This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • felipecassettari Felipe Soares Cassettari
    2021-12-31 02:56:38 -0200 Thumb picture
    felipecassettari checked-in:
    Post by felipecassettari: <p>Iniciado e finalizado logo em seguida! Que jogo

    Iniciado e finalizado logo em seguida! Que jogo lindo! Sem defeitos! 10/10!

    4
  • luansilva2000 Luan Silva
    2021-10-13 20:48:45 -0300 Thumb picture
    luansilva2000 checked-in:
    Post by luansilva2000: <p>Zerado!</p><p>Um belíssimo jogo, direção de arte

    Zerado!

    Um belíssimo jogo, direção de arte e trilha sonora impecável, gostei muito desse tipo de narrativa que com nenhum diálogo consegue transmitir muitos sentimentos, e o final é fantástico. Recomendo demais!

    19
  • reasel Reasel
    2021-09-26 10:02:01 -0300 Thumb picture
    reasel checked-in:
    Post by reasel: <p>Versão de android(pessoal do alvanista realmente

    Versão de android(pessoal do alvanista realmente ta cagando pra plataforma XD)

    Por enquanto achando uma bosta bonita.

    13
    • Micro picture
      sweet_lorelei · 8 months ago · 2 pontos

      tem jogos bem legais pra android,joguei demais alguns nele,so cansa um pouco a mão depois de um tempo se não tiver um bom apoio pra mão
      mandei cadastrar a versão de android assim que aprovarem vai ta nesse link http://alvanista.com/games/android/gris

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 8 months ago · 2 pontos

      Pior ainda é no caso de jogos de iOS.

      1 reply
  • pedromelo Pedro Melo
    2021-06-29 07:52:10 -0300 Thumb picture
    pedromelo checked-in:
    Post by pedromelo: <p>Finalizado, mas ainda devo retornar para pegar o

    Finalizado, mas ainda devo retornar para pegar os coletáveis. Como fica óbvio por todas as imagens, é realmente lindo e tem um estilo visual marcante. Mesmo jogando não parava de me surpreender com tudo. Música e efeitos sonoros também ótimos.

    O problema é o resto. Não que seja ruim, mas não conseguem ser excepcionais. A jogabilidade funciona. Tem alguns desafios, nada muito difícil, mas também impede que o jogo se torne um walking simulator. Ele não vai te marcar pela gameplay, mas também não vai entediar. Não existir morte é algo que eu gostei também.

    Meu maior problema é com a história. O jogo se sustenta todo em metáforas vagas demais para dizer algo concreto ou verdadeiramente profundo. Você pode interpretar tudo como bem entender, o que não me agrada muito. Não gosto de obras que deixam nas mãos de quem joga/assiste/lê todo o trabalho de criar um sentido, não por preguiça, mas sim por preferir refletir e debater a mensagem que os criadores pretenderam passar. A interpretação mais forte é sobre algo relacionado a luto/depressão, mas isso também não me agrada porque me parece que esses temas já estão um pouco batidos nesse meio de "jogos artísticos". 

    Claro, ainda há a possibilidade de Gris não se interessar tanto nos sentidos que constrói, mas sim nas imagens e sensações que proporciona. O que, novamente, não é um problema, mas sinto que poderiam ir além.

    6
  • pedromelo Pedro Melo
    2021-06-02 10:08:31 -0300 Thumb picture
    pedromelo checked-in:
    Post by pedromelo: <p>Joguei um pouco ontem e dizer o quanto é lindo é

    Joguei um pouco ontem e dizer o quanto é lindo é chover no molhado né? Dá vontade de printar tudo.

    A arte, inclusive, me lembrou Kanashimi no Belladonna:

    4
  • anduzerandu Anderson Alves
    2021-04-12 15:30:39 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Gris

    Zerado dia 12/04/21

    -Não encontrei a versão de Android-

    Desde que esse jogo foi lançado, a comunidade do Nintendo Switch não para de o recomendar. "Lindo", "incrível" e "uma experiência única" são alguns dos comentários que mais vejo quando o título vem a tona.

    Não passou muito tempo para eu descobrir que essa era uma daquelas experiências artísticas, mais voltadas pro audiovisual do que o gameplay em si. Um daqueles jogos mais filosofais. Bem, o povo adora por algum motivo.

    Fiquei à espreita em busca de uma promoção no console, mas mesmo quando ela vinha, não era lá essas coisas, cerca de R$35, e eu acaba sempre dando prioridade para comprar outras coisas. Eu sempre mantive o pé atrás. Há algum tempo dei uma pesquisada em Gris e vi que ele havia saído para outras plataformas, incluindo Android, o que é muito bom! Mesmo odiando jogar no touchscreen, resolvi dar uma chance à ele visto que provavelmente seria um jogo tranquilo de jogar.

    Ao abrir o jogo é mostrada uma mensagem que recomenda o uso de fones para curtir a experiência corretamente. Como estava jogando Gris em filas, consultório do dentista e afins, eu não estava respeitando a regra e achando o jogo bem sem sal, mas ao jogar a sério em casa, eu recomendo demais os fones! Além da imersão, a trilha sonora é provavelmente o ponto mais alto da aventura.

    Iniciando a campanha, é perceptível de cara o visual cartum super bonito e que parece ter sido pintado com aquarela. A arte me remeteu muito àquela de animações mais sérias (ou adultas) antigas, do final dos anos 70 e 80. Há um quê de Disney e a elegância das ilustrações de Gerald Scarfe no filme The Wall (Pink Floyd).

    E como qualquer animação de respeito, esses desenhos não envelhecem nunca! Eu senti que é o tipo de coisa que tem um apelo para quem curte essas animações desde as antigas, mas que parece tão atual que até o mais jovem jogador acharia deslumbrante!

    Já no quesito gameplay, Gris é o que eu já esperava: um "walking simulator". Você anda pra cá, pra lá, de vez em quando até tem que dar umas voltas por um cenário enquanto muitas vezes só segue o caminho óbvio. É daquele tipo de jogo "aprecie o cenário".

    Além de andar e pular, há uns puzzles aqui e ali que exigem exploração do mapa atual, pular plataformas, usar das mecânicas dos cenários e alcançar determinados pontos para a coleta de esferas de luz. Com o número necessário delas, serão criadas rotas para dar prosseguimento na aventura.

    Cada área nova que você jogar acaba garantindo um novo power-up, obrigatório para terminar o jogo e que ainda ajuda um pouco na mobilidade (seria legal poder rejogar tudo já come eles desbloqueados). Um desses poderes te transforma num cubo que resiste a ação de ventos forte, faz peso e quebra chãos quebrados. Outro é o pulo duplo + poder planar. Há um power-up que te faz nadar (e rápido como um peixe) e por aí vai.

    Depois de um tempo de jogo eu percebi que ele é como um Journey 2D. Definitivamente um jogo para quem curte aquele tipo de experiência. O início até parece um pouco, no deserto e com sua capa voando e a música calma tocando.

    A protagonista é a Gris, uma garota meio deprê e tal (já falo sobre isso). O design dela é bem...curioso, pois seu corpo é uma capa com dois bracinhos fininhos e pretos e uma cabeça normal humana, meio destoante, meio bonito. É quase como se pegássemos um daqueles demoniozinhos pretos do ICO, Shadow of the Colossus ou The Last Guardian e colocássemos a cabeça do protagonista. Enfim, escolhas de design.

    É legal conhecer a Gris conforme avançamos e graças Às eventuais cinemáticas que a mostram bem animadas em close-ups. Eu quase queria apenas assistir esse jogo ou uma adaptação em curta-metragem.

    Já na parte da história, bem, tudo fica bem aberto a interpretações

    Vi muita gente falando sobre depressão ou como o jogo ajudou com casos pessoais da mesma, mas, fora umas viajadas bem grandes, eu acho que você pode tirar a informação que quiser do jogo.

    Superação? Procura por respostas? Busca de um ente querido? Uma metáfora a vida do nascimento à morte e os problemas recorrentes? Você escolhe.

    Só acho que depressão é um assunto muito fácil para ser mencionado (e diagnosticado sobre si mesmo) atualmente. Mas enfim, se você viu um jogo sobre isso, tá valendo! Se você viu um jogo sobre nada, também tá valendo.

    O que posso dizer é que eu não sou muito fã desse tipo de experiência, mas curti Gris. A trilha sonora e algumas partes de gameplay e cenários me cativaram bem. Ser um jogo de apenas 2 horinhas também ajudou bastante com isso.

    Resumindo: Gris é um desses jogos artísticos com mil e uma interpretações. O gameplay é simples e dá pra qualquer um curtir do início ao fim. Eu mesmo empaquei uma vez ou outra! A forma mais fácil que posso descrevê-lo é como um "Journey 2D".

    De bom: arte muito bonita e animações vivas, muitas vezes como um desenho animado. Trilha sonora espetacular. Cada mapa trás novidades e ajuda um pouco o jogo não cair na mesmice. Amo as cinemáticas. Deu pra jogar no celular tranquilamente (mas eu recomendaria numa tela maior e com um controle mesmo).

    De ruim: um bocado "walking simulator". O gameplay as vezes é meio sem sal demais, só andando ou pulando e os puzzles são quase sempre "meh". Muitos cenários são muito parados, nem a vegetação se mexe. Eu não sabia se desgostava mais de ficar andando mas jogando numa boa ou ter que parar nos templos e ficar explorando atrás de bolinhas de luz para terminar puzzles. Acho que o jogo roda a no máximo 30 fps, o que é bem estranho visto que meu celular é bem bom (mais um ponto para levar em consideração outras plataformas).

    No geral, o jogo é legal. Exatamente o que eu já esperava e não faz o meu gosto, mas ao menos é bem breve. Não chorei, nem sorri. Mas fiquei feliz em tê-lo terminado pois no final já estava cansado. Bacana!

    16
    • Micro picture
      msvalle · about 1 year ago · 2 pontos

      Se não me engano, no final tem uma cena escondida que remete à perda.

      1 reply
  • lordlight Matheus Eduardo Light
    2020-12-13 20:47:27 -0200 Thumb picture
    Post by lordlight: <p>Mais uma obra de arte digital, uma inspiração ;<

    Medium 750405 3309110367

    Mais uma obra de arte digital, uma inspiração ;

    A perda, a depressão, as fases do luto, tudo retratado sem palavras, sem escrita, somente pelo semblante da personagem, as cores e o som.
    Um game que mostra que um "jogo" pode ser muito mais que terapia, pode trazer uma mensagem sublime.

    2
  • legendoflisboa Gabriel Lisboa
    2020-12-03 20:03:16 -0200 Thumb picture
    legendoflisboa checked-in:
    Post by legendoflisboa: <p>Finalizado 03/12/2020</p><p>Jogo lindo com uma p

    Finalizado 03/12/2020

    Jogo lindo com uma produção de arte, música e enredo, fora da curva. Obrigado galera dos indies!!!

    2
  • jomarmello Jomar
    2020-11-28 19:11:55 -0200 Thumb picture
    Post by jomarmello: <p>Minha compra da black friday....Gris para androi

    Minha compra da black friday....Gris para android rsrs

    9
  • rafahribeiro_ Rafael
    2020-11-27 14:50:45 -0200 Thumb picture

    Uma verdadeira obra de arte

    Gris as vezes falha na mensagem. Por exemplo: A ideia, pelo menos a que captei, é mostrar o caminho da perda até a aceitação, mas, na parte da enguia, largar o controle nao afetava em nada o jogo, e isso passa uma mensagem que, mesmo estagnado, o psicológico ficará saudável, e não é bem assim. Não é um grande problema, mas é incoerente com a mensagem, e com tema abordado. Fora isso, ele é bastante intuitivo e, na grande maioria das vezes, passa bem a situação de "estar remontando o quebra-cabeças" chamado mente. Revelar uma cor de cada vez, liberar pequenas áreas com o tempo, os instrumentos da trilha irem surgindo conforme o progresso, a luta contra a escuridão e por fim alcançar o céu. Falha pouquíssimas vezes, o que, se comprado com o todo, é muito fácil ignorar.

    No mas. É um jogo excelente, e muito bonito, tanto no visual quanto na história/mensagem

    0

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...