2015-11-08 23:02:27 -0200 2015-11-08 23:02:27 -0200
jotagabe João Gabriel Soares Silva

A Sugestão e o Ambiente em Dark Souls

Single 3192469 featured image

Na infância Hidetaki Miyazaki amava ler livros de fantasia medieval, mas havia um problema: ele não dominava a lingua inglesa, não podia compreender todas as linhas, então para cada lacuna na estória ele jogava uma boa dose de imaginação. Aquelas estórias, mais do que quaisquer outras, agora eram dele também.


Como diretor da franquia Souls ele tentou recriar essa experiência em um jogo de RPG adaptado em um cenário de fantasia sombria: a estória nunca é contada diretamente, um diálogo aqui, a descrição de um anel ali, uma estátua que deveria estar ali mas não está, a arquitetura das construções... A estória está lá, sempre esteve para você descobrir, ela simplesmente não te pega pela mão, você pode percebê-la ou não.

Em listas de jogos que seriam manifestções artísticas eu sempre encontrei Braid, Journey e Shadow of the Colossus, tais listas eram extensas e diferentes demais para serem meras cópias: tais jogos apelavam para um senso artístico não por que se propunham ao belo, mas por que brincam com a percepção e com a ignorância do jogador por o colocarem no meio de história a qual ele não sabe o começo. Você sabe que está em um cenário que veio bem antes de você, sabe que algo aconteceu mas não sabe exatamente o que e o porquê.
Muitos jogos forçam o jogador a explorar o ambiente adicionando vários colecionáveis. Em dark souls a dificuldade extrema, aliada ao clima pesado e depressivo de fantasia sombria e ao sentimento de perda já bastam para que cada passo seja dado de cada vez. É neste sentido que o mapa pequeno e entrelaçado de Dark Souls é muito maior que os 40km² de Skyrim que foi lançado no mesmo ano.

Some-se à falta de trilha sonora: com exceção dos bosses em Dark Souls você escuta apenas o som do seu próprio passo - é realmente uma experiência única andar pela terra devastada de Dark Souls, - o nível de imersão é intenso e onipresente, o stress é constante. É uma obra de arte que mostra que a sugestão pode ser usada como personagem , que o velho embate entre chama e escuridão pode ser tratada de forma sóbria e escapar de clichês, e que a solitude pode ser um perfeito tempero para a imersão.

XXXXXX

E eu que achava que nunca iria usar aquela velha verdade da literatura que me foi passada no ensino médio: Para compreender uma obra deve-se compreender primeiro a biografia do autor...

Dark Souls: Prepare to Die Edition

Platform: PC
2044 Players
830 Check-ins

0
Keep reading → Collapse ←
Loading...