• bymyself ByMySeLF
    2017-01-19 10:09:00 -0200 Thumb picture

    Pai pede ajuda da comunidade para que a filha possa jogar sem assédio

    O pai da Iris Reis, uma menina de 10 anos, entrou na comunidade "Overwatch Brasil", no Facebook, para pedir a ajuda da galera. Segue o post dele:

    Ele ainda declarou: "Ver a minha filha triste e desanimada em relação a algo que a deixava contente foi uma grande motivação, mas principalmente por causa do respeito todos tem o direito de se divertir, independente de se é menino ou menina, tem que haver respeito ao que é diferente de você"

    Uma das minhas queixas com relação a jogos online sempre foi essa falta de respeito de alguns jogadores. Sempre que jogo online e escuto alguém falando no microfone ou algum sinal de que o mesmo está ligado já começo a procurar desesperadamente o botão para dar mute. Podem me chamar de mala, de anti-social, de chato, mas só jogo com o áudio da Party (antes nem isso eu fazia). Mesmo assim já recebi mensagem de texto uma vez ou outra me xingando por causa de alguma coisa que acontece no jogo (triste). Se todo mundo tivesse mais respeito e quisesse jogar numa boa, sem dar "showzinho", os jogos online seriam bem mais interessantes.

    Com relação a atitude do pai, achei muito interessante, e a resposta que a comunidade deu (adicionando a menina para formar equipes) foi sensacional.

    Falou ainda sobre as garotas que jogam online: "Em relação às meninas e mulheres que jogam é simplesmente ter educação e respeito, tenho varias amigas que jogam e tem que usar um apelido que não mostre que são meninas, é realmente triste [...] Recomendo a elas que criem grupos e joguem junto com os amigos, filhos e ao notar que estão sendo desrespeitadas denunciarem isso, se ficarmos calados isso nunca mudará."

    Esse assédio que a garota sofreu (e muitas gamers sofrem), infelizmente, é comum. Acho meio ridículo esse negócio de ter que criar id masculina para poder jogar em paz, mas, enfim. Fecho aqui meu "textão" com mais uma opinião do pai da Iris (e que também estou totalmente de acordo):
    "Não basta comprar o jogo e ter um ambiente seguro online se o próprio filho não tiver bons modos, exemplo tem que vir de casa, saber ganhar e saber perder faz parte da vida."

    Provavelmente (e espero eu) a galera que mandou essas mensagens e pediu fotos são pré-adolescentes ou adolescentes que, se tivessem um acompanhamento dos pais (que as vezes até vê a pessoa xingando, mas não faz alguma coisa), seriam melhores jogadores. Os pais tem que ensinar os seus filhos a jogar online e respeitar as pessoas que estão jogando com ele. Não é porque está online e não vê a outra pessoa que está imune e pode fazer qualquer coisa que não terá consequências. Para finalizar, acho que já passou da hora de termos a matéria "Educação Online" (ou algo referente a segurança/comportamento online) nas escolas.

    Fonte: Omelete

    Overwatch

    Platform: Playstation 4
    392 Players
    502 Check-ins

    92
    • Micro picture
      volstag · over 2 years ago · 4 pontos

      Que post foda!!
      Sabe, a educação, ou falta dela, no mundo online só reflete o que a criançada vê dentro de casa.
      E também rola porque a distancia e anonimato do tratamento via internet criar uma falsa zona de segurança pro agressor, os pais tem que monitorar melhor esses zé ruelas, já que os retardados não sabem jogar como se deve.

    • Micro picture
      galathar · over 2 years ago · 4 pontos

      "Para finalizar, acho que já passou da hora de termos a matéria "Educação Online" (ou algo referente a segurança/comportamento online) nas escolas."

      Perfeito! Uma ideia excelente e muito viável. O grande problema é que algumas crianças (e adultos com idade mental equivalente) acham que no ambiente online, não possuem limites. Que o contrato social não vale ali. E realmente seria muito válido trabalhar isso nas escolas, pra reverter o problema e buscar uma conscientização desde cedo.

      1 reply
    • Micro picture
      marcusmatheus · over 2 years ago · 3 pontos

      E vou te dizer que não é só criança não heim.
      Basta ver as acaloradas discussões sobre politica no ano passado pra notar o quanto algumas pessoas são imaturas quando estão "protegidas" em seus computadores.

      A geração atual (de quem gostamos muito de reclamar - eu mesmo reclamo muito!) foi totalmente educada pela nossa geração, logo o erro não esta na direção aonde os dedos apontam. ^_^

  • diegobrasilia Diego Lopes
    2016-11-27 21:42:06 -0200 Thumb picture

    Segura esse textão sobre o CoD Infinite Warfare

    Call of Duty impressionou abordando temas polêmicos reais e atuais como as guerras mundiais, guerra fria, revoluções comunistas, terrorismo, guerra do vietnã, colocou você infiltrado em um atentado no aeroporto, pra correr nas favelas do RJ, explodiram um carro bomba em uma família pra te sensibilizar, derrubaram a Torre Eiffel na sua frente, te colocaram no marco zero de uma explosão nuclear, mataram personagens icônicos como o Ghost em uma cena memorável com um plot twist incrível na história, fizeram você finalmente controlar o lendário Captain Price pra matar o maldito Makarov e isso tudo com trilhas sonoras geniais. Poderiam continuar nos surpreendendo com temas de 2015/2016 como a guerra da Síria, mostrar os novos equipamentos militares desse ano, abordar as atuais diferenças políticas entre os EUA e Rússia, coisas que realmente somam aos jogadores e incentivam à pesquisar sobre a história do nosso mundo, e colocá-los em cenários atuais pro multiplayer ser mais imersivo.

    O jogo não é ruim, mas ele é mais do mesmo, não inova em NADA, descartou totalmente o público tradicional pra se dedicar à uma abordagem futurista, confortável e preguiçosa, com uma história sem sal, e um multiplayer que já existia em Halo/Destiny/Titanfall. Poderiam lançar uma nova marca de franquia futurista e ter dois jogos competindo com diferentes concorrentes, dinheiro não falta pra fazer isso. Mas agora Battlefield 1 está reinando só, pegando todo o público antigo do CoD, e dificilmente o Infinite Warfare vai conquistar os fãs de outras franquias futuristas, principalmente Halo que possui fãs leais desde a década passada.

    Temos um jogo que foi lançado custando $10 a mais do que o preço padrão, não vende o CoD4 remaster separado e te obriga a comprar o novo mesmo que vc não queira ou não goste, motor gráfico ainda de 2007, e um tratamento de manada aos consumidores cegos, surdos e mudos.

    O jogo é bom, e merece uma nota justa pela qualidade de produção, mas a empresa responsável não merece uma nota relevante pela falta de respeito com os clientes nos últimos anos.

    Call of Duty: Infinite Warfare

    Platform: Xbox One
    56 Players
    9 Check-ins

    2
    • Micro picture
      kadzamunfallen · over 2 years ago · 1 ponto

      Sim, os jogadores pedem a volta do modelo dos CoDs antigos desde o AW. Porém, se voce for ver, o ciclo de produção dos jogos (desde o AW passaram a ser 3 empresas fazendo os CoDs) a equipe da IW não tinha como saber o feedback dos fãs quanto ao novo estilo (que teria sido muito mais bem recebido se o AW não tivesse sido uma merda). De fato faltou visão de mercado, mas n da pra dizer que são completos incompetentes (ate porque a campanha desse jogo é muito boa kkkk).

  • volstag Guilherme De Assis Pinto
    2016-11-25 19:38:22 -0200 Thumb picture

    No mundo do videogame o mais é menos!

    Medium 3420502 featured image

    Opção demais nos torna menos decididos na hora de jogar?

    Você já se deparou com a seguinte situação? Passar um dia no trabalho, ou na escola, pensando em chegar logo em casa pra jogar um bom game... mas ao chegar, e olhar pra sua coleção (física ou de piratas copiados no computador, mídias baratas e etc) ficou perplexo, pois não conseguia se decidir, ou até mesmo sentir vontade de pegar algo pra jogar?

    Você já parou pra pensar o porquê a cada dia fica mais difícil saber o que jogar? 

    Bom, eu não sou especialista, mas acredito que o mesmo ocorre em diferentes assuntos, como "o que desenhar?", "o que escrever?", "Que banda ouvir?" e por ai vai.

    Acontece que quanto mais temos de algo, menos sabemos por onde começar, no caso de colecionadores, a inundação de opções visuais, sonoras e etc que virá é de seu momento tão esperado de prazer, ser dividido por muitas opções.
    No caso do escritor por exemplo, por viver escrevendo, a quantidade de opções que ele tem para desenvolver um novo texto seja o que inunde sua mente.

    E como resolver isso? como podemos fazer pra desfrutar das coisas sem ficar em duvida, e consequentemente pararmos antes mesmo de iniciarmos uma nova "aventura"?

    Eu costumo pensar nessas horas, que a limitação, seja ela real ou forçada, é SEMPRE o melhor ponto de partida, vamos pegar por exemplo o caso de Hideo Kojima e sua fascinante saga Metal Gear, Mais especificamente neste exemplo, os 3 títulos feitos para o Playstation 1 e 2, pense só, ele tinha a liberdade de criar qualquer coisa, no primeiro (Metal Gear Solid PSX) ele se "limitou" a uma base no ártico, um ambiente relativamente fechado, com pequenas partes abertas, o que já delimita o que poderá e o que não poderá existir no game, o armamento de ultima geração, o numero de personagens "principais" (protagonista, antagonita, vilões) de certa forma limitada, até ai normal... não chamo isso de limitação, chamo de... delimitação, ele não colocou por exemplo mortos vivos, alienígenas, estão entendendo? ele delimitou o que teria e o que não teria, e disso, partiu pra criação.

    Bom, antes que alguém me atire pedras defendendo, deixa eu dizer, Metal Gear pra mim é a melhor saga de todos os tempos, já joguei e finalizei todos! e amo demais tudo que envolve essa série... continuando...

    Ao fazer o 2 (do PS2), Hideo simplesmente resolveu que no PS2 teria um revival, ou uma reciclagem de tudo que o primeiro teve, o grande plot do jogo é da recriação de um soldado idêntico ao Solid, para isso, toda a tecnologia utilizada, os jogos mentais e etc, se tornam a "limitação" ou "delimitação" que o Kojima brilhantemente orquestrou.

    No 3 vem a grande e genial delimitação, que no meu ver tornou o jogo muito mais excelente que os outros 2, por que? simples, como a história se passa no passado, temos então a limitação tecnológica e visual nos veículos, armas e até roupas e itens utilizados!

    A limitação na hora de criar é tudo! é ela que não te deixa misturar dinossauros com mortos vivos, com viagem no tempo, carros de corrida, crianças, desenho animado e pornografia em um mesmo jogo!
    Desenvolver algo focado é sempre a opção mais inteligente, até por motivos de atrair também um publico alvo e agrada-lo com mais atenção.

    Deixo aqui claro que, se o objetivo do jogo é exatamente o de fugir da realidade, então eles tem mais é que abusar disso (Doom é sobre guerra? é sim, mas Doom não seria Doom sem os demônios não é mesmo?).

    Bom, de toda essa enxurrada de palavras que despejo aqui, deixarei então o que faço pra delimitar, ou ajudar na hora de escolher um jogo (ou musica, ou tema pra escrever ou desenhar e etc):

    Uma coisa que fiz pra aliviar essa coisa horrível que nos assolam quando temos muitas opções, foram as seguintes coisas:

    Se desafie a finalizar o jogo que pegar (ou abandonar pra só jogar muito tempo depois... ou nunca mais);

    2º Colocar na cabeça que mesmo que você finalize uns 5 jogos por dia, não conseguirá jogar todos os jogos que existem até o ultimo dia da sua vida, portanto, aproveite ao máximo a experiência do jogo que estiver jogando no momento, SE ele for legal e te agradar;

    3º Reveze entre Novidades e Clássicos, entre Gêneros, e entre Consoles, nunca jogue seguidamente dois jogos novos, ou dois antigos ou dois do mesmo estilo, a não ser que a vontade seja muita!

    4º Aceite que nem todo jogo é pra você, muita gente pode adorar um certo jogo, e você não se deve forçar a joga-lo por isso, se sua experiência não foi legal, ou no momento você não curtiu, mande ele pro fundo das opções, ou nem isso.

    71
    • Micro picture
      ghostsnakin · over 2 years ago · 2 pontos

      Ótimo post. Vou tentar seguir sua dica pros jogos

      1 reply
    • Micro picture
      caramatur · over 2 years ago · 2 pontos

      Muito legal seu post, parabéns cara! o/

      1 reply
    • Micro picture
      herics · over 2 years ago · 2 pontos

      Gostei do Texto, expressa bem meus problemas de jogador, achei bem útil, uma ótima ajuda para aqueles momentos de duvida ^.^ Obrigado

      1 reply
  • itsjojo665 Jonathas de andrade
    2016-06-27 18:38:45 -0300 Thumb picture

    O grande ladrão.


    Olá navegantes! passei um tempinho sem fazer nada aqui além de check in pelo simples motivo de não ter tido mais criatividade. acontece que fui convocado pelo @o_pior_dos_games pra participar do desafio do diferentão. Não sei se posso me considerar um, mas vamos lá.

    Playlist pra acompanhar a leitura (pois sou att whore e gosto que as pessoas escutem minhas playlist): https://open.spotify.com/user/12143221302/playlis...

    Ao ver o título do desafio, me pus a pensar. Rapidamente me veio a cabeça todos os jogos que eu gosto e muitas das pessoas nem sequer conhecem ou deram a devida atenção. Pois li novamente e vi que o desafio era justamente o contrário. Pus me a pensar novamente.

    Oh boy, existem muitos jogos que eu não gosto. Muitos mesmos. Mas eu me pus a pensar principalmente pelo meu estilo de jogo, o que eu gosto de jogar. Não seria justo eu falar um pouco aqui sobre o por que de eu não gostar de dark souls. O próprio gênero já não me cativa. Eu não estaria sendo diferentão, estaria sendo coeso comigo mesmo.  Eu não gosto do estilo do game, para que irei expor isso? Comecei a mentalmente folhear os estilos cujo gosto e jogo no que podemos chamar de base diária (nos dias que eu posso jogar). Adoro shooters, como já devem ter percebido. Os que me seguem já devem até esperar os check-ins no BO3 quase toda noite. Eu adoro, é descompromissado, me diverte, me cativa. E parando pra pensar vi que são poucos os shooters que não gosto (E muitos deles sendo da valve, excluindo CS e L4D) , eu simplesmente adoro o gênero, então decidi falar sobre um que eu não tenha tanta paixão: Mundo aberto. Seja vigiando cachorros, seja digirindo pela cidade com um puta vibrador roxo, seja andando em postes e subindo em prédios, eu me divirto. Na medida do possível, mas me divirto.

    Não pus me a pensar tanto sobre o que me cativa sobre esse gênero, mas eu gosto de andar pela cidade, pensar sobre o que motiva o protagonista ( em jogos com tons mais sérios), e aproveitar as side quests. Um dos motivos para eu ter ignorado muitos dos defeitos de watch dogs foi que simplesmente eu achei as side quests super legais! as missões de escolta, as missões de montar um qr code ficando em uma posição específica no cenário, as invasões, eu achava tudo muito divertido. Mas enfim, estou fugindo do foco. Devo falar sobre o que eu não gosto, não é mesmo? pois bem, vamos dissertar um pouco sobre esse cara aqui:

    Amigos, eu não suporto GTA. 

    Antes de tudo, não estou aqui para disseminar o rage, e espero que você, caro leitor, também faça o mesmo (ato da não-disseminação do rage, só pra ser claro). só estou expondo meu ponto de vista, então também não venha tentar rebater o que eu digo aqui. Não estou falando verdades absolutas, nem quero que você me convença que o jogo é legal, pois eu não o acho.

    GTA 1, 2, Vice city, San andreas, Chinatown wars e uns 10 minutos de gta V. Estes foram os títulos da série que joguei, e vou até admitir que nos 2 primeiros eu me diverti, não sei se pelo fato de eu ser menor, ou pelo motivo de que atropelar as coisas era divertido, mas nada além disso. Eu nunca terminei nenhum dos jogos, eu parava na metade ou muito antes disso, as missões não são divertidas, o cenário não me é cativante, eu não vejo carisma nenhum nos personagens e as sides são chatas. No vice city eu até avancei um pouco, fazendo as missões,dirigia pela cidade, mas mesmo assim eu joguei muito tempo depois até mesmo do san andreas, pela recomendação de um amigo. Eu lembro até onde eu parei. Era uma daquelas tardes de domingo, lembram na época onde domingo era sinônimo de sol, uma puta ventania e vários nada para se fazer? então, estava eu jogando gta vice city. Foi numa missão onde você tinha que controlar um helicóptero de controle remoto. Na metade da missão eu dei alt F4 e nunca mais abri. San andreas eu me arrastei pelas primeiras missões, chinatown wars me divertiu no ds nos primeiros 45 minutos e GTA V eu joguei na casa de amigos algumas vezes, vi eles jogando incontáveis vezes em missões de diversos tipos e nada me chamou atenção.

    O jogo não me cativa em nada, eu não vejo charme nenhum, não tem aspecto que me prenda. Eu não consigo gostar da história, dos personagens, de quase nada. Mas eu respeito o game. Eu respeito, e muito, o fato da rockstar lançar um game 100% completo onde, nos tempos que vivemos e com a fanbase que o jogo tem, ela poderia ter lançado GTA V, vendido os finais alternativos, lançar o multiplayer com mensalidade... And get away with it. O jogo tem conteúdo demais da conta, não posso negar. Tem uma campanha longa, um multiplayer que se depender da playerbase não morre por mais uns 5 anos, mas pra mim não vale a pena comprá-lo pelo fato dele ser um jogo completo se não vai me divertir nem um pouco. 

    Phew, cheguei ao fim. Espero que tenham chegado até o final, sei que as vezes deixo os textículos meio grandes, hehehe. Sei que o desafio também consistia em marcar pessoas pra dar continuidade ao desafio, mas eu sou relativamente novo aqui, não fiz muitas interações (a não ser no grupo do xone e no grupinho misto) e creio que muitas das pessoas que eu sigo já foram convocadas. Posso ser diferentão e pedir para que todos que leram até o final fazerem sua contribuição com o desafio? Oh, se te cativar, é claro.

    Cya soon, my niggas.

    8
    • Micro picture
      seta · about 3 years ago · 2 pontos

      GTAV foi o primeiro GTA que eu finalizei, e curti xD eles souberam dar uma profundidade aos personagens que eu tava sentindo falta em outros jogos. Não estou dizendo que você deve gostar tbm hauahsu mas achei isso legal no jogo

  • xonas_kun Jonathan
    2015-03-21 14:31:46 -0300 Thumb picture

    Resumo de personalidade de acordo com a escolha inicial em Pokemon

    Acabei comentando um textão, então vou colocar aqui também porquê achei legal... Hue

    - Squirtle: Gosta de um risco controlado, e procuram planejar com um margem maior de erro. Sentem dificuldade em trabalhar o processo mais do que as iniciativas. São proativos para começarem projetos e precisam de uma boa equipe ao longo do caminhos para desenvolver sua ideia.

    - Chamander: O desafio os motiva mais que a estratégia. Segue a filosofia do "protagonista de animé Shonen": Não sei o que está acontecendo, mas alguém vai apanhar muito e eu vou ganhar pq vou me superar e salvar meus amigos. As dificuldades podem o levar a desistir facilmente e são bem resolvidos quanto a mudanças.

    - Bulbassaur: Estratégicos e pensam a longo alcance. Desde o inicio de seus investimento, fazem um planejamento detalhado de toda o caminho a ser percorrido, levando em consideração vantagens e desvantagens. Crescem de maneira gradual, tendo paciência para suportar algumas intepéries ao longo do caminho. Não são de "Seguir a onda", fazem um estilo próprio e não se incomodam se não são os mais populares.

    (Oliveira, 2015)

    Pokemon FireRed Version

    Platform: Gameboy Advance
    9176 Players
    449 Check-ins

    7
    • Micro picture
      xonas_kun · over 4 years ago · 2 pontos

      Mas q risada foi essa?? Malz ai.. Hue

    • Micro picture
      carlos_gamer115 · over 4 years ago · 1 ponto

      Bulbasaur Here!

    • Micro picture
      jornalistazeke · over 4 years ago · 1 ponto

      suas previsões falharam HAHAHA eu escolho Charmander pq acho fofo mesmo AUSHAUHSUAHSUHA mesma coisa quando pego Squirtle xD

      2 replies

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...