l_am_thou

Uma Persona que quer contar tudo sobre Megami Tensei e seus derivados, principalmente... Persona!

You aren't following l_am_thou.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2021-03-10 12:15:12 -0300 Thumb picture

    Know Your Demon #129 Tsuchigumo

    NOME: Tsuchigumo/Aranha da Terra/Sujeira

    ORIGEM: Folclore Japonês.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei II (NES)

    LORE: Youkais aracnídeos também conhecidos como yatsukahagi que se ocultam sob a terra ou em cavernas, algumas descrições o definem como enormes, maiores até do que um elefante africano. Possuem hábitos de caça noturno como lobisomens, mas embora tenham apetites vorazes costumam atacar somente quando provocados de forma similar a aranhas.

    Obviamente possuem a aparência de aranhas, mas algumas sub-espécies possuem aparências mais similares a grilos e muitos possuem partes e rostos humanos distorcidos formando sua carne.

    O termo Tsuchigumo refere-se antes de mais nada como um termo pejorativo para se referir aos aborígenes nipônicos que se recusavam a se aliar ao Imperador dos Yamatos. Parte do motivo para tal apelido vem do habito de tais grupos se esconderem sob a terra criando tuneis subterrâneos.

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    Um monstro Tsuchigumo marca presença no super sentai Kakuranger, o mesmo monstro foi adaptado como Arachnofiend na temporada dos Alien Rangers. 

    É o primeiro Makamou derrotado por Kamen Rider Hibiki, possuindo a aparencia de uma aranha gigante com coloração amarela e preta similar as cores de um tigre.

    Yamame Kurodani de Tohou Project é uma Tsuchigumo.

    Shin Megami Tensei II

    Platform: SNES
    195 Players
    23 Check-ins

    22
  • 2021-03-03 20:11:00 -0300 Thumb picture

    Know Your Demon #128 Kitsune/Kyuubi no Kitsune

    NOME: Kitsune/Raposa de Nove Caudas

    ORIGEM: Folclore Japonês.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei II (NES)

    LORE: Youkais raposa muito famoso no folclore nipônico. São tidos como uma subespécie de raposa inteligente que pode viver muito mais do que o normal, podem produzir chamas ou raios, manipular sonhos, voar, invisibilidade, criação de ilusões e até dobras de tempo e espaço. Mas sua habilidade mais famosa é a metamorfose, normalmente se transformando em humanos (para realizar travessuras) seja na forma de crianças, velhos ou principalmente de mulheres bonitas, que por vezes mantinham alguma característica de raposa como um rabo ou um olhar similar ao do animal. Mas para realizarem a transformação tinham que utilizar sobre suas cabeças folhas, juncos ou um crânio, mas por vezes a transformação começava a falhar quando elas se embebedavam ou quando ficavam próxima de cães (do qual normalmente nutrem medo/ódio)

    Suas origens remontam aos húlijīng espíritos de raposa do folclore chinês. Algumas vezes as kitsunes são referidas como "raposas fantasmas" mas as mesmas não são  espíritos, sendo fantasma um adjetivo comum para denotar a conexão espiritual que tais serem haviam conquistado (ainda que existam raposas que possam possuir humanos como se fossem espiritos). Se dividem em dois sub-tipos, os zenkos 善狐 (raposas boas em português) que se situavam em templos e eram tidos como emissários celestiais e os yakos ou nogitsunes 野狐 (raposas do campo em português) travessas e as vezes até malignas.

    Quanto mais envelhecem e sábios se tornam mais caudas ganham (em muitas versões cada cauda extra surge após 100 anos de idade). A medida que ganham mais caudas sua audição e visão ficam cada vez mais poderosas e próximo do total de caudas elas ganham omnisciência (segundo algumas versões), por fim ao conquistar 9 caudas elas se tornam douradas ou brancas virando tenkos 天狐 (raposas celestiais em português) que ascendem aos céus.

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    Kurama de Yu Yu Hakusho é a reincarnação humana de um lendario yokai raposa Yōko Kurama.

    No anime/manga Naruto o protagonista tem selado dentro de si a criatura denominada Raposa de Nove Caudas ou Kurama, uma monstruosa e poderosa criatura posteriormente revelada como uma das 9 bijūs. Naruto possui marcas similares a bigodes de raposa em seu rosto, uma personalidade arteira em sua infância e por vezes realiza uma careta fechando seus olhos de forma estreita, referencias a raposas em forma humana.

    O Pokemon Ninetales é uma raposa de 9 caudas, sua pré-evolução Vulpix é uma raposa de 6caudas, no caminho para as 9 caudas.

    Kyubimon a digievolução de Renamon é baseado em uma raposa de 9 caudas, possui uma contra-parte purpura Youkomon de natureza maligna que tem como base as raposas que encantavam seus alvos. Créditos a @manoelnsn

    Em Okami uma raposa de nove caudas é uma grande antagonista de um dos arcos do jogo, sendo responsável por comandar a Oni Island. É uma das ameaças e lutas mais memoraveis do jogo pelo fato da raposa ser capaz de imitar algumas das habilidades do jogador, incluindo as pinturas celestiais. Créditos a @manoelnsn

    by @thecriticgames

    Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 4

    Platform: Playstation 4
    414 Players
    77 Check-ins

    19
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      O cara tava bêbado e viu 9 caldas em uma única raposa.

      2 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · 2 months ago · 1 ponto

      Também tem um boss de Okami que tem uma raposa dessas, além da segunda evolução da Renamon em Digimon Tamers. Acho que é uma das criaturas mitológicas mais usadas pelos japas, junto com o tanuki e o kappa.

      4 replies
  • 2021-02-28 15:16:24 -0300 Thumb picture

    Know Your Demon #127 Sakasakubi

    NOME: Sakasakubi

    ORIGEM: Folclore Japones.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei II (NES)

    LORE: Youkais com a forma de cabeças invertidas, como seu próprio nome indica com o significado de "cabeça invertida", normalmente possuem cabelos cumpridos possuindo a forma bizarra de cabeças de pessoas. Sua primeira e mais famosa aparição se da no relato documentado Ino Mononoke Roku(稲生物怪録), mais detalhes sobre este documento na sessão APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS.

    É um youkai pouquíssimo comentado e bem obscuro sendo aparentemente uma variação regional de outros "youkai cabeça" mais famoso como Rokurokubi.

    OBS: Quase todas as artes ligadas ao mesmo o fazem como cabeças aladas sem serem inversas, o motivo disso desconheço.

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    O youkai tem seu relato escrito pela primeira vez no Ino mononoke roku uma coleção de pergaminho e livros datado de 1749 que envolvem relatos sobrenaturais que ocorreram na residencia de Ino Heitaro na época com 16 anos em Hiroshima durante um periodo de 30 dias de Julho onde todo tipo de correncia sobrenatural ocorreu.

    by @thecriticgames

    Digital Devil Story: Megami Tensei II

    Platform: NES
    39 Players

    14
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2021-02-26 23:55:16 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    08# (O ULTIMO) Diário de escritor - Zirghorod

    ZIRGHOROD

    Carcóvia, Ucrania, 1735

    Para se livrar de um destino amaldiçoado com a morte o jovem azarado Tyberius Brutus parte em uma jornada solitária pela Ucrania noturna e fria tomada de perigos em uma grande epopeia folclórica.

    (SPOILERS EM POTENCIAL DO CONTO EM ITALICO)

    De play neste vídeo para fecharmos o ultimo diário de relatos meus como escritor desta primeira obra de minha vida =D.

    Poucas histórias já se encontravam praticamente concebidas ou pré-concebidas quando comecei o livro, esta ironicamente a ultima do livro era uma delas, ainda sim a ideia foi retrabalhada, eu tinha uma ideia alternativa em mente mas no mesmo tom só que mais inovadora que o texto que foi para o livro, porque não usei a ideia mais inovadora então? Por que acho que ela merece ser preservada e usada no próximo livro , simples assim, nunca desperdice uma boa ideia pela metade, guarde-a para seu uso integral.

    Aqui acompanhamos a jornada de um jovem que foi amaldiçoado com o azar antes mesmo de vir a este mundo e amaldiçoado a morrer na chegada de seus 18 anos ele se ve obrigado a partir em uma jornada de risco atravessando seu pais. Se no Diario #06 relatei que ao escrever "Caçado" coloquei um pouco de minhas energias de escrita fantástica aventuresca aqui da forma mais esquisita possível eu aflorei minha veia cômica para esta história, porque Zirghorod não se trata de uma história de terror ou horror, mas de uma comédia, sim, exatamente uma comédia e assim como a apresentação deste livro o aviso vale aqui também, assustar pessoas não é fácil, nem faze-las rir por isso o foco independente do gênero e da emoção buscada criar-se uma boa história.

    Um outro ponto desta trama é a vontade de apresentar mais monstros, muito mais monstros do que o livro tinha apresentado até então, missão suprida com sucesso uma vez que este conto tem aparição de 19 criaturas ao todo ao longo da jornada de Tyberius Brutus,

    incluindo figuras famosas mesmo pra quem pouco conhece folclore Ucraniano como é o caso da Baba Yaga.


    Quem leu o Diario de escritor #03 da Bruxa de Velyki Sorchintsy ja experimentou um pouco dos ares folclóricos da Ucrania pelos olhos de outros personagens, e assim como este Mirgorod de Nykola Gogol é uma gritante influencia para a história, tanto o livro como as adaptações cinematograficas antigas e modernas (tanto que é dai que vem o nome do conto, mas com a letra "Z" denotando o fim do livro e com uma grafia única com o H). 

    Além disso a bruxa Baba Yaga vem a ser bem usada justamente depois de aparições da mesma nas HQs do Hellboy que tanto gosto e que também volta a dar as caras nestas postagens

    A minha veia humorística nasceu com minhas leituras da obra de Douglas Adams, O Guia do Mochileiro das Galáxias uma obra que me influenciou mesmo eu não gostando tanto dela, mas que volte e meia eu estava escrevendo como se fosse o gordo do Douglas Adams com sua comédia absurdista, algo bem recorrente em Zirghorod 


    com seu protagonista "aboborofóbico"

    Este ultimo conto também é um prato cheio pra quem gosta de monstros (como é meu caso) e pra quem gosta de conhecer culturas exóticas de outras nações e/ou outros tempos (como tambem é meu caso). Não sei se foi uma boa decisão a fechada de meu livro com um conto tão estranho e alien se comparado aos demais, mas fica aqui o espaço para quem leu comentar o que achou.

    Marcando a galera literária:

    @seufi @volstag @vinicios_santana @fonsaca @andre_andricopoulos e @ralfrisi este é o ultimo dos posts, fim de marcações.

    Aos interessados segue o link da página de compra do ebook: https://www.amazon.com.br/Can%C3%A7%C3%B5es-Bruxas...

    Pra quem se interessar pela edição física: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/c

    Kholat

    Platform: Playstation 4
    11 Players
    2 Check-ins

    21
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2021-02-25 23:32:40 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    07# Diário de escritor - Assobios para a Escuridão

    ASSOBIOS PARA A ESCURIDÃO

    Zwiesel, Reino da Baviera, Alemanha, 1867

    Uma simples semana de caçada para um grupo de caçadores se torna um mistério macabro marcado pelo sumiço de todos os animais da floresta e das montanhas da região.

    (SPOILERS EM POTENCIAL DO CONTO EM ITALICO)

    Chegamos ao meu conto favorito, penúltimo do livro e o ultimo que escrevi. Foi escrito já durante a ultima revisão, a ideia veio, era incrível e eu perguntei pra minha excelente revisora. Da tempo de botar um conto extra ai? E ela permitiu pra minha alegria.

    Assobios para a Escuridão nos coloca na perspectiva do jornalista Emelrich Vogt que em busca de uma história ou causo interessante para o jornal da região o Hildesheimer Allgemeine Zeitung (um jornal real da época cuja versão digital inclusive se encontra aqui https://www.hildesheimer-allgemeine.de/) o leva a Dragan Weber, o mais notável morador da cidade sendo um ex-caçador em estado semi-catatônico cuidado por sua única filha que revela em uma entrevista a Vogt o que de tão assustador seu pai aparentemente experimentou que o deixou daquele jeito.

    Não há necessidade maior de spoilers aqui da pra ficar tranquilo, o conto explora um conceito simples mas muito humano, o medo do escuro.

    O medo do escuro pode parecer uma coisa boba mas não é, na verdade é um medo bem ancestral e lógico mas vestigioso. Carregamos ele muitas vezes como vestígio de nossos ancestrais, eles tinham que lutar pela vida, eles sabiam que na escuridão poderia haver um rival pronto para mata-lo ou alguma coisa capaz de fazer o mesmo, por isso nossa natureza de evitar a escuridão.

    E é em cima deste medo que rola o núcleo, afinal o que noites escuras, florestas, cabanas e a solidão e o silencio podem lhe assustar?

    Se a Prisão de Balor era minha homenagem a Lovecraft e seu horror com todos os seus acertos e erros, este conto traz um terror como o dele, mas sem seus pormenores narrativos, foi um conto muito rápido, simples e fácil de escrever, era como Paulo Coelho costuma apontar, uma história que já "se encontrava escrita em minha alma". Meu único pormenor foi um pouco de tempo de pesquisa a respeito das armas de fogo da época, todo o restante veio rápido até mim, inclusive o numero de habitantes exato de Zwiesel naquele ano, revelado pelo próprio jornalista durante o conto sendo mais uma brincadeira minha com fatos reais.

    Prefiro não fazer maiores revelações da natureza do terror ou do conto, ele não teve maiores pormenores em sua escrita para estender ainda mais este post.

    Marcando a galera literária: @seufi @volstag @vinicios_santana @fonsaca e @ralfrisi @andre_andricopoulos (caso se interesse pelo tópico só pedir pra marcar nos próximos posts :)

    Aos interessados segue o link da página de compra do ebook: https://www.amazon.com.br/Can%C3%A7%C3%B5es-Bruxas...

    Pra quem se interessar pela edição física: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/c

    Alan Wake

    Platform: PC
    3175 Players
    179 Check-ins

    23
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 3 pontos

      Eu tenho uma amiga adulta...que tem medo do escuro 🤣

      Entra em paranóia que algo vai pular em cima dela...😅😅😅

      2 replies
    • Micro picture
      seufi · 3 months ago · 2 pontos

      "Medo do que é noite. Medo do que não é noite." Kafka

      3 replies
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 2 pontos

      Ótima marcação, pelas imagens e os animais mortos, deu a sensação de ser um Alan Wake mesmo, curioso para ler.

      1 reply
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2021-02-24 21:37:50 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    06# Diário de escritor - Caçado

    CAÇADO

    Irlanda do Norte, 1802

    Após uma visita a um antigo rival Nioclás Rhys se vê na mira do mais imponente, monstruoso e implacável caçador de todos os tempos.

    (SPOILERS EM POTENCIAL DO CONTO EM ITALICO)

    Ja passamos da metade do livro e dos contos e chegamos enfim ao maior e um dos mais trabalhosos contos do meu livro sendo mais "cinematografico" deles. A criatura da vez como a própria imagem já denota não é outra criatura se não o Dullahan, o Cavaleiro sem Cabeça Irlandês. Quem já jogou Castlevania deve conhecer bem a coisa que eu já conhecia desde o KYD que fiz sobre ele, então não é tanto questão de spoiler.

    Pra quem não entendeu porque falei do Dullahan como o cavaleiro sem cabeça irlandês é porque o Dullahan NÃO É o Cavaleiro sem Cabeça embora haja sim uma ligação que descobri por fruto de pesquisas. Dullahan nunca foi humano e jamais perdeu sua cabeça, sendo um monstro, uma fada negra maligna e violenta, o Cavaleiro sem Cabeça americano fora segundo a lenda um soldado da Guerra de Independencia decapitado por um tiro de canhão, a lenda, é popular no condado de Sleepy Hollow (hoje parte de Nova Iorque) que por coincidência era uma vila fundada por Irlandeses, então de certo fora uma lenda que sofreu uma mutação e/ou sincretismo e foi adaptada a realidade americana.

    Voltando ao conto a ideia aqui é narrar uma perseguição, um homem fugindo de uma força maligna e monstruosa no seu encalço, tal qual Nemesis indo atrás de Jill ou um desses stalkers filhas da puta de jogos de terror. O conto me deu um trabalho filha da puta por exigir um preparo com respeito aos dias contados de sobrevivência do personagem, foi preciso me atentar aos dias passados e estudar o mapa da Irlanda do Norte para me orientar pelas vilas por onde o protagonista passava (por isso na localização conta apenas a Irlanda do Norte como um todo), não bastasse isso meu perfeccionismo filha da puta (anota ai @vinicios_santana ) me obrigou a pesquisar via Google Maps a distancia entre tais vilas e depois converter tal distancia para a mesma sendo percorrida a cavalo, e ficar atendo em pesquisas para localizações de igrejas e rios uteis necessárias a narrativa para momentos chave planejados para a história, me fornecendo assim uma espécie de rota a ser seguida.

    O maior e mais trabalhoso pormenor que apareceu para mim porem foi o fato de eu ter CONFUNDIDO AS DUAS IRLANDAS, sério, confundi a Irlanda do Norte com a Irlanda e tive de reescrever boa parte do conto. Alias, fica aqui um aviso de incongruência do meu livro, em alguns contos a localização diz respeito a como a região é conhecida hoje (como é o caso deste conto, território hoje pertencente a Irlanda do Norte) mas em muitos, a localização diz respeito ao que o território era na época, e a Irlanda do Norte só foi ser plenamente concebida em 1921 mais de um século depois do conto, nesta época ela não era mais parte da Irlanda, sendo na época o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, titulo do estado após os seus anos como Irlanda e antes de seus anos como Irlanda do Norte, mil desculpas pelo vacilo. Outra confusão regional, esta ocorrido durante a revisão com a revisora foi sobre a vila de Holywood, tem uma vila de Holywood na Irlanda do Norte, e de la que vem o nome, não existe somente a Hollywood americana, porem, na Irlanda do Norte existem duas Holywoods, com um "l" e com dois "ls" igual a holywood americana, e só fui descobrir isso durante a revisão, por sorte mirei na com apenas um l e não tive de resscrever nada XD.

    Indo para o conto, acho que todo jovem escritor de hoje em da quer ainda escrever sua história de ação e aventura, se formos menos exatos da pra definir que quase todo mundo quere escrever sua própria história de espadas, magias e monstros; Caçado é meu sopro disso neste livro enquanto não escrevo minha história de espadas, magias e monstros já que toda a ação, grau aventuresco, combates esta aqui mesclado ao terror e a uma narrativa mais "thriller" enquanto você acompanha um homem fugindo e lutando pela sua vida tentando adiar o inevitável.

    O conto foi até a escrita de outro o meu favorito do livro, de ler e de escrever e é um que eu já tinha quase toda a ideia em mente antes do inicio do livro, tal qual o conto do Kelpie. E fique tambem a dica com respeito ao sistema geografico que as vezes mesmo com todo o estudo e preparo você pode criar erros grotescos em suas próprias regras de narrativa.

    Marcando a galera literária:

    @seufi @volstag @vinicios_santana @fonsaca e @ralfrisi @andre_andricopoulos (caso se interesse pelo tópico só pedir pra marcar nos próximos posts :) 

    Aos interessados segue o link da página de compra do ebook: https://www.amazon.com.br/Can%C3%A7%C3%B5es-Bruxas...

    Pra quem se interessar pela edição física: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/c

    Castlevania: Curse of Darkness

    Platform: Playstation 2
    3032 Players
    100 Check-ins

    21
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 2 pontos

      A pesquisa as vezes se torna tão interessante quanto a produção da obra, aprendemos várias coisas que aumentam de certa forma nosso acervo cultural.

      2 replies
  • 2021-02-23 15:51:22 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Persona 5 - A Trilha Sonora Completa

    Com o lançamento de Persona 5 Scramble esse mês no Ocidente, o jogo da Atlus passa a ter quase 8 horas de músicas, entre inéditas e remixes. Por sorte, um cidadão bacana no Youtube uniu as trilhas de Persona 5 original, Royal e Scramble para esse vídeo. Fantástico!

    @brunothebigboss

    Persona 5

    Platform: Playstation 4
    855 Players
    456 Check-ins

    19
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2021-02-22 21:49:17 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    05# Diário de escritor - Trocriança

    TROCRIANÇA

    Stratford-upon-Avon, Inglaterra, 1566

    Joan finalmente conseguem um serviço para auxiliar sua família, o que ela não espera é que sua estadia como baba se tornaria uma corrida contra o tempo para salvar a criança de uma abdução orquestrada por forças malignas.

    (SPOILERS EM POTENCIAL DO CONTO EM ITALICO)

    E chego a um dos contos mais experimentais do meu livro e o único que eu olho e penso claramente "quando escrevi eu tinha a plena capacidade de fazer algo melhor", para começar este conto é uma provação auto imposta, eu queria uma protagonista feminina para algum conto, e uma que não ficasse artificial. 

    Tive enorme receio de trabalhar com isso perante tanta escrita ruim com personagens femininas feitas por escritores homens inexperientes no oficio que já li por ai, principalmente por que eu tinha a necessidade de fazer uma protagonista forte sem deixar de ser frágil e sem cometer o erro mais estupido, ignorante e infelizmente comum hoje em dia na tentativa de "wannabe writters" de fortalecer uma personagem feminina, faze-la uma lésbica cheia de emoções de ódio pelo sexo masculino normalmente por algum incidente do passado, e sim, vi muito disso por ai e de tanta repulsa pela forma falha de se criar uma protagonista feminina forte eu quis me aventurar a criar uma personagem feminina decente e dotada de alguma força sem envolver sexualidade nenhuma da mesma, e assim tentei com uma jovem que deveria defender um bebe inocente William e ao mesmo tempo lutar pelo sustento de sua família.

    Uma das primeiras e mais obvias inspirações pra este conto foi Hellboy na história "O Corpo" onde temos o primeiro de muitos encontros do anti-heroi com um de seus arqui-inimigos Gruagach, inclusive o elemento do ferro queimar o changeling vem diretamente daqui e de tabela do folclore.

    A trama do meu conto ocorre em Stratford-upon-Avon, uma localização escolhida a dedo, há um easter egg neste conto que revelo a vocês leitores do Alva logo de cara (e boa sorte pra quem não for do Alva descobrir isso), tal localização é mundialmente famosa por ser o berço de uma das maiores e mais importantes figuras da literatura.

    William Shakespeare, o poeta e dramaturgo mais famoso do mundo, que esta neste conto, ninguém mais ninguém menos que o próprio bebe que Joan deve cuidar. O bom deste conto foi estudar um pouco da casa, da vida dos pais do poeta e da história de sua família, as descrições de oficio de seus pais, do fato do mesmo ser o primeiro bebe vivo do casal tendo algumas irmãs suas que morreram antes de seu nascimento, tudo isso são FATOS da vida da família de Shakespeare.

    E por falar na nossa realidade, durante a escrita deste conto passei por um episódio de sincronicidade, um conceito estabelecido por Gustav Jung que, de forma resumida e crua é como se coincidências (todas ou algumas delas dependendo do quão radical é sua crença na sincronicidade) não são apenas coincidências, mas sim o próprio universo agindo por vontade própria, o nome da protagonista, Joan foi uma escolha do acaso, sempre pesquiso nomes típicos da região e época antes de nomear as partes, escolhi Joan sem nenhum motivo maior e no decorrer da escrita disso vim a descobrir que uma das falecidas irmãs mais velhas de William e também o nome de uma de suas irmãs mais novas nascidas posteriormente era Joan 

    o que se relaciona com o final do conto com a irmã de William que recebe o nome como homenagem a baba.


    Pesquisas maçantes de criaturas e fadas dos folclores locais foram realizadas aqui por mim contra o tempo de entrega do livro, o que faz também este ser o conto com maior participação, exposição, menção e explicação de como funciona a hierarquia das fadas e das fadas negras e da sua divisão de cortes,

    a Corte Seelie (fadas) e a Corte Unseelie (fadas negras) que se encontram em um breve momento de paz, aqui também ficam as aparições de Oberon e Titania, rei e rainha das fadas, apesar do contexto mitológico deles, seus nomes não vem de nenhum outro lugar se não da obra de Shakespeare Sonhos de uma Noite de Verão, relacionando mais uma vez ao fim do conto onde fica explicito que Joan contou ao pequeno bebe William por vezes suas desventuras na corte das fadas inspirando futuramente o inconsciente do mesmo a escrever sobre tais seres na sua obra, mesmo efeito que utilizei na Residência dos Amores Perdidos com o poeta W.B Yeats e a sua citação da leanan sidhe da residência.

    Infelizmente eu perdi a corrida contra o tempo e toda a história teve de ser podada com uma resolução acelerada onde Joan vai recuperar o pequeno Willian de forma beeeeem anti-climatica me obrigando a explicar que havia uma espécie de paz temporária entre os Seelie e os Unseelie durante aquele período ,algo não planejado, mas ou eu escrevia aquele final forçado ou o conto ia pro lixo. Meu plano original seria uma jornada um tanto mais extensa com Joan adentrando algum covil dos Unseelie onde ela com sua esperteza conseguiria roubar Wiliam de volta.

    Durante a escrita do conto eu tive diversos pesadelos sei lá o porque e nisso tive pesadelo com uma coisa sem nome que usei neste conto no livro identificada como o Rei sem nome dos Unseelie. Nas minhas pesquisas não achei em citações folclóricas nada sobre rei ou rainha das fadas negras (só vi estes seres em construções da cultura pop, filmes, séries e afins sem contexto folclórico), de fato os Unseelie parecem muito desorganizados se comparados com os Seelies que ja tinham seu rei e rainha (que foram batizados por Shakespeare no mencionado conto). O ser que veio dos meus pesadelos para assumir o papel de rei destes?

    Sei que saiu diretamente de um ser bizarro e igualmente misterioso pra mim, o Grande Líder da Gel-Shocker, o enigmático vilão final do primeiro Kamen Rider, mas com características próprias segundo a descrição sua no meu conto, isso mesmo, o vilão de um TOKUSATSU DOS ANOS 80 influenciou uma obra minha XD

    Marcando a galera literária:

    @seufi @volstag @vinicios_santana @fonsaca e @ralfrisi @andre_andricopoulos (caso se interesse pelo tópico só pedir pra marcar nos próximos posts :)

    Aos interessados segue o link da página de compra do ebook: https://www.amazon.com.br/Can%C3%A7%C3%B5es-Bruxas...

    Pra quem se interessar pela edição física: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/c

    Kamen Rider

    Platform: SNES
    84 Players
    6 Check-ins

    24
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 2 pontos

      Estava me perguntando por que tinha marcado num jogo de kamen raider, agora faz sentido rs.
      Esse background da produção foi incrível viu e apesar de você não estar 100% satisfeito com o conto, até agora foi o que me pareceu mais interessante, pelo contexto contado aqui.

      2 replies
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 2 pontos

      Que bebê + lindo...🤗❤️

      1 reply
  • 2021-02-20 19:49:56 -0200 Thumb picture

    Know Your Demon #126 Spartoi

    NOME: Espartos

    ORIGEM: Mitologia Grega.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei II (NES)

    LORE: Guerreiros humanoides nascidos do chão quando dentes de dragão são plantados como sementes, o que também da o significado do nome destes, Spartoi Σπαρτοί, literalmente "semeados".

    Nasceram quando Cadmo (o primeiro rei de Tébas) seguiu uma vaca sob instrução do oraculo de Delfos que o levaria para um lugar onde seria propicio a construção de sua cidade onde a vaca parasse. Após chegar ao local Cadmo quis realizar um sacrifício com a vaca e pediu a alguns de seus homens irem até uma fonte coletar água, fonte esta guardada por um dragão que dizimou seus guerreiros até ser morto pelo próprio Cadmo com uma espada. Tal dragão era uma criatura sagrada de Ares e seguindo conselhos da prima deste, Atena Cadmo plantou os dentes de dragão no chão o que deu a luz a vários homens já armados e fortes que saíram do terra, eram os Espartos.

    Cadmo com medo destes atirou uma pedra entre eles (em algumas versões ele propositalmente atirou uma joia para ver a reação destes) e o grupo de guerreiros começou a brigar entre si se matando achando uns que os outros haviam atirado a pedra, restando somente os cinco mais fortes deles Equionte, Udeu, Ctônio, Hiperenor e Peloro, que serviram a Cadmo o ajudando a fundar Tebas.

    Uma outra parcela de dentes foi plantada por Jasão na Cólquida, sob ordens do Rei Eetes para ganhar o velo de ouro. Jasão antes que fosse atacado pelos enfurecidos Espartos recém-nascidos atirou tambem entre eles uma pedra que os fez brigarem se matando.

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    Espartos servem de espíritos invocados pelo xamã Theodorus Alogospoulos no anime, manga Shaman King, sendo estes 8 esqueletos.

    Servem como uma das unidades de infantaria no jogo Total War Saga: Troy

    O monstro Clock Spartoi do card game Yu-Gi-Oh é uma versão robótica de um esparto.

    No famoso filme Jasão e os Argonautas de 1963 o grupo enfrenta no clímax do filme sete espartos de aparência esquelética nascidos dos dentes de uma hidra, tal aparição de certo influenciou a cultura pop com essa imagem do esparto esquelético (na mitologia eles possuem aparência humana) que marca presença em tantos lugares, tal qual Spinal do jogo Killer Instinct inspirado pelos esqueletos do filme, agradecimento a @santz por me ajudar a chegar a essa conclusão.

    by @thecriticgames

    Killer Instinct

    Platform: SNES
    7481 Players
    38 Check-ins

    20
    • Micro picture
      santz · 3 months ago · 2 pontos

      O Spinal do Killer Instinct também não é inspiração desse bicho não?

      6 replies
    • Micro picture
      ersatzgott · 2 days ago · 2 pontos

      Eu ia mencionar o Clock Spartoi, não imaginava que ele estaria no texto. Muito bom!

      1 reply
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2021-02-19 01:09:29 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    04# Diário de escritor - A Residência dos Amores Perdidos

    A RESIDENCIA DOS AMORES PERDIDOS

    Comuna de Ardres e proximidades, França 1351

    Durante a Guerra dos Cem Anos um grupo de ingleses em fuga após uma derrota para franceses se perde em uma floresta e vem a encontrar um recinto onde podem escapar do horror, para os braços amorosos de um grupo de mulheres sobreviventes que são mais do que aparentam.

    (SPOILERS EM POTENCIAL DO CONTO EM ITALICO) 

    Misturar ficção com fatos históricos foi uma das coisas que tornou Bernard Cornwell um dos meus autores prediletos e aqui em meio a necessidade de contar uma história de terror experimentei fazer o que Cornwell faz mas em menor escala e apenas em fase conceitual, trata-se de um flerte com um dos múltiplos confrontos da Guerra dos Cem Anos a Batalha de Ardres, um dos poucos onde franceses saíram vitoriosos o que era importante pra o contexto da história (era mais fácil para mim trabalhar com protagonistas ingleses do que franceses).

    O conto vai se desenrolar com um grupo de sete homens ingleses dentre jovens e velhos com suas próprias histórias e particularidades que fugindo do confronto acabam encontrando abrigo em um bordel a Residencia dos Amores Perdidos onde sua líder Lennán abriga jovens que fugiram de terras devastadas pela guerra ao troco das mesmas terem de trabalhar como prostitutas para ajudar a manter o lugar.

    Aqui vai minha primeira dica pra quem quer escrever com base na experiência que tive com este conto, EVITE narrativas lotadas de personagens, ao mesmo envolvendo a mesma cena, eu quase queimei meu cérebro para usar no mesmo conto 14 personagens diferentes com o mesmo tempo médio de presença e atividade, e como é um bordel eu tive que fazer esquemas para lembrar nomes e dos sete casais e não me perder durante a escrita e sim eu me perdi varias vezes na reescrita, tornando o conto que mais reli antes do lançamento.

    Com o desenrolar da história vem a revelação, as mulheres são todas súcubos, na verdade cada uma delas é um arquétipo de súcubo vindo de algum folclore diferente, sério, existem VARIAS criaturas do arquétipo de súcubos espalhadas pelas mais diversas mitologias e folclores ao redor do globo, enxergar isso me fez ter vontade de escrever esta história o que também foi bom para deixar mais explicito o escopo da coisa já que elas vem de países diversos denotando que o sobrenatural não encontra fronteiras entre países no meu livro.

    Confesso que tenho a tentação hoje dentro de mim de ter colocado alguma súcubo ou arquétipo de súcubo do Japão ou de alguma nação da Asia para deixar explicito o quão longe vai o mundo sobrenatural, mas não sei se seria discrepante uma personagem asiática (ainda que os homens da época não iriam descreve-la como asiática) mas com um nome nipônico.

    O legal deste conto foi mexer com pequenos easter eggs como o nome das mulheres denotarem o que elas são Lennán é uma leanan sídhe, Navka é uma mavka e por ai vai, além disso o final do texto traz um ultimo easter egg cultural, quem pesquisar sobre leanan sídhe vai descobrir que a figura delas ganhou o tom e as informações de hoje não de seu folclore de origem, mas sim através do poeta W.B Yeats no século XX, este referenciado ao final do conto como sendo uma das pouquíssimas pessoas que tem registro posterior de ter visitado a Residencia dos Amores Perdidos e sobrevivido.


    Marcando a galera literária:

    @seufi @volstag @vinicios_santana @fonsaca e @ralfrisi (caso se interesse pelo tópico só pedir pra marcar nos próximos posts :)

    Aos interessados segue o link da página de compra do ebook: https://www.amazon.com.br/Can%C3%A7%C3%B5es-Bruxas...

    Pra quem se interessar pela edição física: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/c

    The Witcher 3: Wild Hunt

    Platform: Playstation 4
    2743 Players
    1005 Check-ins

    28
    • Micro picture
      notbot · 3 months ago · 2 pontos

      Cara que interessante isso, não sábia que havia succubus de diferentes folklores. Fiquei interessado no seu livro

      1 reply
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 2 pontos

      Bernard Cornwell tbm é meu autor favorito, curioso pra ler esse conto.

Keep reading → Collapse ←
Loading...