This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • flaviohideki Flávio Hideki
    2020-04-22 14:09:49 -0300 Thumb picture
    flaviohideki checked-in:
    Post by flaviohideki: <p>Finalizado. Jogo curtinho, mas bem divertido. O

    Finalizado. Jogo curtinho, mas bem divertido. O Humor é um dos pontos positivos do game.

    13
  • flaviohideki Flávio Hideki
    2020-04-20 13:56:39 -0300 Thumb picture
    flaviohideki checked-in:
    Post by flaviohideki: <p>Comecei esse e já digo que adorei a arte e o cha

    Comecei esse e já digo que adorei a arte e o character design.

    No começo é facinho, mas tou no mundo 3 e já está um bullet hell dos infernos, chego no chefe só no pó da rabiola. Tive que equipar um acessório de levar menos dano, mas que impede a classificação S no fim da fase. :(

    Tbm não sei qual é a lógica da loja de armas, parece que tem armas fracas com preços altos e conforme passa tbm desboqueia armas fracas (tipo uma espada tentáculo com dano 1). Será aleatório?

    8
  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-03-09 03:47:55 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Ninjin: Clash of Carrots

    Zerado dia 09/03/20

    Eu tenho um "amigo virtual" muito maneiro e que faz parte do meu grupo de Fortnite. O cara é bacana e engraçado a beça, mas o mais curioso é que, mesmo jogando quase todo os dias por vários horas juntos, eu nunca vi o cara! Nem eu nem nenhum dos meus outros amigos do meio! 

    O nome desse amigo é Arnold (ou pelo menos como ele se denomina) e nós nos conhecemos no Rocket League na época que lançou pro Switch. Geralmente eu não adiciono ninguém que não conheço online (senão a lista de amigos fica muito bagunçada e eu não sei quem é quem), mas por algum motivo eu aceitei o convite de amizade desse cara. Talvez tivemos uma partida sensacional!

    Lá em meados de 2018, enquanto meus amigos não haviam demonstrado interesse no Fortnite ou de sair da "bolha Nintendo" (Splatoon, Smash e Mario Kart), joguei um bocado do Battle Royale da Epic Games sozinho até que o Arnold se juntou a mim e fizemos dupla inúmeras vezes. Ele até falava pelo microfone (mas infelizmente eu me esqueci como era a voz dele).

    Hoje em dia ele não fala senão pelo chat de texto do jogo, usa um mii zoado na foto do perfil do Switch, não tem perfis em redes sociais ou passa seu número de whatsapp para o adicionarmos ao nosso grupo de 4 membros em que avisamos quando jogaremos e tal. Ele sempre se diz ser "full anônimo".

    Apesar de isso parecer meio estranho, ele é muito gente boa. Quando terminamos as nossas jogatinas diárias e todo mundo começa a sair do jogo, eu sempre o espero dizer alguma coisa no chat e isso as vezes rende bastante tempo de conversa. Eu pelo microfone, ele digitando mil coisas. Geralmente falamos sobre jogos, trocamos dicas de bons títulos baratos no Switch e tal.

    Foi num dia desses que ele recomendou comprar o jogo Ninjin: Clash of Carrots, um indie brasileiro multiplataforma. Na época de seu lançamento na plataforma Nintendo, ele estava saindo por apenas R$3! Eu tinha visto alguém comentar sobre ele no grupo do Facebook, mas foi o Arnold que me convenceu a comprá-lo ao mencionar o modo co-op online e que poderíamos jogar.

    Eras se passaram e pensamos em marcar a jogatina de Ninjin, mas eu sempre esquecia e nunca concretizamos. Isso pelo menos até ontem!

    A jogatina do dia do Fortnite acabou meio frustrada (um dos nossos amigos sempre dá rage quit no final de algumas horas de jogo) e o Arnold mandou um "bora Ninjinzar"? Eu sabia que não era um jogo muito longo, então topei.

    Abri o jogo, deletei um save que já tinha por ter jogado o tutorial algum dia e recomecei a aventura. Ele tinha dito que abriria a sala e que eu deveria entrar. Fiz o tutorial novamente e reaprendi os básicos.

    Esse jogo funciona da seguinte maneira: é um sidescroller em que os personagens correm constantemente na temática ninja (surpresa!). Você pode mover os personagens livremente pelo caminho, seja pra cima e baixo, seja horizontalmente. Ao apertar Y, você corta com a sua espada mas, apenas pra frente. Ou seja, você só ataca pra direita, que é a direção que os personagens correm

    Mas e aqueles que aparecem por trás? Basicamente você deve os evitar ou usar o B para esquivar para trás deles quando houver espaço, deixando-os a sua direita e atacando-os.

    Logo você aprende que além de usar Y e B, você pode apertar os dois ao mesmo tempo para usar um ataque que ao mesmo tempo é uma esquiva. Tanto esse ataque quanto apenas esquivar gastam da sua stamina, então não há muito motivo para usar apenas o B. Esse ataque com os dois botões, se usado enquanto segura para trás, servem como um ataque pro lado esquerdo. Muito útil, apesar de stamina ser algo que acaba muito rápido com tanta esquiva que você dá aqui e ali.

    Vale saber que, embora o ataque de corte normal não gaste stamina, ele impede que ela se regenere sempre que você ataca.

    Já manjando bem dos simples comandos, fui em busca de jogar com o Arnold. Apertei tudo quando era botão na tela do mapa e não achei nenhuma opção pra isso. Voltei pra tela título, de seleção de Saves e tudo e só havia a opção de parear mais um controle e jogar localmente.

    Aaaargh! E o pior é que não tem como falar com o cara. Joguei na internet e felizmente tiveram a mesma dúvida em outra plataforma. Pra jogar online você deve escolher uma fase e ao tentar acessá-la, o jogo dá a opção "Play Online". Fiz isso, procurei na opção de buscar uma partida privada (havia aleatória também) e lá estava o nome dele (só havia essa).

    Eu não sabia nada de Ninjin, mas o Arnold já tinha uns equipamentos legais. Escolhi a segunda fase e lá fomos nós.

    Esse começo foi bem simples e com uma quantidade de enredo bacana (visto que estávamos jogando online). Ele não tava fazendo anda nas primeiras fases senão se esquivar de ataques inimigos. Imaginei que estivesse super forte, então fui jogando na boa até as fases começarem a ficar mais tensas.

    Conforme você derrota as ondas de inimigos, ganha dinheiro (cenouras) e o jogo te recompensa bem por fazer combos altos e não tomar dano com mais cenouras e um pouco de cura, respectivamente.

    Logo a loja foi desbloqueada e eu fui atrás de armas mais interessantes pro meu personagem, o coelho Ninjin. Comprei uma espada gigante em forma de cenoura pra enfrentar fases mais difíceis.

    Eu tava me achando com o cenourão e aqueles estágios simples, mas eu não era nada perto do Arnold, que infelizmente não começou um save novo.

    Logo as coisas começaram a dificultar e o que eu imaginava que eram todas as armas do jogo se mostrou ser apenas uma pequena porcentagem. Eu comprei e desbloqueei dezenas delas e ainda faltaram MUITAS. Mas é bem bacana como existem tipos de armas (como espadas, lanças, martelos etc) e variações que incluem seus alcances de ataque, velocidade de uso e até mesmos efeitos passivos, fora diferentes danos. No começo as armas variam de 6 a 10 de ataque, mas no final eu usava uma de 36. Nesse jogo as armas disponíveis nas lojas sobem lentamente de força, ou seja, você fica um tempão com uma de 10 enquanto outras similares dão o mesmo dano ou 11, mas pecam de alguma forma.

    Além das armas, a lojinha do corgi oferece ainda habilidades passivas esquipáveis e armas a distância. No caso das habilidades, elas te ajudam a vencer as fases, com coisas como stamina se regenera mais rápido, HP máximo maior, se curar a cada tantos inimigos mortos etc. Já as armas a distâncias são coisas como shurikens ou kunais que você lança ao mirar com o analógico direito e o soltar (gastam stamina). Essas armas também variam em dano, tamanho, efeitos e afins.

    Conforme fomos jogando, mais e mais itens foram ficando disponíveis pra compra. Muita coisa é obviamente inspirada em armas japonesas, mas há também um bocado de referências à video games, como uma espada que é basicamente uma Piranha Plant lançando a língua, outra era a Master Sword de Zelda e outra era a Buster Sword do Cloud do Final Fantasy VII. Nesse momento eu lamentei um pouco estar jogando em português, pois queria ver os nomes em inglês. Mas, bem, o jogo é brasileiro.

    Foi desbloqueada também mais tarde outra loja, que vende máscaras pro seu personagem. Elas são puramente estética, mas eu curti muito um bocado delas, como uma que deixava a minha cabeça toda coberta de esparadrapos (sem olhos nem nada), outra que deixou o Ninjin parecendo um Shadow do Kingdom Hearts e por aí vai.

    Conforme você avança ainda vai desbloqueando umas pedras que esquipa num slot próprio e que liberam um ataque especial caso você encha a barrinha roxa ao atacar e combar continuamente nos inimigos. O jogo quer mesmo que você bata, e bata bem!

    É engraçado ver como esse jogo passou de "Genérico" da primeira vez que o vi e joguei para "Joguinho fácil e tedioso" nas primeiras fases depois "Jogo bacana", "Tenho que pensar na melhor estratégia pra esse personagem", "Caraca, que fase tensa!" e finalmente "Que jogo bom! Como eu só paguei 3 reais nisso?".

    Chegamos a perder em alguns estágios e mexer nos equipamentos pra ficar mais a favor, trocar armas que comprei por pura experimentação e me adequar direitinho. Isso se mostrou ainda mais no último mundo quando perdemos várias vezes em um estágio que constantemente bloqueava uma, duas ou as três das nossas habilidades básicas contra vários inimigos: atacar, usar a esquiva e usar projéteis.

    Como já era começo de madrugada e estávamos perdendo nessa fase de 10 minutos com frequência, o lance de não poder me comunicar com o Arnold tava me deixando louco! Bom, preferi acreditar que ele sairia caso precisasse.

    No final, depois de quase 4 horas de jogo, muitos equipamentos, diversas piadinhas engraçadas do jogo, muitos novos monstros sendo apresentados, muitas cenouras gastas, chefes derrotadas, um mapão desbravado, o desfecho do jogo chegou e foi muito satisfatório. Eu não esperava um jogo tão bom assim! Me diverti demais!

    Resumindo: Ninjin: Clash of Carrots é um beat'em up muito surpreendente. Eu não esperava nada dele e de sua primeira fase que já havia jogado, mas logo ele cresce de uma forma muito positiva e demonstra seu verdadeiro potencial: que é um jogo muito bem cuidado e atento aos seus detalhes. Esperava algo no nível shovelware de celular e recebi um título semelhante a Full Metal Furies. Ótima surpresa que chego a me sentir mal de ter pago apenas R$3.

    De bom: jogabilidade simples. Humor no ponto certo. Palete de cores muito bonita. Temática japonesa/anime muito bem colocada. Muita variedade de customização desde armas, habilidade até estética. Jogo em português. Possibilidade de jogar co-op local ou online. Há tanta coisa pra desbloquear e uma fase infinita que dão bons motivos pra continuar a jogatina, mesmo que casualmente.

    De ruim: a jogabilidade me confundiu constantemente, sobretudo pelo fato de não poder atacar pra trás (eu meio que não comprei o lance de eles estarem sempre correndo). Em algumas situações de muita confusão é difícil visualizar cada detalhe e é frustrante você tomar dano sem saber de onde foi (e perder bônus por não ter saído ileso). Se um morre, a fase acaba. Algumas fases se estendem um pouco demais, talvez. Tive problemas com a jogatina online pois parecia que meu amigo não estava exatamente onde mostrava e como os personagens se empurram/bloqueiam ao se encostarem, isso rendeu momentos irritantes.

    No geral, amei a experiência e recomendo demais, principalmente se você tem alguém pra jogar junto. Se você busca mais uma opção de dois jogadores de sofá, definitivamente dê uma chance ao precinho de Ninjin. Jogo muito competente e viciante!

    20
    • Micro picture
      xch_choram · over 1 year ago · 2 pontos

      Tava querendo muito saber se esse jogo é bom, ele ficou varias vezes baratinho assim, vlw.

  • mutux Rodrigo Braga
    2019-08-06 10:40:57 -0300 Thumb picture
    mutux checked-in:
    Post by mutux: <p>Tinha esquecido de registrar a finalização desse

    Tinha esquecido de registrar a finalização desse indie brasileiro (que eu comprei com moedas de ouro quando entrou em promoção).

    Esse jogo mescla os estilo beat´n up com a progressão automática (quase um shoot´em up de espada ninja) e em alguns bosses você tem a movimentação classica dos brigas de rua.

    Um jogo muito legalzinho, uma história divertida e ótimos personagens!

    9
  • farusantos Farley Santos
    2018-12-25 18:00:18 -0200 Thumb picture
    farusantos checked-in:
    Post by farusantos: <p>Ninjin: Clash of Carrots é um título produzido p

    Ninjin: Clash of Carrots é um título produzido pelo estúdio brasileiro Pocket Trap.

    O jogo combina beat'em up e shoot'em up de maneira bem legal. No controle de um coelho (ou raposa) ninja, precisamos derrotar ondas de inimigos com ataques de espada e lançando kunais. Os inimigos aparecem em formações complicadas e novos tipos de oponentes surgem constantemente, forçando mudança de estratégia constantemente.

    Ninjin também tem muitas opções de customização na forma de armas, acessórios e enfeites. As armas mudam significativamente a jogabilidade por causa de suas características diferentes: já encontrei uma "espada" que era um grande tronco (bem lenta, mas muito poderosa); facas de ataque veloz, porém de curtíssimo alcance; um disco que rebate pela tela ao ser lançado; e mais.

    Joguei pouco, mas já curti bastante o que vi :)

    6
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...