2022-01-13 01:24:09 -0200 2022-01-13 01:24:09 -0200
andrivaio André Zanetti Andricopoulos

Keninha

Desde o anúncio do primeiro trailer de Kena, enquanto eu ainda tinha o meu PS4 e nem sonhava migrar pra nova geração tão cedo, eu já queria jogar.  Não é um exclusivo da nova geração, mas eu achei tão lindo que só iria jogar no PS5. Ele parecia ter tudo o que eu curto em games: uma exploração livre, coletáveis, combate fluído, arte bonita e uma boa história. Imedimente após o trailer acabar, ele já entrou pra minha lista de desejos.

Passou o tempo e, com muita sorte, consegui comprar o PS5 na Amazon. Aqui vai um parêntese desnecessário sobre a compra. A página Meu PlayStation do Facebook avisou um dia antes que haveria lotes novos na Amazon em uma hora X (agora não lembro qual era), então botei o lembrete no celular. No dia seguinte, na hora avisada, comecei a dar F5 no site da Amazon até aparece os PS5 em estoque. FEITO! Os consoles apareceram em estoque, então cliquei em comprar, parcelei em 10 vezes (porque era o máximo. Por mim faria em 48 vezes) e senti aquela sensação de alegria. Em menos de 10 minutos o lote esgotou. A partir daí foi só esperar e segurar a ansiedade.

Voltando ao Kena, finalmente o jogo foi lançado em 21/9/2021. Era agora que eu ia jogar?? Não! O jogo só saiu em formato digital e eu, como um bom saudosista queria a mídia física, então iria aguardar pelo disco, já que poucos dias depois do lançamento a Emberlab disse que, devido aos pedidos dos fãs, iria lançar a versão física. A data para o lançamento do disco era em novembro, mas chegou novembro e cadê o disco nas lojas brasileiras? Nem sinal. Chegou dezembro e nada ainda, foi quando eu vi que já tinha lá fora e que não seria lançado aqui. Eu não ia me dar por vencido. Eu queria o disco! Importei pelo eBay mesmo.  No final de dezembro ele chegou!

A felicidade não cabia no peito! Finalmente eu tinha o Keninha em mãos e podia jogar! Enfim, botei no console e comecei a jornada.

A primeira impressão que tive é que Kena é muito lindo mesmo graficamente. É impressionante uma qualidade de trabalho assim em um jogo indie. É tudo muito vivo, com cores e iluminação de encher os olhos. Dá pra notar que teve muito carinho no desenvolvimento desse jogo. 

Em seguida, gostei muito da resposta dos comandos durante a gameplay. É um game que faz o que a gente quer e onde a gente quer que aconteça (com exceção de aterrissar em algumas plataformas). A câmera se movimenta rápido e a personagem se move muito bem.

Outro ponto que gostei bastante foi o combate, que é um link direto com o comentário sobre a resposta aos comandos. É tudo muito rápido e preciso. Não tive problema algum em bater com o cajado, esquivar, bloquear, mirar com o arco e atirar. É tudo muito fluido e polido. É prazeroso entrar em um combate e surrar os inimigos.

Outra coisa a se falar é o mapa. A ambientação é linda demais. É tudo vivo graficamente, com muita vegetação lúdica, artefatos, vilas e demais elementos. A gente se sente "abraçado" por tudo. O tamanho do mapa também é bem satisfatório, com áreas mais abertas e outras mais fechadas, mas que ainda assim proporcionam uma exploração bem divertida em busca dos Rots, chapéus, santuários de flores e outras coisas. 

Por fim, o enredo é muito bonito, onde acompanhamos Kena na sua jornada como guia espiritual, ajudando almas perdidas a encontar seu caminho e paz. Em meio a isso ela conhece entidades que a ajudam a perceber o que está acontecendo ao redor e como ela pode ajudar a todos, purificando o mundo que foi tomado por uma infestação maligna. Em sua jornada ela encontra os Rots, pequenas criaturinhas pretas e fofas que a ajuda em combate e a resolver puzzles. Eles nos acompanham pelo mapa durante o jogo todo, então é muito divertido ver eles nos seguindo a qualquer lugar.

O jogo pode parecer bobinho e fácil, mas não é não! Bom, se você for acostumado com os games estilo Dark Souls, telvez seja, mas pra mim foi meio tenso mais pro final. O game tem checkpoints bem bons e salva a todo momentos, mas os combates com os Bosses podem irritar. Eu joguei no médio e sofri em algumas partes,  então imagino que no hard deve dar muita dor de cabeça. Pra quem gosta de desafio a platina deve ser um prato cheio, já que existe um troféu de zerar na dificuldade hard+. Eu gosto de platina, mas vou é passar longe dessa! 

Concluindo, Kena é um jogaço! Atingiu todas as minhas expectativas com louvor e fiquei muito satisfeito! Valeu a pena ter comprado a versão física e esperar meses após o lançamento. Recomendo a todos e parabenizo a Emberlab por esse trabalho sensacional, indicado a Melhor Direção de Arte e vencedor da categoria Melhor Jogo Independente no TGA 2021. 

Joguem o Keninha!

Kena: Bridge of Spirits

Platform: Playstation 5
67 Players
12 Check-ins

19
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · 6 months ago · 2 pontos

    KENINHA realmente parece sensacional. Faz muito meu estilo de game (além dos TERROR que amo).
    ---
    Parabéns pelo PS5...e o game.
    Rapaz...o que não fazemos por uma KENINHA, não?
    ---

    8 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...