bobramber

Atari > Mega > PS1 > PC/emulação. Gosto de RPGs e conhecer jogos tidos como melhores.

You aren't following bobramber.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-25 22:13:34 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>#img#[784880]</p><p><em>Aplicativo que avisa qua
    Lawless Lands

    Platform: PC
    1 Players
    1 Check-in

    Aplicativo que avisa quando um game está gratuito - já falei dele numa outra postagem

    Primeiro jogo que cadastro na Alva. O conheci através do aplicativo que avisa de jogos grátis (Free Games Radar), pois uma DLC do dito cujo apareceu.

    Capa oficial do jogo - não ficou legal aqui na rede, por isso enviei outra

    Gênero: RPG; chamou minha atenção. Olhei as imagens, pareceu interessante. Vi uma rápida gameplay, mais focado em exploração e escolhas do que combate, huuum. Baixei piratex, comecei no nível médio e morri, morri e morri. Interessante! Resolvi recomeçar no nível fácil, daí embalei, mas algumas horas depois o combate ficou com uma dificuldade praticamente nula... é, vou ter que voltar ao nível médio, e isso somente recomeçando. Estava com 10h de jogo e no level 13.

    Print de como estava minha primeira tentativa, no easy

    Lawless Lands é um RPG indie que se passa em um obscuro e pós-apocalíptico mundo medieval, no qual uma praga devastou o reino, mergulhando-o no caos. O jogo promete ultrapassar 60h com mais de 125 sidequests e trazer múltiplos finais. Possui um sistema simples de escolha e consequência que baseia o alinhamento do personagem. Um mundo aberto com mais de 320 áreas para exploração. Loot aleatório e degradação de armas e equipamentos, mas facilmente consertáveis. Compatibilidade com gamepad (que descobri somente agora).

    Propaganda na Steam

    Ainda há um sistema de crafting, mas que achei bem fraco, já que obter a receita e os materiais é mais custoso que apenas comprar itens melhores. O jogo parece ter sido desenvolvido num RPG Maker da vida.

    Print (não minha) do game

    Apenas duas coisas me incomodavam muito: não poder salvar em qualquer lugar e ter que comer com frequência. A primeira solucionei ao comprar um item que permite salvar em qualquer lugar, e a segunda não resolvi, mas melhorei ao baixar uma versão mais atualizada do game - estava na 1.6, fui para a 2.2, essa veio com algumas DLCs, e uma delas tinha um cantil que enchia sozinho com o tempo, reduzindo pela metade a busca por alimentos.

    Um mundo escuro

    Na verdade, tinha uma terceira questão que me incomodava, a escuridão do mundo, mal dá para enxergar onde andamos, porém é intencional, já que há tochas para todo lado. Não sei se foi uma boa escolha dos desenvolvedores...

    Menu de equipamento bem padrão

    A dificuldade inicial do jogo é como alguns CRPGs, brutal no início, mas no sentido de que temos que seguir determinada rota, e só depois de ganhar alguns níveis/equipamentos é que podemos nos aventurar mais livremente.

    Print da DLC Unrest

    Quando estiver com mais tempo de jogo, ou terminado, faço uma postagem dizendo se realmente curti ou se apenas o início é que foi promissor.

    20
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-24 12:45:51 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>#img#[784659]</p><p>Tive que anotar os danos das
    Might and Magic III: Isles of Terra

    Platform: PC
    21 Players
    6 Check-ins

    Tive que anotar os danos das armas de cada personagem num papel, já que são mostrados com dados e toda vez tinha que ficar fazendo conta para saber se a arma encontrada valia a pena usar.

    Continuando de onde parei (obviamente), ao chegar em Wildabar estava muito acima do level, limpando tudo facilmente. Mas em vários locais não sabia o que fazer, então tinha que pesquisar num detonado. Para ajudar um pouco, resolvi começar a anotar num caderno alguns Pontos de Interesse - POI, como carinhosamente chama meu GPS velho de guerra. Se tivesse feito isso desde o início teria sido bem mais gostoso de jogar.

    Tentei explorar o deserto, mas os inimigos eram muito fortes, então parti para as ilhas congeladas. Obtive uns itens muito bons e passei a ter problemas com inventário, tive que me desfazer dos itens que davam menos de 5 de AC (anéis e medalhas basicamente).

    Me deparei com outra pirâmide - da primeira vez eu não tinha chave, desta vez consegui acessá-la. Dentro dela tive que usar e abusar da magia Implosion - tinha MP para usá-la 6x antes de descansar, mesmo assim tomei dois game overs, mas agora que aprendi a salvar não perdi muita coisa. Peguei 13 orbes e fui entregá-los, salvei antes por garantia, ainda bem, pois diferente dos artefatos (que entregamos um por vez), a entrega é de uma vez só. Já tinha lido nas dicas que é bom entregar 10 orbes para cada rei, para ganhar mais XP, já que ao entregar o 11º o jogo avança. Ganhei 14 níveis com a entrega... O deserto que me aguarde.

    Ainda terminando a parte do gelo encontrei uma caverna cheia de dragões. Tinha que enfrentar um por vez, mas deu tudo certo, até que apareceu um Dragon Lord e dizimou minha party. Voltei e, usando teleporte, o atraí para longe e roubei seus ótimos tesouros. Agora tenho 22 milhões, o que não serve para muita coisa, já que as lojas só têm itens básicos.

    Assim que terminei no frio, comecei a fazer algumas coisas aleatórias, procurando lugares que tinha deixado, eita arrependimento por não ter anotado, kkk, toda hora penso em começar de novo para ir anotando, mas agora já estou no level 60, não deve faltar muito para acabar...

    Mas não teve jeito, resolvi começar de novo, kkk. Em minha segunda jogatina tudo foi mais fácil, além de anotar os POI, optei por deixar as dungeons para depois, explorando a superfície das ilhas primeiro. Já obtive várias armas de último nível e explorei todo o deserto. Vou para as dungeons agora.

    18
    • Micro picture
      manoelnsn · 3 days ago · 2 pontos

      A imagem do restart, AHUAHAUHAUA

      Essa grana dos dragões só é útil no early game, onde tu pode usá-la pra comprar as melhores magias logo de cara. Usa a senha, vai lá no comecinho mesmo depois usa aquela opção de teleporte do menu quee detona as suas gems (não tem problema, que teu XP continua intacto e, principalmente, sua grana também) e já fica tunado até o talo com implosion, jump, teleport e afins XD

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 2 days ago · 2 pontos

      Controlar um grupo com 8 personagens deve ser loucura total.

      3 replies
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-23 11:46:42 -0300 Thumb picture

    Dúvida sobre cadastro de jogo

    Comecei um game que não tem aqui no alva, gostaria de cadastrá-lo, mas estou em dúvida de como colocar "Capa do Jogo (URL)".

    Posso indicar uma URL externa ou devo upar a imagem em algum lugar e depois colocar essa nova URL? Ou se for algo diferente do que estou pensando, por favor, ajuda.

    A título de curiosidade, o jogo é "Lawless Lands".

    15
    • Micro picture
      _gustavo · 4 days ago · 2 pontos

      Se for o link direto, terminado com o formato do arquivo tipo "link da imagem.jpg" vc pode colocar direto de algum site externo

      13 replies
    • Micro picture
      santz · 1 day ago · 2 pontos

      O link da imagem tem que terminar .png ou .jpg.

  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-20 13:08:25 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>#img#[784153]</p><p><em>FINALIZADO</em></p><p>Re
    Ni no Kuni: Wrath of the White Witch Remastered

    Platform: PC
    24 Players
    6 Check-ins

    FINALIZADO

    Resumo do que aconteceu após as 17h de jogo (minha outra postagem): Quando peguei o navio achei que ia virar um mundo aberto, mas tem alguns lugares bloqueados, tanto por icebergs, quanto pela força descomunal dos monstros residentes. Rapidamente brinquei de caça ao tesouro seguindo um mapa da internet, para não precisar ficar abrindo o grimório, mas eram itens bem sem graças, não achei recompensador - afinal dava um trabalhão desviar e fugir dos inimigos overpower. Isso, de itens encontrados não serem muito úteis, é algo que aconteceu bastante durante a campanha, melhorando só perto do fim.

    Mapa mundi

    Após ficar preso na ilha das fadas, resolvi dar uma olhada na internet de quais seriam os familiares mais fortes ou mais indicados para cada personagem - quatro já estava usando, mas acabei saindo numa caçada para pegar outros três. E que diferença fez, ajudou bastante.

    Algo que tenho que comentar: o que é aquela marcha de Hamelin?! De arrepiar!!!

    Cover da marcha

    O jogo tava seguindo bem fácil até chegar no continente gelado, então tive que comprar armas de elemento fogo para continuar easy. Minha estratégia é basicamente o Mite causando dano enquanto outros dois ficam de tank e healer. Essa vantagem elemental me deixou mal acostumado, pois cheguei à Perdida e passei apuro com o Void of Love, perdendo na primeira tentativa, mas nem precisei grindar, só melhorar a tática.

    No Cassino, os prêmios não são grandes coisas, mas me diverti no Platoon, vencendo-o 3x e ficando com mais de 1 milhão de fichas

    E finalmente Shadar, que só deu trabalho em sua primeira forma, devido minha estratégia ser de ataques curtos e ele ficar se teleportando, já as outras duas formas foram mamão com açúcar. Ao contrário da White Witch, que foi fácil as duas primeiras, e game over na última forma, sem me dar nenhuma chance. Saí grindar e caçar uns itens para alquimia e descobri o Tokotoko, o que é aquela xp toda? Descobri na pura sorte, estava buscando Iron Diamond e acabei matando um perto de Perdida, fui obrigado a caçar mais, daí entendi o porquê deles fugirem das lutas na última dungeon, deixei pelo menos três escaparem antes de descobrir a maravilha que são, acho que subi uns 20 níveis aqui. Voltei a enfrentar a bruxa branca, agora no level 76, e quase perdi de novo.

    76h e cansei do post-game

    Abriu o conteúdo post-game, porém decepcionante, quests simples e inimigos fáceis, só os três robozões ao mesmo tempo que me fizeram suar, mas ainda passei de primeira. Achei que seria como em Dragon Quest VIII, mas não, me senti muito desmotivado, afinal completá-las para quê, se já venci o jogo. As recompensas são de itens que seriam muito mais úteis no jogo normal mesmo. Ainda assim completei várias, fiz a primeira parte da quest do Conductor, onde é necessário derrotar todos os chefes novamente, mas quando vi que tinha mais uma dezena de chefes, aí desisti de vez. Pelo que pesquisei, a única recompensa é dirigir o carro no overworld.

    A luta contra os três foi complicada

    SPOILER ENTRE OS PONTOS

    .

    .

    .

    Nas dicas que li sobre os melhores familiares, sempre falavam do misterioso quarto integrante, achei que seria o Shadar, mas é só o Marcassin, decepcionante, nem entendi para quê tanto mistério. Já Shadar ser a alma gêmea do Oliver eu desconfiava há muito tempo, mas não tinha pensado que a mãe era a própria Sage. E achava que a Pea era a alma gêmea do papagaio, não a própria White Witch. Estranho fazerem os vilões com a mesma motivação e backstory.

    FIM DO SPOILER

    .

    .

    .

    Encerrei assim

    No geral, curti bastante o game - como era de se esperar do meu gênero favorito. O jogo é bonito demais, direção de arte impecável, sem dúvida seu ponto mais forte. Jogarei o segundo futuramente, mesmo sabendo que não tem o mesmo glamour.

    19
    • Micro picture
      _gustavo · 7 days ago · 2 pontos

      To planejando de começar ele pra frente nesse ano, tenho q terminar o 2 tbm mas vou jogar esse antes

      1 reply
    • Micro picture
      manoelnsn · 6 days ago · 2 pontos

      Eu gostei bastante desse jogo até a parte do Shadar, que é onde termina o jogo original... Agora o lance da bruxa branca não consigo pensar em alguma coisa que não tenha sido isso aqui: https://i.postimg.cc/tTz96Ljr/11760319-655835091214774-539583309020215487-n.jpg

      Foi muito viajada essa parte e estragou bastante o final da coisa toda... E quanto ao Ni no kuni 2... Boa sorte, vai precisar...

    • Micro picture
      bobramber · 6 days ago · 1 ponto

      Eles até que que inseriram a white witch bem no meio de tudo, com várias CUTSCENES. Mas o conteúdo de jogo, após shadar, aí sim tem cara de postgame. E agora que falou, é verdade, piraram demais, não tinha me tocado, kkk.
      O 2 me sinto obrigado a jogar, mas se for muito ruim mesmo, não termino.

  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-19 18:35:44 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>#img#[784039]</p><p>Dei uma cansada e joguei pou
    Super Metroid

    Platform: SNES
    7534 Players
    250 Check-ins

    Dei uma cansada e joguei pouco, mas aos pouquinhos fui avançando. Levei um tempo até pegar o jeito para usar a Space Jump e voltei a precisar de ajuda para conseguir o pulo em forma de bolinha, afinal não sabia que tinha que deixar o bicho cavar um túnel para passarmos. Então segui até o que imagino que seja a última área do jogo. Era a penúltima, rs.

    Fiquei umas semanas sem jogá-lo, mas ao voltar rapidamente derrotei o quarto boss, aí achei que ia acabar, mas não, fiquei um tempo sem saber o que fazer, mas então lembrei que tinha uma área com estátuas dos 4 monstros, não lembrava onde ficava, mas imaginei ser no começo, por sorte estava certo.

    O último chefe não foi difícil, graças aos diversos power-ups que coletei. Enfim FINALIZADO e técnica do wall jump masterizada (jamais pensei que seria possível, tudo questão de prática).

    O jogo é incrível, mas não é muito minha praia, só terminei na base da insistência. O mais difícil não são os inimigos, mas saber onde se tem que ir.

    22
    • Micro picture
      manoelnsn · 7 days ago · 2 pontos

      Eu nunca consegui masterizar o wall jump, sempre ia evitando precisar até conseguir o Screw Attack

      1 reply
    • Micro picture
      realgex · 6 days ago · 2 pontos

      Fazia 100% nesse jogo na época do lançamento dele, quando eu queria. Outro dia peguei pra jogar, empaquei nem na metade do jogo. Como são as coisas não...

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-13 14:35:51 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>NOTA: 2,0 (cálculo da nota&nbsp;<a href="http://
    Sensible World of Soccer

    Platform: PC
    7 Players
    1 Check-in

    NOTA: 2,0 (cálculo da nota aqui)

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que o Brasil...

    ...é tetra! É tetraaa!

    SWOS para os íntimos, é um jogo de futebol 2D - sequência de Sensible Soccer - sendo o primeiro do gênero a ter um modo manager. O jogo foi aclamado porque trazia cerca de 1500 times e 27000 jogadores, atualizados em seus respectivos clubes e campeonatos. No meu ponto de vista, este é um exemplo de jogo aclamado pela importância e qualidade em sua época, mas que, diferente da maioria dos games da lista, já não é divertido de jogar.

    O jogo é muito popular na Polônia e Alemanha, e torneios organizados por fãs são realizados até hoje

    A jogabilidade nas partidas é simples, com oito direções e um único botão de ação. Já no modo carreira é possível gerenciar um clube por até 20 temporadas, com um sistema simples de transferência de jogadores, no qual seus valores eram calculados com base em suas sete habilidades. Para se comprar jogadores melhores (e mantê-los) é necessário ganhar dinheiro indo bem nas diversas competições. Também é possível receber ofertas de empregos para gerenciar outros times e até seleções.

    O modo carreira permite tanto gerenciar o time (coach), quanto controlar os jogadores durante a partida (player)

    Ao pesquisar sobre o game, pensei que se focava nas atividades de gerenciamento, como o Championship Manager, game que joguei muito na adolescência, sempre com o Grêmio, pois tinha o Ronaldinho Gaúcho em seu ápice no Brasil, então logo recebíamos uma alta (e irrecusável) oferta por ele, nos rendendo muito dinheiro. Porém, SWOS é um jogo de futebol mesmo, e não de gerenciamento.

    O vídeo de introdução é bem divertido, com música composta para o game

    Comecei com meu time do coração, Botafogo-RJ, com Túlio e companhia. A primeira partida simulei e empatei. a segunda partida resolvi jogar, contra o Atlético-MG, o jogo acabou 6x0, com dezesseis chutes a gol de um lado, e um chute do outro. Acho que fui bem ao conseguir dar um chute. Simulei algumas outras partidas (pois até então achava que era um jogo de gerenciamento), porém por volta do quinto jogo não consegui mais simular e nem jogar, travou tudo. Não sabia o que tinha acontecido.

    Resolvi começar um novo jogo, desta vez com o Barcelona de Figo e Fenômeno. Empatei algumas, perdi outras, não fiz um gol sequer e de novo empacou na quinta partida. Não sei se é um bug, mas acho que algum jogador meu estava impossibilitado, machucado provavelmente, mas apertei todos os botões do teclado (mouse não funciona) e não consegui ver quem era e desisti.

    A página do game na Wikipedia traz os vencedores dos torneios de 2004 a 2020

    A primeira versão saiu em 1994 para o Amiga e a versão final em 1996, trazendo equipes atualizadas para a temporada 96/97, a qual serviu de base para o remake de 2007 do Xbox 360.

    15
    • Micro picture
      santz · 13 days ago · 2 pontos

      Mais um jogo bem estranho para ser considerado um dos melhores de todos os tempos. Futebol de formiguinhas.

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-09 11:42:21 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>#img#[782673]</p><p><em>Trajetória em Mother</em
    Mother

    Platform: NES
    263 Players
    53 Check-ins

    Trajetória em Mother

    Após o Lloyd entrar para a equipe, explorei a fábrica norte para conseguir o dinheiro para equipá-lo, com isso liberei caminho para diversas cidades. Andei bastante, conversei com todo mundo, peguei gripe várias vezes, e a Ana também entrou para a equipe.

    Numa mansão mal assombrada obtive a quarta melodia. Depois disso conheci um ermitão de 300 anos que tinha perdido a dentadura e me recompensou com remédios para gripe por encontrá-la.

    Fui ao deserto, morri para um robozão numas ruínas (2x), achei um oásis com um cara que disse ter enterrado uma mina no deserto, cheguei numa cidade só com crianças e aprendi a teleportar ao usar telepatia em um bebê. Rodei mais pelo deserto, mas como era de se esperar, me perdi e tive que voltar a consultar o detonado. Era só ter conversado mais vezes com o cara do oásis (aff, essa tava fácil), fazer uns passeios de avião e emprestar o tanque de guerra para atropelar o robozão das ruínas.

    Cheguei à uma nova cidade, paguei caro no ingresso para um clube e fiz uma apresentação ESPETACULAR, que música foda!!! O jogo todo dá uma atenção especial à música, desde a coleta das melodias, à trilha sonora. Sensacional! No clube consegui um novo membro para a equipe, bem mais útil que o anterior, Lloyd foi para o banco, entrou o Teddy, finalmente dando uso à espada que obtive tempos atrás. Comprei o restante do equipamento em Magicant e dei uma surra no dragão adormecido, conseguindo a quinta melodia.

    Então fui à uma montanha labiríntica, achei que tinha conseguido passar por ela de primeira, mas apenas tinha voltado ao início, kkk. Depois de andar bastante e pegar as melhores armas, cheguei à uma cabana, onde rolou uma química entre Ninten e Ana e logo depois levei mais uma surra de um robozão, mas Lloyd apareceu com um tanque para nos resgatar.

    Voltei a subir a montanha, com inimigos muito fortes, e a batalha no 'auto' não dava conta, tive que aplicar uns buffs manualmente. Finalmente consegui a sexta melodia no que parecia ser uma lápide dizendo que as melodias são feitas de muito amor pela bisavó, e que esta as espalhou pelo mundo... Mas a caverna que tem aqui está bloqueada e isso quer dizer que me perdi de novo. Mesmo lendo um detonado continuei perdido, tive que ver no youtube onde tinha que ir. Errei um caminho perto da cabana, onde tinha que pegar um barco e descobrir o laboratório secreto do bisavô, onde tinha um robo - EVE - para ajudar. Ele (ou seria ela?) se sacrificou para derrotar o robozão, em seus restos obtive a sétima melodia. Só falta uma agora.

    EVE e os personagens jogáveis

    Subo toda a montanha, mas a entrada da caverna continua bloqueada, uma rápida olhada no detonado para perceber que deixei uma melodia para trás. Onde? No deserto, claro! Acho que devia ter prestado mais atenção no passeio de avião... A última melodia estava num cacto, que mesmo sabendo disso, não foi fácil de achar. Então fui entregá-las à rainha e descubro que ela, na verdade, é a bisavó, e que todo Magicant não passava de uma ilusão. A melodia a lembra do bisavô, e ela parte para morar no céu com ele. Com isso voltamos automaticamente (por sorte) ao topo da montanha, onde encontramos o líder dos alienígenas, filho adotivo dos bisavós. Já comecei checando o inimigo e descubro que basta cantar... cantar e manter o hp cheio. Assim resgatamos os adultos, salvamos o mundo e vamos dormir... até que o pai liga e nos deixa esse cliffhanger:

    Enfim, FINALIZADO, seguem minhas estatísticas finais:

    20
    • Micro picture
      jcelove · 18 days ago · 2 pontos

      Putz, parabéns. O primeiro Mother eu não encaro mais não. O 2 é quase um remake dele e é beeeeem mais agradável.ehhe

      3 replies
    • Micro picture
      ashnim · 18 days ago · 2 pontos

      Mother 1 só perde para Lagrange Point da mesma plataforma.

      1 reply
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 18 days ago · 2 pontos

      A parte de jogar com o Eve é muito legal, pena que ele se explode e não dá mais pra jogar com ele.Acho bem legal o modo como você tem que derrotar o Giygas.

      3 replies
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-06 20:54:28 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>Como o Earthbound de SNES faz parte dos melhore
    Mother

    Platform: NES
    263 Players
    53 Check-ins

    Como o Earthbound de SNES faz parte dos melhores jogos de todos os tempos, resolvi jogar o Mother de Nintendinho antes. Fiquei muito em dúvida de qual versão pegar, se a 25th Anniversary do NES mesmo, um hack com diversas modificações, sendo as mais importantes uma tradução (para inglês) melhorada, menor taxa de encontros aleatórios e mais xp e gold, para diminuir o grind; ou a versão Mother 1+2 do GBA, um port oficial que tem tradução (por fãs) para pt-br, pois embora saiba inglês, jogar na língua materna traz sempre um prazer. Pensei em perguntar aqui na rede a opinião de vocês, mas não aguentei e acabei iniciando na 25th, pois amo JRPG, mas tenho horror a grind.

    O jogo é muitas vezes considerado um protótipo de sua sequência, com críticas à alta dificuldade e problemas de balanceamento

    Mother, conhecido como EarthBound Beginnings fora do Japão, é um RPG lançado em 1989, com jogabilidade baseada em Dragon Quest, porém difere dos rpgs tradicionais, pois sua história se passa nos esteites, na década de 1980 e não num mundo de fantasia.

    O protagonista de 12 anos – Ninten – é atacado em sua casa por objetos que parecem ter sido possuídos. Então descobre que seu bisavô pesquisava sobre poderes psíquicos 80 anos atrás e que o mundo todo está passando por eventos paranormais. Ninten, a pedido de seu pai, inicia uma investigação.

    Print do jogo

    Demorei um pouco para configurar o emulador, pois fazia tempo que não usava (VirtualNES), nomeei os personagens oficialmente (Ninten e cia) e comecei. Surpreendeu-me o tamanho que tudo é, muita caminhada de um lugar ao outro. Conversei com o pessoal da cidade, um rato me ajudou contando que apenas portas arredondadas permitem a entrada (antes tava tentando entrar em tudo), obtive um pássaro de graça (pois não tinha os 85 pedidos) e quase que por sorte acertei onde deveria entregá-lo. Fiz as quests do cemitério e do Zoo e fui parar na cidade mágica, onde precisei da ajuda de um detonado pela primeira vez, para saber como acertar a charada do guarda que não nos pergunta - tinha que usar telepatia. Depois de muitas idas e voltas entre a cidade mágica e o nosso mundo, finalmente consegui equipar completamente o Ninten... E então o Lloyd entra para a equipe, sem nenhum equipamento, aff.

    Flier de divulgação 1

    Sofri por duas vezes achando que o game tinha crashado, daí dava o load ingame perdendo um pouco do que tinha feito, já que uso mais save state, na terceira vez percebi que era só o pai do protagonista ligando, preocupado por estarmos jogando a muito tempo sem uma pausa. -.-

    O mais difícil até agora, é gerenciar os itens, já que temos espaço de apenas 8 por personagem.

    Flier de divulgação 2

    15
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 20 days ago · 2 pontos

      Esse é muito bom, vai se divertir bastante com os diálogos e as bizarrices, além de um final boss bem legal.

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 20 days ago · 2 pontos

      Esse primeiro Mother é sensacional. Eu sou apaixonado por ele por causa dos gráficos e especialmente por causa das músicas. Pra mim, é o jogo de NES com a melhor trilha sonora ever!

      4 replies
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-04 13:09:59 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>NOTA: 5,1 (cálculo da nota&nbsp;<a href="http://
    Star Wars: TIE Fighter

    Platform: PC
    53 Players
    3 Check-ins

    NOTA: 5,1 (cálculo da nota aqui)

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que Nelson Mandela torna-se o 1º presidente negro da África do Sul

    Nelson Mandela

    Star Wars: TIE Fighter é um simulador de voo e combate espacial em que jogamos com um piloto do Império em eventos que ocorrem entre os episódios V e VI de Star Wars. Foi aclamado pelos gráficos, inteligência artificial e sistemas de informação de voo.

    Capa do game

    O jogo possui quatro batalhas principais, cada uma com diversas missões. Além disso, um treinamento de voo com três cursos, que pode ser feito com qualquer uma das sete naves disponíveis, e um treinamento de combate com quatro missões diferentes para cada uma das sete naves, variando de simples cenários de treino à reconstituições de importantes missões históricas.

    Além do tradicional laser, com diferentes modos de tiro, há armas de curto alcance e mísseis. É necessário balancear a potência entre arma, motor e escudo, e neste, entre escudo frontal e traseiro. Os escudos recarregam com o tempo, mas se esgostados o dano vai para o casco, podendo desativar sistemas, como motores, marcação (targeting) e o próprio display do cockpit. Os sistemas também se reparam lentamente, cabendo ao jogador escolher a ordem de reparo.

    Visão do cockpit

    Gosto de Star Wars como amante de ficção científica, mas sem nenhum furor pela saga. E não curto jogo de navinha, o que falar então de um jogo de simulação de voo espacial?! Minhas expectativas eram as mínimas possíveis, pois geralmente não consigo nem jogar devido à complexidade dos comandos e falta de costume.

    Esse jogo tem no GOG, então foi fácil obtê-lo, peguei a versão do Windows, que exige joystick, o que já ajuda nos controles. Primeira coisa foi fazer o treinamento básico, no qual acabei ficando sem munição e não sabia como recarregar, num outro aprendi que tem um botão (no teclado) que altera a quantidade de energia entre o motor e o recarregamento dos tiros.

    TIE Fighter

    Parti para as missões de treinamento de combate da nave que dá nome ao jogo, fui muito bem até a terceira, completando pelo menos os objetivos principais, vez ou outra algum secundário. Já a quarta missão não consegui completar, pois uma nave me abatia com um único tiro de míssel, mas tudo bem, tinha aprendido a marcar o target, hostil ou amigável e a repetir a velocidade dele, hora de ir para as batalhas reais.

    A primeira missão começa conosco inspecionando alguns cargueiros, então um deles possui material ilegal, algumas naves aparecem, consegui derrubá-las, mas sempre perdia porque os cargueiros íam embora, não entendi se devia analisá-los mais (o que fiz) ou derrubá-los, o que tentei fazer, mas seus escudos são muito fortes. De qualquer maneira, me senti satisfeito e feliz por ter ido bem em ¾ do treinamento.

    Naves de combate de Star Wars

    Posso dizer que consegui jogar um game de simulação de voo espacial, e isso graças aos tutorias ingame e briefing - dinâmicos e objetivos, deixando claro, com poucas palavras, os principais comandos e o que é a missão.

    O game saiu em 1994 para DOS, teve uma versão de colecionador em 1995 e outra exclusiva de Windows, com diversas melhorias, em 1998. As três foram disponibilizadas no GOG em 2014.

    Hub onde acessamos as diversas opções ingame

    11
    • Micro picture
      msvalle · 23 days ago · 2 pontos

      Joguei muito esse e o X-Wing, curtia demais!

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 22 days ago · 2 pontos

      Olha aí que show. Quando eu pego um simulador desse tiro eu também nunca sei o que fazer (confesso que acabo pulado o tutorial e nem leio o manual). Para gravar os vídeos, eu estudo bastante o jogo e estou passando um perrengue com o Elite de 1984.

      1 reply
  • bobramber Jefferson Da Silva Prado
    2021-07-03 13:15:43 -0300 Thumb picture
    bobramber checked-in to:
    Post by bobramber: <p>NOTA: 2,6 (clique&nbsp;<a href="http://alvanista
    Sega Rally Championship

    Platform: Arcade
    29 Players
    1 Check-in

    NOTA: 2,6 (clique aqui caso queira entender o cálculo da nota)

    Conhecendo os melhores jogos do ano em que Schumacher ganha seu primeiro título na F1

    Jogo arcade de corrida em rally cujo maior diferencial era a possibilidade de se correr em diferentes superfícies, afetando diretamente a fricção e o manejo do veículo, por isso considerado um marco na evolução dos jogos de corrida.

    Passa mesmo a sensação de diferentes superfícies

    O campeonato mundial é disputado em três estágios: um deserto, uma floresta e uma montanha. A posição de chegada numa prova é a posição de largada na próxima, sendo impossível atingir a primeira colocação já na primeira corrida. Se vencer a terceira corrida, disputa-se uma quarta corrida secreta – extremamente difícil – à beira de um lago.

    Carros do game: Lancia Delta HF Integrale e Toyota Celica GT-Four

    Como todo início, fui muito mal, passando apenas da primeira corrida, que é extremamente fácil. A segunda já é nível médio, nessa suei, precisei treinar e só passei na quinta tentativa. Percebi que é mais importante acertar as ultrapassagens do que fazer bem as curvas, isto é, não bater nos carros ao passar por eles nos dá mais tempo do que não bater nas curvas. Na única vez que cheguei à terceira corrida, até que fui bem, passando por todos os checkpoints, mas não consegui nem enxergar a linha de chegada ao final, sendo eliminado e ficando em segundo lugar.

    Além do arcade, teve port para Saturn em 1995 e para Windows em 1997

    18
    • Micro picture
      santz · 24 days ago · 2 pontos

      A física desse jogo era incrível para época, cheio das particulas e tals, mas esse modelo de limite de tempo sempre ferra com tudo.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...