You aren't following _fernando.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2022-07-24 10:39:07 -0300 Thumb picture
    _fernando checked-in to:
    Post by _fernando: <p>Terminei ontem.</p><p>Esse poderia ser o melhor
    Castlevania: Order of Ecclesia

    Platform: Nintendo DS
    2046 Players
    178 Check-ins

    Terminei ontem.

    Esse poderia ser o melhor castlevania se fosse melhor em umas coisas. Essas coisas quase que totalmente os mapas.

    Esse jogo ja começa de forma meio diferente da maioria dos castlevania. Tem mais cenas do que de costume em cena Inicial de castlevania, e um tutorial mais longo que de costume também, mas é bem rapido ainda assim. E faz sentido ter, porque os glyphs é uma das mecanicas mais diferentes dessa série(e sem dúvida, uma das melhores). E então quando voce sai da area Inicial, voce tem um mapa pra escolher onde ir, onde só tem duas localizacoes ainda. E depois vai tendo mais diferenças em relação a outros jogos, tipo os mapas terem mais de uma entrada e saida, o que tem nosnoutros também, mas aí  voce pode escolher por onde entrar, uma vila em que vao aparecendo villagers que voce acha pelos mapas e precisa achar todos pra continuar a história e que te dao side quests quase nada interessante em troca de itens, entre outras coisas.

    A maioria dessas diferenças eu gostei por dar uma certa mudança pra série em relação aos outros, mas nao gostei de como as side quests quase sempre se resumem a pegar certa quantidade de itens específicos, e como pra ter coisas como high potion na loja você precisa fazer uma. Que eu nem fiz alias.

    Mas falando do que tem de bom agora, a mecânica de glyph é boa pra caralho e uma das melhores coisas ja feitas nessa série. Esse foi o jogo da série em que eu mais fui variando as armas que eu uso, porque o tempo todo voce pega glyphs úteis de jeitos diferentes, e voce ainda tem três sets pra deixar equipado, e ainda assim nao é totalmemte suficiente pra ir usando tudo que quer sem ir no menu trocar no meio de umas lutas, comigo pelo menos. La pra quase na ultima parte do jogo eu fui colocando mais dois glyphs juntos pra fazer combo e mandar os especiais de cada um, mas varias vezes eu fui equipando um diferente em cada mão. E tem os que ficam no R, que tem varios efeitos diferentes, desses o meu favorito é o que faz a Shanoa correr rapido pra caralho, depois que peguei quase nem tirei mais, e o de vôo ainda deixa ela atacar com tudo. Essa sem duvida é uma das melhores mecânicas dessa série.

    E os bosses conseguem ser muitas vezes ate melhores que do Portrait. Eu tive dificuldade em grande parte deles, e quase todos trm algum tipo de gimmick, tem o que voce tem que ir subindo a lighthouse e no fim tacar o elevador nele, tem o primeiro que tem que usar o glyph magnes que pega no começo, tem aquele que pra se proteger do ataque de agua que acerta tudo tem que ficar debaixo dos pilares que manda, tem aquele gigante do castelo que a luta tem três partes, onde voce tem que acabar com as pernas e armas dele e depois ir detonando a cabeça, o Dracula na segunda fase da luta... Os bosses desse jogo sem duvida são os mais criativos da série, embora o Dracula do Portrait ainda seja o melhor pra mim mesmo.

    O que faz eu nao achar esse jogo melhor que o symphony e o portrait são os mapas. O último mapa do jogo é do caralho mesmo, e os outros também são bons ou nao são ruins, mas quase todos são meio simples e as vezes repetem a estrutura de outros, e uns são linhas retas mesmo. O que faz eu gostar mesmo dos que são linhas retas é como os inimigos nele são bons, esse foi um castlevania claramente mais voltado pra combate do que exploração, e no que se propõe pra fazer com o combate, ficou incrível. Mas a estrutura dos mapas fazem parte de um metroidvania, e a maioria desse antes do último, nao tem muita coisa impressionante ou nova. Mas nao que nao tenha coisas boas também, boa parte tem seções interessantes e que usam os glyphs, tem uns que voce tem que dá uma explorada, e como eu disse, o combate é varias vezes excelente.

    Isso é meio que o oposto do que acontece no portrait alias. Os primeiros mapas são incríveis, e os ultimos sao meio repeteco deles. Mas pelo menos, neles tem inimigos e coisas novas pra achar, e a estrutura ser meio que invertida ate da uma diferença pra progressão, mas claro que seria melhor se fossem mapas novos.

    Outro negocio que eu critico alias é que coisas como o gold ring que é necessario pra voce nao ficar um tempao grindando dinheiro, algo que realmente precisa nesse jogo, é meio aleatorio de conseguir, mas fazer o que.

    De qualquer jeito, esse jogo sem duvida tinha potencial pra ser o melhor castlevania, ele tem os bosses mais criativos da série, uma mecânica de combate incrível, inimigos normais bem feitos, e dificuldade alta, mas justa. Coisas que tem no portrait, e em certos pontos ele ainda melhora isso. Mas como os mapas antes do último nao são muito impressionantes em maior parte, fica como meu terceiro metroidvania favorito mesmo

    Os graficos são bonitos alias e usam um estilo que lembra mais os antigos do Symphony ao Aria, embora seja meio diferente também, e os cenarios as vezes repetem muito os backgrounds, mas boa parte tambem é bonito, principalmente no ultimo mapa, os ataques tem efeitos muito bons, e tem designs de inimigos novos que são bem legais. A trilha sonora como de costume é ótima também, a da primeira área(o monastery, não contando ecclesia) é icônica como sempre, a de umas areas tipo aqela aquática do começo sao ate meio diferentes pra série, a da primeira area do ultimo mapa achei uma das melhores da série, as das outras dele sao incriveis também(o ultimo mapa é claramente o que mais devem ter botado esforço no jogo junto com os glyphs e os bosses), e em maior parte mantem uma consistência. Eu não acho ela tipo uma das melhores da série, mas isso acaba é mostrando como a trilha sonora dessa série é incrível, porque a desse mesmo sendo boa demais, pra mim acaba nao ficando entre as melhores.

    E esse aí é provavelmente o castlevania com melhor historia. Tem um twist legal aí com um personagem, a Shanoa tem desenvolvimento, e ele usa umas coisas unicas desse jogo aí de forma legal. O final achei facilmente o melhor da série.

    E esse jogo é um dos castlevania que mais quero rejogar, porque dar new game+ pra começar com todos os glyph, incluindo o que faz ela correr pra caralho parece bom demais, e ainda tem duas dungeons extras que parece bem legais. Assim como eu pretendo rejogar os outros castlevania do DS tambem

    E com isso eu terminei os castlevania 2d principal tudo se nao contar o 2 de nes que nem quero terminar. Eu ainda tenho que terminar os unicos 3d que importa, que sao os dois de ps2. Eu conheço tudo deles porque via meu irmão jogar, mas eu mesmo nao terminei.

    Decepcionante alias nao terem feito um glyph de panela ou vassoura pra Shanoa, devia ter e ser o mais forte pra ela

    21
    • Micro picture
      vante · 22 days ago · 1 ponto

      A dificuldade desse jogo me incomodou bastante em alguns momentos, especialmente se não estiver com uns glyphs de magia lá pro final. E admito que dei um rage no Dracula quando ele usou Soul Steal kkkkkkkkk.

      A história eu também acho a melhor da série até agora, mas também tô devendo os jogos do PS2

      1 reply
  • 2022-07-20 18:33:38 -0300 Thumb picture
    _fernando checked-in to:
    Post by _fernando: <p>Terminei agora e que jogo do caralho</p><p>Esse
    Castlevania: Portrait of Ruin

    Platform: Nintendo DS
    1709 Players
    122 Check-ins

    Terminei agora e que jogo do caralho

    Esse quase virou meu castlevania favorito, acho que só não chega porque acabaram reutilizando não só o visual mas também o level design nesses últimos 4 mapas aí.

    A mecânica de co-op alem de nova é muito boa, no começo do jogo eu fui usando mais a Charlotte do que o Jonathan porque ele ainda nao tem muitas armas fortes e as magias sao mais uteis, mas quando ele conseguiu armas melhores aí eu fui atr usando mais ele, mas a Charlotte também, chegou um ponto que usei ela mais como boost pros status, mas quando achava melhor tambem ia usando as spells de ataque dela. E tanto ela quanto o Jonathan tem uma variedade boa nas sub-weapons aí, tem muita coisa mesmo pra usar. E a IA quando ta deixando um dos dois como acompanhante funciona surpreendentemente bem, e o jogo conseguiu equilibrar bem fazendo com que voce perca MP se o acompanhante levar dano. E além disso tem os especiais dos dois, eu acho que só peguei uns 5 ou 6 durante o jogo, ja que nao explorei tanto assim, mas mesmo com eles ja adiciona uma variedade boa.

    E esse foi sem dúvida o primeiro metroidvania 2d da série com dificuldade equilibrada. Voce tem muitos recursos, mas os mapas muitas vezes sao complicados, com muitas armadilhas e inimigos com ataques complicados, e eles não faziam um uso tão bom de seção de plataforma nesses metroidvania desde o symphony, e tem muitos itens escondidos. E os bosses desde o começo são mais do que ficar só spamando ataque, no primeiro tem as seções de plataforma pra usar, tem aquele que tem que bater no jarro pro bicho sair e aí atacar enquanto vai esquivando, o Legião usa uns ataques meio complicados de esquivar quando ta quase morrendo, tem aquele que usa um ataque que faz o acompanhante ficar te atacando, e outros tambem. Nem todos são criativos, mas a maioria tem uso interessante dos movesets. E esse ultimo dracula aí foi do caralho, ser ele e a morte ao mesmo tempo na primeira parte foi muito brabo, e na segunda quando eles fazem uma fusão eu inicialmente ate me irritei com o ataque de morte instantânea, mas aí eu pensei em usar um especial dos dois é aí da pra fazer sair. Os outros ataques sao dificeis de esquivar e fortes pra caralho tambem, mas é justo quase sempre. Eu nem grindei level e nao peguei varios itens, só me enchi de item de cura mesmo e vi como desviar dos ataques e atacar, e foi suficiente, depois de morrer umas 10 vezes eu acho. De longe o melhor boss da franquia.

    Acho que esse só nao virou meu favorito da franquia porque como eu disse, os ultimos 4 mapas sao tudo rehash dos das outras 4 pinturas de antes, por mais que sejam legais também, eles sao quase que iguais mas invertidos, o symphony até faz isso do castelo invertido ser, bem, invertido, mas tem muito mais mudancas. E alem disso aliás, as side quests do Wind são bem legais, mas acabei tendo um problema aí. Eu quase nunca nem vendo item em castlevania, mas fui vender uns aí porque pensei em comprar um monte de potion. Dois eram necessarios pra side quests que abriram depois, e nao tinha como recuperar eles. Se o jogo nao fosse avisar que não dava pra recuperar eles, deviam colocar na loja pra comprar de novo.

    Os gráficos ficaram muito bons, melhoraram muito o estilo de anime aí em relação ao dawn, e os mapas tem muitos detalhes e tem uns que ate usam ideias novas, pela primeira vez na série ate onde sei pelo menos fizeram um mapa de deserto, tem aquela cidade de cabeça pra baixo que tem meu visual favorito daí, e mesmo em mapas que usam ideias iguais as de antes no visual, tem coisas legais também. Os efeitos visuais dos ataques sao bem legais também. O design dos monstros que em maior parte foi bem repetido, mas fazer o que. E a trilha sonora é menos boa do que dos dois anteriores, mas eu gostei de como usaram mais eletrônico ainda do que no dawn, mas a maioria das musicas nao achei bem marcantes, e ate um pouco parecidas umas com as outras. Mas é boa ainda assim.

    E alias esse aí virou junto com o symphony e o curse of darkness um dos poucos castlevania que gostei um pouco da história. O Jonathan e a Charlotte são legais, e a história até faz um uso interessante da lenda em torno do vampire killer, do Eric e do John do Bloodlines, do que é mencionado no aria of sorrow, e o vilão inicial ate tem uma motivação, mesmo que nao seja nada demais. Mas tudo é bem simples e no fim do jogo tudo volta pro Dracula sendo revivido do nada, e o diálogo com ele no fim é bem sem graça. Mas pra um castlevania, ate que é uma história legal um pouco. 

    Eu vi um pouco do modo do Richter e das irmãs la. O do Richter nao tem muita novidade fora ser ele e a Maria ao mesmo tempo, ja que os moveset dos dois sao iguais aos do Rondo/X Chronicles, e eles nem podem carregar os ataques das sub-weapons, mas ser eles ao mesmo tempo e o richter ser rapido pra caralho ficou legal( engraçado que no rondo ele é uma tartaruga), e os das irmãs parece ate legal também, mas não vou terminar logo eles porque tenho preguica com esses modos extras de castlevania.

    Esse chegou bem perto mesmo de virar meu castlevania favorito. Daqui a nao muito tempo acho que vou rejogar com o new game+ pra ja vim logo coisas que peguei antes e ver se faço 100%, o mapa ainda faltou uns 21% pra completar, as skills so achei pouco mais da metade, e as side quests nao fiz nem metade porque por causa daquele problema nao tive muito ânimo de fazer, mas esse jogo é do caralho mesmo, quero ver logo se o ecclesia ainda conseguiu melhorar mais ainda

    14
    • Micro picture
      vante · 25 days ago · 1 ponto

      Esse eu fiz 1.000% kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • 2022-07-18 01:03:17 -0300 Thumb picture
    _fernando checked-in to:
    Post by _fernando: <p>Terminei mais cedo.</p><p>Fazia um tempao que eu
    Castlevania: Dawn of Sorrow

    Platform: Nintendo DS
    2228 Players
    176 Check-ins

    Terminei mais cedo.

    Fazia um tempao que eu nao jogava um castlevania, e um que eu nao havia terminado antes. A franquia é provavelmente minha segunda favorita, então seila porque nao parei pra jogar os de DS antes.

    Eu fui jogar o Dawn nao sabendo muito o que esperar. E no fim gostei bastante, o mapa infelizmente nao é muito criativo em maior parte, algo que o aria antes acho que acabou fazendo melhor, mas é legal de ir avançando e explorando pegando as habilidades, e fizeram coisas interessantes aí tipo o doppelganger pra ter dois sets de souls e equipamentos, o sistema de upgrade de armas com as souls é legal também, e eu acabei vendo mais motivos pra variar as armas do que no aria, porque os últimos bosses foram me dando trabalho, e os inimigos das ultimas areas também. Vai ver tem haver com eu nao tendo parado pra grindar souls, só peguei pouco menos da metade delas, mas nesse jogo tive mais dificuldade do que no aria ou harmony, embora tenha sido só pro final mesmo.

    E falando nas souls, quase nao teve diferenças no sistema delas aí, mas eu gostei como realmente criaram outras diferentes ao inves de só repetir tudo. E eu usei varias diferentes, mesmo tendo pegado pouco menos da metade ja foi bastante coisa pra usar, tem umas que nao tem utilidade nenhuma quase, mas muitas mesmo são viáveis de formas diferentes. E a habilidade de doppelganger ajuda a deixar mais ágil as coisas.

    Acho que minhas reclamações é o jogo reutilizar muito coisa tipo habilidades que o Soma ganha tipo morcego sem adicionar nada, e souls que assim como no aria só servem pra umas areas bem especificas, e o mapa infelizmente tem um level design meio sem criatividade em maior parte mesmo, e mesmo em partes mais criativas como a clock tower do jogo, ela reutiliza coisas de antes na série, e eu ate usei mais armas diferentes aí, mas assim como no aria, varias nao servem pra quase nada. Mas as souls novas, o level design ser pelo menos legal de ir avancando mesmo nao sendo criativo, os ultimos bosses terem sido bons, e outras mecânicas fizeram eu gostar bastante. Pretendo uma hora jogar mais e pegar todas as souls uma hora.

    Os graficos são bonitos, mas nao vi tantos detalhes quanto tinha no aria ou harmony, ate tem uns backgrounds legais em umas áreas, mas nao tantos assim. E eu acabo concordando que os portraits dos personagens ficaram piores. Mas na trilha sonora o de sempre na franquia, músicas muito boas. A musica da primeira area é bem icônica como de costume nas de primeira área da série, e só tem algumas em específico que nao acho tão boas assim, tipo a da segunda area e a do Jardim, mas sao ate legais também, e o remix da vampire killer aí mais eletrônica ficou do caralho, a musica da subterranean hell é excelente, a do top floor é uma das minhas favoritas da série, e da mine of judgment e abyss sao 10/10 tambem. Eu gostei de ter tido musicas usando um estilo mais eletronico, ficou diferente na série de forma muito boa.

    Eu comecei o modo do julius e gostei bastante, mas acho que nao vou terminar logo porque comecei o portrait, e ja vi pelas 2 horas inicias que ele vai ser bom demais.

    Alias eu joguei com o patch que faz com que nao precise desenhar selo, felizmente

    16
    • Micro picture
      santz · 28 days ago · 1 ponto

      Mas se não precisa desenhar o selo, qual é a graça? XP

      3 replies
  • 2022-07-18 00:40:10 -0300 Thumb picture

    Dia 10

    Continuando isso com um bem fácil.

    Nao joguei muitos shooters, mas dos poucos que joguei, Vanquish alem de ser de longe meu favorito, é também um dos meus jogos favoritos de todos. Ação sem parar com um gameplay excelente com as mecânicas de boost e slow motion, podendo ser usados de varias e varias formas diferentes, variedade boa de armas, e você pode usar tudo de varias formas, porque o level design é criativo e os inimigos mais fortes também, e você é incentivado a realmente não morrer, ja que aí tem que recuperar os upgrades, e os bosses são incríveis nas lutas. E alem disso ainda tem graficos  lindos e trilha sonora eletrônica legal demais. Joguei e rejoguei esse bagulho varias vezes, nunca cansava

    Vanquish

    Platform: Playstation 3
    1343 Players
    116 Check-ins

    9
  • 2022-07-17 09:43:21 -0300 Thumb picture
    _fernando checked-in to:
    Post by _fernando: <p>Terminei ha uns dias e fui escrever o texto onte
    Persona 2: Eternal Punishment

    Platform: Playstation
    615 Players
    73 Check-ins

    Terminei ha uns dias e fui escrever o texto ontem e deu ruim no alva, e como nao acontecia ha um tempo eu acho que ate tinha esquecido que podia dar isso, e nao escrevi em outra coisa antes.

    Que final do caralho. Esse virou meu final favorito de qualquer jogo, mesmo com a historia de tales of the abyss ainda sendo minha favorita, o desse consegue ser melhor ainda, e se eu fosse fazer agora aquele bagulho do desafio de colocar historia favorita, eu colocaria a desse aqui pra não repetir jogo.

    O grupo desse jogo é incrível e consegue ser melhor ainda do que do innocent sin, a Ulala inicialmente eu havia até desgostado, mas enquanto o jogo foi passando deu pra entender melhor porque ela é uma adulta que não sabe lidar direito com as escolhas que teve, e ela tem um crescimento muito bom, e isso vale pra todos os outros também, o Katsuya é um dos meus favoritos por toda a convicção que tem no que faz, enquanto tem fraquezas, e as partes em que ele ajuda o Tatsuya são muito boas. O Baofu é talvez o mais divertido de acompanhar aí, e ele é um dos que mais tem crescimento na história, e o final virou meu favorito em grande parte por causa do Tatsuya. É incrível como o jogo mostra as consequências com o que aconteceu e ele escolheu no innocent sin, e como é a conclusão dele no fim. E foi muito bom fazer ele falar, mesmo antes do final algumas das minhas cenas favoritas são com ele

    O Baofu falando sobre isso com o Tatsuya de novo em uma das ultimas cenas de forma mais positiva fez eu me arrepiar.

    Alem de todos terem carisma, as relações entre eles são incríveis, e desenvolvidas de forma muito natural. É quase meu grupo favorito de qualquer jogo, chegando bem perto. Só não acho melhor porque a Maya ficar muda aí nao chega a atrapalhar a historia, mas ela era a que eu mais gostei no IS, a historia teria mais proveito ainda se ela falasse. E o Nate nao é tão legal quanto o resto, mas é um bom personagem de qualquer jeito.

    E fora os personagens, a historia usa nao só com eles temas como o modo de enxergar a realidade afeta nossas vidas, entre outros, de forma excelente usando elementos e outros personagens também, sempre mantendo alguma tensão em relação ao que ta acontecendo e pode acontecer. E alem disso ele é uma continuação do Innocent Sin, mas com elementos muito próprios, enquanto continua bem a história.

    Acho que minhas unicas criticas é que os vilões aí ficaram menos interessantes do que no anterior, mesmo com nenhum sendo ruim, e na ultima dungeon do jogo ter escolhas que afetam a história, quando faria mais sentido só ser as certas de uma vez. Mas essas coisas afetaram bem pouco minha experiencia, a historia desse bagulho carregou o jogo pra mim, e me marcou muito. É uma dessas que eu vou sempre lembrar de algum jeito.

    O gameplay infelizmente continua ficando longe da qualidade da historia. E eu inicialmente tinha ate achado que tava piorando mais do que melhorando, porque o grind é maior com o jogo tendo piorado o contact quanfo ja nem ers bom antes, e as dungeons aí sao mais frustrantes com o IS ja tendo problema com isso. Mas fora isso, o jogo adiciona coisas interessantes, agora da pra registrar as spell cards que se acha pra poder comprar depois, onde no IS voce só acha elas pelo mapa, você pode conseguir cartas bem fortes mapeando as dungeons, adicionaram uma spell chamada estoma que diminui ou ate pode anular encontros aleatorios dependendo do seu level(o que me salvou de morrer de radio em uma dungeon aí), tem um sistema de craft, embora infelizmente nao tenha ficado muito bom, voce pode achar pessoas pelo mapa pra conseguir dinheiro, tem mais cartas que servem pra criar personas que são bem fortes, e nesse jogo eu vi mais motivo pra criar personas diferentes, fiz varias durante o jogo. E uma das principais dessas melhorias é que melhoraram o sistema de rumores, sem ser só pra conseguir equipamento em loja. Aí as lojas foram muito mais equilibradas, e eles dão muito mais efeitos diferentes.

    Mas infelizmente essas coisas novas não corrigem coisas de antes, o sistema de fusion spells continua nao sendo muito intuitivo fora das spells de ataque mais principais, as mutações pra conseguir habilidades e modificação de persona continuam sendo aleatorias desnecessariamente, as dungeons como eu disse deram uma piorada, o menu continua meio ruim, e o contact ficou pior ainda. Mas as melhorias fizeram eu aproveitar um pouco mais do que o Innocent Sin.

    O grafico continua bom, mas acabaram reutilizando muita coisa do IS nos cenarios. Mas teve cenarios novos que ficaram legais, principalmente da ultima dungeon. E a trilha sonora acabei nao achando tão boa quanto do Innocent Sin. Ela reutiliza varias musicas dele, o que por um lado é bom porque são ótimas, mas podiam ter feito mais novas, e a maioria das novas não achei tão boas quanto a maioria do innocent sin. Mas de qualquer jeito é boa, as de mapa são todas bem legais, algumas de dungeon também, e tem a Change Your Way nos créditos, que faz você tomar a red pill da Maya.

    O gameplay é o mais importante em qualquer jogo que nao seja uma visual novel ou jogo tipo heavy rain, e por mais que o desse seja bom, tem problema demais. Mas a história me marcou tanto que por isso chega a ser um dos meus favoritos, é possível isso acabar carregando um jogo.

    15
    • Micro picture
      manoelnsn · 29 days ago · 1 ponto

      Boa, parabéns por ter zerado!

      A história desse jogo é incrível mesmo. Vejo tanto jogo japa endemoinhando adultos e colocando adolescentes como os santos puros e castos (como Persona 3 e 5 fazem, além do Wild Arms 4 que eu joguei recentemente), mas este coloca justamente os adultos no palco principal. E não demoniza o Tatsuya por ele não ter conseguido seguir com a mudança da linha do tempo, eles tratam ele como um jovem que cometeu um erro e que precisa ser guiado por adultos responsáveis, e é sensacional.

      O gameplay é zoadinho mesmo, não tem o que fazer. Essa foi a única característica da série que melhorou com a entrada do Hashino...

      4 replies
  • 2022-07-10 15:28:39 -0300 Thumb picture
    _fernando checked-in to:
    Post by _fernando: <p>Eu terminei esse bagulho ha umas 2 semanas e nao
    Persona 2: Innocent Sin

    Platform: Playstation
    253 Players
    25 Check-ins

    Eu terminei esse bagulho ha umas 2 semanas e nao fiz check-in por preguiça. Aí como ja to quase no fim do Eternal Punishment tive que fazer agora, se nao eu ia falar só do EP por preguiça ou se eu fosse falar dos dois seria mais coisa ainda pra falar.

    O final desse bagulho foi do caralho, eu adorei como esse jogo usa os temas e os personagens, absolutamente todos do grupo são muito bons, e as relações entre eles são excelentes, e todos tem desenvolvimento. As cenas aí pras ultimas dungeons em que os desenvolvimento do Eikichi e da Lisa são concluidos sao algumas das minhas favoritas do jogo por exemplo. E o conceito em volta do vilão é incrível, um dos motivos do final ter virado meu segundo ou terceiro favorito de qualquer jogo é em grande parte por causa dele, os diálogos nessa parte são muito bons. Acho que minhas únicas criticas em relação a história é como tem uns vilões que eu achei terem ficado meio jogados de lado, e o Tatsuya acabar sendo mais esquecível que o resto do grupo aí ja que o cara é mudo, mas eu gosto dele tambem porque meio que tem uma explicação pra ele ser assim, mas o que eu mais critico nao é bem isso, e sim que tem partes em que exploram os problemas pessoais dele, e tem uma ideia interessante em volta disso, mas a conclusão acaba nao sendo bem explorada como em outros personagens do grupo. Mas acho que é só isso mesmo, a história desse bagulho é excelente.

    Mas o gameplay infelizmente fica meio longe da qualidade da história. Eu gosto do sistema de fusões, mas ele nao é bem intuitivo, e o contact nao funciona tao bem também. Mas eu gosto como tem varias personas diferentes pra usar, e quando voce cria e usa uma forte ou ganha as melhores é bem legal. Mas de qualquer jeito, diferente do EP eu nem fiz tantas assim, porque ele mesmo no PS1 nao é tao difícil em maior parte(com umas exceções tipo o boss final, esse é dificil pra caralho), e o jogo ja te da logo as melhores mesmo. 

    As dungeons tem umas que acho tranquilas, mas tem umas filhas da puta demais, nenhuma é tao ruim quanto o bomb shelter, mas tem outras que me incomodam também, ainda mais porque a taxa de encontro é alta. 

    O sistema de rumor eu inicialmente tinha gostado, mas ele em maior parte acaba sendo só ir la e dizer que tal loja vende arma ou armadura e só isso mesmo, no maximo aparecer um bicho em uma dungeon pra te dar alguma coisa. Isso é uma das coisas melhoradas no eternal punishment inclusive.

    Apesar dos problemas, eu gostei o suficiente do sistema de batalha e persona pra gostar do gameplay, e o resto nao é tao ruim também.

    Visualmente esse jogo é muito bom, os sprites dos personagens e lugares são muito bons, e o visual das personas acho legal demais. E a trilha sonora é boa demais, só tem umas musicas especificas que acho meio tanto faz, mas tem musicas tipo a do Mt. Iwato, o tema dos nazistas, as de outras dungeons tipo a primeira, e a de creditos que achei marcantes.

    Eu to querendo ver logo o final do Eternal Punishment porque a historia dele ta ainda melhor, vou ver se chego logo

    15
    • Micro picture
      manoelnsn · about 1 month ago · 1 ponto

      Boa! É isso aí: Persona 2 tem um cast muito bom, uma história legal pacas, um final show, mas o gameplay é bem fraquinho mesmo.

      Tatsuya ser mudo é triste, felizmente no Eternal Punishment ele fica falante, mas dão o chá de mudez pra Maya, justamente a mais carismática do Innocent Sin. Como os dois jogos são complementares, dá pra levar de boas, mas seria bem melhor se ambos falassem sempre, com certeza.

      7 replies
    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 1 ponto

      O lance do protagonista mudo é so pra efeito de imersao pq os japa acha que isso te coloca nele ainda que em 99% dos casos o personagem tem personalidade e escolhas predefinidas. Assim como Chrono trigger ou os outros persona ele nao é mudo na historia e da pra ver as reaçoes dele e dos outros nos dialogos.

      1 reply
  • 2022-06-26 12:01:45 -0300 Thumb picture

    Dias 8 e 9

    Vou fazer logo dois, ja que esses dias nao fiz.

    Eu realmente nao lembro de nenhum jogo que gosto que "ninguém" conhece, mas Mega Man 4 de game boy acho que todo mundo que gosta da série pelo menos ouviu falar, mas ignorou, e da pra entender.

    As versões de game boy do 1 e 2 são ruins pra caralho, e o game boy em geral pra mim nao tem uma biblioteca de jogos bons em geral. Mas tanto Mega Man 3 quanto o 4 acabaram sendo versões alternativas decentes, principalmente o 4. Teve mudanças legais de level design, umas no gameplay, e nao tem tantos momentos filho da puta

    Eu ja coloquei Tales of the Abyss como jogo favorito, então vou colocar o segundo RPG favorito, que é Final Fantasy VI provavelmente.

    Eu acho que o gameplay do IX quase supera o do VI, mas a quantidade de personagens com mecânicas unicas do VI, a nao lineariedade do world of ruin, e a história fazem eu gostar um pouco mais desse, e tem uma importância grande pra mim também, ja que foi o primeiro RPG em turno que joguei 

    Mega Man IV

    Platform: Gameboy
    292 Players
    18 Check-ins

    9
  • 2022-06-23 19:42:18 -0300 Thumb picture
    _fernando checked-in to:
    Post by _fernando: <p>Não sei dizer em quanto % to no progresso, mas p
    Persona 2: Innocent Sin

    Platform: Playstation
    253 Players
    25 Check-ins

    Não sei dizer em quanto % to no progresso, mas parei onde pela primeira vez troca um dos personagens no grupo, de forma bem inusitada.

    Fazia muito tempo que eu não jogava alguma coisa com uma história tão braba assim, eu to gostando do gameplay, mas isso tá quase que carregando de tão boa que é. Todos os personagens do grupo são interessantes e carismáticos, menos o Tatsuya nesse ponto, ja que o cara não fala, mas por outros motivos ele é interessante também, e todos tem desenvolvimento e tem conexão importante com a história, de forma incrível, aquela parte no Mt. Iwato e essa em que um dos personagens do grupo muda foram as melhores partes do jogo até agora. E voce ainda tem que matar nazista no jogo, quer que seja melhor?

    O gameplay tem problemas, a maioria das dungeons não são ruins, mas as vezes fazem um labirinto desnecessário nelas, e teve aquela toda aleatoria la pro começo do jogo que é horrível, nao tem nada de positivo naquilo, e é verdade quando dizem que os menus são ruins, depois eu ate acostumei, mas eles ainda assim deixam as coisas mais lentas.

    Porém tem mais positivos que negativos, o sistema de persona e fusion spells é legal demais, da pra variar muito no que você usa, e quase tudo é viável, ja que ate agora o jogo nao foi difícil, só teve uma ou duas lutas de boss extremamente difíceis. Mas agora que consegui as ultimate personas acho que nem vou variar muito no que uso, mas nao que isso seja negativo também. 

    O sistema de rumor eu gostei no início, mas ate agora em maior parte serviu mais pra... Colocar equipamento nas lojas eu acho, espero que melhore isso.

    Como eu disse, eu to gostando do gameplay mas a história disso é braba demais e é o que mais ta fazendo eu jogar, espero que continue assim 

    23
    • Micro picture
      jcelove · about 2 months ago · 2 pontos

      O port do PSP melhora bastante a interface e balanceamento, os gráficos, coloca novos portraits e um modo extra, além de ter a opção da ost remixada pelo meguroi (nesse caso a original é melhor, mas tem a opção.hehe).

      O sistema de rumor basicamente é pra fazer side pra arma e demon mesmo, depois d aparte do Joker.

      A história é muito bacana, cheia de reviravoltas legais e um final que me deixou maluco pra jogar o eternal punishment na sequencia.

      3 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 months ago · 1 ponto

      A vantagem de Persona 2 IS é a história mesmo. O gameplay ainda é bem fraquinho, na versão do PSP melhoram algumas coisas, mas facilitaram demais também.

      Quanto ao Tatsuya não falar, não esquenta que no jogo seguinte, o Eternal Punishment, ele fala e a Maya vira a protagonista muda XD

      1 reply
  • 2022-06-23 19:19:35 -0300 Thumb picture

    Dia 7

    É meio dificil escolher isso, mas acho que o primeiro Mega Man X.

    Apesar de ainda não ter jogado todos os jogos principais, Mega Man é de longe minha franquia favorita, contando a série clássica, X e Zero. Mega Man X4 e Zero 3 até chegam perto como 1° lugar pra mim na franquia, mas X1 pra mim é quase impecável, level design excelente em quase todas as fases, jogabilidade rápida e com várias armas diferentes pra usar, e que pra mim são as melhores armas da franquia, exploração, e tudo que geral já falou sobre esse jogo. É um dos poucos jogos que eu quase dou 10/10, e ja terminei no minimo umas 100 vezes sem me cansar, e provavelmente nunca vai cansar.

    Eu ate pensei em colocar Zelda a Link to the Past aí, mas como eu disse, ja terminei esse bagulho aí pelo menos 100 vezes e nunca vai me cansar

    Mega Man X

    Platform: SNES
    11069 Players
    235 Check-ins

    17
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 months ago · 1 ponto

      Megaman X1 é duca demais, pqp

    • Micro picture
      vante · about 2 months ago · 1 ponto

      Brabo!

  • 2022-06-22 19:09:56 -0300 Thumb picture

    Dia 6

    Eu teria que repetir Tales of the Abyss pra esse, até o momento é de longe minha historia favorita de qualquer jogo, mas pra dar espaço pra outro acho que coloco Final Fantasy VI em segundo.

    Eu não acho Final Fantasy VI tanto em gameplay quanto em historia muito superior ao VII ou IX como um pessoal fica querendo dizer que é, e não acho perfeita, mas sem dúvida me marcou muito. O cast é um dos meus favoritos de qualquer RPG, a história já começa boa e a cada parte melhora, os momentos de tensão realmente dão tensão pelo que vai acontecendo e porque acho impossível não me importar com os personagens, as interações que tem entre o grupo são ótimas, personagens sendo principalmente Celes, Terra, e Locke tem ótimos desenvolvimentos e mesmo os que não tem são carismáticos(inclusive Umaro o mais brabo), e eu acabo concordando com quem diz que o Kefka é o melhor vilão da série, até o momento, embora o Sephiroth até chegue perto pra mim. Realmente acho impossível negar que esse jogo tem vários momentos incríveis, e que usa os temas da história de forma linda.

    Mas aliás isso acaba indo mais pra versão de GBA, eu realmente me incomodo com a localização no SNES

    Final Fantasy VI Advance

    Platform: Gameboy Advance
    1075 Players
    222 Check-ins

    15
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...