2021-09-29 20:37:56 -0300 2021-09-29 20:37:56 -0300
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Castlevania II: Belmont's Revenge

Zerado dia 29/09/21

Olha eu aqui! Há quanto tempo não posto algo aqui e quão rápido passa o tempo quando somos adultos, meu deus! Fui ver aqui no Alvanista, enquanto jogo outras coisas, e já se passaram 11 dias desde a minha última finalização. Super bizarro, pois parece que foi antes de ontem, fora que isso é quase 2 semanas, tempo o bastante para terminar 1 ou mais jogos grandes. Tive que dar uma pausa nos grandões e pegar algo no emulador de PSP e foi aí que percebi outra coisa um tanto triste conforme você joga demais: os jogos curtos vão se acabando e vão sobrando os mais longos ou dos gêneros que acabo deixando sempre para depois. 

Meu emulador de Game Boy tem poucas coisas agora e o de GBA basicamente só tem RPGs. Felizmente existem jogos curtos em todas as gerações de video games, mas sinto que os clássicos de plataforma e aventuras desse tipo estão se esvaindo. Basicamente os Ducktales estão indo embora e os Iconoclasts estão sobrando enquanto as aventuras mais breves são jogos tipo Mario Tennis Open ou Spirit Camera.

Aproveitando os clássicos que ainda tenho o o ânimo que um youtuber que sigo gerou ao começar essa coletânea dos Castlevanias de GBA, resolvi pegar o PSP e iniciar um dos poucos da franquia que não havia jogado ainda: Belmont's Revenge do saudoso Game Boy preto e branco.

Esse é o segundo de uma trilogia do clássico portátil. Trilogia essa bem esquecida e até ignorada por não ser lá muito interessante, relevante e ainda ter uma jogabilidade super travada.

Eu joguei o primeiro quando tinha um GBC lá para os 12 anos de idade. Alguém deve ter me emprestado e como achar qualquer jogo era sinal de oportunidade, acabava jogando o que tinha seriamente. Jogo mal feito e super difícil? Esse era o desafio e eu tinha que aprender as curtas aventuras no pequeno console de cabo a rabo e me tornar um verdadeiro profissional em cada uma, o que demorava menos do que você imaginaria. Nessa época eu era bem menos crítico e não desistiria de u jogo (isso não mudou, haha).

O lance é que o primeiro Castlevania de GB era implacável, bem difícil, travado demais e cheio de armadilhas mortais. Bom, se você conhece o primeiro jogo da série, lá do NES, você deve ter um noção de como ele funcionava. Esses fatores sempre me deixaram com preguiça de jogar as suas sequências recentemente. Isso até descobrir que os outros jogos são mais bem feitinhos.

Começando Castlevania II: Belmont's Revenge eu logo percebi as similaridades com seu antecessor. A jogabilidade é parecida, os visuais são quase iguais (apesar dos cenários mais detalhados), inimigos clássicos estão de volta e é bem mais do mesmo.

A diferença está primeiramente no fato de que agora você pode escolher estágios ao invés de jogá-los numa sequência fixa. Cada fase se passa num castelo e tem uma temática diferente. Bem legal!

Belmont's Revenge ainda é desafiador, mas não tanto quanto antes. Eu mesmo joguei 90% da aventura sem nem lembrar de usar savestates pois tudo andava sempre muito tranquilamente e foi muito fácil pegar o jeito da pouca variedade de inimigos disponíveis no limitado cartucho. Isso só mudou mesmo nos dois últimos chefes do jogo por serem meio injustos e demorados demais para ficar tentando tantas vezes do zero.

Uma coisa que ajuda demais a terminar a campanha é que há checkpoints, determinados por portas dos quais você sempre retorna ao morrer. Perca todas as vidas e nos é dada a opção de selecionar estágio ou simplesmente continuar. Muito bacana.

As armadilhas e desafios de plataforma no geral são justas e até fáceis demais muitas vezes. Você bate o olho e sabe o que fazer, além de provavelmente conseguir na primeira tentativa e nunca mais ver aquela tela.

São apenas 4 estágios de início, cada um com um chefe super fácil no final. Termine a todos e o verdadeiro castelo do Drácula aparece, bem ao estilo dos Mega Man Xtreme. O castelo do Drácula é constituído de duas fases com chefes e mais um chefe final, completamente roubado de difícil e uma das piores lutas da franquia.

Uma coisa curiosa é que eu comecei o jogo ontem a noite com o intuito de zerar na mesma sentada, mas cheguei num desafio que o meu sono não me ajudava a passar e deixei para terminar hoje, mas bizarramente o jogo não se abria! Testei todos os outros e estavam normal, cheguei a baixar outras roms e etc e procurar por saves mas nada ajudava até que tentei uma coisa: diminuir o nome da rom de Castlevania II - Belmonts Revenge.gb para apenas Belmonts Revenge.gb e isso deu cabo do problema, para o meu alívio. Fica a dica.

Havia mexido também nas configurações do emulador procurando opções que deixassem o jogo colorido como se estivesse jogando num Game Boy Color ou Super Game Boy, mas nada resolveu e estou julgando que as imagens coloridas que vi na internet devem ser de um "rom hack" que a coloriu, como vi em notícias do Mario Land 2 recentemente. Felizmente é possível jogar a melhor versão possível numa coletânea de aniversário que a Konami lançou em todas as plataformas.

Sobre o jogo em si, caso alguém não o conheça, é tudo bem simples, inclusive pela limitação de botões do Game Boy. Você anda, destrói diferentes tipos de monstros com seu chicote e coleta power-ups de velas espalhadas pelos cenários. O botão B pula e o A ataca.

Inicialmente o seu chicote é bem curto, mas conforme você coleta esferas das velas, ele fica maior e mais forte até chegar ao seu ponto máximo em que lança um projétil a cada golpeada.

Para ser coletado há ainda dois tipos de sub-weapons: água benta ou machado, clássicos da franquia, além de corações, requisitados para uso dessas sub-weapons. O machado pareceu mais raro e muito mais útil. Use essas habilidades ao segurar pra cima e atacar.

Lembrando que morrer significa perder todos esses benefícios!

Outra coisa que vale a pena mencionar é que o jogo tem segredos, como salas secretas com power-ups subindo cordas e passando por tetos falsos, e os clássicos e raros pedaços de carne que regeneram boa parte da sua vida.

Resumindo: Castlevania II: Belmont's Revenge é um jogo bacana para aqueles que, como eu, gostam da temática clássica da franquia e de um jogo simples de plataforma. Muito mais justo e divertido que o jogo anterior e me deu bastante curiosidade em jogar o próximo.

De bom: jogabilidade responsiva, apesar de ser meio travado, e desafio no nível certo. Sistema de escolha de estágios. Jogo longe de ser frustrante, com exceção dos dois últimos chefes. Sistema de continues infinitos garantem a continuidade da aventura. Sistema de password, caso seja necessário. Jogo acessível em uma coletânea recente.

De ruim: achei o fator replay pequeno, fora que ter que enfrentar outra vez os dois últimos chefes desmotiva qualquer um. Jogo aparentemente sem "upgrade" colorido pro GBC. Final muito ruim, com uma imagem e história sendo contada por texto.

No geral, eu curti bastante o jogo, simples e direto ao ponto, cumprindo bem com o que promete. Uma boa jogatina casual, apesar de eu estar comparando com o vídeo do Circle of the Moon que estava assistindo, ver como a série evoluiu e até bater uma invejjinha (mas já o joguei demais na época, haha). Sobre o Belmont's Revenge, vale muito a pena se você curte a franquia e quer mais jogos no estilo dos primeiros. Muito legal!

Castlevania II: Belmont's Revenge

Platform: Gameboy
265 Players
21 Check-ins

18
  • Micro picture
    luis_f · about 2 months ago · 1 ponto

    Sou muito fã de Castlevania, mas estes aí de Game Boy deixei para trás por achá-los travados demais na jogabilidade. Inclusive agora lembrei que ainda não terminei o bom remake para Wii..

    6 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...