gicba

Fire Emblem, Etrian Odyssey, uns jogos velhos e JRPG. Com uma pitada de uns indie coreano xarope.

You aren't following gicba.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2021-10-20 14:16:12 -0200 Thumb picture
    gicba checked-in to:
    Post by gicba: <p>Fechei a campanha no Normal, praticamente 1 ano
    Advance Wars 2: Black Hole Rising

    Platform: Gameboy Advance
    451 Players
    11 Check-ins

    Fechei a campanha no Normal, praticamente 1 ano depois de zerar o Advance Wars 1 (nem sou enrolado. Imagina!)
    Essa é uma das melhores sequels que já joguei, sinceramente, é um pulo gigantesco do primeiro jogo. Mais comandantes, a campanha é bem mais elaborada, só tem um tipo novo de unidade controlável para o jogador, mas o inimigo tem vários tipos de lasers e canhões estacionários que atrapalham nos mapas da campanha, o que curti bastante. Não bastando isso, os mapas da campanha num geral são bem mais variados que no 1, só de você ter uma mini campanha para cada uma das 4 nações, e não ter que usar sempre os CO da Orange Star em toda santa luta, dá uma variação que o primeiro jogo precisava.

    A dificuldade não é super alta, afinal a AI de AW é extremamente retardada (acho que se ela fosse esperta, certos mapas beirariam a impossibilidade), com algumas exceções, achei que tem um difficulty spike alto na reta final, comecei a sofrer um pouco mais por lá e tirar ranks menores, enquanto no começo eu tirei S em quase todas as missões. Teve um ou dois mapas que eu não curti também, mas num geral eles são bem bacanas e variam os objetivos.

    Não sei se prefiro a batalha final do 1 ou do 2, por um lado achei a do 1 melhor em questão de ser uma luta desesperada de 3 malucos contra o final boss que é um CO roubado pra caralho, em que você tem de puxar ele lentamente e conquistar a base/derrotar todas as tropas dele pra vencer, mas a campanha do AW1 é cheia de Kagaismos com coisas extremamente obtusas e segredos, o que me levou a pegar um time meio merda pro mapa final (sim, você não escolhe...)

    No 2 é só derrotar o laser que fica no topo do mapa, eu digo "só" mas é um inferno, o Sturm é tão irritante quanto no 1, e embora você possa montar seu time, lutar normal me pareceu suícidio, eu simplesmente fiquei umas 3 horas ontem tentando vencer até que fui dormir, acordei e desisti simplesmente spammando bombardeiros no laser (que destroem ele em 2 ataques). Teve uma certa nuance e planejamento em levar a unidade la pra cima, tive que manipular a AI e resetar pra ela não bloquear o caminho por exemplo, mas eu acho que a batalha final do 1 vai ficar mais marcada em mim que essa.

    Completei (quase) todos os mapas, só perdi os mapas secretos de laboratório com a Yellow Comet e a Green Earth, deu preguiça de tentar pegar a cidade específica pra abrir eles, os outros dois labmaps eu peguei na sorte mesmo. Triste mas quando eu rejogar no Hard eu tento fazer uma run 100%.

    Algum dia eu jogo o Dual Strike, quem sabe em 2022 pra manter o tema de zerar um jogo dessa série anualmente?

    23
    • Micro picture
      bobramber · 3 days ago · 1 ponto

      Ae! Parabéns!
      Joguei só o primeiro, mas achei incrível, essa sequência deve ser fenomenal. Várias listas apontam comoum dos melhores jogos de GBA.

      1 reply
    • Micro picture
      tiagotrigger · 3 days ago · 1 ponto

      É uma pendência minha, nunca joguei o segundo, só o primeiro mesmo.

  • 2021-10-10 15:41:30 -0300 Thumb picture
    gicba checked-in to:
    Post by gicba: <p>Zerado, esperava um pouco mais sinceramente, con
    Sakura Wars (Limited Edition -- A-Type)

    Platform: Sega Saturn
    34 Players
    5 Check-ins

    Zerado, esperava um pouco mais sinceramente, considerando a fama que a série tem

    As partes de VN são bonitinhas e etc, tem bastante variação, apesar desse tipo de gameplay pessoalmente não ser minha coisa.

    Tava empolgado mesmo pela parte de estratégia mas me decepcionei com ela, o jogo tem a profundidade do pote de água do meu cachorro e é extremamente fácil, isso sem contar as animações super lerdonas, o que leva as lutas a serem chatinhas e desinteressantes. O jogo tem umas missões com um objetivo diferente aqui e ali mas não muda muito a rotina do que você faz em todas as lutas.

    Não deixo de imaginar que pra época um jogo assim com as cenas animadas, bastante ilustrações e dublagem, deve ter sido bem legal. Afinal eu meio que lembro quando essas coisas eram luxo na época, e eu entendo o valor/legado que o jogo tem, mas eu realmente achei um jogo bem 6/10 pessoalmente. Pelo menos o resto da série parece mais legal.

    Estranhamente o que eu mais gostei no jogo foi a trilha sonora mesmo.

    11
    • Micro picture
      fonsaca · 13 days ago · 1 ponto

      O enredo é meio água com açúcar/clichê do tímido japonês com um harém de minas pra ele, apesar do cenário ser bem curioso: robôs à fumaça num Japão antigo.
      Não é a melhor coisa do mundo, mas não achei as batalhas TRPGs tão fáceis assim e as achei boas. Ok, se compararmos com um Front Mission da vida o jogo não é a melhor coisa do mundo, mas tbm seria uma comparação desleal.

      1 reply
    • Micro picture
      jcelove · 13 days ago · 1 ponto

      O que fez a serie explodir no japao era justamente a parte visual novel de harem, as batalhas taticas eram bem simplonas mesmo so pra dar uma variada. Realmente muito raso pra um expert em trpg como o sr. Nao sei se evolui muito nas sequencias não, o foco é a narrativa mesmo.

      2 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · 13 days ago · 0 pontos

      O ponto forte desse jogo é o CD lindão do Kosuke Fujishima e o datem sim intercalado com o sistema tático mesmo. Ao menos foi isso que vi no Sakura Taisen 5, o único que joguei até agora

      1 reply
  • 2021-10-04 21:14:12 -0300 Thumb picture
    gicba checked-in to:
    Post by gicba: <p>Terminado, entregou praticamente tudo que eu esp
    NEO: The World Ends With You

    Platform: PC
    2 Players
    2 Check-ins

    Terminado, entregou praticamente tudo que eu esperava numa sequencia, como fã do original.

    Os personagens não acertam tão forte quanto os do primeiro, mas ainda são bacanas, a OST continua ótima (apesar de não curtir muito alguns remixes das músicas do primeiro, e achar que algumas músicas repetem demais)

    Os outros dois problemas que tive foi que o jogo poderia ter mais chefes únicos, ou melhor, mais variação de inimigos. Tem bastante Noise do primeiro jogo que não veio pra cá (tipo as raposas e os dragões). Tem uns novos tipo os dinossauros, mas ainda assim.

    Por último, eu achei que é muito fácil quebrar o sistema de batalha no final. A ideia de você controlar um personagem com cada botão é uma transição genial do sistema de batalha do primeiro pra um ambiente 3D, e de fato é bem divertido e frenético, MAS é muito fácil no final acertar os Grooves e juntar para o super/especial mais forte, que não só te deixa invencível durante, como também recupera todo seu HP. Chegou uma hora que simplesmente martelar quadrado com 3 pin de tiro equipado me fazia encher o especial sem quase nenhum esforço. Joguei o jogo no Hard e teve umas lutas que foram complicadas e desafiadoras, mas assim que eu pude equipar 3 pins com o mesmo botão repetido, os chefes finais foram mamão com açúcar.

    Uma reclamação menor é que pelo que vi, todos os Secret Reports envolvem enfrentar versões mais fortes de chefes para obter, o que é uma pena, no primeiro os objetivos eram bem variados, o que me desanimou pra fazer o conteudo extra nesse aqui. Mas vou ver se faço, já to com aquele gosto de quero mais apesar de tudo.

    10
    • Micro picture
      vante · 19 days ago · 1 ponto

      Que bom que a continuação manteve a qualidade do antecessor! É trágico quando isso não acontece...

  • 2021-09-29 13:26:44 -0300 Thumb picture
    gicba checked-in to:
    Post by gicba: <p>10 anos esperando uma sequencia do original, que
    NEO: The World Ends With You

    Platform: PC
    2 Players
    2 Check-ins

    10 anos esperando uma sequencia do original, que é um dos meus jogos favoritos e extremamente importante para mim

    feliz que meu PC roda, esperava um port nojento, o jogo ter um estilo gráfico bem simples deve ajudar, imagino

    mas bem, o que importa é que existe e eu consigo jogar. Eu to com o sorriso mais besta do mundo no rosto

    11
    • Micro picture
      vante · 24 days ago · 1 ponto

      Boa mano, divirta-se!

  • 2021-09-26 21:21:03 -0300 Thumb picture
    Post by gicba: <p>Bem, alcancei a história agora, só esperar atual

    Bem, alcancei a história agora, só esperar atualizações.

    Não vou mentir que acho que a qualidade dos mapas caiu um pouco no DLC, os inimigos são insuportáveis, e eu não consegui achar uma forma efetiva de lidar com a maioria. Os devs realmente amam o conceito de "mapa de emboscada onde todos seus personagens começam separados e cercados de inimigos em toda direção", por que tacam essa coisa 2 vezes até agora neste DLC. Uma vez acharia ok, seria marcante, mas na segunda, eeeh.

    Não bastasse isso, o mapa (ao menos no Hard) começava com um boss tomando o primeiro turno e matando instantaneamente um dos meus personagens (alguém aleatório, pois sim, até mesmo as posições dos personagens é RNG nessa missão, excluindo 3 deles), e eu não podia fazer nada.

    Depois de muito sofrer, eu consegui passar por sorte, com só 2 personagens vivos, e sou agraciado com um mapa onde as 2 personagens novas tem de escapar, sendo que tem tipo, 60 inimigos, uma delas é um mago sem defesa alguma, e o jogo te deixa opções limitadas pra curar elas...

    Que porra hein, Dandylion? O jogo base inteiro foi desafiador mas justo no Hard, e agora no finalzinho começou a ter esses deslizes. Ontem fiquei irritado, especialmente com o penúltimo mapa, mas hoje consegui encontrar uma estratégia mais ou menos consistente para passar, alem de ter alterado algumas builds. Tentei fazer o mesmo com o último, mas não consegui uma boa forma além do cheese de bloquear uma escada e ficar de cima de um prédio atirando magias e granadas nos inimigos lá embaixo, visto que a maioria deles só tem ataques de curto alcance.

    Não retiro nada do que disse do jogo antes, ainda amo ele de coração e acho que vou jogar mais um pouco para fazer os Violent Cases que faltam, e obviamente, quando atualizarem com mais missões da história, mas espero que eles coloquem um pouco mais de esforço nas próximas missões da história.

    10
  • 2021-09-20 12:52:08 -0300 Thumb picture
    Post by gicba: <p>Eu planejava jogar outra coisa, mas acabei volta

    Eu planejava jogar outra coisa, mas acabei voltando pro troubleshooter mesmo, fazer o que, eu gostei do jogo.

    Quando comprei veio com essa DLC ai, que adiciona umas missões novas da história, 2 personagens novas e mais itens, passivas, etc. Comecei e fiz a primeira missão de boa, mas daí parei com o DLC para focar em sidequests, e meu deus, parece que elas são infinitas. E são na maioria chatinhas também, geralmente pegar um item ou coletar alguma carga num mapa repetido, eu sinceramente preferia que não tivesse mesmo.

    Ainda não sou o maior fã do sistema de crafting, mas comecei a me meter mais nele, pois os equipamentos que eu estava usando na campanha normal começaram a ficar terríveis, tem um difficulty spike enorme nas missões do DLC vindo da campanha normal.

    Pior ainda foi a segunda missão do DLC, sinceramente uma das coisas mais desgraçadas que eu vi num SRPG. Mapa apertadão, com você cercado de inimigos e o time separado em 3 grupos, pior ainda que um dos meus melhores personagens (o Sion) começava sozinho num canto do mapa e nem valia a pena correr pra salvar ele, então eu resolvi deixar pra lá e passei com ele morto mesmo. Os inimigos são incrivelmente overtunados, com passivas irritantes que fazem os turnos deles virem mais rápido de acordo com o quanto de HP eles perdem+uma que fazem eles sempre rolarem defesa com HP baixo. Acabei por conseguir na base do turtling, só com a Irene, o Leton, a Bianca e a Anne vivos no final, e admito que tive que abaixar a dificuldade do Hard pro Normal...

    9
    • Micro picture
      a2 · about 1 month ago · 1 ponto

      grande tartaruga de guerra romana.

  • 2021-09-11 23:02:03 -0300 Thumb picture
    gicba checked-in to:
    Post by gicba: <p>Zerado, curtinho e simples, tava precisando de u
    Katana ZERO

    Platform: PC
    109 Players
    14 Check-ins

    Zerado, curtinho e simples, tava precisando de um desse tipo.

    Esperava que fosse ser um side scroller de ritmo rápido pelo que ouvia, e vim esperando isso, mas fiquei surpreso com o esquema de puzzle que ele tem.

    A história é bacana também, provavelmente a coisa que eu mais gostei no jogo, pena que acaba num cliffhanger. Deve sair junto com Silksong a continuação lol

    13
    • Micro picture
      xch_choram · about 1 month ago · 2 pontos

      kkkk é essa continuação vai demorar

    • Micro picture
      vante · about 1 month ago · 1 ponto

      Esse jogo parece difícil pra kct kkkkkkkkk. Parabéns pela zerada

      2 replies
  • 2021-09-03 22:20:57 -0300 Thumb picture
    Post by gicba: <p>Zerado.</p><p>#img#[789900]Mapa final super corn

    Zerado.

    Mapa final super corno, com sniper até o cu e todos no Hard ao menos, tem uma passiva idiota que eles atiram se um aliado deles atacar um alvo no alcance, o que levava a um cara que esquivava de uma porrada ter que esquivar de uns 4 tiros de sniper de uma vez.

    Sem contar que o final boss anda, está no centro do mapa e se você SEQUER encostar no corno, todos os inimigos se buffam, e quando ele morre, todos voam em cima de você. E a fase nem tem checkpoints!

    Deu bastante trabalho mas consegui passar sem grindar muito, usando a cabeça e com um pouco de sorte algumas vezes.

    Eu vou ser direto aqui, eu gostei bastante do jogo, achei que valeu cada centavo dos 50 reais que paguei e mantenho que se eu pudesse, compraria de novo pois acho que os desenvolvedores merecem.

    MAS

    O jogo é um pouco ambicioso demais, tanto em história quanto sistemas. Tem muita coisa que eu acho que eles deviam ter deixado pra lá (crafting, o tanto de quest, e missão opcional, o sistema de drone e de pet que eu mal toquei, etc), e a história sofre pois aparentemente eles estão pensando como uma série. Eu lembro de ter comentado que eu estranhei que eu não via muita gente falar sobre a história do jogo, e eu me surpreendi, pois ela era legalzinha, mas o problema, é que quando a coisa começa a esquentar e se mexer, o jogo acaba. ):

    Tem um DLC ainda que veio com o jogo que é meio que uma história extra pós créditos, vou jogar ainda, mas acho que podiam ter fechado algumas linhas de história tipo o Carter, e os Alley.

    Acho que teve muita coisa que eu perdi pois é opcional também, eu não fiz todos os Violent Cases, e só toquei num dos mapas que dá para repetir, que aparentemente tem história algumas vezes? Lembro de ver gente falar sobre a backstory da Irene, que eu simplesmente não vi nada aqui...

    Por hora acho que vou dar um descanso, foram 70 horas que eu me diverti bastante, mas obviamente, a fadiga bate, não importa quão bom o jogo seja, mais cedo ou mais tarde.

    Agora, eu recomendo esse jogo? Sinceramente, não, provavelmente não, acho que é algo que você precisa de um certo estado de mente para aproveitar.

    O resto do post vai ser mais uns pensamentos soltos sobre o  meu contato recente com a industria Sul Coreana de jogos que sobre o Troubleshooter em si...

    Mas sim, ao menos para mim, parte do apelo do jogo era o fato que era um projeto pequeno e independente de um estúdio sul-coreano. Desde que eu descobri a Project Moon, eu ando um pouco mais interessado em jogos não mobage, MMO, ou multiplayer, vindo deles.

    É um país que você raramente vê algo  que não são os pop idols fazendo sucesso fora, então tem uma sensação de frescor, e de que você tá apoiando algo que tá fazendo um esforço genuino para se destacar. Não que eu consiga notar algo característico entre o Troubleshooter e os jogos da Project Moon, que faça eu falar "Caramba, tem cara de jogo sul coreano hein!", fora ahem, um grind desnecessário nos 3 jogos, haushauhas

    Ambos a Dandylion e a Project Moon inclusive, parecem desenvolvedores que se espelham bastante em jogos japoneses (O diretor da PM mesmo é um weeaboo fodido e sem vergonha), mas ainda assim, como eu disse, é uma sensação gostosa de ser um dos "primeiros" e de espalhar os caras para aumentar a notoriedade, sabe?

    Enquanto estou aqui, queria notar o quão esperta (e sortuda) a Project Moon foi comparada a Dandylion. Os dois primeiros jogos de ambas saíram em épocas próximas, mas a Project Moon já está se encaminhando ao terceiro, e a Dandylion ainda está no primeiro, embora o esteja suportando com atualizações e DLC faz acho que 1 ano? A PM foi esperta e assim que notou que o primeiro jogo dela tinha uma fanbase nicho, expandiu o universo para quadrinhos e uma novel, além de uma sequel.

    Acho que o tema do LobCorp ajudou bastante o sucesso nicho também, visto que muita gente inicialmente se interessou por causa da mania de SCP, enquanto o Troubleshooter é mais um XCOM sabor coreano mesmo, o que eu duvido que vá interessar fãs de XCOM.

    Me faz feliz ver a PM crescer tanto assim, e me faz mais feliz ainda esbarrar em gente do nada que está jogando o Library of Ruina, devido ao lançamento oficial, mas eu gostaria que a Dandylion tivesse o mesmo sucesso e crescimento rápido...

    O que me faz voltar ao meu ponto anterior, sobre a recomendação do jogo. Embora algumas coisas me incomodem, achei um SRPG sólido, e que me prendeu bem nessas 70 horas, mas é algo que eu acho dificil de recomendar, pois existem outros jogos no gênero por aí que se destacam em outros aspectos. Não que eu tenha jogado SÓ por que o jogo é coreano, a arte também me interessou, e depois de piratear e jogar umas 4 fases, eu vi que ia gostar dos sistemas. A customização e conteúdo também são ótimos, tem coisas de sobra. Mas é complicado recomendar, pois queira ou não, ainda é algo bem amador e simples, que você precisa de ter bastante interesse inicial mesmo para pegar gosto, na minha opinião.

    Enfim, obrigado por ler esse monte de pensamento jogado se você chegou até aqui.

    9
    • Micro picture
      vante · about 2 months ago · 1 ponto

      Parabéns pela zerada campeão!

  • 2021-08-24 13:51:53 -0300 Thumb picture
    Post by gicba: <p>50 horas de jogo, e aí uma mecânica completament

    50 horas de jogo, e aí uma mecânica completamente nova é introduzida...

    Duas personagens novas entraram no time desde o último check-in, e cada uma delas trouxe junto um gimmick diferente. A Giselle trouxe uma mecânica que é literalmente Pokémon. Ela pode domar monstros em lutas, incluindo a necessidade de abaixar a vida antes de poder capturar, e depois treinar eles e evoluir para serem usados como aliados.

    Já a Kylie introduziu um sistema maluco de construir Drones, que eu sinceramente não entendi muito. Eu só fiz qualquer coisa e botei um lança chamas no meu, e tá funcionando.

    Boa parte do time tá criando laços também, e as coisas estão saindo um pouco do controle, visto que uma habilidade de bonding em específico é estúpida. A dificuldade ainda existe claro, via objetivos diferentes (malditos mapas onde preciso proteger os policiais retardados que ficam se suicidando), e alguns chefes cornos que saem de dentro da Fog of War e 1shotam algum personagem sem eu ter ideia que eles sequer existiam.

    A história continua andando em um ritmo meio lento, com o mesmo problema de parecer focar em muita coisa ao mesmo tempo, mas eu ainda estou interessado. Em particular, tudo sobre os Alley, o Heixing, e a história do Don tão me fazendo continuar sempre nas missões principais, tô quase ignorando as sidequests e os Violent Cases ultimamente...

    É legal também como todos os personagens e suas histórias, parecem ter ao menos uma ligação mínima uns aos outros, com exceção ao Albus e a Irene, que parecem ser os mais desconexos. O que é estranho pois o Albus é o personagem principal, e a Irene é constantemente enfiada em material promocional do jogo. Mas até agora, a história do jogo parece mais do Heixing, e tá caminhando num caminho de que o Carter vai ser o vilão final.

    Eu realmente não esperava me envolver assim com esse jogo, apesar de bem amador, e as vezes ambicioso demais, é algo que você vê que botaram bastante empenho e que os caras que fizeram realmente gostam de joguinhos de estratégia. É o tipo de jogo que se eu pudesse, compraria 2 vezes por que acho que os caras merecem meu dinheiro.

    14
    • Micro picture
      jcelove · 2 months ago · 2 pontos

      A arte desse game é bem legal.

      1 reply
    • Micro picture
      vante · 2 months ago · 2 pontos

      Tem uma treinadora de Pokémon aí?!

      2 replies
    • Micro picture
      querempaz · about 2 months ago · 1 ponto

      Raidão, qual o nome do jogo mesmo q eu fiquei interessado kkkk

      2 replies
  • 2021-08-12 21:05:10 -0300 Thumb picture
    Post by gicba: <p>Infelizmente eu continuo sem progresso algum no

    Infelizmente eu continuo sem progresso algum no Berwick, pois quando não tô jogando SRB2Kart eu tô jogando isso...

    (Não reparem nas screenshots terríveis. Eu tô com um monitor provisório e ele é uma merda...o resto eu peguei umas imagens de fora mesmo)

    Desde o último check-in eu consegui mais dois personagens, e a dificuldade do jogo deu uma subida, tanto em questão da potência dos inimigos como em objetivos nas fases. Teve uma batalha da história em particular que gostei bastante, em que o objetivo era primeiro resgatar três esquadrões da polícia e depois cobrir a fuga dos 3 enquanto um amontoado de inimigos apareciam. Mesmo não tendo permadeath, eu vira e mexe dou um game over, espero que continue assim. Também estou gostando do sistema de passivas, de início eu achei que ia ser chato e incômodo, ou até mesmo que teria de grindar elas. Até agora eu consigo me virar com o que os inimigos dropam, é divertido combinar passivas diferentes e ver o resultado da sinergia ser um inimigo passar pelo seu personagem, levar uns 2 chutes e morrer. Sempre tem alguma passiva nova depois de uma missão, então tem a sensação que seus personagens sempre estão evoluindo, mas sem o jogo ficar fácil demais, ao menos até agora.

    Nem tudo são flores no gameplay porém. Existem algumas minúsculas particularidades que me incomodam.

    Admito que eu tenho pouca experiência em jogos de estratégia além de Fire Emblem e seus derivados, então ver que duas coisas que eu achei que eram básicas em TODO jogo de estratégia por turno, não estavam aqui me incomodou, e sinceramente, me deixam confuso até agora, mesmo com 22 horas de jogo.

    A primeira coisa, é que quando um personagem aliado ocupa um espaço, suas outras unidades não podem atravessar o espaço em questão, levando a situações chatas se você quiser atravessar um caminho apertado, com suas unidades entupindo e se enroscando no lugar até chegar o turno do que está na frente.

    A segunda é que você não pode cancelar movimentos, se você foi pra frente, já era, não tem mais volta. Clicou sem querer? Se fode aí lol. Eu imagino que seja por causa das habilidades que ativam quando uma unidade se movimenta, como os overwatches da vida e etc. Mesmo tendo bastante interesse, não cheguei a encostar num dos X-COMs ainda, e os desenvolvedores desse aqui falaram diretamente que a série inspirou eles. 

    Mas ok, nada que eu não consiga me adaptar. Mesmo que uns 7 anos jogando FE adoidado faça isso difícil haha.

    A história tá começando a ficar bem mais interessante, apesar de parecer não ter muito uma linha de história principal, e ser mais sobre cada um dos personagens terem cada um seus próprios problemas e passados sombrios. Alguns deles estão um pouco de lado, como o do próprio protagonista, mas imagino que possivelmente seja ligado ao plot principal, então mais pro finalzinho deve se resolver. É um pouco estranho como o jogo tá começando a fazer várias linhas de história (o passado do Heixing e tudo com os outros Alley, o capitão da polícia que foi suspenso, etc.), espero que o jogo acabe não tentando mastigar mais que consegue. Tá sendo o suficiente pra me prender e manter meu interesse, porém. Gosto também como em algumas partes o jogo te dá controle de uns personagens que não entram no seu time permanentemente (dá para perceber isso pelo fato que eles não tem vozes durante os ataques), apesar de alguns casos eu ficar um pouco triste que certos personagens não serão permanentemente controláveis.

    Diferente dos seus primos indies coreanos (O Lobotomy Corporation e o Library of Ruina), eu não via muita discussão sobre a história do Troubleshooter, então eu não estava com nenhuma expectativa sobre. Acabei ficando impressionado pelo fato que ela é bacaninha de se seguir, embora simples. Os caras até botaram um glossário com termos e mais detalhes sobre o universo, eu adoro coisas assim, tanto pelo fato de consultar eles é bom pois sou terrível para gravar nomes, quanto pelo fato de que mostra que eles criaram o universo com carinho.

    23
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...