2022-11-10 21:20:04 -0200 2022-11-10 21:20:04 -0200
mateusmaster Mateus Antonio da Silva

Jogo finalizado #280 - Deathloop (PS5)

15º em 2022

Misturando o excelente molde de jogabilidade dos jogos da Arkane e esquemas de ir e voltar no tempo de games como Majora's Mask, Deathloop é uma delícia de se jogar. Um pouco complicado de se aprender como tudo funciona, mas perfeitinho de lidar após se acostumar, esse jogo me apareceu na Plus Extra, e  não deu outra, era tudo que eu queria para jogar algo leve antes de outra experiencia densa como Ragnarok! Mas, diferente dos Dishonored que eu fui full stealth, em Deathloop fui na trocação de balas mesmo kkk sendo stealth somente em locais propícios como as proximidades dos alvos principais.  Foram umas 35 horas muito bem aproveitadas, que jogo recompensador! Não enjoa passar pelos seus 4 mapas over and over again, pelo contrário, dá um sentimento bom de familiaridade ( o que é uma mão na roda quando se invade partidas de outros players).

O jogo se passa em um universo paralelo na década de 1960 na ilha de Blackreef, local que está submetido à um loop temporal devido experimentos do programa AEON. As mentes por trás desse experimento se configuram em nove figuras que se denominaram de Visionários. São eles: Colt Vahn, nosso protagonista que sofre de amnésia e quer acabar com o ciclo; Julliana Blake, a arquivista e nosso Nemesis durante o jogo todo; Egor Serling, o fundador da Aeon e pseudo-cientista; Dra. Wenjie Evans, construtora da maquina que gerou o loop; Harriet Morse, líder de um próprio culto; Frank Spicer, o radialista da ilha, que curte um Rock; Charlie Montague, um gamer designer egocêntrico (Kojima?) que dividiu sua consciência com uma máquina; Fia Zborowska, uma artista esquentada; e Aleksis Dorsey, o ricaço por trás da AEON, que adora uma festa. Nosso papel é garantir que TODOS esses nove morram em um único dia dentro desse ciclo infinito. Além desses personagens, existem algumas dezenas de Eternalistas mascarados espalhados pelo mapa todos dispostos a nos matar à primeira vista! kkk Detalhe que a cada ciclo todos perdem a memória do dia que se passou, menos Colt e Juliana. Nosso papel é investigar os 4 mapas do jogo (Updaam - a cidade no alto da montanha, O Complexo - local com vários laboratórios e bunkers, Baía do Karl - a parte inferior da cidade onde ficam os galpões, Fristad Rock, local onde ficam mansões luxuosas e outros bunkers)  durante 4 horários diferentes (manhã, meio-dia, tarde e noite) a fim de descobrir quem são os Visionários, em que local e horários ficam, descobrir sua rotina e até mesmo criar eventos que os forcem a estar em um mesmo local, prontinhos para o abate!

A Gameplay segue os moldes de Dishonored, podemos ser furtivos ou não, e em ambas as formas de se jogar, o jogo brilha e diverte. Temos alguns poderes a conquistar, como teleporte, invisibilidade momentânea, poderes telecinéticos, etc, e o legal é que podemos pegar também aprimoramentos no decorrer do game. São poucas armas, porém cada uma é diferente da outra. As melhores armas sãos as que envolvem uma quest para serem obtidas, com destaque para uma pistola dupla que pode acoplada uma na outra e é simplesmente a arma mais overpower do jogo - e eu peguei ela logo no começo da jogatina.. dai você já viu né? kkk O level desing dos mapas em si não facilita tanto assim o stealth, porém dentro das principais instalações de cada mapa há uma atenção maior a esse ponto. A inteligência artificial é bem fraca, inimigos são muito cegos e surdos, mas em combate até que reagem bem, desviando, se escondendo ou correndo em nossa direção com facões. Mas o jogo é tão GOSTOSO de jogar... não dá canseira passar dezenas de vezes pelos mesmos mapas para cumprir objetivo X ou Y, pegar uma arma aqui, um poder ali, etc. Ah, e ainda dá para jogar online, matar outros jogadores que invadem nosso mundo OU ser o invasor! Aqui é pegada total de Souls kkk 

Bom, gostei bastante de Deathloop, a Arkane manda bem demais! É um caldeirão de inspirações e elementos de vários games que juntos fazem uma experiência muito recompensadora de se jogar. A história é instigante e nos faz sempre querer descobrir  mais e mais, juntando os cacos aqui e acola para entender o todo. Talvez devesse ser um pouco menos didático no tutorial (lotado de texto na tela), e ter uma IA não tão permissiva kkk Ah... e está no mesmo universo de Dishnored! 

Nota 9/10

Deathloop

Platform: Playstation 5
35 Players
10 Check-ins

9
Keep reading → Collapse ←
Loading...