This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • darleysantos676 Darley Santos
    2019-09-17 04:49:08 -0300 Thumb picture
    darleysantos676 checked-in:
    Post by darleysantos676: <p><strong>THE SWAPPER</strong></p><p><strong>PSN 1

    THE SWAPPER

    PSN 100% (12/09/2019)

    *

    *

    *

    Um jogo de plataforma e puzzles inteligentes, com uma narrativa instigante de temática científico-espacial. É um interessantíssimo game indie, idealizado e produzido por pouquíssimas pessoas que, a meu ver, são dotadas de mentes habilíssimas, pois conseguem aqui realizar uma congruência singular de elementos tais como ambientação (uma ótima alternância de luz e sombra), trilha sonora, quebra-cabeças e enredo. O game consegue ser bonito, imersivo e profundo em sua ambientação e proposta, ao mesmo tempo em que minimalista e versátil em sua jogabilidade. E prova como é possível se fazer algo novo a partir do que já está estabelecido como paradigma, fórmula ou gênero. Um título único, mesmo! Ainda bem que ele não ficou só para PC e foi lançado para os consoles também.

    Com respeito aos puzzles, confesso que normalmente não sou muito bom de raciocínio, e nesses jogos com esse tipo de desafio, costumo me utilizar da velha e bruta tentativa e erro e também do auxílio da, por vezes iluminada, intuição. No caso, para terminar todos os quebra-cabeças e obter todos os necessários orbs, ficaram faltando resolver uns quatro finais, e diante de uma certa urgência de tempo e com a mente já embaçada, acabei recorrendo a um vídeo do Youtube para ver a solução. Com respeito aos troféus, existem dez terminais escondidos ao longo do mapa, este que pode ser visto como um mundo aberto até, através do qual o jogador pode se deslocar por meio de portais de teletransporte, só consegui encontrar dois, os oito restantes acabei me valendo de vídeo também, e realmente, não são nem um pouco óbvios de serem localizados. Os puzzles são muito prazerosos de serem resolvidos, e depois que finalizei o jogo a primeira vez, e uma segunda para saber o outro final, zerei ele mais umas três vezes só pela boa sensação de recompensa de um speedrun resolutivo de quase duas horas.

    A jogabilidade é focada num dispositivo chamado “swapper” (que dá nome ao título, e que podemos traduzir como “o permutador”), que possui a função de clonagem, capaz de criar até 4 clones funcionais (que agirão de forma sincronizada com o corpo-matriz, no caso o nosso astronauta), além também da função de transferência de consciência entre esses corpos, podendo o personagem optar pelo corpo final que desejar, conforme a conveniência da situação-desafio. Os clones se desfazem quando são tocados pelo corpo-matriz, isto é, o corpo que está possuindo a consciência ou “alma”. Cada sala que guarda os orbs que o jogador deve coletar possui características que limitam ou condicionam o uso do dispositivo swapper, e essas características são os botões de pressão no chão ou teto, a inversão de gravidade, e a propagação dos espectros visíveis de cor vermelha, azul e rosa cuja radiação restringe, respectivamente, a transferência de consciência, a replicação de cópias/clones, e por fim a total inibição do dispositivo. Os puzzles tanto mais aumentam de complexidade/dificuldade quanto mais essas condicionantes ou variáveis se combinam num mesmo puzzle, conferindo dinâmicas diferentes. É um daqueles jogos onde, como li em um lugar, “os puzzles apenas somam-se a experiência de contar e avançar em uma história; não é um game que funciona pelos puzzles, mas os puzzles que funcionam pelo game”.

    Desde a primeira vez que joguei, fiquei tentando conectar as informações dadas pelo game (a partir do meu rudimentar entendimento de inglês) através dos terminais (registros e diários, os “logs”, e também as informações obtidas nos terminais secretos), dos diálogos (ora com outra personagem astronauta, ora entre as vozes de outras pessoas) e das telepatias (os pensamento das “watchers”, as rochas “vivas”). Mas acabei fazendo uma ideia não muito esclarecida dos eventos do game, então fui pesquisar na internet e encontrei vários reviews, de sites grandes e pequenos, de jogadores que também se encantaram pelo game. E realmente, o enredo é instigante e tem mérito em problematizar conceitos metafísicos como alma, identidade, consciência, e o quanto a realidade física/material/cósmica, estudada pela ciência, pode corresponder a essas supostas realidades – o que é o pensamento senão meros impulsos eletro-químicos? Ou o escopo é mais abrangente que a realidade orgânica? A mente é algo que não se limita ao cérebro? E o que são as tais “cadeias mentais” de que insistem em falar as formas aliens de vida pesquisadas, as “watchers”? A destruição é mera transformação advinda da desconexão de uma cadeia de existência, sendo a desconexão tão somente uma “escassez de conhecimento”? Um clone é só um clone? O jogo faz jus à ambientação de seara científica quando envereda por conceitos da física, filosofia, psicologia e ética.

    O jogo se passa num futuro longínquo em que após os recursos naturais da Terra terem se esgotado, a humanidade criou sete estações de pesquisa e colonização para coleta e extração de recursos em lugares distantes do universo. O jogo se passa numa dessas estações de pesquisa, denominada de Theseus, que está em órbita do planeta Chori V, onde os pesquisadores passaram a estudar rochas que manifestam atividade eletroquímica e alguma forma de inteligência. De alguma forma, as coisas começaram a desandar – na verdade, as tais rochas parecem ser bem mais inteligentes do que parecem, e trazem consigo uma forma de vida mortal para os humanos, e nesse curso a estação de pesquisa acaba se tornando um lugar deserto e com uma série de mal-funcionamentos. Devemos descobrir o que aconteceu com os pesquisadores e por que a estação se encontra naquele estado. Mas para todas as questões levantadas pelo jogo - desde sobre quem é o personagem principal, passando pelos eventos dentro da estação, até as definições dos conceitos metafísicos - o mistério permanece até o fim.

    *

    *

    *

    @platinadores

    20
  • 2018-07-02 13:17:30 -0300 Thumb picture
    18
    • Micro picture
      gustavobiazoli · almost 3 years ago · 1 ponto

      Pra não dizer que fiquei sem jogar nada nessa semana, ontem joguei Fortnite pela primeira vez (depois de meses instalado no console). Infelizmente ganhei nada de conquista...

      1 reply
  • fernandorj85 Fernando Junior
    2017-11-30 23:58:24 -0200 Thumb picture
    fernandorj85 checked-in:
    Post by fernandorj85: <p>Mais um game 100% completo, mais 1000G na conta!

    Mais um game 100% completo, mais 1000G na conta!

    Jogo bem chato, só joguei mesmo para fazer as conquistas, e só usando um guia, os terminais são bem escondidos!

    2
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2017-10-05 20:44:35 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>E foi!&nbsp;</p><p>#img#[480531]</p><p>Excelente

    E foi! 

    Excelente jogo. Recomendo. 

    19
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2017-10-05 13:06:52 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>Demorei mais do que esperava pra passar de algun

    Demorei mais do que esperava pra passar de alguns quebra-cabeças, o que torna mais gratificante passar deles.

    21
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2017-10-04 21:58:14 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>Eu tinha um certo preconceito com esse jogo, mas

    Eu tinha um certo preconceito com esse jogo, mas depois de começar aqui, até que está bacana. 

    Tem uns puzzles até interessantes.

    13
    • Micro picture
      kevinryman · over 3 years ago · 2 pontos

      Recomendo bastante: unmechanical. Mais ou menos no mesmo naipe desse em relação a puzzles e ambientação. Depois se estiver com tempo, veja uns gameplays, pra ver o que acha... ^^

  • marviiu Marvio Leite
    2017-09-16 23:55:07 -0300 Thumb picture
    marviiu checked-in:
    Post by marviiu: <p><strong>100% Finalizado</strong></p><p>Engraçado

    100% Finalizado

    Engraçado como uma proposta de jogabilidade acaba sobressaindo sobre um enredo interessante. Se o jogo não fosse tão focado nos puzzles, e a história tivesse sido contada durante todo o trajeto a impressão poderia ser outra. Se você realmente gosta de quebra cabeças, eis um bom entretenimento para você. Eu usei walkthrough, e mesmo assim muitas vezes ficava meio travado em certas partes. Os troféus aqui, são relacionados somente a coletáveis, e eu diria que são impossíveis de encontrar todos sem um guia. O jogo tem várias mensagens existenciais, afinal estamos lidando com clones e a existência do ser em si, mas como os puzzles são tão complexos, acho que você acabará esquecendo desses insights durante o gameplay. Só o final que é um pouquinho explode cabeças, dependendo da escolha que você fizer.

    39
    • Micro picture
      matcafe · over 3 years ago · 1 ponto

      O foda q eu zerei o jogo sem ganhar uma conquista pq todas as conquistas do jogo é achar itens escondidos kkkk

    • Micro picture
      lleogame · over 3 years ago · 1 ponto

      Alguém vai ultrapassar alguém...

      6 replies
    • Micro picture
      jhunvallim · over 3 years ago · 1 ponto

      "e eu diria que são impossíveis de encontrar todos sem um guia"

      Essa foi a coisa que mais me frustrou nesse game. Normalmente eu gosto de fazer um primeiro gameplay sem olhar nenhum guia mas eu li que esse era impossível. De toda forma, o game é muito maneiro. Me faltam 4 troféus para os 100%.

  • cassio_becker_5 Cassio Becker
    2017-09-06 09:53:27 -0300 Thumb picture

    The Swapper

    The Swapper é um dos melhores jogos que já joguei na vida.

    Jogo excepcional com uma atmosfera densa e perturbadora onde a sensação de isolação é contínua. Para quem curte jogos de plataforma onde tem que quebrar a cabeça para desvendar uma série de puzzles é um prato cheio, jogabilidade ótima, fácil de aprender e sem mistérios. O jogo te prende do começo ao fim devido a sua história complexa, cheia de enigmas e ainda possui um mapa de fácil acesso, o que promove a exploração. Recomendadíssimo!

    1
  • le Leandro Santos
    2017-04-15 23:04:32 -0300 Thumb picture
    le checked-in:
    Post by le: <p>Cinco minutos, e desinstalado.</p><p>Mais do que

    Cinco minutos, e desinstalado.

    Mais do que suficiente pra ver que realmente não é do tipo de jogo que me agrada.

    Acho que o meu limite de tolerância pra puzzles é Trine.

    10
    • Micro picture
      tiagotrigger · about 4 years ago · 2 pontos

      Esse ai é cheio de puzzle mesmo.
      Quem cadastrou aqui na Alva e colocou "action" no lugar de "puzzle" é porque não jogou mesmo.

      1 reply
    • Micro picture
      jcelove · about 4 years ago · 1 ponto

      Odeio puzzlesU_U

    • Micro picture
      rodrigocaldas1993 · about 4 years ago · 1 ponto

      Também não gosto de jogos assim, sou péssimo com lógica, jogar puzzles pra mim é sinônimo de passar raiva.

      1 reply
  • gregalexander00 alexander
    2017-04-07 21:02:46 -0300 Thumb picture
    gregalexander00 checked-in:
    Post by gregalexander00: <p>Terminei o jogo e caramba, alguém que tenha zera

    Terminei o jogo e caramba, alguém que tenha zerado qual foi sua escolha no final? Decidiu ficar no planeta ou ocupou a mente do outro cara?

    Eu escolhi a segunda opção... 

    3
    • Micro picture
      marviiu · over 3 years ago · 1 ponto

      Eu também escolhi a segunda opção. Meio que nem pensei direito, simplesmente mirei e cliquei o botão. rsrsrs Depois que vi as consequências dos meus atos. rsrs

      1 reply

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...