This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • 2021-03-18 13:38:54 -0300 Thumb picture

    E temos mais um jogo de GBA na disputa: Golden Sun

    Golden Sun é um RPG de turno desenvolvido pela Camelot e publicado pela Nintendo no ano de 2001 para o Gameboy Advance.

    Golden Sun se passa no mundo de Weyard, um ambiente semelhante à Terra com vários continentes e oceanos. A maior parte do enredo se passa nos dois maiores continentes da região central do mundo: Angara ao norte e Gondowan ao sul.

    Weyard é governado pelo conceito mitológico dos elementos clássicos; a matéria consiste em qualquer combinação dos quatro elementos básicos: Vênus, Marte, Mercúrio e Júpiter, ou terra, fogo, água e vento, respectivamente.

    Esses quatro blocos de construção da realidade podem ser manipulados pela força onipotente da Alquimia, que reinou suprema no passado antigo do mundo.

    Mas essa alquimia foi selada e o seu uso foi extinto. Porém há certas pessoas têm a habilidade de manipular um dos elementos por meio de uma forma de magia chamada Psinergia. Esses detentores de Psinergia são chamados de Adeptos.

    O jogador controla quatro adeptos em Golden Sun. Isaac é o Adepto de Vênus, Garet é o adepto de Marte, Ivan de Júpiter e Mia é uma Adepta de Mercúrio.

    O jogo apresenta bastante quebra-cabeças integrados em suas dungeons. Esses quebra-cabeças exigem que o jogador execute uma variedade de ações, como criar pontes improvisadas, levitar coisas, ou mudar o trilha de um carrinho de mina para obter acesso a novas áreas, etc.

    Muitos desses quebra-cabeças exigem o uso da "Psynergia" que além de ser usada em batalha, são necessárias para esses puzzles; por exemplo, o feitiço "Redemoinho" que causa danos aos inimigos em batalha também é usado fora da batalha para remover folhagens crescidas que bloqueiam o caminho do jogador.

    Uma das características mais distintas do Golden Sun é a coleção e manipulação de criaturas chamadas Djinn. Os Djinn; uma vez encontrados, eles podem ser atribuídos ao personagem. Eles formam a base do aprimoramento das estatísticas do jogo, bem como do sistema que dita as capacidades de Psinergia do personagem.

    Anexar diferentes Djinn a diferentes personagens modifica os status, como: pontos de vida, de Psynergy e outras estatísticas, bem como determinando qual Psynergy o personagem é capaz de realizar.

    19
    • Micro picture
      artoriasblack · 3 months ago · 3 pontos

      Os efeitos de particulas nas magias desse jogo são bonitosm dada as capacidades do game boy advance

  • onai_onai Cristiano Santos
    2021-01-01 20:31:40 -0200 Thumb picture

    Here Comes The Sun

    Música da noite!

    Feliz ano novo galera!

    19
  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-12-16 13:22:10 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Golden Sun

    Zerado dia 16/12/20

    Eita que esse pendência merece até uma festa por ser terminada. Golden Sun é um jogo super famoso da época do GBA e que é lembrado até os dias de hoje pelos fãs de JRPG.

    Pessoalmente eu sempre quis jogá-lo e cheguei a iniciar a aventura umas 10 vezes, sem mentira nenhuma. Algumas dessas vezes foram no PSP do meu amigo, na época que eu não tinha forma melhor de jogar, mas os intervalos eram tão grandes entre as minhas jogatinas (e eu nunca ia muito além do início, então acabava sempre o reiniciando). Ou será que ele deletava meus saves?

    Cheguei a emular o jogo no PC e também nunca fui muito além dos primeiros desafios. Recentemente resolvi o jogar de verdade no meu PSP (que já havia meio que testado há um tempo atrás), mas o jogo estava dando uns lags durante as batalhas e até travando, o que me fez o reiniciar mais vezes e jogar até determinadas partes testando diferentes configurações. A última tentativa foi jogando por uma rom injetada no VC do 3DS e finalmente tudo ficou perfeito, inclusive com a melhor aparência possível, muito similar à original e sem filtros. Acho que tenho uma nova plataforma para GBA!

    O engraçado é que eu não sou o fã número 1 de RPGs e tenho sentido que o passar do tempo e responsabilidades tem cada vez mais me afastado desse tipo de experiência, repetitiva e longa. Fora que eu joguei e terminei Octopath Traveler recentemente e costumo dar um bom tempo até jogar outra coisa do gênero, mas eu fiquei com muita vontade de jogar Golden Sun (GS). O porquê eu não sei explicar, mas quando essas vontades batem, eu tenho que aproveitar.

    Abrindo o jogo, temos a logo da Nintendo, seguida da Camelot. Na tela título, o ano: 2001. Meu deus! 19 anos atrás! Quando a gente fala dos anos 2000, sempre soa como algo tão recente, mas você se lembra do que fazia em 2001? Eu estava na quinta série (sexto ano) com os meus 11 anos de idade, desenhando na escola e nem se dava por mim direito.

    Enfim, de volta ao jogo, GS é um RPG bem preto no branco. Você chega numa cidade, fala com as pessoas, compra equipamentos melhores, fala com alguém que te manda ajudar alguém numa caverna à oeste, salva outra pessoa, que volta para a cidade e permite que você passe por um local trancado ou bloqueado anteriormente. No meio do caminho, várias batalhas, coleta de itens de baús e um chefe no final de cada "capítulo".

    Depois de sair de Octopath Traveler, esse jogo é um grande refresco pro gênero para mim. Mesmo com um enredo relativamente sério, os visuais coloridos, batalhas rápidas e jogabilidade simples e fluída são deixam o jogo cair na monotonia. Você tá sempre correndo de um lado para outro e fazendo progresso, mesmo quando eu não sabia exatamente como progredir na história, eu acabava juntando dinheiro, comprando equipamentos e ganhando níveis com a exploração.

    Acho que o mais justo é comparar a experiência com a de Final Fantasy ou, melhor ainda, Dragon Quest. Talvez seja uma versão mais moderna desses jogos para a época, mas alguns elementos são levemente punitivos (e as vezes irritantes), como ter que ir à "igreja" das cidades ressuscitar aliados que morreram em batalha já que GS demora muito para finalmente facilitar um pouco a aquisição de itens ou magias que os tragam de volta à vida.

    Uma das mecânicas originais da série (já conhecia pelo único que havia jogado há vários anos atrás, Dark Dawn de DS) é a dos Djinns. Os Djinns são como "pokémon" desse mundo, sendo criaturas alienígenas fofinhas.

    Esses monstrinhos estão distribuídos por todo o mundo de Golden Sun, desde masmorras que você ter que explorar, até sidequests, escondidos em cidades ou em pontos do mapa do mundo que parecem inúteis e você resolve evitar. Ao encontrá-los, alguns se juntam a você instantaneamente enquanto outros exigem que você os vença em batalha antes de entrarem pro seu time. São 28 no total pelo jogo, 7 de cada "tipo".

    Há um menu dedicado aos Djinns que você pode equipá-los aos seus personagens, sendo que cada um deles permite o uso de habilidades diferentes em batalha. Alguns atacarão os inimigos quando usados, outros garantirão melhorias ao grupo, ressuscitarão aliados, recuperarão mana (PP) e assim por diante.

    Porém os Djinns tem papéis ainda maiores na sua aventura. De acordo com os que estiverem equipados à um personagem, você pode mudar a sua classe (job) e o transformando de Escudeiro à Cavaleiro, por exemplo. Fora que podem garantir habilidades para se usar fora das batalhas, como mover pedras, soprar folhas ou criar blocos de gelo em poças d'água.

    Poucos Djinns equipados garantem classes mais simples enquanto as melhores só podem ser adquiridos com o número máximo (sete, se não me engano). Infelizmente nessa parte ou você sai na tentativa e erro ou procura na internet umas combinações pois cada classe depende de números específicos de cada tipo equipado.

    Cada classe tem atributos diferentes, melhores e piores (força, HP, agilidade etc) e magias diferentes (imagina a sua healer perder as magias de cura). Isso sim importa muito e pode até demandar diferentes classes para enfrentar diferentes chefes, mas achei o sistema um pouco vago para se aprender sem um guia e mantive cada personagem com apenas um tipo de Djinn até o final, quando realmente precisei de maiores estratégias e procurei na internet.

    Dica: colecione o maior número de Djinns possível!

    Esse sistema todo de equipamento eu achei bem confuso e talvez tenha entendido mais no final. Mas odeio o fato de que você ganha e perde habilidades com a troca de Djinns e os usando em batalha é como os remover do personagem até que eles estejam disponíveis novamente. Em sumo, é como se o personagem ficasse trocando de classe durante a batalha e quando você vai usar aquele ataque forte, ele não está mais lá, ou quando você precisa curar alguém e agora só pode usar magias ofensivas que nunca nem viu.

    Mas há um motivo muito bacana para insistir me usar os Djinns. A cada um que você usar, o contador daquele tipo sobe um número e quanto maior (de um máximo de 4), mais Summons você pode invocar. Com um número 2 de fogo, você pode invocar um  lobo de fogo, com 3 um dragão e com 4 um meteoro gigantesco cai sobre os seus inimigos e causa um dano absurdo!

    Em tese, você pode equipar ao menos um Djinn de fogo em cada personagem e colocá-los para usar cada um no primeiro turno para somar rapidamente os 4 e já invocar o meteoro no segundo turno, caso seja de seu desejo. Mas ainda há os summons dos outros elementos e motivos para não usar Djinns, como curar o grupo ou mesmo usar magia para bater, visto que muitas criaturas as vezes só causa dano fraco ou faz algo desnecessário para o momento.

    Resumindo: Golden Sun é um jogo muito bacana! Um Rpg relativamente simples e com um ritmo rápido e muito interessante, feito com grande maestria. A minha jogatina durou pouco mais de 30 horas, mas ele é famoso por durar 20 e poucas horas. Tempo bastante para conhecer seu enredo, enfrentar diversas masmorras e chefes e experimentar muitos equipamentos e habilidades com os Djinns. Como o ritmo do jogo é acima do normal, a sensação é de que joguei muito mais do que essas 30 horas. A história, infelizmente, não é terminada no primeiro jogo e continua diretamente em seu sucessor, The Lost Age (GBA).

    De bom: trilha sonora e enredo legais. O visual do jogo simula 3D e lembra muito títulos de PS1 e N64, mas modernizado de uma forma muito charmosa e que não envelheceu praticamente nada! Usar um summon em batalha é sempre sensacional tanto pelo dano causado quanto pelas suas cenas! Gosto de como o jogo não fica me enrolando tanto com texto ou batalhas, ao contrário do Octopath Traveler. Há bastante conteúdo enquanto você estiver jogando, mas depois de zerar no máximo você voltaria pro modo de batalha multiplayer na época, que exige ainda um amigo com o jogo e cabo game link. Achei que o enredo se desenvolveu bem e o cliffhanger pro segundo quase me fez ir diretamente para ele. Gosto de toda a interface dinâmica e estilosa, sobretudo das batalhas, que remetem ao 3D. A sensação nostálgica pelo visual desse jogo é gigante e quase me faz lamentar profundamente de não tê-lo jogado naquela época.

    De ruim: encontros randômicos muito frequentes. Os mapas e cidades são muito similares e eu nunca sabia exatamente se já tinha ido ali anteriormente ne conseguia decorar o mapa mundi por ser tudo idêntico! O sistema de classes é meio confuso sem ajuda da internet e eu mesmo mal via motivos para trocá-las (só piorava com a troca). Equipamentos caros e se você focar nisso terá que se dedicar um tempo em arrecadar dinheiro. Eu odeio como os puzzles e afins completados não ficam salvos: você entra numa caverna, empurra pedras, rola toras de madeira e tudo mais para continuar avançando e chegar ao seu final, mas ops, estou ficando sem mana e HP, vou na cidade me curar. Quando você volta tem que refazer tudo do zero! Eu odiei isso na dungeon final, que era longuíssima, abria inclusive atalhos mas quando tive que voltar, tive que refazer tudo novamente e os atalhos nem estavam abertos (levei horas ontem a noite só para voltar ao chefe final). Não há sistema de fast travel para cidades já visitadas, o que é simplesmente cruel nesse jogo.

    No geral, curti bastante a rápida experiência, apesar de alguns detalhes que só atrasam, e já estou curioso pelo segundo jogo, mas acho que não vou jogá-lo por agora. Fico feliz não só de ter terminado um jogo tão conhecido como me livrar de uma pendência tão antiga e vergonhosa como essa. Jogo muito bom!

    12
  • 2020-09-02 14:01:21 -0300 Thumb picture
    Post by grindingcast: <p>Um jogo que está em nossas votações e bem querid

    Um jogo que está em nossas votações e bem querido pela comunidade: Golden Sun

    Golden Sun é um RPG de turno desenvolvido pela Camelot e publicado pela Nintendo no ano de 2001 para o Gameboy Advance. Este é o primeiro jogo da série Golden Sun e possui uma continuação direta chamada Golden Sun: The Lost Age.

    Golden Sun se passa no mundo de fantasia de "Weyard" - um ambiente semelhante à Terra com vários continentes e oceanos. A maior parte do enredo se passa nos dois maiores continentes da região central do mundo: Angara ao norte e Gondowan ao sul.

    Weyard é governado pelo conceito mitológico dos elementos clássicos; a matéria consiste em qualquer combinação dos quatro elementos básicos: Vênus, Marte, Mercúrio e Júpiter, ou terra, fogo, água e vento, respectivamente.

    Esses quatro blocos de construção da realidade podem ser manipulados pela força onipotente da Alquimia, que reinou suprema no passado antigo do mundo. Mas essa alquimia foi selada e o seu uso foi extinto. Porém há certas pessoas têm a habilidade de manipular um dos elementos por meio de uma forma de magia chamada Psinergia. Esses detentores de Psinergia são chamados de Adeptos.

    O jogador controla quatro adeptos em Golden Sun. Isaac é o protagonista silencioso da história e é um Adepto de Vênus. Garet, um adepto de Marte, é o companheiro mais próximo de Isaac, sendo ambos da vila do Vale e amigos de infância. Ivan é um adepto de Júpiter que viveu toda a sua vida com um comerciante famoso na cidade de Kalay. E Mia, uma Adepta de Mercúrio da cidade de inverno de Imil, é uma curandeira gentil que faz parte de um clã Adepto de Mercúrio.

    O jogo apresenta bastante quebra-cabeças integrados em suas dungeons. Esses quebra-cabeças exigem que o jogador execute uma variedade de ações, como criar pontes improvisadas, levitar coisas, ou mudar o trilha de um carrinho de mina para obter acesso a novas áreas, etc.

    Muitos desses quebra-cabeças exigem o uso da "Psynergia" que além de ser usada em batalha, são necessárias para esses puzzles; por exemplo, o feitiço "Redemoinho" que causa danos aos inimigos em batalha também é usado fora da batalha para remover folhagens crescidas que bloqueiam o caminho do jogador.

    Uma das características mais distintas do Golden Sun é a coleção e manipulação de criaturas chamadas Djinn. Os Djinn; uma vez encontrados, eles podem ser atribuídos ao personagem. Eles formam a base do aprimoramento das estatísticas do jogo, bem como do sistema que dita as capacidades de Psinergia do personagem.

    Anexar diferentes Djinn a diferentes personagens modifica os status, como: pontos de vida, de Psynergy e outras estatísticas, bem como determinando qual Psynergy o personagem é capaz de realizar.

    11
  • lukenakama Lucas
    2020-08-06 22:23:02 -0300 Thumb picture
    lukenakama checked-in:
    Post by lukenakama: <p>Comecei aqui, espero não droppar porque tá foda

    Comecei aqui, espero não droppar porque tá foda kkkkkkkkkkk

    Interessante eu acho.

    34
    • Micro picture
      mateusfv · 11 months ago · 2 pontos

      Golden Sun é legalzinho pelo oque lembro, apesar que única coisa que lembro de verdade é o tema de batalha fodástico kk

      https://www.youtube.com/watch?v=19ZdAZO9FvU

    • Micro picture
      rax · 11 months ago · 2 pontos

      tu tem dropado tanto jogo assim Luke?

      5 replies
    • Micro picture
      emphighwind · 11 months ago · 2 pontos

      boa sorte, se tu já não curte JRPG, acho difícil curtir Golden Sun, ainda mais com a escrita de Golden Sun.

      1 reply
  • 2020-06-13 19:44:10 -0300 Thumb picture

    A busca pelas Estrelas Elementais continua

    Após as 5 primeiras horas é hora de subir no primeiro farol e dar continuidade na luta para salvar meus amigos e o mundo. Espero vocês novamente às 22h na segunda parte da série STAGE DRIFTER dedicada a Golden Sun.

    Obs.: desculpas galera, ontem acabei apagando de tanto sono e quando vi já eram 6 da manhã (lol). Hoje, domingo, se tudo der certo volto no mesmo horário à segunda LIVE do RPG.

    15
    • Micro picture
      fonsaca · 12 months ago · 1 ponto

      Esse RPG é bacana. Na época que comecei, não me animei muito, mas quem sabe tente retornar algum dia. Hehe!

  • 2020-06-12 08:07:57 -0300 Thumb picture

    Chamando todos os ADEPTOS de plantão!

    Hoje a série STAGE DRIFTER volta com Golden Sun, ele que foi o retorno dos irmãos Takahashi ao gênero RPG. Espero todos os aventureiros às 22 horas para darmos início a uma nova jornada com esse jogo incrível do GBA!

    11
  • zyotic Fellipe Guimarães Fortes
    2020-06-01 21:16:58 -0300 Thumb picture
    zyotic checked-in:
    Post by zyotic: <p><strong>Golden Sun (Parte 1)</strong><br><br>3 a

    Golden Sun (Parte 1)

    3 anos se passara após os eventos traumáticos do passado de Isaac, Garret e Jenna. A garota vai se encontrar com os dois e vê Isaac concertando o telhado para sua mãe, ela decide deixar ele por enquanto em sua tarefa e vai falar com Garret que estava a poucos metros de distância dali praticando sua psinergia para mover uma pedra.

    Os dois tem um diálogo onde Jenna questiona se ele e Isaac tem treinado por arrependimento de não serem tão fortes para fazer nada no passado, mas diz para eles não se preocuparem pois ela deseja prosseguir com sua vida. Em seguida vemos uma cena cômica em que a dupla chama Isaac para se unir ao grupo e juntos visitarem Kraden, um sábio que tem vivido no vilarejo a algum tempo.

    A mãe de Isaac o deixa ir e nesse momento você pode explorar Vale. Descobrimos que o uso da psinergia é proibido na frente de forasteiros e é um segredo dos habitantes, mas devido a confiança que conquistou, Kraden é uma exceção a essa regra. Ficamos sabendo também que alguns novos visitantes misteriosos estão na cidade e podemos encontrar um deles no INN local.

    Não tem muita coisa para se ouvir aqui, pois ele apenas nos pede para sair de perto. Vamos então visitar o sábio, mas no caminho encontramos com os dois seres misteriosos que atacaram Isaac e Garret no passado. Ouvimos alguns diálogos deles falando sobre Kraden e sua pesquisa, mas somos vistos por eles. Os dois garotos não se lembram de já os terem visto, mas descobrimos que eles estão interessados no Santuário do Sol assim como o velho sábio.

    Descobrimos que o homem se chama Saturos e a mulher Menardi. Eles nos deixam ir e podemos finalmente nos encontrar com Kraden. Ele fala um pouco sobre suas teorias da origem da alquimia no mundo, que por sua vez foi aquela que criou a psinergia. Enquanto fala sobre seus estudos ele convence o grupo a investigar o interior do Santuário, pois a forma como os dois falaram dele pareciam já ter estado lá dentro.

    Eles entram escondidos no local e temos nossa primeira dungeon. Aqui temos alguns puzzles de pular por plataformas achando a passagem correta, precisamos achar uma gema e colocar em uma estátua e por fim mover algumas estátuas com o poder da psinergia para encontrar a passagem secreta. Temos algumas batalhas fáceis aqui para podermos experimentar um pouco do sistema de combate do jogo.

    Chegamos então a sala do Sol e da Luna, um salão com um quebra cabeça simples que desativa a armadilha do santuário e abre um portal para outra área. Nós chegamos então no interior do Mt. Aleph e Kraden fica fascinado com o que ele vê.

    Ele nos conta que as estrelas elementais foram criadas na origem da alquimia e são o coração de toda a psinergia. Por anos muitos pesquisadores sonharam em estudar os poderes desses elementos pois dizem que elas são capazes de criar até mesmo a Pedra Filosofal.
    Decidimos pegar as estrelas para o sábio, então Isaac e Garret atravessam as plataformas e vão coletando uma de cada vez.

    Porém assim que pegamos a terceira nós vemos que Kraden e Jenna foram pegos de reféns por Saturos, Menardi e o mascarado misterioso que estava no INN. Eles nos ameaçam a entregarmos as estrelas em troca da liberdade de seus amigos, mas embora o protagonista concorde com a ideia o velho diz para ele não fazer isso sugerindo que não há garantias nesse acordo.

    A dupla de vilões então decide convencer o grupo que vão honrar o acordo ordenando ao seu terceiro membro a remover sua mascara, que com exitamento aceita.
    E para a surpresa de todos ele se revela ser Felix, o irmão de Jenna que todos acreditavam ter morrido.

    Ele revela que foi salvo enquanto era levado pela correnteza e deve a sua vida aos dois que tem o criado desde então. Isso os convencem de que Saturos e Menardi não vão machucar ninguém e eles decidem entregar os artefatos. Um quarto membro do bando chamado Alex surge de repente e pega as estrelas das mãos dos protagonistas. Eles então são forçados a recolher a ultima estrela para que sejam deixados em paz.

    Porém ao retiraram a ultima estrela do seu pedestal o poder começa a sair do controle e o monte entra em erupção. Uma criatura misteriosa conhecida como o Grande Sábio aparece e espanta os vilões que acabam levando Jenna e Kraden de reféns para que os garotos vão atrás deles com a quarta estrela.

    Isaac e Garret ouvem as palavras do Grande Sábio que conta que o poder foi desbalanceado e o mundo corre o risco de ser destruído. Eles testemunham o despertar de algumas criaturas chamadas Djinns e são teleportados para fora pelo ser sábio.

    Ao retornarem para a vila eles contam tudo que testemunharam no santuário e o curandeiro da vila recebe uma visão do Grande Sábio confirmando a história. Ele revela que o mundo corre o risco de chegar ao fim, mas não pode fazer nada para ajudar. É dever dos humanos lutarem pela sua própria sobrevivência se quiserem.
    Quando questionado se os dois garotos são destinados a ir nessa jornada ele diz que não. Embora eles sejam responsáveis pelas ações que levaram aquele momento é escolha deles se vão aceitar essa missão ou não. Isso é bem legal pois o jogo deixa claro que nenhum deles são escolhidos pelo destino ou algo assim, poderia ter sido qualquer outra pessoa no lugar deles, mas é a sensação de dever que os coloca na jornada e não uma lenda whatever.

    No dia seguinte eles recebem o adeus da vila, mas a mãe de Isaac não consegue estar presente para dizer adeus ao seu único filho depois de já ter perdido o marido. Assim os dois precisam iniciar essa jornada pelo mundo em busca dos faróis elementais que não podem ser acendidos com o poder das estrelas, pois isso certamente destruiria o mundo.

    Logo que saímos para o overworld a primeira vez encontramos com Flint, o Djinn Vênus e ele se une a nós. Temos então o tutorial explicando como funcionam os Djinns no jogo.

    Basicamente eles devem ser equipados nos personagens e de acordo com a combinação de quantidades e elementos mudam os atributos e até mesmo as psinergias dos protagonistas. No começo temos poucas opções, mas com o tempo conforme vamos ganhando mais deles teremos uma boa customização para os personagens.

    Em batalha cada um deles tem um poder que pode ser usado. Alguns causam dano elemental, outros curam, dão buffs, debuffs etc. Mas quando usados dessa forma eles desequipam do personagem, porém ficam disponíveis para serem invocados criando enormes ataques de summons inspirados em FFs. Depois dessa invocação eles precisam ficar em cooldown por um curto tempo, mas são equipados de novo no personagem voltando a conferir seus atributos.

    Essa ciclo de uso de habilidades e invocações adiciona mais a parte estratégica do jogo e vai ser importante aprender a tirar o melhor proveito dela para que possamos progredir no futuro.
    Por enquanto eu deixo esse check-in aqui, mas daqui a uns dias tem a parte 2.

    5
  • emphighwind Emp Highwind
    2020-05-31 09:10:43 -0300 Thumb picture
    Post by emphighwind: <p><strong>Terminado: </strong>foram 22h de jogo ma

    Terminado: foram 22h de jogo mais ou menos mas o jogo definitivamente não terminou, o jogo para no 2- farol de 4, a equipe rocket é derrotada, mas não sei qual a motivação do Felix(Garcia) de estar ajudando eles e ainda tem o mistério do continente de Lemuria, pergunto como foi a reação das pessoas na época antes de sair o Lost Age com relação ao do Golden Sun.

    Num geral o que mais gostei do jogo foram as dungeons, o sistema de classes é meio obtuso e da metade pro final do jogo eu sinto como se maioria das magias de dano davam bem menos dano que os ataques normais mesmo acertando fraqueza, summons eu raramente usei pois não parecia compensar a perda de magias e stats até settar o djinni de volta gastando turno, dai tem o fator de que o jogo não tem nenhuma forma de fast travel então se por algum motivo você queira voltar pra algumas cidades vai ter que passar por umas dungeons que ficam no caminho(sure algumas tem atalhos, mas o backtracking continua firme e forte).

    Also tive a impressão de que o superboss do navio pirata gastou todo o PP na luta, pois nos ultimos turnos dele só tava usando ataque normal, foi engraçado de se ver.

    Quando termina o jogo você pode transferir os dados pra Lost Age usando cabo game link ou passwords e oh boy o password pra passar tudo incluindo itens é um pouco longo.

    rh$LM CFg=!
    &zS7t T#6N2
    ?xC?S UdU9e
    YsCj8 &DYwN
    vrLME NGnKh

    eynJi M2Vxy
    y%BN3 WH87w
    MMrp# !M4ge
    uVe=A 3kRfE
    5c6$G 5Zv4r

    #qBGa #nxyf
    zeszV b?TTG
    HBuAc n8PYq
    WDePD 6uPYT
    Ypx+F =mG=r

    4e!Zc v87+S
    idcDn hgHsF
    nmNxs rS?wK
    w48?2 CJ%$F
    8HCBc MGFh$

    UMLtQ RQr2r
    WVw7z z!t$a
    6%gba BKfe?
    GrkjL vuVQP
    !vuV$ 3?GAj

    $&6FA A2KCS

    Espero que não de errado quando eu for passar pro Lost Age.

    23
    • Micro picture
      rax · about 1 year ago · 1 ponto

      Esse password serve pras best weapons e etc. tbm?

      2 replies
    • Micro picture
      jcelove · about 1 year ago · 1 ponto

      Caramba, e eu achando a password dis oracle complicada XD

    • Micro picture
      mateusfv · about 1 year ago · 1 ponto

      Caramba agora que você falou que o jogo acaba no segundo farol to começando a achar que zerei ele e não só parei na metada kkk

      Ou talvez eu tenha parado no primeiro farol mesmo :v

      1 reply
  • zyotic Fellipe Guimarães Fortes
    2020-05-30 15:00:49 -0300 Thumb picture
    zyotic checked-in:
    Post by zyotic: <p><strong>Golden Sun (Prólogo)</strong></p><p><br>

    Golden Sun (Prólogo)


    Decidi em paralelo a jogatina de Final Fantasy III re-jogar este que está na minha lista de melhores RPGs de todos os tempos e é o melhor RPG original de GBA.

    (As prints estão com scanlines por que eu uso esse filtro quando estou jogando, se ficar muito ruim avisa nos comentários que um printo sem o efeito =p)


    Golden Sun é em sua aparência superficial um RPG medieval que conta as aventuras de um grupo de jovens que acabam entrando em uma jornada para salvar o mundo de uma destruição eminente pelo uso de poder descontrolado. Mas não deixe que essa sinopse resumida de algumas linhas te afaste desse jogo, pois ele tem muito mais a oferecer que apenas isso e no decorrer do jogo vão sendo introduzidas novas mecânicas e um enredo envolvente.

    O jogo conta com uma das melhores introduções dos RPGs que eu já joguei: Nosso protagonista, Isaac, é acordado por sua mãe. Não por que é seu aniversário de 16 anos e ele tem que falar com o rei ou por que ele precisa ir passear em um festival na sua cidade, mas por que uma enorme tempestade seguida da erupção do Monte Aleph está ameaçando a vida de todo mundo ali presente!

    O vilarejo do protagonista fica sob os pés de um vulcão que até então estava adormecido por anos, mas alguma coisa aconteceu e está provocando sua erupção. A mãe de Isaac sai de casa com o filho e encontra seu marido que diz ir ajudar o resto das pessoas do vilarejo com sua psinergia para que as rochas caindo não destruam tudo. Logo nesse começo somos apresentados ao fato de que todos nessa vila tem esse poder chamado de Psinergia que nada mas é do que poderes mentais. Seus principais usos incluem mover e pegar objetos, mas ao longo do jogo veremos outros usos mais avançados como congelar a água, crescer plantas e até ler mente dos NPCs!

    O pai e a mãe de Isaac o pedem para ir até o centro da vila enquanto procuram ajudar aqueles que precisam no caminho. Enquanto rumava para lá ele encontra seu melhor amigo, Garret, que tentava salvar suas coisas, mas é convencido a deixar elas para trás e salvar sua vida. 

    É importante eu ressaltar aqui como Golden Sun não é um jogo tão antigo, mas pega propositalmente muitos conceitos dos RPGs clássicos como Dragon Quest e Final Fantasy para fazer referências: O protagonista é um herói mudo, mas a todo momento podemos responder perguntas feitas a ele com "Sim" ou "Não", que embora não mudem a história servem para dar um mínimo de roleplay ao jogador no papel de Isaac. O menu do jogo também foi claramente inspirado em DQ, pois ao invés de ser aberto com o botão START como já era o padrão nos RPGs do GBA (Esse botão abre a tela de opções) é o botão A que abre o menu de ações/psinergia/inventário do jogo, exatamente como nos primeiros jogos de RPG da Enix.

    No caminho para o centro do vilarejo de Vale nós vemos alguns dos anciões tentando segurar uma rocha enorme que estava rolando do Mt Aleph com todo o resto de suas psinergias.

    (Btw, essa é uma versão traduzida da ROM feita por Kyle the Runner)


    Nessa parte do jogo podemos encontrar alguns inimigos e experimentar o sistema de batalha do jogo. Ele é um típico RPG de turnos bem simples onde termos a opção de atacar fisicamente, usar psinergia (Que é a magia desse jogo, mas Isaac e Garret ainda não possuem nenhuma ainda), usar Itens, Defender ou Fugir. Eventualmente nós vamos ganhar mais comandos dentro da batalha que aumentam suas possibilidades estratégicas quando um novo recurso do jogo for adicionado durante a história, mas falo dele quando chegar a hora.

    O diferencial aqui é que a câmera de luta foca nas costas dos personagens e vemos eles fazerem todas as animações de ataque, psinergia, receber dano etc. Outra referencia aos RPGs antigos também está presente no sistema de batalha ao atacar um inimigo: Se você comanda mais de um personagem para atacar o mesmo alvo e ele morre antes do personagem seguinte realizar sua ação ele não direciona o ataque para o próximo inimigo na luta como é o padrão hoje, ao invés disso ele usa o comando de defesa. Isso era usado em alguns RPGs como o primeiro FF por exemplo em que você tem que ter um mínimo de planejamento dividindo seu dano de forma consciente em luta ao invés de apertar o botão A sem parar.

    Antes de chegarmos ao centro de Vale vemos uma cena acontecendo: Encontramos os pais de Isaac, Jenna (Outra amiga nossa), seus pais e seu irmão Felix que está se segurando em um destroço no rio para não ser levado pela correnteza. 

    A mãe do protagonista diz que vai pedir ajuda e pede para Isaac e Garret procurem também por alguém que ainda tenha psinergia sobrando para ajudar a resgatar o garoto, pois os adultos ali já tinha esgotado todo seu MP.

    Assim eles fazem indo até a praça principal e pedem ajuda ao prefeito que manda um dos homens que tinha acabado de restaurar suas energias para o resgate.

    Isaac, Garret, Jenna e o homem voltam até a cena do acidente e se aproximam para ele alcançar Felix com suas forças, mas antes que cheguem perto o bastante o pior acontece!

    A rocha gigante que rolava montanha abaixo atropela todos em seu caminho fazendo com que em questão de segundos Isaac ficasse orfão do pai e Jenna perdesse toda a sua família!

    Ninguém sabe o que fazer após o choque inicial, apenas o nosso protagonista consegue se mover e tentar correr de novo para a praça em busca de ajuda. Garret também sai do estado de torpor e o segue para ajudar, mas em seu caminho Isaac encontra Jessie e James duas figuras misteriosas que conversam sobre como eles não esperavam que a fúria do Mt Aleph fosse tão terrível, mas que na próxima seria diferente.

    Os garotos são vistos pela dupla que tentam silencia-los e entramos em uma luta que não podemos vencer. Após nossa derrota os dois fogem e Isaac e Garret ficam desmaiados até serem encontrados mais tarde pelos habitantes de Vale.

    Assim 3 anos se passam após essa noite terrível e o jogo começa pra valer. 

    Eu amo essa prólogo de Golden Sun, por que tanta coisa emocionante já acontece nos primeiros 15 minutos de jogo e te coloca no clima, além de deixar uma série de perguntas sem respostas para você ficar curioso.

    Espero que se você leu até aqui e nunca jogou esse jogo tenha ficado com vontade de jogar ele e se já jogou antes lembre dessa pérola de peso do GBA.
    Até o próximo Check-in de GS!

    8
    • Micro picture
      jcelove · about 1 year ago · 2 pontos

      Achava legal as batalhas dele mas os puzzles me afastaram U_U

      4 replies
    • Micro picture
      kalini · about 1 year ago · 1 ponto

      O jogo que eu disse ser genérico e menosprezei no grindingcast.

      2 replies
    • Micro picture
      santz · about 1 year ago · 1 ponto

      Eu joguei, mas acabei largando sei lá. Um dia eu tento zerar ele de novo.

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...