagens recebem mais destaque no jogo do que o próprio protagonista.

    Já é uma característica comum dos Bioshocks os protagonistas não terem tanto destaque como outros personagens secundários da trama. O Booker do Bioshock Infinite deve ter sido o único protagonista que realmente foi tão valorizado quanto os outros personagens. Já o Jack do Bio1 e o Subject Delta do Bio2, só estão lá para fazer com que a trama se desenrole mesmo, porque o foco fica sempre nos personagens que ajudam eles e principalmente no vilão principal.

    A narrativa também é contada indiretamente e aos poucos, por isso quem não lê os diálogos ou não entende inglês muitas vezes fica boiando. O que vai fazer você entender tudo direitinho vai ser os Audio Diaries, aqueles registros de aúdio que encontramos no decorrer do jogo, onde habitantes de Rapture contam coisas das origens da cidade e tudo mais.

    Pois bem, vim aqui fazer um post bem longo sobre a história de Rapture e seu criador, Andrew Ryan, que é um dos personagens e vilões mais sensacionais que eu já vi em um jogo de videogame. Vou escrever com base no que eu fui vendo no jogo, e vou tentar resumir de uma forma clara todo o meu conhecimento sobre o universo de Bioshock, sem spoilar nem nada, pra assim todo mundo poder ler. Então bora começar pelo fundador de Rapture, um visionário, o homem que escolheu o impossível: Andrew Ryan.

    Andrew Ryan

    Ryan nasceu na Rússia, e com a chegada da União Soviética acabou perdendo sua família e sofrendo maus bocados, por isso acabou indo para a América tentar algo melhor na vida. Em partes ele conseguiu, se tornou um cientista e um homem influente na sociedade, logo já era bilionário e estava contente com suas conquistas. 

    Porém, após o mundo ter sido atingido por uma grande crise financeira, os EUA criou um programa que iria redistribuir as riquezas do país entre o povo mais pobre, e isso para Ryan era algo inaceitável, pois ele sempre condenou a igualdade social. Em sua filosofia, ele pensava "Porque essas pessoas que não fizeram nada pela humanidade merecem receber o mesmo que um homem de grandes feitos como eu?", e logo uma de suas frases mais famosas veio a tona: "Onde há lugar nesse mundo para um homem como eu?"

    Ryan se viu encurralado em um mundo do qual ele desprezava e não conseguia ver futuro algum em uma sociedade como aquela. Com isso ele resolveu criar o seu próprio refúgio, uma cidade onde apenas pessoas influentes na sociedade entraria, um lugar que estaria anos luz mais evoluído que a terra em que ele vivia. Para ele, não havia como esse lugar ser construído nesse mundo, e foi ai que ele teve a ideia de construir Rapture, uma cidade embaixo do oceano.

    Graças aos seus bilhões de dólares, Ryan construiu uma verdadeira cidade embaixo d'água, e após meses de trabalho duro, Rapture estava pronta. Pessoas do mundo todo foram convidadas pelo próprio Andrew Ryan para morar em seu esconderijo, pessoas das mais diversas profissões: cientistas, artistas, estilistas, etc. 

    Ryan seguia uma filosofia individualista, ele acreditava que cada um deveria correr atrás de sua própria felicidade, e seu objetivo em Rapture era construir a sociedade perfeita, uma sociedade onde não haveria o pequeno, apenas o grande, onde não haveria Deus ou reis, apenas o homem. Ryan havia conseguido atingir seu objetivo, Rapture estava prosperando cada vez mais e sua reputação apenas aumentava, mas isso não iria durar por muito tempo.

    O Conflito com Frank Fontaine

    Fontaine era um dos homens mais influenciáveis de Rapture e sua ganância misturada com sua mente criminosa fazia com que ele enriquecesse cada vez mais. Só para complementar, Rapture era uma cidade extremamente capitalista, e lá existia uma grande desigualdade social, pois havia a high society convidada por Ryan e os trabalhadores comuns que estavam lá apenas para prestar serviços públicos, esses que seriam a ralé de Rapture.

    Após a cientista Brigid Tenembaum ter descoberto as maravilhas do Adam, nenhuma empresa na cidade quis investir em suas pesquisas, mas Fontaine era um visionário e foi o único que aceitou cobrir os gastos com sua fortuna. Com isso, Fontaine ganhava dinheiro das coisas que envolviam Adam, como os Plasmids e o Eve, e ganhava dinheiro contrabandeando coisas da superfície, coisas das quais Ryan desprezava. 

    Ryan desprezava a religião, e muitas pessoas em Rapture se sentiam vazias, com necessidade de espiritualidade. Se aproveitando disso, Fontaine trazia da superfície grandes quantidades de Bíblias e crucifixos (dos quais nós achamos o tempo todo durante o jogo), e uma grande rivalidade começou a surgir entre Ryan e Fontaine. 

    Fontaine passou a se aproveitar dessa oposição que algumas pessoas estavam começando a ter de Ryan e começou a ganhar aliados. Ryan, se vendo encurralado, deu o primeiro passo contra sua própria filosofia de "liberdade de expressão" e fez seu primeiro ato como um governante ditador, que era liberar a pena de morte em Rapture.

    Todos os que estavam aderindo a religião em Rapture e mais alguns aliados de Fontaine foram enforcados em praça pública, e isso gerou uma grande rebelião na cidade. As pesquisas de Adam estavam sendo extremamente lucrativas, o Adam estava viciando os habitantes de Rapture e os transformando em Splicers, pessoas deformadas e perturbadas que só conseguiam se preocupar em saciar sua sede de mais e mais Adam. 

    Após uma grande guerra civil, Ryan finalmente conseguiu matar Fontaine e seus homens e tomou sua empresa para ele, Rapture finalmente estava em suas mãos novamente.

    Atlas: A Voz do Povo

    Matar Fontaine não pôs fim a rebelião, muito pelo contrário, apenas enfureceu mais ainda os rebeldes restantes. Após a morte de Fontaine, um novo homem assumiu a liderança da resistência, um homem chamado Atlas. Atlas e seus Splicers, a grande maioria deles vindo do povo pobre de Rapture, passaram a destruir cada vez mais a cidade e a erradicar sua população.

    Após o famoso ataque dos rebeldes a elite de Rapture no Ano Novo de 1959, Ryan resolveu se esconder no que seria seu escritório em Hephaestus, o núcleo de energia de Rapture, e lá ficou sob a proteção de seus Splicers para salvar sua própria vida. 

    Essa guerra foi o declínio de Rapture. A sociedade perfeita havia sido dizimada pela sua própria ambição. Tudo lá foi destruído e deixado em ruínas, e seus habitantes mais influentes que ainda estão vivos hoje vivem escondidos. As ruas foram tomadas pelos Splicers em busca de Adam e pelas Little Sisters e os Big Daddies, também em busca de Adam, e isso acabou gerando mais e mais derramamento de sangue.

    De um lado está Ryan controlando seus Splicers por meio de um Plasmid de controle mental. Do outro está Atlas, com seu minúsculo exército composto pelos pobres remanescentes. Ryan está levando a melhor e Atlas está praticamente derrotado, porém Ryan já abandonou suas idéias iniciais e seus princípios a muito tempo, aquela já não é mais a Rapture que ele havia criado.

    Jack, O Salvador de Rapture

    E eis que chegamos ao nosso protagonista, Jack, o homem que foi destinado a salvar Rapture das mãos corruptas de Andrew Ryan. Após sofrer um acidente de avião e ser o único sobrevivente, Jack acorda no meio do oceano em frente a um farol, esse farol que seria a única entrada a Rapture.

    Após ser calorosamente recebido por uma Splicer, Jack recebe instruções de Atlas via rádio, esse que virá a ser o seu principal aliado, e logo percebe que sua participação naquela cidade é muito mais do que ele poderia imaginar.

    E é assim que o jogo começa. Será você capaz de salvar Rapture? Só jogando pra saber, e quem jogou o Bioshock 2 sabe se os feitos de Jack geraram algum resultado ou não. Mas resumindo, essa é a história por trás do enredo do primeiro Bioshock. Um jogo com uma trama sensacional e envolvente e um jogo obrigatório da geração passada.

    Sério, pra quem nunca jogou, providencie agora mesmo a trilogia inteira. Foi esse jogo que fez eu gostar mais do gênero FPS, e que me mostrou que nem todo FPS precisa ter uma história tosca, mais como um pano de fundo, só pra entreter os jogadores e dar um motivo pra eles estarem lá atirando sem parar. 

    É isso ai, espero que tenham gostado! =)

    BioShock

    Platform: Playstation 3
    2001 Players
    141 Check-ins

    47
    • Micro picture
      hauz · almost 7 years ago · 0 pontos

      Concordo com muito que você diz. Mas pra mim a saga vem caindo. O 1 foi o melhor de todos, o dois foi quase tão bom quanto o primeiro, e o infinity foi uma decepção tremenda. Sem querer spoilar pra quem ainda não jogou, o infinity tem o pior final de jogo que eu ja vi até hoje, e olha que eu ja joguei muita porcaria. Eu não joguei o burrial at sea, então não posso falar dele, mas depois do infinity nem fui atrás. Bioshock foi o jogo que me surpreendeu tanto quanto assassins creed, mas ambos tem o mesmo problema, o 3 é uma droga. Espero que eles revejam isso e façam um bioshock 3 que faça jus ao nome dos 2 primeiros.

    • Micro picture
      misterpumpkin · almost 7 years ago · 0 pontos

      @hauz ah cara, eu amei o Infinity, achei que ele tem os personagens mais carismáticos da série, e o final é uma reviravolta absurda, de bugar todo o seu cérebro, mas é como se fosse um quebra-cabeça, você tem que ligar os pontos pra ele fazer sentido. Porém, eu ainda prefiro os dois outros por eles se passarem em Rapture, acho Rapture uma cidade muito mais legal que Columbia, mas o Infinity não deixa de ser um jogo excelente mesmo assim...

    • Micro picture
      hauz · almost 7 years ago · 0 pontos

      em questão de jogabilidade acho otimo, mas tou falando da história. Acho que se você vai usar viagens em tempo e espaço, precisa estudar bem como fazer se não fica sem sentido, e pra mim o infinity não faz sentido. Acho que ele tinha um otimo potencial, mas o final é horrivel. Ele ão faz sentido nem com viagens de tempo e espaço e a ultima batalha é uma droga, a pior que ja vi pra um final de jogo. Alem de que o song bird só aparece umas 2 vezes sendo que ele deveria ser o substituto do big dad, porem não tem tanto carisma como os big dads e nem aparece suficientemente para se importar com ele.

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...