2020-10-19 11:09:48 -0200 2020-10-19 11:09:48 -0200
ryou Rodrigo Santos checked-in to:
Post by ryou: <p>Comecei e já terminei!</p><p>Nunca tinha jogado
Heavy Rain

Platform: Playstation 4
507 Players
83 Check-ins

Comecei e já terminei!

Nunca tinha jogado e só resolvi começar agora porque não to mais ligando muito pra troféus.

A princípio achei estranho andar com R2, mas logo me acostumei e isso não foi um problema. Quanto ao nível de dificuldade, não gosto quando é uma descrição, prefiro o bom e velho "easy/normal/hard". Nesse aqui fui na opção que dizia que jogo bastante, seja lá o que isso signifique. Acho que é o hard.

Gostei bastante do jogo e me senti realmente imerso no mundinho. Achei o começo bastante lento, mas logo estava aproveitando cada momento (ou sofrendo com eles).

DAQUI PRA BAIXO TEM SPOILER!

Consegui terminar com todo mundo vivo, pois os QTEs não eram complicados e em algumas escolhas acabei sendo bem sortudo, na real.

No trial de correr na contra mão, fui até o final e consegui. O carro capotou no final, mas deu tudo certo.

O trial da usina elétrica foi tranquilo. Só precisei ir lentamente nos cacos de vidro e prestando bastante atenção nos QTEs.

O trial de cortar o dedo foi tenso, mas também fiz. Usei o cutelo e passei um remédio que achei no banheiro. Achei também uma bebida, mas não tomei e nem derramei na ferida. Vi que dava pra usar um serrote ou uma tesoura. Preferi o cutelo pra ir numa tacada só.

No trial de matar o cara, eu não matei. Isso aqui já é ir longe demais, e não faz sentido tirar uma vida pra salvar outra, ao menos não tão propositalmente como nesse caso. Matar o cara nesse trial é o mesmo que dizer que os fins justificam os meios.

No trial do veneno, também não tomei. Não achei que valia o risco e mesmo se desse certo, seria a que custo? Novamente uma vida por outra. Não tenho filhos e não duvido que quem é pai até possa aceitar esse nível de sacrifício. Talvez se um dia tiver um filho, eu pense diferente.

No final que fiz, o Ethan não tinha pistas suficientes e precisei adivinhar o endereço. Sabia que não era Franklin Roosevelt, então fiquei na dúvida entre Theodore Roosevelt Lane e Theodore Roosevelt Road. Acertei no chute.

Analisando o vídeo da briga na boate, Norman identificou que o Origami Killer é um policial por conta do relógio que ele viu lá no começo do game, e traçando a localização com outras pistas, também chegou no endereço correto.

Na cena da explosão, escondi a Madison na geladeira, e com isso ela sobreviveu. Antes, consegui entrar no PC com a senha correta que a mãe do assassino falou e também consegui o endereço correto. Dessa maneira, todo mundo achou o local.

Na cena final, Ethan conseguiu tirar Shaun do poço e saiu de lá com o moleque e a Madison. Lá em cima, Norman lutava contra Scott, que caiu no triturador. Até tentei salvá-lo só pra ver no que ia dar, mas na realidade eu deixaria cair. Vida de bandido pra mim não vale nada. De modo nada surpreendente ele agradeceu a ajuda de Norman tentando empurrá-lo no triturador, mas sem sucesso.

No epílogo, Ethan, Madison e Shaun encontram um novo lugar pra viver, Norman aparece num talkshow e Lauren cospe na cova de Scott. Queria que ela quebrasse a lápide.

Concluindo, gostei bastante. Geralmente eu critico esses jogos que parecem filminhos, mas a verdade é que nesse aqui eu senti que realmente estava jogando.

Algumas coisas ficaram sem explicação, como por exemplo:

- Motivo da separação do Ethan. É de se imaginar que a morte de Jason foi o início de tudo, mas é só uma hipótese. O jogo não revela.

- Como a Madison conhece Norman? Ao escapar da explosão do apartamento, Madison tem a opção de ligar pro Ethan ou pro Norman, mas ela nunca encontrou o agente do FBI antes. Por ser jornalista ela deve ter uns contatos, mas isso também é uma hipótese.

- Scott sempre se apresenta como "private detective" e eu me perguntava quem o contratou. No fim o jogo explicou esse ponto. Só mencionei aqui pela dúvida que durou um bom tempo.

- Aquele cara ricaço e seu filho mimado, bem como aquele maluco religioso servem só pra desenvolver os personagens principais. Eles não tem relação alguma com o caso.

- Achei estranho o tenente sempre discutindo com o Norman. O cara é tenente, beleza, mas o Norman é um fucking agente do FBI!

- O relógio dourado do começo do jogo é pra ser dado a um policial. Scott ganhou, mas ele deixou a polícia há tempos. A única explicação pra isso é ser uma tradição da polícia presentear com aquele modelo de relógio. Sendo assim, aquele do Scott é diferente do que apareceu no começo. Se for o mesmo, não faz o menor sentido.

20
  • Micro picture
    ccmendes · 8 months ago · 2 pontos

    Adoro esse jogo, um dos poucos que platinei. Mas, acabei platinando porque queria ver como eram todos os desfechos.

    2 replies
  • Micro picture
    hyuga · 8 months ago · 1 ponto

    gostei muito dele e até platinei e se me lembro bem, o veneno não é veneno

    4 replies
  • Micro picture
    fonsaca · 8 months ago · 1 ponto

    Eu adoro esse jogo, acho um dos melhores (se não o melhor) da Quantic Dream. EU só acho estranhíssimo os pensamentos do detetive. Já que ele é o (spoiler na continuação)...

    7 replies
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · 8 months ago · 1 ponto

    Jogão ❤️
    É engraçado como de repente pega uma vibe de JOGOS MORTAIS...

    2 replies
  • Micro picture
    rafaschiabel · 7 months ago · 1 ponto

    Comentário com spoilers:

    2 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...