• santz Santz
    2018-09-11 09:29:54 -0300 Thumb picture

    Jogo finalizado nº: 315 - Jogo stealth com inimigos cegos

     Decidi, finalmente, conhecer essa franquia tão aclamada e como gosto de ver a evolução das coisas, fui para o primeiro jogo da franquia, o Metal Gear de MSX, sendo esse, o primeiro jogo de MSX que zerei na vida. Não vou nem passar perto dos jogos de NES, pois já ouvi falar que são uns lixos. Mas então, vamos lá. Controlamos Solid Snake em uma missão de salvar prisioneiros de guerra e destruir a arma Metal Gear. A história do jogo é simples e contada de forma satisfatória. A trilha sonora do jogo é legal e não cansa, apesar de ter poucas opções. Os gráficos são bacanas, pois tudo é meio sombrio e detalhado, ambientando bem jogador.

     O level design do game é muito bom, com armadilhas e itens espalhados por todo cenário. Alguns segredos e partes não tão claras, que me fazia recorrer a um detonado toda vez que empacava. A parte mais esquisita que achei foi a questão do stealth. Sei que é um dos primeiros a ter isso, mas o fato dos soldados enxergarem apenas para frente, em linha reta, causava situações inusitadas, como por exemplo, podia ficar do lado dele de boa socar até derrubar o lazarento sem nem alertar os guardas. Ah sim, quando se alerta o povo, o desespero toma conta e uma série de inimigos vem ao seu encontro. O bom é que tem várias salas que permitem recuperar 100% as munições.

    Metal Gear

    Plataforma: PC
    227 Jogadores
    16 Check-ins

    44
    • Micro picture
      darlanfagundes · 3 meses atrás · 3 pontos

      Cara, fala essa heresia não, os de NES são foda...na realidade a mecânica desse jogo é foda demais... Eu joguei e tive a fita preta vários anos, vendi ano passado, mas pense num jogo que vale é a versão de NES...tem menos segredos que esse eu acho, eu nunca joguei esse aí e ouvir falar muito bem, mas vale a pena sim bro...joga lá...

      1 resposta
    • Micro picture
      venomsnake · 3 meses atrás · 2 pontos

      Foi o primeiro jogo a implementar o stealth dessa forma, nessa época isso foi sensacional.

      1 resposta
    • Micro picture
      volstag · 3 meses atrás · 2 pontos

      Ahh, os de NES são ruins comparados aos de MSX sim, mas eu jogaria nem que fosse só uns 15 minutos, pra ter uma ideia das diferenças, pode ser que você acabe jogando inteiros.

      1 resposta
  • llyana Pollyana Sandrelle
    2018-02-19 14:36:06 -0300 Thumb picture
    llyana fez um check-in em:
    <p><em>Adam Jensen com carisma, simpatia e seu ócul - Alvanista
    Deus Ex: Human Revolution

    Plataforma: PC
    2437 Jogadores
    97 Check-ins

    Adam Jensen com carisma, simpatia e seu óculos boladão KKKKKKKKK

    Curti muito o game, uma boa experiência! Termineiiii, após muitas horas de stealth e de hackear computadores. Fui pacifista na maioria dos momentos, sempre tentando não ser detectada e encontrando caminhos alternativos. Poucas vezes perdi a paciência e atirei :p KKKKKK

    E gente, que história e side quests fodas, acho que é uma temática com bastante conteúdo para trabalhar! Me fez refletir muito sobre os diversos lados envolvidos nas consequências de grandes avanços tecnológicos -> avanço da humanidade, os limites e excessos disso, como também podem ser benéficos para alguns e um causador de desgraça para outros. Além das empresas que produzem os implantes, estariam mais preocupadas com os lucros ou com as pessoas? Como fica para a população pobre?
    Os implantes diminuem/eliminam a humanidade do indivíduo? Ou o faz poderoso? A história envolve também questões políticas, filosóficas e conspirações.

    Achei que o caminho que escolhemos para Adam Jensen tem pouquíssimo peso no final do game :( fiquei chateada com isso. As escolhas finais foram bem realistas, mostrando que dificilmente algo pode ser 100% resolvido positivamente, há sacrifícios.

    Bem legal o game oferecer tantas possibilidades de terminar uma missão, não só nas escolhas de ser pacifista ou cruel, como também as formas de deixar os inimigos inconscientes ou simplesmente matá-los. Isso porque temos várias opções de armas e de upgrades, indo de rifle tranquilizante ou arma atordoante até lançador de granadas ou foguetes!

    22
    • Micro picture
      figuera · 10 meses atrás · 2 pontos

      Gostei da sua análise. Estou jogando o Deus Ex Mankind Divided e realmente esta sendo um dos melhores jogos dos últimos tempos (que estou jogando). O gênero Cyberpunk também é algo incrível neste jogo, com cenários belíssimos. A jogabilidade do jogo, permite o jogador jogar de várias formas, isso também me chamou muita atenção, apesar de eu preferir mesmo o stealth. Comecei pelo Deus Ex Mankind Divided, pois estava free no mês de janeiro para assinantes da PSN Plus.

      3 respostas
    • Micro picture
      jade_archer · 10 meses atrás · 2 pontos

      Eu gostei bastante do 1º Deus Ex na época, mas HR e MD me viciaram por todos esses pontos que vocês destacou no HR. E eu só jogo em modo stealth e não-letal. Se um jogo me oferece isso, eu agarro! rs Assim como acontece em Dishonored, por exemplo. Se tem como passar sem matar, é assim que eu vou! rs Acho mais recompensador (e posso ganhar mais pontos de xp! rs) cumprir uma missão como um agente invisível (ou quase rs). Assim sou obrigada a pensar em alguma estratégia pra passar e pra isso existem vários caminhos, como você disse. Isso não mudou no MD. Quando puder, não deixe de jogá-lo. Só não joguei antes porque estava caro. rs Tive sorte com esses 2 games porque o HR peguei de graça na Live para o Xbox 360 e o MD em uma promoção para o PS4. Era pra eu jogar mesmo! rs

      6 respostas
    • Micro picture
      flaviadecarvalho · 27 dias atrás · 2 pontos

      Olá! Sou pesquisadora e estou procurando pessoas para uma conversa sobre Deus Ex Human Revolution e/ou BioShock. Não consegui o número suficiente de participantes para uma conversa presencial, vou ter que apelar para conversa via Skype! Quem quiser participar preenche o cadastro no link para deixar o contato. :)
      https://goo.gl/forms/3acmmz9idksX3qg52

      4 respostas
  • muser Rafael Nogueira
    2018-02-09 16:08:06 -0200 Thumb picture

    (NA) Metal Gear Solid V: Ground Zeroes

    Já que tiraram o The Phantom Pain do catálogo (ainda bem que eu nem tinha começado) só me restou baixar esse, mas eu estava planejando começar esse antes mesmo, só tinha alguns jogos na frente.

    Como é só uma missão, não vou enrolar muito pra iniciá-lo, assim já aprendo como é Metal Gear, jogo rápido :-)

    Metal Gear Solid V: Ground Zeroes

    Plataforma: Xbox One
    464 Jogadores
    51 Check-ins

    16
  • muser Rafael Nogueira
    2017-12-03 14:31:08 -0200 Thumb picture

    Aquisição do mês!

    Tinha dado uma parada de baixar bastante jogos nesse Game Pass, mas com a adição desse jogo eu não aguentei, mesmo não sendo familiarizado com a franquia, sabia que iria valer a pena o tempo (tanto que é o meu primeiro contato).

    Sempre quis jogar um Metal Gear, curto jogos de stealth, vamos ver como vou me sair nesse daqui pois pelo que vi, jogabilidade complicada..... Já aceito dicas dos mais pros aqui na Alva pra mim num tomar tanto tapa na cara :-/

    É isso, pessoal :-)

    Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

    Plataforma: Xbox One
    387 Jogadores
    202 Check-ins

    34
    • Micro picture
      fabiorsodre · 1 ano atrás · 3 pontos

      Jogão! Não consegui concluir o meu em 2015, pois tive umas prioridades. O progresso está salvo aguardando! Hehe

    • Micro picture
      venomsnake · 1 ano atrás · 3 pontos

      Se tiver duvidas em gameplay pode me "contatar" kkkkkkk

      1 resposta
    • Micro picture
      kyle · 1 ano atrás · 2 pontos

      Os dos melhores jogos que tive o prazer de jogar <3

      1 resposta
  • 2017-08-02 22:30:12 -0300 Thumb picture

    A importância de Hideo Kojima e Metal Gear Solid para a indústria!

    Medium 3522220 featured image

    Dia destes, "zapeando" por alguns grupos sobre games em uma rede social, me deparei com a seguinte enquete: Qual destas franquias é a mais importante da história?

    Listadas, tínhamos as seguintes obras: 

    Sonic, Super Mario Bros; The Legend of Zelda, God of War, Gears of War e Halo entre poucas outras.

    Minha escolha foi por The Legend of Zelda. E mesmo percebendo a evidente falta de algumas franquias de peso - mais peso até do que algumas das oferecidas pela enquete - talvez minha escolha fosse por Zelda mesmo ou Super Mario que independentemente de minha preferência é, de fato, a franquia mais importante, relevante e icônica da história dos videogames. 

    Mas era visível a falta de um mínimo de coerência ao se elaborar uma lista com God of War, Gears of War e Halo em detrimento de Castlevania, Metroid, Final Fantasy e GTA, apenas para parametrizar!

    A enquete não perguntava qual das franquias era a mais amada ou a que mais vendia ou a melhor avaliada por sites agregadores de notas. Tudo isto é algo que complementa sim uma franquia. A torna mais robusta, rentável, relevante e tudo mais. Mas não define se seus feitos foram fundamentais para a indústria.

    Não obstante, decidi perguntar sobre Metal Gear Solid numa tentativa, inocente até, de fazer quem quer que tenha criado o exercício, refletir sobre a ausência da franquia em sua lista. Na minha concepção só poderia ter sido um pequeno lapso do administrador ao criar a lista já que são explícitos os feitos da franquia e seu merecido "lugar ao sol".

    Para minha surpresa ele respondeu - com outras palavras obviamente - da seguinte maneira: Metal Gear Solid nunca foi importante para a indústria! Nunca fez nada revolucionário e Kojima é o cara de um jogo só - claramente referindo-se à criação máxima do diretor.

    Isto posto, devo confessar-lhes que um dia eu também pensei assim. Também achava que Kojima só fazia e vivia de MGS. Debochava de suas outras criações muito mais para provocar os fãs xiitas do desenvolvedor do que por qualquer outra coisa já que para mim MGS é, ao lado de Zelda e Mario, a franquia mais importante da 10ª arte! 

    Espero que a leitura que se segue ajude ao amigo que elaborou a enquete supracitada e ajude você também a perceber que não devemos criar uma imagem errada sobre uma coisa que às vezes sequer nos esforçamos minimamente para compreender!

    Bom, agora vou tentar mostrar porquê MGS é sim uma das maiores criações da indústria gamer e o quão importante e essencial ela foi/é para a saúde do seguimento.

    Olha, afirmar que MGS não teve influência e participação na fundação da 10ª arte é, no mínimo, se esforçar pouco para enxergar o óbvio! Preguiça mesmo ou má vontade, até!

    Ainda que oficialmente, e por direito, Silas Warner seja considerado o pai do estilo Stealth com o jogo Castle Wolfenstein de 1981, parece ser muito claro que tenha sido Hideo Kojima a revolucionar e popularizar esta mecânica tão conhecida e usada nos mais diversos estilos de jogo!

    Acredite, a forma rudimentar de se jogar furtivamente neste jogo de 81 nada tem a ver com aquilo que Kojima trouxe! Veja abaixo um pouco mais de Castle Wolfenstein e constate isso:

    Se hoje jogamos games como Splinter Cell, Hitman, Tenchu, Assassin’s Creed, Thief, Deus Ex, Dishonored e até outros jogos como Alien: Isolation e o cultuado e premiadíssimo The Last of Us da forma que jogamos, devemos muito disso à obra de Hideo Kojima lá nos idos de 1986!

    Até aquele tido por muitos como o melhor jogo de todos os tempos (The Legend of Zelda: Ocarina of Time) usou mecânicas do gênero popularizado por Hideo Kojima em Metal Gear! 

    A franquia do "hyliano" mais amado dos games voltou a usar a furtividade no clássico e controverso TLoZ: The Wind Waker em uma bela e comovente homenagem à clássica caixa de papelão de Snake, aqui em forma de barril. E mais recentemente em TLoZ: Breath of the Wild com maior ênfase e até com um medidor de sons/ruídos dedicado!

    Em uma época em que os jogos focavam 100% em ação, Hideo Kojima foi visionário e criou o gênero e várias das mecânicas furtivas que conhecemos e dispomos hoje em dia!

    Além disso, Metal Gear foi um dos primeiros jogos, se não o 1º, a possuir uma narrativa e história mais “adultas”.

    Um enredo crescente imersivo e envolvente trazendo à tona e contextualizando de maneira filosófica temas tidos como tabu desde sempre!

    MGS nos familiarizou com a economia global e seus meandros, da guerra, de suas nuances e da "paz que ela traz", da política e sua necessidade ancestral por nos controlar, da ciência e suas criações necessariamente bizarras, da tecnologia oculta, da paternidade, da sexualidade (e homossexualidade), do sobrenatural e da sociedade Americana contemporânea em uma realidade distópica. 

    Tudo isto envolto por referências, sátiras e um humor ácido-caricato singular que caracterizam a obra de Kojima como única!

    Coisas que ninguém pensou e quis misturar com jogos de videogame antes dele!

    Kojima é um fã declarado da cultura ocidental - em especial da Norte-americana - e que faz questão de permear suas obras com toneladas de referências à cultura pop! É o responsável por tomadas, enquadramentos, cortes e cenas de tirar o fôlego capazes de deixar até os grandes diretores Holywwodianos com inveja!

    Não precisaríamos, ainda que aqui se faça necessário, dizer que Metal Gear Solid, para o Playstation original, foi o responsável por aproximar como nunca antes os jogos do cinema! MGS é uma obra-prima tanto em narrativa quanto em jogabilidade e cinematografia!

    Não foi à toa que através de uma pesquisa oficial para celebrar os 20 anos da marca PS, Metal Gear Solid fora escolhido, em meio a uma biblioteca diversificada e impressionante, como o maior/melhor jogo do Playstation original. 

    Para que tenhamos noção, o jogo de Kojima superou outros jogos fantásticos como Castlevania: Symphony of the Night, a trilogia original de Resident Evil, Final Fantasy VII, Silent Hill e Crash! Veja matérias mais completas aqui ou aqui.

    Negar a importância e relevância monumental de Kojima e MGS beira a irresponsabilidade!

    Quanto a dizer que Kojima é gênio de um jogo só, também é uma inverdade, uma maldade até!

    Zone of the Enders (que também tem a assinatura artística de Shinkawa, “desenhista” da série MGS) é um belo jogo independentemente de ter feito grande sucesso ou não! 

    O mesmo pode ser dito de Policenauts e especialmente de Snatcher, um adventure cyberpunk que é um tipo de precursor de jogos interativos como os da Quantic Dream ou os Walking Dead da Telltale Games. 

    Novamente percebe-se a capacidade visionária do diretor/produtor! 

    Snatcher, inclusive, "empresta" um de seus personagens principais para  old Snake em MGS 4: Guns of the Patriots. Para quem não sabe, o robozinho que auxilia o herói no capítulo que fecha cronologicamente a saga, Metal Gear Mk.II é originário da aventura imersa em Cibernarquismo dos anos 1980.

    Voltando a Metal Gear...

    E o que dizer, então, das batalhas contra chefes? Uma das marcas registradas da série e que corroboram toda a "insanidade criativa" de Hideo Kojima! Se fizéssemos uma lista com as melhores batalhas contra Chefões, obrigatoriamente esta lista deveria ter algumas de MGS.

    Quem não se lembra da luta contra Psycho Mantis? Quando ele podia "ler nossa mente" e nos dizer os jogos que gostávamos? E quando ele nos mandava colocar o controller no chão para que pudesse demonstrar seu poder da mente movendo-o "sozinho"?! Um autêntico e colossal Mind Blow!!!

    Na verdade Kojima Apenas permitia que o chefe tivesse acesso ao memory card de nosso console para "ler" o que costumávamos jogar e permitia o acesso à função de vibração, respectivamente! 

    Quanto à icônica necessidade de colocar o controller 1 na entrada 2 para que pudéssemos "enganar" o poder psíquico de Mantis é algo simplesmente genial!! 

    Outra batalha épica foi contra o velho eremita The End em MGS 3: Snake Eater. Uma batalha que poderia durar um bom par de horas ou alguns segundos! Isso mesmo. Se o jogador preferisse evitar esta dura, memorável e cansativa batalha contra o franco-atirador, bastava matá-lo quando ele aparecia inerte sentado em sua cadeira de rodas numa breve cutscene que antecedia ao combate! Ou ainda, se preferisse,  iniciava a luta, salvava o jogo e adiantava o relógio interno do seu console em uma semana e o chefe simplesmente morria de velhice, pasme!!!

    Não vou nem me ater muito ao desfecho da batalha derradeira entre Naked Snake e sua mentora The Boss. É daquelas cenas que ficam guardadas na mente e no coração dos jogadores para sempre!

    É o bom e velho Kojima em sua essência! É ele sempre quebrando a 4ª parede como ninguém! 

    " Resumidamente, o ato de "quebrar a quarta parede" é a tentativa de agregar o público como parte da obra! É quando deixamos apenas de assisti-la e podemos interagir fisicamente com ela. É um recurso narrativo vindo do teatro medieval e que fora tão genialmente assimilado pelo produtor Japonês que se tornou uma de suas muitas assinaturas artísticas! "

    Enfim, Kojima pode ter todos os defeitos do mundo. Ele é Narcisista e mimado e por mais incrível que possa lhes parecer, compartilho da opinião daqueles que acham que o problema entre ele e a Konami foi mais culpa dele do que da própria Cia. Japonesa! E eu até arranho a superfície deste problema em análise ao Metal Gear Solid V: The Phantom Pain que você pode ler aqui.

    Mas quem entende o mínimo sobre games não pode negar sua genialidade! Se não está no patamar mais glorioso de um hipotético panteão de criadores de jogos como Shigeru Myiamoto (e neste caso nenhum outro estará também..), ele estaria em uma “segunda prateleira” ao lado de outros monstros como Fumito Ueda, Shinji Mikami, Hironobu Sakagushi e Gumpei Yokoi. E estaria acima de uma “terceira prateleira” formada por nomes pesadíssimos como Eiji Aonuma, David Cage, Tetsuya Takahashi, Hideki Kamiya, David Jaffe e da dupla Bruce Straley /Neil Druckmann, mais recentemente!

    Mas enfim, tudo nessa vida (ou quase tudo) é subjetivo e isso nos leva a ter opiniões diferentes sobre as mesmas coisas, mas é sempre bom mostrar todos os lados para que se possa formar uma opinião com algum ou um maior embasamento! Do contrário, as novas gerações podem ter uma interpretação errada e demasiadamente superficial sobre coisas extremamente importantes nesse meio.

    E Metal Gear Solid foi, é e sempre será importante! 

    Até porque foi...

    Espero que tenham gostado e lembrando que esta é a opinião do autor e não representa o grupo SPAGHETTI DIGITAL como um todo.

    Comente, debata de maneira sadia e nos siga no Twitter e no Facebook. Obrigado!

    Por @vitalbianck em 31 de Julho de 2017.

    1
  • pauloe Paulo Emilio
    2017-07-30 15:58:25 -0300 Thumb picture
    pauloe fez um check-in em:
    <p>Zerado!!!&nbsp;</p><p>...E fiquem com a trilha o - Alvanista
    Far Cry 3: Blood Dragon

    Plataforma: PC
    676 Jogadores
    72 Check-ins

    Zerado!!! 

    ...E fiquem com a trilha oitentista com muito VaporWave desse ótimo jogo:

    5
  • pauloe Paulo Emilio
    2017-07-25 12:53:09 -0300 Thumb picture
    pauloe fez um check-in em:
    <p>Bem humorado, divertido, boa jogabilidade, ambie - Alvanista
    Far Cry 3: Blood Dragon

    Plataforma: PC
    676 Jogadores
    72 Check-ins

    Bem humorado, divertido, boa jogabilidade, ambientação e gráficos daora.

    5
  • tiagohardco Tiago Matias Escobar
    2017-05-16 09:24:16 -0300 Thumb picture
  • 2017-01-16 11:30:26 -0200 Thumb picture
  • rodrigoarkade Rodrigo Pscheidt
    2016-10-13 15:23:11 -0300 Thumb picture

    Arkade Review - Aragami

    Pra quem queria saber mais sobre o jogo, tá aí o review completo. 

    P.S. Não fui eu que escrevi, mas como também joguei, acrescentei meus pitacos no texto do camarada João Bonorino (que jogou a versão PC). ;)

    Aragami

    Plataforma: Playstation 4
    20 Jogadores
    8 Check-ins

    4
    • Micro picture
      wild_dark_shadow · 2 anos atrás · 2 pontos

      Estava à procura de algo assim. Talvez o comece hoje e estou curioso com tudo!

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...