rafaelssn

Caixista e fã incondicional de Zelda :-)

You aren't following rafaelssn.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2022-05-15 21:11:24 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
  • 2022-05-13 18:30:20 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    JOGOS DE TERROR EM 3ª PESSOA MORRERAM?

    Medium 3913657 featured image

    Pensei em fazer esse artigo por conta de uma possível volta de Silent Hill (E sim, parece que desta vez é verdade) em colaboração da Konami, Bloober Team e Sony, mas que tem grandes chances de ser em 1ª pessoa ao invés de 3ª como outros jogos da serie.  A questão é: Por que tantos jogos de terror em 1ª pessoa nos últimos anos? Por que está cada vez mais raro ver um jogo de terror em 3ª pessoa? 

                                                         SIREN BLOOD CURSE


    Antes de dar a resposta, vamos voltar pra década de 90. Foi lá que os jogos de terror se popularizaram, primeiro com Alone in the Dark em 1992, com sua câmera fixa e movimentação "tanque" ele fez muito sucesso na época, mas foi em 1996 que o gênero se popularizou de vez com a chegada de Resident Evil, inspirado por Alone in the Dark em sua câmera e jogabilidade e que acabou gerando diversos "clones", pois quando um jogo faz sucesso, é normal aparecer vários jogos parecidos, e graças a Resident Evil surgiram vários games como Parasite Eve, Dino Crisis, Silent Hill e vários outros...

                                                     ALONE IN THE DARK

                                                      RESIDENT EVIL


    Durante a 5ª e 6ª geração de consoles tivemos inúmeros jogos de terror em 3ª pessoa, mas por algum motivo, nem todos tinham o mesmo sucesso comercial de Resident Evil, nem mesmo os bons jogos, fazendo os estúdios perderem o interesse neste tipo de jogo com a chegada da 7ª geração de consoles.  Por volta de 2010, muitos estúdios indie começaram a fazer sucesso com jogos de terror em 1ª pessoa, como por exemplo Amnesia e posteriormente jogos como Outlast, Slender e Pesadelo, chamando atenção do mercado, inclusive dos grandes estúdios. Claro que nessa época ainda existiam jogos de terror em 3ª pessoa, como Alan Wake e The Evil Within, mas algumas coisas começaram a mudar, franquias como Resident Evil passaram a ser jogos de ação, pois a Capcom viu que era isso que estava dando dinheiro, Silent Hill acabou se perdendo depois da saída do Team Silent da Konami, inclusive tendo mais elementos de ação nos seus últimos jogos (Homecoming e Downpour), mas ainda sim um número menor de jogos em 3ª pessoa em comparação com a 5ª e 6ª geração. 

                                                               ALAN WAKE

                                                 THE EVIL WITHIN 1 E 2



    Então qual a resposta pra pergunta do começo deste artigo?  Simples: Os desenvolvedores perceberam que o público não quer "sentir medo", mas sim "levar sustos", e a câmera em 1ª pessoa era perfeita pra isso, fora que não precisariam se preocupar em fazer o modelo do protagonista, já que só iria aparecer as mãos e isso facilitaria ainda mais o trabalho. Quando jogos como Amnesia começaram a fazer sucesso, outros estúdios começaram a querer fazer igual, a maioria sem ter a mesma qualidade, mas por serem jogos de baixo orçamento eles se pagavam fácil e davam lucro, independente da qualidade, pois a única coisa que o público queria era levar sustos, então a maioria nem se preocupava em fazer uma história decente ou desenvolver o protagonista, e o YouTube influenciou ainda mais, pois vários Youtubers famosos jogando esses jogos e tomando sustos, o que acabava sendo engraçado e influenciando ainda mais o público a comprar o jogo (que não era tão caro).


                                                     P.T (SILENT HILLS)

    As grandes desenvolvedoras também se interessaram por esse "novo" modelo de jogos de terror, e o melhor ainda era que não precisava gastar muito. A Konami saiu na frente com um teaser jogável chamado P.T, que depois descobrimos que era um novo jogo da franquia Silent Hill feito por Hideo Kojima (Metal Gear), mas com o nome de Silent Hills. Esse teaser jogável era em 1ª pessoa, mas a versão final do game teria os 2 modelos de câmera como o Silent Hill 4 The Room, mas infelizmente acabou sendo cancelado. A Capcom viu a oportunidade de pegar os "orfãos" do P.T e resolveu mudar completamente a franquia Resident Evil, passando de um jogo de ação em 3ª pessoa para um jogo de terror em 1ª pessoa, e mesmo com a empresa negando ter sido influenciada por P.T, sabemos que teve uma influência muito grande em Resident Evil 7 e ao mesmo tempo seguiu a "receita de bolo" dos jogos de terror que faziam sucesso na época, se tornando um sucesso de críticas e vendas.

                                  REMOTHERED TORMENTED FATHERS


    Os jogos de terror AAA em 3ª pessoa ficaram cada vez mais raros, tendo jogos de orçamento menor como "Remothered" com um destaque razoável, já os de maior orçamento tivemos "The Evil Within 1 e 2", onde apesar das vendas boa do primeiro, tiveram que mudar completamente o jogo no 2º para torná-lo mais comercial (algo que aconteceu com Dino Crisis na década de 90, onde o 2 vai mais pro lado da ação tentando atrair mais pessoas), indo mais pra um lado de ação dando bastante liberdade ao jogador e várias side quests, coisas que pra mim não combinam com jogos de terror, mas fizeram pra atrair o grande público, e apesar de ter uma aceitação maior do público em comparação com seu antecessor, acabou tendo vendas menores que o 1º jogo. Já os jogos de terror em 1ª pessoa estão extremamente saturados, onde você conta nos dedos os jogos que prestam, mas como eu disse antes, o grande público não liga muito pra qualidade, sendo assim dando dinheiro pra esse tipo do jogo, sem se importar se é bom ou ruim, pois o que eles querem é tomar sustos. Mas onde quero chegar com isso? Os fãs de jogos de terror em 3ª pessoa ( principalemente os de terror psicológico) vão ter tempos cada vez mais "sombrios", pois infelizmente são jogos que não agradam a "grande massa", fazendo os estúdios ter cada vez menos interesse e o jeito é torcer para estúdios indie continuarem fazendo jogos com um orçamento menor como "Remothered" ( que por sinal ganhou sequência), enquanto infelizmente as grandes (e poucas) produções em 3ª pessoa vão pra um lado mais "comercial", seguindo o "arroz com feijão" pra agradar um número grande de pessoas, afetando principalmente os de terror psicológico, um subgênero do terror extremamente nichado tanto nos cinemas quanto nos vídeo-games, pois a maioria das pessoas tem mente fechada pra esse tipo de conteúdo, diminuindo as chances de franquias esquecidas voltarem ou descaracterizar alguma franquia para atrair um número maior de jogadores e assim tendo mais lucro, uma péssima época para fãs desse subgênero, mas principalmente de jogos de terror em 3ª pessoa como um todo.

    Silent Hill

    Platform: Playstation
    6739 Players
    181 Check-ins

    23
    • Micro picture
      myers · 2 days ago · 2 pontos

      Desculpe pelo tamanho do texto, acho que me empolguei um pouco..kkkkk Um artigo sobre jogos de terror nessa sexta feira 13, espero que gostem.

      2 replies
    • Micro picture
      _gustavo · 1 day ago · 2 pontos

      Recomendo fortemente se não jogou, o Tormented Souls, outro que vai sair esse ano é o Broken Pieces, apesar que ambos utilizam o esquema dos RE clássicos de camera fixa

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 1 day ago · 1 ponto

      Então...acho que o "boom" de survival horrors 1st person se deu basicamente devido ao sucesso de um grande título...se não me engano AMNÉSIA, né? E as lives de YOUTUBE impulsionaram isso
      ...
      Mas como seu próprio texto mencionou... há muitos 3rd person ainda: SIREN, DEAD SPACE, EVIL WITHIN...
      ...
      Sinceramente? Sendo bom não me incomoda 1st person. Amo RE VII, e também amei o RE3 REMAKE...
      ...
      Há espaço para ambos...

  • leandro Leandro Lopes
    2022-05-13 19:28:02 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by leandro: <p>#img#[822526]</p>

    24
    • Micro picture
      onai_onai · 1 day ago · 2 pontos

      Acredita que tive um Playstation II mas nunca joguei esse?

      1 reply
    • Micro picture
      tiagotrigger · 1 day ago · 2 pontos

      O jogo é bom, se bem que jogar hoje não deve ser grande coisa.

  • sonne Sonne Black Sunshine
    2022-05-12 18:36:17 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Problema com controles

    Alguém sabe se existe uma forma de simplificar os controles?

    Eu até consigo jogar, mas sempre que eu volto para o jogo depois de um tempo eu fico perdida enquanto me reacostumo Dx

    Esse jogo é infinitamente melhor do que a maioria dos cRPG antigos em questão a isso, mas não consigo jogar com conforto :c

    Pathfinder: Kingmaker - Enhanced Plus Edition

    Platform: PC
    11 Players
    1 Check-in

    16
    • Micro picture
      sonne · 3 days ago · 1 ponto

      Meu problema é especificamente com as batalhas

    • Micro picture
      _gustavo · 3 days ago · 1 ponto

      Joguei só o comecinho dele, não me lembro, mas não tem como remapear os controles ? Ta jogando no teclado mouse mesmo ?

      1 reply
  • 2022-05-11 17:23:15 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    aniger checked-in to:
    Post by aniger: <p>O terceiro dia do <strong>PGL Major&nbsp;</stron
    Counter-Strike: Global Offensive

    Platform: PC
    4482 Players
    988 Check-ins

    O terceiro dia do PGL Major Antuérpia 2021 de Counter-Strike: Global Offensive acabou, com isso temos Spirit, Outsiders(ex-Virtus-Pro, ex-Avangar) e ENCE garantidos para próxima fase da competição.

    Mas nem todas as vagas estão definidas, mais três equipes estão por se classificar, entre elas as brasileiras Imperial e mibr. Os horários e confrontos foram definidos, confiram:

    Artigo: https://https//j-mixture.blogspot.com/,,,/PGL Major CS:GO Antuérpia

    Discord: https://discord.gg/QnBFUdx8KV

    @csgo @steam

    13
  • anduzerandu Anderson Alves
    2022-05-10 22:08:51 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Registro de finalizações: Tomba! 2 - The Evil Swine Return

    Zerado dia 10/05/22

    Caraca, que pendência antiga! Inclusive, esse era o jogo número 13 das minhas pendências urgentes e agora só faltam 12!

    Eu jogava Tomba! 2 há muitos anos atrás. Muitos mesmo! Vou chutar uns 18 anos, no Playstation do meu primo. Nessa época eu gostava muito mais de títulos que tinham personagens assim, aventura, plataforma e torcia o nariz quando a galera tentava me convencer a jogar um pouco de jogos de luta ou esporte. A verdade é que eu curtia coisas mais coloridas e até infantis (apesar de odiar os que eram fáceis demais e os bestas demais, como os Scooby Doos da vida).

    Eu curtia bastante quando jogávamos Tomba! 2 apesar de ser um jogo de progresso lento, vai e volta de entrega de itens e dependência de idioma. Nem consigo imaginar quantas horas gastamos para chegar onde chegamos na época. E essas horas era divididas em dias, meses.

    Lembro de depois de muito tempo um dia conseguimos passar de uma parte que estávamos travados. Foi a maior alegria e até acendeu a vontade da galera de jogar mais! Nesse dia esse primo tinha levado o Playstation para a casa de outro primo e todos estávamos lá: a galera praticamente da mesma idade, focados até o talo em Tomba! 2 a ponto que quando esse primo quis embora pedimos para ele deixar o console e jogarmos madrugada adentro. Lembro ainda que era véspera de natal e mais tarde tivemos que desligar e deixar os adultos assistirem TV. Estava passando o filme em animação Anastasia em algum canal!

    Enfim, o tempo passou e o jogo foi sendo deixado de lado. Logo a gente tava mais interessado em arranjar uma namorada do que em video games. Ou pelo menos queríamos saber de consoles mais novos.

    Eu não tinha dinheiro e meu foco por muitos anos foi apenas em portáteis da Nintendo e alguns jogos que possuía. O que rolava por fora eu nem sabia, mesmo nos consoles de mesa da própria Nintendo. Eu me esqueci completamente de Tomba! 2.

    Recentemente tentando resgatar esses jogos incompletos do passado lembrei do safado! Isso é, depois de uns 2 anos achando que já tinha tudo sob controle. Resolvi então jogar, mas não queria começar pelo segundo e fui atrás do primeiro jogo da série, o primeiro Tomba!

    Joguei há poucos meses e não curti muito. Foi um jogo que arrastei bastante e achei muito bagunçado e irritante. Apesar de eu ter visto algumas pessoas falando que ele era melhor que sua sequência, foram umas 8 horas sofridas que pareceram muito mais.

    Dei um tempo antes de ir pro segundo, mas estava preocupado. Ele era mais longo ainda e esses comentários negativos me fizeram questionar se eu conseguiria jogar. Sim, o primeiro jogo me traumatizou de tão frustrante.

    Um dia desses resolvi começar Tomba! 2 até porque estou focando aqui nos jogos prioritários e ele era um deles. Joguei pulando a história e tal só para ver a jogabilidade e putssssss......eu estava mesmo enjoado dessa pequena franquia. Cheguei numa parte que você tem que se balançar nuns trecos de madeira e estava caindo nos buracos o tempo todo. Como eu conseguia jogar isso? Aparentemente a galera vinha falando a verdade sobre Tomba! 2.

    Duas coisas que percebi nessa primeira jogatina é que: os personagens são em 3D, diferentemente do jogo anterior que eram sprites 2D, e que eu tinha visto uns vídeos relacionados a esse jogo que são grandes clássicos da internet! Vale a pena assistir esse festival de vergonha alheia se você souber inglês.

    Versão "Pura": 

    Versão Pewdiepie: 

    Vários dias depois eu resolvi voltar. Eu tinha que me resolver com esse jogo. E graças a deus eu o fiz! A segunda tentativa foi muito melhor! O jogo fluiu muito bem, inclusive a jogabilidade e aquela parte que morri um bocado era ridiculamente fácil. Eu deveria estar cansado ou sei lá.

    Bom, T2 é conhecido por ser um jogo 2.5D de plataforma não linear. Isso porque joga como um Mario da vida, mas você coleta itens e pode pegar diferentes "rotas" numa mesma parte (meio que como em Yoshi's Story) para alcançar diferentes planos em uma fase. Na verdade ele sequer é por fases, mas sim por diferentes mapas. Você explora, coleta itens e segue quando quiser o seu caminho. Alguns personagens pedirão por certos objetos ou haverão obstáculos que farão você voltar, explorar mais e até fazer mais missões para conseguir itens e melhorias.

    Imagine que é algo como um metroidvania. Há um certo Quê de collect-a-ton também. Missões por recompensas que nem sempre valem a pena estão incluídas enquanto algumas serão obrigatórias para progredir. Tem coisa que só dá ponto, tem coisa que parece não servir para nada até servir, inclusive coisas do início que só usei nos últimos momentos da aventura.

    Há ainda muitas missões e coisas opcionais para quem gosta de fazer 100% ou quer deixar o protagonista bem forte.

    E tenho que dizer que o jogo envelheceu bem! Ele pega muito da fórmula do primeiro Tomba e melhora em tudo. Os cenários são fáceis de entender, a navegação é rápida, os personagens são carismáticos, há indicadores de quando você pode trocar de plano no cenário, o sistema de vidas e voltar pro último save foram retirados e agora você pode dar "continue" assim que morrer e voltar pro início da área que estava, com todo o seu progresso devidamente garantido.

    Outra coisa que curti é que os itens são divididos em cores, sendo que os usáveis são azuis ou rosas. Azuis precisam ser usados manualmente enquanto os rosas são automáticos. Tudo faz muito sentido na jogatina! Essa era uma das coisas mais bizarras do jogo anterior: o cara queria algo que você já tinha e você tinha que usar o item.

    Para melhorar a experiência, você ganha diversas armas e roupas que facilitam a exploração e combates e as áreas não são muito grandes ou confusas. Que jogo delícia! Tudo funciona muito bem e eu estava adorando o vai e vem. Quando eu conseguia uma chave que abria todos os baús de certa cor, eu fazia questão de voltar no início do jogo e andar tudo novamente procurando por baús. Repetia novamente assim que conseguisse a próxima chave!

    O primeiro jogo ainda tinha uma deficiência muito grande de itens de viagem rápida. Aqui há bastante! Mesmo assim muitas vezes eu andava até para procurar mais coisas e tentar interagir com as pessoas novamente agora que tinha conseguido mais itens. Há umas cidades que você controla o Tomba ao estilo Final Fantasys de PS1 e há bastante coisa para lembrar!

    Quando queria agilizar as coisas ou voltar à um lugar só para testar uma ideia, usava um item, mas logo consegui mais opções de viagem rápida, inclusive o meu cão que faz isso de graça e túneis subterrâneos.

    Inclusive vale a pena mencionar que tudo é bem conectado de uma forma tão legal! O level design é muito carismático e caprichado. Sabe aquele esquema do primeiro Dark Souls de atalhos e se familiarizar com tudo? Essa é a sensação!

    Sério, para quem não esperava nada, eu DEVOREI 11 horas de T2 em dois dias e acho que ele merecia um remake ou continuação! 

    Jogar o primeiro Tomba!, entretanto, não foi em vão. Quer dizer, eu não recomendaria isso, mas tem muitas referências e personagens recorrentes (mas também tem uns novos que simplesmente aparecem sem nenhuma introdução, como um parceiro que anda com você o tempo todo e a irmão do Tomba, motivo dele sair em aventura aqui). Muitas quests e mecânicas também são muito parecidas. De certa forma, é quase como T2 fosse um remake de seu antecessor.

    Na verdade eu vou dizer que o primeiro está para Zelda II como o segundo está para Majora's Mask, já que é um jogaço mal compreendido e que você fica perdidão, haha.

    No final da aventura percebi que pulei coisas que já poderia ter feito há tempos, mas como sempre, o jogo nem sempre deixa claro que você pode fazer umas coisas. Nesse caso foi exatamente como o primeiro jogo: você ganha a "chave" para acessar um chefe mas ele nunca aparece. Achei que seria tudo no final mas basta ir num local completamente "aleatório" de cada mapa e lá aparecerá a porta. Vencer todos os chefes é obrigatório para abrir a porta final e o mais legal é que, como cada um deles amaldiçoou uma cidade, ao vencer uma batalha você retorna aquele lugar à forma normal. Um mapa de gelo, por exemplo, ficou verdinho e muito bonito.

    Resumindo: Tomba! 2 - The Evil Swine Return não só é uma sequência para um jogo fraco como possivelmente se tornou um dos meus prediletos da plataforma. Ainda é cedo para dizer se ele entraria no meu top 10 anual (acredito que não), mas realmente curti como ele é bem feito e pensado. Um jogo divertido em meio a tanta coisa tediosa que tenho jogado.

    De bom: os visuais são bacanas e ficaram ótimos na tela do meu PS Vita, parecendo um jogo de DS ou melhor. A trilha sonora é excelente! Jogabilidade funcional. Personagens e cenários cativantes e bate até aquela saudade ao ver um CG recapitulando suas aventuras durante os crédito! Dificuldade no nível certo e sem aquele monte de coisas que te matavam do anda do primeiro. Navegação muito boa. Personagens todos dublados. As pessoas te dão dicas do que fazer. Bastante conteúdo adicional (e mais ainda se você tiver um save do primeiro jogo). Sem sistema de vidas e voltar pro último save.

    De ruim: as músicas param para tocar uma outra sempre que você inicia um diálogo. Para quê isso? A música dos diálogos é horrível e ainda reinicia-se a música do cenário sempre que você termina uma conversa. Algumas partes tem um desafio meio estranho ainda. Ia dizer que o jogo poderia até ser um pouco mais longo e com mais áreas, mas talvez essa seja mesmo a quantidade certa de conteúdo. Dependente de linguagem.

    No geral, gostei bastante e o jogo é bem diferente do que eu me lembrava ou do que eu entendia dele mas no caso de forma positiva. Recomendo demais para quem tiver afinidade pelo gênero, quem já conhecer o primeiro ou pouco desse ou tiver curiosidade. Jogo massa!

    Tomba! 2 - The Evil Swine Return

    Platform: Playstation
    385 Players
    8 Check-ins

    16
    • Micro picture
      anduzerandu · 5 days ago · 1 ponto

      Curiosidade: terminei esse jogo exatamente 2 meses depois do primeiro (10/03 e 10/05) e foi uma coincidência bizarra @.@

  • netogermano Neto Germano
    2022-05-08 22:35:09 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by netogermano: <p>Parabéns pra mim...</p><p>#img#[821820]</p><p>#i

    Parabéns pra mim...

    ...eu acho.

    28
  • rafaelssn Rafael Nogueira
    2022-05-08 02:39:53 -0300 Thumb picture
    rafaelssn checked-in to:
    Post by rafaelssn: <p>Finalizado!</p><p>No caos total, matei quase tod
    Dishonored Definitive Edition

    Platform: Xbox One
    52 Players
    5 Check-ins

    Finalizado!

    No caos total, matei quase todo mundo, só deixei os inocentes vivos, agora é jogar as DLCs e zerar novamente com mortes zero dessa vez, ver as diferenças na narrativa.

    15
  • longnplay Luiz Alberto
    2022-05-07 19:32:52 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by longnplay: <p>https://www.youtube.com/watch?v=v72zoaQVTg0</p>

    NieR: Automata

    Platform: Playstation 4
    687 Players
    173 Check-ins

    14
    • Micro picture
      gaussehammer · 8 days ago · 2 pontos

      Ficou mt bom!

    • Micro picture
      zefie · 6 days ago · 1 ponto

      Essa música é sensacional e combina muito com vários momentos do jogo.

  • danilodlaker Danilo Rodrigues
    2022-05-06 19:28:14 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by danilodlaker: <p>Hoje começo a jogar Trek to Yomi! É um indie que

    Hoje começo a jogar Trek to Yomi! É um indie que está sendo bastante aclamado pela crítica e pelos jogadores. A partir das 20h30 estarei em live jogando o mais recente jogo publicado pela Devolver Digital.

    https://www.twitch.tv/danilodlaker

    Na sequência temos que voltar para o treino diário no Overwatch com a galera, quem quiser jogar junto é só mandar mensagem no chat da transmissão que será um prazer jogar com vocês :)

    Trek to Yomi

    Platform: Xbox Series X
    5 Players
    4 Check-ins

    15
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...