This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • gusgeek Gustavo Francescheto
    2022-06-26 11:48:00 -0300 Thumb picture

    Desafio - 30 dias de Games (Dia 15)

    Maior surpresa

    Live A Live

    Um RPG da Square que nos Anos 90 ficou só no Japão, mas ganhou Popularidade quando foi traduzido por Fãs e inclusive vai ganhar um Remake Oficial, e aqui você joga 7 Capítulos que se passam em diferentes períodos, onde cada Protagonista deve Derrotar uma Forma do Demon King Odio, depois de completados Um Novo e Oitavo capítulo é liberado, com direito a Plot Twist e tudo, além do Jogo em si ser bem Diversificado e Criativo e que na minha opinião é Excelente!!

    Desafio feito por @goraku

    14
  • carlospenajr Carlos Pena
    2022-06-14 12:24:55 -0300 Thumb picture

    Trailer "Present Days" em japa

    Foda-se, coloquei a japa mais pra falar do dublador XD
    No pouco que mostra ai, já da pra saber que o principal é dublado pelo Tomokazu Seki, que faz o Domon no G Gundam, Sousuke do FMP e Gilgamesh do Fate, então só nisso já sabemos que vai ter gritaria nos ataques digno dos clichês de anime de artes marciais XD

    Pra quem não conhece, segue um video dele no SRW T (pessoalmente não gosto do anime, mas a musica e dublagem é foda):

    10
  • 2022-06-14 12:07:31 -0300 Thumb picture
    Post by gamer_art: <p>#img#[827616]</p>

    24
  • 2022-05-29 12:18:25 -0300 Thumb picture
    thiagobrugnolo checked-in:
    Post by thiagobrugnolo: <p>Desafio 30 dias de games - Dia 5</p><p><strong>M

    Desafio 30 dias de games - Dia 5

    Melhor trilha sonora

    E chegamos ao dia 05 do @desafio do @goraku .

    Já gastei o DKC 2 no primeiro dia, então como melhor trilha sonora vai um jogo  com composições da Yoko Shimomura, minha compositora favorita dos games ao lado do David Wise, fiquei em dúvida entre 2 jogos com composição dela, mas ou outro jogo vai ganhar o posto de melhor jogo de um gênero nos próximos dias.

    A OST de Live a Live composta por Shimomura é uma coisa eu realmente me emociona, é aquele tipo de trilha sonora que consegue transmitir as emoções de cada personagem e cada história em si.

    E aqui vai o link da OST interpretada pela orquestra  dos Games

    24
  • 2022-05-23 13:23:19 -0300 Thumb picture
    Post by jornal_nintendo: <p><a href="https://www.youtube.com/watch?v=HW26nzK

    9
  • gusgeek Gustavo Francescheto
    2022-04-17 21:06:57 -0300 Thumb picture
    gusgeek checked-in:
    Post by gusgeek: <p>#img#[818791]</p><p><strong>Live A Live</strong>

    Live A Live finalizado!!

    Um dos melhores RPG's da Square, sem sombra de dúvida, pois ele consegue ser Divertido, Sério, Diversificado, Criativo, Nostálgico, Sentimental, Desafiador, Épico e Incrível.

    Os gráficos e cenários são muito Bonitos e Bem Animados, tendo aquela Pixel Art com Charme de Anos 90.

    O Sistema de Batalhas também é bem Interessante, Simples e Intuitivo, sem fazer você se preocupar muito com MP e sempre recuperando o Life por completo dos Personagens no Final de cada Luta!!

    A Trilha Sonora é Excelente em vários aspectos, sendo composta pela Deusa Yoko Shimomura <3

    Com destaque pra música Megalomania (que inspirou Undertale), que só deixa as Boss Battles mais Épicas!!

    E pra música do Buriki Daioh

    GO! GO! BURIKI DAIOH!!!!

    ..

    O Jogo é dividido em 7 Capítulos que se passam em diferentes períodos, onde cada Protagonista deve Derrotar uma Forma do Demon King Odio, depois de completados Um Novo e Oitavo capítulo é liberado, e esses aqui são eles..

    Contact

    O mais Cômico dos Capítulos e ideal pra apresentar as Mecânicas e Jogabilidade, onde um homem das cavernas chamado Pogo e seu amigo gorila Gori precisam resgatar Beru, uma mulher das cavernas que foi sequestrada por uma tribo hostil que pretende sacrificá-la.

    ..

    Inheritance

    O Capítulo que mais mostra Honra e Lealdade, ele se passa na China antiga, onde um Artista Marcial que mora numa montanha, tendo envelhecido muito, procura uma pessoa jovem para quem possa passar seu Legado.

    ..

    Secret Orders

    Pessoalmente Eu achei ele longo demais e um pouco chato em alguns momentos, mas ainda assim é um Capítulo muito Bom, onde você controla um Shinobi no Japão Feudal.

    ..

    Wandering

    Talvez o meu Favorito, pois ele é uma clara Homenagem aos Spaghetti Western's, onde você controla Sundown Kid, e une forças com seu rival Maddog, pra derrotar um Gangue de Bandidos.

    ..

    The Strongest

    Aqui você controla um Lutador que quer se tornar o Melhor de Todos, e o capítulo é basicamente uma versão de Street Fighter 2 com elementos de RPG, as referências são bem Óbvias, mas o melhor de tudo é que é Divertido.

    ..

    Flow

    Num "Futuro" não muito Distante, você controla um jovem com Poderes Telecinéticos, onde ele tem que deter uma Gangue de Motoqueiros e parar os Planos do Governo, de quebra você controla um Robô Gigante IRADO numas Boss Battles, e esse Capítulo lembra muito Akira, com Super Sentai.

    ..

    Mechanical Heart

    Aqui você controla um robozinho chamado Cube, numa Nave Espacial, onde várias coisas dão Errado, lembrando MUITO o filme Alien (1979), esse Capítulo quase não tem Batalhas, e foca mais no Suspense, Terror e questões Sociais, algo que eu curti muito.

    ..

    King of Demons

    Esse Capítulo começa como qualquer outro RPG, onde você controla um protagonista calado chamado Orsted, e num belo dia sua Namorada (e filha do Rei) é raptada por um Demônio, então você une Forças com seu melhor Amigo e forma uma Party com mais dois Guerreiros Lendários, pra Derrotar as Forças do Mal!!

    Bem Clichê né?! 

    Mas essa História tem um Plot Twist no mínimo Genial, que Eu não vou dar muitos detalhes pra não estragar a experiência de quem não jogou XD

    O Jogo tem Vários Finais e como não quero das Spoilers, só vou afirmar que fiz o Final "Meio" Bom :)

    ..

    Por fim, é um jogo obrigatório pra qualquer Fã de RPG, Eu recomendo mesmo, pois Live A Live foi uma Experiência de Vida pra mim, que tirando os trocadilhos foi simplesmente Excelente.

    ..

    SÓ VEM REMAKE!!

    17
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 1 ponto

      Eu não sou muito fã do sistema de batalha desse jogo, mas essa ideia de ter várias histórias paralelas é muito massa.

  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-04-04 19:26:12 -0300 Thumb picture
    Post by manoelnsn: Não costumo comentar reviews aqui no alva (eu leio,

    Não costumo comentar reviews aqui no alva (eu leio, mas já teve gente falando que eu tava cagando regra, então evito, além da maioria ser uma porcaria), mas é a kalini fazendo uma bem detalhada, então bora lá, hauhauhaua

    "embora contra sua vontade, pois considerava ele como o rival de um certo jogo feito por ele há 1 anos atrás"

    Estranho o cara considerar Live a Live protótipo e rival de CT, sendo que eles não têm absolutamente nada em comum. Tanto que o fandom até hoje fica no embate de CT x FFVI mesmo.

    "Há quem diga quem Dragon Quest IV já tinha feito isso antes, mas lá o protag é o hero mudo de sempre mesmo, enquanto aqui nenhum tem importancia maior do que o outro"

    Sim, mas DQIV é do NES, né? Ele fez muito pra um jogo da época até. Live a Live tem uma ideia duca e um bom vilão, mas a execução das histórias em geral ficou bem aquém do que tínhamos em 1994...

    ", mas acabei quebrando minha cara, e hoje é o melhor capitulo do jogo, pois tem toda uma reflexão sobre como a tecnologia em sí não é perigosa ou ruim, mas mero reflexo de quem a criou, fazendo um odiador de maquinas repensar seus conceitos"

    A história do Cube é legal, mas a pegada stealth é bem zoadinha... Essa pegada mais "profunda" do capítulo pode ser vista logo no nome da nave, mas é tudo bem basicão mesmo, então não me impressionei nesse quesito, e ainda considero o capítulo do Akira superior.

    "e passei a sentir odio de cada um que tratou Oersted como lixo."

    Sim, Odio é do caralho mesmo. Eu diria que é o único personagem bom do jogo, já que os outros são bem fraquinhos, a maioria nem fala e a ambientação em que eles estão inseridos é melhor do que eles próprios...

    "O grande problema é que quase a qualquer momento, tanto jogador quanto a máquina poderar se mover pelo cenario e seu turno vai chegar de forma totalmente imprevusivel, sem ser num numero fixo de passos, ao inves de primeiro escolher pra qual quadradinho se mover pra aí sim depois tu escolher tuas ações, encerrar o turno e chega a vez do inimigo, que nem Koudelka, e como resultado, ficou uma bagunça! "

    Sim, o combate é uma bagunça total, até Koudelka é melhor, já que tu ao menos sabe o que tá fazendo ali. Por isso não entendo tu dar 10 pra um jogo com um combate bosta desses, mas tá valendo, ahauhaua

    " tambem status negativos bem distintos, muito além dos velhos poison, confuse e sleep, mas tambem de quebrar o braço ou a perna"

    Os status negativos desse jogo são um inferno, tem inimigo que te joga todos de uma vez só, maior sem noção.

    "dando um ar mais estrategico pras lutas"

    É só se posicionar e não levar dano, não tem muita estratégia aqui...

    "Ah, e tem permadeath nesse jogo"

    Morte permanente não tem, já que tu pode usar o personagem depois da luta, caso ele seja removido do campo. E isso é uma porcaria, já que tu não tem item de reviver e nem magias mesmo, portanto é mais um reflexo do gameplay porco do jogo...

    "Os inimigos normais desse jogo são realmente um saco de pancadas, eu adimito, mas os bosses em sua maioria não vão pegar leve e uns até quase me fizeram arremessar o celular no chão com força total"

    Os bosses secretos e o Odio são pica mesmo, mas o resto achei very easy, e na época joguei no snes ainda e com everdrive, então nada de savestate e coisas do tipo, ahuahua

    " Viver a vida de 8 personagens unicas, com suas proprias histórias com ambientações unicas, viver seus sonhos, seus feitos, desejos e odios, rir com eles, chorar por eles, escolher entre viver como um herói ou como um vilão e até pilotar um mecha são conjuntamente experiencias unicas e que tenho certeza que jamais sairão da sua mente!"

    Na verdade eu já esqueci a maioria das histórias, hauhauahua. Zoeira, mas é aquilo que eu falei mais cedo: na maioria dos personagens a ambientação em que eles estão inseridos é melhor do que eles próprios, já que coisas como Oboro, Sol pra baixo e Cube sequer falam! Masaru é só um protagonista genérico também, os melhores são o protagonista chinês e o Akira, que ao menos possuem uma trama mais completinha (além do Odio, é claro). A interação entre eles é bem ruim também, basicamente são jogados em uma dimensão paralela e se juntam porque sim mesmo, não tem conflitos, e eventos que façam o grupo escolhido ter essa união, a role de atividade cooperativa e isso pra um RPG é bem importante (tanto que é o critério #1 que eu levo em consideração).

    "pois suas histórias são muito bem construídas, sem deixar nenhum buraco ou algo confuso, sem babaquices pretenciosas querendo ser mais do que oferece, memhuma falha notável"

    Square de 94 sabia o que fazia, hauhaua. Mas é aquilo também, são todas histórias bem simples e básicas (bem DQ4 mesmo), então nem tinha muito o que errar aqui...

    "um fantástico e muito bem desenvolvido vilão na figura trágica de Oersted, com você sentindo tudo que ele sentiu!"

    Odio é duca mesmo, não tem o que falar. Tomara que agora tu esqueça do Foulu, que tem a mesma premissa, só que feita com o cu, auahauhauahuahauhauahauhauahuahauahauhauahauhauahuahaua

    Enfim, pode parecer que eu detesto Live a Live com esse post, mas eu gosto muito desse jogo. Porém só acho ele legal mesmo, com um bom vilão, boas ideias, ambientações únicas e um sistema de combate que é o rascunho da barca do inferno.

    Mas se tu gostou dessa pegada dele, tenta Mystic Ark. Infelizmente a party é toda muda, mas os mundos distintos dão um couro nesses daqui, com certeza!

    Viva La Vida Ou O Odio Que Transcende Todas As Eras!

    Review by: @kalini

    Takashi Tokita pode não ser tão badalado quanto Hironobu Sakaguchi e Tetsuya Nomura quando o asunto é criar RPGs, mas o que pou...

    Keep Reading →
    18
    • Micro picture
      kalini · 3 months ago · 4 pontos

      Perdi tudo com esse primeiro paragrafo, hahahshahaha! Não se intimide de ficar dando dicas pro pessoal e comentando as reviews, e quem se incomodar fora o autor da review, manda tomar no

      E como ficou aquem em historia comparado com outros jogos em 94 seva maioria esmagadora dos jogos na epoca eram tudo simples e com dialogos curtos? Voce fala isso como se cada outro jogo (ou alguns) tivesse enredo escrito por Shakespeare... (nem ff6 chega perto disso). Histórias realmente complexas e personagens mais bem trabalhados com muita interação é algo que só nasceu na era do CD mesmo (e ainda assim complexidade significa... nada, se nada na historia te prende ou cativa .As Aventuras de Zé e Nuvem tão aí pra mostrar)

      E vai se acostumando com os 10, pois esse não será o ultimo, hahaha! É 10 Porque PRA MIM nem os defeitos poucos que tinham me incomodaram, as qualidades os ofuscaram.

      1 reply
    • Micro picture
      kalini · 3 months ago · 3 pontos

      Eu ainda gosto do Fou-Lu, por ser badass mesmo.
      Não acho mal-feito, só não é nada muito elaborado mesmo e sei que tem gente que faz overthink dele. Você só odeia ele porque ele te lembra o Sephiroth e apanha de uma coruja (não sei como isso é ruim, até parece que queria que o cara fosse uma Mary Sue invencivel). E olha que ja gostei muito mais dele, mas hoje conheço um monte de vilão melhor, mesmo em outros Breath of Fire.

      7 replies
    • Micro picture
      avmnetto · 3 months ago · 2 pontos

      Não acompanhei muito o assunto, mas comentando sobre início: O cara vem com essas de "tá cagando regra" ou "virou somellier" é porque ou não tem argumento,ou é preguiçoso pra pensar, ou tem a capacidade de interação humana prejudicada pela falta de intelecto ou, ainda, está tentando sair de bonitinho com frase de efeito de 3º série. É uma resposta de complexidade tão alta como "teu cu". Opinião se profere, quando se tem vontade. Ninguém limita, não.

      2 replies
  • kalini Kalini
    2022-03-22 18:11:43 -0300 Thumb picture
    kalini checked-in:
    Post by kalini: <p>E ACABOOOOU!!!</p><p>#img#[815216]</p><p>No capi

    E ACABOOOOU!!!

    No capitulo final, tive que escolher um dos 7 protagonistas iniciais. Escolhi o Akira, pois é o que mais gostei visualmente e porque gosto de personagem porradeiro e com poder psiquico.

    Començando direto na ultima cena do cenario do Akira, Odio invica Akira para sua era medieval, para fazer uma revelação.

    Por lá tambem encontro os outros 6 protagonistas, e consigui recrutar todos eles, podendo trocar a qualquer momento de personagem. No meu time final, acabei escolhendo, alem de Akira, Li, Sundown e Cube, mas foi muito dificil deixar esse povo todo forte pois eles tavam em nivel baixo e morriam facil pra uma mulher covra gigante muito chata e uns ninjas. Pra piorar, Cube não subia de nivel, e a unica forma de aumentar o HP era usando um item.

    Uma coisa bem legal é que agora tem dungeons opcionais, cada uma com a melhor arma de cada char no final e uma gimmick diferente, como quebrar rochas com uma skill especifica da Li enquanto um gordo chato fica te perseguindo e beijando, outra onde tem os fantasmas da Alicia e Straybow arrependidos, mas a melhor de todas foi a do Cube, cuja arquitetura lembra aquela sala do filme 2001 Uma Odisseia No Espaço, tem 3 puzzles envolvendo uma area que trocava seus inputs, outra pra imitar o reflexo no espelho e a ultima envolvendo teleportes.

    Tambem tinha esse boss irritante que aparece se voce foge demais das batalhas (nao sei quantas vezes, mas ele avisa antes umas cinco vezes). Alem de ter um golpe que petrifica, ele tinha um ataque fisico muito forte, que causava uns 400 de dano!

    E finalmente, me encontro com Odio, que revela que is trouxe aqui pra perguntar se realmente valia a pena lutar por uma humanidade tão ruim e egoista, que descarta as pessoas quando não precisa delas, mas ao ver que eles não concordam com Odio, este percebe que os herois são iguaizinhos as pessoas que fizeram mal a ele quando era Oersted e pir isso vai me descer o cacete.

    Na primeira forma, Odio bota um batom, umas sombras nos olhos e uns cachos de uva pra virar esse bicho esquisito aí. São quatro partes, sendo que o anjo la encima cura as outras se atacado. No mais, foi ridiculo, ele não causava mais de 50 de dano com qualquer ataque. Ja tava decepcionada achando que seria mais um RPG com final boss facil...

    ... SÓ QUE NÃO! Na segunda forma, ele virou esse Smeagle com asas em posição fetal dentro de uma flor e ficou o tempo todo usando um ataque que tirava mais 150 e cancelava os ataques de todos, menos da Li. E pra piorar  tinha outro ataque que absorvia bastante HP e outro que invocava o fantasma da Alicia (esse achei legal o conceito) varias vezes pra dar mais de 200 HP. Esse ataque sozinho mandou o cowboy e a bolinha na direita pra vala, ficou só a Li e Akira no final vivos, mandando o Odio pra vala depois de um monte de turnos. Foi um dos poucos bosses que ganhei de primeira nesse jogo (tambem tem que considerar que nas outras lutas eram mano a mano, esta foi com uma party de 4), mas foi ainda assim duro de vencer.

    No final, Odio se rende e pede pra mata-lo. Eu fiz isso e ganhei um final ruim, onde todos ficam presos pra sempre no mundo medieval vazio do Odio, tendo que refazer toda a luta denovo, mas dessa vez o final boss me venceu, desbloqueando mais um final onde ele se destroi junto com toda a existencia. Refazendo pela terceira vez, escolhi poupar o Odioe ir embora, então ele reaparece e explica que ainda não acabou, proclamando que enquanto houver odio entre pessoas  em todas as eras,ele sempre vai continuar existindo. Então uma boss rush com as sete encarnações do Odio começa, dessa vez sem Megalomania tocando, infelizmente, mas eram todas muito faceis agora. Odio finalmente morre pir cez, mas antes, envia todos de volta as suas eras, mas adverte novamente: enquanto existir odio entre as pessoas, qualquer um poderá se tornar o novo rei demonio.

    Tudo em Live a Live funciona de forma magnifica. É um dos poucos jogos que não só acertam em todos os aspectos, como tambem tais aspectos são de qualidade acima da média. Talvez os gráficos não sejam o melhor de 1993/94, mas ainda assim é padrão Square de qualidade, pois são muito expressivos, com as personagens fazendo varios gestos. Mesmo com dialogos escritos de forma bem simples e direta, ainda assim passa bem a personalidade do elenco e tem carga emocional, e isso se aplica até aos mudos Cube e principalmente Pogo e seus companheiros neanderthais. 

    A qualidade da trilha sonora pode ser resumida em duas palavras: Yoko Shimomura. A musica aqui não é só boa, como intensifica os momentos, principalmente os tristes. Batalhas são legais, por mais que não dê pra saber quem é a vez de quem, ainda assim tem dificuldade pouco acima da media e te faz bolar estrategia ao inves decso spammar o ataque mais forte. Cada personagem tem um set de skills unica, nenhuma é repetida. Cada cenario tem ambientação unica, cada personagem é muito bem motivado pra ir pegar o vilão e voce ainda pode jogar com o vilão da historia pra entender as motivações dele e até controlar as varias formas dele. As historias aparentemente sem conexão nenhuma se juntam em uma so. Que outro jogo faz tudo isso? Nenhum!

    Live a Live pra mim é um dos melhores jogos de todos os tempos. E, se tratando de RPGs, tá no TOP 10, OU MESMO 5, rivalizando tranquilamente com gigantes como Chrono Trigger (do qual o criador do jogo, Tokita, considerava o rival de Live a Live), Breath of Fire II e III, os Final Fantasy IV, VI e X e Xenogears.

    19
    • Micro picture
      manoelnsn · 3 months ago · 1 ponto

      Parabéns ppr ter terminado! Estranho tu não ter tido trabalho contra o Odio, vai ver treinou bem.

      Quanto a Live a Live rivalizar com FFVI e CT... Menos, bem menos, BEEEEM MENOS. Breath of Fire 2 eu concordo, eles são bem equivalentes mesmo, já que ambos tem a história legal, uma party ok e um gameplay zoado.

      12 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · 3 months ago · 1 ponto

      Histórias sem conexão nehuma se juntam no final - isso acontece com DQ4 🙃

      6 replies
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 3 months ago · 1 ponto

      Parabéns, zerou um ótimo jogo e pra mim também um dos melhores RPGs que já joguei, a imersão dele é sensacional. Contra a segunda forma do Odio levei umas 3 tentativas pra derrotá-lo, minha party era igual a sua só com a diferença que eu levei o Oboro ao invés do Akira, pois o ninja estava mais forte.

      A maneira como é feita a ligação entre as histórias e o desfecho final é surpreendente e muito bem pensado.

      1 reply
  • kalini Kalini
    2022-03-21 16:01:36 -0300 Thumb picture
    kalini checked-in:
    Post by kalini: <p>Esse cenario do Oersted... 😮</p><p>#img#[815059]

    Esse cenario do Oersted... 😮

    Bem, na idade média, estava sendo realizado um torneio entre cavaleiros, e o vencedor ganharia permissão do rei de Lucreria para se casar com a princesa Alice. Na final, Oersted, o protagonista mudo que me lembra o Cloud do Final Fantasy VII visualmente, vence seu melhor amigo, o mago negro Straybow.

    De noite, Alice se declarou pra Oersted, jurando que sempre vai confiar nele e lhe dá um beijo, porem um dragão surge do nada e a rapta. Ao contar a situação pro rei, Oersted se oferece pra salva la, então o rei da a ele sua confiança e o titulo de heroi. Na despedida para sua jornada,  é ovacionado pelo povo do Lucretia, ganha uma porrada de itens e a ajuda de Straybow.

    Pelo caminho, fica sabendo através de um mago branco chamado Uranus sobre como ele e o antigo herói, Hash, derrotaram o Rei Demônio (ou como gosto de chamar: maoh) ha tempos atrás, e agora tenta convencer a ele a derrota-lo uma vez mais. Hash a principio se recusa, pois diz que a sociedade o descartou como lixo depois de ter feito o serviço de a salva-la, mas depois que é chamado de covarde, muda de ideia, só pra mostrar que não é covarde.

    Essa batalha contra o Maoh foi a mais dificil do jogo, pois todos os golpes desse bicho tinha longo alcance, mandava todo mundo pra longe e causava quase 200 de dano. Perdi um bocado de vezes aqui, e só venci quando o Hash foi o unico que sobrou vivo.

    Mas quando tudo parece que terminaria bem, uma sucessão de desventuras acontece: é revelado que aquele não era o verdadeiro maoh, Hash acaba caindo morto devido a uma praga e Straybow é aparentemente morto ao ser soterrado por um desmoronamento na dungeon onde enfrentaram o falso rei demonio. Ao retornar pro castelo, ataca o rei achando que se tratava do demonio, é acusado de ser o verdadeiro demonio, fazendo todos virarem as costas pra ele, exceto Uranus, que ainda acredita nele, pede que ele tenha fé na humanidade enquanto houver pelo menos uma pessoa que goste dele, tal como Alice, e depois se sacrifica para liberta-lo da prisão.

     E no final, ao ir resgatar sua amada, descobre que era seu amigo Straybow que estava por trás de tudo aquilo, simulou sua morte, criou uma alucinação que fez Oersted enxergar o rei como o demonio para mata-lo e jogar o heroi contra todos, para que no fim ele ficasse com a Alice só pra ele, e tambem porque morria de inveja dele, por ser sempre derrotado por ele e nunca ter tido a adimiração do povo. No final, Oersted mata o mago espirito de porco, mas isso só piora as coisas, ppis Alice surge dizendo que não confia nele mais e que se sensibilizou pelas frustrações de Straybow contadas acima. Ela se mata para que possa se juntar ao seu novo amor.

    Aquilo foi a gota d'água pro heroi de Lucretia. Toda pouca de fé na humanidade que sobrava dele morreu alí. Chegou a conclusão que foi abandonado e a humanidade não valia mais nada. A partir daí, se autoproclama o novo maoh, e adora um novo nome: Odio!

    Fui direto fazer o final dele, onde ele viaja em todas as eras como os final bosses de cada cenário, tendo que controlar todos os bosses e matar os protags. No final, Odio sela sua vingança contra a humanidade, que é varrida do mapa, sobrando só ele no mundo... e sua eterna tristeza.

    Me falta palavras pra descrever o quão brilhante foi essa parte do jogo. São rarissimos os RPGs em que você controla o vilão da historia num momento focado só pra ele. Eu pessoalmente só conhecia dois: Sephiroth e Fou-Lu. Por mais que eu goste deles e tenha sido legal jogar com eles e os entender, nenhum tem a magnitude do desenvolvimento de Oersted aqui: aqui senti na pele do inicio ao fim toda a aflição que ele sofreu, até fiquei triste de verdade vendo isso, quase chorei até. Vi tambem como as pessoas de fato foram horriveis com ele, fazendo sentir odio junto com o protagonista.

    Esse foi o unico momento que me senti na pele de um personagem de video game na vida. Pra mim, é o mais imersivo roleplay que ja vi.

    Sem mais  vou lá finalizar esta obra-prima e ver o final verdadeiro agora.

    17
    • Micro picture
      jcelove · 3 months ago · 3 pontos

      Esse cenario é chocante. Joguei sem saber nada na epoca e foi sinistro, literalmente destroem a jornada do heroi dele. Da pena mas nao justifica. ( ate pq é um final boss chato danado).

      Agora o cenario final é tipo o wold of ruin de ff6 misturado como nowhere de silent hill. É bom dar uma grindada e pegar todos. Ja vi o Manoel falando e reforço o conselho pra catar o Sundown. O boss final é praticamente imune a magias, eu tava com o Akira forte e foi inútil. Vdnci por pouco com kung fu e tiro.hehe

      7 replies
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 3 months ago · 1 ponto

      Eu tive a mesma sensação que você descreveu ao jogar esse capitulo do Oersted, acho que foi um dos arcos mais trágicos que vi em um RPG quiçá nos games em geral. A sacada de você poder finalizar o jogo com o Oersted também é sensacional, é raro um jogo te colocar na pele do vilão e permitir realizar eventos por sua ótica, além do que Odio não é daquele tipo de vilão que faz o mal só por fazer, a perda de fé na humanidade o transformou em um verdadeiro demônio que só buscava a aniquilação de tudo e todos.

      Live a Live é um jogo muito à frente de seu tempo, me surpreendeu muito quando o joguei, coloco fácil entre o melhores títulos que tive a oportunidade de jogar.....é um jogo que mais pessoas deveriam conhecer e jogar, pois ele é bem subestimado.

      3 replies
    • Micro picture
      mastershadow · 3 months ago · 1 ponto

      Acho q terei passar esse game na frente de uns 200 kkkkkkkkk

  • kalini Kalini
    2022-03-20 15:33:59 -0300 Thumb picture
    kalini checked-in:
    Post by kalini: <p>Terminado o ultimo cenario do jogo!</p><p>Situad

    Terminado o ultimo cenario do jogo!

    Situado num futuro distante, Cube é um robozinho feito a imagem e semelhança de seu criador, Kato, a bordo da espaçonave Cogito Ergo Sun, junto do capitão que pilota a nave e de mais 4 passageiros:

    Darth, um veterano de guerra marrento que parece o Rolento do Final Fight/Street Fighter Alpha, odeia robôs e tenta alertar como eles não são confiaveis, e o triangulo amoroso (De novo? Mas o povo ama botar isso em tudo que é história, hein?) Kirk, Huey e Rachel, com direito a briguinhas e implicancias entre os dois caras e tudo.

    Tem um "minigame" por aqui chamado Captain Square, que é nada mais que um simulador de batalhas onde você joga com um super herói e vai lutando contra monstros nas fases que representam os nove (sim, nove) planetas do sistema solar. Mercurio e Venus foram fáceis demais, mas Terra era impossivel, pois tinha um fogo que só levava 1 de dano por qualquer ataque e ainda me petrificava, dando game over no minigame. Só depois descobri que tinha que fazer uma firula deixando o fogo azul te atacar com um campo de agua e fazer o fogo andar por lá pra morrer, mas depois de tanta morte, ja tava de saco cheio e desisti, mas é legal ver o jogo aproveitando muito bem de todas as suas mecânicas e forçando o jogador a pensar, ao contrario de umas certas fantasias finais e seu famigerados ATB.

    Algo de errado acontece no lado de fora da nave e Kirk foi até lá averiguar (levei game over ao abrir as duas portas que levam pra fora, com uma corrente forte puxando Cube pro espaço), mas algo de errado tambem acontece com ele e ele tem seu suporte de vida da roupa de astronauta danificado, causando sua morte...

    Rachel não acredita que Kirk morreu, esecialmente depois de receber uma estranha mensagem "dele" dizendo que ele esta vivo, mas se separou de seu corpo e esta la fora, e que Huey quer mata-la. Ela vai correndo pra abrir a porta da nave, pondo a vida de todos em risco por uma fraude e incapacidade de aceitar a morte do amado, mas é detida e tudo termina bem...

                                                                     O oitavo passageiro.

    SÓ QUE NÃO, pois um Xenomorfo Behemoth do Final Fantasy que era levado como carga é solto por motivos desconhecidos e começa a partir pra cima. E pra piorar, quando a tripulação decide reportar pro capitão toda a situação, descobrem que ele já tinha batido a caçuleta desde o começo e suas mensagens repetidas ao longo da viagem era só uma gravação. Daí fica todo com um clima de Among Us, com a tripulação culpando uns aos outros por tudo que está acontecendo.

                                                      Há um impostor entre nós ...

    Huey é morto pelo Behemoth enquanto defendia Rachel, que estava gravemente ferida, mas é socorrida a tempo, ainda assim um robô identico ao Cube mata ela desativando o suporte de vida. Darth já chega com a maior pose de "eu avisei" e tenta matar os dois Cubes, mas Kato descobre o verdadeiro e o falso é destruido, mas antes dá uma pista do que está acontecendo... é o Odio denovo!

    OD-10, a AI que controla toda a nave, enlouqueceu a lá HAL-9000 de 2001 Uma Odisséia no Espaço, começou a orquestrar uma série de eventos pra acabar com a raça de toda a tripulação, pois queria criar um ambiente de harmonia, o que era impossivel com os humanos brigando entre sí o tempo todo e chegou a conclusão de que os humanos não são confiaveis.

    Depois de dar cabo do PC assassino e do xenomorfo do paraguai, Darth explica que odiava maquinas porque elas mataram seus amigos numa guerra que ele participou, mas depois de refletir que tais máquinas não passam de meras criações humanas, os verdadeiros culpados por certas maquinas serem ruins, e que Cube mostrou que não era como essas maquinas de guerra, sendo um robô que se importa com a vida humana, ele passa a ver as máquinas de forma mais positiva. No final, a Cogito Ergosum chega na Terra, Kato é levado ao hospital e Darth se aposenta do exercito para virar criador de robôs medicos... Fim!

    Por mais que eu curta robôs e sci-fi, eu não esperava muita coisa desse capitulo, pois o protagonista é mudo e ja tava sabendo que era só uma mistura de Alien com 2001 Uma Odisséia no Espaço: um survival com uma AI assassina, mas ao contrario do famigerado filme do Kubrick, eu tive uma magnifica experiencia, quebrei minha cara e vi que foi muito além de um survival, mas uma reflexão de que por mais que a tecnologia pareça nociva na teoria e pratica, ela também é nossa salvação, pois são mero reflexo de seus criadores, que podem ser pessoas boas ou ruins.

    No fim, este acabou sendo meu cenário favorito dentre os cenários disponiveis por padrão no jogo, superando até o do Akira e seu Buriki Daioh. É incrivel como esse jogo me surpreende a cada jogatina. Já esperava que era bom, mas nem tanto assim. Takashi Tokita é um gênio!

    E quando se pensa que tudo acabou, ao retornar pro menu principal, uma surpresa: um novo cenário é desbloqueado. O que será que tem ne? Fica pra próxima .

    19
    • Micro picture
      jcelove · 3 months ago · 2 pontos

      Te falei que o cenario do Cube era massa.
      O do Oersted é uma subversão da jornada do heroi, bem surpreendente tbm.

      1 reply
    • Micro picture
      ersatzgott · 3 months ago · 1 ponto

      Adorei a alfinetada em FF

    • Micro picture
      manoelnsn · 3 months ago · 1 ponto

      Bem, ao menos Final Fantasy - e sua ATB - não precisa fazer um combate capado sem tem healing item pra disfarçar algum tipo de dificuldade, HAUHAUAHUAHAUHAUA

      Aliás, tirando o final boss e os bosses secretos, tudo nesse jogo é bem mamão com açúcar, depois que tu entende o alcance dos golpes dos mestres e tudo o mais. Esse cenário do Cube - o Kirby de óculos e boné - é legalzinho, e a única batalha é motherfucker fácil também.

      O Oersted é o Garland, de FF1, feito direito, além de um jogo que te faz jogar com o vilão feito direito também (não é, BOF IV?). No mais não falta muito pra ti terminar, e quando completar esse capítulo aí já vai se dirigir pra parte final - e terá de escolher seu protagonista, enquanto os outros que tu vai usar pra enfrentar o Odio vão estar espalhados pelo mapa.

      Se gostou do Sundown, escolha ele. Ele é um saco pra recrutar, tu tem que falar com ele várias vezes. Outras escolhas boas são o ninja Oboro, a lutadora de kung fu e o Cube - com esse último sendo o melhor healler do jogo, e tu vai precisar de cura no final boss, se me lembro bem.

      4 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...