2021-12-20 01:04:15 -0200 2021-12-20 01:04:15 -0200
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Sin & Punishment: Successor to the Earth

Zerado dia 19/12/21

Sin & Punishment, eu tinha me esquecido desse jogo! Quando falamos de jogos de N64, não tenho muita coisa para jogar já que curto muito a plataforma e durante anos da minha vida fui ocasionalmente terminando muitos títulos de sua limitada biblioteca. Muitos dos que faltaram foi inclusive graças ao Rare Replay lá em 2017: os dois Banjos, Conker, Perfect Dark etc. O que sobra? Mischief Makers, Space Station Silicon Valley, Body Harvest, talvez uns Blast Corps e outras coisinhas. Ah, como eu queria um emulador de 64 100% funcional no meus video games portáteis!

No caso do S&P eu até tinha me esquecido que a série existia, até porque esse jogo não veio para o ocidente originalmente e a sequência no Wii não me agradou muito. Poxa, poderia ter jogado isso há bastante tempo no Virtual Console do meu antigo Wii U!

O que me salvou dessa vez foi o emulador oficial do Nintendo Switch Online e um amigo que assinou o Expansion Pack só pela DLC do Animal Crossing. Sou contra a assinatura de valor abismal desse serviço e do nível que a própria Nintendo chegou , mas acho curioso que esses amigos tenham esse serviço e praticamente ignorem a chance que tem de jogar grandiosos clássicos como Ocarina of Time enquanto adquirem e jogam  contemporâneos como Hob ou Jenny LeClue.

Estava mexendo no serviço na casa desse amigo e vendo o que tinha disponível no Mega Drive e N64 e vi esse Sin & Punishment. Vi que sua duração era de apenas 2 horas e resolvi aproveitar!

No menu principal tem vários menus de modos extras e opções. Vi que a dificuldade por padrão é Easy. Que estranho! A única outra era Normal. Não costumo mexer nisso e mudar o padrão, mas deixei Normal.

S&P é uma espécie de shmup on-rails. Meio que como um Star Fox, mas ao invés de controlar uma nave, você controla um garoto correndo, atirando, indo para esquerda e direita, rolando e pulando!

Amigos, a primeira dica que dou é: joguem isso no sistema original e seu controle ou emulem, mas não joguem essa versão do Nintendo Switch Online! Os comandos são horríveis e não há opção de customizar no emulador. Que bizarro!

Para quem não sabe, o controle de N64 tinha dois botões principais no lado direito, A e B, mais 4 botões secundários, os C. Esses C (cima, baixo, direita e esquerda) variavam de uso de jogo para jogo. Em alguns você usava para comandos menos urgentes, como abrir um mapa ou circular entre itens enquanto em outros eles funcionavam como um segundo direcional/d-pad.

Em emuladores é normal assimilar esses botões para o analógico direito e é muito fácil de se acostumar que cada direção corresponde a um dos C.

Já aqui no Nintendo Switch Online parece que a disposição dos botões varia de jogo para jogo. Os botões do Pro Controller Y e B correspondem aos botões B e A do N64, respectivamente. Faz sentido pois seguem o posicionamento desses botões no antigo console. Mas e os botões X e A do Pro Controller? Aí é que está. Esses botões correspondem a dois dos quatro C: o X sendo o C< e o A sendo Cv, pois no 64 são os dois botões mais próximos do A e B e talvez os mais comumente usados por conta disso. Mas e os outros dois C?

Para usar os outros C (e também aqueles já assimilados), você deve deve segurar o gatilho direito, ZR. Enquanto fizer isso, os quatro botões ABXY se transformam momentaneamente no quatro Cs. Pensa no nó que dá na cabeça! Você pode se acostumar a rapidamente usar dois dos C apertando X e A ou ficar doido alternando sempre ou só as vezes segurando ZR.

Nesse jogo você controla a mira com o analógico esquerdo enquanto o direito não faz nada. Os botões Y e A do Pro Controller movem o personagem para direita ou esquerda e o botão R pula e o ZR atira! Sério, olhe pro seu controle e tente imaginar a bagunça que é focar em tantos comandos com botões de cima do controle. Pior que isso só jogando mesmo.

Bom, a primeira experiência foi terrível. Chegou um momento que não conseguia prosseguir pois fazer várias ações ao mesmo tempo com esse comandos é um inferno. Meu cérebro não consegui assimilar nada e tinha hora que eu não andava pros lado ou não atirava ou apertava o botão errado de pulo.

Nesse jogo você move a mira constantemente enquanto atira para fazer pontos e ganhar vidas. Os inimigos atiram ou atacam por baixo e você tem que sair do meio ou pular. Em alguns casos pular para os lados. Em outros casos largar o botão de tiro e o apertar para atacar com sua espada em inimigos corpo-a-corpo. Não é muito simples.

Mesmo dominando de certa forma, acabei com todos os Continues e ganhei meu Game Over, que me joga diretamente de volta à tela título. Cruel. Há um menu de escolha de fases, mas só serve de treinamento pois se você morrer, você volta tudo sem segunda chance.

Pior que o jogo é legalzinho. Bem anime anos 80. Meio Evangelion. Em japonês, mas dublado em inglês. Bem Arcade também, com fases curtas, mortes rápidas e pontuações.

Pensei em emular aqui em casa, mas meio que me esqueci do jogo e, como venho dizendo, estou muito ocupado e focado em outras coisas. E instalar um emulador só pra jogar um único jogo? Deixei para a próxima quando lembrei do lance do nível padrão ser Easy.

Voltei lá ontem e hoje de manhã joguei pela falta do que fazer. Não mexi em nada! Só dei o Start.

O jogo fica beeem mais tranquilo. Os inimigos não são tão esponjas de dano e há mais Continues. Levei as primeiras fases numa boa, mesmo com mortes aqui e ali. Me pareceu justo.

Tenho que dizer que gosto bastante da estética e da trilha sonora, apesar do jogo ser meio limitado e viajado.

Gosto também como há diferentes abordagens a inimigos em cada fase. Alguns chefes requerem que você faça isso enquanto outros requerem outra coisa e outro tipo de gameplay. É até surpreendente como um jogo tão simples de gameplay consiga bolar diferentes estratégias de combate e defesa. Bacana.

Além disso, houveram fases com temáticas diferentes, embora sempre tenham robôs e artigos militares no meio, mas de uma forma legal que mistura o que já mencionei com algo meio Mega Man Legends (visualmente). Joguei com outros personagens também, embora a jogabilidade seja praticamente igual. Toda essa velocidade e variedade limitada me lembrou um jogo meio desconhecido: Cannon Spike.

De repente a minha jornada acabou. Que rápido! Ainda perdi vários Continues e tive minha dificuldade ao ponto de fazer pontos de save aqui e ali com medo de perder meu progresso, mas não foi necessário pois ganhei muito dele. O final é meio curioso e, mais uma vez, bem coisa de anime do estilo. Tá valendo.

Resumindo: Sin & Punishment: Successor to the Earth é divertido e bem curtinho. Um passatempo curioso se jogado no modo padrão, Easy. No Normal eu não fui muito longe, principalmente porque jogar nos controles do Nintendo Switch seja uma bizarrice só. Curti bem mais toda a cultura por trás dele do que da sua sequência do Wii.

De bom: jogabilidade de poucos botões mas que exigem alguma estratégia do jogador. Sensação de jogos de fliperama bem legal. Estética bacana que muitos jogos daquela época tinham. Trilha sonora muito boa. Dublagem em inglês salvou parte da minha experiência, visto que o jogo ficou só no Japão na época.

De ruim: os controles ficaram horrivelmente adaptados para o Switch e não há opção de customizar (até essa data, pelo menos, não tem). Textos apenas em japonês. Modo Normal super difícil em comparação ao Easy (talvez por conta da jogabilidade, que não testei no console original).

No geral, curti demais a coisa toda e os exageros que jogos da época tinham. Para quem curte shooters on-rails é bem bacana, mesmo ainda preferindo, e muito, Star Fox. Gostaria de ver mais motivos para um replay. Fiquei feliz em tirar mais um jogo da lista do N64, e um daqueles que deveria ter jogado a muito tempo. Bacaninha!

Sin and Punishment: Successor to the Earth

Platform: N64
161 Players
6 Check-ins

7
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...