This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • 2021-10-04 11:19:12 -0300 Thumb picture

    #379 - Vagrant Story [PlayStation] 2000

     Desenvolvida pela equipe que trabalhou em Final Fantasy Tactics, a Squaresoft lança mais um jogo de RPG ambientado em Ivalice. O jogador controla Ashley Riot que explora as ruínas da cidade de Leá Monde em busca do líder de um culto misterioso. O jogo possui um sistema de combate em tempo real com pausa, semelhante ao que foi visto em Parasite Eve, onde o jogador é capaz de desferir uma série de golpes em diferentes partes do oponente. O jogo também possui elementos de plataformas e puzzles pelo cenário tridimensional. O jogo não possui lojas, mas o jogador pode criar e aprimorar novos equipamentos em oficinas. Ashley aprende novas magias através da leitura de grimórios especiais.

     - Mais um jogo de RPG da Squaresoft espetacular. Os gráficos do jogo são incríveis, com uma cinemática ainda mais incrível que Metal Gear Solid e expressões faciais incríveis. A parte artística como um todo é incrível, com trilha sonora marcante e cenário cheios de detalhes. A ideia de misturar elementos de aventura durante a exploração do ambiente é muito boa e o sistema de combate do jogo é fantástico. O jogador tem a chance de realizar ataques em sequência, mas isso aumenta o risco e o jogador pode levar mais dano quando for atacado. O sistema de magia e a parte de customização de equipamentos também é muito boa. A história do jogo é outro ponto forte do jogo, com várias reviravoltas e cenas de tirar o fôlego, mesmo sem usar técnicas de CGI.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @volstag, @manoelnsn, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @fredson, @hyuga, @wcleyton, @bobramber, @carlosneto, @thiagobrugnolo, @rensan, @eduardo_wrzecionek, @christciamn, @warconnor, @romline5, @dantlast, @marcelokiss487 [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    51
    • Micro picture
      mateusfv · 17 days ago · 4 pontos

      Esse é bem legal, apesar que não consigo ver ele como algo tão top assim XD

      16 replies
    • Micro picture
      bobramber · 17 days ago · 3 pontos

      Esse está nos planos para entrar à minha seleta lista de RPGs finalizados 3x... Foram duas consecutivas, ainda no PS1, e futuramente vou relembrá-lo no emulador.

      1 reply
    • Micro picture
      jcelove · 17 days ago · 2 pontos

      Masterpiece do Matsuno, pena que os sistemas desnecessarimanete complexos e muitas vezes injustos dele afastam muita gente, mas tecnicament e é espetacular, tem uma narrativa cinematica só comparável a MGS em sua época e um enredo sensacional

      3 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-05-02 19:00:40 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>É PRA GLORIFICAR DE PÉ, SENHOR!</p><p>#img#[7730

    É PRA GLORIFICAR DE PÉ, SENHOR!

    Finalmente esse jogo foi finalizado com sucesso! Foram mais ou menos 3 semanas de puro sofrimento tentando entender o que caralhos voadores e bucetas mutantes do espaço estava acontecendo nesse RPG, seja em plot ou em gameplay, mas nos últimos dias de jogatina consegui pegar o embalo e após umas 31 horas consegui terminá-lo com sucesso!

    Os bosses da dungeon final foram todos bem fáceis até, o mais chatinho foi a primeira forma do final boss, que ficava correndo feito uma mula sem cabeça de um lado pro outro da arena... Mas aí comecei a spammar break arts no miserável (mais especificamente Whistle Sting com minha Kris), com cada uma dando mais de 100 de dano, daí ele deitou rápido...

    Então a segunda forma do desgraçado... Arre, as Break Arts não estavam causando mais um dano considerável, então deslanchei Phantom Pain nele como se não houvesse amanhã, e nem gastei todas minhas armas e ele foi dessa pra uma melhor rápido também!

    Daí tivemos o final do jogo, onde o nome do mesmo finalmente fez sentido e temos o destino do Ashley definido (ao menos ele parou de usar bermuda rasgada na bunda agora, huahua). No geral, ainda é cedo para dizer com exatidão se Vagrant Story é um jogo terrível, ruim, medíocre ou acima da média, tenho que repensar e refletir muita coisa que vi durante essas 6 semanas, fazer alguns comparativos, ler opiniões alheias e então chegar numa episteme do negócio. Mas de cara posso adiantar: é um jogo bonito e com personagens interessantes, mas totalmente confuso. Nem mesmo os RPGs ocidentais em primeira pessoa como Might and Magic e Mezoberranzan me deixaram tão perdido quanto eu fiquei nessas 31 horas nesse jogo da Square, realmente os caras queriam criar algo único e conseguiram... Mas não necessariamente isso foi uma coisa boa...

    De todo jeito, mais uma pendência finalizada com sucesso! Agora é voltar pro Sigma Star Saga, o RPG de navinha, e depois bora pros ocidentais obscurões!

    29
    • Micro picture
      jcelove · 6 months ago · 2 pontos

      Vish achou a versao human mais dificil que a segunda? Ai é diferenciado mesmo.hehe
      A kris é pessima pra ele pq range de faca é minuscula. Se usasse uma crossbow ou greatsword/axe ficava mais facil parar ele. Garanto q é muito mais facil q a final form.

      Parabens e bom ver que fez sentido finalmente pra vc.hehe

      3 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 6 months ago · 2 pontos

      Eita já?

      1 reply
    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · 6 months ago · 2 pontos

      Bom Yasumi Matsuno game design, jogue sem guias e você tá num stalemate simulator.

      Jogue sabendo como o jogo funciona e ele explode em segundos.

      Desde de March of the Black Queen é assim.

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-05-02 09:53:04 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>27 horas de jogo, maluco!</p><p>#img#[772940]</p

    27 horas de jogo, maluco!

    Semana passada consegui chegar nas 19 horas e até tinha planos de ir jogando aos poucos durante a semana, mas chegar no trampo e encarar esse cara não foi uma opção muito agradável, então ontem consegui jogar bastante coisa...

    Na verdade passei boa parte desse tempo grindando nos dummies os chain combos, até aprender uma skill que vai me ser extremamente útil contra o final boss: Phantom Pain. Aí botei pra tocar um Tião Carreiro lascado (afinal a OST desse jogo é bem meh), matei os dummies um monte de vez (felizmente é só teleportar pra outra área que ele dava respawn), e finalmente alcancei meu objetivo.

    Quanto à história, continuo não entendendo bulhufas de muita coisa. Tipo esses dois candangos que apareceram como minor bosses: quem são vocês, caralho? Talvez eles já tenham aparecido (ou sido mencionados) antes, mas como são períodos enormes entre uma cutscene da narrativa para outra, e muitos termos, personagens e tramoias acontecendo (offscreen ainda por cima, do jeito que o Matsuno gosta) fica difícil lembrar de tudo. 

    Mas enfim, agora creio que não falte muito para terminar o jogo, então depois que zerar procuro alguma wiki para eu ficar mais inteirado com os acontecimentos... Anyway, não sei se consigo terminar hoje, mas pretendo ficar o dia inteiro jogando, então vejamos até onde consigo chegar.

    24
    • Micro picture
      jcelove · 6 months ago · 3 pontos

      As cutscenes nao sao espaçadas, vc q ta penando pra avançar.hehe

      Ja ta na great cathedral ne? Ela é a dungeon final no estilo megaman, um boss rush com 8 chefes antes de chegar ao ultimo. A essa altura ja deve ter instill, phantom pains, reflect magic e magic ward. Com elas o boss final fica muito mais tranquilo, se chegar nele vom 8 armas vom PP no maximo mata ele antes de presisar se defender..

      Po a Neesa apareceu antes na historia, o comandante Tieger é o parceiro dela. Assim como os padres Grisson e Duane eles sao mambros dos Crimson Blades, a milicia do cardeal chefiada pelo Guildestern (esse da ultima imagem..) .

      6 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 6 months ago · 2 pontos

      Eis uma pendência minha...

      1 reply
    • Micro picture
      raiden · 6 months ago · 2 pontos

      "Aí botei pra tocar um Tião Carreiro lascado"

      Kkkkkkkk....

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-04-22 19:45:18 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Finalmente 10 horas de jogo!</p><p>#img#[771539]

    Finalmente 10 horas de jogo!

    Sim, é muito pouco tempo de jogo, tendo em mente que comecei a jogar esse cara já a umas duas semanas... Mas infelizmente não consigo jogar Vagrant Story por muitas horas seguidas, já que o jogo, tanto pela história quanto pelo gameplay, são um tanto cansativos, ao menos por enquanto... Porém, nesse meio tempo já me habituei mais ao combate do game, e consegui perceber algumas coisas, como...

    Não vale a pena usar chain combos muito extensos - já que quanto maiores eles forem, mais a barra de risk aumenta e como não sei se os itens de recuperar risk vão continuar dropando facilmente dos inimigos, é melhor não arriscar muito, então fico dando de 2 a 3 hits, causando na média de 20/30 de dano nos bosses por paulada, e como eles têm na faixa de 300/500 de HP as batalhas até que não estão demorando tanto assim...

    Contra-ataques valem muito a pena - me refiro à defense skill de rebater certa parte do dano recebido de volta pro inimigo, o que deu em torno de 40 de dano no último boss que encarei (pra variar, outro dragão), o problema é acertar o timing dos ataques deles e apertar o botão na hora certa (já que o timing muda de ataque pra ataque, e de inimigo pra inimigo, com os chain combos sendo bem mais fáceis de se decorar nesse sentido).

    Magias são inúteis - exceto as de cura e de buff. As de debuff servem em alguns casos, porém alguns bosses são imunes à elas, então nem sempre valem a pena o MP gasto. Sem contar que o tempo que tu leva pra matar um inimigo com magia tu desce a lenha nele com alguma arma, grindando os atributos dela no processo...

    Fundir itens ajuda pra caralho - mesmo que o craft de itens seja bem complicadinho de entender aqui, usar dois equipamentos fracos e conseguir um forte ajuda bastante, ainda mais com o inventário limitado e o fato de nem sempre ter um baú pra depositar itens excedentes por perto...

    Não compensa ficar correndo no campo de batalha - Apesar de ser um RPG de ação, o melhor a fazer é ficar estacionado perto do boss e moer ele de pancada com alguma boa arma ao invés de tentar escapar dele, ainda mais pelas magias do jogo terem superpause (e alguns, como o Ogre, terem um range mastodôntica e poderem te acertar de uma distância segura)... Isso até o momento onde eu parei, pelo menos...

    Trocar de set toda hora é essencial - isso é algo que nunca gostei em RPGs, e aqui não é diferente: esse lance de ter que mudar equipamentos e skills do personagem para encarar inimigos específicos, caso contrário se torna bem difícil, pra não dizer impossível, derrotá-los.

    Salvar antes de usar Elixir - Elixires (e derrotar bosses) é a única maneira do Ashley ganhar stats, porém o quanto de atributo que ele vai ganhar ao consumir o item é random (pode ser de 1 a 4, se não me engano), então nada melhor que esperar usar o item perto de um save e se caso sair um valor chinfrim, basta ir dando load até conseguir... É algo demorado, mas como o jogo tá demorando pra mim no geral, o que é um peido pra quem tá cagado? hauahua

    Nunca jogar armas fora - por mais que certa arma pareça ser fraca, ela pode ser útil contra certos tipos de inimigos, além de poder ser fundida com alguma outra coisa, portanto é sempre bom manter o máximo de equipamento possível, ou mesmo ir desmontando tudo pra ficar mais fácil de carregar.

    Não sei se estou errado ou não nessas suposições, mas isso anda funcionando por enquanto, então bora continuar! Quanto à história, ela continua confusa, ainda mais com as cutscenes sendo beeem espaçadas entre o gameplay (posso contar nos dedos quantas vezes teve algum diálogo nessas 10 horas de jogo), porém deu pra sacar que o tal Sidney tá usando umas urucubacas com uns zumbis e a Igreja e o Parlamento estão atrás dele, com cada contraparte mandando seus jagunços, com o Ashley sendo um deles. O protagonista também tem uma habilidade de ver e sentir o que outras pessoas bem longe estão presenciando, o que é bem estranho, mas creio que isso vai ser melhor explicado mais pra frente...

    Sim, eu poderia ter pego um resumo na net e já estar a par de toda a situação, mas vou ficar nisso ao menos mais um tempinho, não por não querer spoilers ou algum bullshit desses e sim pra ver se as doses homeopáticas de plot que o jogo me mostra são os suficientes pra me situar no meio da coisa toda, ainda mais com o monte de termos estranhos e nomes diversos que os diálogos sempre mostram e tudo o mais.

    Se estou me divertindo? Na verdade nem um pouquinho... Mas estou curioso pra ver onde esse jogo vai me levar, além de ser questão de honra terminá-lo (ainda mais depois dessas 10 horas), e tem algumas coisas legais nele, como os gráficos estourando o chip do PS1, a barra de Risk, a ambientação séria, além do protagonista badass. Enfim, eu parei na Lost Forest do jogo, pouco tempo depois de enfrentar outro boss dragão que não aceita debuff. Como teve um save onde eu parei, provavelmente vem outro boss por aí...

    19
    • Micro picture
      jcelove · 6 months ago · 2 pontos

      Eita parou na snowfly florest? Ta quase na metade do jogo. É a dungeon labirintica d que me dava muita dor de cabeça. Tem uma sequencia certa de telas pra avançar e terminar em 5 minutos, senão fica rodando em círculos, mas ao menos os iniigos normais são fracos e vale MUITO a pena matar os bichinhos voadores pq só ele dropam ferie wings, item que ativa a magia quicken e permite Ashley se movem mais rapido e saltar em distâncias maiores. Usando elas da pra literalmente pular alguns puzzles bem chatos de caixas na abandoned mines B2, Temple of kiltia e na ultima dungeon, fica a dica.

      Quando joguei a primeira vez tbm achei que a história era espaçada demais, mas era pq eu dmeorava muito pra avançar nas dungeons por causa dass batalhas demoradas. No NG+ da pra terminar o jogo tranquilamente em 3h.

      O enredo é confuso mesmo, a ideia é te deixar tão perdido qto o Ashley e descobrir as paradas com ele, mas tem que prestar atenção pra ligar os pontos pq alguns lances são bem abertos.

      A clarevidência do Ashley desperta por causa do poder da escuridão em lea Monde. Todos que entram lá tendem a despertar algum poder mágico. A Merlose tbm tem e usa pra ajudar o Ashley em alguns momentos tbm.

      A perversidade é grande mermo, pra conseguir os 4 pontos maximos que os elixires podem dar vc tem que usar nesse esquema de salvar e tentar de novo até asair algo, mas se tiver no emulador vale mais a pena usar o save state. Dar load demora pra caramba, eu acabava aceitando so 1 ou 2 ponto que saiam na maioria das vezes.hehe

      As magias mais uteis alem da cura e do teletransporte que vc vai conseguir num boss depois da floresta, quando chegar a parte aberta do jogo (que eu me perdia demais tbm XD) são as de buff, debuff e as de afinidade elemental, que se souber usar dão vantagem contra as afiidades de certos inimigos, principalmente phantons (vai ter 2 de fogo na floresta), as de ataque são bem inuteis nessa run pq dependem demais dos atributos do Ashley.

      qdo tiver maisavançado no jogo não vai precisar trocar as armor toda hora não, o mais importante nem é o atributo em si e sim o material delas.Leather, iron e bronze são lixosas mas Hagane a Damascus (o melhor material) valem o esforço e tem aquele esquema que elas melhoram afinidades qto mais vc apanha dos inimigos. chato e´que vc ganha afinidade em uma classe e perde em outras XD

      9 replies
    • Micro picture
      kalini · 6 months ago · 2 pontos

      Ah,, finalmente um check-in depois de decadas, ha\ha! Mas agora sei porque tanta demora. Força ai, sei como é dureza jogar um game que voce nao ta curtindo ate o fim.

      1 reply
    • Micro picture
      the_muriel · 6 months ago · 2 pontos

      Nunca vi vc demorar tanto em um jogo kkkkkkkkkkk

      1 reply
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2021-04-11 10:34:15 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Já estamos em meados de Abril e esse ano eu aind

    Já estamos em meados de Abril e esse ano eu ainda não joguei nenhum RPG ocidental, então meus planos eram começar alguns dessa vez... Mas antes preciso resolver uma certa pendência com esse cara aqui...

    Vagrant Story é um jogo que nunca me chamou muita a atenção... Primeiro porque eu não gosto das histórias do Matsuno onde ele enche de intriga política no background e teus personagens só ficam de fora dos palco principal, sempre fazendo algo desinteressante (como procurar uma imouto peso de papel ou coisas para uma princesa de saia curta) e segundo porque a maioria esmagadora dos RPGs mais famosinhos do PS1 que eu joguei foram um chute no meio do saco com uma chuteira de bico de ferro...

    Contudo, assim que comecei a jogar, 2 pontos interessantes vieram à minha frente, com o primeiro sendo a parte gráfica do jogo já que, ao contrário do Legend of Dragoon que usa gráficos de FF7 no final da geração  do PS1 (somados a um character design de "Como desenhar seu mangá") o Vagrant usa o esquema de Ocarina of Time, de jogo full poligonal com cutscenes usando os models dos personagens (o que deve explicar o fato do jogo ter apenas 1 CD), além do estilo ser do Akihiko Yoshida, que manda muito bem quando não está fazendo aqueles bonecos magrelas e sem nariz, ahuahua

    E segundo é o protagonista, o Ashley Riot. O cara é todo fodão e tem um passado lascado, onde sua família foi morta por um monte de jagunços, motivo que creio que deve ter levado ele a se tornar um Riskbreaker, que são tipo uns agentes secretos, pelo que entendi.

    Quanto à história, ainda não entendi muita coisa do que está acontecendo. Sei que esse cara loiro é quem o Ashley está procurando e que ele é imortal (levou uma flechada do cara e não morreu) e também tem uma dona bonitona que foi sequestrada (creio ser aquela da arte principal do jogo). Depois fui descobrir que tem uma cutscene que tu só vê se ficar com o menu inicial do jogo parado por alguns segundos, depois vou dar uma olhada nela pra ver se as coisas começam a fazer mais sentido aqui...

    Quanto ao gameplay, ele consegue ser mais confuso que a história. Ele é um jogo de ação, onde tu só controla o Ashley e ao apertar bolinha quando um inimigo tiver perto aparece um menu onde tu pode acertar as partes do cara, igual Fallout 1. O protagonista não tem lvl up, mas o atributo de suas armas aumenta conforme tu usa, pelo que entendi... Também tem umas skills de defesa e ataque que creio que tu pode usá-las em combo, mas não sei direito ainda.

    Também tem a barra de Risk, que quanto mais o Ashley atacar, mais ela sobe e mais o protagonista fica suscetível a errar os golpes, funcionando como uma representação da concentração do cara, algo que achei bem duca! O HP do cara vai recuperando aos poucos fora da batalha, assim como o dano das partes dele, que ficam representadas em uma cor diferente de branco no canto inferior esquerdo (não me arrisco a dizer qual cor é, afinal sou daltônico, ahuahua).

    Por hora joguei pouca coisa, parei depois de matar um Minotauro. Como praticamente todo RPG que jogo, sempre vou começando aos poucos, pra depois ir engrenando mais na coisa. Hoje vou ver se jogo mais do que ontem, e vejamos onde esse Riskbreaker vai me levar...

    22
    • Micro picture
      raiden · 6 months ago · 4 pontos

      Esse o @jcelove manja. Hehe

      12 replies
    • Micro picture
      igor_park · 6 months ago · 2 pontos

      Esse jogo se não me engano foi inspirado por Game of Thrones, apesar eu não ter jogado esse jogo tem cara que cairia bem atualmente em um remake.

      4 replies
    • Micro picture
      kipocalia · 6 months ago · 2 pontos

      De rpg ocidental recomendo Divinity Original Sin e Neverwinter Nights - mas a experiencia neles é melhor jogando co-op. Se for de msdos os unicos que gostei além de MM foi o Eyes of the Beholder e Lands of Lore. (tem uns que tentei jogar, mas ficava perdida demais por meu inglês ser basico e exigir typing ~~' tipo wizardry 6 e magic candle, tentei o Unlimited adventures - que tem sistema de criação de modulos onde peguei o remake do pool of radiance, mas acho aquele tipo de rpg tático lerdo e chato demais).

      1 reply
  • jcelove José Carlos
    2021-04-04 15:10:36 -0300 Thumb picture
    jcelove checked-in:
    Post by jcelove: <p>Fui dar aquela jogadinha mensal de Vagrant e ten

    Fui dar aquela jogadinha mensal de Vagrant e tentei pegar alguns achievements. Ainda fico bolado em como uma galera conseguiu completar esse set , sendo que levei anos pra fazer o set interno do jogo, cheio de ações lentas e repetitivas...Queria dicas desses caras!hehe

    Mas enfim, perdi um tempão tentando pegar os cheevos dos mapas e por algum motivo o da Wine Cellar, primeira dungeon do jogo não triggou o set mesmo após fazer tudo, fiquei até rodando tentando achar qual sala/bau faltava, mas acho que bugou.

    E só com achievements pra me fazer jogar o minigame de puzzle cronometrado, que achava bem sem sentido no jogo, já que os tempos que faz sequer ficam registrados, e a maioria é bem dificil por causa da movimentação, as alguns como o do video acima dá pra pular (literalmente) usando as fearie wings.

    Achei que tinha feito rápido em 5s e o cara lá no RA fez em 3, comoassim vei??hehe

    21
    • Micro picture
      tiagotrigger · 7 months ago · 2 pontos

      Youtube zoando tampando o vídeo com os cards na frente. xD

      1 reply
    • Micro picture
      volstag · 7 months ago · 2 pontos

      Ahh cara, tem muita gente que da uma trapaceada sempre que pode, não é super confiável acreditar em tudo que mostram no youtube.

      3 replies
    • Micro picture
      speedhunter · 7 months ago · 2 pontos

      Imagino que um remaster nas plataformas modernas. Será que eles iriam aproveitar as conquistas internas do jogo? Deusolivre

      1 reply
  • 2021-03-22 14:19:35 -0300 Thumb picture

    Mais um jogo que está competindo nos JRPG de 2022: Vagrant Story

    Vagrant Story é um Action RPG desenvolvido e publicado pela Squaresoft no ano 2000 para o PlayStation.

    Vagrant Story se passa na cidade fictícia de Leá Monde, enquanto o reino de Valendia está mergulhado na guerra civil. Leá Monde é uma cidade velha com mais de dois milênios de história.

    O protagonista é Ashley Riot, um membro dos Cavaleiros da paz de Valendia, em busca de um homem chamado Sydney Losstarot que é o líder do culto religioso Müllenkamp. Ashley é enviado para a mansão do Duque Bardorba para investigar o envolvimento dele com Müllenkamp e o interesse do Cardeal em Sydney.

    Ashley chega a Leá Monde e se infiltra na cidade através das adegas subterrâneas. Ao longo do caminho, ele aprende sobre objetos que possuem poderes mágicos conhecidos como Grimórios e o poder da cidade de gerar mortos-vivos e criaturas mitológicas.

    Ele encontra Guildenstern e sua amante Samantha, e descobre a condição conhecida como morte incompleta e a verdadeira intenção do Cardeal para sua busca por Sydney: a imortalidade

    Quanto a gameplay, Ashley pode correr, pular e empurrar pedras e caixas para ultrapassar obstáculos, adicionando na exploração elementos de plataforma e quebra-cabeças.

    Durante essa exploração, o jogador encontrará inimigos e pode então ativar o Modo de Batalha, que usa um sistema de combate em tempo real pausável. Esse sistema se assemelha ao de Parasite Eve, no qual o personagem se desloca livremente e pode pausar para executar ações formando em volta do personagem uma esfera mostrando o alcance que ele possui.

    Partes individuais do corpo dentro desta esfera podem ser selecionadas. O sistema de batalha envolve o jogador encadeando diferentes ataques conhecidos como habilidades em cadeia para realizar grandes combos e causar danos ao inimigo. Isso é feito pressionando botões em sucessão no momento certo.

    Além das habilidades em cadeia, as habilidades defensivas permitem que Ashley reduza ou reflita os danos ou evite doenças de status. Ashley também ganha Break Arts, que troca seus pontos de vida (HP) por dano aumentado.

    Magia é aprendida usando Grimórios que são derrubados por inimigos. Feitiços mágicos podem ser usados para atacar, curar, criar efeitos de status e manipular as afinidades elementais e inimigas de Ashley.

    18
    • Micro picture
      kalini · 7 months ago · 2 pontos

      Um dos RPGs mais exoticos, intrgantes e dificeis que já joguei. Pena que nunca saí nem do começo, hahaha!

  • jcelove José Carlos
    2021-03-19 13:53:55 -0300 Thumb picture
    Post by jcelove: <p><a href="https://www.youtube.com/watch?v=-fzX3vO

    O Eric forçando a barra de novo pra encaixar jogo suficiente na lista. 

    14
    • Micro picture
      _gustavo · 7 months ago · 2 pontos

      Tem uns super forçados mesmo nessa lista, tipo o Atelier "que não sabia", o proprio jogo te fala que é interligado com os outros arland até no título kkkkkkk. Dos games que eu conheço da lista eu não sabia o do Magna Carta, o resto é todos meio óbvios mesmo kkk

      1 reply
    • Micro picture
      tiagotrigger · 7 months ago · 2 pontos

      Se está na Internet é porque é verdade. xD

      2 replies
  • edergamerroots Eder Valente
    2021-01-07 22:03:52 -0200 Thumb picture
    edergamerroots checked-in:
    Post by edergamerroots: <p>#img#[754939]</p><p>É num é que deu uma saudade

    É num é que deu uma saudade desse jogo

    19
  • thejosephkorso Helton Carvalho
    2020-11-22 22:15:16 -0200 Thumb picture

    Dando resume depois de décadas

    Medium 747316 3309110367

    Quem vê os nomes das minhas armas deve achar que sou muito metaleiro. Bem, já fui. Mas hoje nem tanto. Quase nada.

    Esse resume foi de tempão e foi de mídia Sparrow pra original. Nunca fiz Game plus. Deveria. Maa também deveria fazer um diorama, mas e tempo pra projetar um à altura desse clássico dos 32 bits?

    @jcelove já pensou num diorama aí? Pensando em usar o artwork oficial do Akihiko mesmo.

    9

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...