• drodro Dro Dro
    2020-09-16 19:06:16 -0300 Thumb picture
    drodro checked-in to:
    Post by drodro: <p>Check-ins que não fiz em 2019/2020 (Parte 3)</p>
    Rise of The Tomb Raider

    Platform: Xbox One
    732 Players
    271 Check-ins

    Check-ins que não fiz em 2019/2020 (Parte 3)

    Só pra ficar registrado aqui, caso eu queira pesquisar alguma coisa (Isso se a rede não acabar antes, né? 🤷)

    *Ordem aleatória dos check-ins! Não lembro o mês que finalizei! :)

    Completei 100% do jogo, coletando tudo mas, não fiz 100% total com as DLC's e o modo online. Adorei toda a história! Com isso, finalizei os 3 Tomb Raider no Xbox One.

    12
    • Micro picture
      bartd3 · 6 days ago · 2 pontos

      pretendo rejogar a trilogia tbm ... vale muito a pena xD

      1 reply
  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2020-09-13 11:39:54 -0300 Thumb picture

    Alvorecer do Horizonte Zero🏜️

    Seguindo por esses belos cenários...

    ...das jogatinas de Horizon...

    TROFÉU CONQUISTADO 🏆: CHEGAR AO NÍVEL 50

    Horizon Zero Dawn é um ex-clusivo do Playstation que causou grande alvoroço aos jogadores de PCs, carentes de bons games exclusivos (pois todos sabem que PC só tem porcaria exclusiva 🤮...e precisam muito dos bons títulos de qualidade dos videogames). O game foi sucesso de vendas e críticas, porém pra mim foi daqueles games que eu esperava muito e não achei nada especial como divulgaram. 

    Zerei (eu sempre zero os games que jogo) porém não pude deixar de notar certo tédio em determinados momentos. Também o achei demasiadamente longo. Destaque para o áudio em geral e a forte personagem feminina cabeçuda.

    Horizon Zero Dawn

    Platform: Playstation 4
    1611 Players
    825 Check-ins

    27
  • 2020-09-12 22:17:28 -0300 Thumb picture

    TheFlow cria um hack para Tomb Raider de PSP pra jogar em HD no Vita

    Embora no PSVita possa jogar todos os seus títulos de PSP favoritos e também dê acesso fácil para save states e filtros de tela com o Adrenaline, uma coisa que ele não faz é atualizar os jogos de PSP para sua resolução nativa. Isso significa uma imagem 480×272 sendo exibida em uma tela de 960×544, o que resulta em uma experiência mais pixelada ou borrada, dependendo de sua preferência. No entanto, TheFlow conseguiu encontrar maneiras de aumentar a resolução de renderização de alguns jogos de PSP quando jogados no Vita através do Adrenaline com GTA VCS/LCS e outros títulos sendo capazes de rodar em 960×544 embora com desempenho reduzido.

    Agora, Tomb Raider para PSP recebeu o tratamento de resolução aumentada resultando em uma imagem muito mais nítida no PlayStation Vita. De um tweet compartilhado no dia 7, TheFlow demonstra Tomb Raider: Anniversary rodando em 960×544 via Adrenaline usando um plugin de resolução nativa.

    Mais informações

    Tomb Raider Anniversary

    Platform: PSP
    169 Players
    2 Check-ins

    3
  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2020-07-18 11:22:46 -0300 Thumb picture

    Alvorecer do Horizonte Zero🏜️

    Ganhei troféu de arrancar armas pesadas dos inimigos...Olha o tamanho do trabuco 😂

    Lindos cenários tem o game...

    Partiu desfilar com roupinha nova?

    Roupa nova merece"um trabuco novo"...

    Vamos seguindo nesse mundão de HORIZON...

    Conhecem aquela expressão "Fogo no Cú"? Então...

    Horizon Zero Dawn é um ex-clusivo do Playstation que causou grande alvoroço aos jogadores de PCs, carentes de bons games exclusivos (pois todos sabem que PC só tem porcaria exclusiva 🤮...e precisam muito dos bons títulos de qualidade dos videogames). O game foi sucesso de vendas e críticas, porém pra mim foi daqueles games que eu esperava muito e não achei nada especial como divulgaram.Zerei (eu sempre zero os games que jogo) porém não pude deixar de notar certo tédio em determinados momentos. Também o achei demasiadamente longo. Destaque para o áudio em geral e a forte personagem feminina cabeçuda.

    Zerei (eu sempre zero os games que jogo) porém não pude deixar de notar certo tédio em determinados momentos. Também o achei demasiadamente longo. Destaque para o áudio em geral e a forte personagem feminina cabeçuda.

    Horizon Zero Dawn

    Platform: Playstation 4
    1611 Players
    825 Check-ins

    39
  • mun Laise Araújo
    2020-03-30 20:35:22 -0300 Thumb picture
    20
    • Micro picture
      willguigo · 6 months ago · 3 pontos

      Já posso pensar em rodar esse no meu note da Xuxa com o Geforce Now ✍️👀

  • luchta Ewerton Ribeiro
    2020-03-20 14:20:10 -0300 Thumb picture

    Tomb Raider e Lara Croft and the Temple of Osiris - Grátis na Steam

    Toda a franquia de Tomb Raider está em promoção na Steam. E para te incentivar e a ficar em casa nesses tempos de pandemia, o reboot do jogo Tomb Raider está de graça na Steam. Para resgatar é só entrar nesse link e pegar na própria plataforma, colocando no seu carrinho. Esse é o primeiro jogo de um recomeço para a franquia, tendo uma Lara Croft mais jovem e aprendendo a se virar em uma situação complicada.

    Mas se sua vibe (e eu sei que não é de muitos aqui) é um bom multiplayer com os amigos, o jogo Lara Croft and the Temple of Osiris também está de graça, é só resgatar nesse link, também na Steam. Nesse game podemos nos aventurar em até quatro jogadores, em um jogo de visão isométrica com muita ação e quebra cabeças! Vamos lá galera, hora de resgatar esses ótimos jogos e aproveitar bem sua quarentena.

    Tomb Raider (2013)
    https://store.steampowered.com/app/203160

    Lara Croft and the Temple of Osiris
    https://store.steampowered.com/app/289690

    Tomb Raider

    Platform: PC
    5423 Players
    633 Check-ins

    38
    • Micro picture
      luchta · 6 months ago · 2 pontos

      Estou quase montando minha própria persona de jogos gratuitos. Ahaha!
      Mentira, o povo aqui não compartilha ai complica, pessoal tem que dividir esse tipo de informação com os amiguinhos, afinal todo mundo quer jogos de graça. Não seja, egoísta!

      4 replies
    • Micro picture
      luchta · 6 months ago · 1 ponto

      Pena que já tinha esses jogos...

    • Micro picture
      hyuga · 6 months ago · 1 ponto

      já tinha colocado o reboot na biblioteca e agora coloquei o temple of osiris e digo novamente - eu provavelmente nunca vou jogar, mas tá lá

  • rafa9000 Rafael Gazola Ghedini
    2019-11-10 23:22:10 -0200 Thumb picture
    Post by rafa9000: <p>E ae galera!! Quais foram as ultimas aquisições

    E ae galera!! Quais foram as ultimas aquisições de vocês, as minhas foram essas, alem de Pokémon Shield digital no Switch:

    Battlefield V

    Platform: Playstation 4
    74 Players
    24 Check-ins

    9
    • Micro picture
      supermarkosbros · 11 months ago · 2 pontos

      Death Stranding, Concrete Genie, MedEvil e Erica.

  • 2019-10-03 13:13:01 -0300 Thumb picture

    Desafio: 5 jogos que me fizeram gamer

    Já que não posso jogar por um tempo, pelo menos posso pensar em jogos. Vi esse @desafio por aí e resolvi fazer também. 

    Vi que como regra temos que invocar e marcar pessoas. A única coisa que eu invoco é Galadriel, senhora da Floresta Dourada, então deixa assim. 

    Vou numerar de 1 a 5, mas não tem ordem de importância. 

    1 - Decap Attack (Mega Drive)

    Gosto de pensar no Decap Attack como um grande responsável por eu ser um gamer, pois ele foi o primeiro jogo que eu joguei depois que estourei a bolha da primeira infância. Quando eu era muito criança meu mundo girava em torno do Sonic. Ganhei um videogame, veio uma fita do Sonic e eu estava feliz, sabem como é, muitas crianças se satisfazem com bem pouco. Foi assim por alguns anos, mas depois de certa idade eu descobri que existem outros milhares de jogos, locadoras, amigos que trocavam e emprestavam, e o Decap Attack foi o jogo dessa minha primeira interação com o mundo gamer de fato, fora do meu quarto. Foi um momento especial entender como funcionava um jogo diferente do Sonic, e era, pela primeira vez, emprestado de um amigo.

    2 -  The Revenge of Shinobi (Mega Drive)

    The Revenge of Shinobi também faz parte dessa história por ter sido responsável pela primeira vez na minha vida gamer  que eu precisei largar um jogo por considerá-lo muito difícil. Acho um passo importante, na nossa formação gamer, percebermos nossos limites, reconhecer que não tá rolando, que o jogo está difícil pra gente e em algum momento pode ser necessário deixar o jogo pra lá por causa disso. Claro que poderemos sempre tentar outra vez, mas reconhecer essa incapacidade pela primeira vez foi difícil e vergonhoso dentro da minha cabeça. Bem trouxa. Mas depois entendi que tá tudo bem, faz parte.

    3 - Sonic 3D Blast (Mega Drive)

    Esse jogo me ensinou a palavra "persistência". Foi meu primeiro jogo em 3D, meu dedo doía pra caramba para controlar o Sonic nesse cenário com aquele direcional tradicional, e ele parecia sempre estar escorregando, encostando em tudo, morrendo...foi um caos. Por isso mesmo, pela dificuldade nesse novo cenário que foi talvez um dos jogos que eu mais demorei pra fechar, pois era meio novo pra mim. Mas foi bacana essa primeira experiência com um mundo que girava e tinha novas perspectivas de câmera. Depois dele eu não queria mais saber de mundo 2D. 

    4 - The Sims (PC)

     The Sims entra aqui por ter desenvolvido em mim aquele lado obscuro que quase todo gamer tem: o trapaceiro. "klapaucius" e eternos "!;!;!;!;!;!;!;!;!" para ficar milionário e construir mansões monumentais desde o começo do jogo. Sim, porque trabalhar e cuidar de tudo aquilo, tenha santa paciência. Era um personagem morrendo atrás do outro. Depois de saber da existência disso eu fiquei um bom tempo com esse péssimo hábito. Todo jogo que eu começava já queria saber quais eram os macetes e truques pra me dar bem. A primeira pergunta sempre era "tem modo deus?". Só fui achar esses truques desnecessários depois de alguns anos. Hoje em dia já perdi esse vício, não preciso fazer tratamento, relaxem. 

    5 - Tomb Raider III: Adventures of Lara Croft (PSONE)

    Tomb Raider III é um divisor de águas pra mim. É o jogo responsável pelo gamer que eu sou hoje. Depois de passar um tempo jogando eu me desinteressei por videogames. Comecei a gostar muito de livros, de ler, escrever e fui deixando os games de lado. Fiquei  uns 6 ou 7 anos sem ter um videogame em casa por desinteresse mesmo. Daí conheci Lara e Tomb Raider III foi o jogo que me trouxe de volta para os games e me mostrou que eu poderia unir as duas coisas. Eu adorava jogar e depois sair da TV e ir para os livros pesquisar sobre todas aquelas histórias que o game me contava, sobre aqueles lugares, mitos, épocas, achava fascinante! Daí por diante eu me tornei esse gamer que curte, claro, bons momentos de ação, entretenimento, mas também gosto de histórias bem contadas, simples ou complexas - de preferência de terror/drama ou aventura - coisas que podem extrapolar as fronteiras de  um jogo.

    Claro que alguns jogos ficaram de fora. Não coloquei Mario ou o Sonic mais clássico porque são de uma época em que eu nem sabia que os videogames tinham um universo próprio. Era só uma criança que curtia jogar e ponto, sem nenhum pensamento formado sobre aquilo e nenhum gosto sistematizado pela coisa. Afinal, ser gamer, pra mim, envolve ter uma consciência desse meio e de onde você se insere nele, e na época que eu jogava Mario/Sonic eu não tinha consciência nem de mim mesmo, quem dirá de um mundo gamer....

    The Revenge of Shinobi

    Platform: Genesis
    1873 Players
    22 Check-ins

    29
    • Micro picture
      lukenakama · 12 months ago · 2 pontos

      Não curto tanto a saga Shinobi, só gosto de Shadow Dancer :/
      Acho que nunca joguei o The Sims 1 mas adoro a saga.

      2 replies
    • Micro picture
      tassio · 12 months ago · 2 pontos

      Tirando o Tomb Raider do Playsytation aí, passei pelos mesmos jogos que você hehe

    • Micro picture
      santz · 12 months ago · 1 ponto

      Mano do céu, Teve o Sonic 3D Blast como uma terrível experiência 3D e depois voltou com tudo com o Tomb Raider III, um jogo travadão da era PS1. Tenso demais.

      1 reply
  • daisuke Daisuke Vieira
    2019-09-25 02:19:28 -0300 Thumb picture
  • anduzerandu Anderson Alves
    2019-09-09 12:13:06 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Lara Croft and the Temple of Osiris

    Zerado dia 08/09/19

    Após ter rapidamente finalizado DuckTales 2 na casa de amigos, resolvemos partir para uma aventura multiplayer baixada há séculos no PS4 deles: Lara Croft and the Temple of Osiris. Eu estava bem animado com a ideia de ser meio que Diablo com amigos enquanto eles estavam com receio por ser um jogo nada conhecido e por parecer genérico. Mas dessa vez finalmente resolvemos jogar, principalmente sabendo que a duração média da campanha era de apenas 5 horinhas!

    O começo mesmo eu fiz sozinho enquanto eles estavam ocupados. Aprendi como rolar, pular, mirar e atirar, usar um cajado para ativar mecânicas, como usar um gancho para alcançar lugares determinados e o funcionamento do jogo em si. Eu tava curtindo bastante!

    Depois de um tempo sozinho, o primeiro se juntou a mim e foi aí que eu percebi umas coisas bem curiosas: primeiro que o jogo não disponibilizou as armas que eu tinha encontrado para ele, como uma shotgun e uma metralhadora, que são armas secundárias da Lara. Em segundo lugar, eu perdi a habilidade de usar algumas mecânicas, como o cajado de ativar mecânicas  e seu raio que deve ser usado contra esferas e espelhos (não vou entrar em detalhes).

    Agora o mais curioso é que eu estava num puzzle quando meu amigo se juntou ao jogo e tivemos que esperar um loading para percebermos que o puzzle se adequou ao número de jogadores! Quem dizer, seria super fácil fazer o que eu estava quebrando a cabeça com dois jogadores, mas aqui eles realmente fizeram diversas versões da mesma coisa para manter a dificuldade, o que é bem interessante!

    Depois, com mais amigos e todo mundo familiarizado com os comandos, foi hora de analisar o jogo que envolve Lara e um amigo despertando seres do Egito antigo (e novos aliados com eles) e agora tendo que ir atrás de partes de uma estátua para poder trazer uma entidade de volta a vida para os ajudar a impedir que a criatura do mal saia acabando com tudo.

    Temple of Osiris se resume à um hub principal bem grandinho com diversas dungeons nas proximidades. E embora várias delas sejam opcionais, aquelas da campanha são bem lineares e só abrem assim que você terminar a anterior.

    Não sabe pra onde ir? Levante o cajado perto de uma das estátuas do cenário e ele apontará a direção da próxima fase. Super simples.

    Ao adentrar uma dessas tumbas, o grupo deve alcançar seu fim, onde estará a próxima parte da estátua da entidade. Mas a coisa, obviamente, é mais complexa do que parece pois há bastante platforming, inimigos para você derrotar e puzzles. É bem o que você esperaria de um jogo no universo Tomb Raider, todo aquele feeling Indiana Jones.

    Jogando de 4 pessoas, a gente mal travava em qualquer parte pois os puzzles são bem tranquilos (diferentemente dos das tumbas opcionais que tentamos). Além disso, morrer estando num grupo só quer dizer que você tem que esperar uns 3 segundos para estar de volta à ação (jogando só ou se o time todo morrer a gente tem que esperar um loading e estar de volta ao último checkpoint).

    Basicamente, esse jogo é bem fácil.

    Pra quem gosta de ir além, existem motivos para explorar tudo certinho: primeiro que há vários coletáveis como upgrades passivos diversos e outros opcionais, depois que o jogo contabiliza o quão bom você foi em relação a tempo, coletáveis e muito mais quando você entra ou sai de uma dungeon. Há ainda armas em quase todas as fases. Pra completar, você encontra dinheiro em todo lugar, como matando inimigos, quebrando jarros ou mesmo acendendo tochas. Dinheiro nesse jogo é usado para abrir baús especiais que contém equipamentos.

    O sistema de equipamento consiste em usar uma arma básica infinita e até mais 3 equipadas que você muda com o d-pad. Essas armas secundárias consumem mana para serem usadas.

    Há ainda anéis e amuletos que dão bônus passivos. Os primeiros melhoram alguma coisa e abaixam outros atributos em compensação, mas conforme você avança e abre baús caros, consegue equipamentos bem mais interessantes.

    Com o tempo, fomos ficando mais fortes, conseguindo um bom arsenal de armas e entendendo melhor o jogo, que meio que repete a mesma lógica durante toda a aventura e até os puzzles acabam ficando previsíveis e as vezes desnecessariamente longos, mas nada mal.

    A gente tava VOANDO por cada tumba. Era um questão de tempo até o jogo acabar.

    Embora a temática mude um pouco de tempos em tempos, como um dungeon mais aquático, outro mais congelado, a gente começou a sentir a sensação de que era tudo igual e que a gente só estava repetindo as mesmas coisas sem parar. Nem os poucos chefes estavam ajudando, nem as novas armas.

    Foi aí, num momento de fadiga, que a batalha final finalmente chegou. Eu achei que a galera estava de saco cheio, mas nos créditos eles falaram coisas como "ah, legal o jogo". Bizarramente eu sai com a impressão de que fui eu quem menos curtiu e que esperava mais da experiência.

    Resumindo: Lara Croft and the Temple of Osiris é um jogo bom, apesar de uns bugzinhos, estória genérica e ser repetitivo. Achei que o jogo funciona bem sozinho ou me grupo mas se você tiver amigos interessados pra jogar no sofá, esse seria o caminho adequado.

    De bom: simples de controlar, sobretudo com mais jogadores, onde cada um fica encarregado de uma tarefa. Visualmente interessante e de ambientação maneira. Muitos equipamentos deixam cada personagem bem diferente. Trabalhar em grupo é legal e funciona bem. Aventura nem muito curta nem muito longa.

    De ruim: enredo meh. Tudo muito parecido e repetitivo, incluindo a lógica dos puzzles. Apanhamos com algumas mecânicas e tivemos que contornar pois parecia que nem tudo era explicado ou era falado em uma janelinha por 3 segundos e desaparecia (como as pessoas poderem caminhar em cima da corda que eu laçava em objetos distantes). Achei o jogo pouco recompensador e tudo não passava de dungeon após dungeon o tempo inteiro.

    No geral, a experiência com os amigos foi legal (apesar da câmera e framerate parecerem mais bacanas jogando sozinho) e eu recomendaria sim o jogo pra quem curte coisas parecidas, mas aqui menos descompromissada. Realmente, só não espere o GOTY com Temple of Osiris. Minha maior tristeza foi descobrir que existe outro jogo da série, que saiu antes desse e que eu nunca tinha ouvido falar: Guardian of Light!

    Lara Croft and the Temple of Osiris

    Platform: Playstation 4
    445 Players
    45 Check-ins

    27
    • Micro picture
      spider · about 1 year ago · 3 pontos

      Eu gosto desse jogo, principalmente porque joguei com a galera, mas fica, como você mesm falou, repetitivo, mas é bem válida a experiência.

    • Micro picture
      johnny_bress · about 1 year ago · 3 pontos

      esse jogo coop é muito bom

      2 replies
    • Micro picture
      hyuga · about 1 year ago · 2 pontos

      joguei primeiro o guardian of light e curti, este eu também gostei.
      Uma coisa que concordo (que até falei na critica dele) os puzzles da campanha são simples, mas das dungeons opcionais são desafiadores.
      o que gostei no ToO é que os chefes tem uma forma diferente de matar, não é só dar tiro

      2 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...