This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • 2022-11-07 22:09:57 -0200 Thumb picture
  • anduzerandu Anderson Alves
    2022-10-09 16:13:48 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Metroid Dread

    Zerado dia 09/10/22

    Quando o assunto era desbloqueio do Switch, muitos jogos vinham à mente. A maioria eram aqueles first party de 300 reais da Nintendo que eu tinha deixado passar simplesmente pelo fato de que eu não ache que nenhum título valha esse preço.

    Mas entre todos os motivos para recorrer a pirataria, acredito que Metroid Dread é o que eu pensava primeiro. Eu amo a franquia, sobretudo os dois de GBA, e queria ver como os eventos do Fusion se desenvolviam. Além disse, os Metroids costumam ser jogos rápidos e se desse algum problema no Switch hackeado, daria tempo de terminar antes, haha. Ser curto também é um dos motivos para eu não pagar os 300 reais.

    Normalmente eu pegaria emprestado com facilidade visto que todo mundo compra Metroid, porém o advento da pandemia afastou o pessoal e até hoje não voltaram a ter encontros de Switch no DF (acho que o pessoal se acostumou a se distanciar e não socializar), mas também acredito que a maioria já entrou na onda de pegar os jogos digitalmente no lançamento.

    O primeiro dia após um dia inteiro de downloads de jogos, Metroid Dread (MD) foi o primeiro jogo que testei. Que jogo LINDO! Sério, eu gostei tanto do que vi que até preferi dar um tempo para ficar mais no clima (estava meio cansado). Em seguida, por algum motivo, dei sequência jogando Bowser's Fury (mais feliz e ainda mais curto) e cedi à curiosidade de conhecer Link's Awakening completamente.

    Mas chegou a hora! Abrindo o jogo não tem muito o que ver no menu, que segue o mesmo padrão de sempre, mais sério e direto. A campanha se abre com cinemáticas explicando a história até então, incluindo os eventos das aventuras anteriores (Zero Mission, Samus Returns, Super Metroid e Fusion) e toda a terminologia, tipo o que é um metroid ou o parasita X.

    É óbvio que dá para curtir MD sem jogar os anteriores, mas a experiência fica 200% melhor se você estiver seguindo o storyline, entender o impacto de algumas informações e as referências.

    O enredo se passa no planeta ZDR de onde a caçadora Samus recebe informações da existência de mais unidades do ameaçador parasita X, inimigo primário do título anterior na história.

    Ao chegar no local, a protagonista é atacada e perde toda a sua tecnologia, se tornando fraca. Cabe a você então explorar o lugar, tentar voltar à sua nave, recuperar suas coisas e resolver os problemas originais. Além disso, o planeta ainda tem muitos indícios da história do povo que criou Samus, algo que desperta a curiosidade da caçadora e de nós, os jogadores.

    A sensação é mesmo de que Dread veio para trazer a experiência clássica da série e responder muitas das questões de quem se interessa pela história dela.

    Eu estava com medo por ser um jogo desenvolvido pela Mercury Steam, mesma de Samus Returns e Castlevania: Lords of Shadows - Mirror of Fate (ambos de 3DS), mas como eu me surpreendi!

    A primeira coisa que se nota é como esse jogo é lindo. Eu já mencionei isso, mas ele é mesmo LINDO! Eu não me lembro de outro jogo sidescroller que tenha cenários tão incríveis como esse! É tudo tão vivo e real. Os efeitos de luz passando por buracos e ventiladores vindo de encontro a tela e mudando de posição conforme andamos e trocamos a perspectiva. Cara, é muito legal mesmo!

    E se você comparar com o Samus Returns, de 2017, você vai perceber como a franquia evoluiu grandemente. Não há serrilhados nem texturas feias. As cores são mais adultas e futuristas, mas sem ser tedioso. Em muitos momentos o jogo tem cenários que me lembram Halo, tanto as partes mais naturais e alienígenas quanto as que parecem construções humanas de um distante futuro. Definitivamente um ótimo trabalho dessa galera.

    Já a jogabilidade é impecável: veloz e muito responsiva do jeito que eu gosto, do jeito extremos que costumo fazer no GBA e coisa que os próprios Metroids antes daquele portátil não tinham acertado ainda. Você também é obrigado a se movimentar com o analógico.

    Porém algumas coisas são mesmo diferentes dos jogos anteriores, mas numa tentativa de aprimorar a fórmula. Como o Fusion me marcou muito, ainda estava tendo dificuldades até hoje de acertar certos comandos em Dread sem os confundir. Até alguns power-ups são levemente diferentes e tem que pegar o jeito.

    Aqui você usa muito os botões L e R, um para mirar em qualquer direção enquanto se mantém parado e outro para ativar os mísseis. Mais pra frente ainda usamos ZR para ativar o grapple hook, chicote de energia para se pregar nas coisas e se balançar por aí. Quando você precisa se balançar, soltar o botão do gancho, mirar rapidamente no ar e lançá-lo novamente, eu achei meio confuso.

    A mecânica do cotra-ataque também voltou sendo que quando um inimigo está prestes a atacar, aparece um brilho nele indicando para você pressionar Y. Faça isso e você o executa instantaneamente e ainda consegue mais recursos, como cura e mísseis. Nunca fui muito fá dessa mecânica, mas até que dá pra esquecer de usá-la aqui.

    Muitos elementos são obviamente trazidos de Samus Returns, que por sua vez trazia bastante do Mirror of Fate, porém aqui realmente é tudo bacana e combina muito. Deu pra ver que a Nintendo foi cuidadosa com os detalhes.

    Ainda há também muito de God of War aqui e ali, em custcenes e partes de você deve usar o contra-ataque e que mais parecem os QTE do GOW III, mas até que não tem exageros e a Samus passa longe de ser "edgy", para a nossa alegria.

    Eu realmente fiquei procurando defeitos na aventura, mas ela é muito bem-feita. Deu até para entender a galera dizendo que esse é o melhor Metroid já feito. Ficou difícil argumentar contra, mas eu pessoalmente o deixaria no meu top 3, junto com aqueles de GBA, mas ele não tem algo que aqueles pixelados tinham: o fator nostalgia.

    Outra coisa é que os jogos anteriores chegavam a durar duas horas depois de pegar o jeito, mas esse daqui parece ter sido feito para durar bem mais. O meu tempo foi de 6 horas e 40 minutos (6 horas, pois eu deixei o jogo pausado um tempão ontem e fiquei na sala ajudando o pessoal de casa). Como é um jogo de alta velocidade, MUITA coisa acontece num minuto, então pareceu ser bem mais do que isso.

    Na verdade eu acho que a grande quantidade de informação para ser absorvida é tanta. São tantos poderes e lugares para voltar e áreas novas e vai e vem que meu cérebro cansa. Ontem joguei muito e até tentei ir até o fim em uma única sentada, mas não deu. Ainda faltava muito a ser feito. Voltei à tela título e só tinha 3 horas e pouco de jogo, WTF? Será que não conta o tempo entre um checkpoint e uma morte? Jamais saberei. Mas para ser sincero, quando voltei para jogar de verdade eu já tinha curtido um bocadão e quando vi só tinham 17 minutos. Bizarro!

    MD é bonito de diversas formas: personagens, detalhes, inimigos, incidências de sombra e luz, seus golpes etc, mas realmente o que me ganhou foram os cenários. Tem um em específico que parece aquele planeta d'água que o Obi-Wan visita no início do Episódio II de Star Wars: chovendo a noite, trovoando, ventando. Houve um momento que eu simplesmente parei ao lado de um janelão e fiquei curtindo o clima a noite no quarto, haha.

    Mas fora isso é tudo como sempre foi: explorar, explorar e explorar, procurar rotas secretas em paredes falsas até finalmente encontrar um chefe, vencê-lo e ganhar um novo poder. Onde ir em seguida? Nem sempre fica claro e cheguei a me perder bastante a ponto de andar por todas as grandes áreas do jogo até descobrir onde ir. Não é do tipo de jogo que pega na sua mão e te carrega, mas tem uma certa lógica.

    Uma coisa que achei meio estranho é o clássico sistema de aquisição de habilidades e upgrades. Aqui você basicamente só encontra mísseis toda hora e raramente melhoria de vida e até quando encontra alguns deles são como os piece of heart do Zelda (parte 1 de 4). Mas as vezes também é uma barra completa como sempre foi. Estranho isso.

    Achei legal que mesmo as habilidades mais básicas as vezes demoram para dar as caras na aventura, como a morph ball! Você passa boas horas sem se transformar em bolinha, sendo que geralmente é a primeira coisa.

    Ainda sobre isso, algo que não gostei é que você desbloqueia habilidade demais, sendo que algumas você usa aqui e ali ou mesmo se esquece completamente de usar porque é tão aleatório. Isso também é bem bizarro porque em certos momentos você desbloqueia uma arma e logo em seguida uma versão melhor, fazendo a anterior deixar de existir, e logo depois outra! Pra quê tudo isso? Põe só um que faz a diferença! Eu acho que nunca tinha sentido isso num Metroid antes, mesmo nos mais curtos.

    Resumindo: Metroid Dread prometeu trazer a experiência clássica de Samus Aran de volta ao mundo dos videogames e trouxe com força total! Duvidei que isso pudesse ser possível ou que a Mercury Steam pudesse fazer algo realmente bom, mas quebrei a cara. Que jogo sensacional! Lindos visuais, aquela atmosfera impecável, controles rápidos e aquela solidão estilo Alien, correndo dos E.M.M.I. (robôs caçadores que basicamente continuam o trabalho que a SA-X fazia no Fusion) e te fazendo quebrar a cabeça. Diria que esse é um dos melhores da série, senão o melhor, e um dos melhores do Switch, sem dúvidas.

    De bom: lindos visuais de tudo, incluindo os incríveis cenários. Grande variedade de inimigos. O jogo sabe manter e atualizar o nível de desafio. Muito conteúdo para coletar. Mapas grande e diferentes. Inclui níveis mais difíceis e mais fáceis que o padrão e o modo Boss Rush depois de terminar a campanha. Bom enredo e ótimo final que compensou não só as 6 horas e pouco de Dread como todos os anos envolvido com a franquia. Controles super responsivos. Tem save automático e checkpoints que ajudam em certos momentos.

    De ruim: achei que o jogo introduz habilidades e botões demais depois de um tempo, sendo que alguns poderes você mal utiliza e ele já é substituído poucos minutos depois. Os controles as vezes são meio confusos. Os E.M.M.I. são bem menos assustadores do que eu esperava e na verdade eles são é muito irritantes.

    No geral o jogo é sensacional como a galera vinha falando. Não estou ainda no hype do Prime 4 mas já estou louco por um Metroid 6! Super recomendo para qualquer pessoa que goste de metroidvanias! Jogaço!

    11
  • netogermano Neto Germano
    2022-08-19 08:55:11 -0300 Thumb picture
  • voltaico Voltaico
    2022-08-12 23:00:43 -0300 Thumb picture
    voltaico checked-in:
    Post by voltaico: <p>Essa menina não leva desaforo pra casa.</p>

    Essa menina não leva desaforo pra casa.

    3
  • roberto_monteiro Roberto Monteiro Filho
    2022-08-06 11:48:54 -0300 Thumb picture
    roberto_monteiro checked-in:
    Post by roberto_monteiro: <p><strong>Jogo finalizado nº 391 | 13 de 2022</str

    Jogo finalizado nº 391 | 13 de 2022

    Metroid é simplesmente maravilhoso! Lá no fundo o Super e o Fusion ainda tem um lugar beeeem reservado no meu kokoro, mas gostei de mais deste!

    Entre ele e o Samus Returns, que apresentou a formula nova, este é, ao meu ver, beem superior! Mas a história do jogo vem se desenvolvendo de forma que eu não vejo muito mais o q fazer sem inventar moda, talvez um reboot 🤷🏻♂️

    @desafioanual

    Jogos Finalizados em 2022:

    01 - Carto (PC) (Janeiro)

    02 - Bloodstained: Curse of the Moon (Switch) (Janeiro)

    03 - Mario Tennis (N64/Switch) (Fevereiro)

    04 - Rune Factory (Switch) (Março)

    05 - M.U.S.H.A. (Genesis) (Março)

    06 - Kirby and the Forgotten Land (Switch) (Abril)

    07 - Kirby's Adventure (Nes/Switch) (Abril)

    08 - Kirby's Dream Land (GB) (Maio)

    09 - Kirby's Dream Land 2 (GB) (Maio)

    10 - Tunic (PC) (Junho)

    11 - Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder's Revenge (PC) (Junho)

    12 - Mighty Goose (PC) (Julho)

    13 - Metroid Dread (Switch) (Agosto)

    22
    • Micro picture
      ziul92 · 4 months ago · 3 pontos

      6hs? Que speedrun monstro hein kkkkk

      1 reply
  • thiones Sebá Oliveira
    2022-08-02 20:42:16 -0300 Thumb picture

    Esse papo aí de raíz e Nutella é muito zuado, bicho.

    Medium 836190 3309110367

    Só a gente aqui mesmo pra pagar 300 conto em jogo sem nem ao menos um menu traduzido e achar que tá legal, tá cool. 

    A gente tem o que a gente merece mesmo. 

    30
    • Micro picture
      denis_lisboadosreis · 4 months ago · 2 pontos

      Coisa de elitista fdp e capacho de estadunidense.

      1 reply
    • Micro picture
      ziul92 · 4 months ago · 2 pontos

      Imagina pagar kkkkkk

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 4 months ago · 2 pontos

      Isso é muito zuado mesmo. Compra o bagulho caro pra cacete e nem é no nosso idioma, uma palhaçada sem tamanho.

      2 replies
  • voltaico Voltaico
    2022-08-01 23:10:22 -0300 Thumb picture
    Post by voltaico: <p>Ah gente, o bom e velho Metroid do modo que a ge

    Ah gente, o bom e velho Metroid do modo que a gente mais ama. Tô jogando a meia hora e já me apaixonei.

    Uma pena a dona Nintendo ser tão inacessível a ponto de eu precisar recorrer a Amélia Poulain xD.

    Não façam isso em casa!

    4
    • Micro picture
      knuxbbs · 4 months ago · 2 pontos

      Não entendi a referência da Amélia Poulain.

      1 reply
  • onai_onai Cristiano Santos
    2022-07-30 20:09:00 -0300 Thumb picture

    Screenshot - 271 (Desafio Encerrado)

    Desafio da semana! Qual o jogo da imagem abaixo e quais foram os filmes que vocês mais reprisaram na vida?

    Desafio encerrado e a resposta é Metroid Dread! Como fã da saga quero logo jogar esse o mais rápido possível mas antes disso tenho que comprar mais memória pro PC. Quanto aos filmes que mais reprisei na vida são vários, eu citaria por exemplo Star Wars, Máquina Mortífera, O Senhor dos Anéis, De Volta para o Futuro, poxa, são muitos! Hehe...

    RANKING

    Com 33 pontos: @herics 🥇🥇🥇🥈

    Com 31 pontos: @ziul92

    Com 19 pontos: @_gustavo

    Com 16 pontos: @noyluiz

    Com 15 pontos: @ersatzgott

    Com 14 pontos: @ederpezawm

    Com 13 pontos: @thiones

    Com 12 pontos: @ygorvieira 🥇🥇🥈🥈

    Com 11 pontos: @thecriticgames

    Com 10 pontos: @mateusfv, @fonsaca🥉

    Com 09 pontos: @vinicios_santana, @santz e @volstag

    Com 07 pontos: @rafael_mingato, @wiegraf_folles_ e @ryuuzaki 🥉🥉🥉

    Com 06 pontos: @subzero_amarelo 🥈 e @xandaum

    Com 05 pontos: @tassio e @hyuga

    Com 04 pontos: @fredson, @seufi, @bobramber, @anonim e @bmark

    Com 03 pontos: @lukenakama, @hard_waters, @denis_lisboadosreis e @gabrielluiz

    Com 02 pontos: @raniejogos, @lgd, @lcfreezer, @manoelnsn, @raphael_carvalho, @le, @willguigo e @xch_choram

    Com 01 ponto: @eikesaur, @gusgeek, @dlima, @marlonfonseca e @mathsmf

    Link do desafio anterior:

    https://alvanista.com/onai_onai/posts/3923482-scre...

    46
    • Micro picture
      onai_onai · 4 months ago · 2 pontos

      Desafio encerrado galera!

    • Micro picture
      bobramber · 4 months ago · 1 ponto

      Avatar

      1 reply
    • Micro picture
      hyuga · 4 months ago · 1 ponto

      assisti bastante o filme do justiceiro, O dono da festa (filme excelente) e cara, cadê meu carro? (quem gosta de filme besteirol vai curtir)

      1 reply
  • neilson1984 Neilson Lopes De Carvalho
    2022-07-13 19:17:43 -0300 Thumb picture

    Daqui a pouco aquela Live com galera!

    Fala meus caros, daqui a pouco as 19:30 hrs teremos a quarta parte da Live de Metroid Dread que virou um clássico instantâneo. Espero vocês lá no canal de Lives e se inscrevam lá, e ativem o sininho das notificações para não perderem as Lives, até mais!!!

    3
  • neilson1984 Neilson Lopes De Carvalho
    2022-07-06 17:42:28 -0300 Thumb picture

    Daqui a pouco aquela Live com galera!

    Fala meus caros, daqui a pouco as 19:30 hrs teremos a terceira parte da Live de Metroid Dread que virou um clássico instantâneo. Espero vocês lá no canal de Lives e se inscrevam lá, e ativem o sininho das notificações para não perderem as Lives, até mais!!!

    3

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...