thecriticgames

O Bruce Wayne do Alvanista. "BY THE PEOPLE FOR THE PEOPLE"

You aren't following thecriticgames.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2019-02-25 09:43:57 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Know Your Demon #110 Seimem Kongou

    NOME: Seimem Kongou/Shoumen Kongou

    ORIGEM: Mitologia Hindu e Budista.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Ibunroku Persona (Protagonista)

    LORE: Tambem conhecido por Shoumem Kongou, ou Seishoku Daikongou Yasha o mesmo é um Rakshasa um demônio canibal comedor de homens da mitologia hindu que originalmente causava doenças e males aos homens, mas o mesmo se arrependeu de sua natureza e passou a curar os males antes causados por ele. No Budismo japonês o mesmo é tido como uma entidade protetora sem o background demoníaco da mitologia Hindu Sua figura é de grande adoração na religião Koshin japonesa cujas raízes são do Taoismo chines.

    Sua primeira aparição é no texto Darani Jikkyō do século 7. Em algumas versões o mesmo é tido como rei dos Rakshasas ou dos Yashas (espíritos guerreiros da natureza) defendendo pessoas contra demônios e doenças. Sua aparência física é normalmente a de uma criatura de expressão furiosa de pele azul (um reflexo da palidez que o mesmo assume ao tomar as doenças de outros para si próprio curando os doentes) com quatro ou seis braços portando quatro itens em suas mãos, uma vajira de três pontas (Kongousho), um cajado (shakujou), um chackram (rinpou) e um laço com um nó na outra mão (kensaku) itens importantes no budismo esotérico, sendo a vajra um simbolo do poder indestrutível do budismo, o cajado uma ferramenta de cerimonias que serve de arma contra o mal, o chackram um simbolo dos ensinamentos de Buda e o laço uma ferramenta de caça representando o poder sob o mal e os demônios.

    Normalmente o mesmo é retratado acompanhado de dois serviçais na forma de dois garotos, ou de quatro demônios que o servem, ou ainda é visto na companhia de um galo e de uma galinha, quando não dos três macacos sábios mizaru, kikazaru,iwazaru (não vê mal, não ouve mal, não fala mal).

    APARIÇÕES EM OUTRAS MIDIAS:

    Dentre os Aragamis, as criaturas da saga de jogos God Eater o Kongou é um tipo de Aragmi cuja nomenclatura é inspirada pelo Seimen Kongou, há inclusive o Rakshasa Kongou que se inspira no aspecto de Rakshasa de Seimem Kongou.

    by @thecriticgames

    Shin Megami Tensei: Persona

    Platform: PSP
    439 Players
    140 Check-ins

    24
    • Micro picture
      1977rider · about 2 months ago · 2 pontos

      Primeira vez que vejo essa arte. A arte do Kaz e incrível

      1 reply
  • 2019-02-24 17:18:11 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Boost PS4

    Alguém  pra boost nos troféus cooperativos do jogo? Faltam apenas dois pra mim, mas posso ajudar quem estiver precisando dos outros.@platinadores @multiplayers 

    Rise of the Tomb Raider

    Platform: Playstation 4
    582 Players
    117 Check-ins

    19
    • Micro picture
      thecriticgames · about 2 months ago · 2 pontos

      compartilhando pra dar aquela ajudada

  • thecriticgames Matheus Pontes
    2019-02-24 16:18:10 -0300 Thumb picture
    Post by thecriticgames: <p>O ultimo dos Contras de NES e o ultimo Contra qu

    O ultimo dos Contras de NES e o ultimo Contra que jogarei por enquanto, é bacaninha e tals mas trabalhoso e desinteressante comparado ao III e esmo aos de NES, por ser do fim da vida do console ele era bem avançado mas mal programado sofrendo slowdowns e flics toda hora, mas nada que impeça o jogo de ser bom, ele é, só não é melhor que os outros jogos até então (que o Operation C talvez).

    OBS: Os chefes são bem sem graça, ainda sim esse dai foi marcante o suficiente pra conseguir uma arte própria :v

    Contra/ Arc Hound

    Review by: @thecriticgames

    O ano é 1992, com o lançamento do SNES no japão em 1990 e nas Américas e outros lados em 1991 alem do Mega Drive em 1988 fizera...

    Keep Reading →
    18
    • Micro picture
      neilson1984 · about 2 months ago · 2 pontos

      O que acontece é que originalmente, este game não era para ser um jogo da série Contra, ele ia ser lançado no Japão com o nome de Arc Hound ia ser até porque sua versão japonesa foi cancelada.

      1 reply
  • 2019-02-22 19:23:49 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Know Your Demon #109 Naga

    NOME: Naga

    ORIGEM: Mitologia Hindu, budista e jainista.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei (NES).

    LORE: Palavra em sânscrito para se referir a cobras e serpentes, a mesma denomina nas religiões citadas seres meio serpentes, divinos ou semi-divinos que residem no Patala, o submundo e que podem ocasionalmente assumir forma humana sendo esta geralmente uma forma humana com serpentes enroladas no pescoço, alem desta forma o mesmo pode ainda assumir a forma de serpentes ordinárias e a característica forma meio homem-meio serpente.

    A femeá da naga é conhecida como nagi ou nagini e o rei dos nagas e naginis é o nagaraja. No hinduismos são tidos como uma raça semi-divina poderosa, orgulhosa e maravilhosa e vivem no submundo encantado, este repleto de joias chamadas Naga-loka ou Patala-loka. São guardiões da água, rios, lagos e seus poderes e venenos são perigosos para os mortais mas não são malévolos, seus inimigos mortais são os garudas, seres meio homens e meio pássaros.

    No Budismo a naga as vezes aparece com uma unica cabeça mas muitas vezes com varias, e algumas são capazes de se transformarem em humanos com seus poderes mágicos. É creditado que nagas vivem no Monte Meru uma montanha sagrada de cinco cumes da cosmologia Budista assim como outras entidades menores, é dito também ter nagas aquáticas em lagos e as nagas terrestres que habitam cavernas subterrâneas. São essencialmente seguidores de Virupaksa, um dos 4 reis sagrados e a pedido dele defendem os Devas que habitam o Monte Meru dos Asuras.

    Nagas tem participação e importância em outras localizações como na Indonésia e no Camboja.

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    Nagas são haitantes do plano de Tarkir em Magic, The Gathering.

    Nagas marcam presença como criptidios no desenho Sábados Secretos.

    Nagini de Harry Potter é a serpente que serve a Voldemort, a mesma como é revelada em Animais Fantasticos é uma humana amaldiçoada com aforma de cobra podendo antes da maldição tomar conta alternar entre ambas as formas

    Nagas são uma das raças da horda em Warcraft 3 e em jogos subsequentes. créditos a @vinicios_santana_3 .

    Deis de Brath of Fire é uma personagem naga que aparece na franquia Breath of Fire. créditos a @manoelnsn

    Nagas tambem marcam presença no MMORPG  Perfect World como inimigos. créditos a @batatadark

     by @thecriticgames

    Digital Devil Story: Megami Tensei

    Platform: NES
    45 Players
    14 Check-ins

    28
    • Micro picture
      manoelnsn · 2 months ago · 5 pontos

      Faltou mencionar a Deis/Bleu de Breath of Fire :D

    • Micro picture
      vinicios_santana_3 · 2 months ago · 3 pontos

      Nagas são uma importante raça da horda, presentes em warcraft 3 e nos jogos subsequentes.

    • Micro picture
      batatadark · about 2 months ago · 2 pontos

      quando ouço isto lembro de perfect world kkk

      3 replies
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2019-02-20 18:48:07 -0300 Thumb picture
    Post by thecriticgames: <p>Sinceramente pensei que eu nunca iria falar dess

    Sinceramente pensei que eu nunca iria falar desse jogo (e de nenhum jogo mobile), o joguei na Australia na época em que passei a me sentir carente de jogos e só tinha o bom e velho celular pra me acompanhar, eu achava o jogo um coco desde sempre, mas zerei muito pela falta do que fazer, eu ia escrever a critica de outro Contra hoje, mas ele merecia o domingo que é o dia que guardo para jogos mais importantes, hoje foi o dia desse Contra made in china.

    Contra no celular, evolução de poucas qualidades.

    Review by: @thecriticgames

    Contra é, ou era um nome grande no mundo dos games e como vários nomes mais abandonados pelas suas empresas o mesmo recebeu um ...

    Keep Reading →
    18
    • Micro picture
      vinicios_santana_3 · 2 months ago · 2 pontos

      Imagino a frustração de jogar um jogo como contra com controles imprecisos do touch screen.

      3 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · 2 months ago · 2 pontos

      Jogar no touch é um inferno, tu foi herói zerando esse daí

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Será uma manete bluetooth resolveria o problema da jogabilidade?

      2 replies
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2019-02-19 23:51:50 -0300 Thumb picture

    Uma experiencia com Bloodborne, entre tantas outras com games.

    Medium 3704748 featured image

    Esse texto é de puro teor pessoal e as imagens meramente ilustrativas, não são minhas, as vezes é incrível pensar os tipos de emoções  que os games já tiraram de mim e de você, eu sempre gosto de lembrar das lagrimas que tive com Persona 3, das reflexões com Shadow of Colossus, dos momentos de risadas e gargalhadas que tive com Super Mario Bros 3 no modo VS, ou nos momentos de brotheragem que tive em The Great Battle V, são meus jogos mas podem ser os seus e suas emoções aqui, e as vezes é meio foda envelhecer e achar que a gente não ira experimentar mais emoções tão incríveis como as que já teve, e é sempre gratificante se descobrir errado, como foi pra mim.

    Meu background com a saga Souls se resume no Demon's Souls, um dos meus primeiros games de PS3 e um dos meus favoritos, antes mesmo de jogar eu já havia ouvido falar da famigerada dificuldade do jogo, e sem receber spoiler li dicas simples do tipo, prestar atenção nas dicas de outros jogadores e afins e zerei Demons com um gameplay dos mais cuidadosos e meticulosos que já fiz, morri apenas 11 vezes, o que é pouco para um novato jogando a saga pela primeira vez, ainda mais Demons que é tido por uns como o mais difícil. 

    Bloodborne foi o primeiro game que vi no PS4 em trailer a ponto de eu dizer (agora o PS4 merece ser comprado ) no entanto somente agora em 2019 resolvi joga-lo. Assim como Demons eu já sabia das dificuldades, sabia que a filosofia aqui era outra diferente de Demon's e Dark, sabia que deveria esquecer de escudo e de agir na defensiva entre outros elementos, eu o encarei ao lado de um amigo já experiente que havia zerado Blodborne há tempos e que me guiaria nessa jornada lovecraftiana, o resultado tinha tudo para ser um novo Demons para mim com respeito ao desafio.. MAS NÃO eu me ferrei nervosamente com Bloodborne, eu estive morrendo desde o inicio e tentando pegar o mindset do game mas eu era falho ao extremo em minha investida, as 11 vidas que gastei zerando Demon's Souls inteiro foram perdidas apenas em Gascoine, um dos primeiros chefes do game.

    O jogo possui varias mecânicas a qual eu não conseguia me adequar por mais que as entendes-se, por exemplo a pistola, eu faço uso péssimo da arma de fogo, cuja melhor função é atordoar inimigos para realizar o "ataque visceral", no entanto enquanto meu amigo demonstrava uma facilidade imensa de fazer isso com inimigos e chefes eu não conseguia usar um único ataque desses no inimigo mais básico, a arma de fogo não é pra mim, assim como durante o gameplay conheci outra mecânica do jogo que é a de conseguir munição pra pistola a troco de vida -PORQUE DIABOS VOU TROCAR VIDA POR UMA MERDA QUE NÃO SEI USAR, armas de fogo em Bloodborne não são pra mim. A unica mecânica que me era de fácil uso era a de "ser o caçador" contra-atacar inimigos faz você recuperar um pouco de vida e isso aprendi e usei bem, ainda que morrendo muito.

    Não muito distante no game resolvi experimentar a DLC, li como acessava ela, eu a tinha, meu amigo não há havia jogado, eu um novato apanhando do game, ele um jogador experiente, mas sem conhecimento do conteúdo da DC Old Hunter por ter jogado o game antes dela, era algo novo para ambos. Enfrentei alguns dos maiores perrengues do game aqui, inclusive a batalha contra o maldito Ludwig a qual pensei que jamais passaria, então tivemos o encontro com uma das chefes principais da DLC a caçadora Maria. Eu sou terrível em PvP na saga Souls e em Bloodborne não é diferente, ainda sim tentei antes da hora enfrentar Maria e como esperado morri, cheguei a segunda fase dela onde a mesma ligeira espadachim passa a usar ataques de sangue que atingem a distancia (chefes em Bloodborne mudam de estratégia 2 ou 3 vezes por combate a medida que perdem vida, caso você seja leigo como já fui) e consegui contornar um pouco a situação com um item, um osso que ao custo de munição fazia o personagem dar pequenos dashs em forma de fumaça, tal qual um ninja, estiloso e bonito.

    Eis que após 3 derrotas tentei mais uma vez, sem treino e sem objetivo maior, lutando a esmo, não tinha sangue/XP pra perder mesmo e algo, algo me disse na minha cabeça -eu posso vence-la, e quase como num passe de magica, como naqueles típicos clichês de anime onde o protagonista descobre um poder novo bem na batalha contra seu arqui-inimigo eu transitei do noob ao mestre na arte de "stunnar" a chefe com a pistola para dar o ataque visceral, fiz isso 3 vezes seguidas e até meu amigo olhou incrédulo, eu estava lutando de forma diferente, não apenas venci a primeira fase dela, como alcancei a segunda estratégia dela com os ataque de sangue, e ao custo de muitos itens de cura alcancei a terceira onde os ataques eram de sangue e fogo causavam um dano imenso eram rápidos e pegavam quase toda a tela, logico que na segunda fase eu já não estava mais stunnando ela com as balas e usei a munição restante com o osso do teleporte. Chegar até a terceira fase já era uma vitoria, eu ja podia morrer, não tinha problema algum, eu não tinha mais munição e só tinha 3 itens de cura, mas eu tive a ideia inusitada, disse a meu amigo -TENHO UM PLANO e ele me viu atônito correr da chefe recebendo um golpe pelas costas e perdendo mais vida, eis que me afastei dela após muita corrida, sacrifiquei minha vida a troco de munição (a maldita mecânica que jamais pensei em usar!!) usei o que tinha sobrando de itens pra me curar, e ali com umas poucas balas suficiente pra usar o osso do teletransporte mais uma vez o ativei e fui pra cima da mesma com o que tinha de melhor. 

    O que tivemos na tela, imagino na cabeça do meu amigo foi uma dos duelos de espada mais meticulosos e ágeis que vimos ali no jogo sem deixar de ser tambem uma troca brutal e incessante de porradas entre dois adversários, tudo era rápido, incessante e calculado ainda sim, só fiquei vivo por conta da bemdita mecânica do caçador que me fazia recuperar parte da vida ao contra-atacar, a vida da Maria para meu desespero não descia mais independente dos ataques, desviei com o poder do osso ainda ativado e com nós dois grudados no canto da sala espremidos desferi sem estratégia alguma uma saraivada de espadadas ao mesmo tempo que ela, curando migalhas da minha vida e deixando ela algumas vezes sem ação, a minha estamina zerou, sem estamina você não esquiva, não ataca, não faz nada alem de andar a esmo, ela preparou um ataque de dois hits já conhecido, curto e rápido o golpe não podia ser parado, e ela o usou quando eu dei o ultimo golpe da minha estamina e com nada de vida e de itens, apenas apertei incessantemente o botão de esquiva com a estamina vazia e ouvi o "aaaah" de desanimo ser dito por meu amigo. Meu personagem, Caleb é seu nome, desviou com o teleporte do osso nos últimos segundos de efeito e reapareceu dando o golpe final segundos antes de receber o que seria o próximo golpe de Maria e único necessário pra mata-lo. O comodo foi tomado por gritos meu e de meu amigo, parecia até uma comemoração de vitoria na copa, quase quebrei o controle na emoção que foi enorme e não foi apenas de vitória dificil de ser alcançada, meu amigo olhou pra mim e comentou sobre a estratégia que tomei sacrificando vida em troca de munição para usar o osso, ele disse - isso foi uma estratégia de caçador, eu finalmente e do modo mais difícil havia alcançado o mindset de Bloodborne, meu batismo de caçador de Bloodborne foi ali, e dali em diante nada nem nenhum chefe foi tão difícil que eu não olhasse pensando -eu posso vence-lo.

    Bloodborne

    Platform: Playstation 4
    2331 Players
    988 Check-ins

    40
    • Micro picture
      hard_frolics · 2 months ago · 4 pontos

      Salvando aqui pra ler amanhã. :)

      3 replies
    • Micro picture
      luis_fajardo · 2 months ago · 2 pontos

      Cada vez sou menos paciente com games difíceis, me tornei um jogador acostumado a save states e cheats diversos, a vida adulta tira o tempo para insistir em morrer e tentar novamente infinitamente, mas sei o quanto é glorioso virar/detonar/zerar/terminar um desses ferrados jogos.

      1 reply
    • Micro picture
      artigos · 2 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

      1 reply
  • 2019-02-18 18:35:10 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Know Your Demon #108 Anúbis

    NOME: Anúbis

    ORIGEM: Mitologia Egípcia.

    PRIMEIRA APARIÇÃO: Megami Tensei (NES).

    LORE: Deus Egípcio da mumificação e da vida após a morte, representado como uma criatura humanoide com cabeça de lobo (mais especificamente o lobo dourado africano) ou um chacal. Sua pele escura representava a vida e a regeneração sendo a cor do solo do Rio Nilo.

    Filho de Néftis e Set (ou Osíris em algumas versões) nos textos do Novo Reino do Egito, ou de Rá nos textos do Antigo Reino do Egito, o mesmo tinha como esposa Anput, a deusa dos funerais e da mumificação e tinha com ela uma filha Kebechet, deusa do liquido de embalsamento. Apesar de ser um dos deuses mais famosos do Egito Anúbis não possuía menção nos mitos egípcios.

    Anúbis possuía vários papéis na cultura egípcia, como protetor de túmulos, cemitérios, embalsamento, e como psicopompo, sendo um guia de almas (papel por vezes realizado por Hathor) o mesmo guiava as almas dos mortos até o submundo do qual ele era o senhor, também denominado Duat (há textos que dizem que após a morte de Osíris este passou a ocupar o cargo de senhor do submundo). Anúbis tinha como um de seus títulos o de “guardião da balança” pois usava uma desta para pesar a alma dos mortos (sob a forma de um coração) com o Ma’at (o conceito de justiça, dignidade, bondade e outros nobres valores sob a forma de uma pena de pavão). Caso o coração pesasse mais que a pena a vítima seria devorada por Amit, uma terrível demonia com cara de crocodilo que habitava o lugar, caso a pessoa se provasse na balança alguém digna a mesma ascenderia ao Duat em uma forma sagrada.

    APARIÇÕES EM OUTRAS MÍDIAS:

    Anúbis marca presença no filme Deuses do Egito, o mesmo desempenha um papel neutro mas considerável no filme, se mostrando capaz inclusive de barrar temporariamente a destruição de submundo por Apep.

    Anúbis é jogável no MOBA Smite.

    Anúbis é o vilão principal do filme Yu-Gi-Oh! A Pirâmide de Luz, possuindo tanto uma forma humana com um tesouro similar ao Enigma do Milênio como uma forma monstruosa de Deus Egípcio.

    Anúbis marca presença em Assassin’s Creed Origins como um chefe.

    Anubis é um dos deuses em Age of Mythology, créditos a @vinicios_santana_3

    Anubis marca presença no filme O Escorpião Rei com sua trupe de soldados, créditos a @vinicios_santana_3 

    Anúbis tambem marca presença no game War Gods, créditos a @avmnetto

    Em Bey Blade Metal Fury o personagem Yuki Mizusawa é dono da Beyblade Mercury Anubius cuja fera bit é o Anubis. créditos a @ocamarubres


    by @thecriticgames

    Assassin's Creed Origins

    Platform: Playstation 4
    313 Players
    148 Check-ins

    28
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 2 months ago · 3 pontos

      Egito é um local enigmático...😍

      5 replies
    • Micro picture
      vinicios_santana_3 · 2 months ago · 2 pontos

      Anubis é uma dos deuses egípcios mais marcantes pra mim, duas menções, ele aparece como soldado nos filme escorpião rei e também é um dos deuses presentes no jogo Age of Mythology e concede soldados com sua forma Anubites.

      5 replies
    • Micro picture
      avmnetto · 2 months ago · 2 pontos

      Nos games, quando lembro dele, me lembro logo do War Gods.

  • willguigo Willguigo
    2019-02-18 19:44:50 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Encontro Alvanístico no Museu do Videogame Itinerante.

    Pessoal, estamos querendo fazer um encontro lendário, para bater um papo no museu do video game itinerante, aqui no SHOPPING METRÔ ITAQUERA em São Paulo no próximo  sábado 23/2.
    Seria épico nos conhecer pessoalmente, amigos gamísticos das telinhas.

    Vou pedir licença a @religiaogamer_  , e colocar aqui o vídeo que ele postou da visita que fez dias atraz, para terem uma idéia de como vai ser:
    http://alvanista.com/religiaogamer_/posts/3702869-...

    Bora lá.

    Endereço: Av. José Pinheiro Borges, s/n - Itaquera, São Paulo - SP, 08220-900 (link do google maps: https://www.google.com/maps/place/Shopping+Metr%C3...)

    Ainda não definimos horário, vamos juntos resolver essa "Quest".


    Grupos para mantermos contato: 
     
    Discord: https://discord.gg/6Utwawk

    Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/HsiSKaRdYL16RtLpiQlk1R

    Informações do Museu: http://www.museudovideogame.org/agenda

    Da uma força aí @ondemora

    Reversion - The Meeting

    Platform: PC
    2 Players
    1 Check-in

    36
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2019-02-17 10:18:32 -0300 Thumb picture
    Post by thecriticgames: <p>Que.. ...jogo... ...foda.. Foi o melhor Contr

    Que.. ...jogo... ...foda.. Foi o melhor Contra que joguei até então, o receio dos jogos de Playstation que são uma porcaria ta próximo, mas felizmente ainda tem o Hard Corps de Mega Drive pra me salvar, mas ainda não irei joga-lo, joguei Contra III por ele ter sido lançado antes do ultimo Contra de NES que também já zerei e que logo também escrevo a critica, na hora certa darei continuidade a saga Contra.

    Guerras Alienígenas

    Review by: @thecriticgames

    Contra é uma saga famosa das eras 8 e 16-bits, seus jogos se iniciaram nos arcades mas foram realmente encontrar a fama e o suc...

    Keep Reading →
    25
    • Micro picture
      jclove · 2 months ago · 2 pontos

      O 3 é excelente mas acho o Hardcorps ainda mais bacana (apesar de nunca ter ido longe nele). Tem umas paradas unicas como o elenco, caminhos diferentes e graficos awesome (na maior parte do tempo). A konami mandava muito bem no meguinha.

      Os do PS1 são bem ruinzinhos mas o PS2 tem um bacana, o Neo Contra.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Esse Contra foi o que mais joguei na vida e cheguei a zerar na infância, com 2 jogadores. Mas ainda sim, o Hard Corps consegue ser melhor que ele.

  • thecriticgames Matheus Pontes
    2019-02-16 14:48:12 -0200 Thumb picture

    DLC Ghost Survivor

    Atualizei minha critica com algumas simples informações do modo Ghost Survivor, eu gostei bastante da ideia do modo e eles ainda contam com um plotzinho cada um que era algo que eu não esperava, e contam ainda com um modo com um QUARTO SOBREVIVENTE que eu não esperava mesmo, o ruim disso é que eu sou um jogador ruim mesmo, sou muito inábil e penei pra vencer os modos de cada personagem, principalmente o da filha do prefeito que embora marque como o mais fácil dos 3 cenários achei justamente o mais difícil e morri umas 10x até termina-lo.

    Um exemplo de como se fazer um remake.

    Review by: @thecriticgames

    Resident Evil é uma franquia que há anos marca o coração de fãs e mais fãs e o 2 é um dos episódios mais queridos entre muitos ...

    Keep Reading →
    16
    • Micro picture
      _gustavo · 2 months ago · 2 pontos

      Aqueles zumbis especiais da parte dela são o capeta de matar, demorei terminar a parte dela tb, mais até do que a do Soldado

      1 reply
    • Micro picture
      tony56 · 2 months ago · 2 pontos

      Eu entendi que o modo normal é para ter desafio (em qualquer estória). O modo mais fácil tem a dificuldade normal dos RE mais antigos, ainda dá para morrer fácil se vacilar.

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...