• lgd Leandro "Tommy"
    2016-03-08 10:42:18 -0300 Thumb picture

    Nova série: Jogos de Corrida do Master System

    O jogo é muito competente ao trazer toda a emoção do circo da F-1 para os 8 bits da SEGA! É baseado na temporada de 1993 da F-1 e também é conhecido por Formula One.

    F1

    Platform: Master System
    36 Players

    4
    • Micro picture
      tassio · over 3 years ago · 2 pontos

      Joguei muito na infância... aí um dia desses (tem um tempo já) descubro que tem a versão de Game Gear também...

      1 reply
  • amanoyuudi Yudi Ishikawa
    2014-10-13 19:18:07 -0300 Thumb picture

    Minha frustração com os games de corrida

    Eu como ávido jogador de games de corrida desde o saudoso Top Gear, nos últimos tempos, ou devo dizer anos, venho sentido falta de um grande título do gênero, claro, temos Need for Speed, alguns Grid, Forza, Gran Turismo e algumas novidades. Mas a muito tempo não temos nada tão impactante ou memorável.

    Lembro que nos tempos gloriosos de Need for Speed, ficava eufórico só de anunciarem um novo game da franquia, não via a hora de jogar e ver que tipo de carros, customizações e rivais o game traria para mim. Porém, hoje em dia já não sinto mais essa alegria que havia dentro de mim em um novo anuncio da franquia, que está mais do que desgastada.

    Need for Speed a Odisseia

    Chegou ao ponto de eu desistir, sim desistir, de jogar um NFS. Pois bem, vou contar minha odisseia. Isso aconteceu com Most Wanted, “O QUE?!”. Calma, Most Wanted 2012, o famigerado game que “traria de volta o fôlego e os tempos de ouro” da franquia. Fui lá eu com toda a alegria do mundo jogar o tão aguardado game, os trailers me deixavam cada vez mais empolgado. O começo até que foi legal, o game já te joga em um Aston Martin correndo alucinado até o local onde pegamos o primeiro carro, um Porsche amarelo. Ok, não curti a cor, então, que tal trocar ela? “Mas onde?” Não há garagens no game... “Posto de gasolina?!” Sim, eles fazem serviço completo, pintam seu carro e ainda tem martelinho de ouro para deixar nos trinques. Só não enchem o seu tanque, afinal onde estamos? Em um simulador ou arcade? Enfim, vou lá trocar a cor do carro, hmm... Preto? Vermelho? Não sei... AH! Espera, você não escolhe nem a cor do carro nesse game, é aleatório quando entra no posto. Onde NFS chegou?! De um game onde podíamos escolher até a cor do subwoofer, para um que nem a cor do carro podemos mais escolher livremente? E esse foi só o início da picada. Depois de já sentir o desgaste (chatice) das corridas quis melhorar meu Porsche. “Como você faz isso? No posto também?” Não. “Existe um centro automotivo de modificação?” Não. Você ganha as peças para customização participando de corridas e cumprindo os objetivos que ela propõe. “Como assim? Você não usa dinheiro para comprar as peças e melhorar seu veículo?” Nope. Isso acabou, aqui é tudo na base de correr e ganhar. Acabou a emoção de juntar grana fazendo diversas corridas para deixar o seu carro o mais potente que a mecânica moderna poderia deixar. “Bom tudo bem eu não curtia isso, pelo menos os carros você pode comprar e ter aquela...” Não, não. Isso também acabou. No game você acha os carros e os “pega”, é só isso. É como se fosse uma caça ao tesouro. Achou é seu, e não há quem tire de você. Então, basicamente você pode ter uma “garagem” repleta dos melhores veículos desde o início do game, só procurar. “Da forma como você está descrevendo nem parece um NFS”. Pois é. E ainda por cima o game carrega o nome de um dos, se não o melhor NFS da franquia para muitos. “Mas o que sobrou de Most Wanted no game?”. Só o nome e a Blacklist. “Nossa então, menos mal, pelo menos vou poder derrotar o Razor novamente e...” Ehhh... Não. Essa “Blacklist” está tão genérica quanto o game todo em si. Só para ter uma noção nem mesmo nome os “Most Wanteds” tem, basicamente você está enfrentado os carros. Não há personagens, não há desafios, não há nada neste game. No final das contas, eu não consegui zerar Most Wanted 2012, o game já estava tão, mas tão enfadonho que mal conseguia joga-lo por mais de trinta minutos, então decidi pôr um fim naquele martírio de uma vez por todas. Para mim de longe é o pior NFS já produzido. Chega até a ser irônico o melhor game da franquia dividir o nome com o pior. “Ah! Mas teve aquele ‘The Run’ que é bem ruim também”. Bom, pelos menos eu me diverti mais nele do que nessa monotonia em forma de game.

    Olhando um pouco no retrovisor

    “Você falou, falou, e até agora eu entendi que você não gosta de Most Wanted (2012), essa é a sua frustração?”. Calma, calma, que já chego lá. Nos últimos anos, os games de corrida, que já não são de um gênero tão popular assim, mas que carregam consigo uma grande legião de fãs, sejam eles de automobilismo ou entusiastas da arte da direção, andam por sentirem falta de um grande título, que resgate os tempos de ouro, e acima de tudo a diversão. Temos Gran Turismo, Forza, mas não temos aquele entusiasmo. Títulos de simulação são interessantes, mas até um certo ponto, e para um certo público. Eu pessoalmente gosto desse tipo de game, mas tem horas que sinto falta de um game arcade para me divertir e descontrair, e é disso que estamos escassos atualmente.

    E as quantas anda Burnout? Uma das minhas franquias favoritas. A EA errou feio, errou rude, em ter colocado a Criterion para produzir NFS, na esperança de que a experiência deles com Burnout fosse resolver alguma coisa na franquia. Até teve bons frutos, mas nada impressionante. Enquanto deixaram uma franquia tão bem sucedida como Burnout esquecida. E atualmente com a saída da Criterion da cena de NFS, mal sabemos o que ela está planejando e se Burnout vai sair da gaveta algum dia.

    Race Driver: GRID, game derivado da finada franquia TOCA Race Driver da Codemasters, foi na época um dos games mais surpreendes que já tinha jogado, o nível de danos que o veículo poderia sofrer era insano, um dos mais detalhados já vistos, proporcionados pelo motor EGO. O game no geral era muito divertido e variado, desde competições normais de corrida em pistas de rua, circuitos, até drift. Foi então que passados anos desde o primeiro game, 2008, foi anunciado Grid 2, sem Race Driver mais no nome. Fiquei extremamente animado com o anuncio de um novo game para a franquia. Porém, como já sabemos ele não foi tudo aquilo, tanto é que lançaram uma “revisão” para ele este ano, intitulado “Grid Autosport”, para tentar se redimir com o público. Tenho que dizer que tanto o 2 quanto o Autosport não são games ruins definidamente, mas não são tão bons quanto o primeiro título. Dá para se divertir, no entanto tem falhas.

    Também tivemos um game bastante curioso em 2012, DiRT: Showdown. Título derivado da franquia DiRT (Colin McRae Rally), com alguns elementos de GRID inclusos. Foi um game bastante divertido, por mesclar as melhores partes de cada título. Como por exemplo os eventos de Derby, destruição ou demolição de carros, que eu tanto gostava em GRID, mas que contava com apensar 1 circuito, 2 variações do mesmo, e 2 veículos. Agora tínhamos várias configurações de circuitos e maior variedade de veículos para participar deles. O que deixou a diversão ainda melhor. Também temos corridas em variados terrenos como terra, lama, neve, também como asfalto derivados, é claro, de DiRT. O game não é nada complexo, tudo bem simples, correr, desbloquear novos veículos, correr, melhorar seus carros, e continuar correndo, assim se segue até o fim. Um game somente para distração, e diversão sem compromisso acima de tudo. Muito bom também para se jogar com amigos no Split-screen.

    Acelerando fundo

    Nos últimos anos os títulos que eu mais me diverti foram NFS Hot Pursuit (2010), muitos consideram ele fraco, e eu também diria o mesmo se não fossem as perseguições policiais alucinantes que temos, e que não víamos desde o PS2, não no sentido de fugirmos dos guardas e sim de encarnar os homens da lei, isso é uma das coisas mais divertidas em tempo, só pela diversão já me ganhou. Midnight Club Los Angeles, esse eu não preciso dizer nada, já é um título um tanto quanto antigo, para ver como estamos na falta deles, nos moldes do bem sucedido Midnight Club 3, a Rockstar não decepcionou nessa continuação e conseguiu melhorar e expandir a receita. E por fim, mas não menos importante, temos Forza Horizon, com medalha de honra ao mérito, que veio como uma surpresa para mim, não espera ver um game tão divertido e com uma trilha sonora muito boa diga se de passagem. “Pera, esse não é aquele jogo que fez quase a mesma coisa que NFS Pro Street? Um festival de corridas com customização bem detalhada e tudo mais?” Sim, porém em Horizon eles conseguiram aceitar no ponto. Enquanto Pro Street tinha um evento fechado e nenhuma liberdade, Horizon por sua vez, traz a mesma formula de festival de velocidade só que com a liberdade de poder andar no belíssimo cenário de Colorado livremente, além otras cositas mas. Simplesmente, um dos games mais divertidos e agradáveis de jogar do gênero nos últimos anos. Com uma variedade de carros, customizações, eventos. Eventos esses que chegam a ser malucos de tão insanos e variados, como uma corrida contra balões de ar quente. Isso vindo de uma franquia de simulação realmente surpreendeu.

    E o futuro?

    Enfim, chegamos ao ano de 2014 com muitas promessas, tais como The Crew, DriveClub, Project CARS, Forza Horizon 2, no começo cheguei até a pensar que seria o retorno dos bons tempos para o gênero, porém hoje começo a duvidar disso, já que algumas dessas promessas não foram cumpridas ou parecem que não vão se concretizar.

    DriveClub, que prometia tanto, parece ter decepcionado, com um começo nada agradável, era para estar comemorando 1 ano de vida, mas sofreu uma série de adiamentos por conta de problemas na produção, troca de diretores de produção e por ai vai. E no lançamento, servidores offline, como o foco desde game é o online, criar clubes como o nome já sugere, isso é um grande problema, a área social que seria basicamente o chamariz para o título, fica completamente perdido com esse fato. Então, isso já faz o game perder pontos, além de diversas outras críticas que ele anda sofrendo em relação a pouca variedade de veículos em disco (não DLC). Porém, devo fazer a ressalva, de que graficamente ele não decepciona. Está muito bonito, e as transições de tempo, como chuva e outros elementos, estão muito bons, além dos cenários belíssimos, e detalhes nos carros, principalmente em seus interiores.

    The Crew, este ainda não foi lançado, mas tinha me ganhado com o primeiro trailer, e todas as novidades em torno dele. Aquele esquema de abrir, literalmente, o carro para customiza-lo, e as diversas formas e estilo de customização, os “tuning specs”, ou seja, você pode transformar um carro de rua em um off-road e depois em um stock-car, as possibilidades são enormes. Além do fato que neste game, as ruas não são o limite, você pode correr em qualquer local que seu carro conseguir passar. Sem falar da parte social que o game pretende proporcionar, e está sendo muito divulgada. Vamos esperar que não ocorra o mesmo que DriveClub. Contudo, parece que ele não vai ser tudo aquilo que foi prometido pela Ubisoft, posso estar enganado, e realmente espero estar, mas só saberemos no próximo mês com seu lançamento.

    Project CARS, sei que é um simulador, mas vale ser citado. Este game eu ainda não sei o que dizer, pois tudo o que foi apresentado até agora é simplesmente sua capacidade gráfica que aparenta ser magnifica, com muito detalhamento e tudo mais. Ele tende a ser um simulador ao que tudo indica, mas parece que vai ser amigável com os iniciantes no gênero também. Pelo que parece, está caminhando bem, e espero que continue assim, principalmente em relação aos gráficos que é o atrativo dele. Promete revolucionar, se vai cumprir com o prometido, só no próximo mês mesmo para sabermos.

    E novamente por fim, mas não menos importante, Forza Horizon 2, já que nem tudo é frustração, este é o único que me está fazendo querer comprar um novo console, Xbox One, só para joga-lo. O game parece não decepcionar, e sim acrescentar a brilhante e bem sucedida formula do primeiro game com novos elementos. Tenho que dar destaque aos excelentes cenários, realmente belíssimo ficar observando a costa do sul da Europa neste game. Além, é claro, novamente da excelente trilha sonora muito contagiante e com músicas bem animadas como deve ser em um game deste tipo. E não vamos esquecer a que estamos, os carros, uma variedade ainda maior do que o primeiro game já apresentava, e com muita variedade na customização e pinturas também, além do gráfico muito bonito que deixa cada modelo ainda mais atraente e realista. Sem falar dos loucos eventos que dessa vez extrapolam o senso comum, correr contra caças em um Lamborghini?! Pois é, aqui você pode.

    Esperto que está onda de lançamentos não pare, e que venham cada vez mais (e melhores de preferência) games de corridas neste início de geração, para reacender o ânimo no gênero. Aliás, um game que promete muito é “Next Car Game” ou “Wreckfest” como é conhecido atualmente. Dos mesmos criadores de FlatOut, franquia pertencente a Bugbear Entertainment, que também parece ter findado. Algo me diz que vou sentir o mesmo que senti quando joguei Race Driver GRID pela primeira vez, com o sistema de dano insano que este game carrega, graças ao novo motor gráfico poderoso desenvolvido especialmente para ele.

    Need for Speed quem? Quando? Onde?

    E quanto a NFS, que ele descanse bem e volte com folego renovado no próximo ano, quero ver um bom game no mínimo. Porque, a euforia foi-se junto de tantos desapontamentos. Ah! Antes que me esqueça, não joguei Rivals. Dizem que é divertido, mas não sei se é tudo isso. Só me atraiu mesmo, pela formula Hot Pursuit dele, você poder ser o policial. De resto nada me chamou a atenção no título. Quem sabe no futuro eu jogue.

    Por: Yudi Ishikawa.

    Need for Speed: Hot Pursuit

    Platform: XBOX 360
    566 Players
    16 Check-ins

    59
    • Micro picture
      leohirano · over 4 years ago · 0 pontos

      tu escreveu tudo isso e ninguem leu?
      Cara vou marcar aqui, vou ler e opinar.
      deve ser um saco escrever isso e não ter reconhecimento

    • Micro picture
      amanoyuudi · over 4 years ago · 0 pontos

      @leohirano Eu costumo ficar inspirado as vezes e começo a escrever, como o primeiro post do meu perfil. Esse dai me levou 10h contando diagramação (imagens), tive que editar imagem por imagem, para ficar no tamanho ideal, e a imagem de capa, é um mosaico, que contem 580 imagens de diversos jogos de corrida de diversas gerações, pesquisei uma por uma demorei 3h, mas achei que fosse só 1h. Pena que o Alvanista redimensiona as imagens no servidor dele. Depois disso tudo reli umas 6 vezes para ajeitar pontas soltas, parágrafos, e entendimento no geral. A parte escrita foi a mais rápida 4 horas para base 2~3 de edição.

      Eu gosto de fazer isso as vezes, sei que as pessoas não vão ler, e algumas vão até fechar só de ver o tamanho do texto, mas eu faço por prazer próprio gosto de escrever. E tento sempre escrever de uma forma que não canse o leitor ao ler, nada monótono ou arrastado.
      E não posso obrigar ninguém a ler, aqueles que realmente estiverem interessados vão ler, e eu agradeço. Esses são só minhas opiniões sobre diversos fatos.

    • Micro picture
      s7ephano · over 4 years ago · 0 pontos

      Estou jogando o Forza Horizon 2 e te digo que está bastante interessante.... o jogo é belíssimo e bem competitivo, o esquema de Drivatar que tem nele é bastante interessante, você se sente correndo contra seus amigos mesmo que eles não estejam online naquele momento... os efeitos de luzes, chuva tá muito bacana mesmo....
      Agora espero que The Crew e Project Cars seja tão bons como foram mostrados anteriormente.... e espero que não aconteça com o The Crew o mesmo que aconteceu com Watch Dogs....

  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2014-04-28 19:03:36 -0300 Thumb picture
  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2014-03-15 13:03:27 -0300 Thumb picture

    ADICIONANDO...

    adicionando...os games que já joguei nessa vida e... lembro que este jogava muito, era extremamente divertido, bons gráficos, áudio e gameplay...

    Acho massa relembrar games que fizeram parte da minha vida gamer...

    Ridge Racer (1995)

    Platform: Playstation
    153 Players
    1 Check-in

    15
    • Micro picture
      jeanzelda · over 5 years ago · 0 pontos

      caralho mano , figuei feliz de vc fazer eu lembrar desse simulador de carros, que na epoca pra mim era o melhor de todos

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · over 5 years ago · 0 pontos

      Este em questão era bem divertido...era como se uma máquina ARCADE estivesse na sua casa (devido gráficos, áudio, jogabilidade...)...

    • Micro picture
      rickard_beelzebub · over 5 years ago · 0 pontos

      Como eu era fã do Type-4!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Muito lindo!!

  • andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos
    2014-02-24 18:00:14 -0300 Thumb picture

    GAMES QUE JÁ JOGUEI...

    Marcando games que já joguei...

    Este achava bem divertido PORÉM... a dificuldade incomodava um pouco... assim como a jogabilidade que não ajudava tanto...

    Jet Moto

    Platform: Playstation
    234 Players

    4

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...