This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • jl_karnage João Lucas
    2021-04-02 01:14:10 -0300 Thumb picture
    jl_karnage checked-in:
    Post by jl_karnage: <p>Zerado 100% em Março/2021 - 36h de jogo<br><br>U

    Zerado 100% em Março/2021 - 36h de jogo

    Uma obra-prima em questão de narrativa e exploração e ao mesmo tempo um poço de criatividade e novos conceitos de gameplay. Um jogo simplesmente incrível que demonstra que ainda há espaço para se criar coisas novas no mundo dos games sem precisar copiar o que já foi feito e o que faz sucesso.

    16
    • Micro picture
      cypher · 4 months ago · 1 ponto

      Está na minha lista para Jogar!

  • vaojogar Vão Jogar!
    2021-01-22 13:02:59 -0200 Thumb picture

    O que eu joguei em 2020 - Tchulanguero

    Seguimos com as nossas retrospectivas, dessa vez com o @tchulanguero, que compensou o seu isolamento em tempos de pandemia com muitos jogos. [link]

    Nos acompanhe também pelo Telegram, acessehttps://t.me/vaojogar e inscreva-se!

    6
  • majimbuu Paulo Victor
    2020-10-07 10:10:37 -0300 Thumb picture
    majimbuu checked-in:
    Post by majimbuu: <p>Não satisfeito em apenas terminar o jogo, fui bu

    Não satisfeito em apenas terminar o jogo, fui buscar também as conquistas. Vi que era bem de boa fazer os 1000 G, com exceção de duas conquistas mais cabulosas. A maioria delas só requer paciência, como a de se afastar da galáxia e a de tomar 1000 de dano antes de um loop temporal. Deixei as duas mais difíceis por último: Entrar na Estação Solar manualmente e achar o Olho do Universo no primeiro loop. 

    Entrar na Estação Solar manualmente parece impossível no início, mas aos poucos fui pegando o jeito. O macete é se aproximar do Sol devagar e travar a Estação Solar no Diário de Bordo pra você saber se está alinhado à órbita dele. Tem um momento que você meio que entra em órbita e fica mais de boa. Aí é só alinhar com a entrada e ejetar da nave.

    Deixei pra fazer a do loop por último por que é necessário apagar o save. Achei que fosse mais de boa, mas foi ainda mais difícil que a anterior. Demorei pra me tocar que ir ao Olho do Universo requer mais tarefas do que eu tinha calculado. Tem um momento que é necessário "marcar" um lugar por outra entrada pra não se perder no fim.

    Feliz pela conquista, mas triste por não ter muitos motivos pra continuar a jogar Outer Wilds...

    5
  • majimbuu Paulo Victor
    2020-10-01 15:14:16 -0300 Thumb picture
    majimbuu checked-in:
    Post by majimbuu: <p>Desde a adolescência, sempre fui aficionado por

    Desde a adolescência, sempre fui aficionado por física teórica. Cheguei até a cursar nível superior de Física na Universidade Federal do RN (apesar de ter desistido porque não aguentei o tranco, hehe). Li muita coisa sobre o assunto, desde Stephen Hawkings, até mesmo alguns textos clássicos traduzidos de grandes físicos, documentários, vídeos no youtube etc. Por essa paixão pelo universo da física, sempre tive queda por ficção científica que tratasse destes assuntos de forma criativa. 

    Então vamos lá. Eu amo: explorar;  ficção científica com viagens espaciais e conceitos emprestados da física;  jogos que tenham investigação e puzzle; jogos que não entreguem seu mundo mastigado. E esse jogo tem tudo isso aqui! Nem preciso dizer que parece que foi feito pra mim, né?

    Agora que estou perto do fim (eu acho), posso dizer que nenhum jogo (ou qualquer outra obra de ficção) que eu já tenha experimentado na minha vida conseguiu entregar o que Outer Wilds me entregou. Ele até tem alguns vacilos em relação à qualidade de vida, mas as partes memoráveis vêm aos montes e para mim apagam os pequenos defeitinhos que ele tem. 

    O Universo em Outer Wilds funciona independentemente de sua presença e o jogo passa muito bem essa sensação de grandeza e vastidão do Espaço, e como somos minúsculos diante dessa imensidão. Tudo acontece em tempo real e às vezes você é arrematado por um fenômeno repentino, que te joga pra algum lugar desconhecido e você passa um bom tempo para entender o que, de fato, aconteceu. Cabe à você observar e juntar os pontos. 

    Um ponto muito positivo foi a localização. Os nomes dos planetas em português são até mais legais que os nomes originais. Pelo menos para mim, Profundezas do Gigante me parece um nome mais imponente que Giant's Deep, ou Abrolho Sombrio ao invés de Dark Bramble...

    O jogo tem probleminhas de qualidade de vida que se eu pudesse, adicionaria. Não sinto falta de fast travel, mas seria útil uma forma mais fácil de manipular o tempo, pois alguns eventos te obrigam a esperar demais... 

    Por fim, devo dizer que é uma das experiências mais marcantes que eu já tive o prazer de experimentar num video game. A forma como trabalha alguns conceitos de ficção científica são incríveis! Espero terminar essa semana.

    10
  • majimbuu Paulo Victor
    2020-09-07 10:42:09 -0300 Thumb picture
    majimbuu checked-in:
    Post by majimbuu: <p>Agora que tenho um Xbox One S com gamepass, o cé

    Agora que tenho um Xbox One S com gamepass, o céu é o limite. Esse jogo, aliás, foi o principal motivo que me fez adquirir um segundo console além do Switch.

    Quando ouvi falar sobre ele, percebi logo que era o jogo ideal pra mim: muita exploração e investigação em um sistema interplanetário.  Mas vamos às impressões iniciais...

    A jornada inicia quando você acorda de um cochilo à beira de uma fogueira, juntamente com uma criatura que parece ser um conhecido seu. Seu objetivo inicial é conhecer mais sobre os habitantes do Recanto Lenhoso (nome de seu planeta natal) para descobrir mais detalhes sobre sua jornada. Essa introdução serve como tutorial para você aprender sobre os sistemas do jogo, que envolvem operar equipamentos que lhe ajudarão em sua jornada, bem como controlar o seu foguete e o propulsor do traje espacial. 

    Depois de fazer os tutoriais e pegar o código de lançamento, você fica autorizado a subir até a plataforma de lançamento, entrar no seu foguete. Dentro do foguete, você tem um traje espacial disponível, um diário de bordo com anotações do seu progresso e uma cabine para pilotar. Para sair do planeta, basta afivelar o cinto, segurar o botão de lançamento e pronto, em instantes você está, enfim, no espaço.

    O gameplay é basicamente um simulador de exploração espacial. Você controla a sua nave espacial nos seis eixos (frente, trás, cima, baixo, direita e esquerda) além da rotação. O pouso é todo em tempo real, não há corte de cena ou pouso automático, então é necessário saber posicionar o foguete para não danifica-lo na descida. O controle do propulsor do traje funciona de forma muito parecida com a nave e serve para explorar os planetas nos quais você pousou.

    O primeiro ponto que me chamou a atenção e que torna este game tão especial é que tudo ocorre em tempo real. Não há telas de loading para entrar no foguete, para decolar e até mesmo para ingressar na atmosfera de um planeta. Isso torna o jogo muito imersivo. Fico imaginando que maravilha seria esse jogo em VR.

    Os gráficos não são super realistas e o game dá umas engasgadas no meu Xbox One S, mas é perdoável tendo em vista toda a física do jogo e a falta de loads. A sensação de entrar num planeta em tempo real e ver toda a galáxia se mexendo além de você supera qualquer outra escolha que tornasse o jogo mais bonito graficamente.

    A trilha sonora é bem tímida, mas a música tem um papel super-importante para a trama do jogo.

    Acho que já devo ter jogado umas 3 ou 4 horas juntamente com minha esposa e já estou apaixonado por ele. Que jogo incrível! A sensação de deixar o planeta pela primeira vez é deslumbrante e ao mesmo tempo assustadora. 

    2
  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2020-03-25 10:50:24 -0300 Thumb picture

    Outer Wilds chega dia 18 de Junho na Steam

    A Publisher Annapurna Interactive e a dev Mobius Digital anunciaram o fim do contrato de exclusividade com a Epic Games e Outer Wilds chegará na Steam dia 18 de Junho

    O Game também já está disponível no PS4 e XBOX One

    19
    • Micro picture
      gustavohawke · over 1 year ago · 1 ponto

      Confundi com o The Outer Worlds, algo assim, aquele da Obsdian

      1 reply
    • Micro picture
      santz · over 1 year ago · 1 ponto

      Finalmente!

  • vaojogar Vão Jogar!
    2020-02-14 13:09:09 -0200 Thumb picture

    Análise de Outer Wilds

    Uma análise sobre Outer Wilds, um jogo de exploração espacial que foge de diversos clichês do gênero, entregando uma dinâmica única e fascinante. [link]

    Nos acompanhe também pelo Telegram, acesse https://t.me/vaojogar e inscreva-se!

    17
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2019-05-30 09:18:29 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>Ganhei esse jogo no mixpot, por assistir algum e

    Ganhei esse jogo no mixpot, por assistir algum evento, que já nem lembro qual foi, pelo Mixer. 

    Quando ativei o código, a live mostrava o ano 2099 como data de lançamento, acabou que esqueci dele. 

    Até que ontem li uma notícia que foi lançado, baixei pra testar. 

    Jogo de exploração, mundo aberto, onde você é um astronauta e tem que passear pelo sistema solar. 

    Ambientação e trilha sonora agradaram, o jogo é bem relaxante, nem fiz muita coisa, só entrei na nave e sai pilotando por aí. 

    26
    • Micro picture
      ryou · about 2 years ago · 2 pontos

      2099? Estava previsto pra lançar antes do FFVII remake.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...