2021-02-27 22:54:10 -0300 2021-02-27 22:54:10 -0300
andre_hirosaki checked-in to:
Post by andre_hirosaki: <p>A saída do time Careersoft da Masaya não foi o f
Growlanser

Platform: Playstation
18 Players
1 Check-in

A saída do time Careersoft da Masaya não foi o fim da equipe, muito pelo contrário. Todos os membros foram contratados pela Atlus para, dessa vez, criarem o sucessor espiritual de Langrisser, um excelente rpg tático chamado Growlanser, até hoje preso na exclusividade do Japão, mesmo tendo passado 22 anos de seu lançamento original (da data dessa postagem).

Zerado em +/- 55h no Retroarch com o PCSX Re Armed.

E caramba, quanta evolução absurda nos conceitos táticos do jogo. Primeiramente eles abandonaram de vez o estilo full tático dos jogos, especialmente a divisão em mapas de combate por capítulo para dar agora um ar totalmente RPG ao jogo.

Agora é inteiramente possível explorar dungeons, cidades, falar com npcs, pegar quests opcionais, comprar armas, itens e armaduras, equipar acessórios, grindar À VONTADE e onde quiser e escolher as opções de romance ou amizade entre os membros da equipe.

Eu já começo dizendo q achei todas as mudanças sensacionais, é incrível ver como um time amadureceu tanto as ideias e abandonaram a lentidão q os rpgs táticos são conhecidos para dar ao lugar um rpg muito mais rápido e divertido de jogar. Obrigado Shinjiro Takada (e lembrem bem desse nome, esse é um japonês brabo na produção de jogos).

Eu curti bastante tbm a introdução dos personagens q recebem uma cg com arte de adivinha quem? para mostrar detalhadamente o mesmo quando aparece pela primeira vez na história.

Sobre o design eu gostei bastante da mudança para armaduras de ombreiras enormes que simbolizavam a autoridade no exército para um design mais estiloso, com mais atenção aos detalhes nas roupas e ornamentos.

Sobre a exploração eu fiquei bastante satisfeito com o resultado. As cidades são numerosas, todas têm um lojinha com centenas de itens à venda (q vai de um arsenal de mais de 100 armas pra comprar, sem falar das armaduras e acessórios q alteram os stats)  e ainda contam com um INN para descansar e recuperar totalmente o HP e MP da party após os combates.

Ah e como dá pra perceber, sim esse jogo não tem fan translation ainda msm tendo passado duas décadas de seu lançamento porém tem um guia de altíssima qualidade no gamesfaq q cobre a maioria dos diálogos da história. Não só o guia tem uma qualidade de ponta na tradução, ele ainda deu muitas dicas de como avançar no game, especialmente nas boss battles e event battles.

Normalmente o tradutor comenta algo do tipo: "ei po, vai nessa cidade aí e conversa com o npc de cabelo vermelho bem no cantinho da lojinha, ele vende uns itens daorinha" ou "para a próxima luta, estoque itens e aprenda thunder pois os inimigos da área são fracos contra o elemento".

O jogo tbm n dava muitas dicas de como avançar. Por ser mais rpg, agora a exploração é por conta do jogador e das poucas dicas q dá nos dialogos porém é desnecessário dizer aqui q n tinha nem como eu avançar por esse jogo totalmente blinded, eu gostei bastante do guia q se comprometia até a dizer onde vc tinha q ir e onde IR PRIMEIRO para evitar algumas situações bastante desagradáveis (como a quest para resgatar a Karen).

Sobre o gameplay eu fiquei bastante satisfeito tbm. Por ser mais rpg, agora os personagens não evoluem baseado a cada 100 xp ganho, eles limitaram o grind como um rpg normal e uma excelente lista de skills para distribuir bonus point como quiser para ganhar habilidades extremamente úteis e controlar a build do personagem como desejar.

Por exemplo, o Wallace não tem MP então não faria sentido algum fazer ele aprender magias, ao invés disso seria melhor ele aprender habilidades q focam na defesa (anti poison, anti paralysis, HP UP, counter etc.) para deixar ele bem tanque.

O mesmo raciocínio se aplica a Ruise, não faria nenhum sentido desbloquear habilidades q aumentam o ataque pois a Ruise tem pouco HP e quase nenhuma defesa, portanto ela é muito melhor aprendendo magias (fireball, thunder, blizzard, meteor, attack up, defense up, resist, cure etc.) mas ainda é bem vindo um HP UP de vez em quando pq a bichinha leva qq dano e já ta quase mortinha.

Mas n se engane, o jogo é bem mais tático e estratégico do q aparenta ser. Tome como base a luta acima.

Nessa luta, precisamos proteger a mãe do Elliot ao mesmo tempo em q impedimos os assassinos de materem ela. Pra piorar as coisas, eles ainda ateiam fogo no mapa e precisamos fugir logo pois o fogo avança muito rápido e pra piorar eu ainda fiz a burrice de salvar o jogo com um party member a menos, quase q eu softlockei por pura estupidez. (hm pera um pouquinho, acho q já vi um mapa com gimmnick assim em um Langrisser...)

Todos os personagens tbm andam ao mesmo tempo, é necessário tomar atenção especial principalmente com os magos da equipe pois eles são bem frágeis e as vezes, quando vc se dá conta, tem um assassino em cima da Ruise dando espadada na cara dela.

Sobre combates, esse jogo tem umas boss fights bastante legais e interessantes tbm.

Esse é um guardião de uma das dungeons, era necessário dar cabo primeiro do guardião maior pq os menores eram instantaneamente ressuscitados pelo grandão quando morriam e ainda ficavam castando magia AoE q matavam muito facil devido a quantidade.

A estratégia consistiu em primeiro dividir a party para só um ou dois tomarem magia enquanto o resto ficava longe no suporte com cura e buff ou magia AoE tbm.

Mas não é bem um chefe bem dificil, eu gostei bastante q o jogo tem uma dificuldade bastante moderada com um grinding bastante justo, geralmente eram nas event battles q eu recebia a maior quantidade de xp e upava o pessoal.

Aliás eu tbm gostei muito q vc podia montar a party como quisesse. O máximo são exatamente 5 e eu até tava pensando em colocar o Julian no lugar de alguem lá mas eu achei uma droga q o sujeito era um personagem secreto q exigia um esforço enorme só para conseguir colocar ele na equipe, e pior q eu ainda fiz certinho como o guia dizia, eu n faço a menor ideia onde foi q errei para n ativar um dialogo durante a invasão de Ranzak.

As magias Aoe desse jogo são absurdamente legais de usar. Primeiramente é necessário prestar atenção no range delas e se o inimigo não absorve o elemento e ainda prestar atenção no tempo q leva para poder castar. Se o mago levar dano enquanto carrega a magia, o tempo para liberar ela acaba sendo aumentado levemente então é preciso manter os magos na backline e colocar os tanques na frente.

E segundo são o formato delas. Holy Light por exemplo tem a forma de uma cruz e boa parte dos inimigos do jogo tem fraqueza a holy. Thunder tem a forma de um retângulo e por aí vai.

Outra coisa q eu gostei bastante tbm foi a historinha. Por ser um híbrido entre RPG clássico e tático, eu diria q a historia se distanciou um pouco da novela q os táticos raiz são conhecidos (historia meio previsível, reinos em guerra etc).

Ok, acontece uma guerra aqui tbm mas o foco da história é bem mais focada no desenvolvimento dos personagens.

A cada investigação bem sucedida, os personagens ganhavam férias em q era preciso viajar forçadamente para algumas opções de lugares onde só jogavam conversinha fora enquanto tomavam banho de Onsen ou iam pra cidade do MC e assistir um teatro, museu de artes, etc. para aumentar a afinidade entre os membros. Foi só la para o final q eu acabei notando q era só nesses momentos q era necessário escolher com cuidado quem vc queria desenvolver mais intimidade pq isso impacta diretamente no ending.

Em especial, eu curti bastante o plot twist no final do disco 1 onde a história se distanciou totalmente do modelo de guerra previsivel de um tático para dar lugar a uma investigação completa para descobrir o paredeiro dos Growsians desaparecidos da Academia de Magia. Se o jogo fosse full tático, esse tipo de coisa nem sequer ia acontecer.

Minha única reclamação foi bem no finalzinho da história q eu ja tava achando meio chato o Venzel indo de lá pra cá fazendo merda e vc só tendo q eliminar uns Yungs chatos q eu ja tava cansado de matar no jogo inteiro.

Sobre o final boss, mas caralho mano q final boss simplesmente foda. Como dá pra ver na imagem, existem 6 garras, 4 olhos e o Venzel no meio enquanto vc só tem 5 membros. 

As garras das laterais conseguiam acertar qq membro presente e, pra piorar, essas fdps ainda miravam só em q tinha pouca defesa pra matar rapidinho. Os olhos ficavam castando magia sem parar, o Venzel tinha um ataque em área quase mortal q deixava todos meus personagens na merda e pra piorar a luta ainda tinha limite de tempo antes da distorção no espaço-tempo contínuo separar completamente as realidades o q seria o fim do mundo na história.

Pessoalmente falando eu curti bastante essa luta, o jogo inteiro eu achei q teve uma dificuldade até por vezes extremamente baixa com alguns momentos de pico de dificuldade mas nada muito grave, foi só nessa aqui q o bagulho realmente ficou mais insano.

Uma das poucas coisas q n gostei é q eu achei as sprites do mundo feio fraquinhas, acho q eles poderiam ter se esforçado um pouco mais apesar de geralmente eu n ligar tanto assim pra gráfico.

Abaixo está uma pequena dica para vc q n tem tanta familiaridade em jogo multi disc no RetroArch, vou abrir um pequeno parenteses para quem n quiser ler só pular para a etapa seguinte.

__________________________________________________________________________________

Primeiramente, em jogos multi disc da era ps1, é preciso tomar um cuidado em especial se jogar pelo retroarch.

ANTES DE JOGAR CRIE UM ARQUIVO .M3U SENÃO CORRE O RISCO DE SEU SAVE N SER TRANSFERIDO PARA O SEGUNDO DISCO.

Como se sabe, chega um ponto q os jogos dizem "Pls, insert disc 2" e vc provavelmente vai abrir o menu do Retroarch para trocar o disco na opção Change Disc Entry.

NÃO FAÇA ISSO pois o jogo não consegue salvar o jogo. Assim q vc sair, quando voltar na verdade seu progresso não estará salvo e assim vc vai ter simplesmente perdido todo seu progresso até antes do save do disco 1.

Isso fica bem mais claro quando vc tenta dar um save state no disco 2 pois aí essa opção não aparece.

Para consertar isso, pegue os 2 arquivos .cue q vem na iso do jogo e salve elas em um bloco de notas. Ela deverá ficar assim:

Growlanser (Japan) (Disc 1).cue

Growlanser (Japan) (Disc 2).cue

Então vc pega esse arquivo de texto e salva com qualquer nome+.m3u. Então ele deverá ficar assim:

Nome.m3u, por exemplo Growlanser.m3u

Aí basta mandar o RA escanear a pasta inteira junto com o bloco de notas salvo no mesmo diretório para ele entender q o jogo precisará trocar de discos em algum ponto.

Se, assim como eu, vc chegou aqui e não fez isso ANTES DE COMEÇAR A JOGAR, saiba q tbm é possível contornar essa dor de cabeça ativando a opção de SECOND MEMORY CARD e o save tbm consegue ser transferido para o segundo disco sem problemas.

Porem evite isso e crie o arquivo .m3u assim vc evita o medo de ter um save de mais 38h no lixo como eu quase pensei q tive. A internet tbm n tinha muita explicação para essa situação, por isso deixo salvo aqui como minha contribuição para quem ainda não passou por isso.

__________________________________________________________________________________

Voltando, agora falando das músicas.

Olha eu vou falar bem sério agora. Eu sei q o Iwadare é lembrado como um dos melhores musicistas japoneses mas cada vez mais q eu jogo jogos q esse sujeito trabalhou, mais eu acho q a ost desse cara é braba demais.

Essa musica é tão foda q só tocava nos momentos mais fodas do jogo, especialmente a luta contra os 3 Imperial Knights (Oscar Reeves, Ernest Lyell e Julian) o q só deixava o clima ainda mais foda

Essa aqui tbm é soul demais, todas as vezes q eu ia pra Featherland eu adorava simplesmente primeiro admirar a paisagem ao fundo e ler com muita calma a tradução do gamesfaq enquanto eu acalmava os nervos escutando a música do Iwadare.

Como eu quase ia esquecendo de adicionar q esse jogo tem uma motherfucker abertura em anime dos anos 90 com uma animação q pqp, nostálgica pra caralho essa é a melhor definição

Apenas fazendo um resumo geral do q falei, mas eu amei todo o tempo q gastei aqui. Está muito enganado quem acha q foi um rpg tortuoso e chato de jogar todo em japonês.

Os personagens são muito caristmáticos, a historia é bem diferente da padronizada de um tático, a exploração é sensacionalmente completa, livre e com muita coisa para ficar fazendo, a arte é totalmente desnecessária dizer q ainda é excelente e o jogo tem muitos segredos típicos de um rpg comum.

A grande verdade é q enquanto estou escrevendo esse texto aqui, eu estou explodindo de ansiedade em jogar o resto da franquia, uma franquia completamente obscura de rpg. Só o primeiro jogo eu já achei um dos melhores tactics q já tive o prazer de conhecer e jogar.

É só uma bosta total q esse jogo teve não só uma, mas DUAS chances de ser traduzido mas eu sei lá quem foi q disse q uma pérola dessas simplesmente não ia chegar no Ocidente, agora temos q amargar uma fan translation q até hj tá enrolada com a tradução e a Atlus nem aí para traduzir tbm.

Eu com ctz adoraria jogar isso até mesmo para poder ler a descrição dos itens e cenários e a conversinha q alguns npcs nas cidades ficam jogando e principalmente para fazer a dungeon secreta. Tem o remake pra PSP tbm mas essa desgraça tbm n foi traduzida, espero demais q a Atlus possa olhar para uma tradução oficial algum dia, não seria demais sonhar.

Mas chega de enrolação em check in, avante a mais um GL!

37
  • Micro picture
    gicba · 4 months ago · 2 pontos

    grande André zerador de jogos com guias do Gfaqs, admiro sua coragem
    Em questão de vender o jogo como um JRPG, você fez um ótimo trabalho, devo dizer. Espero que um dia traduzam para eu dar uma olhada.
    Só uma coisa que não entendi: como exatamente funcionam as lutas?

  • Micro picture
    rax · 4 months ago · 2 pontos

    Parabéns pela zerada.

    Vou continuar acompanhando os seus check-ins,mas fico feliz de ao menos esse ano eu ter tirado o Langrisser 1 do backlog.

  • Micro picture
    vante · 4 months ago · 2 pontos

    Parabéns pela zerada mano! Tá numa maratona sinistra de RPG tático hein?

  • Micro picture
    jcelove · 4 months ago · 2 pontos

    Humilhou achando growlanser fácil.hehe
    Eu só joguei mesmo o 4 e penei. 40h não tava na metade do jogo e era uma baalha injusta atrás da outra.XD

  • Micro picture
    thiagobrugnolo · 4 months ago · 2 pontos

    Parabéns, parece ser um jogo bem interessante, nunca tinha ouvido falar.Infelizmente tem tanto jogo bom que ficou só no Japão que agente nem faz ideia.

  • Micro picture
    manoelnsn · 4 months ago · 2 pontos

    Rapaz, tankou jogo em japa com detonado? Mas parece que valeu a pena, só essas artes do Urushihara já valem o esforço, ahauahuah

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...