You aren't following manoelnsn.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-26 09:28:00 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>17 horas de jogo!</p><p>#img#[784918]</p><p>Ness
    Arcanum of Steamworks & Magick Obscura

    Platform: PC
    43 Players
    6 Check-ins

    17 horas de jogo!

    Nesse meio tempo eu fiz bastante coisa, e outro personagem entrou pra party... Na verdade não é bem uma pessoa e sim um cachorro, que tu acha um moleque descendo o sarrafo nele, dá uma dura nele e ele entra pro seu time (assim como o Dogmeat, nos dois primeiros Fallout, fazia), porém, esse cachorro aqui é uma máquina de matar, uma encarnação do Interceptor do Shadow de FFVI, só pode, porque ele vai pra cima dos inimigos e mata tudo em alguns hits, ahauhaua

    Na verdade todo o combate do jogo anda bem fácil, já que meu meio elfo já tá com Força e Destreza no máximo, e raramente anda levando algum hit, a menos que venha de algum raro inimigo com ataques mágicos. Os sistema de alinhamento aqui também é bem permissivo, já que várias vezes eu matei NPCs pra pegar os itens deles (inclusive de um ferreiro e roubar os itens que ele vendia) e ainda estou bom e ordeiro... O que eu acho muito bom, já que tu matar um candango no meio da casa dele sem ninguém ver e a cidade inteira descobrir e ficar puta contigo não faz lá muito sentido...

    Ah sim, e o que parece ser o vilão principal do jogo, surgiu. Ao menos acho que seja, já que tem uma voz de trovão, apareceu do nada dizendo pra eu ficar longe das coisas que eu estava descobrindo e que eu era o escolhido, a reencarnação de alguém de eras passadas. Jurava que o vilão principal aqui seria o Gill Bates, o inventor que popularizou a tecnologia nesse mundo medieval (sim, GILL BATES, qualquer semelhança com Bill Gates não é mera coincidência, ahuahua) e causou uma treta monstra com os anões e os elfos.

    E o jogo também tem as maluquices do Fallout 2, tem um puteiro na maior cidade do mapa (onde tem uma enorme variedade de moças, como meio orcs dominatrixes e até uma ovelha, se seu gosto for peculiar) e após eu recuperar uma estátua de uma deusa pagã em uma cidade a sacerdotisa me convidou para um bacanal, ahauhauahua

    Anyway, acredito estar mais ou menos na metade do jogo, e como eu já peguei o embalo amanhã mesmo devo conseguir terminar... Mas no geral, ao menos até o momento, tá um jogo bem agradável de jogar, uma versão mais simplificada e steampunk dos dois primeiros Fallout o que, particularmente, eu tô gostando bem mais XD

    19
    • Micro picture
      mateusfv · about 17 hours ago · 2 pontos

      Caramba tá a mil nos RPGs em diferentes plataformas XD, eu sei que agora a sua exclusividade é com eles, mas n pensa em jogar pelo menos um jogo que n seja do gênero esse ano pra dar uma variada? :v

      3 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-25 09:48:45 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>Depois de toda minha epopeia na série Tales of,
    Arcanum of Steamworks & Magick Obscura

    Platform: PC
    43 Players
    6 Check-ins

    Depois de toda minha epopeia na série Tales of, hora de voltar para os rpgs ocidentais, começando com Arcanum!

    Esse é um RPG que usa a mesma engine dos 2 primeiros Fallout, e seu principal diferencial é o fato dele ser steampunk, algo que só vi acontecer em outro RPG eletrônico: Final Fantasy VI. Logo no começo temos aquela criação de personagem de sempre (também tinham personagens pré montados, tal como tinha em Fallout) e depois de pesquisar um mucado descobri que a maneira mais rápida e simples de terminar o jogo e na base da porrada, daí fiz um meio-elfo hiperativo cujos pontos ficarão basicamente em Strengh, Dexterity, Dodge e Melee.

    A história começa com o protagonista sobrevivendo a um acidente de dirigível, e um agonizante anão lhe dá um anel, dizendo que era para ele entregar pra pessoa X pois o mal estava vindo ou algo do tipo. Depois apareceu um cara chamado Virgil que acaba entrando pra party e lá começamos como boa parte dos RPGs ocidentais que eu joguei até então: fazendo investigações, que te levam a vários locais, de forma a tentar entender que porra que está acontecendo...

    O sistema de combate dele é bem simples mesmo, tendo basicamente uma barra de HP e uma de Stamina, mas o ponto interessante é o fato do jogador poder escolher se irá jogar as batalhas em turn based ou em action (onde obviamente escolhi turno). O personagem da party é incontrolável e tu pode dar no máximo alguns comandos com ele com as teclas de função do teclado, o que é a mesma coisa que tinha nos Fallouts, infelizmente...

    O Overworld aqui é bem parecido com  de Fallout também, onde existe apenas um mapa onde o personagem pode ir andando de um ponto a outro. A vantagem é que é mundo aberto, então não preciso ficar fazendo sidequest pra que algum NPC me diga onde é a cidade X ou Y, basta ir andando até ela (a esmo ou pegando algum mapa no google) o que deve me permitir não demorar muito pra terminar o jogo, ainda mais que agora só tenho mais 1 semana de férias...

    Enfim, depois de chegar no dono do anel, ele me passou a localização de uma montanha onde poderei encontrar mais pistas sobre o que caralho está acontecendo, quem é o culto que fica mandando jagunços pra me matar e, talvez achar mais gente pra entrar no time. Já passei das 8 horas, vejamos o que mais esse jogo vai ter a me oferecer...

    17
    • Micro picture
      santz · 2 days ago · 2 pontos

      A ambientação steampunk desse jogo é bem maneira mesmo.

      1 reply
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 1 day ago · 2 pontos

      Que coisa interessante essa opção de escolher entre combate em turno ou ação, acho que nunca tinha visto isso.Essa escolha é no início do jogo ficando permanente ou você pode alterar batalha por batalha?

      1 reply
    • Micro picture
      bobramber · 1 day ago · 2 pontos

      Acompanhar essa tua jogatina de perto, pois esse eh mais um dos que já tentei 2x e não consegui engatar.

      5 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-23 17:35:13 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>Baixei esse carinha pra dar uma testada, afinal
    Cotton Reboot

    Platform: Nintendo Switch
    3 Players
    2 Check-ins

    Baixei esse carinha pra dar uma testada, afinal gosto bastante de jogos de navinha (apesar de não jogá-los muito) e a aparência retrô me chamou a atenção logo de cara também.

     A priori tive um trabalhinho pra deixá-lo em inglês, já que só consegui achar a versão da Ásia pra instalar, mas no fim das contas consegui resolver o problema e deixei o joguinho na língua do tio san... Não que história seja o forte aqui, mas é bom entender o que está acontecendo na tela, ahuahua

    A história é sobre uma bruxinha, Cotton, que é viciada em doces, daí uma fada seminua tapeia ela pra ela derrotar uns capetões e conseguir todos os doces sagrados, ou algo do tipo.

    O jogo é um shooter bem frenético, com muita coisa colorida aparecendo na tela e tu podendo usar umas macumbas enquanto pega cristais. Os continues são infinitos, então mesmo pra um pereba em jogos do tipo, como eu, fica fácil conseguir terminar XD

    Também tem uma barra de lvl, que não entendi ainda muito bem como funciona, já que morro direto e acredito que ela deva resetar quando isso acontece... Enfim, cheguei na 5ª ou 6ª fase e parei, não porque estava ruim e sim porque estava jogando no joycon e o dedo começou a doer, ahuahua. Mas outra hora eu termino!

    18
  • 2021-07-22 21:37:15 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Diazepam da Velha #2 - Madlax

    E aqui estamos, com mais um Diazepan da Velha! E hoje trazendo mais um anime que fará suas noites de sono serem melhores, não por te fazer ter belos sonhos e sim por te botar pra dormir bem mais rápido mesmo, uma obra com uma dona com o carisma de um cascalho desafiando as leis da física enquanto desvia de balas ao som de alguma música de fundo: Madlax!

    Pegando o embalo de Noir (um anime de 2001, com a mesma pegada de garotas bonitas + armas, que acabou causando um boom de obras do tipo, quase todas bem medíocres), Madlax conta a história de uma protagonista do mesmo nome, que é uma mercenária bem renomada, que usa suas habilidades bem sobrenaturais de poder desviar de balas como se fosse brincadeira de criança.  Ela também não tem lembranças do seu passado, para deixar a personagem ainda mais boring, digo, misteriosa.

    Nesse ponto também é mostrada outra garota, Margaret Burton, uma menina que ainda estudava (e que também possuía o carisma de um muro chapiscado) e que, olha só, também não tem lembranças dos primeiros 12 anos da sua vida, e vive em uma mansão bem abastada, tendo uma empregada pessoal e um livro velho com a qual ela tem uma forte ligação. 

    Com o decorrer da trama, vai sendo revelado uma ligação entre ambas personagens, Margaret e Madlax, mas tudo se desenvolve em um ritmo BEEEEEM lento, com 26 fodendo episódios onde na maior parte do tempo a loirinha está fazendo acrobacias no meio de algum tiroteio enquanto atira nos caras maus com uma pontaria extremamente precisa. Sim, caras maus, porque qualquer rabo de calça por aqui é algum tipo de vilão ou figurante de pouca expressividade, com as personagens principais sendo apenas donas bonitas com a personalidade de um paralelepípedo trincado no meio de uma rua. 

    O final então, Deus do céu, não faz o menor fucking sentido, com a animação só valendo a pena por um único ponto: a trilha sonora, que é excelente (cortesia da Yuki Kajiura) e é apenas ela que não vai te fazer entrar em coma vendo esse negócio. Pode até pensar que a arte linda do anime, tal como Madlax com roupas curtas (ou usando algum vestido esvoaçante enquanto dá piruetas e mete tiros por aí) pode valer a pena o esforço, mas mesmo pra esse tipo de coisa tem obras bem melhores...

    Sim, existem coisas piores que Madlax, que ao menos consegue fazer algo nos seus 26 episódios e não vira um trem desgovernado desgraçado (o final não faz sentido, mas a trama tem começo, meio e fim bem definidos, apesar do ritmo arrastado), mas infelizmente a obra não possui muitos méritos (além da já mencionada fodendo OST, a qual estou escutando em loop enquanto escrevo esse post) para se sustentar e fazê-la sair da mediocridade... E de estar aqui, no Diazepan da Velha! E para terminar, deixo abaixo animes bem melhores com atiradoras, donas bonitas, ou o que quer que seja:

    Black Lagoon - Quer donas bonitas seminuas com armas? Vai de Lagoa Preta que não tem erro, pura ação desenfreada a la filme de ação mesmo, com um cast repleto de filhos da puta em uma cidade onde o crime é quem manda

    Angel Cop - Eis o esplendor dos animes retrô em uma obra protagonizada por uma dona que usa armas, mas que tem uma pegada mais cyberpunk com uma protagonista com personalidade forte tendo que lidar com um bando de terroristas com poderes psíquicos

    Shikabane Hime - Um batlle shounen protagonizado por uma dona que usa duas pistolas, mas que não sai ilesa dos tiroteios e só não morre porque já está morta mesmo!

    Dirty Pair - Anime episódico dos anos 80, onde ambas protagonistas cheias de carisma têm que resolver casos policiais em um mundo bem tecnológico... Isso enquanto flertam com uns caras bonitos no meio do caminho

    Early Reins - Donas bonitas no velho oeste, tendo que impedir um assalto de trem. Além da ambientação bem rara para uma animação japonesa, possui um único episódio, e se sai incrivelmente bem com ele

    Bem, por hoje é só. Até a próxima!

    Link para uma planilha com todos as indicações do Arco aqui XD

    12
    • Micro picture
      vante · 4 days ago · 2 pontos

      A última imagem parece meme kkkkkkkkk. E pelo título eu jurava que era uma paródia de Mad Max

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-21 23:00:34 -0300 Thumb picture

    Eu tô me cagando pra Nintendo e pro Switch, mas...

    Medium 784362 3309110367

    Acho que eu já vi essa novela da Valve antes...

    31
    • Micro picture
      jcelove · 5 days ago · 5 pontos

      lema da valve é que experimentam e desistem fácil dos hardwares já que o Steam e vender cosmético no CS dão infinitamente mais lucro com um costo de manutenção bem menor, ma so que vi do controle eu gostei muito, o problema era o preço aqui. O link tinha um potencial enorme mas não emplacou lá na gringa e aqui não funciona.

      O Vive emplacou tanto qto qq outro sistema de vr, coitado, agor ao box/machines realmente foi um fiasco que teve um hype parecido com o que está rolando com o steam deck. Paticularmente seria um sonho pra mim ter um pc que rodasse maioria dos jogos do steam com esse design e portátil e como ele vai ser aberto segundo disseram, mesmo se a valve largar já é modificável de fábrica. pena que vai custar mais caro que um ps5 aqui qdo sair U_U

      3 replies
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 5 days ago · 2 pontos

      Acho que agora o "Vai falir" voltará para o topo dos trending topics, hahaha. Longe de mim defender a Nintendo, muito pelo contrário, pois ela é uma das empresas mais exploradoras que conheço, assim como outras do mercado de games, mas é muito engraçado como a galera tem uma tara por essa história de a Nintendo falir, desde o Game Cube é a mesma história a cada console concorrente lançado.

      6 replies
    • Micro picture
      miguelpardal_art · 5 days ago · 2 pontos

      sei nao talvez de certo as vendas as pre vendas já esgotarão a valve nao tem uma mega produção tipo nintendo ms e sony nao sei como eles vai fazer kkk

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-21 20:07:32 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>E após 23 horas, Xillia 2 finalizado com sucesso
    Tales of Xillia 2

    Platform: Playstation 3
    352 Players
    88 Check-ins

    E após 23 horas, Xillia 2 finalizado com sucesso!

    Os eventos finais do jogo foram bem interessantes, com tu podendo escolher entre 3 finais diferentes, o bad, o normal e o true. Claro que escolhi o verdadeiro e foi bem legal ver a forma como tudo terminou. O final boss não foi tão complicado quanto alguns dos inimigos extras do game e a última dungeon foi um alívio em comparação àquela porcaria do Xillia 1, onde tu só andava em linha reta e pronto...

    E o que dizer do Xillia 2, no fim das contas? No geral foi um jogo que me surpreendeu em muita coisa, já que apesar das expectativas relativamente altas que eu tinha com esse cara (ainda mais em comparação com seu questionável antecessor) não esperava ver uma história sobre linhas temporais/dimensões paralelas que não virasse uma zona por completo, ainda mais nessa geração que foi a verdadeira lixeira dos JRPGs...

    EEEEEEntretanto o jogo cometeu uns erros bem zoados, como o lance da Milla alternativa e da ideia estúpida de te fazer ficar endividado e ter que parar a mainquest pra pagar conta, então não mensurei ainda bem qual seria a posição que ele ficaria nas notas que eu dei pros outros Tales of, acredito que só amanhã, quando eu estiver escrevendo a review, que chegarei numa episteme da coisa toda...

    Contudo, assino embaixo em tudo o que me disseram desse Xillia 2, que ele é o jogo mais dark da franquia (ao menos dos que eu joguei, ele é bem mais sombrio mesmo) e que ele é muito, mas MUITO melhor do que o primeiro, acertando em muita coisa do que ele errou como, por exemplo, dar uma identidade sólida pra caralha do game que não fosse só uma escolha meia boca que tu faz no começo da porra toda...

    No geral, é isso. Mais um Tales of terminado, tal como meus interesses no PlayStation 3, o pior videogame pra rpgs japas que já tive o desprazer de jogar... Agora é fazer a review desse carinha aqui e voltar a minha programação normal de RPGs ocidentais XD

    17
    • Micro picture
      santz · 5 days ago · 3 pontos

      Tá precisando de um pouco de alegria na sua vida.

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-21 08:57:03 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>Passando as 20 horas de jogo!</p><p>#img#[784256
    Tales of Xillia 2

    Platform: Playstation 3
    352 Players
    88 Check-ins

    Passando as 20 horas de jogo!

    Nesse meio tempo aconteceram coisas pra cacete, tantas que nem vale mencionar aqui, mas pro check-in não ficar só com algumas linhas, vou mencionar as principais diferentes entre esse e o Xillia 1. Aqui a trama, ao invés de focar no Maxwell waifu e em vilões cinza típicos da franquia eles decidiram falar de viagens em linhas temporais... O que normalmente dá merda, mas ao menos até o momento não tiveram resets de consequências, o que é um baita ponto positivo...

    E daí o protagonista e a party (composta por personagens do jogo anterior) precisam destruir dimensões paralelas pra poder salvar a dimensão "prime" (que seria a original de fábrica, a que ambos jogos se passam) e nesse meio tempo encontram uma Milla diferente daquela do jogo anterior e como a menina que acompanha o protagonista, Elle, acabou se apegando a ela, a dona acaba sobrevivendo à aniquilação e passa a te acompanhar e talz...

    E essa Milla alternativa é muito, mas MUITO melhor do que a original, que tinha toda aquela pompa de superioridade, como se ela fosse um ser divino e "os humanos" fossem só um monte de criancinhas (e mesmo com os eventos do primeiro jogo ela continuou agindo do mesmo jeito). Ela é bem mais humanizada, e principalmente fala umas verdades que cutucam bem na ferida dos personagens. Fazendo um comparativo, ela é como se fosse os personagens da Marvel (mais humanizados, carismáticos) enquanto a original é mais a galera da DC (que são praticamente deuses, e agem como tal).

    Porém, por motivos que não irei revelar, ela sai da party e colocam a tradicional no lugar, o que foi uma escolha bem infeliz. Os personagens do Xillia 1 já tiveram sua chance de brilhar no passado (e sejamos francos, não o fizeram), e como o jogo aqui é focado em realidades alternativas, essa Milla era perfeita para ficar no time até o final... Ou que deixassem essa escolha a cargo do jogador, já que aparecem essas coisas a toda hora mesmo...

    Quanto ao resto do jogo, a trama continua indo bem. A menina que acompanha o protagonista, Elle, tá tendo um excelente destaque e tá sofrendo um baque atrás do outro, dando uma surra nas outras menininhas fofinhas dramáticas da franquia... O gameplay infelizmente não mudou muita coisa do primeiro jogo, com a exceção do protagonista que é roubado pra caralho, tem um god mode embutido (que dura pouco tempo, mas ainda está lá) e acesso a 3 armas distintas que mudam totalmente seu estilo de jogo...

    Mas a pior coisa DO JOGO COM TODAS AS FORÇAS É O SISTEMA DE DÍVIDA. Sim, já não bastasse ter que pagar boleto todo fucking mês ainda me colocam pra eu pagar conta na caralha do tales of, com tu adquirindo uma dívida de 20 fucking milhões e tendo que pagar parcelas esporádicas para conseguir avançar na mainquest. É bem parecido com aquele lance do começo de Baldur's Gate 2, e é tão ruim quanto, já que isso quebra totalmente o ritmo de urgência da narrativa, te obrigando a fazer sidequest igual um retardado mental pra juntar alguns trocados...

    Ah sim, Muzét e Gaius, os final bosses do primeiro jogo, ficaram jogáveis aqui, o que é muito legal também. Anyway, creio que hoje eu consiga terminar e então possa dar um tempo de Tales of e de RPGs de ação... Além de me livrar dessa trolha de videogame, aauahuahua

    12
    • Micro picture
      santz · 6 days ago · 2 pontos

      Devo, não nego, pago quando conseguir zerar o jogo.

      1 reply
  • 2021-07-20 10:04:06 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Serviço de Entregas da Kiki

    Ano - 1989

    Número de episódios - 01

    Disponível em Netflix - Sim

    Disponível em Prime Video - Não

    Disponível em Crunchyroll - Não

    Sinopse: Kiki é filha de uma família de bruxas e, como manda a tradição, quando ela completar 13 anos terá de sair de casa e procurar alguma cidade onde ela possa auxiliar os moradores até que se torne uma feiticeira completa. Acompanhada de seu familiar, o gato Jiji, a garota chega no seu destino e decide abrir um serviço de entregas, onde ela pode ajudar muita gente e pode finalmente começar a sua vida de independência.

    ______________________________________________________________________________

    Com esse frio desgraçado que anda fazendo, nada melhor do que ver um filme enrolado debaixo das cobertas (talvez com um chá/leite quente à tiracolo ou estando bem acompanhado), e devido a isso pensei em algum anime decente, disponível nos serviços de streamming mais populares e que não derretesse o cérebro dos espectadores, daí me lembrei desse longa do Ghibli que já tem seu 30 e tantos aninhos, mas que continua tão legal quanto era na época em que foi lançado: O Serviço de Entregas da Kiki.

    A premissa é tão simples quanto dita na sinopse: Kiki alcançou a idade onde, pela tradição das bruxas, ela teria que sair de casa e ir até uma cidade distante onde deveria se alojar e então ajudar os moradores até se tornar uma feiticeira completa. Entretanto, a coitada é bem desastrada e não sabe ainda nem controlar seu voo de vassoura de forma precisa, então após se alocar no andar de cima de uma padaria, a garota pensa como aqueles empreendedores capitalistas que ganham seu dinheiro só de passar perto de você, e descobre algo que todo mundo precisa e que ela consegue fazer tranquilamente: entregas!

    Quem nunca ficou esperando curreio ou alguma transportadora furreca chegar e sempre ficou puto com a demora? E se uma bruxa com uma vassoura voando a vários km/h entregasse seu cartucho superfaturado de SNES? Kiki pensou nisso, e o anime a priori mostra isso, com ela fazendo suas entregas e tudo o mais, mas a trama, apesar de simples, não se resume às entregas da garota, pois possui um bom character development da protagonista, que passa por uns bons perrengues e tudo o mais.

    No geral, não há muito do que falar de Serviço de Entregas da Kiki, além dele ser um clássico do Ghibli (e ter aquela animação linda de cair o cu da bunda) que apesar de não ser tão incrível como Nausicaa/Túmulo de Vagalumes/Mononoke, é bem legal de ver e vale a pena dar uma conferida, com a Velha assinando embaixo!

    Link para uma planilha com todos as indicações do Arco aqui XD

    20
    • Micro picture
      jcelove · 7 days ago · 2 pontos

      Esse eu ainda tenho que ver. Acho que sou uma das 2 pessoas no mundo que não amam gibli com todas as forças, acho que por curtir mais ação shounen ou comédia escrachada, o tom artístico/poético das narrativas estúdio poucas vezes me atrai.
      Acho que o unico filme que gosto mesmo é Porco Roso, e talvez totoro.hehe

      6 replies
    • Micro picture
      rafaelssn · 6 days ago · 2 pontos

      Gostei da vibe ''paz mundial'' desse filme.
      Assisti Ponyo: Uma Amizade que Veio do Mar esses dias.

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 6 days ago · 2 pontos

      Eu vou assistir todos os filmes da Ghibli em ordem, mas até hoje, só vi o Castelo do Céu (ou castelo voador, sei lá).

      2 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-19 09:27:59 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>Mesmo tendo o samsho 2019 no switch piratão, aca
    Samurai Shodown (2019)

    Platform: PC
    8 Players
    2 Check-ins

    Mesmo tendo o samsho 2019 no switch piratão, acabei comprando ele no Vapor com todas as DLCs ... Afinal, a minha 1060 consegue deixar o jogo bem mais bonito que o tablet da Nintendo, ahauhauaha

    Obviamente que o primeiro personagem que fui jogar foi o lendário Amakusa, cujo trailer foi melhor que tudo que KOF XV lançou até agora, praticamente. Ainda não me habituei bem aos controles do jogo, mas como samsho não é sobre combos e sim espaçamento e golpes precisos, consegui me virar muito bem me virar, mesmo no modo normal e sem ter jogado um FG há um boom tempo...

    Então cheguei no final boss, Shizuka, que eu não tinha conseguido derrotar ainda no Switch. Ela em si não é difícil, mas como tem duas formas nos dois rounds, e a segunda é cheia de usar especiais quase hitkill quando está com pouco HP, acabei morrendo pra caralho... E o fato de eu perder a paciência depois de morrer várias vezes em seguida não ajudou muito nisso, ahauhaua

    Mas após várias tentativas (e de reiniciar o jogo uma vez e ter que chegar nela de novo), a desgraça morreu, YEAH! Agora que já peguei o jeito contra essa cretina é zerar com os outros bonecos que me interessam, como a Iroha, a Shiki, o Haoumaru e por aí vai... Além de esperar a próxima DLC, que acabou vindo junto no pacote...

    26
    • Micro picture
      lesomora · 8 days ago · 2 pontos

      O samsho 4 tem uns combos sensacionais D:

      pena que tiraram nos jogos seguintes

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 7 days ago · 2 pontos

      Depois do meme do RPG sofrido, sabia que você ia jogar outra coisa XD

      1 reply
    • Micro picture
      onai_onai · 7 days ago · 2 pontos

      Ah! Samurai Shodown é uma de minhas séries de luta favoritas! Então quer dizer que já saíram todas as DLCs?

      2 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-07-18 12:32:17 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in to:
    Post by manoelnsn: <p>Começando!</p><p>#img#[783859]</p><p>Quem acompa
    Tales of Xillia 2

    Platform: Playstation 3
    352 Players
    88 Check-ins

    Começando!

    Quem acompanhou a minha saga pelas duas "rotas" do Xillia 1 sabe muito bem o que achei daquele negócio, então não vou mentir que estou muito curioso com o que vão fazer nesse segundo jogo, e logo no começo já deu pra ver que algumas coisas tiveram uma mudança bem drástica...

    Primeiro o protagonista é mudo, a la Chrono. Segundo que o jogo tem escolhas a todo momento, tá quase um WRPG a coisa toda! Não sei se isso vai interferir no andar do jogo, ou se as escolhas são apenas um enfeite como em quase todo JRPG (o que particularmente prefiro, já que detesto árvores de diálogo e o caralho a 4), mas que o jogo tem um diferencial bem maior do que o primeiro, isso com certeza!

    Além do protagonista mudo, Ruthger (creio eu), também tem essa menina, e um gato gordo. Também apareceu o Jude, com um cabelo todo esgandiado e a trama tá com um clima meio Noir, com trens e uma música meio jazz ao fundo, o que tá bem legal. Mas o mais preocupante nela que eu notei nessa primeira hora de jogo foi o fato dela falar de viagens no tempo, ou ao menos foi o que deu pra perceber...

    Então, como normalmente tratar desse tema dá merda, ainda mais em jogos japas, fico com meus dois pés atrás, por hora. Mas vejamos como esse Xillia 2 vai se sair daqui pra frente, já que não dá pra ter uma noção geral da cosia toda apenas pelo comecinho, senão Tales of  Graces teria sido o pior RPG já feito fácil, ahauhaua

    16
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...