This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • deadmemories25 Marcello Antunes
    2021-06-17 18:25:20 -0300 Thumb picture
    deadmemories25 checked-in:
    Post by deadmemories25: <p>#img#[779313]</p><p><strong>122</strong><strong

    122ª Platina: Detroit Become Human (10/11/2020) 

    Mais um excelente jogo da Quantic Dream. Você joga sob a perspectiva de 3 personagens diferentes e ao longo do jogo suas histórias ficam entrelaçadas. Caso morra com um personagem muito cedo, é possível encurtar a jogatina decorrente a isso. O jogo possui diversos finais diferentes, eu curti o visual, as QTEs, as escolhas feitas possuem um peso grande e altera bem o fluxo da história, ele faz você refletir sobre algumas questões sociais.

    @platinadores

    Dificuldade da Platina: 66

    11
  • lucas_okita Lucas Santana
    2021-03-24 17:48:25 -0300 Thumb picture
    lucas_okita checked-in:
    Post by lucas_okita: <p>Fechado, achei legal. Kara morreu no final junto

    Fechado, achei legal. Kara morreu no final junto com a família dela :/

    8
    • Micro picture
      cris_ds · 3 months ago · 1 ponto

      Salvei ela, mas foi a parte mais tensa do jogo >_<

      1 reply
  • lucas_okita Lucas Santana
    2021-03-21 10:09:47 -0300 Thumb picture
    lucas_okita checked-in:
    Post by lucas_okita: <p>Tô cena de ação meu Connor morre, já é a terceir

    Tô cena de ação meu Connor morre, já é a terceira vez KkKkk mas dessa vez o Hank sentiu a morte hehe

    9
    • Micro picture
      cris_ds · 3 months ago · 1 ponto

      Terminei o game sem nenhuma morte dos protagonistas, mas é sofrido rs, principalmente no final (ainda mais pra rota que meu final foi...)

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2021-01-28 22:21:37 -0200 Thumb picture

    Jogo finalizado #275 – Detroit: Become Human (PS4)

    #2º em 2021

    O que nos faz seres humanos? O que distingue nossa consciência natural da digital? Detroit busca discutir essas questões e muitas outras em uma complexa trama repartida em três perspectivas interessantes que eventualmente acabam se entrelaçando. Jogo engenhoso, cheio de escolhas que levam a caminhos completamente diferentes, coloca outros produtos do gênero – como os títulos da Telltale e da Dontnod – no bolso.

    Gostei bastante da minha primeira jornada nessa história levemente futurista. Creio que meu final foi muito satisfatório, sendo por pouco bom em completude. A jogabilidade talvez seja meio robótica (olha só o que eu fiz) e me dá certo nervo não poder andar mais rápido ou correr em determinadas partes, mas é compreensível: ninguém na vida real fica correndo o tempo todo e o jogo preza demais pelo realismo. Outra coisa que me tira um pouco do sério são os QTEs com movimentos do controle e do touchpad, sei lá, dá o maior erro de errar e é pouco intuitivo... Porém a maioria é feita com botões convencionais e o analógico então beleza. Nisso eu fiquei surpreendido: o jogo entrega MUITA tensão, porque não queria perder nenhum personagem e tendo morte permanente (tirando o Connor), a mão até sua kkk

    Os gráficos são bem bonitos, mesmo jogando no PS4 base – porém aqui certos detalhes de fundo ficam embaçados. A modelagem dos personagens e a animações de tudo praticamente são execpionais. Trilha sonora é bem competente, apesar de não ter uma música tão marcante assim. Gostei bem mais desse jogo do que de Beyond Two Souls, também da Quantic Dream, mas acho Heavy Rain melhor.

    A história então, nem se fala, junta momentos fortes como um pai abusivo maltratando sua filha, campos de concentração terríveis, seres humanos sendo ótimos em segregar àquilo que não entende, etc. Um dia rejogarei para buscar a platina e ver outras ramificações da história, jogando nessa primeira jornada fiz conforme agiria na vida real, e fiquei satisfeito com meu final (com exceção de um ponto que falarei mais abaixo). Tem fortes alusões a acontecimentos marcantes da humanidade do século XX e XXI, como o antissemitismo, a segregação racial nos EUA, a guerra fria, discussões sobre inteligência artificial e muito mais. Porém alguns desenvolvimentos são levemente clichês, e achei a história da Kara um pouco apequenada em relação à narrativa dos outros dois protagonstas.

    Agora vale um aviso de SPOILERS:

    Minhas escolhas levaram a um final em que os androides são reconhecidos como seres pensantes, mas não sem antes sofrer muito nas mãos dos humanos. No geral, ficou assim:

    - Guiei meu Markus para ser o líder do grupo Jericho agindo sempre de forma pacífica, desde o princípio optando por manifestações não violentas, focando no discurso, jargões e passeatas. O símbolo escolhido por mim foi um punho robótico erguido, e a multidão clamava por liberdade, igualdade e reconhecimento de seus direitos civis. Todos os principais integrantes do grupo ficaram vivos ao final, sendo Josh e Simon como seus companheiros e North sua amante. No momento derradeiro, após Jericho ser atacada, Markus fez uma caminhada pacifica até o local do infame campo de concentração em que os androides estavam aprisionados e resolvi fazê-los sentar como protesto. Alguns androides foram mortos pelo exército, mas devido a atenção da mídia e a boa opinião pública sobre a revolta dos androides, foram obrigados a parar. Após a negociação do agente do FBI com Markus – que claramente não traiu seu povo – os militares atacaram e matar grande parte dos robôs que estavam protestando ali, porém no momento final, escolhi para que Markus beijasse North, o que fez os guardas recuarem e até mesmo a presidente dos EUA empatiza com a situação e cancelar o ataque. Foi com essa demonstração de humanidade que os androides conseguiram sua liberdade, e a presidente Warren fez um discurso reconhecendo-os como seres de inteligência e deixando-os livres. Essa parte da narrativa acabou com Markus dando um vitorioso discurso para uma multidão de androides que recuperaram dos campos de concentração somados aos androides que Connor trouxe da central da Cyberlife. Agora eram livre, o sacrifício de centenas serviram para o bem de milhares. Markus é o líder desse povo.

    - Já Connor foi uma curiosa jornada de autoconhecimento. Durante o decorrer de sua história eu tentei sempre cumprir sua tão comentada missão, porém também quis que Hank virasse seu parceiro, e isso foi posto em prova quando Connor teve que escolher matar ou não a belíssima android Chloe. Escolhi não matar, o que fez Hank reconhecer o engomadinho como um ser passível de empatia e humanidade. Isso se encaminhou para Connor virar um deviante quando fica face a face com Markus dentro do navio Jericho. Portanto, meu Connor ajudou a revolução dos androides e foi até a base da Cyberlife para libertar milhares de novos androides. Porém foi nesse ponto que o pior me aconteceu: quando aparece o outro Connor e faz Hank de refém, eu escolhi salvá-lo, porém na hora de efetuar a ação escolhi o botão errado oque levou à trágica morte de Hank. Por apertar um botão errado! Fazer o que, nem tudo foi perfeito no meu final...

    - Com Kara creio que segui um direcionamento bem diferente da maioria das pessoas ao chegar na reta final. Durante toda a jogatina fiz o máximo que pude para proteger Alice e fui bem sucedido nisso. Matei o “pai” dela SIM, tentei roubar o mercadinho SIM, acabei dormindo em casa de indigente SIM, mas tudo corria bem. A fuga delas de Connor foi excepcional, consegui fugir pela autoestrada sem danos quaisquer. A cena na casa do maluco que traficava deviantes foi tensa, pelo menos Luther ajudou Kara e Alice e assim prosseguiram juntos para fugir dessa situação. Ficaram refugiados no parque de diversão, onde teve a bela cena com Alice no carrossel, e depois na casa de Rose, mulher que ajuda androides a chegar na fronteira dos EUA e Canadá. Chegando em Jericho, foi surpreende saber que Alice na realidade é uma androide, e Luther é preciso em dizer que o amor que ambas tinham entre si fazia a vida ter sentido. Porém durante a invasão desse navio, Kara e Alice são capturadas (outro erro de botão meu, fez elas se renderem) e são levadas para um campo de concentração em que milhares de robôs estavam sendo destruídos. Pude ver que menos de 10% das pessoas que jogaram foram por esse caminho com Kara. Achando que tudo estava perdido, me surpreendi que no campo pude me reunir com Luther e Alice, além de contar com a ajuda de Ralph e os Jerry para distrair os guardas e possibilitar a fuga desse campo! Os três fugiram dentro de um caminhão que levava vários “corpos” de androides para o lixão. Meu jogo acabou com a cena final de Kara, Alice e Luther se abraçando, sem pele, no lixão. SIM, é possível acabar com um final feliz que não seja com os três indo embora para o Canadá! Aliás, foi uma opção bem rara, a porcentagem mundial era bem baixa, se não me engano 4% das pessoas tiveram esse final.

    Enfim, achei meu final bom, só faltou mesmo o Hank sobreviver para viver em parceria com o Connor :/ mais triste ainda saber que deixei morrer por errar o botão a ser apertado kkkk Aliás, com ele vivo eu ganharia o troféu de terminar com todos personagens vivos u.u

    Experiência cinematográfica incrível. Fator replay estratosférico. Visualmente impecável. Movimentação levemente ultrapassada. História forte, mas levemente clichê.

    4,5/5 estrelas

    9
  • dudahatesu duda
    2021-01-11 21:03:01 -0200 Thumb picture
    dudahatesu checked-in:
    Post by dudahatesu: <p>#img#[755579]</p><p>''eu estava obcecada, passav

    ''eu estava obcecada, passava 80% do meu tempo falando sobre detroit e nos outros 20% eu torcia pra que alguém falasse sobre pra eu poder falar mais'' 

    Terminei em umas 10 horas seguidas porque simplesmente não conseguia parar! Que jogo incrível, incrível, foi uma experiência maravilhosa.  Infelizmente meu final não foi o dos mais felizes mas compensou por tudo que passei pra chegar até lá. Com certeza jogarei novamente pra dar um final feliz pra todos os personagens. Será esse meu novo jogo favorito??? O que fazer quando você se apaixona por um android????

    22
    • Micro picture
      bobramber · 5 months ago · 2 pontos

      Kkkk... Minha esposa, que não eh muito de jogo, ficou apaixonada quando viu a gameplay. Parece que esse tem um afago especial pela mulherada mesmo

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 5 months ago · 2 pontos

      Viciante mesmo MAS, ainda assim... prefiro HEAVY RAIN

      2 replies
    • Micro picture
      cukierti · 5 months ago · 2 pontos

      Mesmo sendo o primeiro jogo que minha namorada jogou no PC adorou e viciou. Deu gosto ficar só de co-piloto :D

  • rafael_mingato Rafael Mingato
    2020-12-14 15:53:12 -0200 Thumb picture
  • clovisalmeida Clóvis Almeida
    2020-11-30 17:19:43 -0200 Thumb picture
    clovisalmeida checked-in:
    Post by clovisalmeida: <p>Satisfatório fazer a platina de Detroit Become H

    Satisfatório fazer a platina de Detroit Become Human e ver as varias ramificações criadas para esta incrível história. A Quantic Dream faz escola no gênero. 

    9
  • cris_ds Cris DS
    2020-11-24 11:50:04 -0200 Thumb picture
    cris_ds checked-in:
    Post by cris_ds: <p>Jogado, zerado e...caramba, muito bom.<br><br>Te

    Jogado, zerado e...caramba, muito bom.

    Tenho um certo problemas com os jogos da Quantic Dreams, no PS2 zerei o Fahrenheit: Indigo Prophecy e curti muito, mas agora no ps4 finalmente fui jogar os dois remasters dos jogos deles que saíram pro PS3 e não só não tinha curtido como detestei, então quando fui jogar esse comecei bem receoso, mas felizmente me surpreendeu com uma excelente história.
    Acho que de único problema (que aliás é recorrente dos jogos deles) é a jogabilidade que muitas vezes não ajuda, e no caso desse aqui uma coisa que irrita é o fato de que em praticamente 90% do jogo os personagem andam lentamente, sem opção de correr.
    Mas no geral foi um excelente jogo. Consegui fazer o final bom (todos viveram), mas por uns erros fiz a parte final da Kara e Alice ser o mais sofrido possível (foi tenso)

    10
  • srnicko012 SrNick012
    2020-11-04 23:32:33 -0200 Thumb picture
    srnicko012 checked-in:
    Post by srnicko012: <p><strong>Platina #129 - Detroit: Become Human</st

    Platina #129 - Detroit: Become Human

    Desde que terminei Heavy Rain sempre quis conferir os demais jogos da Quantic Dream, a forma de apresentar esse universo onde determinamos o destino de cada personagem de diversas formas diferentes é simplesmente sensacional

    Sei que esse estilo não é pra todos mas eu curto bastante ainda mais pra relaxar, faz tempo que adquiri esse jogo e até já havia feito um final sem me atentar a conquistas anteriormente, e também já havia visto outras pessoas jogarem em rotas diferentes

    depois de tanto tempo resolvi voltar e revisitar esse game, dar um descanso pra mim mesmo, fui atrás do final perfeito, algumas conquistas de feitos específicos e as revistinhas (o coletável do game)

    a experiência por ter feito o final perfeito foi incrível mas depois que fui revisitando e alterando as rotas fui percebendo como a historia foi ficando bem fraquinha e sem graça, alguns finais são absurdamente frustrantes onde vemos todo nosso suado trabalho indo por agua abaixo

    enfim, num todo a experiência ainda é valida e foi divertido platinar ele, esse já é o segundo jogo da Quantic que eu finalizo, ainda quero conferir o Beyond Two Souls algum dia...

    @platinadores

    19
    • Micro picture
      mateusfv · 8 months ago · 1 ponto

      Heavy Rain tbm é meio ruim de jogar de volta depois que acaba, pq muita coisa n vai fazer sentido por conta de um personagem que vc joga, oque vc acaba fazendo provavelmente vai ser contraditório ao personagem :v

  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2020-09-13 23:52:26 -0300 Thumb picture

    DETROIT ⛪🌆🤖

    TROFÉU CONQUISTADO 🏆: ESSA É MINHA HISTÓRIA

    Game zerado, e ao contrário de SPIDERMAN, só tenho mais essas fotos pra compartilhar e limpar HD.

    Viu? Não sou só eu que mostra peitinhos...😎

    Dizem que o cão se assemelha ao dono. Conheça SUMO, o cão do tenente: bruto, forte, intimidador sendo seu exterior doce, leal, nobre...

    O criador "dessa porra toda" ...🤗

    DETROIT BECOME HUMAN é um INTERACTIVE DRAMA que leva "a assinatura" da famosa QUANTIC DREAM e também da direção e roteiro do célebre DAVID CAGE (Heavy Rain, Beyond Two Souls...).

    O jogo é o lançamento de maior sucesso da Quantic Dream, com vendas superiores a 3 milhões... Curti, mas eu ainda apreciei mais o HEAVY RAIN.

    31

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...