bobramber

Atari > Mega > PS1 > PC/emulação. Gosto de RPGs e conhecer jogos tidos como melhores.

You aren't following bobramber.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-05-04 11:22:59 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>Postagem rápida só para avisar que comecei... du
    Etrian Odyssey

    Platform: Nintendo DS
    155 Players
    24 Check-ins

    Postagem rápida só para avisar que comecei... duas vezes, padrão nesse tipo de jogo em que a build influencia muito.

    Na primeira vez só para conhecer as mecânicas e ver se iria curtir. No início achei meio besta ter que ficar desenhando o mapa, mas fazer o quê...

    Morri, morri e morri, não com todos, acho que game over foi só um (isso com save state - mas ainda sem prática de usá-lo com frequência). Mas toda hora tinha que voltar para ressuscitar alguém.

    Para quem não conhece, este meme ajuda a dar uma ideia

    Então cansei de morrer e resolvi pesquisar umas dicas, afinal já estava ficando sem dinheiro. Saiu um consenso de que a build era muito importante, pois o jogo seria realmente difícil sem uma pré-definida.  Então recomecei, as classes foram as mesmas que tinha pego em blind, mas as skills beeeem diferentes, assim como os resultados. Peguei o costume de salvar frequentemente também. E agora até gosto de desenhar o mapa!! ^^

    Devo estar +- no level 18, chegando no quinto andar...

    Não sei se vou continuar o game agora, pois esse é bem do jeitinho que consigo curtir nas horas de folga do trabalho - estou em home office há 14 meses, mas deve estar pela boa de voltarmos, e vou tentar jogar algo mais restrito aqui em casa.

    Ah, sei que tem um remake, mas pelo que li é uma reimaginação também, então achei melhor ir em ordem de lançamento da série.

    19
    • Micro picture
      jcelove · 2 days ago · 3 pontos

      Ah ta pegando o gosto então.hehe
      Eu não sou chegado a dungeon crawl first person nessa pegada não. Detesto desanhar mapas, mas olha se num tem uma opção automática, nos remakes e nos Persona Q tem se me lembro.

      Os remakkes adcionam personagens e narrativa mais elaborada, pra disfarçar um pouco a descida infinita.

      6 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 1 day ago · 3 pontos

      Eu adoro esse jogo, até cheguei a finalizar, mas ele é difícil pra caramba! Curiosamente eu adorava desenhar os mapas.

      3 replies
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 2 days ago · 2 pontos

      Esse jogo tem fama de ser difícil!

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-05-03 06:35:32 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    Myst

    Platform: PC
    213 Players
    4 Check-ins

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que Intel lança o primeiro Pentium

    Jogo de aventura em primeira pessoa recheado de puzzles de alta dificuldade. Na história, o jogador viaja através de um livro especial para a ilha de Myst, e de lá para quatro outros mundos.

    Game mais vendido de computador até que The Sims assumiu esse posto em 2002

    Já tinha ouvido falar bastante de Myst, mas sempre devido sua alta dificuldade, não imaginava que era considerado um dos melhores jogos de todos os tempos - lembrando que esta lista de melhores tem 232 games.

    A biblioteca de Myst aparece em um capítulo de 1995 dos Simpsons

    No jogo saí andando a esmo, até que achei uma biblioteca, li um livro interessante sobre a história de um cara e sua família (esposa e dois filhos), então conforme fui clicando nos demais livros, tinha muito mais história, aí já parei de querer ler e fui passear mais um pouco.

    Myst: Masterpiece Edition foi uma versão melhorada em 2000; realMyst: Interactive 3D Edition foi um remake no mesmo ano; e realMyst: Masterpiece Edition é a versão mais atual do game, que saiu em 2014 e teve uma atualização para 2.0 em 2015

    É claro que não consegui resolver um puzzle sequer. Fui dar uma olhada no youtube, numa longplay de 1h30min do jogo original - joguei a versão mais recente, de 2015 - onde quem jogou já sabia tudo o que devia fazer.

    Matt Damon queria que o jogo The Bourne Conspiracy (2008) fosse um puzzle como Myst, recusando emprestar a voz quando virou um shooter

    Os críticos exaltam bastante a imersividade do jogo, e tenho que concordar com eles. Não há objetivos, perigos ou limite de tempo, tudo para favorecer a exploração no passo de cada um. Os quebra-cabeças exigem paciência, observação e pensamento lógico.

    O sucesso de Myst rendeu diversas sequências: Riven (1997); Myst III: Exile (2001); Myst IV: Revelation (2004); e Myst V: End of Ages (2005)

    Aqui, em breve, haverá um link para o texto que explica a metodologia do porquê o game é considerado um dos melhores de todos os tempos - 14 de 51 publicações

    16
    • Micro picture
      _gustavo · 3 days ago · 2 pontos

      Myst é um clássico do PC, esses Adventures de exploração e resolução de puzzles sempre tiveram uma parcela grande de fãs, atuais tem vários bons tbm, como o Witness, o Talos Principle e o Obduction que é do mesmo estudio do Myst tbm

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 3 days ago · 2 pontos

      Myst é incrível, se não fosse um jogo super chato de jogar. A ilha tem um monte de botão e alavanca que quando você aperta, não vê nenhum resultado. É um daqueles adventures que exigem demais do jogador. Sem nenhum guia, não fui capaz de fazer nada. Mas uma coisa é fato, a atmosfera é os cenários desse jogo são impecáveis.

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-05-01 18:33:46 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    The Legend of Zelda: Link's Awakening

    Platform: Gameboy
    1349 Players
    26 Check-ins

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que Michael Jackson veio ao Brasil

    Jogo de ação e aventura focado em exploração e combate. No enredo Link naufragou e foi parar na ilha de Koholint, agora precisa coletar oito instrumentos musicais para acordar o Peixe Vento e escapar de lá.

    Quarto game da franquia, primeiro para portátil e um dos poucos que não tem Zelda, Hyrule ou Triforce

    Foi o primeiro game da franquia em que se pode atribuir diferentes itens para os botões A e B. Também foi o primeiro a incluir pescaria e o aprendizado de músicas para a ocarina.

    Em 1998 teve uma versão melhorada (acredito que apenas graficamente)

    Quanto à minha experiência, assim como nos jogos anteriores, percebi um level design incrível, com ritmo bem dosado entre luta, exploração e puzzle, elementos com a qualidade já característica da série. Porém não tenho muito mais o que falar, afinal tenho a infelicidade de não curtir Zelda, então joguei apenas até o final da primeira dungeon, precisando consultar um guia 2x. Tenho interesse em jogar mais pelo remake de 2019, assim que puder emulá-lo com qualidade.

    O remake ficou, aparentemente, bem fiel

    13
    • Micro picture
      santz · 5 days ago · 3 pontos

      Esse jogo é fantástico no GameBoy, mas como uma análise mais friamente sobre o jogo, ele é praticamente um A Link to the Past compato. É um jogo ótimo, mas um dos melhores de todos os tempos? Eu, pessoalmente, não considero.

      5 replies
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-30 16:12:41 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>Nunca pensei que poderia morrer tanto em um FF,
    Final Fantasy XIII

    Platform: PC
    445 Players
    257 Check-ins

    Nunca pensei que poderia morrer tanto em um FF, acho que só fui pegar a manha a partir do cap. 7, mesmo assim ainda morria, mas com pouca frequência.

    Até as 34h - capítulo 11 - foram corredores e mais corredores, e não achei nenhum secret, isto é, algo que não aparecesse no mapa, senti falta disso, ou estava bem escondido. Então gastei 10h explorando a estepe, fazendo todas as sidequests e procurando tesouros, só então continuei a história.

    FINALIZADO EM 65H

    Consegui completar 51 das 62 missões Cieth antes de enfrentar o last boss. O chefão não deu trabalho, sequer conseguiu derrubar alguém da equipe, pois estava com os personagens evoluídos ao máximo e minha estratégia 'feijão com arroz' foi o suficiente, era só questão de sempre manter o HP quase cheio.

    Minha estratégia era composta por Light, Fang e Hope. Primeiro aplicava buffs e debuffs, depois atacava com Ravager, Commando e Ravager, curava quando necessário.

    Após ver o final podemos deixar nossos personagens mais fortes, o que rapidamente fiz, mas não fiquei interessado em completar as demais missões. Vou partir para o XIII-2 depois de dar um tempo.

    Gostei muito de jogar obrigatoriamente com personagens diferentes, assim aprendi um pouco de cada e pude decidir quais mais gostava e elaborar estratégias diversas.

    Achei muito diferente não ter cidades para visitar, não sei dizer se gostei ou não. Senti falta de mais equipamentos, no caso armaduras, pois embora tivessem muitos acessórios, não os achei muito úteis, ficando sempre com os mesmos.

    O combate ficou bem dinâmico, no início achei que a IA faria tudo, mas ainda bem que me enganei.

    Quanto a história, achei bem focada, até fácil de entender - desde que lendo as sinopses no menu, pois algumas coisas só são explicadas por lá. Por exemplo, como que a Serah virou l'cie.

    Ah, e quanto a beleza, tópico extremamente importante, sou mais a Fang do que a Lightning, rs.

    31
    • Micro picture
      santz · 5 days ago · 2 pontos

      Então, pelo visto, temos alguém que curtiu FFXIII, certo?

      1 reply
    • Micro picture
      cleverizzo · 4 days ago · 2 pontos

      Parabéns ... e inveja .. nunca zerei nenhum FF kkkkkkk .... atualmente só tenho o XV mas ta encostado faz mais de ano

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-28 01:48:46 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    Doom

    Platform: PC
    5053 Players
    88 Check-ins

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que São Paulo foi bicampeão mundial

    Neste FPS estamos ali pela região de Marte, onde experimentos com teletransportes acabam zicando e desencadeando uma invasão demoníaca. Só que os coisa-ruim deram azar, pois o Rambo Doomguy não tava só com uma faca, tinha uma arma que representava seu estado de espírito: pistola! (Ba Dum Tss)

    Já tinha jogado no início da adolescência, sempre com os códigos de trapaça. Mais recentemente dei uma relembrada, quando baixei Doom 3 BFG, pois vem o I e o II nele, mas joguei bem pouco e descompromissado.

    Tela inicial do Doom 3: BFG Edition

    Desta vez escolhi uma dificuldade abaixo da média. As primeiras fases foram rápidas, mas já antes do final do primeiro episódio o mapa passou a ser fundamental. Morri duas vezes ainda no primeiro episódio, mas por bobagem minha. No segundo episódio voltei a morrer duas vezes, desta vez sem poder botar a culpa em alguma bobagem.

    IDDQD, IDKFA, IDCLIP são os códigos que nunca esqueci

    O terceiro episódio - Hell - foi o que mais gostei disparado, graças ao excelente level design e clima macabro, só achei o chefe dele um pouco fácil, provavelmente devido à dificuldade que escolhi, mas não me arrependi, já que curti a exploração junto com o combate não tão exigente.

    Imagem de Doom RPG só para contar que o dano no Doom original é calculado como a rolagem de dados

    O jogo original tem três episódios, e foi divulgado amplamente por Shareware, no qual o primeiro episódio era grátis, e quem gostasse do game podia encomendar os demais.

    Shareware de Doom

    Uma versão (Ultimate) foi lançada em 1995, com um quarto episódio. Comecei esse, mas empaquei na segunda fase, não sabia o que fazer... No dia seguinte assisti uma longplay e descobri o que precisava fazer: correr! ... Sério, não sabia que dava para correr, aí tem uma fase que exige transpor um vão correndo :/ Assisti mais um pouco do vídeo, vi a última fase e o final, me senti satisfeito.

    Modelo do chefão do jogo original

    Finalizar Doom na raça - mesmo que apenas os episódios originais e numa dificuldade reduzida - foi muito gratificante, uma dívida comigo mesmo que foi quitada.

    17
    • Micro picture
      santz · 8 days ago · 2 pontos

      Tá me dizendo que zerou o primeiro Doom sem correr?

      9 replies
    • Micro picture
      msvalle · 8 days ago · 2 pontos

      Joguei muito esse na época, com esses disquetes e tudo XD

      1 reply
    • Micro picture
      thiagoreis · 8 days ago · 2 pontos

      1993 ano mágico para o São Paulo FC 💪🏻💪🏻🇾🇪.. e para os jogos também

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-27 00:06:01 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    Daytona USA

    Platform: Arcade
    443 Players
    1 Check-in

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que estreou A Lista de Schindler (7 Oscars)

    Jogo de corrida para Arcade com stock cars, inspirado pela popularidade da NASCAR

    Tive dificuldade em emulá-lo, pois o MAME não funciona, precisando baixar outro emulador, o @santz deu uma ajuda aqui, obrigado ;) Jogando, achei mais difícil que o Virtua Racing, pois há muitos carros na pista, porém esse também é um de seus pontos fortes. A primeira corrida possui 40 competidores!

    The Hornet (A Vespa)

    Minha melhor posição foi 11º, em cerca de 20 tentativas, sendo que apenas 3x consegui concluir todas as voltas. Joguei duas corridas no médio e uma no difícil, só para conhecer as pistas. Como era um emulador diferente, acabei jogando apenas no teclado, o que dificultou um pouco também. Usei apenas transmissão automática devido ser no teclado, se fosse no controle teria tentado no manual, e acredito que seria um pouco mais fácil, já que ele tem mais potência e geralmente reduzir a marcha é mais efetivo do que freiar - nos jogos, claro, não tentem fazer isso em casa ;)

    Até oito jogadores podem correr juntos

    O jogo possui dificuldade adaptada conforme a performance na primeira volta. O sistema ajuda nas ultrapassagens, mas não no tempo total de jogo, que é bastante apertado - 2min30s se não me engano.

    Como todo arcade de corrida, jogar na máquina é essencial para realmente aproveitar o game

    19
    • Micro picture
      _gustavo · 10 days ago · 2 pontos

      Daytona mais fácil e pratico emular no Demul, não sei qual emulador vc usou, eu devo ter gastado quase 500,00 nessa máquina quando morava em Curitiba e olha q na época a ficha era 0,75 kkkkkkkkkkkk

      6 replies
    • Micro picture
      jcelove · 9 days ago · 2 pontos

      DAAYYYYTOOOONAAAA, Lets go away!!hehe
      Impossível não lembrar das musiquinhas e do "GENTLEMAN< START YOUR ENGINES antes de começar.

      Ele teve port pra PC não? Lembro d ejogar bastante piratinha no Pentium 3 lá de casa, já que não tinha corage nem dinehriro pra jogar no shopping.hehe

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 9 days ago · 2 pontos

      O ruim desses jogos de corrida para Arcade é que são difíceis pra cacete. Conseguiu chegar 11º? Tá bom demais. Eu sempre jogo no modo automático. Minha mente não funciona com esse lance de trocar de marcha na hora certa.

      2 replies
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-26 02:32:48 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    Mortal Kombat II

    Platform: Arcade
    361 Players
    4 Check-ins

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que Bill Clinton assumiu

    Jogo de luta lançado para Arcade, trazendo a realização de um novo torneio em seu enredo, agora em Outworld.

    Canonicamente, Liu Kang foi o vencedor dos torneios de MK1 e 2

    O primeiro game já estava na lista, o segundo melhorou todos os aspectos do antecessor, trazendo mais fatalities por personagens e cenários, além de introduzir os babalities, friendships e diversos lutadores icônicos, como o próprio Shao Kahn.

    Smoke, Jade e Noob Saibot - Oponentes secretos de MK2

    Os cenários são maravilhosos, representando bem a misticidade do Outworld. A velocidade do jogo aumentou, principalmente se comparado ao MK1, deixando pouco tempo para apreciar os detalhes dos cenários.

    Friendship - Uma interação bondosa, como dançar ou dar um presente ao derrotado

    No jogo, sou péssimo, ainda mais considerando que esta era uma das minhas cinco fitas de Mega Drive... Joguei com todos os personagens, trocando quando era derrotado. Lutei melhor como Sub-zero e Raiden, os poucos de quem ainda lembro os golpes, ainda assim desisti cedo, pouco após a metade da torre. Nostalgia ruim é relembrar o quanto Baraka é difícil.

    O carinha que aparece gritando “Toasty” no canto da tela é Dan Forden, diretor de som da franquia.

    16
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 10 days ago · 2 pontos

      Esse para mim é o melhor MK da história, e talvez o segundo maior fighting game, atrás apenas do SF 2.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 10 days ago · 2 pontos

      O salto de qualidade do primeiro para o segundo jogo é gigantesco. lembra até a evolução jogo a jogo da série Virtua Fighter.

      2 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 9 days ago · 2 pontos

      Foda! Apesar de eu não ser tão fã da série;

  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-24 16:52:42 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    Phantasy Star IV

    Platform: Genesis
    550 Players
    65 Check-ins

    Conhecendo os melhores jogos de 1993

    Phantasy Star IV é um JRPG padrão, mas ao invés de termos que salvar o mundo, temos que salvar todo o sistema solar! :)

    O game se passa 1000 anos após os eventos do II e 1000 anos antes do III

    Esse foi o primeiro jogo do meu gênero favorito (RPG) a figurar na lista - afinal Gauntlet, de 1985, para mim é um hack and slash...

    O manual da versão americana diz que há 15 possíveis combinações de ataques, porém apenas 14 foram descobertas.

    Já havia finalizado a quadrilogia em sequência, e este é, claramente, o melhor deles.  O venci há um ano, então apenas dei uma pegada de 1h para relembrá-lo - e olha, como a Alys é mercenária, kkk. Nessa jogatina fui até salvar as pessoas que tinham virado pedra.

    É o quarto e último game da série original

    Vou usar meu texto anterior para falar mais do game: no início achei que o grind não é tão exigido, as dungeons não são tão complexas, e os itens ganhos pela exploração valem a pena. Porém, chegou um momento em que, ou eu desistia pela dificuldade exagerada, ou usava trapaça para deixar todos os personagens no nível 99 e desativava as batalhas aleatórias; mas o jogo é tão hardcore que mesmo assim tive algumas tretas nervosas para finalizá-lo, principalmente com o último boss.

    21
    • Micro picture
      manoelnsn · 12 days ago · 2 pontos

      Tu achou ele difícil? Achei bem fácil até, a série no geral nunca teve muita dificuldade nesse sentido, só o design das dungeons dos 3 jogos anteriores que eram o rascunho da barca do inferno, ahuahaua

      5 replies
    • Micro picture
      jcelove · 12 days ago · 2 pontos

      O 4 é talvez o melhor rpg do meguinha. Eu levei anos pra terminar ele pq sempre largava em um ponto e perdia o save. De fato tem uns momentos tensos e cansa nao poder salvar nas dungeons e antes dos bosses, mas com calma da pra terminar de boas. A galera falava tanto de terminar so com level 99 aqui que ate desanimava, mas da pra fechar normal. O esquema é usar as skills combinadas, tem umas bem roubadas

      3 replies
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-21 20:33:29 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong>Conhecendo os <a href="https://en.wikipe
    Maniac Mansion: Day of the Tentacle

    Platform: PC
    261 Players
    13 Check-ins

    Conhecendo os melhores jogos de 1993

    Um dos anos com mais games na lista, faltando um para os 14 de 2001

    Jogo de aventura da LucasArts onde controlamos três personagens - que acabaram separados por uma máquina do tempo - a impedir um tentáculo mutante de dominar o mundo.

    Day of the Tentacle é a continuação de Maniac Mansion (1987)

    Além de resolver os puzzles tradicionais, ainda precisamos trocar itens entre as épocas, seja deixando o item no passado para que alguém do futuro o utilize, seja trocando diretamente através do dispositivo que conecta os protagonistas - a máquina do tempo.

    Os banheiros químicos A máquina do tempo

    Tive que buscar parte dessas informações pela leitura, já que nunca tinha ouvido falar do game, e jogá-lo não me despertou interesse. Ainda assim conheci a versão original emulando-o por meia hora no browser.

    Remasterizado em 2016

    Joguei um pouco mais da versão remasterizada, que possui como grande atrativo, além da óbvia melhoria gráfica, a dublagem completa.

    Return of the Tentacle: Sequência feita por fãs lançada gratuitamente em 2018

    Não me animei a continuar a jogatina, uma porque não curto o gênero, e outra porque uma das primeiras partes após a introdução é junto a George Washington e Benjamin Franklin - e muitas piadas deixei de entender por não ter intimidade com a história norte americana.

    16
    • Micro picture
      jcelove · 15 days ago · 2 pontos

      Detalhe que é possiveil jogar Maniac Mansion completo dentro do TDott, logo no começo. Metalinguagem minigameistica bem antes de Shenmue.hehe

      O jogo é uma das masterpieces da Lucas Arts, cheio de tiradas hilárias zoando eventos históricos americanos e brincando com o lance de alternar entre as 3 timelines, mas tem uns puzzles dos mais insanos que a galera da LA já fez. Só é divertido pra mim com um guia.hehe

      5 replies
    • Micro picture
      santz · 14 days ago · 2 pontos

      Eu gosto desse jogo que ele lembra demais desenhos animados malucos. Mesmo o original de DOS, tem gráficos excelentes e situações bem engraçadas.

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-04-19 04:58:42 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p><strong style="background-color: initial;">Conhe
    Dune II: The Building of a Dynasty

    Platform: PC
    53 Players
    1 Check-in

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que Daniela Mercury lançou O Canto da Cidade

    Dune II interface

    Outro que nunca tinha jogado, e no gênero que acho super legal, mas que sou péssimo. A primeira coisa que faço é diminuir a velocidade ingame, devido à minha ruindade. Fui de Atreides porque me lembrou arqueiros. Comecei, li as dicas do mentor, vi algumas explicações de estruturas e unidades e fui jogar, afinal pelo menos uma noção simples eu tenho.

    Dune II é baseado no filme de 1984, o qual adaptou um romance de 1965

    Fiz duas missões, em 20 e 30 min, foram bem tranquilas, mas algumas coisinhas me incomodaram, como ter que entrar em uma outra tela para determinar o que seria produzido, ter que dar ordens individuais às unidades e ter que ficar clicando e colocando concreto um de cada vez. Mas vamos dar um desconto, afinal é 1992, Brasil conquistava seu primeiro ouro olímpico de esporte coletivo com Tande e cia, o Diet Shake chegava ao Brasil, Collor renunciava e o Xou da Xuxa acabava.

    Estabeleceu o formato que seria seguido pelos RTS - Real Time Strategy

    Depois resolvi testar o Dune Legacy, que é uma versão revitalizada do Dune II. E mesmo sendo iniciante no gênero, afirmo que a diferença na gameplay é enorme e só traz benefícios, resolvendo as partes chatas que citei antes - menos o concreto que ainda tem que ficar colocando. Aqui passei as primeiras missões rapidamente e tomei um côro logo em seguida, mas me senti satisfeito e desisti com a cabeça erguida.

    Dune Legacy interface

    Tenho que salientar o quanto é gratificante atacar a base inimiga com uma enorme tropa... e da mesma forma, ser atacado e ver tudo que construímos ser destruído dá uma raiva que só, tanto que ninguém é capaz de esperar a tela de game over, pois quando percebemos que está acabado já saímos do jogo, seja para tentar de novo ou só dar rage quit mesmo.

    Nove fases para finalizar a campanha principal

    É bem interessante a parte tática da coisa, equilibrando o uso de recursos entre novas instalações e unidades móveis, qual estratégia usar, se produzir as unidades mais fortes, ou criar diversas mais fracas e atacar rápido. O multiplayer deve ser incrível e possuir diversas táticas adaptáveis conforme o contexto... Mas mesmo com tanta coisa positiva, não consigo ficar animado a ponto de investir horas e horas no gênero, creio que apenas por uma questão de gosto.

    Dune 2000 interface - semi-remake lançado em 1998

    18
    • Micro picture
      santz · 17 days ago · 2 pontos

      Dune II é massa. Foi nele que eu entendi as mecânicas de RTS, mas não joguei na época, então meio que foi só curiosidade mesmo. O ruim desse tipo de jogo é que demora pra cacete cada partida.

    • Micro picture
      onai_onai · 16 days ago · 2 pontos

      O primeiro Dune que joguei foi o Dune 2000 no Playstation e só depois de muitos anos foi que descobri que os jogos são baseados em uma série de romances.

      5 replies
    • Micro picture
      bobramber · 17 days ago · 1 ponto

      Esse é muito bom para entender as mecânicas mesmo, já que tem as principais e sem complexidade excessiva.
      E demora mesmo, não consigo nem imaginar o quanto uma das últimas fases deve levar, ou então um multiplayer.

      3 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...