• frreeakk frreeakk ❎ #E32019
    2019-06-07 22:15:29 -0300 Thumb picture

    O MOTIVO DA FALENCIA DA TELLTALE.

    Medium 3726137 featured image

    A Telltale Games está declaradamente falida, de acordo com um relatório da GameDaily, o co-fundador da Sherwood Partners confirmou ao site que estaria lidando com a liquidaçäo e a demiçäo de vários funcionários

    O MOTIVO

    Porquê a Telltale faliu? eu lhe respondo meu caro leitor. Com tantos jogos incríveis que a Telltale produziu, como a saga inteira da Clementine em TWD, contanto mais do universo do Batman em Batman the Telltale Series, mas isso näo foi o suficiente para deixar a empresa de pé.

    Eu lhe pergunto, você ve pessoas jogando jogos point and click? e näo estou falando de joguinhos basicos de point and click que você acha em um click jogos da vida por exemplo, estou falando de jogos grandes, Como Life is Strange da Dontnod.

    claro que näo, as pessoas estäo mais preocupadas em quem faz o maior frag no seu jogo de FPS generico que sai a cada 6 meses, ou tentando ganhar uma partida no seu Battle Royale preferido, näo estou ofendendo o seu joguinho de tiro preferido, e nem generalizando, oque estou tentando dizer, é que os ``gamers`` quando escutam algo sobre Point and click, ja passam longe, nem ao menos testam o jogo, e eu, como um player de campanha fico extremamente triste com isso, e peço aos deuses que isso näo aconteca com a Dontnod studios, que esta finalizando Life is Strange 2.

    Você que nunca testou algo desse genêro, peço que pelo menos baixe a demo de qualquer jogo que foi citado acima, jogue com calma, sem pressa de terminar, preste atençäo no cenário, de a devida atençäo que o jogo merece. (e isto vale para qualquer jogo)

    bom, é isso, vale lembrar que essa é uma opniäo minha, e näo o real motivo da falencia da empresa (apesar que eu acredito fortemente que seja isso sim)

    Muito Obrigado.

    3
  • anduzerandu Anderson Alves
    2019-01-23 18:13:11 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: The Walking Dead: Michonne

    Zerado dia 23/01/19

    As imagens desse post podem corresponder à várias plataformas.

    Quem vê eu zerando esses The Walking Dead deve achar que ou eu sou fã da série ou dos jogos da Telltale, mas o fato é que eu dou aula de inglês e no início do ano todos os alunos estão de férias e eu fazendo sei lá o quê por lá. Pra ser mais discreto, acabo dando preferência para jogar no celular, mesmo não curtindo muito a plataforma pra isso. O resultado é que tenho adiantado todos os jogos da falida dev assim que posso (ou os da engine que ainda rodam no meu Moto G4 Plus).

    Baixei TWD: Michonne semana passada, depois de voltar do recesso assim que percebi que faria nada por umas semanas da mesma forma como foi no final do ano. Joguei o começo e tive uma semana surpreendentemente cheia graças a uma maratona de aulas complementares para alunos de recuperação. Com outras coisas pra fazer até ontem, lembrei do jogo hoje e já retornei, indo até o final.

    Pois é, quando eu estava pesquisando sobre qual jogo da Telltale começar, acabei me inclinando a voltar ao mundo de The Walking Dead, pois gosto muito da experiência que tive com os dois primeiros jogos da Clementine (não joguei os outros ainda). Já sabia que esse daqui era um jogo singular, sem continuações e tal, mas a certeza de jogá-lo veio com os comentários dos jogadores dizendo que a aventura durava menos de 3 horas. Não vou mentir que o subtítulo "mini-series" me atraiu bastante também, pois geralmente os jogos dessa produtora se arrastam um pouco e em situações de sono na escola pela manhã, acabo até dando umas pescadas.

    TWD: Michonne conta a estória da personagem que ficou famosa no meio geek graças às HQs e seriado por sua personalidade séria, ter zumbis "de estimação" para manter os outros a distância e carregar uma katana, que usa para cortar cabeças fora. Ela é demais!

    A versão dela no jogo não ficou por desejar, o que eu já esperava da Telltale. Seus personagens são sempre muito bem feitos.

    O jogo em si não tem muita novidade pra quem já jogou títulos similares. Ainda há um monte de opções para responder às conversas ou reagir às situações e que muitas vezes não parecem importar muito. Há um bocado de personagens, incluindo o seu grupinho pequeno do bem, e há também o grupão do mal comandado por um babaca que ameaça a sua paz.

    Um diferencial é que justamente pelo jogo ser único, ele tem um ritmo mais acelerado e um enredo menor, mas não rola um sentimento de estar sendo corrido. Basicamente a estória se passa em 3 cenários: um navio (inclusive há muita água nesse jogo. Se segura IGN!), uma base à beira d'água e um casarão, como partes menores entre elas, como caminhos na floresta etc.

    Há ainda poucos personagens, ou deveria dizer o bastante? Ao invés daquela quantidade gigante de gente morrendo e outras aparecendo no lugar, aqui há um número menor de pessoas e cada uma é importante e participa bem do jogo. Quando alguém morria, eu sentia mais do que o normal ou me surpreendia mais. Basicamente são duas facções lutando o jogo inteiro.

    Outro diferencial maneiro é que a Michonne é bem badass. Ela mata mesmo quem ela acha que deve matar, enfrenta a todos e não tem dó ou drama. Em várias cenas de luta contra muitos inimigos, como zumbis, ela sai usando sua machete e arrancando partes pra todo lado (sendo que nos jogos da "série principal" as pessoas teriam dado a volta e evitado confronto ou morrido aos montes, o que sempre me deixa meio puto). Várias das ações dela pareciam aquelas interações com os cenários dos lutadores em Injustice (haha).

    O drama do jogo se dá pelas memórias passadas e confusas da protagonista com suas filhas, que ela aparentemente perdeu. Esses flashs acontecem frequentemente em partes que são semelhantes à experiências que ela teve com sua família.

    Pessoalmente, eu achei esse jogo muito fácil. Ou até fácil demais.

    A sensação é que eu joguei menos do que os outros e assisti mais e que a maior interação foi em fazer escolhas de texto. Há um bocado de QTE, mas a grande maioria nem se importa em que parte da tela você os executar.

    Por exemplo, normalmente você teria que tocar num símbolo na cabeça de um zumbi para golpeá-lo, agora basta tocar em absolutamente qualquer lugar da tela, mesmo o símbolo estando lá, na cabeça dele. Eu chutei que fizeram isso possivelmente pelas pessoas terem tocado no lugar exato em jogos passados e o jogo não reconhecer por qualquer motivo e agora você, mesmo errando ao tocar nas proximidades, acertaria o comando e nem perceberia.

    Os checkpoints também são bem frequentes, então perder ou errar um comando não quer dizer muita coisa. Por conta dessas características, eu tava sempre pensando no sentido de jogar esse jogo. A jogabilidade é simplória mesmo quando comparado com outros Telltale. A estória não é envolvente. Se fosse um filme, seria um bem "ok".

    Resumindo: The Walking Dead: Michonne é só mais um jogo da Telltale. Não há nada de novo, nada revolucionário de qualquer forma. Por seu um jogo único, ele começa e acaba dentro de suas 3 horas de jogatina, e é isso. Início, meio e fim. Não achei a experiência ruim, mas não vi muito motivo para justificar a sua existência ou para jogá-lo. Pela sua duração, talvez seja um título legal para começar a conhecer a Telltale ou recomendar pra pessoas mais casuais, embora The Wolf Among Us ainda seja a minha aposta pra essa posição, pois o enredo é muito melhor.

    De bom: visual bacana da produtora, apesar da simplicidade aqui e falta de originalidade dos cenários. Personagens legais. Jogabilidade simples. Todos os episódios tem uma abertura estilo seriado da Netflix, e com uma música legal (apesar de eu não entender muito essa moda de músicas "cult" no universo The Walking Dead e em séries em geral. Aqui parece bem fora de contexto).

    De ruim: estória bem curta e nada imersiva. Uma das maiores problemáticas e mistérios que te instigam pela aventura, não é bem resolvida no final e nem há cliffhanger para um próximo jogo. Isso me deixou pensando se eu tenho que ler a HQ pra entender melhor os problemas da Michonne (o que não farei). O jogo acaba bem sem graça, nem parece ser um final.

    No geral, foi uma experiência legal e que FELIZMENTE durou muito pouco, pois se o jogo fosse longo e na mesma pegada, eu diria pra passar longe. Então, vale a pena jogar. Pensando em começar outro deles, Minecraft ou Game of Thrones. Alguma recomendação?

    The Walking Dead: Michonne

    Platform: Android
    5 Players

    11
    • Micro picture
      jcelove · 5 months ago · 2 pontos

      Game of thrones eu gostei bastante. Pena q nunca havera a segunda temp.
      Minecraft fica bom se vc gostar do minecraft original, senao vai parecer meio bobo. Ah, aparentemente relançaram ele em forma de video interativo na netflix tbm...

      2 replies
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 5 months ago · 2 pontos

      MICHONNE realmente é uma puta. personagem badass.

  • palomaref Paloma Cristini
    2019-01-14 11:09:37 -0200 Thumb picture

    Minhas memórias - PS4 (Parte 5)

    Continuando com a postagens dos meus screenshots do PS4, relembrando as jogatinas.

    Game: Tales from the Borderlands

    Meu primeiro contato com a franquia Borderlands foi com esse game, que eu acabei pegando por ser mais um na lista de Troy Baker rs. Eu amei o game de primeira e fez eu comprar os outros games da franquia. Foi a melhor decisão que tomei na minha vida hahahaha ♥ (homenagem a falecida Telltale ;-; ♥).

    Parte 1 - Parte 2 - Parte 3Parte 4

    Tales from the Borderlands

    Platform: Playstation 4
    298 Players
    102 Check-ins

    21
    • Micro picture
      llyana · 5 months ago · 2 pontos

      Eu amo tanto esse também, me diverti muuuuito jogando, mesmo com aquilo de escolhas no final não mudando quase nada... ainda dá pra rir e curtir a história, que é ótimaaaaaaaaa

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 5 months ago · 2 pontos

      Cara...quando tu vai pro espaço...tudo fica extremamente hilário!
      E aquela robozinha..."só amor"

      1 reply
  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-12-26 15:04:42 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Tales from the Borderlands

    Zerado dia 26/12/18

    Fim do ano na escola e zero coisas pra fazer, peguei o The Walking Dead Season 2 pra jogar numa boa e acabei me prendendo mais do que nunca num jogo da Telltale Games, zerando a aventura em uns 2 ou 3 dias. Com alguns dias pela frente até o recesso, resolvi continuar jogando algo similar e o @msvalle recomendou o Tales from the Borderlands. Pareceu uma boa ideia (e foi mesmo).

    Antes de falar sobre TftB eu tenho que dizer que meu contato com a série Borderlands é muito pequeno. Joguei apenas algumas das missões iniciais do 2 no meu notebook com amigos mas fomos largando após o segundo chefe. No meu PC, com placa de video onboard, a experiência não foi muito boa e eu achei o jogo em si meio chato e eu ficava caindo o tempo todo, esperando alguém me levantar (não sei se joguei errado ou sou ruim pra caramba mesmo nesse jogo haha). O fato é que eu planejo jogar a série um dia desde o 1, mas não sei quando. Além disso, com certeza eu perdi muita coisa em TftB justamente por não estar familiarizado com Borderlands.

    Pra quem está acostumado com jogos da Telltale, TftB parece bem familiar com a engine antiga, escolhas e a forma como tudo é apresentado e a progressão dos diálogos, da estória e do jogo em si. Por outro lado, esse daqui é bem mais "upbeat" que as minhas outras experiências com a falida desenvolvedora (Wolf Among Us e 2 Walking Deads), ou seja, é um jogo bem mais feliz e colorido.

    Eu vou resumir esse jogo como um filme de classificação Livre daqueles que você vê no cinema com os amigos e sai de lá falando: "É, foi legal. Algumas partes foram engraçadas." e depois assiste novamente em casa no domingo quando passa na Temperatura Máxima dublado.

    O enredo começa como uma superprodução hollywoodiana já com o protagonista sendo apresentado e sofrendo uma crise e bolando um jeito de se vingar de um colega de trabalho bem resolvido. Logo veem os personagens determinados, otimistas e muitas confusões.

    Nesse título, jogamos com dois protagonistas, Rhys e Fiona. Ele, um funcionário de uma corporação gigante que fica numa estação espacial fora do planeta, Hyperion. Ela, uma pobre tentando de qualquer forma fazer dinheiro no planeta onde tudo é deserto e bandidos (meio que no estilo Mad Max).

    Logo se juntam equipes de ambos os lados (e mais tarde pessoas de fora) e você tem um bom grupo, com o mocinho, a mocinha, o bandido do bem, o nerd, o robô de guerra, o robô pequeno etc. Definitivamente não tem como não curtir os personagens.

    É interessante saber que as escolhas e interações no geral nesse jogo são geralmente muito mais trabalhadas e muitas coisas você só vai perceber quando chegar ao final da aventura e descobrir que poderia ter feito coisas diferentes, como ter salvado um personagem  ou recrutado outro que parecia ser bem secundário.

    Além de andar e fazer escolhas que pareceram tem mais importância que qualquer outro jogo da Telltale, as vezes tem até mini puzzles e formas diferentes de interagir com algo. Alguns exemplos:

    -Uma vez no início, um robô vem nos salvar e há a opção de equipá-lo de diferentes formas, com metralhadoras ou mísseis, poe exemplo. Não tenho certeza qual diferença isso faz;

    -Várias vezes temos que atirar com a pistola de Fiona, que tem três canos de munição diferentes: fogo, eletricidade e radiação (?). Na hora de destruir as coisas, o jogo manda você escolher qual munição usar;

    -É possível trocar roupas, acessórios e mesmo o braço biônico de Rhys para outros mais modernos e todos essas trocas são permanentes (ou pelo menos até você poder trocar de novo). O jogo pede para que mude as roupas com base em algum lugar que você vai visitar para se disfarçar, mas não sei o que acontece se eu não fizer nada.

    Apesar dessas incertezas, é sempre bom ter a sensação de que você está fazendo as coisas do seu jeito e que elas estão tendo seus efeitos.

    Outra coisa legal é que explorar os cenários as vezes faz com que achemos dinheiro. Dinheiro pode ser usado para se equipar melhor, pagar subornos e até recrutar pessoas pra te ajudar no final do jogo. Você vai perceber que essas coisas opcionais deixam o jogo bem mais livre e menos linear. Em outra situação eu tinha uma bala pra minha arma e o jogo me deu várias oportunidades de usá-la, mas eu fui guardando até achar qual seria a melhor hora de usá-la (e me arrependi).

    TftB, como eu já disse, é um jogo bem aos moldes dos filmes família de Hollywood, e isso é legal. Gosto como ele tem início, meio e fim (apesar de terminar com algo que me pareceu um cliffhanger para o que seria uma continuação).

    Mas por esse motivo, é o tipo de estória que eu tenho um pouco de dificuldade de absorver. Toda hora eles estão em um lugar diferente! O fato de 90% do jogo ser os personagens no presente contando o passado (você está jogando algo que "já aconteceu") e a jogabilidade ficar trocando de presente para passado recente e de um personagem em um lugar para outro em outro lugar, me deixa meio confuso as vezes.

    Uma das primeiras escolhas cruciais do jogo foi agir contra um personagem: "break his heart" ou "blow his mind". Escolhi a primeira e o personagem enfiou a mão no peito e arrancou seu coração! Vi mais tarde a outra no Youtube e ele só pedia ajoelhado por um favor. Mas depois disso, o personagem que supostamente matei, ainda estava de boas no jogo (mais tarde descobri que algumas opções são como se você estivesse exagerando/mentindo sobre o que aconteceu de verdade.

    Resumindo: Tales from the Borderlands é um jogo divertido e feliz, um pouco diferente de outros jogos da Telltale. Sinceramente, antes eu recomendaria conhecer a desenvolvedora pelo The Wolf Among Us, mas agora eu vou ter que perguntar se ela quer algo mais "ação" ou algo mais "sério". Foram 5 episódio e cerca de 10 horas muito bacanas e só não acabei antes porque em casa eu me dedico mais aos consoles e esqueço de jogos no celular.

    De bom: visual colorido e humor estilo Borderlands muito legal, sem muito exagero. As escolhas e ações nunca pareceram ter tanta consequência. Exploração te abre mais possibilidades dentro do jogo com recompensas. Muitos personagens originalmente únicos. A estória é boa, mas fica demais no final!

    De ruim: algumas escolhas eram confusas e eu interpretava de um jeito para descobrir o que eles queriam dizer só depois de executá-las. O jogo travou uma vez e eu tive que refazer um capítulo inteiro de um episódio porque não colocaram um checkpoint numa transição de partes. Muitos nomes e terminologias parecidas ou raramente usadas me deixavam meio perdido.

    No geral, adorei o jogo e como ele não cai na monotonia. No início de cada episódio rola uma recapitulação que só me fazia pensar: "cara, como essa história está se desenvolvendo! Quanta coisa já aconteceu"! Recomendo o jogo sim, ainda mais se você gosta de filmes e jogos mais despojados e descompromissados, mas tenha em mente que se você está cansado de jogos da Telltale, talvez seja melhor esperar mais uns tempos.

    Tales from the Borderlands

    Platform: Android
    4 Players
    1 Check-in

    18
    • Micro picture
      filipessoa_ · 6 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Pôxa muito interessante saber que o jogo tem mais opções de escolhas do que os demais da Telltale, esse negócio dos dinheiros no cenários eu nem sabia que tinha haha

      Você disse que o TftB é mais colorido e feliz que o The Wolf Among Us, e realmente parece mais feliz só que acho que ele também tem muitas cores, o negócio é que ele é muito escurão enquanto esse aí é claro como o Sol pra expôr a ação de melhor maneira.

      Como sempre: ótimo registro! Caso mais pra frente você decida executar seu plano de zerar os Borderlands começando pelo 1 e se for PC, não hesite em me chamar por que eu também quero fazer a mesma coisa algum dia kkk

      2 replies
    • Micro picture
      msvalle · 6 months ago · 2 pontos

      Parabéns pela finalização! Que bom que gostou da minha sugestão, eu mesmo ainda tenho que jogá-lo rs

    • Micro picture
      gus_sander · 6 months ago · 2 pontos

      Interessante, acho que vou dar uma olhada nele depois, parece realmente bom. E parabéns pela conclusão!! ^^

  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-12-13 18:27:51 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: The Walking Dead - Season Two

    Zerado dia 13/12/18

    Eita que depois de anos eu finalmente volto a jogar outro jogo da Telltale Games, mais especificamente a continuação do The Walking Dead, que lembro que joguei no meu celular anterior (e terminei no notebook)

    Fim de semestre na escola e quaaaase de férias, o povo já tá recomendando levar coisas pra fazer e passar o tempo por lá até terça-feira, nosso último dia antes do recesso. Como ainda rola de fazer uma coisinha aqui e outra ali durante o expediente, eu optei por não levar o 3DS e jogar no celular, algo mais discreto, e foi aí que veio a ideia de continuar os jogos dessa produtora que vem passando por tanto drama para fechar a série de zumbis.

    Não vou mentir que jogos da TTG são meio cansativos e que depois de jogar dois (Wolf Among US e o TWD anterior) eu já tinha me saturado um pouco, mas ter dado um tempo valeu super a pena, tanto que fechei esse agora em 3 dias. Já os vários outros jogos deles (Minecraft Story, Borderlands, Batman, Game of Thrones etc, só deus sabe quando jogarei).

    TWD:S2 é como os outros jogos desses devs: uma aventura/filme/estória interativa. Você assiste e lê mais do que propriamente joga, mas dá mais certo do que com muitos outros até certo ponto, principalmente pelo fato de que suas ações e escolhas tem resultados, podendo mudar um pouco a narrativa e até salvando ou matando personagens.

    As duas coisas que você vai perceber de cara no início dessa segunda temporada são: os visuais cativantes da série, em que nada é robótico, os cenários são bem detalhados e os personagens tem muitas expressões e ótima dublagem, e como a estória é bem contada, te prendendo aos acontecimentos, te deixando curioso e com escolhas super difíceis de fazer.

    Definitivamente é uma aventura muito imersiva.

    Pra quem conhece a série ou as HQs, vai encontrar situações e personagens parecidos aqui e ali, mas de uma forma muito positiva e, na minha opinião, muito mais interessante (não que seja difícil ser mais interessante que o seriado, larguei na 6ª temporada).

    Vi gente dizendo que o primeiro jogo foi melhor e vi gente preferindo a esse, então acho que pode variar um pouco de gosto a gosto, mas vou dizer que a Season 2 foi bem mais interessante.

    Tudo bem que a primeira foi mais novidades e você pode chegar um pouco cansado aqui, sobretudo se jogar um seguido do outro. Além disso, a falta de personagens importantes do jogo anterior pode fazer algumas pessoas torcer o nariz.

    Por outro lado, esses personagens não estão mais aqui por um bom motivo e como a estória continuou de lá e depois dessas pessoas, deixa a coisa mais interessante. Além disso, a S1 mantém muitos dos clichês não só da série e da HQ, quanto da cultura zumbi como um todo, enquanto a S2 chega à um nível de interesse que sempre quis que a TV chegasse. Os dramas, escolhas e problemas encontrados são mais realistas  e te deixam mais dividido.

    A minha jogatina deve ter durado menos de 10 horas, mas calculei umas 2 horas ou quase isso para cada um dos 5 episódios do jogo. Pra quem não sabe, o jogo é lançado por partes até ser completado depois de um tempo, te dando tempo pra absorver as coisas e ansioso/curioso para o próximo sair, inclusive, é comum os jogos da TTG terem o primeiro episódio de graça pra você entender como funciona e te atiçar por mais.

    A estória começa bem bacana e logo caiu numa rápida chatisse que me fez lembrar o porquê de eu enjoar desses jogos, mas logo ele voltou a ser interessante (ainda no capítulo 1) e logo eu estava devorando o jogo.

    Basicamente a solitária Clementine encontra um novo grupo e tenta ganhar sua confiança. Mais tarde vamos conhecendo os personagens que acabam sendo bem mais interessantes do que podem parecer de cara e seus problemas. O grupo tem um grande problema em comum que estão tentando evitar e acabam indo para outros lugares, onde inclusive você encontrará personagens do jogo anterior. Gente morre, um ou outro entram pro time etc. 

    Eu nunca tinha gostado tanto de um grupo de personagens como aqui. Senti muito a morte dos que se foram e fiquei legitimamente abalado com o final da aventura.

    A progressão de TWD:S2 é muito boa, mantendo tudo bem claro na sua cabeça, sem confusões, e surpreendendo a todo tempo. 

    Algumas escolhas que fiz tiveram resultados bem piores do que eu imaginava, e acabei checkando no Youtube como as coisas poderiam ter sido diferentes. Foi aí que me decepcionei um pouco.

    Com exceção de algumas escolhas do tipo "salve um dos dois", o resultado acabava sendo o mesmo, apesar de seguir caminhos levemente diferentes. Um exemplo disso foi um personagem que estava sobre um lago congelado com uma perna dentro d'água com zumbis o seguindo. Eu tinha duas opções: ir até ele e ajudá-lo a sair de lá ou ficar de longe atirando nos zumbis. Embora ele não quisesse que eu chegasse perto, eu preferi ir até lá.

    O que aconteceu: o gelo quebrou pra mim e ambos ficamos submersos. Um zumbi veio e o puxou pro fundo

    Na outra versão, eu fico mas outra pessoa vai lá e quebra o gelo e o personagem morre congelado.

    Resumindo: The Walking Dead - Season 2 é uma ótima aventura interativa. É definitivamente a pedida perfeita pra jogar no celular, inclusive pra quem não é bom com videogames. Você joga um bocado, tanto fazendo escolhas quanto fazendo Quick Time Events e interagindo com os personagens e cenários em determinadas partes. Não há a sensação de estar assistindo um vídeo, mas de estar jogando mesmo.

    De bom: a estória é excelente, como foram todas as minhas experiências com a Telltale até o momento. Visual muito bonito, com cenários detalhados e cheios de coisas para interagir. Progressão muito boa de tudo. Imersão incrível (o jogo até recomenda jogar de fones para aumentar isso, mas infelizmente não deu pra mim). Dramas interessantes e sem lengas lengas e enrolações que tive perto do final da S1.

    De ruim: pensando no conto como um todo, qual o objetivo de tudo? Pra onde estamos indo? O grupo constantemente fala em chegar numa cidade (que nem na série) onde terá de tudo, inclusive segurança, mas a sensação é que o problema sempre está no momento e eles não progridem ou não planejaram o futuro. Pois é, esse lance de eles serem azarados de sempre acontecer algo me incomoda um pouco. Achei que o jogo poderia ter mais puzzles. Algumas mortes são forçadas. Várias escolhas e resultados são a mais pura ilusão, então melhor acreditar que teve sim uma grande consequência.

    No geral, amei o jogo, embora ele não tenha lá o melhor desfecho (que espero que exista no final do último jogo), pois parece que joguei, joguei e joguei pra chegar em lugar nenhum, só ver gente morrendo (mais uma vez, como na série). Infelizmente a S3 não roda no meu celular, pois trocaram de engine, mas fiquei tão contente que vou tentar zerar mais um Telltale nos últimos dias de serviço. Dicas?

    The Walking Dead: Season Two

    Platform: Android
    7 Players
    1 Check-in

    13
    • Micro picture
      msvalle · 6 months ago · 2 pontos

      Falam muito bem de Tales from the Borderlands, que apesar de ter, ainda não joguei, pois essa farsa de consequências (além da engine envelhecida) me afastaram de vez da Telltale. E olha que ainda tenho também o da Michonne para jogar...

      1 reply
  • palomaref Paloma Cristini
    2018-07-20 14:34:29 -0300 Thumb picture

    Platina N° 8 - The Walking Dead (PS3)

    Aquela platina fácil que todo mundo tem só por jogar o game hahahahaha.
    Aproveitei que peguei ele completo na época e fiz 100%. Até uns troféus da DLC eu fiz.

    (Na imagem, tem mais detalhes como quantos dias levei pra platinar, a data da platina e horário, então não preciso escrever aqui).

    Platina 1 - Platina 2 - Platina 3 - Platina 4 - Platina 5 - Platina 6Platina 7

    The Walking Dead: The Game

    Platform: Playstation 3
    2085 Players
    189 Check-ins

    12
    • Micro picture
      gus_sander · 11 months ago · 2 pontos

      Parabains!!
      Ainda preciso jogar esse ai e a DLC. Por sinal, mais uns dias e você conseguiria os 400 dias dela xD

      1 reply
  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2018-02-23 12:04:13 -0300 Thumb picture

    CHECK IN (SHARE).

    Então bora continuar com essa eletrizante aventura...

    Aqueles raros momentos de escolhas que tanto adoramos nos games da TELLTALE (deveria ter mais).

    Que tal? Eu acho que a grana foi bem gasta...

    Acho que o primeiro grande momento do game: a "invasão" seguida da "corrida" e a "busca pela maleta de $$$$".

    Também aqueles outros momentos que amamos na TELLTALE: sem medo de ser "GORE"...

    Passada a ação, vamos desmistificando alguns mistérios.

    Então ficou assim: fiz apenas 3/7 escolhas como a maioria... Fui bem do contra nesse primeiro episódio.

    Bora para o EPISÓDIO 2: ASSALTO À ATLAS. E já começa engraçado: o personagem RHYS terá uma visão constante de alguém já conhecido no mundo de BORDELANDS (visão essa somente vista por ele).

    Todo início de capítulo é empolgante. O que é isso ae nos perseguindo? "Its a skyn condition"...

    "Saporra" vai terminar mal...

    SEGUE TRAILER:

    Tales from the Borderlands

    Platform: Playstation 4
    298 Players
    102 Check-ins

    37
    • Micro picture
      thiones · over 1 year ago · 2 pontos

      Achei engraçado, mas o jogo não me agradou.

      4 replies
  • 2018-02-06 14:52:55 -0200 Thumb picture
  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2018-01-15 17:25:55 -0200 Thumb picture

    CHECK OUT do TRONINHO (SHARE).

    Bora finalizar essa "bagaça".  Continua já extremamente "deprê" (a cena em questão mudará de acordo com suas escolhas) e...

    ... e SINISTRO também...

    ...e VIOLENTO. Sem violência não tem graça!

    A "família encrenqueira" chegou. A guerra é inevitável. Caso esteja se perguntando que diabos amarelo é isso na foto... é o "zoom" do "cabelo da mamãe"!

    É hora de espalhar sangue "nesse carai" e mostrar quem manda!

    É disso que estou falando...

    Assustador olhar para o céu e ver essa "saraivada" de flechas flamejantes...

    Mas qual o futuro da casa?

    Muitas baixas ocorridas, mas é hora de pensar adiante. Pensar no futuro. Deixar - se abater, JAMAIS!

    "Você defendeu a CASA FORRESTER com PAIXÃO VORAZ" (apenas 20% o fizeram). Parece bom, não?

    SEGUE TRAILER DO EPISÓDIO 6:DRAGÃO DE GELO.

    Agora meus status do último episódio:

    > DISSERAM A VERDADE À MARGAERY: eu + 62.6%

    > CONCORDARAM EM CASAR COM MORGRYN: eu + 24.7%

    >  DERAM À COTTER UMA MORTE MISERICORDIOSA: eu + 39.5%

    > EMBOSCARAM O LORDE WHITEHILL: eu + 41.5%

    > SAÍRAM DO BOSQUE DO NORTE PARA IREM À IRONRATH: eu + 48.6%

    GOSTOU DO JOGO? Sim... apesar de alguns momentos tediosos. Grande destaque para certos momentos de violência explícita. Senti falta de maior interatividade de escolhas e também de interação com os cenários. Mas, de graça, que mal tem (ganho na PSN)? Em geral me diverti, porém ainda não encontrei nenhum outro TELLTALE melhor do que o THE WALKING DEAD 1st SEASON...

    Game of Thrones - A Telltale Games Series

    Platform: Playstation 4
    391 Players
    129 Check-ins

    40
    • Micro picture
      slashgoodboy · over 1 year ago · 3 pontos

      Eu faço parte desses 20%! HAUHAU
      Parabéns!

      1 reply
    • Micro picture
      zefie · over 1 year ago · 2 pontos

      Eu achei esse bem fraco em comparação com o Tales from Borderlands.
      Minhas escolhas foram horríveis, quase todo mundo da Casa morreu, sobrou só o Ashe quase morto também ahahahhahaha.

      5 replies
    • Micro picture
      filipessoa_ · over 1 year ago · 2 pontos

      Parabéns! Que bom que curtiu o jogo, é tenso achar um melhor que TWD no que diz respeito a Telltale Games. Te recomendo The Wolf Among Us.

      1 reply
  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2017-12-09 21:40:25 -0200 Thumb picture

    CHECK IN DO TRONINHO (SHARE)

    O EPISÓDIO 5 segue cheio de putaria. A parada já começa com MENAGE À TROIS e PEDOFILIA também...

    A mais velha não aguenta mais e deixa a novinha curtir o garanhão!

    Faria fácil esse cara "frente e verso"...

    ASSASSINS CREED BLACK FLAG... pera, game errado. A screenshot parece um quadro pintado, não?

    Com a turma ao meu lado, sigo buscando um pouco de JUSTIÇA!

    Mas uma coisa é fato: não será nada fácil!

    E assim finalizo EPISÓDIO 5: NINHO DE VÍBORAS com 3/5 decisões como a maioria dos jogadores.

    "Eles podem viver no meu novo mundo ou morrer no antigo" - DAENERYS TARGARYEN (que porra de nome é esse?)

    De volta para casa... bora proteger com unhas e dentes.

    Mas parece que bastante sangue será derramado nesse EPISÓDIO 6: DRAGÃO DE GELO...

    TRAILER do EPISÓDIO 6: DRAGÃO DE GELO:

    Game of Thrones - A Telltale Games Series

    Platform: Playstation 4
    391 Players
    129 Check-ins

    34

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...