mateusmaster

Jogando há duas décadas, jogo qualquer tipo de jogo independente da plataforma. Games 4 Life

You aren't following mateusmaster.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-30 15:59:36 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 719310 3309110367

    Jogo finalizado #258 - Metroid (NES)

    #26º em 2020

    Iniciei minha trajetória com essa franquia!

    Nunca havia jogado um game sequer de Metroid, e agora aproveitei pra pegar o primeirão para conhecer a saga desde os primórdios. Muito legal acompanhar Samus Aran no planeta labiríntico de Zebes, em sua missão de destruir o líder dos Piratas Espaciais, o estranho ser chamado Mother Brain. No caminho derrotei dezenas de alienígenas esquisitos e dois chefões casca grossa: Kraid e Ridley. Sem contar o encontro com os bizarros seres gelatinosos, os Metroids!

    Esse game é difícil pra caramba! Se não fosse o save state (e algumas outras facilidades vergonhosas que o Switch oferece) eu jamais teria conseguido terminar kkk Os chefões são bizarramente difíceis, naquele tempo só os fortes zeravam. É legal ver as origens do estilo tão aclamado hoje em dia, o Metroidvania.

    Na minha jogatina peguei a maioria dos power ups (sim, usei uns guias), e destaco os tiros congelantes, a vestimenta avançada e o pulo invencível como as melhores, sem contar a habilidade de morphball de Samus. No final, após derrotar os inimigos e destruir todos os Metroids, minha Samus tirou a armadura e ficou de biquininho kkkk Jogo divertido, mas difícil demais, reconheço seu valor histórico!

    4/5 estrelas

    Metroid

    Platform: NES
    1360 Players
    51 Check-ins

    9
    • Micro picture
      santz · about 1 year ago · 2 pontos

      Essa série é uma das favoritas, mas ainda não tive coragem de encarar os dois primeiros jogos. Mas esse primeiro é muito clássico.

      3 replies
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-30 03:16:16 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Jogo finalizado #257 - Super Mario Bros.

    Medium 719207 3309110367

    Jogo finalizado #257 - Super Mario Bros. 3 (NES)

    #25º em 2020

    Que salto foi esse que o Mario deu ein? (perdão kkk)

    Eu já havia jogado esse game eventualmente na casa de parente no passado, porém essa foi a primeira vez que peguei a fundo para terminar. Me surpreendi ao ver como esse game é superior aos dois games anteriores (e o falso 2), é até estranho pensar que roda no mesmo console que o clássico de 85. É nesse game que diversos elementos da franquia foram estabelecidos e continuam a aparecer nos games 2D do personagem até hoje, sem contar que é o primeiro game do Mario onde a narrativa tem mais atenção, com vários textos de fala e cartas.

    Bem divertido e muito mais fluído que os antecessores, o terceiro game do bigódin nos permite saltar, correr, escalar, planar e carregar blocos ou tartarugas pelos lindos cenários. Tudo aqui é colorido e pelo jeito levaram o NES ao limite na época kkk A evolução é gritante, Mario agora tem vários “poderes” para obter, o clássico foguinho continua, mas agora temos também a folhinha para virar guaxinim, as roupas que o transformam em sapo, em jogador de martelos e claro, o amado Mario Tanooki!! Kawaiiiii

    Bom, a história é aquela coisa, Bowser capturou a princesa e temos que salvá-la. O grande vilão espalhou seus asseclas por todos os oito mundos presentes no game e, sempre que alcançamos o castelo local, temos que derrotar esses inimigos que ficam em seus navios voadores, a fim de pegar suas varinhas mágicas e resgatar o monarca da área. Após fazer os reis de cada região voltarem à sua forma humana, ganhamos como recompensa uma carta da princesa Toadstone (blerg, Peach é bem melhor) que nos reconforta por um tempo.

    Gostei bastante desse game, ouso dizer que até diminuiu um pouco o valor que eu agregava à Super Mario World por achar que este que havia revolucionado tanto dentro da franquia. Me impressionei com a complexidade e leveza que a Nintendo trouxe com esse game!

    PS: Ahhh se não fosse o Save State kkkkkk

    5/5 estrelas 

    Super Mario Bros. 3

    Platform: NES
    11210 Players
    111 Check-ins

    9
    • Micro picture
      santz · about 1 year ago · 2 pontos

      Confesso que depois que vi a quantidade de coisa que esse jogo trouxe para a franquia, também baixei um pouco a bola do Super Mario World, porém, ele ainda é um jogo que eu considero perfeito. Eu zerei esse na época, a versão All-Star, que tem o recurso de save. Foi épico demais.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-30 03:13:28 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Jogo finalizado #256 - The Last of Us Pa

    Medium 719205 3309110367

    Jogo finalizado #256 - The Last of Us Part II (PS4)

    #24º em 2020

    Agora com SPOILERS, muitos - Se vingar é como tomar água do mar, quanto mais se toma com mais sede fica...

    Agora, falando sobre a trama de The Last of Us Parte II, muito há o que se discutir. Primeiramente tenho a sorte de poder dizer que não fui spoileado antes de jogar, e também fui ágil ao me esquivar dos vazamentos que assombraram a internet desde meados de abril (era foto e vídeo pelo Twitter, pelos sites como a GameVicio, e até canais do Discord...). Por isso fui muito surpreendido pelos acontecimentos, reviravoltas e até mesmo uma segunda jornada que o game apresenta.

    Primeiramente é tenso de lembrar do impactante acontecimento que assombrou as primeiras horas do game. Controlamos uma forte mulher em busca de alguém que mora em Jackson. Acompanhamos ela fugindo de uma hora de infectados para por sim ser salvo por ninguém menos que Joel e Tommy. Até aí, tudo bem. Porém o que acontece a seguir é revoltante e triste. Porém antes devo ressaltar um dos únicos pontos da trama que me incomodaram: Joel e seu irmão adentram a residência em que estavam alojados um grupo de desconhecidos de forma muito ingênua, revelando até mesmo seus nomes sem sequer hesitação. Para uma dupla que vive num mundo pós apocalíptico há quase um quarto de século, esperava-se mais prudência. Achei fraco e digno de roteiro preguiçoso essa parte da cena, mas tudo bem. O que vem a seguir que realmente impacta: Abby atira na perna de Joel e o tortura até a morte com um taco de golf, sendo que as tacadas finais foram presenciadas por uma assustada Ellie.

    Bom, em seguida o caminho é claro: tanto Ellie quanto nós, jogadores, queremos vingança à qualquer custo. Somos brutais com todos em nosso caminho, eliminamos as pessoas sem questionar e massacramos os amigos da Abby um a um até chegar a ponto de quase perder a humanidade ao tirar a vida de uma mulher grávida. Pesado. No caminho do ódio Ellie nem sequer buscou investigar as pessoas a quem tirava a vida, crendo que todos aqueles integrantes do grupo WLF eram desalmados e cruéis.

    Nesse ponto da trama eu já estava com boas 15 horas de gameplay, mais ou menos o tempo que levei para terminar o primeiro game, portanto eu estava crente que chegava perto do final do game... até que ser surpreendido com a Abby adentrando o teatro em que o grupo de Jackson estava, matar Jesse sem cerimônias e deixar Ellie rendida. Fiquei ainda mais surpreso ao ver que agora iria controlar essa personagem que eu tanto odiava por ter matado Joel. Não acreditava no quão ousada a Naughty Dog estava sendo, mas fui aberto para ver o histórico de Abby e suas motivações. E é justamente isso que o game apresenta nos próximos três capítulos. Boas 10 horas ou mais estamos na pele daquela loirona musculosa, e nesse meio tempo um sentimento aflorava: a culpa. Sim, vemos aqui centenas de soldados do grupo WLF ( a quem Ellie trucidaria em sua jornada), vemos dezenas de cachorros sendo tratados com carinho (os quais Ellie mataria à paulada sem dó) , interagimos com personagens carismáticos, como a Thifanny, a garota do PSVita (preciso falar algo?!), entre outras coisas. Pois é, é tenso demais, e nos faz refletir as ações de Ellie, que dariam inveja até aos vilões mais sanguinários.

    No resto da jornada da Abby focamo-nos em combater o grupo fanático religioso Serafitas, ao mesmo tempo que temos que ajudar e proteger dois integrantes: Lev e Yara. Lev é um garoto trans, e estava sendo perseguido pela seita da qual fazia parte. Abby queria se redimir pela brutalidade que fez com Joel e desse modo enfrenta dezenas de infectados assombrosos e outras dezenas de serafitas para cumprir esse objetivo. É uma grande pena que Yara acabe sendo morta por Isaac, líder do grupo de Abby que estava invadindo a ilha em que o culto se alojava. Essa aventura de Abby lhe deu mais humanidade e ganhou a confiança de Lev, que agora a acompanha fielmente. Porém a redenção teve gosto breve, pois ao chegar no Aquário em que seu ex e sua amiga grávida moravam os encontrou trucidados o que a fez ficar com sangue nos olhos e procurar Ellie custe o que custar.

    Eis que o game direciona em uma parte que, mais uma vez, eu JURAVA que seria o fim: o confronto entre Ellie e Abby. Gritei de êxtase ao ver que eu daria boas porradas naquela garota magrela, cada murro era um urro kkk Bati palmas para os desenvolvedores por terem conseguido fazer eu, como jogador, apoiar as boas porradas que Ellie levou. Porém a cena acaba com a Abby provando ter bom coração e permitindo que Ellie e Dina sobrevivam. Nesse momento vemos a índole de Abby, que se provou benevolente em relação à usa algoz, mesmo essa tendo aniquilado todos seus amigos.

    O jogo corta para alguns meses no futuro, e mostra Ellie morando junto com Dina e seu filho, Jesse Jr. em família. Tudo muito bonito e comovente, mas eu não parava de pensar que a Ellie não merecia um final feliz desses, e bem, vejam só, ela pelo jeito pensava o mesmo! Ela era atormentada pelas visões de Joel morrendo, e desse modo resolveu seguir a pista que Tommy havia encontrado sobre o paradeiro de Abby, e assim Ellie deixa Dina e o bebê para novamente ir em busca de vingança.

    Agora, na Califórnia, primeiro vemos Abby e Lev em um pequeno momento de felicidade ao conseguir contato com um grupo que restou dos vagalumes. Esbocei um sorriso sincero ao ver que algo estava dando certo para ela. Porém isso aqui é The Last of Us, e a alegria dura pouco ao vermos elas sendo capturadas pelo grupo escravagista da região: os Cascáveis. O tempo passa e agora vemos Ellie chegar na cidade californiana de Santa Barbara, a acompanhamos até ela descobrir a base desses cascáveis e matar cada integrante dessa gangue por lá, até por fim encontrar a pessoa que mais odeia presa à paus na beira da praia, toda desnutrida e fraca após meses de abuso. É uma cena realmente triste, ver como mesmo sabendo da condição em que Abby se encontrava, Ellie não desiste de sua luta odiosa e faz com que uma luta aconteça. Cada soco, agarrrão e pancada pesa nessa cena. As duas lutam até a última gota de força, Ellie tem dois dedos arrancados mas consegue enforcar e afogar Abby na parte rasa da praia em que estavam. Quando estava prestes a matar sua rival um flash de Joel feliz, tocando seu violão aparece na mente de Ellie nesse momento ela soube: não valeria a pena matar Abby e perder o pouco que resta de sua humanidade naquele ato. Ellie soltou Abby e a deixou partir.

    Até que ponto alguém comete terríveis atos para suprir desejos vingativos? Realmente haverá paz após findar tal objetivo? Valeria a pena perder sua humanidade em consequência disso, e conseguiria viver em tal estado? Essas e muitas outras questões transbordam desse final triste e amargo. Após toda essa jornada, Ellie perdeu tudo que tinha, perdeu seu amor, sua família e até mesmo aquilo que usava para se lembrar do legado que Joel lhe deixou: a habilidade de tocar violão. No final, Ellie ficou sozinha, justamente seu maior medo.

    Abby, por outro lado, fugiu em um barquinho, junto com Lev a fim de encontrar o grupo que sobrou dos Vagalumes. Depois de tanto sofrer, seu final pelo menos foi otimista - quem sabe uma continuação seguindo essa trama? Eu quero, e você?!?!

    Por fim, gostei bastante do enredo, tem mais conteúdo do que o primeiro, apesar de não ser tão consistente quanto. O game, em questões narrativas, vai ser divisivo, não tem jeito. Além de todo conteúdo polêmico e escolhas ousadas que a produtora optou, o game ainda coloca várias pautas progressistas em seu miolo, o que já está irritando muito conservadores bitolados. Enfim, é uma obra prima, com poucos defeitos. Fui impactado, me fez pensar e refletir bastante, e estou louco para jogar novamente, mesmo agora apenas dias depois de terminar (poucos games consegue essa proeza comigo). Game of the Year com certeza!

    5/5 estrelas

    The Last of Us Part II

    Platform: Playstation 4
    896 Players
    301 Check-ins

    5
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-25 19:13:45 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 718010 3309110367

    Jogo finalizado #256 - The Last of Us Part II (PS4)

    #24º em 2020

    Sem spoilers, prometo - A Vingança nunca é plena, mata a alma e envenena...

    Tenso. Maduro. Brutal. Impressionante. Essas são algumas palavras que exprimem os sentimentos que afloram ao jogar The Last of Us Parte II. Durante as mais de 30 horas que levei para zerar muito do que acontecia na trama não parava de pairar sobre minha mente. Quanto mais eu penso nos acontecimentos da narrativa e as decisões escolhidas pela Naughty Dog mais o game cresce para mim.

    Comecei a criar hype por esse game no comecinho de junho, peguei o remaster do primeiro e mandei ver para me preparar e assim relembrei e pude entender o quão bom era esse game. Faziam 7 anos que não jogava o clássico game de PS3, e agora, sendo pai e mais velho, pude entender mais a fundo suas temáticas e o peso das decisões de Joel. Da mesma forma que o primeiro game envelheceu como vinho para mim, aposto que a Parte II também o irá, e para muita gente também. Esse game precisa de tempo para ser digerido, terminei há algum tempo e ainda muita coisa está matutando em minha cabeça.

    Os desenvolvedores criaram um produto extremamente maduro como poucos na indústria. O jogo lida com vingança e ódio, mostrando as consequências e impactos que um ato traz para a vida de outras pessoas, ao mesmo tempo que demonstra que o vazio nunca pode ser preenchido com a busca por sangue, por mais que sejamos teimosos e demoremos para enxergar isso. Confesso que não chorei jogando o game, mas já vi relatos de inúmeras pessoas menos duronas que choraram bastante em diversas partes, mas eu entendo o porquê. Além disso, a ND também foi corajosa ao colocar personagens homossexuais no centro da história, e também tratar de temas sensíveis como a identidade de gênero. Não preciso nem falar o quanto de ataques o jogo está sofrendo pela pequena e barulhenta parcela de “gamers” bitolados ao redor do mundo.

    Outro fato que também gerou polêmica foram os inimigos retratados como fanáticos religiosos. Assim como em Far Cry 5 – só que de forma muito mais corajosa e sem medo de cutucar a ferida – o jogo tem um culto de religiosos fanáticos que seguem ensinamentos de uma “profeta” que prega o amor, mas que incentiva atos de extrema violência e discriminação cega. Eu, como sendo sobrinho de uma pastora de igreja evangélica, posso afirmar que o jogo retratou com fidelidade os absurdos que se espalham nesse tipo de pessoa. Uma vez, em um café da tarde, minha tia soltou que desejava “que o tempo de Deus retornasse para que pudessem enfileirar os pecadores na parede e metralhar” isso enquanto se preparava para ir em sua igreja pregar o “evangelho”. Conheço bem essa gente, ainda mais que cresci frequentando igrejas, e sei que, se o mundo entrar em colapso como no game, muito do que lá vemos poderia acontecer no mundo real. Porém o jogo nunca utiliza a religiosidade cristã com exatidão, os serafitas adoram a imagem de uma profetisa, com estátuas, pinturas etc.

    Bom, o game é brutal, poucos games tem uma violência realista tão crua e explícita quando TLOU 2, talvez só o primeiro jogo e Red Dead Redemption 2. A hitbox é acurada, cada golpe que você dá ou leva é sentido isso ainda acompanhado com o som que é sempre impactante, seja das pancadas ou do estampido das armas. O jogo tem muito gore, cada tiro deixa dano nos inimigos de forma realista como eu nunca vi em um game. Teve uma vez que atirei com uma espingarda na boca do inimigo e seu maxilar esmigalhou, deixando apenas os dentes quebrados em um bolo vermelho que antes era uma boca. Cabeças explodem, corpos se desmembram e mais insano: as partes ficam no chão, acompanhadas de poças de sangue mais realistas já vistas em um videogame. Isso tudo acompanhado de gritos de sofrimento que até assustam pelo realismo – até mesmo de pobres cachorros.

    O combate, assim como o do primeiro, é um dos meus preferidos no estilo shooter em terceira pessoa. É bom demais explorar o cenário para obter recursos par ao combate, craftar flechas, balas, silenciadores e bombas é gratificante, ainda mais vê-los em ação. Joguei majoritariamente em modo stealth, mas o game faz as transições para o modo batalha de forma tão fluída que sempre que eu era avistado eu dava um jeito de eliminar todos os inimigos de forma criativa e.... bem, nada bonito! A dificuldade está levemente mais baixa em comparação com o primeiro game, porque aqui podemos usar bastante o silenciador que facilita no stealth e também é possível rastejar, o que dificulta de os inimigos avistarem. Um ponto fraco que percebi é que Ellie/Abby custam muito para morrer, precisa de muitos tiros para que sejamos derrotados, mesmo no modo difícil. Poderiam ter revisto isso, pois deixaria o game mais desafiador, além de realista.

    Ahhh o game também tem trechos de extrema tensão e terror, os infectados estão ainda mais astutos, com alguns novos tipos. Tem uns infectados filhos de uma biscoteira que saem da parede lotada de fungo para pular na nossa cara e caceta como eu caí nesses “baits” kkk coração foi à mil. Em diversas ocasiões o jogo nos coloca para lutar contra vários tipos de infectados de uma vez, e os mais grandões até destroem paredes na perseguição, é tenso demais. Tem até um chefão doido que eu me surpreendi de ver no game, o tal Rei dos ratos.

    Tecnicamente beirando ao impecável, esse jogo leva o PS4 ao limite. Possuo a versão base do console, e ele roda à fluídos 30fps constantes e o aparelho sequer sofreu para rodar, visto que suas ventoinhas não fizeram barulho excessivo. Os gráficos são de cair o queixo, são impressionantes demais, e as expressões faciais dos personagens conseguem ser críveis como nunca vi antes, isso sem atacar o vale da estranheza. Os personagens principais parecem ser pessoas de verdade e isso é insano de ser ver rodando in game, sem contar as animações, que são um primor. A parte sonora é outro espetáculo. Joguei como foninho e pude ouvir cada nuance da trilha e dos efeitos sonoros. Ahhhh e o mini game do violão é algo que já está dando o que falar, eu mesmo toquei uns acordes que sei de cor da época que me arrisquei com violão!

    A história é algo que me pegou. Devo falar que não fui vítima dos vazamentos ou da enchente de spoilers que pessoas sem caráter espalharam pela internet, tudo que eu fiquei sabendo ante de lançar ou era mentira, ou era desinformação, então fui surpreendido, e muito, pela narrativa do game. Desde o começo fiquei preso pela trama, sempre tenso e apreensivo pelo que vinha a seguir. Sério, acho que adquiri rugas na testa, pois durante toda a gameplay e cut-scenes minha feição era de tensão, com a testa flexionada kkk Quando eu estava com 17 horas de jogo eu jurava que estava prestes à finalizá-lo, mas o jogo deu um twist e apresentou algo que eu não esperava que fosse acontecer e que expandiu o game pra caramba. O mesmo aconteceu quando eu estava com umas 28 horas de jogatina kkkk Esse game é LONGO. Se você joga como eu, explorando cada canto do mapa, deve sim levar mais de 30 horas. Porém não é cansativo, toda vez que sentei para jogar fiquei por mais de 4 horas a fio. Joguei de madrugada, de tarde e de noite, foi tudo que fiz desde a tarde de sábado (quando minha cópia finalmente foi entregue pela Amazon!).

    Bom, não preciso dizer mais nada, The Last of Us Parte II é o game mais impressionante que já joguei, e um dos melhores tecnicamente, além de um dos mais maduros. Se a história é melhor que a do primeiro? Penso que não, pois o clássico game de 2013 é mais conciso em sua temática, porém a sequência não faz feio e fica quase no mesmo patamar, levando em consideração que tem o dobro de tempo de campanha.

    5/5 estrelas

    The Last of Us Part II

    Platform: Playstation 4
    896 Players
    301 Check-ins

    12
    • Micro picture
      felipeangelico · about 1 year ago · 2 pontos

      Ótima análise! Eu ainda estou impactado. É o jogo mais corajoso que eu já vi. Nenhum filme que eu tenha assistido sobre este tema chegou tão perto dessa EXPERIÊNCIA. Você se sente um trouxa, sente raiva de quem criou a obra e de você mesmo. E então entende. E quando entende... você chora. Só chora.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-19 22:31:40 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 716693 3309110367

    Jogo finalizado #255 - Super Mario Bros. The Lost Levels (NES)

    #23º em 2020

    Agora sim conheci o verdadeiro segundo game do Mario...

    E bem,ele é o primeiro game famoso de 1985, só que mais difícil, e com algumas adições a mais. Vale a pena pela curiosidade e também porque fazendo states saves no Switch facilita um pouco em uns trechos do capiroto hihihi

    Enfim, não tem muito o que falar, foram adicionados efeitos de vento que dificultam os pulos, o cogumelo podre que trolla demais e... só? Sim, a dificuldade tá tensa, os levels realmente são desafiadores, ainda mais no que diz respeito aos saltos, que nesse game exigem que o jogador seja BEM preciso! Como me irritei com alguns desses saltos com a morte certa em baixo kkkk

    A "história" é a mesma do primeiro, Bowser sequestrou Peach, Mario tem que ir resgatá-la e em todo castelo derrota um falso Bowser para então descobrir que a princesa está em outro castelo xD interessante notar que no final do game tem um World 9 - o Mundo dos Sonhos - em temos 4 níveis bem fáceis de passar com algumas maluquices, como fases aquáticas, cores invertidas a tal, mas quando morremos somos presenteados com uma mensagem do time de desenvolvedores nos chamando de Super Players hehehe

    PS: Nada de meu TLOU Part II chegar ainda!! Amazon caramba, ein?!

    3/5 estrelas

    Super Mario Bros.: The Lost Levels

    Platform: NES
    623 Players
    5 Check-ins

    10
    • Micro picture
      volstag · about 1 year ago · 2 pontos

      Compre pelo Submarino na próxima, o meu chegou hoje de tarde.
      Quando comprei o Death Stranding também chegou certinho no dia.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · about 1 year ago · 2 pontos

      O jogo ainda é um passo pra trás por removerem a opção de multiplayer. Podiam ter adicionado mais coisas interessantes nesse segundo jogo. Jogo feito nas coxas.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-18 18:27:35 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Jogo finalizado #254 - Super Mario Bros.

    Medium 716324 3309110367

    Jogo finalizado #254 - Super Mario Bros. 2 (NES)

    #22º em 2020

    Ahhh Nintendo e suas baguncinhas!

    Esse game só existe porque os chefes da Big N não acreditavam no potencial dos americanos aguentarem a dificuldade do real segundo jogo do bigódudo. O jogo não passa de uma reskin de Yume Kōjō: Doki Doki Panic, tendo sido modificado para ter músicas da franquia e alguns elementos, como cogumelos no cenário. 

    O trabalho foi de certo um pouco preguiçoso, pois aqui o clássico pulo na cabeça dos inimigos de nada presta, temos que agarrá-los e arremessá-los para longe. Mario não obtém poder algum no jogo, nem daria para chamá-lo de... super kkk O game tbm dá a opção de jogar com Luigi, Peach e Toad, que alteram levemente a jogabilidade. As moedas aqui são escassas e servem para girar uma roleta bizarra no final de casa fase a fim de ganharmos vidas extra. 

    O jogo sempre coloca ou um dinossaurinho cuspidor de ovos ou um rato como boss, e no fim de cada mundo um vilão um pouco mais elaborado (cansei de pegar ovos e jogar de volta). O maior legado para a franquia, deste game, é o inimigo Shy Guy, talvez o único que ficou famoso futuramente. 

    Pior de tudo foi, no final, ver que tudo não passava de um sonho do Mario haushauhsuas

    Bom, foi um divertimento breve enquanto espero a Amazon enviar meu TLOU Part. II heheh 

    3/5 estrelas

    Super Mario Bros. 2

    Platform: NES
    5867 Players
    28 Check-ins

    10
    • Micro picture
      santz · about 1 year ago · 2 pontos

      Se comparar este 2 americano com o 2 japonês, vai perceber que por fim, a decisão foi acertada. O original japonês é sem graça que só.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-10 17:39:25 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 714130 3309110367

    Jogo finalizado #253 - The Last of Us: Left Behind Remastered (PS4)

    #21º em 2020

    Como a Naughty Dog é boa em fazer expansões ein? Esse episódio a parte do consagrado gamefaz justamente isso: expande a história principal, que já se sustentava sozinha, sem esse capítulo "cortado" do terço final do game. Não fica a impressão que foi retirado só para lucrar, e sim que realmente é a empresa nos dando um conteúdo que não se encaixava no game original, mas é muito bem aproveitável por si só.

    Essa expansão mostra como Ellie conseguiu levar Joel para um shopping center a fim de curar a ferida grave que o acometia. E intercalando com isso, Ellie tem flashbacks de um passado não muito distante com sua amiga Riley, também dentro de um shopping. 

    Os momentos da Ellie no "presente" são sufocantes e escassos de munição, com vários inimigos, sejam infectado ou humanos, no caminho da protagonista que busca remédios para Joel. Já nos flashbacks, vemos a doce, porém conturbada, relação entre as garotas, que tem que desde cedo aceitar o peso de suas decisões e lidar com as consequências. Bonito ver a paixão que desperta nas duas e comina no mais singelo beijo. 

    Bom, essa expansão é até que curta, terminei em uma "sentada" mas valeu muito a pena rejogar (já havia termiando a versão de PS3). Agora só vou ler a HQ que tenho de TLOU e to prontinho pro segundo game!!

    5/5 estrelas

    The Last of Us: Left Behind

    Platform: Playstation 4
    364 Players
    30 Check-ins

    8
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-10 17:23:50 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p>#img#[714124]</p><p><strong>Jogo finalizado #252

    Jogo finalizado #252 - The Last of Us Remastered (PS4)

    #20º em 2020

    Com intuito de me preparar para a aguardadíssima sequência e após 7 anos desde que joguei pela primeira e única vez, peguei novamente pra terminar esse que é um dos games mais prestigiados do mundo!

    Engraçado ver como nossas percepções mudam com o tempo. No  PS3, eu peguei esse game no dia do lançamento, todo empolgado e com o grupo de amigos da escola. Todos vibramos junto vendo aquele começo inesquecível. Porém, na época eu tinha apenas 17 e, apesar de reconhecera a grande qualidade do título, eu não havia absorvido todos os temas que ele apresenta. Jogando agora, mais velho e ainda, sendo pai, vejo um valor ainda maior nesse game. 

    Pesado, cru e violento, The Last of Us nuca deixa a peteca cair em suas 14, 15 horas de duração. É uma obra prima que nos faz questionar diversos aspectos de nossa moralidade e conduta. O jogo é cadenciado e a evolução constante das armas e do Joel são um fator que só vai aprimorando a gameplay e deixando os combates (ou stealth) ainda mais emocionantes.

    Interessante notar o quanto o game era diferente no meu imaginário e lembranças. Jogar agora com 24 anos foi muito mais suave do que com 17 kkkkk Eu até desabilitei o recurso de ver inimigos entre as paredes, além de jogar no hard. Além disso, eu sempre tive pavor dos estaladores e afins, mas jogando agora, vejo que é até simples de eliminá-los xD Não sei se antes eu é que era medrosos ou agora sou mais habilidoso com videogames, no geral.

    Enfim, a história é sensacional, a gameplay brutal (amo) e gostosa de ficar alternando entre o modo furtivo e o stealth, a trilha sonora e efeitos sonoros são fantásticos e funcionais... aiai esse é um daqueles games que não se tem o que reclamar. Sem falar da beleza gráfica que dá um pau em diversos games que saíram nos últimos 7 anos.

    Só vem Ellie raivosa do TLOU Part 2!!!

    5/5 estrelas

    The Last of Us Remastered

    Platform: Playstation 4
    4089 Players
    766 Check-ins

    7
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-06-02 21:31:15 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 712137 3309110367

    Jogo finalizado #251 - Grand Theft Auto: San Andreas (PC)

    #19º em 2020

    Oh shit, here we go again...

    Hahaha Depois de ter jogado centenas de horas no PS2 quando criança/adolescente, finalmente peguei para zerar essa obra prima dos games! Esse game dispensa comentários, é algo inacreditável para o já longínquo ano de 2004. Até mesmo hoje me dia não vemos um game mundo aberto com tantas possibilidades, com tantos objetivos diversificados e detalhes de gameplay.

    Todas as cidades desse game tem personalidade própria, e é bizarro ver o salto em proporção que esse game tem em comparação com os anteriores. Bom, eu já conhecia muito Los Santos e os arredores de Red County, mas pouco eu ia explorar as inclinadas avenidas de San Fierro ou a agitada Las Venturas. Agora pude explorar devidamente essas cidades e ir, aos poucos, cumprindo todos os objetivos das missões, passar em todas auto-escolas, ir a encontros com as mais chatas namoradas e comprar muitas casas da região kkkk Esse é de longe o GTA mais completo mesmo.

    Nas 40 horas de jogatina ouvi as melhores músicas da época, conquistei todas as regiões nas guerras de gangue e virei profissional em diversas armas. Esse game, mesmo em 2020, envelheceu muito bem, os botões são bem diferente do modelo atual para dirigir e atirar, mas a gente acostuma de boa.

    A história é bem complexa, mas nuca perde o humor ácido e irrevente da franquia. Os personagens são bem construídos, já conhecia o Sweet, Kendl, Cesar Vialpando, Big Smoke, Ryder e o Oficial Tenppeny, mas os outros personagens que aparecem mais à frente tbm tem muito carisma, desde o malucão do The Truth, os hilários Woozie, Mike Toreno, Zero, Kent Paul entre outros.

    Bom, finalmente terminei esse que é um dos games que mais joguei na vida quando mais novo. Grove Street Families for live!!

    5/5 estrelas

    Grand Theft Auto: San Andreas

    Platform: PC
    21397 Players
    210 Check-ins

    12
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-05-06 23:49:00 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Jogo finalizado #250 -Final Fantasy VII

    Medium 705911 3309110367

    Jogo finalizado #250 -Final Fantasy VII Remake (PS4)

    #18º em 2020

    Sensacional, grandioso, divertido e espetáculo visual. Faltam bons adjetivos para descrever a qualidade dessa nova entrada na subsérie de FF VII. O Remake ao mesmo tempo que é fiel ao começo do game original, oferece pequenas alterações no curso de suas mais de 40 horas que no capítulo final revelam-se possíveis grandes alterações para o futuro de seus próximos capítulos. 

    Não preciso falar muito mais sobre as qualidades desse game, todos já sabem que a gameplay é refinada, com um sistema de batalha único no mercado que mistura menus com ações diretas, e sim, é um deleite. A qualidade gráfica nem se fala, não sei quantos prints tirei enquanto jogava, mas foram muitos, modelagem das personagens está incrível, cenários muito bem feitos (apesar de certos delays de render nos slums do setor 7), e ainda por cima o game tem algumas cut-scenes pré renderizadas que assustam por ser ainda mais bonitas que as cenas in game - algo que pode ser um gostinho da próxima geração. 

    Minha experiência com o game foi deliciosa, minha cópia chegou em casa no dia do lançamento e fui jogando aos poucos, devagarinho, aproveitando ao máximo a experiência durante todos esses dias de jogatina e quarentena. Fiz todas as side quests e cumpri todos os desafios - maldito seja aquele Jules kkkk quem jogou sabe! - porém a platina ainda precisa ser suadamente conquistada!

    O jogo me surpreendeu pelo seu final, eu acreditava que os acontecimentos seriam pausados na saída de Midgar, como no original, mas aqui nesse fim, os diretores resolveram fazer drásticas mudanças, falo mais depois na parte com Spoilers.

    Como experiência em si, eu não achei que as side quests são ruins como as críticas dizem, só não são tão inspiradas como em The Witcher 3, por exemplo. Mas o que me incomodou um pouco foi a "estendida" que deram em certos trechos, sinto dizer, mas senti sim certa encheção de linguiça... Trechos como aquele que separa a favela do setor 7 e o 5, ou os longos corredores no esgoto, parece que colocaram um monte de corredores que ficam entres os pontos chave onde a história se desenrola. No meu ponto de vista, dava pra esse primeiro capítulo ir até o fatídico evento em que AQUELA personagem falece... Ok, o game ta com enredo muito mais bem desenvolvido, mas sei lá, esse vai e vem nos mesmos corredores ficou um pouquinho enjoativo. Mas isso eu relevo, não tira nem um pingo do brilho do game. 

    Enfim, o jogo é maravilhoso, fiquei eufórico jogando. O futuro parece enigmático, quem jogou sabe do que to falando, pode ser que siga fielmente o resto da história do original, como podem fazer algo totalmente novo (ou parcialmente novo, vai saber kkk). Amei esse jogo, meu abril se resumiu a isso ( e a GTA antigo tbm u.u), vou rejogar os capítulos na dificuldade elevada pra tentar a platina querida. 

    4,5/5 estrelas

    SEÇÃO DE SPOILERS:

    Para começar vou falar algo que me desagradou desde o início e foi um incomodo no decorrer do game: os Sussurros (murmúrios na legenda). Toda vez que aparecia eu pensava: "ê Nomura, enfiando suas maluquices nesse game?!". Metaforicamente falando, os Sussurros basicamente representam a nós, os jogadores. Os fãs puristas. Aqueles que querem que os acontecimentos sejam idênticos ao do original.Pois bem, tudo isso é sim uma viajadinha, mas tem um propósito interessante: possibilitar eventual modificação na história a partir do final desta primeira parte. A própria fase final pré créditos diz que uma jornada inesperada nos aguarda.

    Outro detalhe interessante é que aparentemente Zack Fair está vivo, pois não é mostrada a cena de sua derrota como no final emocionante de Crisis Core. Se isso for verdade, tudo pode acontecer na segunda parte, mesmo que isso implique uma realidade alternativa.

    A teoria é que o tal "remake" no título seja a tentativa do Sephiroth pós Advent Children de alterar os acontecimentos do passado e tudo que jogamos nesse game seja essa linha paralela. Tanto que tem toda aquela cena no final entre o Cloud e o Seph em que este tenta persuadir aquele a vir para seu lado, coisa que não acontece no original. 

    Bom, é de se pensar, e o futuro é nebuloso. Eu a princípio não fui muito fã das mudanças, mas deixei o lado purista de lado e me abri às nova possibilidades, e pra mim foi fácil, não tenho o fator nostalgia em mim, afinal, joguei e terminei o original não tem nem dois meses kkk (mas já sou apaixonado pelos personagens e mundo u.u).

    Final Fantasy VII Remake

    Platform: Playstation 4
    587 Players
    253 Check-ins

    12
    • Micro picture
      jcelove · about 1 year ago · 3 pontos

      Caramba man nao tinha pensado nisso, se o remake for uma tentativa do seph de mudar o jogo original eu bato palmas! Mas acho dificil pq seria uma pessima ideia pra galera q ta jogando apenas o remake. Vamo ver no q da qdo terminarem em 2045

      3 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...