This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • 2020-12-16 10:43:10 -0200 Thumb picture

    [Finalizado] Pokémon Shield + DLC (Switch)

    É complicado falar de Pokémon, é parte tão longa da minha vida que chega a ser indissociável, mas vamos lá: eu não sou do pessoal que estava o tempo todo por perto das notícias e que ficou decepcionado com o jogo final e todas as promessas não cumpridas, eu genuinamente me diverti com o jogo, tem mecânicas interessantes, é dinâmico. Isto posto, sim, o jogo é preguiçoso, tem tantos problemas quanto possíveis, realmente longe de ser um jogo absurdo, na verdade, mediano até pra franquia que continua vendendo horrores, mas que hoje é dispensável para a maioria (não pra mim, infelizmente)...

    -

    Nº: AL#03 | 2020#01 | Switch#01

    1
  • 2020-10-17 18:01:44 -0300 Thumb picture
    Post by jornal_nintendo: <p>#img#[741788]</p>

    4
  • 2020-08-16 19:43:22 -0300 Thumb picture

    Se a empresa não faz, os fãs fazem

    E pensar que o sistema presente em Pokemon Let's go que funcionou perfeitamente não foi replicado nos sucessores... É, praise the fãs!

    21
    • Micro picture
      ersatzgott · 11 months ago · 3 pontos

      Como assim??? Que sistema porco era esse, no original? Caramba, cada dia que passa eu vejo que não é exagero toda vez que vejo uma crítica destrutiva desse jogo

      1 reply
    • Micro picture
      manoelnsn · 11 months ago · 2 pontos

      O cara tá até usando a Marnie de MC, ahuahua

      1 reply
    • Micro picture
      xymus · 11 months ago · 2 pontos

      infelizmente a game freak não soube fazer uso do sistema do Swicth e toda sua capacidade gráfica nessa nova sequência, a nintendo me desaponta a cada dia e ainda acho um absurdo termos que pagar 250 num card em alguma loja ou online pra poder jogar um game deles, mesmo eu não tendo um Switch infelizmente fico revoltado

  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2020-08-13 18:23:48 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Após 26 horas... A jornada da Desgraça foi final

    Após 26 horas... A jornada da Desgraça foi finalizada!

    Basicamente, atropelei os Gyms que faltavam, derrotei o terceiro lendário Uber da vez, o Eternatus (uma batalha que, tal como todas as raids, é uma captura com 100% de acc), derrotei o Champion, com o Charizard dele adorando conhecer meu Tyranittar...

    Depois peguei um dos cachorros Ubers (o com o escudo) e tive uma última batalha contra o rival que, como estava usando um cachorro também até que deu um trabalhinho, já que fiquei com pena de deixar minha equipe toda no 100, o que nessa geração isso não é lá muito difícil...

    E... Acabei o jogo principal (trio de lendários da vez? Não vi nem sinal). Depois tinha a battle tower pra ganhar pontos e comprar golpes (pro competitivo), tu podia refazer a Liga pokémon (que agora lembra ligeiramente àquela da primeira temporada do anime, o que é legal mas fizeram tudo MUUUITO curto) e ficar rodando na wild area igual um retardado fazendo Raid... Daí decidi ir pra Isle of Armor, a famigerada "expansão" do jogo...

    Digo expansão entre gigantescas aspas, já que tudo que tem nesse pedaço de terra são bichos diferentes pra capturar e uma quest de fazer uns trials para conseguir um pokémon urso carateca, que pode evoluir pra duas formas, uma Fighting/Water e outra Fighting/Dark, ambas bem apelonas.

    E após isso tu tinha que grindar com ele e passar uma torre só com ele na party, pra no topo conseguir fazê-lo evoluir. E até que toda essa enrolação vale a pena, já que o urso evoluído é muito bom (devia ter vindo nessa ilha mais cedo, aí teria limpado o chão do jogo só com ele, se lerdar), o problema é SÓ ISSO ESTAR NUMA EXPANSÃO! Caralho, aquelas ilhas do pós game do Fire red/Leaf Green (que já eram ruins) tinham muito mais conteúdo, e eram embutidas no jogo! Sem contar que estavam cheias de treinadores no meio do caminho, enquanto aqui, tirando as batalhas do roteiro, tu só luta com pokémons selvagens...

    Tu também pode andar com o bicho fora da pokébola, igual HGSS, mas tudo acontece de uma forma bem bugada, às vezes tu tá andando de bicicleta e ao invés do pokémon ir na sua garupa ou mesmo voltar pra bolsa ele continua te seguindo, e quando tu vai pra água é ainda mais zoado... Nem algo simples de fazer acertaram nesse jogo, puta merda...

    Ah, mas tem curry! Quem precisa de qualidade técnica quando se tem isso?

    Por fim, após quase 30 horas de jogo, eu posso dizer que não, o jogo não era tão ruim quanto eu imaginava... ELE ERA BEM PIOR! Pior que o que não faltam na net afora são reviews totalmente positivas desse negócio feito com o traseiro, como se os diversos problemas dessa trolha simplesmente não existissem apenas porque é um jogo da franquia Pokémon. Sendo bem sincero, só tem uma única coisa do jogo que realmente se destaca, que é o design dos personagens, tendo waifu/husbando material pra todos os gostos aqui.

    E, se num jogo de 60 dólares a melhor coisa é isso, pode ter certeza que não tem muita coisa que valha a pena a sua compra. No mais, como alguém que jogou todas as gerações de Pokémon, e que participou um bom tempo do competitivo da segunda geração, posso dizer com todas as letras que Sword/Shield é O PIOR JOGO DA FRANQUIA ATÉ O MOMENTO.

    Let's Go? Ultra Sun/Ultra moon? Dá até saudade dessas trolhas ao se deparar com as imensas e nonsenses wild areas, com o exp share automático, com coisas como Gengar e Tyranitar aparecendo no mapa pra serem capturados, com as rotas extremamente curtas, com os 5 pokemon center por cada cidade, com os move tutor gratuitos, com... Bem, é muita coisa pra dizer, então só uma review mesmo, mas fica a dica: se quer jogar pokémon, fique longe desse negócio pois não vale nem o tempo e muito menos o dinheiro gasto. 

    A menos que queira pagar 60 trumps para ver waifu material, porque o resto...

    26
    • Micro picture
      kalini · 12 months ago · 3 pontos

      Vai ter esculac... digo, review? :D

      4 replies
    • Micro picture
      chronoxplay · 12 months ago · 2 pontos

      Comecei a jogar o Pokemon Sword recentemente. Último que joguei foi o Ruby, ae pulei pra esse. Agora tenho q finalizar, mesmo tendo esses problemas. Eu já achei meio ruim q os personagens não tem voz, mas tu é obrigado a esperar o NPC terminar de fazer os gestos das animações para vc passar a conversa rápida. Essa da expansão foi foda mesmo. Ainda terá mais outra incrível expansão no fim do ano. XD

      2 replies
    • Micro picture
      ersatzgott · 12 months ago · 2 pontos

      1. Captura com 100% de acurácia é uma puta de uma avacalhação, hein?
      2. Tyranitar pokemanlet
      3. Qual é desse pokemon "oi casada" ali no sexto print? Eu sabia que eles foram muito pro lado furry, mas esse eu não conhecia

      49 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2020-08-11 10:28:24 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>A Desgraça já está com 8 horas de jogo...</p><p>

    A Desgraça já está com 8 horas de jogo...

    Quer um número mais sugestivo pra ela do que esse? hauahuahauha

    E a coisa continua tão fácil que dá até a sensação que estou jogando aqueles pokémon de GBC com cheat, aquelas de pegar lendário no matinho, de doce raro infinito, de ensinar Thunder para um Squirtle, porque a roubalheira aqui é desse nível pra cima. Primeiro, dei uma olhada nas famosas raids do jogo, onde tu enfrenta bichos com a nova função super criativa gigantamax, gigantomax, algo do tipo...

    Aí além de tu ter ajuda de uns 3 caboclos os bichos quando derrotados ou capturados, dropam esse tipo de coisa... Não tu não leu errado: as raids dropam rare candy! E além disso também tem esses itens roubados de nome Exp. Candy, que dão caralhadas de XP pros seus bichos... Treinar pokémon agora virou coisa do passado, entope os filhos da puta de candy que tu consegue a 3ª evolução do seu inicial antes do primeiro Gym fácil fácil...

    E calma, que fica pior... No meio do mapa, quero dizer da wild area, aparecem uns caras trocando watts (pontos que tu consegue pelo lugar) por golpes... Não, não são TMs, esses continuam infinitos, e ainda pra piorar mesmo as raids dropam essas coisas! Antes de chegar no primeiro gym já tinha até Aura Sphere pra ensinar pros meus bichos, é mole?

    E, antes de chegar no cara, que era um treinador de grama, peguei um Growlithe e evoluí pra Arcanine com uma fire stone que achei na wild area, e ali mesmo no pokemon center tinha um move releaner, um cara que reensina um golpe que teu pokémon esqueceu, algo que nos jogos anteriores só era possível bem no lategame e sempre tinha algo em troca, e nesse jogo ficou de graça! E aí deixei meu cachorro com isso e trucidei o infeliz.

    Ah legal, gigantomax nas batalhas de ginásio, como se tudo não estivesse fácil o suficiente!

    Após isso fui para o próximo gym, que ficava a uma rota de distância. É sério, eu mal andei e já tava nele! As batalhas ficaram não random, e me desculpem os que não gostavam de encontrar Zubat em cada passo no Mt Moon, mas retirar as random battles foi algo terrível de se fazer aqui, ainda mais que os pokémon são mais lentos que ti e tu pode passar quilômetros sem ter um único encontro...E também dilacerei a líder de ginásio mais querida dos fannarts, a Nessa. Ela usava bichos de água, então meu inicial limpou o chão com ela legal, e após isso também enfrentei a outra waifu do jogo que assim que foi anunciada já encheu a net de desenhos: Marnie.

    Tenho que admitir que os caras capricham no design das donas, já que são quase sempre bem chamativos (e até foi legal ver que a equipe rocket do jogo é um monte de fanboy maluco da Marnie) mas de quê adianta se todo o resto do jogo é esse pedaço de esterco? Enfim, após estraçalhar as novas waifus da franquia, fui no gym de fogo e pra ser ainda mais escroto, evoluí um Excadrill e o cara nem me encostou...

    Além disso tiveram batalhas contra esse rival idiota (que perdeu uma vez pra um cara genérico lá e ficou depressivo), descobri que de vez em quando aparecem umas raids diferentes com bichos mais raros por assim dizer, capturar pokémons ficou mamão com açúcar (fiquei umas 5 horas sem quebrar uma única pokébola), consegui o Fly na segunda cidade (e agora não precisa ter HMs te atrapalhando pra isso), um cara random me deu um pokémon poison/eletric... Já havia reparado que o singleplayer de pokémon tava cada vez mais decadente desde a terceira geração, mas quando a franquia foi pro 3D a coisa foi ficando mais descarada e Sword/Shield foram a solidificação-mor de todas as desgraças que me incomodavam durante todos esses anos jogando monstros de bolso... Não é à toa que a protagonista tem esse nome...

    A Desgraça vai continuar, agora vou usar os itens de XP e Rare Candies que tenho sobrando e vou terminar essa trolha o mais rápido possível, afinal um jogo sobre treinar monstros onde tu não precisa mais treinar nada não merece muito do seu tempo...

    26
    • Micro picture
      ygorvieira · 12 months ago · 3 pontos

      Doce não-tão-Raro

      1 reply
    • Micro picture
      katsuragi · 12 months ago · 3 pontos

      O jogo é uma montanha-russa de decepções, onde alguns Pokemon novos e designs de personagens e algumas faixas da trilha sonora são as únicas coisas que dá pra se salvar. E eu digo isso só escutando opnião de quem é fã de longa data mas sabe analisar as coisas com uma mente decente e não abraçar qualquer bosta que a Game Freak e o Masuda querem entregar.
      Eu ainda pretendo testar o rolê por mim mesmo quando pegar meu Switch e me limitar a não usar nada dessas mecâncias que facilitam o jogo pra ver se ao menos consigo um desafio decente.

      2 replies
    • Micro picture
      fonsaca · 12 months ago · 2 pontos

      Puts, que triste que ficou tão fácil...

      2 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2020-08-08 10:37:04 -0300 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>E como se a desdita com Ni No Kuni II já não fos

    E como se a desdita com Ni No Kuni II já não fosse o bastante, também comecei outra pendência... Não é bem uma obrigatoriedade pra mim, mas como já joguei todas as gerações da franquia principal...

    Primeiro, um nome bem sugestivo pra protagonista... E mal começa o jogo e ela já mostra que essa nomeclatura não é apenas enfeite, pois olha só:

    Ela sequer olha pra cara de quem ela está falando! Claro que esse é um daqueles rivais amigáveis que eu tenho vontade de jogar um Snorlax em cima, mas caralho, é um jogo de 2019, a coisa é realmente bem pior do que eu imaginava... Além disso a câmera nas cidades é estática igual no 3DS, os personagens não têm voice action, os efeitos das batalhas me fazem querer jogar Pokémon Stadium onde eram mais caprichados...

    Enfim, peguei o inicial de grama, já que os outros dois viram furros bem devianart na última forma, e o imbecil do rival pegou o bicho com fraqueza pro meu... DE NOVO! Após limpar o chão com ele, fui na floresta e encontrei um cachorro que saiu correndo no meio da neblina, fui onde ficava o professor da vez, que é uma velhota, consegui um bracelete pra deixar os bichos gigantes e fui para a famosa wild area, tão bem falada nos trailers!

    E é o mapa de Ocarina of Time... A diferença é que tem os espaços pras Raids com os bichos gigantes (as quais ainda nem cheguei perto) e aparecem uns pokémons overlevel no meio da coisa toda... Lembro de todo mundo descer a lenha no Let's Go Pikachu/Eevee quando saiu, mas esse Shield tá se encaminhando pra ser ainda pior, viu... E a dificuldade eu nem vou comentar, logo no primeiro matinho já tinha pelo menos uns 6 bichos diferentes pra capturar, todos de tipos diferentes, o EXP share é automático e não dá pra desativar...  Divertido acredito que o jogo será, afinal é Pokémon, mas...

    32
    • Micro picture
      tiagotrigger · 12 months ago · 3 pontos

      Vixe, o rival escolhe o bixo que é fraco contra você? Pokémon sempre foi fácil e os caras vão facilitando mais ainda. xD
      O último que joguei foi o Y e pelo que lembro tinham dois "rivais", o amigo que pegava o Pokémon fraco contra você e o rival que pegava o forte.

      1 reply
    • Micro picture
      ersatzgott · 12 months ago · 2 pontos

      Na real, isso do exp share não dar pra desativar pode ser ruim mesmo, mas eu adoro exp share. Ninguém merece grindar em Pokemon, é muito lento hauuhauh

      10 replies
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 12 months ago · 2 pontos

      Jogo feito nas coxas?

      3 replies
  • 2020-06-02 12:12:56 -0300 Thumb picture
  • rafaschiabel Rafael Augusto Schiabel
    2020-05-12 20:43:23 -0300 Thumb picture
    rafaschiabel checked-in:
    Post by rafaschiabel: <p>Passando pra dizer que Pokémon já tá tototops no

    Passando pra dizer que Pokémon já tá tototops no Yuzu Early Access :D

    18
  • juninhowii360 Juninho Junior
    2020-01-08 06:59:35 -0200 Thumb picture
    juninhowii360 checked-in:
    Post by juninhowii360: <p>Fazer um check in Aqui depois de 7 meses.&nbsp;<

    Fazer um check in Aqui depois de 7 meses. 

    16
  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-01-04 12:44:47 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Pokémon Shield

    Zerado dia 01/01/20

    Olha aí o primeiro jogo do ano de 2020! E não poderia melhor do que fechar já de cara um jogo de peso que tenho jogado por duas semanas: Pokémon Shield.

    Esse jogo foi anunciado há um bom tempo e eu não vi nada de mais o que resultou num hype zero, mas com a proximidade de seu lançamento eu fiquei muito curioso por explorar seu grande mundo, clima, novos pokémon e se juntar ao que todos estariam jogando. Cheguei até a cogitar pagar um alto preço, mas consegui me segurar e raciocinar. Felizmente uma amiga acabou comprando duas cópias e vendeu uma pra mim.

    Com o jogo em mãos, me segurei e baixei um pouco o hype enquanto terminava outras coisas, o que foi muito positivo, mas eu prometi jogá-lo na minha viagem com calma, e foi o que aconteceu.

    Começando a viagem já embarcado e confortável, puxei o Switch e já abri o jogo. O começo é tudo do pouco que eu já tinha visto em trailers, como as vilas, NPCs e tal. É aí que nos é apresentado o personagem Hop, um amigo que tem o sonho de se tornar o grande campeão das batalhas pokémon da região. Mal imaginava eu que esse cara seria um dos mais chatos posteriormente.

    Já podendo explorar um pouco, é possível ver os monstrinhos andando por aí em áreas com grama, algo que já tínhamos visto em Let's Go Eevee/Pikachu. O enredo também não é muito original pra série e já te manda ir visitar o "professor" da região, que é sempre aquela pessoa que estuda os pokémon e demais fenômenos relacionados, que aqui é o Dynamax, fenômeno que faz os monstros ficarem gigantes em batalha.

    Tive logo a possibilidade de escolher meu inicial, e nunca foi tão difícil. Os três são muito bacanas e os designs muito carismáticos, mas eu cheguei a ver suas evoluções e é SOFRÍVEL. Não sei qual é o mais sem sal/feio. Pra falar a verdade, eu achei que suas últimas formas tinham mais cara de segunda forma.

    Com meu inicial em mãos, temos a primeira batalha. Nada de novo senão os monstrinhos. Nesse momento eu lembrei que vi gente dizendo que Sword/Shield é um jogo de Nintendo 3DS melhorado, e é bem isso mesmo. Quer dizer, o jogo é bem fluído e as texturas, apesar de melhores, são no máximo ok. Basicamente eu não senti um salto muito distante desde a geração anterior.

    O jogo que já começa linear, como de costume, parece querer te segurar pelas mãos o tempo inteiro. Vão para tal cidade e me encontre lá, e chegando lá a pessoa já está na entrada com uma cinemática te esperando (isso durante o jogo todo, praticamente). O mapa é bem coisa do tipo que vimos por muitas gerações: corredores ligando cidades. O problema é que há sempre tanto a ser visto fora dos limites que você pode alcançar que a noção que dá é que você vai poder ir lá, mas não, é tudo enfeite. Imagine jogar Breath of the Wild mas o jogo te limitar nas rotas e você acabar se sentindo mais preso do que tudo!

    Claro que aqui é Pokémon e meio que sempre foi assim, mas chega a ser meio frustrante o quanto o jogo te limita, apesar de existir tanto cenário. Já as cidades são bem esquisitas, mas nada de muito diferente. Esquisitas porque sempre tem umas casas aqui e ali, você entra, fala com as pessoas e elas ou falam algo totalmente irrelevante ou te dão algo, como um TM.

    Uma coisa que achei bacana é que cada uma dessas cidades é bem original depois de uma ou outra, como uma que é meio mexicana e me lembrou bastante o mapa de deserto do Mario Odyssey, uma que é numa floresta cheia de cogumelos luminosos, que me lembrou Xenoblade, e uma que é basicamente Londres. Porém, é como eu disse, você chega lá, o Hop fala alguma coisa e já te manda pro ginásio. Muitas vezes eu ficava com preguiça de conhecer os lugares a fundo, por mais que o tenha feito, porque eu no máximo ganharia itens que nunca usaria e ouviria papo furado.

    Já passou da hora da Gamefreak perceber que esses jogos tem que ir além!

    Terminado o ginásio, próxima rota com mais pokémons (tava capturando tudo) e logo uma outra cidade, mais Hop aqui e ali e ginásio. Tem momentos que você ganha insígnias uma atrás da outra, é super bizarro. E imersão zero em cada cidade nova, pois nem dá tempo ou há motivos pra te fazer conhecer o lugar propriamente e o valorizar.

    Sobre os ginásios, eles são levemente diferentes do comum. É normal que você tenha uma mecânica nova e tenha que resolver puzzles/desafios para chegar até o líder. As vezes é algo criativo, as vezes é mais do mesmo.

    A batalha dos líderes são aquelas que acontecem no estádio, cheios de gente torcendo e onde os pokémon podem ficar gigantes. Esses fenômenos Dynamax e Gigantamax funcionam da seguinte forma: qualquer pokémon pode ficar grandão, mas apenas um deles por batalha. Para ativar a mecânica, basta selecionar o ícone dentro do campo Battle, que é onde você escolhe os ataques (exatamente como funcionava a Mega Evolution). Ao selecioná-lo, seus ataques mudarão para seus equivalentes de tipo do Dynamax (todos os ataques de fogo se tornarão Max Flare, por exemplo). Depois de escolher o golpe, acontece uma cutscene e seu monstrinho fica gigante e usa aquele ataque, que normalmente é devastador e ainda causa alguma efeito no campo de batalha, como Sandstorm, por exemplo.

    Seu pokémon só fica 3 turnos gigante e depois retorna ao normal e os líderes costumam usar a mecânica apenas no último pokémon. E contanto que você tenha um bom tipo de pokémon na batalha, nenhum deles é muito forte, mesmo grandão.

    Depois de vencer umas cidades, eu finalmente conheci a tal da Wild Area. As WA são basicamente um passo mais perto do sonho de muita gente pra série: liberdade, controle de câmera, um campo abertão, diversos biomas e climas diferentes. É legal.

    Infelizmente eu não curti um bocado de coisas nesses lugares. Primeiro que o level design basicamente não existe. É muito amador! Basicamente é um lugar grande, umas árvores aqui e ali, assim como pontes, vários gramados e tudo cercado por uma parede de rochas. É legal ter diferentes níveis de chão e tal, mas as vezes você precisa dar uma super volta para chegar ali do lado. Imagine você a área inicial de um jogo como Ocarina of Time, onde há rampas, diferentes elevações e lugares pra subir. Agora imagine o mapa do mesmo jogo, que apesar de ser simples, tem pontos que te localizam. Em Pokémon Shield é tudo muito básico e ainda há trocas repentinas de clima de um lugar para 2 centímetros ao lado, que não sei se curto ou não.

    Agora a parte que eu mais achei estranha é que existem pokémons super fortes nesses lugares. Na primeira visita eu deveria estar lá pelo nível 15 e já fui correndo pra um Onix que vi. Nível quase 30 o danado, me massacrou e nem deixava eu fugir nem capturar (o jogo te proíbe de capturar monstros de determinado nível pra cima até que você tenha algumas insígnias). Depois capturei alguns e me frustrei com outros minúsculos, mas fortes. Basicamente você deve ignorar esse tipo de lugar e voltar mais tarde quando estiver mais forte.

    Resumindo: Pokémon Shield é legal, mas mais do mesmo. Com exceção de estar jogando num novo console de tela grandona ou a possibilidade de jogar na TV, eu mal senti que estava jogando um lançamento. É quase um Sun/Moon 2. E isso não implica que seja ruim (até porque eu curto bastante a sétima geração), mas apenas uma pequena evolução já esperada e uma campanha boba. Depois de tudo, de toda a exploração e fechado metade da pokédex, eu somei 25 horas de jogo...

    De bom: uma nova região e novos pokémon, que são até bem feitos. Interações online muito bacanas, incluindo logs do que as pessoas estão fazendo, inclusive seus amigos. Surprise Trade, outra interação online, serve meio que como um Wonder Trade e é bem maneiro. Definitivamente um jogo bem mais legal de ser jogado constantemente online. Sem HMs e a necessidade de equipar itens como bicicleta ou vara de pescar, pois tudo é feito com rapidez e inteligência. Os modelos dos pokémon são muito bonitos. Curti o corte de pokémons, pois faz sentido não ter todos em uma região (como nunca teve) e não há um número maçante de capturas a serem feitas, além de que a gente pode valorizar mais os disponíveis. Algumas customizações de jogo ajudam bastante, como a possibilidade de usar os "casual controls", que deixam a jogabilidade parecida com Pokémon Let's Go.

    De ruim: a capa do jogo é horrível. Algumas texturas feias ou esquisitas. Campanha fácil e curta. O jogo explora muito mal os seus cenários e te manda toda hora pra um lugar novo. Elementos que sempre voltam continuam a voltar, como o Team Yell (re-skin de outro time qualquer da série). Achei que o jogo insiste em trazer os mesmos personagem a tona muito frequentemente, como o Hop, a professora e até os líderes de ginásio, que você enfrenta mais de uma vez. Monstros super fortes e sem indicativo fazem sentido pro mundo do jogo, mas pro jogo é bem esquisito. Não poder mexer a câmera em todo lugar é uma decepção, ainda mais que em muitas partes você tem que andar em direção à tela.

    No geral, Pokémon Shield foi uma boa experiência e ainda tenho uma vontade de jogar mais e completar a pokédex, mas como não tenha a intenção de ficar com o cartucho, não sei se faria sentido. Sobre a experiência, vale a pena jogar se você curte a série, quer um RPG casual e principalmente se curte o competitivo, que infelizmente não é o meu caso. Não foi dinheiro jogado fora, mas a sensação foi a mesma de jogar os últimos lançamentos da série: com bem menos empolgação. Sobre a série, tenho cada vez menos vontade de comprar as gerações que virão.

    25
    • Micro picture
      bartd3 · over 1 year ago · 2 pontos

      Parabéns excelente análise

    • Micro picture
      mutux · over 1 year ago · 2 pontos

      Quero ler essa análise depois

    • Micro picture
      dan8d · over 1 year ago · 2 pontos

      Gostei bastante da analise amigo, parabéns.
      Bem, vamos la, queria sua autorização para colocar sua publicação em uma revista digital que estou desenvolvendo aqui para o alvanista, ela é totalmente gratuita, estou fazendo para criar um portfólio e por um amor pessoal meu por revistas gamers kk
      Vou deixar o link do edição dois que fiz para você avaliar e ver se me libera a usar sua analise
      http://alvanista.com/dan8d/posts/3767105-revista-alvanista-002

      2 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...