This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • diogo_paixao Diogo Louzada Paixão
    2022-12-13 13:13:32 -0200 Thumb picture
    Post by diogo_paixao: Não li ainda inteira porque to no meio do trabalho,

    Não li ainda inteira porque to no meio do trabalho, mas já posto pra não esquecer e depois eu comento.

    Mas nunca esqueço que somos homens de cultura por gostar de Ar Tonelico 2

    Uma música para os ouvidos

    Review by: @manoelnsn

    2007. O PlayStation 3 já estava no mercado, porém seu irmão mais velho, o PlayStation 2, o console mais vendido do ...

    Keep Reading →
    11
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 months ago · 2 pontos

      Por mais indivíduos eruditos como nós 🧐

  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-12-10 16:20:35 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>E com pouco mais de 48 horas, Ar Tonelico 2 foi

    E com pouco mais de 48 horas, Ar Tonelico 2 foi finalizado... Pela terceira vez, ahuahua

    Completei a cosmosphere da Jakuri/Mir e liberei o final dela, que é disparado o mais legal do jogo inteiro, já que tem um dueto própria só pra ele, que é o The Heart Speaks...

    A Cloche e a Luca terminaram na friendzone, e ficaram juntas governando Metafalica...

    E a Cocona vai pro novo mundo de aventuras dela, ir entregar o Heart of The Land pra Harvestasha, naquele jogo de merda que é o Ar Tonelico3, ficar vestida de guri skatista e ser prêmio de consolação pro protagonista se ele não tiver pego ninguém...

    O final boss, tadinhas da Infel com a Nenesha, dava pra ter matado elas bem cedo, mas fiz questão de usar a magia Ar Tonelico da Jakuri no talo pra finalizar ambas com estilo, ahuahua

    Bem, como eu já havia dito antes, sem muitas surpresas aqui, o jogo é exatamente como eu me lembrava, dono de um dos lores mais incríveis que eu já vi num RPG japa, com uma boa party, uma interação com os personagens (mais precisamente com as Reyvateils) absurda, o sistema de cosmospheres espetacular, a trilha sonora soberba, a história funcional, o sistema de combate bem único e excelentes gráficos com sprites, algo bem raro de ver no PS2, onde tudo tava indo pra 3D...

    E animações muito boas também, lembro do meu PS2 urrar pra rodar esse jogo, de tanto sprite/efeito/animação acontecendo no meio da batalha

    De defeitos é o que eu me lembro mesmo: o jogo é fácil demais (tem um modo hard nesse mod do project metafalica, mas não dá pra levar ele em consideração em uma análise do jogo no geral) e também a localização ruim que cortou vozes (pra adicionar o voice action gringo) e também traduziu muita coisa mal (outra coisa que o mod resolve, mas no original ainda está lá) então sim, ele continua o meu RPG preferido do PS2. 

    É uma pena que muita gente tenha certa aversão pela série por causa da parte harem, ou das piadas de duplo sentido, porque caso contrário poderiam ver as pérolas que esses jogos são, tanto o primeiro e principalmente esse segundo (o terceiro, infelizmente, não). Enfim, agora amanhã eu refaço a review dele, e depois bora adentrar nos RPGs ocidentais novamente... Ou será que não?

    19
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-12-10 09:43:39 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Passando as 45 horas!</p><p>#img#[852597]</p><p>

    Passando as 45 horas!

    Enquanto o Brasil perdia pra Croácia, eu peguei pra adiantar meu save do Tonelico 2, e já cheguei nas portas do final boss até, é só passar e derrotar ele, o que é bem fácil até. Só não o fiz ainda porque tenho que terminar a Cosmosphere da Jakuri, e pra conseguir uma única conversa com ela, tive que recrutar 80 gurias pro fã clube da Cloche!

    Esse vídeo minimizado no canto é a série da Flordelis que saiu no HBO, que estava vendo enquanto grindava as IPDs, já que alémd e tu derrotar elas em combate tu tem que curá-las com terapia e fazer certas coisas pra que elas entrem no fã clube, como derrotar certos tipos específicos de inimigos

    Das duas primeiras vezes que zerei esse game usei detonado, então fui pelo caminho mais fácil pra conseguir os diálogos necessários com ela (que são 5), e não tive esse problema, mas como evito de usar FAQs hoje em dia, acabei indo pelo caminho mais difícil... Mas quem disse que pra tu dar uns pegas no final boss seria fácil? 

    E agora também liberou a cosmosphere da Frelia, que não é bem uma cosmosphere, e sim uma história maluca que a Jakuri bolou usando o Binary Field dela, igual tem a da Shurelia no primeiro Tonelico. São 5 capítulos de pura maluquice, uma trama policial que ocorre na cidade de Wackyabara, com direito à participação das 3 gurias do jogo passado no papel de vilãs, além de várias magias exclusivas pra Jakuri, como uma onde ela zoa a Shurelia, invocando uma guria idêntica à ela que fica escorregando e batendo com a cara no chão, ahuahauha

    Meu objetivo é terminar hoje, e acredito que eu consiga, se não tiver nenhuma eventualidade aqui em casa. No geral a experiência tá sendo igual à que eu tive em Xenoblade Chronicles: o jogo continua tão bom quanto eu me lembrava, só que agora consigo ver com mais clareza o que torna ele tão legal, o que dará pra fazer uma review melhor, creio eu.

    15
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-12-06 08:02:47 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Agora sim, passando as 30 horas!</p><p>#img#[852

    Agora sim, passando as 30 horas!

    E bastante coisa aconteceu, com a principal sendo na infelsphere, o lugar onde a Cloche e a Luca tinham que se virar pra se entender melhor e cantar o raio da Metafalica antes que aquele continente fosse pro vinagre. Ali foi criado todo um ambiente pra uma entender o lado da outra, já que ambas se odiaram à primeira vista (seja por causa do protagonista e de vários outros pontos) e no decorrer dos níveis do lugar parecia que a coisa tava caminhando bem, mas num dos últimos níveis a Cloche começa a falar um monte de coisa pra Luca (se tiver escohido a rota da Luca vai ser o contrário) e a coisa azeda de vez!

    E aí volta toda aquela treta de "tu é uma dondoca e não entende os problemas da ralé, burguesa safada" e "tu pode fazer o que quiser da sua vida e eu tenho que controlar as massas falando mentiras, vá pro caralho", porém ainda faltava uma revelação a ser feita no lugar, sendo relacionada a um dos principais motivos da treta entre ambas: a Luca culpava a Cloche pela morte de sua irmã amis nova, a Reika, separada dela pelo governo quando esta só tinha 3 anos de idade, e bem no começo do jogo dá a entender que a Reika tinha morrido, mas na verdade...

    A Reika era a Cloche! A irmã que a Luca procurava estava junto dela há um tempão, e a Cloche, que sempre se sentiu solitária, sempre teve alguém procurando por ela. Claro que isso foi um plot twist enorme pras duas, porém nem bem tiveram tempo de digerir bem isso e a mãe da Luca (e da Cloche também), a Reisha, morre...

    Mas mesmo assim, ambas ainda se mantêm firmes em conseguir cantar Metafalica, e voltam pra Infelspshere, contudo começam a surgir as capirotagens da Infel, que estava dentro da mente da Cloche todo esse tempo. Ela mesmo diz pra loirinha que cantar Metafalica é impossível, já que ela precisaria de pelo menos umas 1000 pessoas cantando junto com ela, e o povão no geral nunca iria concordar com uma dondoca como ela... Mas a Infel não sabia que a Cloche tinha +10 em speech, e a Luca era boa em lidar com o povão, então isso não seria muito difícil, no fim das contas.

    Essa parte do jogo é boa demais, tu vê o development das duas gurias, a Cloche fazendo um discurso pedindo desculpas pra população, a Luca admitindo que era uma péssima filha (devia ter feito isso antes da mãe morrer, mas beleza), e também temos ótimas músicas nessa parte, como a Hartes ciel, melenas walasye, cuja letra representa muito bem a personagem nesse momento...

    Depois disso aconteceram mais algumas coisinhas e agora o grupo tem que descartar boa parte de Metafalls para que a deusa Frelia tenha poder pra fazer a Torre dali aparecer, para que possam subir nela e finalmente cantar Metafalica. Acredito que não falte muito pra acabar agora, até poderia terminar bem rápido, mas antes bora fazer a Cosmosphere da Jakuri, e outra Cosmosphere maluca que vai aparecer agora mesmo, com direito até as gurias do jogo passado fazendo um cammeozinho.

    Por hora nenhuma novidade com esse Tonelico aqui, porém é bem legal rever esse jogo que eu já joguei em outros dois momentos espaçados da minha humilde existência, e que continua sendo tão legal quanto antes. Cadê um port disso pra plataformas modernas, Gust?

    13
    • Micro picture
      ersatzgott · 2 months ago · 2 pontos

      Não joguei a série, mas sobre isso do port... Preferiria que a Gust localizasse Ciel Nosurge pro Ar Nosurge fazer sentido no ocidente

      7 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-12-04 09:46:14 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Chegando nas 24 horas!</p><p>#img#[851981]</p><p

    Chegando nas 24 horas!

    E aconteceu bastante coisa na história, eles descobriram que a deusa Frelia estava entubada dentro da torre e a Sacred Army queria usá-la pra fazer um paraíso onde todas as pessoas teriam suas consciências chafrundadas dentro da Infel Pira (um satélite em órbita), e assim não precisariam mais sofrer, ver entes queridos morrerem e nem sequer se relacionar com outros, tudo na eterna felicidade, me lembrando até aqueles finais de Nocturne...

    Sim, tá com cara de final boss isso daí... Mas ainda é pouco mais da metade do jogo, e tu consegue impedir os caras, com a ajuda da Cocona e da Cloche, que canta uma música lá que restaura o backup que já tinha ido pra nuvem...

    Depois disso o príncipe lá que tava organizando a porra toda, o Targana, vira empregado da Cloche e da Luca, e elas partem pra impedir que parte do continente vá pro caralho, já que tudo tá começando a desmoronar. Nesse meio tempo já tivemos alguns foreshadowings de que alguma coisa cabeluda está acontecendo, e que aquela dona na cosmosphere da Cloche, a Infel, tem culpa no cartório.

    O jogo revela que as IPD, as Reyvateils piradas na linguiça, não têm Mind Guardian, então o Croix já começa a suspeitar da Infel, mas ela continua mantendo segredo, porém afirma que não vai fazer mal à Cloche, e ele deixa por isso mesmo. Não que eles pudessem fazer alguma coisa pra tirá-la dali, se ele alertasse a galera que tem uma dona de óculos que era pra ter morrido há séculos na mente da loirinha tsundere...

    Depois eu cheguei no 5º nível da cosmosphere da Cloche, onde ela pergunta se tu quer continuar e ir pro ending dela  ou se quer ficar na friendzone. Como vou pegar o final da Jakuri, deixei ela no vácuo, mas já fiz um backup no cartão de memória pra terminar a cosmosphere dela depois. Ela e a Luca só precisam de 3 talk topics pra liberar o próximo nível da mente delas, enquanto a da Jakuri são 4 (o que faz sentido, já que ela era o final boss e queria destruir a humanidade no jogo passado).

    E as indiretas que a Jakuri dá nos personagens do jogo antigo, especialmente no Lyner e na Shurelia, continuam. Por isso que é interessante jogar o Tonelico 1 antes de vir pra esse, senão tu fica boiando nessas referências, tipo quando ela cria uma magia de uma guria de cabelo branco tropeçando só pra zoar a Shurelia, ahuahauhauhaua

    Enfim, hoje devo conseguir passar as 30 horas, e estourando fds que vem devo terminar (novamente) esse tonelico 2. Dessa vez sem grandes surpresas, exceto a parte onde o Croix confronta a Infel na cosmosphere da Cloche, que eu realmente não lembrava (provavelmente eu já tinha entrado na friendzone com ela no momento, e perdi esse lance).

    Essa do Lyner foi ótima, não faz o menor sentido mesmo ele esquecer que a Misha existia, pior que o jogo lá não dá nem uma desculpa pra isso, mas ao menos deu pra Jakuri tirar sarro disso, ahuahauhaua

    19
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-12-02 18:54:37 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Chegando nas 16 horas!</p><p>#img#[851717]</p><p

    Chegando nas 16 horas!

    Depois de avançar na infelsphere com a Luca, onde tu passava alguns eventos do passado da Cloche (se tu escolher a Luca os papeis trocam de lugar), finalmente cheguei no artefato que continha a alma da tsundere, mas a Jakuri aparece do nada e rouba ele, dizendo que aquilo seria útil pros seus planos...

    E aí lá vai o grupo atrás da Jakuri, e chegam a encurralar ela num lugar lá, porém quando chegam nela, a dona simplesmente entrega o cristal de bom grado, já que ele aparentemente não ia servir pros seus planos...

    E depois ela acaba entrando pra party, já que o Croix vê que ela sabe de muita coisa, e que ambos podem se ajudar. Aí a Jakuri explica que na situação atual, a Luca e a Cloche, as duas maidens da lenda, nunca conseguiram criar a terra prometida de Metafalica, porque o povo também precisaria estar em sincronia quando elas estivessem cantando e o lugar tá tipo o Brasil pré eleições 2022: uma zona do caralho.

    E com a Jakuri na party, os diálogos do jogo sobem de nível, já que ela sempre acrescenta alguma coisa com relação ao lore daquele mundo, além de dar indiretas pra Shurelia, a administradora da torre do primeiro jogo - e que selou ela no passado, tipo essa, onde ela chama a Shurelia de uma deusa não confiável, ahuahua

    Depois a Cloche finalmente volta pra party, e até me deu curiosidade de ver a rota da Luca também (e como são muitos diálogos, ver no youtube não é uma tarefa muito agradável), porém com a Jakuri na party fica difícil tu animar de rejogar essa parte de imediato, já que as conversas dela são ótimas, especialmente com a Spica, que é uma ara ara do primeiro jogo, que vendia kitty candy, mas que na verdade era tipo uma contrabandista de cristais, ahuahua

    É muito legal essas ligações entre os dois jogos. Até mesmo na cosmosphere da Jakuri, ela tinha se recusado a deixar o Croix adentrar nela, porque ela não confia em humanos, mas daí ela se lembrou da cosmosphere da Shurelia, que ela tinha hackeado no jogo anterior, e decide fazer algo parecido, deixando o Croix entrar apenas se a Luca e a Cloche viessem junto, assim ela poderia criar uma história maluca também, ahuahua

    Claro que essa historinha maluca é só nos primeiros níveis da cosmosphere dela, depois é só o Croix que pode entrar e a coisa começa a ficar séria, mostrando as instâncias da psique dela, igual acontece com as outras Reyvateils das série. Enfim, acredito que devo ter chegado lá pra metade do jogo, e agora teremos o rolo da Frelia, que é a deusa que todo mundo acha que é uma escrota (mas que é uma coitada com asas de borboleta que tá dentro de um tubo) e depois o vilão final da porra toda, que não chega perto da Mir com relação à construção, mas dá pro gasto.

     Agora é adiantar a cosmosphere da Cloche, salvar assim que chegar no lvl 5 em um save separado, e depois eu vejo o resto dela, afinal aqui no Ar Tonelico 2 tu só pode ver toda a Cosmosphere da Reyvateil que tu escolher e, com o final boss do jogo anterior na parada, fica difícil escolher outra guria, ahuahua

    15
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-11-29 07:43:13 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Passando as 10 horas de jogo!</p>#img#[851257]<p

    Passando as 10 horas de jogo!

    Bem, depois de escolher pela Cloche acontecem alguns eventos exclusivos dela (como uma hora onde ela sem querer dá comida de pinguim pro protagonista) e finalmente ela consegue um hymm que a permite cantar Replekia, transformando um satélite em órbita em um fucking canhão pra poder destruir a deusa de uma vez...

    Mas aí a Luca aparece (e tem uma cutscene animada até), tentando impedir ela, porque ia dar ruim, mas não consegue e ao invés de destruir a deusa a Cloche só consegue ativar a Raki, um fucking robô de defesa, que chega e come o cu de todo mundo, e quase mata geral, porém é impedida por Jakuri (que ainda estava dentro do robô) de fazer isso.

    Aí ela diz pra fazer as duas gurias cantarem Metafalica, já que para tal precisava de duas Maidens, e pelo que tudo indicava, ambas eram as certas para o trabalho. E até tentam, e chegam a invocar um continente do nada, porém Cloche vai pro vinagre no processo (se tu tiver pego a rota da Luca seria ela no lugar) e começam a aparecer uns anjos bolados e descem o sarrafo geral...

    E finalmente a Mir saio do robô (usando o nome Jakuri, pra que ninguém suspeite quem ela é), e diz alguma coisa sobre seus objetivos ali, tão longe da torre do primeiro game. O grupo principal então vão pra uma tumba pra deixar o corpo da Cloche, mas Luca vê que ela tava viva em um sonho, só que com o ataque sua alma se separou do corpo e foi parar no continente maluco cheio de anjos bolados que surgiu no céu, daí lá foi a party pra esse lugar, tentar salvar a loirinha tsundere...

    Porém chegando lá, Mir já solta que não vai deixar que salvem a Cloche, porque isso interferiria nos seus planos. Acredito que agora não demore muito pra ela entrar pra party, e aí posso chutar a Luca do time principal de vez... Enquanto isso não acontece, o jogo finalmente libera a infelsphere, uma cosmosphere onde só a Cloche e a Luca podem participar, mas nesse começo, como a Cloche foi pro vinagre, o Croix vai junto e conforme tu vai avançando nela, vai liberando mais caminho no continente, e tu fica mais próximo de resgatar a Cloche, que aparentemente pirou na linguiça e quer usar o continente pra fazer um governo autoritário.

    Quanto ao combate, ele é tão fácil quanto eu me lembrava. Porém ele tem vários gimnicks a mais, como tu ter que dar parry nos golpes dos oponentes, e os ataques dos vanguards interferirem diretamente no carregamento das magias, porém mesmo avançando quase nada nas cosmospheres das duas gurias, ainda consegui varrer o chão com praticamente tudo até agora.

    Interessante também que quanto maior a afinidade do vanguard com a reyvateil, mais fácil vai ser de defendê-la

    Também não fiz nenhum craft até o momento, já que como não estou com as 3 reyvateils na party, as coisas que posso fazer ficam bem limitadas, então assim que a Cloche largar de putaria e voltar pro grupo vou atrás desses paranauês. A cosmosphere da Luca já dei uma avançada e ela é legal, tu vê bem como a personagem gosta de fazer as coisas pra agradar todo mundo (exceto a mãe dela, coitada da Reisha), a da Cloche (até onde eu fui) igualmente, e tu já nota como ela é forçada a manter as aparências, por ser uma líder política e talz.

    Bem, Ar Tonelico 2 tem na faixa de umas 40 horas de jogo, então ainda deve demorar pra eu terminar, mas por hora vou jogando aos pouquinhos durante a semana e só mais pra frente finalizar mais esse revisionismo histórico, ahuahaua

    18
    • Micro picture
      ersatzgott · 2 months ago · 2 pontos

      Eu não sou familiarizado com RPG da era do PS2 (só joguei 4, 2 Digimon e 2 MegaTen HAUAHUA), como é esse jogo em questão de volume de texto?

      2 replies
    • Micro picture
      wcleyton · 2 months ago · 2 pontos

      Tenho que rejigar esse game pra ver se dessa vez eu zero

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-11-27 10:39:45 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Passando as 5 horas de jogo!</p><p>#img#[851048]

    Passando as 5 horas de jogo!

    Como eu terminei a review do Tonelico 1 ontem, não joguei muito, mas avancei bastante coisa até. Depois da introdução o Croix é obrigado a cuidar da Lady Cloche, uma espécie de líder política do governo de Pastalia, que declarou guerra à deusa porque aparentemente é culpa dela que eles estejam na merda. Então eles acabam topando com a outra guria, a Luca, que aparentemente era a namorada do protagonista, mesmo que eles não se comportassem como tal.

    Ela também é uma "Dive Therapist", usando sua cosmosphere para tratar dos problemas das pessoas, o que é proibido pelo governo e o que a Cloche considera indecente, já que o dive em si é uma piada de duplo sentido na série para... Bem... Tu sabe ( ͡° ͜ʖ ͡°)

    Porém o governo de Pastalia tem um grupo rival: o Sacred Army, que defende a ideia que a deusa é benevolente e que não deve ser desafiada, além deles acusarem o governo de estar causando os casos de doenças das reyvateils, ou seja é uma típica briga de governo e oposição. Também somos apresentados à mãe da Luca, a Reisha, a qual ela trata tremendamente mal...

    Depois o jogo dá um contexto pra isso, já que Reisha é superprotetora, perdeu a sua filha legítima, a Reika, e não sabe bem como se expressar com a Luca (além dela ter medo de levarem a Luca dela), mas mesmo assim não dá pra não soltar um "filha da puta" nessas atitudes da Luca...

    Depois disso a Cocona, a guria que acopanhava Croix (a reyvateil casca grossa que bate tudo no soco) pega a doença maluca das reyvateil lá, e precisa ser contida, o que deixa o protagonista puto. Depois a Sacred Army entra em contato com a Luca, dizendo que ela era a verdadeira Maiden das lendas que ia trazer Metafalica e que a Cloche atual era uma impostora, e isso causa ainda mais atrito entre as duas gurias, que até que estavam se dando bem...

    E fica pior, já que Luca consegue uma informação da Sacred Army de onde Pastalia deixava as Reyvateils infectadas (já que aparentemente sua irmã, Reika, tinha sido levada no passado por isso), e se dirige pra lá (e com isso o grupo até encontra Cocona, que já estava se encrencando com uns soldados lá), crente que ia encontrar sua imouto... E até acha uma cela com o nome dela, mas a reyvateil presa lá dentro diz que a guria que estava presa ali dentro foi usada pra experiências horríveis e acabou morrendo, e aí entorna o caldo de vez...

    E a máscara de garota animada e boazinha da Luca cai e ela começa a tratar todo mundo como um pedaço de bosta, jogando no chão o colar que a Cloche tinha lhe dado de aniversário (já que o aniversário de ambas era no mesmo dia) e depois dizendo que só tinha usado o Croix pra poder chegar em Pastalia e gostava dele porra nenhuma. 

    E então eu me lembrei de por que , nas duas vezes que eu joguei esse jogo, sempre mandei a Luca pro caralho. Basicamente ela se acha uma mártir, que só ela tem problemas e que após descobrir que sua irmã perdida estava morta ela decide tratar todo mundo feito um pedaço de merda. E com isso decide se aliar á Sacred Army e então temos a primeira divisão de rotas do jogo, onde tu tem que escolher entre proteger Luca ou Cloche... 

    No fim das contas eu vou fazer o final da Jakuri de todo o jeito, mas essa escolha mantêm a Reyvateil que tu escolhe como o centro das atenções em alguns eventos nos próximos capítulos, e enquanto de um lado tu tem uma tsundere que é forçada a controlar o público mentindo por uma possível boa causa, de outro tu tem um exército revolucionário que parece ter boas intenções, mas com uma guria pau no cu. Até tentei ir na rota da Luca pra variar, mas não dá não... Sem contar que só a Cloche usa Replekia em batalha, então é melhor ficar com ela mesmo.

    Até o Alfman, o líder de Pastalia, pergunta se tu é um idiota por ter visto toda a merda que eles estavam fazendo, de prender reyvateils doentes pra usar de arma contra a deusa, e ter continuado com eles, mas entre uma waifu mais ou menos e uma pau no cu, fico com a mais ou menos, ainda mais que a best grill vai demorar um cado pra aparecer no game...

    O combate é bem fácil como eu me lembrava, tanto que não completei cosmosphere nenhuma da Cloche ou da Luca e mesmo assim tô matando tudo fácil, porém ele é bem mais complexo do que o do primeiro e o esquema de ter que defender as casters no turno do inimigo é sensacional. Enfim, hoje não devo jogar muito, já que vai ter um rango do aniversário da minha sobrinha aqui em casa, mas no decorrer da semana vou dando uma adiantada nesse, que continua sendo um dos meus RPGs preferidos, ao menos até agora.

    E destaque pros sprites, que são bem expressivos, chegando quase no nível dos Mana Khemia. Esse da Cloche full pistola é excelente, ahuahauahuhauaua

    15
    • Micro picture
      ersatzgott · 2 months ago · 2 pontos

      Queria ter seu ânimo de emendar 2 jogos da mesma franquia assim

      7 replies
    • Micro picture
      cukierti · 2 months ago · 1 ponto

      Quem será o último boss do MetaFalica? Pica das Galáxias? XD

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2022-11-23 21:57:42 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Começando! Ou melhor dizendo, recomeçando, pela

    Começando! Ou melhor dizendo, recomeçando, pela terceira vez!

    Acho que fazem uns 5 anos ou mais que joguei esse game pela segunda vez (a primeira fazem uns 7), justamente quando saiu o path do project metafalica, que retirou bugs, corrigiu erros de tradução, adicionou um hard mode, e o fiz ainda no PS2 (que urrava pra rodar o game, afinal ele não é muito bom com sprites)... Da última vez me lembro de ter feito tudo no jogo, então dessa vez vou focar só na mainquest mesmo, ou ao menos tentar...

    As cenas animadas aqui estão em maior número que no primeiro jogo, e são lindonas, aliás

    Ar Tonelico 2 se passa no mesmo mundo que o primeiro (Sol Ciel, se não me engano) e nele somos apresentados à terra amaldiçoada de Metafalls: um continente que fica em volta da torre principal do lugar, mas que está destinado a ir pro caralho um dia e cada ano que passa a desolação nele se torna maior. Porém existe uma lenda que fala sobre alguém que iria cantar uma música e com isso trazer Metafalica, a terra prometida ou algo do tipo.

    Nesse cenário somos apresentados aos principais personagens logo de cara: primeiro mostrando a Luca, em seu passado onde ela perdeu seu pai e sua irmã mais nova, Reika, e logo em seguida Cloche, uma dona que faz discursos políticos fervorosos, empolvorando a galera dizendo que eles iriam declarar guerra aos deuses que os deixaram viver naquela desgraça toda de uma terra caindo aos pedaços.

    E depois somos apresentados ao protagonista, Croix, que é um cavaleiro a serviço do governo, e cujo trabalho ultimamente vem sido conter Reyvateils, que são infectadas por uma doença e ficam piradas na linguiça e começam a atacar geral, o que é obviamente uma atitude impopular, e que causa muita revolta na população local, que tem suas filhas e parentes próximas surtando de uma hora pra outra e logo em seguida sendo surradas e contidas pelos soldados.

    De cara, logo nesses primeiros 20 minutos de jogo, somos apresentados ao contexto da história, aos principais personagens que comporão toda a narrativa, à situação emergencial que se encontra o local onde eles moram... O começo desse jogo é realmente muito bom, até mais do que eu me lembrava, porém vejamos como ele vai entregar o resto da trama daqui em diante...

    Quanto ao combate, só teve um pequeno tutorial até agora, e sem reyvateil nenhuma, então não pude relembrar de muita coisa, mas sei que ele é bem mais complexo do que o do primeiro, apesar de ser tão fácil quanto. Até tem um modo hard nesse patch do project metafalica, mas devo jogar no normal mesmo, pra eu ver a dificuldade original do game e tudo o mais.

    Cocona parece ser só uma guria bonitinha de roupa curta, mas ela é a Reyvateil mais casca grossa da série inteira, já que é a única que não usa magia e vai pro soco

    Enfim, acredito que não vou ter grandes surpresas nesse segundo ar tonelico, tal como tive no primeiro, mas quero saber se ele vai continuar sendo meu RPG preferido de PS2, ainda mais depois de eu ter conhecido coisinhas como Shadow Hearts 1, Shadow Hearts 2 e Wild Arms 3. Vejamos nos próximos capítulos!

    16
  • lucas_okita Lucas Santana
    2022-07-19 14:41:28 -0300 Thumb picture
    lucas_okita checked-in:
    Post by lucas_okita: <p>Voltando pq quero terminar esse pra ir pro Ar 3<

    Voltando pq quero terminar esse pra ir pro Ar 3

    6

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...