• 2020-10-12 23:41:39 -0300 Thumb picture

    5 jogos de quadrinhos (Non-Marvel/DC)

    Medium 3832573 featured image

    Jogos baseados em HQs existem desde o começo dos videogames, como o Spider-Man do Atari 2600 e Superman The Game do Commodore 64 (não confundir com o Superman do Nintendo 64). Mas, fora dessa rivalidade entre Marvel e DC no mundo dos games, algumas desenvolvedoras optaram por fazer jogos baseados em outras HQs, vindas de outras editoras. Confira alguns:

    1 - Phantom 2040 (Mega Drive/Super Nintendo)

    O jogo é baseado em uma série animada de mesmo nome, que por sua vez é inspirada na série de quadrinhos Phantom (O Fantasma) de 1936, sendo considerada uma das mais antigas da história das HQs. Phantom 2040 é um jogo de plataforma focado na ação, com uma jogabilidade que lembra bastante o Super Metroid e Contra, sendo até frenético em algumas ocasiões. 

    2 - Comix Zone (Mega Drive)

    Embora seja o único jogo da lista que não é baseado em nenhuma HQ, o estilo artístico de Comix Zone pode ter feito muitos jogadores acharem que existia uma HQ antes do jogo (#sqn). Comix Zone é um beat'em up extremamente criativo, por colocar o protagonista em sua própria HQ, e enfrentando inimigos criados na hora pelo vilão que o colocou nesse mundo.

    3 - Hellboy: The Science Of Evil (PS3/Xbox360/PSP)

    Hellboy pode até ser conhecido por conta dos filmes e das HQs, mas o personagem já teve jogos próprios antes de ter sua participação especial em Injustice 2. HellBoy: The Science Of Evil (2008) é um jogo de ação, no estilo God Of War (ao menos na versão do PSP), onde o anti-herói sai distribuindo porrada para qualquer um que apareça em seu caminho. E uma curiosidade: o Hellboy do jogo é dublado pelo ator Ron Perlman, que foi intérprete do personagem nos dois primeiros filmes.

    4 - W.I.T.C.H. (Gameboy Advance)

    Assim como aconteceu com Phantom 2040, W.I.T.C.H. é um jogo baseado na série animada de mesmo nome, lançada em 2005, que por sua vez, é baseada em uma HQ lançada em 2002 pela Disney. O jogo é um plataforma básico, mas com elementos que são interessantes, como trocar de personagem em uma determinada fase, aumentar a potência de seus poderes (coletando "orbs" de um determinado elemento) e combinar poderes especiais. W.I.T.C.H. foi desenvolvido pela Climax Group (que, dois anos depois, seria a mesma do jogo do Motoqueiro Fantasma) e publicado pela Disney Interactive.

    5 - Turok (Nintendo 64)

    Um dos jogos mais impressionantes do Nintendo 64. Baseado na HQ Turok: Son Of Stone (1956), o jogo impressiona pelo seu gameplay e pelo seus gráficos, onde até as armas possuem animações impressionantes. Quem quiser conferir mais sobre a franquia Turok, o canal Colônia Contra-Ataca fez um vídeo fazendo um Top 3 de jogos de HQs desconhecidos. 

    Comix Zone

    Platform: Genesis
    1913 Players
    53 Check-ins

    27
    • Micro picture
      santz · 9 days ago · 2 pontos

      Cadillacs & Dinossours é outro jogo foda que veio dos quadrinhos.

      3 replies
    • Micro picture
      artigos · 6 days ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      kess · 5 days ago · 2 pontos

      Só não sabia do WITCH, mas também, como ter o interesse?

      1 reply
  • cyberwoo Diogo Batista
    2020-06-21 22:41:59 -0300 Thumb picture

    5 Jogos com Coop Local que você precisa Jogar

    Resgatei um vídeo bacana que produzi junto com colegas lá em 2017. Apesar do vídeo não ser recente, acredito que a dica continua valida, confiram!

    Metal Slug

    Platform: Sega Saturn
    116 Players
    2 Check-ins

    15
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2019-12-12 18:05:13 -0200 Thumb picture
    15
    • Micro picture
      hanzy · 10 months ago · 1 ponto

      Mes passado comprei o next order e o cyber sleuth por 100 conto. Gostei bastante de ambos

  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2019-10-01 00:03:01 -0300 Thumb picture

    Desafio: 5 jogos que me fizeram gostar de videogame

    Fui desafiado pelo @lukenakama (o criador do @desafio) e pelo @vante pra dizer os 5 jogos que me fizeram eu ser um viciado do caralho, ahuahua

    Detalhe que o nome original do post era "5 jogos que me fizeram um gamer" mas como rótulos como otaku, gamer, geek e coisas do tipo me irritam, alterei um pouco o título da brincadeira, mas o objetivo continua sendo o mesmo, então bora!

    5 - Brothers in arms (Symbian)

    Esse é um jogo de symbian (um dos primeiros SO de smartphones), e meu primeiro contato com ele foi no 6600 do meu irmão, em meados de 2006. Me lembro de que quando vi aquele celular escroto ainda zoei o cara e disse "mas que celular horroroso" e ele só me respondeu com uma risadinha "feio, né? Olha aqui o jogo que ele tem" e minha cabeça explodiu com essa porra, na época os jogos em java ainda estavam muito básicos e esse todo 3D, em português e de atirar em nazistas, eu achei incrível. Posteriormente quando o mesmo me deu um N-gage eu joguei esse jogo até do avesso, hauahua

    4 - Sky Force Reloaded (Symbian)

    Outro jogo de symbian, sei que ele tem uma versão pros consoles atuais, mas não é o mesmo jogo, então duvido que eu me interesse, acredito. Enfim, eu sempre gostei de "jogos de navinha" e já pirava nos Space Impact dos Nokia de tela verde (tinha um coloridão pra N-gage também, bem fodinha até), mas esse Sky Force Reloaded foi o primeiro que zerei até o final, sabia de cor os macetes pra matar cada boss e talz. Até hoje eu curto muito o estilo shoot'em up, mas a caralha dos RPGs não me deixam jogar praticamente nada além deles, ahauhaua

    3 -  The King of Fighters Extreme (Nokia N-gage)

    Esse jogo na verdade é um port do King of Fighters Extreme 2 do GBA, com apenas alguns visuais a menos (como as chamas do Iori serem as mesmas do Kyo, entre outros), e esse jogo eu joguei tanto que conseguia jogar com todos os personagens, coisa que hoje nos KOFs normais mal consigo com um. Foi nesse jogo que comecei a ter uma afeição por jogos de luta (e que fez KOF ser minha franquia de jogos de luta preferida, foi mal SF), que eu tenho até hoje, mas sempre deixo eles em segundo plano por causa deles, os malditos jogos eletrônicos de interpretação de papeis...

    2 - Pokémon Crystal (Game boy color)

    Outro que joguei no N-gage, sem som até, mas eu revirei cada centímetro do jogo do avesso, apenas pra treinar meus bichinhos pra usar no Stadium 2 no emulador de N64. Lembro que tinha uma comunidade de Pokemon Crystal no finado Orkut onde os caras sabiam muita coisa e aprendi muito do competitivo lá, até cheguei a ter altas batalhas no Netbattle (um pokemon shodown mais antigo), até eu ter umas tretas com a panelinha que tinha lá e ter mandado todos eles irem tomar no meio do rabo... Aahh, bons tempos...

    1 - Final Fantasy VI (Super Nintendo)

    O primeiro RPG que me fez pirar o cabeção foi Chrono Trigger, mas no caso dele foi mais aquelas paixões de carnaval, e esse aqui foi o relacionamento duradouro, hauhauha. Final Fantasy VI  foi outro que na época (creio eu que lá pra 2010, mais ou menos) eu joguei sem som, com o n-gage deitado e a uns 25fps. Mas mesmo assim eu surtei com o jogo, ele era diferente de tudo que eu já tinha visto, não apenas em jogos como em histórias fictícias no geral, o cast era incrível, a história era sensacional, a trilha sonora (depois quando joguei com som) era show, as piadas eram hilárias, o vilão era de cair o queixo... Pokémon Crystal pode ter me feito virar um viciado em Pokémon, mas foi Final Fantasy VI que me fez virar um RPGzeiro de merda. E até hoje esse cara continua sendo meu RPG preferido, e se depender do que os japas andam lançando com o verniz de RPG atualmente, vai continuar sendo por toda a eternidade, hauhaua

    Bem, é isso. Tem que marcar 5 candangos, né? Então lá vai:

    @the_muriel

    @lucas_jiro 

    @mateusfv

    @mastermune

    @vinicios_santana

    Pokemon Crystal Version

    Platform: Gameboy Color
    4998 Players
    127 Check-ins

    37
    • Micro picture
      realgex · about 1 year ago · 3 pontos

      @_gustavo taí o seu título !

      2 replies
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Concordo. O seu título faz mais sentido que o original.
      Também pensei em "05 jogos que me deram orgulho em ser gamer".
      ...
      @lukenakama...qual desses você acha melhor?
      Sei que já criou um título e esse desafio é seu mas...eu concordo com @manoelnsn...do jeito que está o título gera confusão.
      ...

      5 replies
    • Micro picture
      emphighwind · about 1 year ago · 2 pontos

      Fui googlar o que é este tal de Symbian e parece aqueles palmtops.

      1 reply
  • msvalle Marcos
    2019-04-22 18:33:37 -0300 Thumb picture

    5 Melhores games jogados em 2018, segundo eu mesmo

    O grande @raccoon me escalou para esse @desafio (do ano passado hehe), que consiste em escolher os 5 melhores jogos jogados em 2018 (não precisam terem sido lançados em 2018). Sem mais delongas, com vocês,


    5. Forgotton Anne (2018)

    Um desenho animado em forma de um jogo de plataforma e puzzle com questões filosóficas em um ambiente onírico. Parece confuso? E é, mas sua história nos faz querer descobrir como Anne foi parar lá, como pode fazer o que faz, e o mais importante, o porque ela o faz.

    4. Tearaway (2013)

    Um dos grandes jogos do Vita, utiliza seus recursos de uma forma original e surpreendende, com quebras da quarta parede inusitadas e divertidas.
    Um must have para donos do console, e quem possui o PS4 pode aproveitar sua versão Unfolded.

    3. The Vanishing of Ethan Carter (2015)

    Um walking simulator com uma história intrigante e muito bem contada, de uma forma quase poética. Vale a pena experimentar.

    2. God of War (2018)

    Foi uma aposta bem arriscada a mudança de praticamente tudo nesse novo God of War - nem o protagonista foi poupado.
    Mas o resultado foi fabuloso. Confesso que desde as primeiras notícias sobre a ida para a mitologia nórdica eu estava com um pé atrás em relação a como isso funcionaria, visto como "terminou" a saga em God of War III. Até a mudança para a perspectiva "Naughty Dog" não me convencia.
    Porém, após as primeiras jogadas, a forte narrativa e o enriquecimento de um personagem que nada mais era do que raiva em estado bruto, além de um paralelo direto pessoal (sou pai de duas crianças) me fizeram mudar radicalmente de ideia e ver como a aposta deu certo. Quase foi o meu melhor do ano, praticamente um empate técnico.

    1. Assassin's Creed Origins (2017)

    Mas primeiro lugar vai mesmo para outra reinvenção de uma saga. A Ubisoft aproveitou muito bem o intervalo que deu em uma de suas maiores franquias para trazer muitas novidades para esse Assassin's Creed, além do polimento obrigatório esperado em um jogo desse calibre.
    Apesar de não ser uma mudança tão drástica quanto a vista em God of War, quando se considera o caminho que a franquia estava tomando é que se tem noção da importância dessas mudanças. Infelizmente a Ubi errou na mão de novo repetindo quase tudo no Odyssey.
    Mas isso não tira o primeiro lugar para mim desse jogo, que resgatou a diversão e empolgação de se jogar um Assassin's Creed.

    45
    • Micro picture
      msvalle · over 1 year ago · 1 ponto

      Guardei esse post como rascunho e esqueci de publicar na virada do ano XP
      Mas antes tarde Duke Nukem hehe

    • Micro picture
      natnitro · over 1 year ago · 1 ponto

      O origins foi sensacional mesmo, pena que erraram bastante na mão com o odyssey, que pecou pelo excesso de repetição e aquelas pisadas na bola com o sistema de rpg... Já um jogo ai que me surpreendeu muito bem mesmo foi o Ethan Carter porque ele tem todo aquele clima de terror e ai você já vai caminhando pro fim com a tensão no talo e leva uma surpresa quando descobre o que realmente estava acontecendo, o que foi uma sacada genial mesmo... :-)

      1 reply
  • edknight Eduardo Botelho
    2019-01-02 14:50:54 -0200 Thumb picture

    O tal do post do Game Awards 2018

    Em primeiro lugar, quero pedir desculpas. Cês daqui do Alva são todos organizadinhos, com um monte de listas, backlog, sas coisa tudo, e eu só vou jogando, esquecendo o que joguei, esquecendo inclusive uns jogos pela metade... Shame... Tive que fazer uma busca aqui no alva, desde o começo do ano (mais de 30 e poucas pages) pra lembrar de tudo.

    Enfim, vamos falar dos joguinhos, e vou começar com as menções honrosas que não vão entrar no meu ranking de tops:

    Steins;Gate -> Finalmente joguei um dos mais clássicos Visual Novel de todos os tempos. Não me arrependi.

    Half-Life -> Mais um clássico que tirei da lista de pendências.

    Sam & Max -> ótima série de Point 'n Click

    Gurumim / Ys Seven -> Os jogos da Nihon Falcom alugaram meu PSP no fim do ano passado, e esses dois acabaram ficando para o começo desse ano

    Lightning Returns: Final Fantasy XIII -> Na verdade esse está aqui como representante de toda a trilogia, tirei das costas mais um FF pendente.

    Iconoclasts / Hollow Knight -> Triste deixar esses dois ótimos Metroidvanias de fora.

    Dead Cells / Isaac / Enter The Gungeon -> porque Roguelite

    The End is Nigh / Celeste -> Esse ano foram poucos joguinhos de plataforma difíceis.

    Ainda tem uma porção deles numa lista que eu fiz, mas o post já tá enorme, então vamos logo para o TOP 5:

    5 - Ni No Kuni

    Eu comecei ele há muito tempo, mas só esse ano que eu consegui finalizá-lo. Eu sempre vejo uma galera de site de jogos criticando Ni No Kuni por ter uma música repetitiva e sistema de batalha chato, mas eu sinceramente não vejo um defeito no jogo que me faça não gostar dele, o gráfico totalmente Studio Ghibli, a música do Joe Hisashi, a historinha bem infantil mas com uns toques em temas mais pesados como a perda de um ente querido. Enfim, acho que a única coisa que eu não curti muito foi a extensão da história original (que no jogo de DS termina com o combate contra o Dark Djinn), já que aquele trecho da White Witch não acrescenta muita coisa. Podia ser um bônus fora da história.

    4 - Parasite Eve 2

    Mais um jogo antigo mas que só tive oportunidade de jogar recentemente no PSP. Joguei o primeiro jogo, curti, e fiquei um pouco receoso porque lembro de revistas comentando na época que esse jogo deu um grande salto em comparação ao seu predecessor.  Felizmente pra mim, tudo o que foi mudado tornou esse jogo bem melhor que o primeiro. Isso até me deu esperanças para o The 3rd Birthday, mas esse mudou a fórmula para pior, tanto que se tivesse uma lista ele seria meu flop do ano, o Troféu Abacaxi dos Games 2018.

    3 - Final Fantasy Dissidia Opera Omnia

    O jogo que mais joguei, e o jogo que mais fiz checkin ano passado. Sim, caí na armadilha do Gacha Mobile. Mas é por uma boa razão, afinal colecionar personagens da minha franquia de joguinhos predileta vale a pena. Aliás eu ia deixar ele em primeiro na lista mas por muito pouco eu decidi descer ele duas posições porque os próximos foram jogos extremamente marcantes pra mim, e um deles da mesma franquia, então talvez eu deixe o título de melhor jogo do ano para o Opera Omnia só para o ano que vem.

    2 - Danganronpa V3

    Cara, como eu estava esperando por esse momento. E finalmente ele chegou. O primeiro Danganronpa foi um dos primeiros jogos no estilo Visual Novel que eu joguei, e era meu predileto, com aqueles gráficos estilosos, mistério, jogabilidade que faz você se sentir um Xeroque Romes. D2 foi meio fraquinho, então não sabia o que esperar do V3, e bom, pra mim ele tomou o lugar do seu antecessor como o melhor jogo no estilo Visual Novel, ao mesmo tempo fazendo homenagens e quebrando alguns paradigmas dos jogos anteriores, com um cast de personagens bem bacanas MENOS A ANGIE YONAGA, novas mecânicas, e a aparente conclusão definitiva dos jogos de matança.]

    1 - Crisis Core: Final Fantasy VII

    (Desculpem roubar aqui, mas vou de vídeo nesse caso)

    Final Fantasy VII é o meu jogo predileto da minha franquia predileta. Foi através dele que conheci o que considero o maior e melhor RPG de todos os tempos, chutando a bunda de todos os outros CRPG, JRPG, ARPG, qualquercoisaRPG. Finalmente conseguir jogar o Crisis Core, um spinoff que iguala ao jogo original, foi um feito para mim. E embora o jogo tenha sim uma barriguinha no meio, uma pequena enrolada para esticar a duração, eu achei que o final dele foi maravilhoso, os olhos umedeceram e na hora que começa a tocar Price of Freedom eu fiquei ali em lágrimas com o PSP. Parece bobagem, mas eu realmente fui marcado por esse jogo, e ele me fez admirar ainda mais toda a compilação do FFVII.

    E fiquem com mais uma musiquinha dele:

    Best of Best

    Platform: Arcade
    3 Players

    16
    • Micro picture
      roberto_monteiro · almost 2 years ago · 1 ponto

      Tua imagem de perfil define meu começo de ano!

      Tinha que ter FF né!

      2 replies
    • Micro picture
      mastershadow · almost 2 years ago · 1 ponto

      Eu amo Parasite Eve 2, deve ser o game que mais zerei na vida, foram umas 10 hauuhhauauh

  • bmark B - Mark
    2018-12-27 11:37:12 -0200 Thumb picture

    5 Melhores Games de 2018

    O @xch_choram me marcou em uma postagem chamada 5 melhores games de 2018 segundo eu mesmo ! e aqui estão os 5 melhores jogos, todos antigos porque não joguei nenhum jogo que saiu neste ano e meu foco é mais em Retro.

    @desafio

    @xch_choram @manoelnsn @biachunli @matheus_nargwya @reasel

    Meu Top 5 de 2018

    Beach Spikers - Gamecube

    Fabricante: SEGA

    Ano: 2002

    Jogo de Volei de praia que saiu para Arcade e Gamecuebe.

    Esse foi o primeiro jogo de Gamecube que joguei e no ano passado ganhei o jogo original de um amigo de outro fórum.

    Ainda não tenho Gamecube nem Wii mas estou jogando a ISO no emulador Dolphin

    Project X Zone 2 - Nintendo 3DS

    Fabricante: Banpresto

    Distribuidora: Bandai Namco Entertainment

    Ano: 2016

    Strategy-RPG com personagens da Bandai Namco,SEGA e Capcom além de contar com Chrom e Lucina de Fire Emblem Awakening e Fiora de Xenoblade Chronicles como convidados da Nintendo.

    O jogo ficou mais fácil que o anterior com o acréscimo de uma loja de items.

    O elenco da Sega ficou interessante pelas adições de Ryo Hazuki do Shenmue,Axel do Streets of Rage e Segata Sanshiro,garoto propaganda do Saturn no Japão.

    Retro City Rampage DX - Nintendo 3DS

    Fabricante:VBlank Entertainment

    Ano: 2014

    Jogo de mundo aberto no estilo de GTA com ambientação de 8 Bits que lembra os jogos de NES além de várias referencias a retrogames e cultura pop dos anos 80 e 90.

    Super Robot Taisen A - PSP

    Fabricante: Banpresto

    Ano: 2008

    Remake do Super Robot Taisen A que saiu originalmente para o Gameboy Advance com gráficos e animações melhoradas.

    Apesar de ter sido lançado apenas no Japão ele teve tradução feita por fãs.

    Séries

    Banpresto originals

    Chōdenji Robo Combattler V

    Chōdenji Machine Voltes V

    Tōshō Daimos

    Invincible Steel Man Daitarn 3

    Metal Armor Dragonar (Estréia)

    Getter Robo

    Getter Robo G

    Shin Getter Robo (Baseado no design original da Banpresto de Shin Getter Robo)

    Mobile Suit Gundam

    Mobile Suit Gundam: The 08th MS Team

    Mobile Suit Gundam 0083: Stardust Memory

    Mobile Suit Zeta Gundam

    Mobile Suit Gundam ZZ

    Mobile Suit Gundam: Char's Counterattack

    Mobile Fighter G Gundam

    Gundam Wing: Endless Waltz

    Mazinger Z

    Great Mazinger

    Grendizer

    Martian Successor Nadesico (Estréia)

    Invincible Super Man Zambot 3

    SD Gundam G Generation Overworld - PSP

    Fabricantes: Tom Create,Bandai e Bandai Namco Games

    Ano: 2012

    Strategy RPG da franquia Gundam com personagens de animes,mangás,livros e games onde o personagem pode pilotar o mecha que quiser.

    Apesar de ter saído apenas no Japão ele foi traduzido em Inglês por fãs.

    20
  • gus_sander Gabriel Macêdo
    2018-07-18 22:04:43 -0300 Thumb picture

    Desafio do Top 5

    O @desafio consiste somente em postar isso aqui e ver o cabaré pegar fogo e nunca se omitir nas respostas.

    Como regra e pra incentivar a participação da galera, quem fizer perguntas fica obrigado a colocar na timeline.

    Lembrem-se de ser esquisitos criativos nas perguntas.

    31
  • lucasbarcelos5 Lucas Barcelos
    2017-12-06 12:22:43 -0200 Thumb picture

    TOP 5 DLC's que joguei.

    Esse foi um ano que consegui arrumar um emprego fixo, então pude comprar jogar várias DLC's, então decidi fazer esse top das melhores DLC's que já joguei, esse tema é um pouco polêmico, mas mesmo assim tem muitas expansões que valem a pena ser jogadas, não sei se esse top se tronará um @desafio mas eu marcarei a persona assim mesmo caso ela decida tornar esse top um desafio, então vamos lá.

    1 - "The Ringed City" - Dark Souls III.

    Essa é a melhor DLC que joguei, os cenários dela são lindos, os inimigos são muito bem feitos, os chefes e a trilha sonora nem precisa comentar, Gael é personagem excelente, sua lore é muito foda, ainda falta matar o Midir, mas já pude sentir como é lutar contra ele.

    2 - "The Old Hunters" - Bloodborne.

    Outra DLC maravilhosa que pude jogar esse ano, nem preciso falar dos cenários, inimigos chefes e trilha sonora, essa DLC trouce umchefe muito foda que na minha opinião foi o mais difícil da série Souls/Borne, quem acompanhou meus check-ins sabe o tanto que morri para o Laurence e também trouce um que entrou para alista dos meus chefes favoritos, Maria, que chefe foda foi ela, apesar de, eu não ter passado dificuldades nela, a luta foi excelente e sua lore é fantástica também, fora que os outros chefes dessa DLC são muito bons também.

    3 - Artorias of the Abyss - Dark Souls.

    Não precisa falar muito dessa DLC, tem o Artorias (meu personagem favorito, esse cara é foda), a luta contra ele não é muito difícil, mas é muito legal, tem a luta com o Manus, que ficou muito boa e você pode chamar o Sif para te ajudar, o Kalameet também é muito foda, nem comentarem sobre os cenários e trilha sonora.

    4 - The Frozen Wilds - Horizon Zero Dawn.

    Esse foi o melhor jogo que joguei esse ano, me encantei pelo universo do jogo, as máquinas ficaram muito bem feitas, a Aloy é incrível, o mapa do jogo é excelente, eu quase não usava fast travel nesse jogo, andar por esse mapa é muito bom e essa DLC deixou o que era bom ainda melhor, o conteúdo dessa DLC éincrível, as missões principais e secundárias ficaram muito bem feitas, o tamanho da área é impressionante, tem várias coisas para fazer e coletar nessa DLC, a única coisa que pesco agora é que lancem uma continuação.

    5 - Tiny Tina's Assault on Dragon Keep - Borderlands 2.

    Sou um grande fã dessa franquia e essa DLC é a melhor que tem em um Borderlands, a história dela é excelente, os mapas são muito bonitos, o chefe final ficou muito foda, tem várias coisas para fazer, o chefe opcional é muito foda,aluta contra ele é muito boa, fora as referências que tem a outros jogos e séries, essa DLC é tudo de bom, as outras também são muito boas, mas não se compara com essa na minha opinião.

    Dark Souls III

    Platform: Playstation 4
    719 Players
    372 Check-ins

    40
  • 2017-09-27 21:59:23 -0300 Thumb picture

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...