This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • eduardo_wrzecionek Eduardo Wrzecionek
    2021-09-17 17:43:04 -0300 Thumb picture

    Quem alcança sempre alcança.

    Voltando a jogar, caralho meu é tão simples agora que levei uma tarde mexendo sozinho que entendi fiquei a tarde toda mexendo nos menus e nas lutas que ja me acostumei.  Um pouco do que o mastershadow falou me ajudou muito cheguei a ficar quase desesperado por não conseguir jogar por isso tinha dropado. 

    11
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Mas ainda sim, escolher os personagens para enviar para a guerra é um tanto difícil.

  • eduardo_wrzecionek Eduardo Wrzecionek
    2021-09-17 14:24:27 -0300 Thumb picture

    Dropei

    Não consigo entender nada, é complexo demais pra mim, é uma pena ja estou a dois dias tentando entender e nada, E uma pena pois é um baita jogão tanto nos menus e na sua batalha.   

    13
    • Micro picture
      xch_choram · about 1 month ago · 1 ponto

      vai com guia, é o jeito.

      2 replies
    • Micro picture
      avmnetto · about 1 month ago · 1 ponto

      Como assim?? Tá na minha lista esse.

    • Micro picture
      mastershadow · about 1 month ago · 1 ponto

      Tbm nao entendi oq vc nao entendeu...., pois o sistema de técnicas do jogo é bem simples na real, basta bater e encher o especial e mandar ver na maioria dos casos....o complicado mesmo é fazer o final A sem guia,ai sim.

      1 reply
  • eduardo_wrzecionek Eduardo Wrzecionek
    2021-09-16 21:38:06 -0300 Thumb picture
    eduardo_wrzecionek checked-in:
    Post by eduardo_wrzecionek: <p>Ja na onda que estão falando dele e esta na minh

    Ja na onda que estão falando dele e esta na minha lista de jogos , eis um jogo que deixa qualquer um de boca aberta tanto na historia e na criatividade.

    9
    • Micro picture
      noyluiz · about 1 month ago · 1 ponto

      Eu achei o inicio meio largado, mas ta massa

      3 replies
  • 2021-09-16 11:50:42 -0300 Thumb picture

    #374 - Valkyrie Profile [PlayStation] 1999

     A tri-Ace lança mais um RPG para o PS1, com elementos da mitologia nórdica. O Ragnarok está chegando, então Odin convoca Lenneth para buscar aliados em Midgard e lutar na grande guerra. O jogador é livre para explorar o mundo em uma visão 3D, mas cada visita consome períodos. Em locais de recrutamento, temos uma breve história com a morte do guerreiro e temos a opção de ficar com einherjar ou enviá-los para Asgard ao fim de cada capítulo. A exploração das vilas e masmorras acontece em um plano 2D com leves elementos de plataformas. Durante o combate, o jogador pode atacar com cada personagem na ordem que quiser a fim de tentar um combo e encher a barra de especial, que aplica um golpe bem poderoso ou de restauração.

     - Meus caros, que jogo lindo! É um dos visuais mais incríveis já vistos, com cenários ultra detalhados e sprites extremamente caprichados. A trilha sonora também é um espetáculo. A história pode parecer confusa no começo, pois já começa com algo grandioso, mas as tramas de cada einherjar e suas mortes possuem uma carga bem emocionante e dramática. A jogabilidade é muito boa também. A exploração 2D lembra um pouco o que vimos em Princess Crown, só que com mais elementos de plataforma e segredos. O combate é muito divertido e simples, com ataques e magias bastante legais. O jogo é um tanto complexo nas mecânicas de gerenciar os personagens enviados e a questão de gastar períodos para visitar lugares.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @volstag, @manoelnsn, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @fredson, @hyuga, @wcleyton, @bobramber, @carlosneto, @thiagobrugnolo, @rensan, @eduardo_wrzecionek, @christciamn, @warconnor, @romline5, @dantlast [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    52
    • Micro picture
      eduardo_wrzecionek · about 1 month ago · 2 pontos

      Cara esse jogo é muito bom, ta loko e a gameplay dele é deliciosa joguei bem pouco ele mas é muito show.

      1 reply
    • Micro picture
      saulovyny · about 1 month ago · 2 pontos

      A atriz que dublou a Lenneth em Valkyrie Profile é muito boa, Megan Hollingshead, a voz dela é marcante, seria demais se ela tivesse dublado a Brunhilde em Record of Ragnarok, mas foi outra atriz.

      2 replies
    • Micro picture
      christciamn · about 1 month ago · 2 pontos

      Saudades... Um dos primeiros contatos que eu já tive com um Ps1...

      1 reply
  • museudosrpgs Nelio Dias
    2021-05-13 12:22:34 -0300 Thumb picture

    Lenneth Valkyrie - Serviços de recrutamento e seleção de defuntos

    Medium 3865443 featured image

    História:

    Valkyrie Profile é um RPG baseado em mitologias Nórdicas, centrado principalmente na história de Lenneth , uma das 3 deusas do destino, que tem como objetivo principal recrutar Einherjar (basicamente guerreiros mortos) para lutar uma guerra em Asgard.

    Desenvolvimento dos personagens:

    Pela própria natureza do enredo, cada missão se inicia com a história do Einherjar em questão, até a sua morte e o seu recrutamento por Lenneth, portanto é até redundante falar que todos os personagens tem um desenvolvimento aceitável, alguns obviamente são mais desenvolvidos do que outros, que é o caso da própria Lenneth (que tem todo um mistério em torno do seu passado), Lucian, Angrim, Mystina, Lezard, etc..

    Mas mesmo os personagens secundários tem a sua história, ninguém para ali simplesmente por acaso, e isso foi algo que me encantou no jogo.

    Design / Arte:

    Valkyrie Profile também é esteticamente maravilhoso, usou muito bem os recursos do PS1, onde tanto o design dos personagens, como dos monstros e até mesmo dos cenários é bem construído, além das cenas em animação espetaculares.

    A maga gostosa Mystina, uma das personagens chave do jogo

    Jogabilidade:

    Foi o que mais me chamou atenção logo de cara, mesmo sendo um RPG de turnos, a complexidade e a riqueza de detalhes é enorme.

    Me arrisco a dizer que antes de jogar seria ideal ver um pequeno "manual" sobre como equipar, usar e distribuir os pontos de capacidade nas suas skills (sim, você escolhe qual habilidade aprimorar), como enviar seus guerreiros para Asgard, como comprar itens (Não existe uma "lojinha" no jogo, mas há um equivalente), sobre os tipos de itens existentes, quais enviar para Odin (sim, o bicho cobra uma taxinha), e quais ficar com você,  como usar os melhores combos durante a batalha, e por aí vai..

    Acreditem, a jogabilidade de Valkyrie Profile é bem peculiar e vai ser um dos pontos de destaque na sua experiência.

    O posicionamento da equipe faz toda a diferença pra aplicar um combo

    Um pouco do complexo menu do jogo

    Dificuldade:

    O jogo tem os 3 níveis clássicos de dificuldade, e para se fazer o final "A" (existem 3 finais no jogo), deve-se necessariamente jogar no Hard.

    As quests do hard são bem desafiadoras, muitas vezes até irritantes, por isso recomendo o uso de um detonado.

    Situações como cair de uma plataforma, ser esmagado por espinhos e cair numa luta sem querer vão ser bem comuns, por isso se jogar no modo hard (e deve-se fazer isso pra extrair o máximo da experiência), esteja preparado pra ser desafiado.

    Subir em uma plataforma e cair de bunda no chão pra recomeçar lá debaixo vai ser fato recorrente, use o savestate cada vez que subir numa plataforma, vai por mim...

    Finais:

    A diferença de qualidade do final "A" pros demais é absurda, eu mesmo fiz o final "B" e tive que correr pro youtube assistir o final "A", e a diferença é enorme.

    O final "A" vai destrinchar ao máximo o passado de Lenneth e o seu envolvimentos com algumas figuras do jogo, mostrará reviravoltas na guerra de Asgard e ainda te presenteará com animações fantásticas, certamente irá te emocionar, já os finais B e C, bom, deixa pra lá...

    Trilha sonora:

    Bela, mas não digo que é épica, é uma trilha sonora gostosa de se ouvir, principalmente as trilhas tristes e emotivas, mas nada que eu considere tão marcante.

    CONCLUSÃO:

    Jogue Valkyrie Profile agora mesmo, preste atenção em todos os mínimos detalhes do jogo, mergulhe na história de cada personagem, e não tenha vergonha de usar um detonado.

    Uma obra prima dessas deve ser desfrutada na sua totalidade!


    2
  • mastershadow mastershadow
    2021-04-29 19:54:00 -0300 Thumb picture
    mastershadow checked-in:
    Post by mastershadow: <p>Zerado, com Final A True Fuck Ending!<br><br>É c

    Zerado, com Final A True Fuck Ending!

    É chatinho de fazer, mas nao difícil, mas vale muito a  pena,toda a sequencia final é muito mais épica e emocionante!

    Seraphic Gate vou deixar pra outra hora,é bem difícil e to um pouco cansado do game.

    Pra min esse game é um dos melhores do PS1, a dublagem é inesquecível e o game tem uma carga emocional muitooo forte, e retrata a morte como poucos jogos fizeram, acho que esse game e Alundra do PS1 são os Rpgs mais melancólicos do PS1.

    31
    • Micro picture
      seufi · 6 months ago · 3 pontos

      "You have served me well, my Einherjar."

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 6 months ago · 3 pontos

      Queria tanto poder curtir esse game sem seguir um detonado.

      6 replies
    • Micro picture
      jcelove · 6 months ago · 2 pontos

      Parabains. Tbm não tive animo pra seraphic gate, apesar de querer muito jogar com o Lezard, Brahms e Freya no grupo.hehe

      Se me lembro bem, no PSP adcionaram umas cgis no final, ou já tinha ai?

      6 replies
  • mastershadow mastershadow
    2021-04-19 10:56:53 -0300 Thumb picture
    mastershadow checked-in:
    Post by mastershadow: <p>Devagar, com calma, fazendo tudo certinho pra pe

    Devagar, com calma, fazendo tudo certinho pra pegar o fuck Final A.

    34
  • mastershadow mastershadow
    2021-04-11 21:12:54 -0300 Thumb picture
    mastershadow checked-in:
    Post by mastershadow: <p>Decido rejogar essa obra prima aqui, e desta vez

    Decido rejogar essa obra prima aqui, e desta vez no Hard e pra fazer o Final verdadeiro.

    Tudo isso porque me empolguei com a chegada do meu Cd do Projeto OLD Game, que faz games prensados de PS1, Saturno e Dreamcast, com manual e tudo que tem direito.Uma coisa linda de se ver,praticamente original.

    40
    • Micro picture
      gigahertz · 6 months ago · 3 pontos

      Muito bacana a qualidade desse item do projeto!

      1 reply
    • Micro picture
      fonsaca · 6 months ago · 2 pontos

      Agora vai!

      2 replies
    • Micro picture
      jcelove · 6 months ago · 2 pontos

      Peguei o Panzer Dragoon Saga e o MxC2, mes que vem se der pego essa lindeza do VP, das replicas que ja vi parecem ser as mais awesome.

      Vai fazer o Seraphic Gate? Não tive animo.hehe

      2 replies
  • neilson1984 Neilson Lopes De Carvalho
    2021-01-16 20:55:51 -0200 Thumb picture

    Novos projeto da OLD GAME jogos prensados de PS1!!!

    Meus caros amigos @jcelove @mastershadow @fonsaca que vão curtir apreciadores de RPG rsrs!

    26
    • Micro picture
      jcelove · 9 months ago · 3 pontos

      AI SIM me pega na fraqueza! Já ta pronto???

      14 replies
    • Micro picture
      fonsaca · 9 months ago · 3 pontos

      Carai! Que massa! Agora eu entro em falência, hahahha! Eu gosto do trabalho deles, legal que vão de PS1 tbm. Tentei comprar do tal do Miguel PS1, mas os caras são de Pernambuco e o frete daria 93 reais pra mim... hahahha!

      3 replies
    • Micro picture
      thiagoreis · 9 months ago · 2 pontos

      Eles têm algum de 3DO também ?

      1 reply
  • jcelove José Carlos
    2020-10-25 22:48:17 -0200 Thumb picture

    5 Jogos em que pode chegar ao final com a passagem do tempo

    Medium 3834629 featured image

    O tempo é um fenômeno que afeta e porque não dizer, controla nossas vidas, dada a brevidade da nossa existência aqui na terra. Tudo que fazemos acaba sendo ditado de um jeito ou de outro pelo tempo e dependendo da sua idade ele é praticamente um bem extremamente valoroso e escasso.

    Alguns games tentam reproduzir a ação do tempo dentro do gameplay para dar um ar mais "realista" e imersivo a aventura e desde Harvest Moon no Snes temos exmplos de jogos em que assim como na vida real, as ações do personagem virtual lutam contra a passagem das horas do dia e assim temos um cenário que não "espera" pelo jogador pra fazer as coisas acontecerem (como os eventos nas cidades de Harvest moon ou ações dos NPCs em Shenmue e Deadly Premonition) ou que acompanham o tempo real em que o jogador se encontra pra alterar elementos do jogo como na série Animal Crossing ou no obscuro porém altamente recomendável se você curtir JRPG, Far East Eden Zero (Snes). 

    Geralmente essa passagem de tempo transcorre inifnitamente enquanto o jogador estiver jogo, não nessessariamente o empurrando a narrativa (como acontece na maioria dos jogos open Wolrd no estilo GTA) mas em alguns casos esse tempo está intimamente ligado ao avanço da aventura e em dado momento, o jogo pode terminar mesmo que o jogador não faça nada. Neste artigo vamos ver 4 exemplos de jogos em que ficar parado tem leva a um final (obviamente ruim) onde o tempo é seu maior adversário. 

    Em 3 deles esse final ruim é um dos finais do jogo, com direito a tela de crédito e tudo, podendo se considerar como um zeramento, nos outros dois é basicamente uma tela de game over.

    The last Express (PC, Android)

    Este obscuro Adventure point'n click em primera pessoa foi o ultimo grande trabalho do lendário Designer Jordan Mechner, criador de jogos importantíssimos para a indústria como Karateka e Prince of Pérsia. Assim como seus irmãos mais velhos era um projeto ousado para sua época utilizando elementos únicos como o uso da Rotoscopia (técnica em que se filma movimentos de atores e se desenha "por cima" para fazer uma animação) e a passagem de tempo que seguia implacavelmente a partir do momento em que o jogador assumia o controle do astuo protagonista Robert Cath, que se infiltrava no famoso expresso do Oriente para encontrar com um amigo mas acabaria se metendo numa rede de intrigas que culminaria na primeira grande guerra mundial. 

    O jogo media o tempo com um relógio interno e os passageiros (que conversavam em suas  líguas nativas) tinham uma rotina baseada nele. O jogador precisava colher o máximo de pistas o mais rápido possivel, entendendo essa rotina para conseguir avançar pois caso chegasse nas paradas das cidades seguintes sem avançar na história o protagonista morria de alguma forma cruel, ou era preso gerando um bad end bem frustrante. Se ficar parado nos primeiros 5 minutos do jogo já se  cai no primeiro final ruim (que é um game over na verdade).

    Mizzurna Falls (Playstation)

    Esse é outro jogo antigo e obscuro pacas. Desenvolvido pela saudosa Human Entertainement, empresa criadora de clássicos únicos como a série CLock Tower, SOS, The Fireman (todos esses no Ps1) o game trazia conceitos extremamente a frente de sua época com uma cidade inteira pra se explorar e interagir com NPCs e um esquema de passagem de tempo que empurrava a narrativa impetuosamente, com muita coisa acontecendo durante os 7 dias de duração da história e nenhuma delas esperando pelo protagonista, o jovem estudante Matthew, que se via na obrigação de investigar o misterioso desaperecimento de sua melhor amiga durante o natal na pequena cidade interioana que da nome ao jogo.

    O game era um Adventure investigativo onde se devia colher pistas e descobrir a verdade em torno do acontecido antes do ultimo dia (31 de dezembro), caso Matthew chegasse nesse dia sem coleta-las ele recebia um telefonema e o jogo terminava com uma triste notícia. Dai temos o jogo mais rápido pra se "terminar" nessa lista pois como o tempo avança em até 5 horas a cada vez que se salva, basta ficar salvando sem parar até terminarem os dias pra ver o fim do jogo, como pode-se observar nesse IMPRESSIONANTE Speedrun que um Gênio fez do jogo;

    SOS (Super Nintendo)

    Outro jogo da Human, esse também obscuro, apesar de ter sido lançado no ocidente, diferente do Mizzurna Falls. 

    Baseado no filme "O destino de Poseidon", o jogo traz uma premissa similar a Titanic, com um transatlântico gigantesco vai a pique após ser açoitado por uma enorma onda e virar de cabeça para baixo.

    O jogado escolhe entre 5 personagens, cada um com sua própria história de fundo, profissão e interesses próprios e tem 60 minutos reais para encontrar o caminho para a sala de máquinas e conseguir escapar, se possível salvando outros sobreviventes no caminho. Caso salve 5 incluindo o personagem ligado ao que se escolheu, se chega ao final bom, caso salve apenas a si mesmo temos um final ruim, e caso fique parado ou não alcançe a saida a tempo, rola o nada desejado bad end que assim como no The Last Express é basicamente uma tela de game over tmbém. 

    Abaixo pode-se conferir mais uma speedrun GENIAL desse incrível game:

    Harvest Moon (Série)

    A clássica série de fazendinha, tem desde o primeiro o esquema implacável de tempo ditando os eventos do jogo, desde a plantação e estações do ano a rotina dos NPCs que interagiam com o jogador e assim como na vida real, se ele ficasse parado no tempo o mundo não esperaria por ele, dai geralmente se tem uma meta para se chegar nos primeiros 2 anos do jogo onde o jogo mostra um dos finais dependendo do que se conquistou, podendo resultar na majestosa fazenda bem sucedida, com um fazendeiro bem casado, próspero e feliz, OU um empreendimento falido com o jogador sendo espulso ou abandonado por todos. pra isso basta ficar parado por esse período de 2 anos que o jogo temina. Assim como no Mizzurna, o jeito mais rápido de fazer é salvar o jogo (que aqui também é algo que se faz ao dormir), a diferença é que é um processo bem lais demorado e tedioso já que mesmo com o tempo do jogo bem mais acelerado que na vida normal, ainda terão de ser 2 anos.

    Você pode conseguir facilmente pular todo esse tempo e ir direto pro final seguindo os passo desse MARAVILHOS tutorial de speedrun, fica a dica!

    Valkyrie Profile (Playstation, PSP, Android)

    Grande clássico da Tri Ace, VP é um dos JRpgs mais amados do PS1, tanto por sua estética e ambientação únicos quanto pela narrativa e gameplay que continuam sem igual até hoje.

    No jogo seguimos a missão da Valquiria Lenneth, que precisa ir a Midgar recrutar almas de guerreiros vaoloros, os einherjar, e encaminha-los para a deusa Freya que os guiará com Odin no inevitável Ragnarok.

    Diferente dos outros jogos citados nessa lista, o tempo em VP não avança continuamente, apenas quando se entra e sai das Dungeons ou quando a Valquiria descansa, o que torna necessário ter uma boa gestão do que fazer e quando fazer para que se consiga chegar aos melhores finais. No entanto, caso o jogador seja relapso/incomentente, falhado em recrutar os guerreiros e fracasse na avaliação que Freya faz a cada capítulo, eventualmente a DEOSA vai se cansar e descer na terra pra tirar satisfação e dar uma lição na Lenneth, o que resulta num inevitável massacre já que é impossível se vence-la nessas condições e resultando no famigerado final C do jogo. Basicamente é o mesmo esquema dos outros jogos da lista, basta salvar após a primeira dungeon, entrando e saindo das seguintes que logo a pontuação da Lenneth chega a zero e rola esse final.

    Não sei você mas eu acho sensacional quando inventam mecânicas assim nos jogos, apesar de geralmente ser mais frustrante que divertido. 

    57
    • Micro picture
      mastermune · 12 months ago · 3 pontos

      Lightning Returns FFXIII também tem isso auehuehauehe

      4 replies
    • Micro picture
      mcalor · 12 months ago · 2 pontos

      Muito bacana. Mas deixa eu te perguntar. No The Last Express dá pra salvar entre as estações, ou se vc se ferrar tem que começar o jogo todo de novo?

      2 replies
    • Micro picture
      carlospenajr · 12 months ago · 2 pontos

      Quando a contagem de tempo é ainda "controlavel" que nem no VP, que é por turnos, ainda me agrada, vc fica com aquele tempo no fundo da mente mas é mais tranquilo, agora quando o tempo é real, que vc tem que ficar correndo, me irrita, já não basta a correria do dia a dia...
      A série Atelier é linda, adoro o esquema de alquimia dela, mas o esquema de tempo dele me irrita ao ponto de nem relar na série (e até tive que recusar o review do ultimo jogo da série por causa disso...)

      9 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...