2018-08-16 12:25:57 -0300 2018-08-16 12:25:57 -0300
seanmasters Rafael

​Dossiê - O meu Wii

Daqui alguns meses completa 10 anos que possuo um console Nintendo Wii. Por mais incrível que pareça, é o console que mais jogo atualmente e a minha principal máquina para retrogames (desculpe SNES Clássico).

Entre anos de jogatina, festas com amigos e vários acessórios comprados, meu Wii acumulou arranhões, poeira, histórias malucas, divertidas e tristes. E é justamente sobre isso que gostaria de falar, sobre a importância desse console por quase uma década.

2009 - A realização de um sonho.

Em 2006, quando o Wii foi lançado, eu não ganhava o quanto gostaria e era um jovem cheio de sonhos, ainda na casa dos 20. O Wii, ao lado de uma motocicleta e uma namorada (dou risada disso), eram meus objetivos de vida.

Na época, empolgado com Metroid Prime 3 - Corruption, o Wii me parecia o console ideal, era tudo que eu precisava. Uma pena que tive que esperar 3 anos até botar as mãos em um. Isso ocorreu em meados de junho 2009, quando um colega importou o mesmo dos EUA, não gostou, e me vendeu o aparelho.

Apesar da empolgação com Corruption, em 2009 o Metroid da vez era o Other M, um game que me parecia fantástico em todos os aspectos. Curti muito o enredo e gostaria de ver mais um Metroid assim, apesar de os fãs mais fervorosos terem odiado.

Pra falar a verdade, até hoje não terminei boa parte da biblioteca original do Wii, incluindo o Corruption. A maioria dos jogos não me interessou muito, o sistema online do VG não era confiável e poucos games chamaram minha atenção de verdade.

New Super Mario Bros Wii, Metroid Other M, Super Mario Galaxy, Zelda Skyward Sword, os Remakes de Resident Evil e, principalmente, Xenoblade, foram os games que me fizeram perder horas a fio no console. Mesmo que essas horas tenham sido limitadas entre 2009 e 2011, quando ainda cursava a faculdade.

De toda forma, ter um Wii era um sonho, ainda mais com a facilidade de seu desbloqueio.

Destravando o Wii.

Um dos motivos da minha opção pelo console na época, foi a facilidade em destrava-lo para rodar backups. Sem dinheiro, cursando faculdade e com muitos gastos externos, a grana para jogos ficou curta nessa época, restando a opção de destravar o Wii através de tutoriais na internet.

De cara já me aventurei, mesmo com um medo terrível de brickar o console, não gastei mais que uma noite de pesquisa, um SD e um pendrive de 8GB para instalar o homebrew e alguns jogos. Passei muito sufoco, fiz coisas erradas, tive que repor bios, e sempre que saía um game novo, era uma luta em fóruns na internet, tentando entender a linguagem complicada da programação usada. Não virei um expert, mas adquiri experiência o suficiente para manter o console vivo, sem maiores danos e com os melhores jogos.

A era dos controles de movimento

Se o Wii trouxe uma inovação, foram os controles de movimentos. Eu apreciei muito essa funcionalidade, apesar de algumas ressalvas que vou fazer abaixo, alguns jogos me cativaram pra valer.

Fora o Wii Sports, o jogo Michael Jackson: The Experience, foi minha primeira grande febre com o Wii, me introduzindo no mundo do Just Dance. Acompanhei a série do Just Dance 2 ào 2015, passando pelos excelentes Just Dance 4 e o maravilhos Just Dance 2014, o meu favorito.

Nesse meio tempo, o Wii era parte fundamental para qualquer festa ou evento aqui em casa, ou na casa de amigos entusiastas. Se tinha um churrasco, tinha Just Dance. Era lei.

Acho que fizemos um bem enorme pra saúde na época.

O problema dos gráficos

Se o Wii era divertido, não tínhamos dúvidas, mas ele não era o console mais bonito na tela: bem na época de explosão das telas 1080p com entrada HDMI, o Wii e seu humilde hardware, soletrava uma resolução de 480p (ou menos) na maioria dos jogos. Isso usando o seu melhor cabo, um vídeo componente com qualidade analogica, do qual algumas TVs modernas nem aceitam mais.

Fato: fora os games caprichados para Wii, produzidos com entusiasmo pela Nintendo, a maioria dos jogos tinha uma qualidade gráfica abaixo da média da época. E isso me fez desistir de dar chance a aclamados jogos, como Pandora Tower, Mad World e Last Story.

Em 2011 eu já tinha um computador que “rodava” liso a 1080p e 60fps, fora o Xbox 360, que estava em sua melhor fase. A comparação era desleal. E os jogos originais para Wii perdiam no visual, grandiosidade, IA e jogabilidade.Afinal, estamos falando de processamento superior dos concorrentes.

Mesmo assim, algumas empresas se superaram, como o caso de Xenoblade, um dos melhores RPGs, se não o melhor da geração.

A vantagem dos gráficos

Se esse mundo dá voltas, o Wii girou com ele: com a onda retrogames da atualidade, nenhum console já lançado possui tanta qualidade para a reprodução de jogos clássicos como o Wii. O Virtual Console do Wii, dominado pelos wads no destravamento, possui um acervo fantástico e uma qualidade, por vezes, até superior que a original. Uma vez que o console teve jogo por jogo adaptado ao hardware, sua emulação é perfeita e a saída componente se encaixa perfeitamente para as TVs de tubo, tão amadas pelos old gamers. Visto que não é possível obter a mesma qualidade nas TVs atuais, mesmo com a compra de cabos e decodificadores de sinais, o input lag, ainda é um problema.

Claro que não existem todos os jogos no Virtual Console, porém, ainda é possível instalar emuladores e até mesmo o RetroArch no Wii. Aliás, nenhum Raspberry Pipossui saída analogica para TVs de tubo. Mais um ponto pro Wii.

O problema do controle

Existe um problema extremamente perturbador no Wii: controles. O maior defeito do console é simplesmente ele não vir com um controle clássico de fábrica. Aliás, problema muito maior que o aparelho não possuir uma saída HDMI. Acredite.

Se há um ponto onde a Nintendo errou, ou tentou forçar a barra demais, foi na limitação do Wii Remote, como controle exclusivo na caixa do console. O mundo seria mais simples se o controle clássico fosse atrelado ao Wii Remote, mais ou menos como nessa imagem apresentada pela IGN em 2006.

A falta de um controle clássico traz um custo extra ao comprador do console. Pior, o controle clássico era ligado ao Wii Remote, fazendo que, para cada controle clássico extra, fosse necessário um Wii Remote adicional.

Mais a maior sacanagem da Nintendo, na ambição do seu corte de gastos, foi fazer o Wii Remote simples até 2009, para depois lançar o Wii Remote PLUS, como adaptador e, posteriormente, como um controle mais eficiente.

Pior ainda o caso do controle clássico, lançado em um formato mesquinho no início, evoluindo para um gamepad de verdade posteriormente. Tudo por falta de estratégia (ou será que não?), fazendo com que você gasta-se muito para ter um set de controles funcionais.

Ah, e lembrando que todos esses controles são MUITO CAROS, fazendo com que o mundo ficasse entupido de clones chineses, com funcionamento duvidoso.

Um dos caminhos era usar um controle de GameCube, caso você tivesse um, uma vez que o Wii é 99% compatível com o console anterior. Mas ainda assim, há um problema GIGANTESCO de layout, principalmente para os jogos clássicos que não permitem o mapeamento de botões.

Resumindo a ópera: quer usar um Wii de forma confortável? Compre um Wii Remote Plus (já embutido) e um controle clássico original do modelo 2.

O meu Wii hoje

Após contornar vários problemas, comprar diversos acessórios e me conformar com alguns fatos, me sinto confortável em ter um Wii nesse momento.

Meu Wii hoje está ligado a um cabo componente na TV de LED 40, na sala, além de um segundo cabo de  vídeo, conectado à uma TV de 29 polegadas de tubo.

A TV de tubo leva vantagem nos games em 2D, a maioria dos meus jogos, devido a proporção da tela e ao tempo de resposta. Games em 3D ou com aspecto 16:09, ficam melhores na TV de LED, apesar da exposição dos serrilhados.

Um destaque aqui fica para os jogos de GameCube, muito possuem a função de Scan Progressivo e 16:09, melhorando e muito a imagem. Curioso notar como alguns jogos de GameCube são melhores que os de Wii: dois deles, Zelda Twilight Princess e os dois Metroid Prime, tem aspectos e efeitos melhores nas versões de GameCube. Isso de forma perceptiva, não vi nenhuma análise técnica pra isso.

Abaixo listei os acessórios que tive e tenho, seguido de considerações:

Controle de GameCube (com fio): ótimo para alguns jogos e GC, perde a flexibilidade por possuir fios.

Controle de GameCube Wave Bird: a melhor opção pra jogar GameCube e alguns jogos clássicos. A falta de vibração pode incomodar, assim como o layout no Virtual Console.

Adaptador Wii2hdmi: se você precisa usar numa TV que só possui HDMI, compre um desse, caso contrário use o vídeo componente. Esse aparelho deixa a imagem com aspecto de lavada e o som pode ficar estourado em alguns jogos. Testei dois destes.

Cabo Componente: compra obrigatória! A melhor e mais barata opção para uma excelente qualidade de imagem. Como é quase impossível achar um original com preço decente, use um paralelo. Os meus estragaram com tempo e já estou no terceiro.

Fonte bivolt: a energia na minha região é 220v, então, nada pior que depender de um transformador de energia.

Memory Card de GameCube: você vai precisar para salvar os jogos de GC. É a única coisa que restou de meu console, vendido em meados de 2008.

SD de 4GB (suporta até 32): o SD é a leitura mais rápida do Wii, você vai precisar de um para armazenar os jogos de Virtual Console e os aplicativos do Homebrew. O que uso veio no 3DS e há espaço de sobra para os jogos clássicos e Wiiware.

HD de 320GB: É onde guardo os backup de jogos de Wii. Se não me engano, o console suporta HDs de até 500gb, ligados na saída inferior.

Pendrive de 32GB: Ligado na USB superior, é onde armazeno os backup de GameCube.

Par de adaptador de controle (PS2 para GameCube): pensei que estava fazendo um negócio da china ao adquirir esses adaptadores, eles são bons sim, mas os controles de PS2 (que são baratos), não se dão bem com todos os jogos de GameCube e também fica com um layout estranho em games clássicos. Uso como segundo controle para games de luta.

Controle de PS2: um controle de PS2 original custava a pechincha de R$ 50,00 novo. Isso até 2013. Hoje em dia é mais difícil de encontrar.

Bolsa para carregar o Wii: o console possui um monte de cabos e jogar tudo numa mochila comum pode ser uma dor de cabeça. Então, pra levar o Wii na casa de amigos, adquiri essa bolsa personalizada por uma pechincha.

Par de Controles com Plus inside: Se seu Wii é de 2008 ou menos, provavelmente ele veio com o primeiro controle padrão. troca-los ajuda na melhoria da sincronização e há uns modelos bacanas atuais. Aliás, vi muitos controles antigos pararem de funcionar.

Controle Clássico original (segundo modelo): só consegui comprar esse controle quando fui a São Paulo, neste ano. Hoje é raro ver o mesmo, original a venda. Se achar um compre, pois é o controle mais maravilhoso que existe para o Wii. O fim de 90% dos problemas do aparelho.

Jogos

O mais difícil em criar uma lista de jogos emulados ou por backup, quando se tem tantas opções e incertezas de funcionamento, é o tempo que você gasta testando e selecionando os arquivos.

Gastei anos para chegar na minha lista ideal, testando combinações possíveis e pegando games que eu realmente ia jogar.

Apesar de você poder ter TUDO com a emulação, é idiotice pensar que tudo vai rodar perfeito, sendo que às vezes você tem que desistir de certos jogos ou sistemas. Como foi o caso do Playstation, que me deu um trabalho terrível e resultou em uma emulação porca e cheia de defeitos. Descartado.

Segue minha lista de jogos no Wii (aqui).

Como possuo um Super Nintendo Classic Edition, deixei alguns clássicos RPGs somente nele. como Chrono Trigger, Super Mario RPG e Secret of Mana.

Obrigado por ler, entre em contato caso tenha alguma dúvida sobre o Wii. Abraços.

Wii Sports

Plataforma: Nintendo Wii
3401 Jogadores
22 Check-ins

49
  • Micro picture
    mastershadow · 7 meses atrás · 2 pontos

    WII é foda mesmo. Uso ele ligado no componente,minha estação retrô com diversos emuladores,jogos de game cube rodando pelo HD e de WII também. Console perfeito pra retrogamers!

  • Micro picture
    yon · 7 meses atrás · 2 pontos

    Não tem limite pro uso de HD externo ou SD pra ele..
    E com o Nintendon't, ele salva os jogos de GC direto no HD/SD. O uso de MC não é necessário mais. Assim como o uso obrigatório do controle de GC. (Mas vc tem um fucking wavebird lindão, então fodas kk )
    Uso atualmente um de 500gb, que cabe de tudo, fullsets de consoles antigos, todos jogos de VC e WiiWare, os jogos de Wii e GC que me interessam..
    E realmente, Wii pra mim é indispensável. Tem ótimos emuladores, ótima compatibilidade e é o único hardware mais atual que joga imagens em 240p pra TV, resolução original dos jogos mais antigos.

    2 respostas
  • Micro picture
    manoelnsn · 7 meses atrás · 1 ponto

    Relato legal, cara! Meu primeiro console da Nintendo foi o 3ds, seguido de um snes com flashcard e só depois e atualmente um Switch. Mas tenho muita curiosidade com muitos títulos do Wii/Cube e ainda estou esperando a Nintendo lançar eles em alguma coletânea... Ou eu melhorar meu pc pra jogar eles no dolphin

  • Micro picture
    danilodlaker · 7 meses atrás · 1 ponto

    Ótimo post! Comprei um wii essa semana e estou amando o console! Não sabia desse Wii Mote Plus, já vou comprar um essa semana e um hd externo também!

  • Micro picture
    mardones · 7 meses atrás · 1 ponto

    Confesso que ainda não li o texto todo (40% eu acho) mas é bem legal esse tipo de relato porque nós aproxima enquanto jogadores. O Wii foi o primeiro videogame que acompanhei desde a época de "revolution", lembro como eu ficava babando em cada revista que tinha lago sobre ele, via muitos vídeos num site novo na época (YouTube). Ficava dizendo pra mim mesmo que eu precisava jogar Zelda Twilight Princess antes de morrer. Foi também meu primeiro console pago com o salário do meu primeiro emprego. Vivi e ainda vivo ótimos momentos com ele.

    1 resposta
Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...