2022-01-14 16:37:33 -0200 2022-01-14 16:37:33 -0200
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Golf Story

Zerado dia 14/01/22

Olha eu aqui com meu primeiro jogo terminado do ano! Pois é, amigos. Duas semanas já se passaram desde o Reveião e só agora eu tenho o primeiro de 2022. A explicação é simples: continuo muito ocupado, tenho dividido meu tempo com outras atividades além do video game e... eu joguei Golf Story sem planejar.

A verdade é que tenho jogado umas coisas mais tranquilas, mas a Nintendo resolveu liberar Golf Story por uma semana de graça para os assinantes de seu serviço online (no Japão) e esse jogo está na minha lista de desejos desde os primórdios do Switch. Coincidentemente estava assistido um vídeo aleatório de um youtuber famosinho em que outros youtubers famosos participavam e falavam sobre sue jogo favorito do Switch e um deles mencionou ser GS!

Eu mesmo sempre fui muito curioso com esse jogo. Seu visual pixelado é tão bonito e o trailer vende muito bem o produto, que parece ser super divertido e engraçado. Para ferrar mais as coisas, os criadores anunciaram há pouco tempo sua sequência! Como eu estava atrasado!

O mais bizarro é saber que GS continua sendo exclusivo da plataforma. Isso é muito chato pois ele manteve seu preço cheio por muito tempo e quando tinha promoção, eu não o comprava. Mas que ótima oportunidade eu tive aqui! Procurei na internet e sua duração era de aproximadamente 15 horas. 15 horas para um RPG tá ótimo e julgado que ele devia ser super divertido, eu com certeza passaria fácil da média de 2 horas por dia em uma semana, tempo em que ele estaria disponível gratuitamente. Certo? Ceeeerto?

Abri o jogo e o maior medo foi não ter o idioma inglês. Tinha comentado com um amigo e ele pesquisou sobre antes do título ser disponibilizado e me disse que havia sim inglês. Mas o quando abri foi meio tenso: as opções eram bem limitadas e eu não entendia nada do que estava escrito, mas os ícones eram desenhos de coisas nada relacionadas com idioma. Usei a câmera da Google para traduzir e realmente não tinha nada. Segui esperançoso e mudei o idioma do console para inglês mas nada mudou. Eita, tristeza!

Insisti de alguma forma e descobri que a mudança de idiomas se dava com o apertar de um botão nas opções e por algum motivo eles só deixaram uma linha de texto com essa instrução, não um ícone grande, colorido e chamativo. Ok.

Começando aa campanha, aquele monte de texto digno de RPGs. Nada demais senão pura apresentação. Tava valendo.

O próximo passo foi passar por tutoriais me ensinando o básico do esporte. Eu não sou muito fã de golf. Sempre me frustro um pouco com os jogos desse esporte, incluindo uns Mario Golfs que tentei desde o Game Boy Color e a última vez que os levei a sério foi nos minigames do NES Remix.

Aqui você vai aprender que há diversos tacos com diversas especialidades, a mirar em direção ao buraco, levar em conta o vento, tomar cuidado com as armadilhas do cenário e principalmente a bater na bola, o que demanda apertar o botão no momento certo para medir força e a posição que acertamos e a direcionamos. 

Fiz algumas missões simples, acertei umas bolas dentro de uns espaços demarcados e ganhei meu dinheirinho. Uma coisa que me incomodou um pouco é que não é possível controlar o personagem com o d-pad, apenas com o analógico. 

Foi aí, logo na primeira ou segunda hora que o jogo começou a desandar para mim e ficar incrivelmente monótono.

Você está num clube de golfe, verde e extenso, cheio de pessoas que te dão missões quando você fala com elas. Logo eu me senti sobrecarregado de missões, ao mesmo tempo que sem ter o que fazer e isso porque todas as missões são muito parecidas e não há a menor sensação de progresso. Estaria eu perdendo tempo ou eu precisava mesmo fazer tudo aquilo?

Para ser bem sincero, 90% do jogo ou mais é você fazendo missão: acerte 5 bolas dentro dos campos demarcados, acerte uma bola naquele buraco, acerte fulano com uma bolada. A vida das pessoas gira em torno do golf.

O jogo te põe automaticamente mirando para os buracos então basicamente você só troca de taco (se necessário, já que normalmente ele põe o recomendado na sua mão a cada tacada), calcula o vento e a posição do terreno e tenta acertar a força e posição de acordo com o que você acredita que resultará em missão completa. Mas repito, você faz isso o tempo todo. Seja tentando mil vezes um objetivo, seja passando para o próximo e fazendo algo muito parecido. Tacadas, tacadas, tacadas.

Você pode achar que isso é óbvio pois é um jogo de golf, mas eu esperava mais variedade no gameplay. Fazer mais coisas diferentes com as bolas ou tacadas, mas é quase sempre o mais puro golf. Há momentos mais criativos e tal, da forma como eu esperava, mas são bem mais incomuns (houve um mapa de Halloween que foi sensacional).

Bom, de volta ao primeiro mapa, eu já estava cansado do verde, da música, dos diálogos e a falta de carisma da galera, mas finalmente avancei (depois de dias). Após fazer as missões consideradas principais, há sempre um desafiante ou até um campeonato.

Essas disputas geralmente envolvem 9 buracos seguidos. Seu objetivo é "encaçapar" a bola com o menor número de tacadas que conseguir e seguir para o próximo. Vença e poderá ir para o próximo mapa, com mais pessoas e missões parecidas.

Quando avancei para o próximo mapa, comecei a sentir uma sensação meio de montanha russa: hora gostando da experiência, hora voltando à mesmice. Eu não conseguia parar de pensar como esse jogo tinha me decepcionado. Eu esperava muito mais! Nem o raro humor dele me convencia.

Por outro lado, um novo mapa trás novas mecânicas e temas. Ganhei níveis também, que me permitiram ficar melhor com minhas habilidades e comprei tacos caros, mas por ser tão leigo, essas coisas mal parecem fazer diferença.

Enquanto fazia as missões do terceiro ou quarto mapa por mais de uma hora e repetia o mesmo tipo de gameplay de acertar bolas em áreas demarcadas ou buracos próximos, eu resolvi pesquisar na internet o quão longe eu estava de terminar. Nem na metade da aventura eu estava. Que jogo chato! Tinham mais vários mapas para gastar horas em cada dando tacadas atrás de tacadas. Aff!

Sério, eu esperava que o lado RPG fosse mais atuante, mas é mesmo um jogo para quem curte golf.

Mais ou menos na metade da aventura, o jogo me trouxe o primeiro campeonato. Essas campeonatos são contra inúmeras outras pessoas e seu objetivo é terminar os 9 buracos com o menos número de tacadas possíveis, como sempre. Porém, no final da competição os vencedores chegam a terminar com zero, 1 ou 2 pontos. Isso basicamente quer dizer que eles terminaram cada buraco na média de 4 tacadas: saindo do ponto inicial, passando por todo o longo cenário e chegando ao buracos. Se você vacilar em um deles, pode acreditar que é tempo perdido continuar.

A dificuldade foi lá em cima com esses campeonatos e cada um me custou muito tempo. O lado casual foi completamente jogado de lado para enfrentar bots difíceis. Quase desisti algumas vezes, principalmente sabendo que meu tempo era curto.

Ontem resolvi tirar o início da noite em diante para jogar a segunda metade de GS. Passei do campeonato, dos próximos mapas, dos próximos campeonatos e o jogo até ficou melhor na segunda parte, apesar de ainda se arrastar um pouco demais em diversos momentos. Terminei a campanha hoje as 05:00 e pouco da manhã, faltando uns 40 minutos pro fim do teste gratuito do jogo.

Resumindo: Golf Story tem pontos positivos e negativos e no final das contas acho que o mais conta é o quanto você gosta do esporte golf e jogos do tipo ou como se adaptaria a esse tipo de desafio. Para mim, ficou muito aquém da expectativa e mesmo tendo momentos bons, que me ajudaram a continuar, ainda ficou meio que na mesmice o tempo quase todo, além de apelar um pouco na dificuldade em momentos obrigatórios aleatórios.

De bom: visuais bonitos e coloridos. Bastante conteúdo, inclusive a possibilidade de jogar um Free Play quando quiser. Algumas missões são diferentes e divertidas. Tem personagens bacanas. Humor que me fez rir aqui e ali.

De ruim: bugs, muitos bugs da engine Unity. Dificuldade esporádica. Difícil saber o que é obrigatório ou não e isso é importante num jogo que você repete tanto a jogabilidade. Alguns mapas se estendem demais e muita cosia poderia ser opcional. É um jogo muito mais golf que RPG.

No geral, valeu a pena ter conferido essa aventura que, mesmo decepcionante para mim, não chegou a ser odiosa. Só lamento que um indie renomado seja tão fraco assim depois de tanto o recomendarem. Uma pena ser exclusivo também. Vou ficar de olho no Sports Story no futuro. Sobre esse, jogo fraco. O famoso "eye candy for the blind".

Golf Story

Platform: Nintendo Switch
51 Players
3 Check-ins

11
  • Micro picture
    bobramber · 4 months ago · 2 pontos

    Ainda "sobrou" 40min...
    Isso que é ser na medida.

Keep reading → Collapse ←
Loading...