This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • anduzerandu Anderson Alves
    2022-07-15 23:11:51 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Blasphemous

    Zerado dia 15/07/22

    No final do ano passado tinha dito que queria jogar Blasphemous em 2022, assim como outros que nem sei se vou conseguir (tipo o Dark Souls 2), e aqui estamos nós!

    A verdade desse tipo de dúvida é que jogos com dificuldade mais alta parecem necessitar de uma maior atenção, maior cuidado. Veja bem, um jogo como Bayonetta, mesmo se eu não curtir, há a possibilidade de sair atropelando tudo numa boa e terminar em poucas horas. Já essa onda de Soulslike demanda que você aprenda as mecânicas, os timings, que explore os cenários, que vá e volte, que insista depois das mortes. E ainda tem um dos meus maiores medo que é ter muitos controles e mecânicas, eu cansar e ficar uma semana ou mais sem jogar e voltar sem lembrar de nada!

    Mas a vez de Blasphemous chegaria em breve com a minha ideia de terminar todos os jogos que tenho no Nintendo Switch. Sei lá, olhei aqui para as possibilidades e finalmente percebi que era a hora de mergulhar de cabeça e com o howlongtobeat.com indicando 12 horas, acho que daria para curtir numa boa. Fora que a possibilidade da portabilidade e jogar a qualquer momento e em qualquer lugar ainda ajuda demais (e por isso jogar Blasphemous nessa plataforma é a melhor escolha). Quem me dera poder jogar todos os títulos da From Software que me restam assim!

    Esse jogo ainda é um caso especial, sendo fruto dos Gift Cards que o PayPal deu há uns meses no valor de 50 reais. Na época eu fiquei na dúvida de como gastar esse dinheiro no PS4 ou Switch e na plataforma da Nintendo estava tendo uma promoção sensacional e com muitos jogos bons. Acabou que fiquei por lá mesmo e peguei esse jogo e Undermine de graça!

    Sobre Blasphemous em si, conheci o jogo quando ainda estava em campanha de arrecadação de dinheiro (crowdfunding). Lembro de tê-lo visto em anúncios no Facebook (que nem o tal do Dusk Diver) e parecia bom demais para ser verdade! Até duvidei que o jogaria pois parecia ser algo caro e exclusivo de PC. Quem diria que o jogaria sem pagar e no Switch?

    Enfim, as imagens era incríveis!

    Agora confortável com jogos mais "brutais" e que exigem mais do jogador, comecei a aventura numa boa e duvidei que pudesse ser tão difícil assim. Poxa, eu manjo de Castlevanias e depois do Order of Ecclesia nada pode ser tão pesado assim. Além do mais, Celeste é outro título muito conhecido pela dificuldade e achei que deu para terminar sem muita dor de cabeça (apesar de não ter ido tão a fundo nos desafios).

    O início da campanha me surpreendeu positivamente com os lindos visuais das cutscenes. A direção de arte é de ótimo gosto e remete um pouco às cinemáticas de jogos adventure antigos de PC, mas com aquela temática mais sombria e medieval. Gostei demais!

    Além disso todos os textos estão em Pt-BR, o que ajuda a todos curtirem 100% de seu enredo, menus e tutoriais.

    A primeira parte te ensina umas coisinhas básicas e logo se segue com um chefe, que é bem tranquilo. Até o Asylum Demon é mais difícil!

    Aqui vou aproveitar e adiantar o que sendo a minha impressão final: eu não achei que Blasphemous fosse um Dark Souls 2D fora a temática e ainda achei a aventura tranquila (com algumas exceções). No final das contas ele é mais um Castlevania mesmo, com algumas vantagens e desvantagens em relação ao clássico da Konami.

    Castlevania tem aquela temática renascentista/Transilvânia com um pouco de Conan, o Bárbaro e filmes da era de ouro de Hollywood (Franskenstein, Múmia etc) e o principal: a trilha sonora, que deixa a jogatina bem animada e até pop, mas de uma forma bacana. Quem não adora sair metendo a chibatada nos monstros ouvindo Vampire Killer ou Bloody Tears?

    Já no caso de Blasphemous, a experiência tem um teor mais sério, silencioso e com muitos detalhes até melancólicos nos cenários. E falando em cenários, não há lá uma grande variação de inimigos pelo jogo todo e seus diferentes mapas. Mas isso até faz sentido visto que cada batalha pode demorar um tempinho contra qualquer Zé e há sempre a sensação de que você pode morrer a qualquer momento. Sendo assim, não daria para encher se monstro como Castlevania as vezes faz e abusa e felizmente os criadores sabiam disso e deixaram as fases mais "vazias".

    A navegação do jogo também é tranquila e você não fica perdido, mesmo quando o mapa vai se abrindo. O que eu fazia era explorar todas as salas de cada seção, abrir seus atalhos dentro delas mesmo ou para outras áreas e enfrentar o chefe, que é sempre o maior desafio do jogo. Até achei a ideia boa também pois as vezes você morre aqui e ali e ninguém merece ficar procurando destino e morrendo toda hora durante o processo.

    Ainda no início da aventura um NPC menciona o seu objetivo de visitar 3 lugares e derrotar os chefes deles e fica meio óbvio onde esses três mapas se cruzam. Faça um, volte e lá e vá para outro e depois para outro. O seu desafio é mesmo sobreviver.

    E esse desafio pode ser tenso pois durante as primeiras horas você é fraco e lento, limitado sem habilidades e os pontos de save são escassos. Sendo assim você morre conhecendo novos inimigos das áreas e ficando sem frascos de cura, que também só se renovam no ponto de save.

    Uma coisa bacana do jogo é que você não perde suas "almas" ao morrer, mas vale a pena ir lá buscar seu "corpo" de qualquer forma pois quanto mais corpos seus você deixar abandonados, mais sua vida e mana são diminuídos do total. Bacana esse sistema! É ainda possível pagar para umas estátuas recuperarem todos os seus restos de uma vez, mas custa caro e é melhor melhorar seus atributos com ele.

    A minha escolha inicial foi a área de gelo por sorte depois que escolhi um dos caminhos que chegou lá, mas como era o primeiro mapa que o NPC tinha citado como objetivo, achei uma boa. Mas, poxa, como eu sofri nesse mapa, no mapa conectado a ele em seguida e finalmente no chefe. Acho que foi onde mais morri no jogo e o chefe apelava demais de uma forma até injusta quando estava com 1/3 da vida. Imaginei que os chefes das duas outras áreas seriam piores mas foram bem mais fáceis...

    O combate nesse jogo é mesmo estilo Castlevania, com espadas horizontais (mas você pode atacar para cima ou abaixado ou ainda para baixo caindo). A diferença é que o protagonista é meio engessado. Não chega a ser lentão como o Simon Belmont dos anos 80 nem tão ágil quanto o Alucard, mas apenas o bastante para confundir seu cérebro com seus delays.

    O jogo tem umas dificuldades meio forçadas nesse quesito, de forma que chega a ser meio frustrante, como como você é lançado para trás girando ao tomar dano ou o HP monstro que você perde ao tomar qualquer dano besta (como encostar num cara qualquer). Muitas batalhas, como contra os chefes das DLC (já inclusas aqui, para a minha surpresa - mas eu não sabia o que era conteúdo adicional ou não) acabam se beneficiando muito das limitações do seu personagem e fica meio chato (tipo tomar dano, cair no chão, o personagem se levanta e já toma outro dano e morre) e senti que muita coisa depende da sorte de ter se posicionado no lugar certa na hora certa.

    Mas vale a pena também explorar bem os mapas e coletar melhorias para agilizar e facilitar mais a sua vida. E são muitas abas no menu de upgrades e habilidades!

    Resumindo: Blasphemous é um jogo bacana e muito belo. Me deixou viciado por uns 3 dias pois eu sempre queria ver mais, conseguir mais dinheiro, entregar os itens da sidequest ou matar aquele boss super chato. Sua dificuldade é acima da média, mas nada exagerado no nível normal e isso foi até meio decepcionante pois dificilmente tive aquela sensação recompensadora de ganhar um duelo difícil. Também esperava um pouco mais me diversos quesitos, mas é sim um bom jogo.

    De bom: visuais lindos. Adorei o seu estilo visual Dark Souls e suas lindas cinemáticas. Muito conteúdo, inclusive eu não fiz tudo nas minhas pouco mais de 12 horas e ainda há mais coisa exclusiva no modo New Game+. Sistema de troféus ingame, sendo que achievements nesse estilo de jogo são bacanas e ajudam a acompanhar o seu progresso por diversos modos e dificuldades, fora que o Switch não tem isso em seu sistema. Jogo em Pt-BR.

    De ruim: achei muitos dos poucos chefes pouco inspirados, como aqueles que são simplesmente outros humanos, ou muito fáceis e previsíveis. Level design bem simples e pouco desafiador, dependendo muito apenas da parte visual. Gameplay as vezes não tão responsivo. Algumas chefes, como a tal da Isidora, tem golpes que mudam as "clues" e fica quase impossível não tomar dano ou ainda resulta em mortes injustas. Há poucas habilidades desbloqueadas pela história e muitas delas estão mais escondidas ou em sidequests e acaba que aquela ideia de "no futuro em volto aqui" pode nunca chegar.

    No geral, gostei bastante da experiência, mas ela não é perfeita como eu esperava. É um bom metroidvania com pitadas de soulslike e, ao meu ver, muito superior ao Hollow Knight, mas o recém jogado e mais curto Steamworld Dig 2 é mais divertido. Bom jogo se você curte algo mais difícil nessa geração de molezas. Bom jogo se você curte a temática. Não é o mais divertido do gênero mas ainda assim é muito bom. Recomendo!

    12
  • jezzon Jefferson Medeiros Lago
    2022-06-18 19:45:05 -0300 Thumb picture
    jezzon checked-in:
    Post by jezzon: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Jogo finalizado nº 336 | 18 de 2022

    Peguei grátis na Twitch Prime a um tempo atrás, e pra falar a verdade todo mês pego jogo lá mas esse foi o primeiro que peguei pra jogar do serviço.

    Lembro que quando foi anunciada sua gratuidade no serviço, o pessoal ficou bem eufórico, poisdiziam ser um jogo excelente.

    Na primeira hora do jogo, eu não achei ele isso tudo que estavam falando, mas continuei um pouco e o jogo me fisgou de tal forma que terminei quase de uma vez. 

    Esse jogo é um dos melhores metroidvanias que já joguei. Ele possui inspirações também nos jogos da série souls, mas consegue ter seu charme e sua identidade própria principalmente na direção de arte e na sua premissa e temática.

    Diferente do que achava, não achei o jogo punitivo, e senti que ele recompensa muito a exploração do jogador. Gostei muito das boss battles, da trilha sonora e do visual.

    Algumas imagens da jogatina.

    Tempo de jogo: 9h52min

    19
    • Micro picture
      bobramber · about 2 months ago · 2 pontos

      Boa. Esse tá na minha lista.

    • Micro picture
      ziul92 · about 2 months ago · 1 ponto

      Esse jogo é muito bom, ainda preciso jogar a DLC

      1 reply
  • hazacc João Pedro
    2022-03-01 23:04:05 -0300 Thumb picture
    hazacc checked-in:
    Post by hazacc: <p>Soulslike sensacional, indispensável pra quem go

    Soulslike sensacional, indispensável pra quem gosta do gênero. Tem seus defeitos, mas sem dúvida vale a pena zerar.

    7
  • wjoanes Wellington Joanes
    2022-02-13 11:32:29 -0200 Thumb picture

    Esqueci de postar ontem, hahaha

    Medium 809970 3309110367

    Bom dia gente! Esqueci de postar a foto ontem, que ainda tirei print do Instagram pq tbm esqueci de salvar antes de postar, haha Só derrota...

    Bora continuar Blasphemous! Mal comecei pq já tava morto de sono qdo peguei pra jogar

    17
  • 2022-01-26 17:59:09 -0200 Thumb picture

    Know Your Demon #179 Cherub

    ORIGEM: Religiões abraâmicas

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei II (NES)

    LORE: Uma das 9 castas de anjos das religiões abraamicas, são vistos nas visões do sacerdote Ezequiel como figuras responsáveis por carregarem o trono de Deus o que condiz com a versão dos mesmos no Islamismo onde são os anjos mais próximos de Deus. Os querubins israelitas cumprem também essa função de carregar o trono de Yahweh. A visão hebraica classica querubins são os guardiões do jardim do Éden.

    É descrito no Livro de Ezequiel a visão do mesmo ao ver o anjo como uma figura bestial com dois pares de asas e quatro faces, uma de leão (representando animais selvagens), boi (representando animais domésticos), humano (humanidade) e águia (representando pássaros), com pés com casco brilhantes como latão. Nas artes ocidentais cristãs modernas sua figura foi modificada artisticamente para se aproximar de puttos (figuras artísticas de meninos gordinhos que se assemelham a um Cupido jovem) tendo a mesma aparência infantil e angelical que estes. Na tradição judaica e em suas ramificações geralmente eles possuem a aparência de figuras humana aladas, já no Islamismo são descritos como anjos com um brilho tão forte que os anjos próximos de castas inferiores não os conseguem ver e distinguir suas características.

    Teoricamente seriam fruto de alguma forma de sincretismo muito arcaico e antigo com culturas mais antigas, já que em varias culturas como os egípcios, fenícios e até artes proto-israelistas trazem  a iconografia de reis e deidades sendo carregadas em tronos por seres com características animalescas como esfinges. 

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    Na saga de fantasia A Batalha do Apocalipse e a trilogia Filhos do Éden os querubins são a casta de anjos guerreiros possuindo como patrono o arcanjo Uziel e sendo armados todos eles com uma arma magica celeste, normalmente uma espada com nome e poderes próprios, os protagonistas Ablon e Denyel pertencem a esta casta.

    O inimigo de Blasphemous Winged Face possui uma variante maior com multiplas faces e asas que bate parcialmente com a descrição dos querubins.

    Querubins são inimigos de Doom 3 sendo inspirados pela figura tipica das artes cristãs ocidentais com a aparencia de bebes alados com aspecto demoniaco.

    Cherubimon é baseado na figura do querubins, justificando inclusive sua aparência como um animal ao invés de um anjo humanoide como os outros. Créditos a @ersatzgott 

    by @thecriticgames

    23
    • Micro picture
      nekokat · 7 months ago · 2 pontos

      Viva a ordem e seus anjos 🙏

    • Micro picture
      ersatzgott · 6 months ago · 2 pontos

      Cherubimon :v

  • onai_onai Cristiano Santos
    2022-01-04 23:52:15 -0200 Thumb picture

    Wounds of Eventide

    O jogo já passou por algumas atualizações, ganhou novas DLCs e ainda nem comecei a jogar. Quem diria que um dia a facilidade de se obter jogos novos seria um problema...

    18
    • Micro picture
      santz · 7 months ago · 1 ponto

      O problema é a vida adulta.

    • Micro picture
      iuritoadstool · 7 months ago · 1 ponto

      Absolutamente a mesma coisa aqui, inclusive com o mesmo jogo.

  • thecriticgames Matheus Pontes
    2021-12-29 22:16:14 -0200 Thumb picture
    Post by thecriticgames: <p>Não é porque eu não vou escrever criticas ou Kno

    Não é porque eu não vou escrever criticas ou Know Your Demons esta semana que vou deixar ela passar em branco, atualizei a critica de Blasphemous com informações na nova e ultima DLC Wounds of Eventide e caras, que DLC maravilhosa.

    Não basta ser de graça, a mesma traz uma leva de conteúdo novo incluindo 2 novos chefes, 2 novas formas para chefes já existentes (o que contabiliza 4 batalhas novas) e toda uma rota que leva a uma nova batalha final com um novo final que deve melhor ligar o jogo com a sequencia programada pra 2023, e sem spoilar nada, que batalha final foda e nada que seja fácil demais ou absurdamente difícil, esta em um nível de desafio na minha opinião certeiro, ainda mais comparado com o tanto de chefes fáceis que o jogo tem. O legal é que a DLC ainda traz forte referencias com a HQ Blasphemous : The Kneeling uma HQ prequel do jogo.

    Vou deixar o link dela pra ser lido AQUI e o link também do incrível livro de artes do jogo AQUI para os interessados, é meu presente de fim de ano aos fãs desse ótimo jogo, até a próxima.

    Blasfêmia!

    Review by: @thecriticgames

    A série Dark Souls e seus irmãos/primos "Souls Like" tal qual Demon's Souls e Bloodborne são jogos relativamente novos (Demon's...

    Keep Reading →
    23
    • Micro picture
      jcelove · 8 months ago · 2 pontos

      Po não sabia da HQ. |Vou dar uma olhada, tks

      1 reply
  • 2021-12-19 16:49:41 -0200 Thumb picture
    linkaby checked-in:
    Post by linkaby: <p>#img#[802801]</p><p>Eu após finalizar Blasphemou

    Eu após finalizar Blasphemous com 21,9h de gameplay e conseguir o final B.

    Conquistas Steam: 18/45

    5
  • christciamn Cristiano Cabral Monteiro
    2021-12-09 09:53:06 -0200 Thumb picture
    christciamn checked-in:
    Post by christciamn: <p>É hoje!! Wounds of Eventide, a nova DLC de Blasp

    É hoje!! Wounds of Eventide, a nova DLC de Blasphemous, já pode ser baixada a partir de hoje!! IT'S FREE!! Para todas plataformas onde o game foi lançado!!

    Novos bosses, novas e dificílimas fases e novas magias!! Um belo presente de natal nesse ano meio fraco pra quem assina algum serviço seja qual for a plataforma...

    Enquanto alguns games são lançados, mesmo sendo indies, eles disponibilizando updates e DLC grátis... MAS, existem empresas bem MESQUINHAS por aí que em seus serviços que além de serem bastante CAROS, disponibilizam games DEMO e/ou CAPADOS... Não é mesmo dona SONY???

    13
    • Micro picture
      thecriticgames · 8 months ago · 2 pontos

      Eu me fudi aqui por que havia acabado de dar reset no meu save que tava com 100%, só pq tava mo afim de ver as novidades logo.

  • 2021-11-21 18:27:20 -0200 Thumb picture
    ederpezawm checked-in:
    Post by ederpezawm: <p>Zerado. Levei 15 horas para terminar, é um belo

    Zerado. Levei 15 horas para terminar, é um belo metroidvania, recomendo muito para quem gosta do estilo.

    20
    • Micro picture
      santz · 9 months ago · 2 pontos

      Eu tenho que pegar esses últimos Metroidvanis que foram lançados de uns anos pra cá.

    • Micro picture
      salvianosilva · 9 months ago · 2 pontos

      Tenho que continuar esse, acabei parando e nunca mais joguei.

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...