2017-01-15 14:34:48 -0200 2017-01-15 14:34:48 -0200
anduzerandu José Carlos

Registro de finalizações: Final Fantasy VIII

Zerado dia 14/01/17

Finalmente! Depois de um mês sem zerar e postar nenhum jogo no Alvanista, eis que finalmente termino FFVIII, faltando agora apenas o IX (e o XV). Não que nesse tempo eu não tenha jogado, mas após terminar Child of Light comecei um jogo e joguei pacas, mas infelizmente não foi o bastante para terminá-lo antes da minha viagem de férias, que durou 2 semanas e meia. 

Achei que esse período seria ótimo para jogar esse Final Fantasy e ainda terminar outros, mas infelizmente o calor do Rio de Janeiro me desmotivou a fazer qualquer coisa, e o meu ritmo foi bem mais lento.

Já tenho esse jogo faz bastante tempo, mas só animei por agora depois de perceber que faziam 2 anos desde que zerei um FF, o VII. Eu definitivamente fui com grandes expectativas pois o pouco que conhecia sobre essa aventura sempre me pareceu bem legal, sobretudo os personagens.

De cara, FFVIII já se assemelha muito ao seu antecessor mas agora os personagens não são mais chibi, o que já adorei! Eles voltaram com os cenários pré-texturizados e ainda foram além com várias partes que jogamos enquanto CGs acontecem no fundo e vários cenários que me lembram jogos "Adventure" ou os Resident Evil do Playstation. Visualmente, o jogo é praticamente um jogo de DS, mas ele sempre nos surpreende com cinemáticas bem originais e que são muito legais até hoje.

Lá pra metade do jogo, tive uma curiosidade de pesquisar quais os FF mais fáceis e coincidentemente todos os fóruns apontavam pro VIII!

Essa curiosidade veio depois de eu apanhar tanto pro sistema de Junction, provavelmente o mais confuso da série. Nesse sistema, em que o jogo basicamente gira em torno em relação as batalhas, os summons que derrotamos e capturamos (aqui chamados apenas de GF, Guardian Forces) são equipados no personagem que desejamos e cada um desses monstros permite que equipamos MAGIAS em certos atributos daquele herói. Por exemplo, equipando o Ifrit no Squall, você poderá equipar magias em HP, Ataque e Resitência.

As magias que equipamos e a quantidade que você tem resultam em diferentes bônus. Se equiparmos um total de 100 Fire no HP do Squall, ele vai ganhar mais 70 nesse quesito. Mas se equiparmos esses mesmos 100 no Ataque, ele vai bater mais 20 e com dano de fogo. Já na resistência, ele vai ganhar 5% de resistência a fogo.

Mas não para por aí, as magias devem ser "sugadas" dos inimigos durante o jogo, sendo que cada inimigo tem sempre as mesmas magias. Juntar 100 de cada é sempre o canal pra ater melhores resultados nas suas junções, mas nem sempre é fácil, mesmo sugando várias com apenas um comando. Magias mais fortes e de melhor qualidade podem estar em monstros fortes ou raros.

Imagine um chefe bem chato que tem uma magia bem difícil de se conseguir. Se matar um inimigo desse já era difícil, ficar usando os seus turnos para puxar magia pode resultar em derrota.

Pra completar, para puxar esses poderes você deve equipar o comando Draw na lista de ações do personagem. Caso ninguém tenha, ninguém vai conseguir novas habilidades. Esse comando disputa uma posição com outros comandos importantes, como os clássicos Item, GF (Summon), Magic e outras habilidades conseguidas mais pra frente.

Mas, ok. O Ifrit possibilita o equipamento de magia nesses status, mas e os muitos outros? Aí que entra a importância de pegar mais GFs. Você vai querer que cada personagem tenha vários atributos melhorados! E sem contar que a passagem do jogo e os inimigos mais fortes vão meio que te obrigar (ainda mais no final) que você equipe as magias, comandos e habilidades de acordo, como ter resistência àquele ataque mortal dele ou bater usando a sua fraqueza.

Uma cisa interessante é que nesse jogo você não bate muito com os ataques físicos e usar GFs não consome MP nem nada (até porque Mana não existe em FFVIII, apenas a quantidade de magia que você possui por ter roubado dos inimigos). Quando você usa um Summon, se inicia um tempo para executá-lo e aparece o HP dele! Todos os danos que iriam àquele personagem agora vão pro Summon e você só não poderá mais usá-lo se ele morrer. Resultados: summons infinitos ou um bom escudo para evitar aquele ataque que mataria seu personagem.

Um outro motivo pra eu ter curiosidade sobre esse jogo foram as músicas e personagens e outras coisas que vi em Theatrhythm Final Fantasy e Dissidia Final Fantasy. Sobretudo a Ultimecia e o Laguna. Quem diabos é Laguna?

Você passa a sua jornada com 6 personagens bem distintos (embora não originais em relação ao outros FF), mas as vezes do nada o jogo muda pra outros três personagens, incluindo o Laguna, e o enredo fica cheio de mistérios. O que diabos está acontecendo?

A estória é meio confusa mas é bem interessante e envolve sobretudo TEMPO, já que a nossa vilã gosta de viagens temporais e afins. Bem legal mesmo!

Resumindo: Final Fantasy VIII é um jogo bem legal e que ainda segue a onda de jogos fáceis da série iniciados no VI. Você joga pra curtir a estória e se divertir. Na minha opinião, o VII foi ainda mais fácil, até porquê não tinha nenhum sisteminha confuso e tutoriais como nesse aqui. Além do mais, FFVIII durou mais de 10 horas a mais que seu antecessor, mesmo ainda tendo achado que os 4 CDs tenham sido bem rápidos. O jogo envelheceu bem, apesar dos modelos 3D estarem datados e com certeza esse jogo merecia um remake pra que mais pessoas pudessem o jogar.

De bom: jogo tranquilo, com um enredo intrigante. Sistema de Junction pode te deixar overpower rapidamente se você o entender e conhecer o jogo e onde pegar magias boas. Adorei os 6 personagens e não é atoa que alguns voltaram nos Kingdom Hearts. Muitas cenas durante o jogo, inclusive enquanto você joga. Super cinemático!

De ruim: sistema de Junction confuso, ainda mais no início quando estamos bem limitados e tem mil tutoriais. O jogo te limita bastante no final, impossibilitando a coleta de itens importantes e a entrada nas cidades e etc, o que dificultou um pouco pra mim. O finalzão, sobretudo o último chefe, considera que você esteja bem equipado em magias e GPs para conseguir fechar, o que resultou em um pouco de dificuldade pra mim, mas vencer também foi demais!

No geral, Final Fantasy VIII deve estar no meu top 5 de FF, mas ainda prefiro outros jogos da série, incluindo o overrated VII e o meu amado VI. Vale muito a pena jogar, ainda mais se tiver um filtro pro serrilhado dos personagens e jogar no Vita, como eu. Joguinho tranquilo e divertido, e que iniciou essa onda de personagens românticos, como vemos no X. Qualquer um consegue jogar esse jogo haha.

Final Fantasy VIII

Platform: Playstation
6739 Players
231 Check-ins

22
  • Micro picture
    wilford_fernandes · over 5 years ago · 2 pontos

    congratzz.. eu curto mtooo o FF VIII, a rivalidade entre squall e seifer e a importancia do Seifer na estoria ;p amor pelas gunblades , CGS incriveis, trama intrigante e músicas FENOMENAIS ;p
    apesar de ser um controverso, mta gente n curte ele .... eu expresso aqui meu amor pelo VIII s2

    1 reply
  • Micro picture
    jcelove · over 5 years ago · 1 ponto

    Parabéns. Adoro o clima, visual e a mioria do elenco do VIII mas detesto o sistema de junction de Draw. No geral ele é um dos mais fáceis mesmo até por não exigir tanto grind é possivel terminar com o squall no nivel inicial até) mas se não entender ele não tem facilidade certa no final do jogo com aquele boss sinistro.hehe

    O VII acho ainda mais fácil que ele se só quiser terminar.

    4 replies
  • Micro picture
    ralyson · over 5 years ago · 1 ponto

    Eu acho o 8 bem marronmenos! O disco 1 é muito bom, o 2 é um saco, o 3 volta a ficar bom e os personagens acho eles "sem vida". um ressalva para Quistis S2

Keep reading → Collapse ←
Loading...